Santas e Santos de 30 de agosto

Em Belo Ho­ri­zonte, no Brasil, o Beato Eus­tá­quio van Lieshout (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Con­gre­gação dos Sa­grados Co­ra­ções de Jesus e Maria. († 1943). Padre Eustáquio foi um nome ligado à história de Belo Horizonte, à fé do povo mineiro e a muitas ações de solidariedade….

… O Bem-Aventurado Eustáquio van Lieshout SSCC. (3 de novembro de 1890 — 30 de agosto de 1943) foi um presbítero católico e religioso da Congregação dos Sagrados Corações de Jesus e de Maria e da Adoração Perpétua ao Santíssimo Sacramento do Altar.

Após a constatação de uma cura por sua intercessão, foi beatificado em 15 de junho de 2006 por Sua Santidade, o papa Bento XVI.[1]

Após sua morte, foi atribuída a ele a cura de um câncer de um devoto, constatada clinicamente e comprovada cientificamente. Esse relato consta no processo para sua beatificação, iniciado em 1997. Outros casos de curas e milagres também são relatados por várias pessoas. A cerimônia de sua beatificação aconteceu ao dia 15 de junho de 2006, durante a 12ª Torcida de Deus, no estádio Mineirão, em Belo Horizonte, MG. A cerimônia foi presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo e contou com a presença do Legado Pontifício do Sumo Pontífice, Dom José Cardeal Saraiva Martins. ” Ver:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Eust%C3%A1quio_van_Lieshout

– Ver “… Humberto van Lieshout, que mais tarde seria conhecido como o Venerável Padre Eustáquio, nasceu no dia 3 de novembro de 1890, em Aarle Rixtel, na Holanda. Passou o final de sua vida no bairro Celeste Império, vizinho ao Jardim Montanhês, celebrando Missas na capela Cristo Rei, única igreja existente nas proximidades dos bairros Celeste Império, Villa Minas Gerais e Progresso (atual bairro Padre Eustáquio). Andava por toda a região, atendendo pessoas e resumindo sua missão em duas palavras: “Saúde e paz”, numa atitude de fé e amor ao próximo.
Padre Eustáquio faleceu no Sanatório Minas Gerais, atual hospital Alberto Cavalcanti, também naquele bairro, onde estão preservados os móveis da época de seu falecimento. Tornou-se símbolo da fé religiosa, ao longo de sua atuação, promovendo curas e distribuindo bênçãos pelos vários lugares por onde passou. Após sua morte, foi atribuída a ele a graça da cura de um câncer em um de seus devotos, entre outros milagres…

… Após sua morte, foi atribuída a ele a cura de um câncer de um devoto, constatada clinicamente e comprovada cientificamente. Esse relato consta no processo para sua beatificação, iniciado em 1997. Outros casos de curas e milagres também são relatados por várias pessoas.
Padre Eustáquio costumava dizer que sua vocação era “amar e fazer amar a Deus”…”: http://www.vatican.va/news_services/liturgy/saints/ns_lit_doc_20060615_eustaquio_po.html

1.   Em Roma, no ce­mi­tério de Co­mo­dila, junto à Via Os­ti­ense, os santos már­tires Félix e Adauto (também na Folhinha do Coração de Jesus), que juntos deram in­que­bran­tável tes­te­munho da sua fé em Cristo e juntos en­traram vi­to­ri­osos no Céu. († c. 304).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no início do século IV, o martírio dos Santos Félix e Adauto (M).

– Ver “… Félix e Adauto (m. Romac.303) são mártires e santos dos primeiros tempos do Cristianismo, venerados por diversas confissões cristãs, entre elas a Igreja Católica e a Igreja Ortodoxa.

Félix era um sacerdote cristão de Roma. Durante a perseguição de Diocleciano foi levado pelo prefeito Draco junto do altar dos deuses Serápis, Mercúrio e Diana para lhes fazer sacrifícios. Félix rezou e as imagens dos ídolos caíram por terra, e por isso foi condenado à morte.

Quando era levado ao lugar de execução, juntou-se-lhe um outro jovem que disse que também era cristão e foi condenado com ele. Tal jovem, de quem não se sabe o nome, foi chamado Adauctus (Adauto), que em latim quer dizer “adicionado, junto”. Ambos foram decapitados. Adauctus é por vezes retratado como legionário romano na iconografia dos santos.

Catedral de Santo Estêvão em Viena exibe as suas relíquias…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%A9lix_e_Adauto

2.   Co­me­mo­ração dos ses­senta santos mártires, que, em Suf­fe­tula, na África Bi­za­cena, ac­tu­al­mente na Tu­nísia, por ter sido des­truída uma es­tátua de Hermes, foram mortos pelo furor dos gentios. († 399)

3.   Em Roma, a co­me­mo­ração de São Pa­má­quio se­nador, in­signe pela sua fir­meza na fé e ge­ne­ro­si­dade para com os po­bres, a cuja di­li­gente pi­e­dade se deve a cons­trução de uma igreja ti­tular no monte Célio. († 410).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 410, São Pamáquio, senador romano que transformou seu próprio palácio em Igreja. (M).

– Ver “… Pamáquio era um nobre e senador, membro da gente Fúria. Era primo de Marcela e parente de Melânia e Piniano.[1] Quando jovem, frequentou escolas de retórica com São Jerônimo, que seria seu amigo por toda vida. Em 385, se casou com Paulina, a segunda filha de Santa Paula e Júlio Toxócio.[2] Ele provavelmente estava entre os viri genere optimi religione praeclari que em 390 denunciaram Joviano ao papa Sirício (segundo Santo Ambrósio). Quando ele atacou o livro de Jerônimo contra Joviano por razões de prudência, Jerônimo enviou-lhe duas cartas (48-49) agradecendo-o. A primeira, reabilitando o livro, provavelmente já fora escrita com a intenção de ser publicada.[3]

Pamáquio é descrito por este tempo como um procônsul. Não é certo se esse título foi honorífico, ou se de fato ocupou tal ofício, mas se a segunda opção for verdadeira, os autores da PIRT sugerem que foi procônsul da África. Em 396, sua esposa faleceu sem crianças e deixou sua propriedade para ele.[4] Com sua morte, Pamáquio, tornou-se monge, ou seja, dedicou-se à vida consagrada e praticou obras de caridade (Jerônimo, ep. lxvi; Paulino de Nola, ep. xiii).[1] Em 399, escreveu com Oceano a Jerônimo pedindo que traduzisse a obra De Principiis de Orígenes e repudiando a insinuação de Rufino de que Jerônimo concordava com as opiniões de Orígenes. O santo respondeu no ano seguinte (ep. lxxxiii-iv).[3]

Em 401, Pamáquio recebeu os agradecimentos de Santo Agostinho (ep. lviii) por uma carta que escrevera ao povo da Numídia, onde tinha terras, exortando-os a abandonar o cisma donatista. Muitos dos comentários de Jerônimo sobre as Escrituras foram dedicados à Pamáquio. Dentre as obras de caridade de Pamáquio está a construção, em parceria com Santa Fabíola, do hospício ou xenodóquio (caravançarai) em Porto[1] para imigrantes pobres (Jerônimo, ep. lxvi, lxxvii). O sítio foi escavado e as escavações revelaram o plano e organização desse edifício singular. Salas e salões para os doentes e pobres estavam agrupados em torno dele. A Igreja de São João e Paulo em Roma foi fundada ou por Pamáquio ou por seu pai e, por isso, era conhecida como Titulus Pammachii. Após sua morte em 409, Pamáquio passou a ser celebrado como santo e sua festa ocorre em 30 de agosto.[3]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pam%C3%A1quio_de_Roma

– Ver também páginas 345-346: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf 

4*.   No mos­teiro de Re­bais, pró­ximo de Meaux, na Nêus­tria, ac­tu­al­mente na França, Santo Agilo, seu pri­meiro abade. († c. 650).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Diocese de Meaux, perto de 650, a volta para Deus de  Santo Agilo, primeiro abade do mosteiro de Rebais, que Santo Audoeno, discípulo de São Columbano, acabara de fundar (X).

5.   Em Breuil, também no ter­ri­tório de Meaux, São Fiá­crio, ere­mita, oriundo da Ir­landa, que se­guiu a vida solitária. († c. 670).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VIII, São Fiácrio. Filho de um rei da Escócia, foi atraído pela fama de São Farão, bispo de Meaux. Instalou-se em um eremitério que deu seu nome à localidade formada ao seu redor. Monge desbravador, foi venerado particularmente pelos jardineiros e horticultores da região de Ile-de-France. (M).

– Ver páginas 339-344: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

6*.   Em Tes­sa­ló­nica, na Ma­ce­dónia, ac­tu­al­mente na Grécia, São Fan­tino o Jovem, ere­mita, que passou toda a sua vida em je­juns, vi­gí­lias e tra­ba­lhos por Cristo. († s. X)

7.   Em Lu­cédio, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, São Bo­nónio, abade, que se­guiu a vida ere­mí­tica, pri­meiro no Egipto, de­pois no monte Sinai. († 1026).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1026, a volta para Deus de São Bonônio, abade. Originário de Bolonha, entrou muito jovem no mosteiro de Santo Estêvão. Alguns anos mais tarde partiu para o Oriente,  para lá levar vida eremítica. Nomeado abade de Lucédio, no Piemonte, voltou para a Europa, fundando em seu trajeto um mosteiro na Toscana. (M)

8.   Em Trévi, no Lácio, também re­gião da Itália, São Pedro, que, em­bora anal­fa­beto, cul­tivou na so­lidão a sa­be­doria do Evangelho. († 1050)

9.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, Santa Mar­ga­rida Ward, mártir, que, no rei­nado de Isabel I, por ter aju­dado um sa­cer­dote, foi con­de­nada à morte e de bom grado re­cebeu o mar­tírio no pa­tí­bulo de Ty­burn. Com ela, no mesmo lugar, so­freram também o mar­tírio os be­atos Ri­cardo Leight, pres­bí­tero, e os leigos Edu­ardo Shelley e Ri­cardo Martin, in­gleses, João Roche, ir­landês, e Ri­cardo Lloyd, galês: o pri­meiro, porque era sa­cer­dote; os ou­tros, porque aco­lheram sacerdotes. († 1588)

– Ver “… 1588 –  Margaret Ward uma das Quarenta Mártires da Inglaterra e País de Gales M (RM). Nasceu em Congleton, Cheshire, Inglaterra; morreu em 30 de agosto de 1588; beatificado em 1929; canonizado em 1970 pelo Papa Paulo VI como um dos Quarenta Mártires da Inglaterra e País de Gales. A fidalga Margaret servia como companheira na casa da família Whittle em Londres quando foi presa junto com seu servo, o beato John Roche, por ajudar o padre Richard (William?) Watson a escapar da prisão de Bridewell. Ela contrabandeou uma corda para dentro da cela do padre para que ele pudesse descer do telhado. Ele ficou ferido, mas escapou com a ajuda de John Roche. A corda foi rastreada até Margaret, que foi severamente torturada. Eles foram julgados em Old Bailey em 29 de agosto e receberam sua liberdade se revelassem o paradeiro de Watson e se convertessem à fé protestante. Ao recusar, eles foram enforcados…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust30.html

10*.   Em Sa­luzzo, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, o Beato João Ju­venal An­cina, bispo, que, an­te­ri­or­mente mé­dico, foi dos pri­meiros a en­trar no Ora­tório de São Fi­lipe Néri. († 1604)

11*.   Em Sa­ra­goça, na Es­panha, a Beata Maria Rá­fols, virgem, que, su­pe­rando pa­ci­en­te­mente muitas ad­ver­si­dades, fundou no hos­pital desta ci­dade a Con­gre­gação das Irmãs da Ca­ri­dade de Santa Ana e a di­rigiu com suma diligência. († 1853)

12*.   Em Al­meria, também na Es­panha, os be­atos már­tires Diogo Ven­taja Milán, bispo de Al­meria, e Ma­nuel Me­dina Olmos, bispo de Guádix, que, en­car­ce­rados em ódio à fé cristã, su­por­taram pa­ci­en­te­mente os maus tratos e in­sultos, até que, du­rante a noite, foram fuzilados. († 1936)

13*.   Na es­trada de Pu­ebla Tor­nesa para Vil­la­famés, pró­ximo de Cas­tellón, também na Es­panha, o Beato Jo­a­quim de Al­bo­cácer (José Ferrer Adell), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, que pelo mar­tírio al­cançou a re­com­pensa pro­me­tida aos que per­se­veram na fé. († 1936)

14*.   Em Bilbau, também na Es­panha, o Beato Vi­cente Ca­banes Badenas, pres­bí­tero da Con­gre­gação dos Ter­ciá­rios Ca­pu­chi­nhos de Nossa Se­nhora das Dores e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição contra a fé, me­receu en­trar no ban­quete celeste. († 1936)

15♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, os be­atos már­tires An­tónio Maria Ar­riaga Anduíza, re­li­gioso da Ordem de Santo Agos­tinho, e Ni­cásio Romo Rúbio, re­li­gioso da Ordem dos Pre­ga­dores, que na mesma per­se­guição foram as­sas­si­nados em ódio à fé cristã. († 1936)

16♦.   Em Ata­vaca, perto de Ma­drid, também na Es­panha, os be­atos Ger­mano Martin Martin, pres­bí­tero, Di­o­nísio Ul­lí­varri Barajuán, re­li­gioso, ambos da So­ci­e­dade Sa­le­siana e már­tires, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, der­ra­moram o seu sangue por Cristo e al­can­çaram a palma da glória. († 1936)

17♦.   Em Kfiffan, no Lí­bano, o Beato Es­têvão Nehmé (José Nehmé), re­li­gioso da Ordem Ma­ro­nita Libanesa. († 1938)

18♦. Santa Joana Jugan. “Joana Jugan lembra a misericórdia de Deus para com os pobres. Fundadora das Irmãzinhas dos Pobres, em 1830, foi beatificada por João Paulo II, no dia 3 de outubro de 1982.”: https://evangelhoquotidiano.org/PT/display-saint/beaa4540-eec7-4c9c-ac57-55fce317b77e

– Ver também “… Joana Jugan (Cancale25 de outubro de 1792 – Saint-Pern28 de agosto de 1879) é uma santa católica fundadora da congregação das Irmãzinhas dos Pobres.

Foi beatificada por João Paulo II, no dia 3 de outubro de 1982[1] e canonizada em 11 de outubro de 2009 por Bento XVI…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Joana_Jugan  

19*.   Em Ve­né­gono, pró­ximo de Va­rese, na Itália, o pas­sa­mento do Beato Al­fredo Il­de­fonso Schuster, bispo, que era abade de São Paulo em Roma quando foi no­meado para a sede epis­copal de Milão, mi­nis­tério pas­toral que exerceu in­can­sa­vel­mente com ad­mi­rável sa­be­doria em favor do seu povo. († 1954).

– Ver “…O Bem-Aventurado Alfredo Ildefonso Schuster (18 de janeiro de 1880 – 30 de agosto de 1954) – nascido Alfredo Ludovico Schuster – foi prelado católico italiano e membro professo da Ordem de São Bento que serviu como arcebispo de Milão, de 1929 até a sua morte.[1] Ele tomou o nome de Ildefonso como monge beneditino e serviu como abade antes de sua elevação ao cardinalato.[2]…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Alfredo_Ildefonso_Schuster

 20. Santa Rosa de Santa Maria (também na Folhinha do Coração de Jesus, de 30 de agosto)

– Ver “… Para todos nós, hoje, é dia de grande alegria, pois podemos celebrar a memória da primeira santa da América do Sul, Padroeira do Peru, das Ilhas Filipinas e de toda a América Latina. Santa Rosa nasceu em Lima (Peru) em 1586; filha de pais espanhóis, chamava-se Isabel Flores, até ser apelidada de Rosa por uma empregada índia que a admirava, dizendo-lhe: “Você é bonita como uma rosa!” ...A mudança oficial do nome de Isabel para Rosa ocorreu quando ela tomou o hábito da Ordem Terceira Dominicana, da mesma família de sua santa e modelo de devoção: Santa Catarina de Sena. A partir dessa consagração, passou a chamar-se Rosa de Santa Maria.”:

https://santo.cancaonova.com/santo/santa-rosa-de-lima/

Ver dia 23 de agosto: Santa Rosa de Lima

Santa Rosa (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que, in­signe desde tenra idade pela sua aus­tera so­bri­e­dade de vida, tomou em Lima, ci­dade do Peru, o há­bito das Irmãs da Ordem Ter­ceira de São Do­mingos; de­di­cada à pe­ni­tência e à oração, e ar­dente de zelo pela sal­vação dos pe­ca­dores e das po­pu­la­ções in­dí­genas, as­pi­rava a dar a vida por eles, sub­me­tendo-se es­pon­ta­ne­a­mente a todo o gé­nero de sa­cri­fí­cios, a fim de con­quistar a todos para Cristo. A sua morte ocorreu no dia 24 de agosto. († 1617).

– Conforme o Martírio Romano-Monástico, em 1617, o nascimento no céu de Santa Rosa de Lima, a “Primeira Flor de Santidade do Peru”. Desejando consagrar a Deus sua grande beleza física, tomou o hábito da Ordem Terceira Dominicana para testemunhar contra a sociedade próspera e materialista em que vivia. Morreu aos trinta e um anos na cidade de Lima. (R). Ver páginas 222-224: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver também “…Rosa de Lima (Lima20 de abril de 1586 – Lima, 24 de agosto de 1617), foi uma mística da Ordem Terceira Dominicana canonizada pelo Papa Clemente X em 1671. Santa Rosa é a primeira santa nativa da América e padroeira do Peru… Dela disse o Cardeal RatzingerDe certa forma, essa mulher é uma personificação da Igreja da América Latina: imersa em sofrimentos, desprovida de meios materiais e de um poder significativos, mas tomada pelo íntimo ardor causado pela proximidade de Jesus Cristo. (Homilia no Santuário de Santa Rosa de Lima, Peru, em 19 de julho de 1986).”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Rosa_de_Lima

21. São Gaudêncio (também na Folhinha do Coração de Jesus de 30 de agosto)

-Ver também dia 25 de outubro: Em Bréscia, na Ve­nécia, ac­tu­al­mente na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Gau­dêncio, bispo, que, or­de­nado por Santo Am­brósio, se dis­tin­guiu entre os pre­lados da sua época pela dou­trina e vir­tude, en­sinou o seu povo com a pa­lavra e os es­critos e cons­truiu uma ba­sí­lica que de­no­minou «Con­cílio dos Santos». († c. 410). Ver páginas 9-15: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

– Ver também “… Gaudêncio de Bréscia (em italianoSan Gaudenzio di Brescia; em latimGaudentius) foi bispo de Bréscia entre 387 e 410, sucessor de São Filástrio, teólogo e autor de muitas cartas e sermões.”:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Gaud%C3%AAncio_de_Br%C3%A9scia

22. Outras santas e santos do dia 30 de agosto: págs. 339-349, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 30 de agosto, ver ainda: 30 de agosto – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  682-684: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para B
  5. rasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  6. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  7. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  8. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust30.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/E

MUITO OBRIGADO!