Santas e Santos de 31 de julho

1. Me­mória de Santo Inácio de Loiola (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, que, na­tural do País Basco, na Es­panha, viveu na corte e no exér­cito, até que, gra­ve­mente fe­rido, se con­verteu a Deus; fez os seus es­tudos te­o­ló­gicos em Paris e as­so­ciou a si os pri­meiros com­pa­nheiros, com os quais mais tarde cons­ti­tuiu a Com­pa­nhia de Jesus em Roma, onde exerceu um fru­tuoso mi­nis­tério, quer pelas obras que es­creveu quer na for­mação dos dis­cí­pulos, para maior glória de Deus. († 1556).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de Santo Inácio de Loyola, sacerdote, morto em 1556. Convertido aos trinta anos após uma vida de soldado cheia de aventuras, viveu retirado em Montserrat e em Manresa. Depois partiu para estudar em Paris, onde reuniu seus primeiros discípulos, núcleo da Companhia de Jesus, a qual fundou “para a maior glória de Deus e para o serviço da Igreja militante”. (R).

– Ver páginas 461-481: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf  

– Ver “…Inácio de Loyola, nascido Iñigo López de Oñaz y Loyola (Azpeitia31 de maio de 1491 — Roma31 de julho de 1556), foi o fundador da Companhia de Jesus, uma ordem religiosa católica romana que teve grande importância na Reforma Católica, cujos membros são conhecidos como os jesuítas. Em 2009, a Companhia de Jesus era a ordem religiosa masculina mais numerosa na Igreja Católica.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/In%C3%A1cio_de_Loyola

2.   Em Milão, na Trans­pa­dânia, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Ca­lí­mero, bispo. († s. II f.)

3.   Em Sí­nada, na Frígia, hoje Çi­fit­ka­saba, na Tur­quia, os santos De­mó­crito (também na Folhinha do Coração de Jesus), Se­gundo e Di­o­nísio, mártires. († s. III)

4.   Em Ce­sa­reia, na Mau­ri­tânia, hoje Cher­chell, na Ar­gélia, São Fábio (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir, que foi en­car­ce­rado por ter re­cu­sado levar a in­sígnia do go­ver­nador numa as­sem­bleia geral da pro­víncia e, como per­se­ve­rava na con­fissão da fé em Cristo, foi con­de­nado à morte pelo juiz. († 303-304).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Cesaréia da Mauritânia, durante a perseguição de Diocleciano, a paixão do Bem-Aventurado Fábio. Por sua recusa em levar as insígnias do governador da província, foi preso e sofreu dois interrogatórios, durante os quais perseverou em confessar Cristo. Enfim o juiz o condenou à pena capital. (M).

– Ver páginas 482-483: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf  

–  Ver também “… São Fábio (nascido na Mauritânia, falecido em 303 ou 304 na Mauritânia Cesariense,[1] atualmente CherchellArgélia) foi um mártir do Império Romano na antiga Mauritânia, venerado como santo pela Igreja Católica. A memória da liturgia é realizada em 31 de julho.[2][3][4]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%A1bio_da_Maurit%C3%A2nia

5.   Em Roma, junto à Via La­tina, São Ter­tu­liano, mártir. († c. s. IV)

6.   Em Ra­vena, na Fla­mínia, na ho­di­erna Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, o pas­sa­mento de São Ger­mano (também na Folhinha do Coração de Jesus do dia 03 de agosto), bispo de Au­xerre, que li­bertou por duas vezes a Bre­tanha da he­resia pe­la­giana e, tendo-se di­ri­gido a Ra­vena para pro­mover a paz na re­gião da Ar­mó­rica, foi re­ce­bido com honras so­lenes pelos im­pe­ra­dores Va­le­riano e Gala Pla­cídia, su­bindo dali ao reino celeste. († 448).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico (de 31 de julho), em 448, São Germano, inicialmente alto funcionário do império, residia em Auxerre, sua cidade natal. Fundou um mosteiro além do rio Yonne, para reunir o exemplo e a oração dos monges à atividade do clero. Reavivou a religião católica nas Ilhas Britânicas, ameaçadas pela heresia pelagiana. Foi “pai espiritual” de Santa Genoveva, e é honrado em Paris na Igreja de Saint-Germain-l’Auxerrois, paróquia dos reis de França. (M).

– No VIDAS DOS SANTOS do dia 30 de julho, São Germano, bispo de Auxerre. Ver Páginas 429-445: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também “… Germano de Auxerre (c. 378 – c. 448) foi bispo de Auxerre na Gália. É um santo para a igrejas Católica e Ortodoxa, e seu dia é celebrado em 31 de julho.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Germano_de_Auxerre

7.   Em Ímola, também na Fla­mínia, o pas­sa­mento de São Pedro Crisólogo, bispo de Ra­vena, cuja me­mória é ce­le­brada na vés­pera deste dia. († c. 450).

– Ver 30 de julho.

8.   Em Skövde, na Suécia, Santa He­lena (Elena), viúva, que, in­jus­ta­mente as­sas­si­nada, é con­si­de­rada mártir. († c. 1160)

9*.   Em Ac­qua­pen­dente, na Tos­cana, hoje no Lácio, re­gião da Itália, o pas­sa­mento do Beato João Colombíni, rico co­mer­ci­ante de ves­tuário que se con­verteu à po­breza e reuniu os seus dis­cí­pulos na Ordem dos Je­su­atos, cujos mem­bros quis trans­formar em po­bres de Cristo e es­posos da se­nhora Pobreza. († 1307)

– Ver: São João Colombini, às páginas 348-360: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf  

– Ver “… Nasceu em Siena, Itália, c. 1300; beatificado pelo Papa Gregório XIII. Se John Colombini pôde conquistar o favor de Deus, há esperança para todos nós. Segundo todos os relatos, esse rico comerciante de Siena que ocupava a posição de primeiro magistrado (gonfalionere) era um homem ambicioso, avarento e mal-humorado. Ele mesmo se converteu ao ler a história da conversão de Santa Maria do Egito em As Vidas dos Santos. Depois disso, ele se dedicou a obras de caridade e fundou uma sociedade de irmãos leigos chamada Gesuati, que foi aprovada em 1367 – apenas 37 dias antes de sua morte (Beneditinos, Enciclopédia)…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly31.html

10*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, o Beato Eve­rardo Hanse, pres­bí­tero e mártir, que, desde o dia em que pro­fessou a fé ca­tó­lica, a guardou sempre fi­el­mente, a di­fundiu entre os seus con­ci­da­dãos e, no rei­nado de Isabel I, a con­firmou com o glo­rioso mar­tírio em Tyburn. († 1581).

Everaldo Hanse (também na Folhinha do Coração de Jesus de 30 de julho).

11♦.   Em Nishi­zaka, no Japão, o Beato Ni­colau Fu­ku­naga Keian, re­li­gioso da Com­pa­nhia de Jesus e mártir. († 1633)

12*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato João Fran­cisco Jar­rige de la Mo­relie du Breuil, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a Igreja de­sen­ca­deada na Re­vo­lução Fran­cesa, en­cer­rado na sór­dida ga­lera morreu de tuberculose. († 1794)

13.   Em Cay Met, lo­ca­li­dade pró­xima de Saigão, na Co­chin­china, hoje no Vi­etnam, os santos Pedro Doan Cong Quy, pres­bí­tero, e Ma­nuel Phung, már­tires, que, de­pois de cerca de sete meses de cár­cere, foram de­ca­pi­tados no tempo do im­pe­rador Tu Duc por serem cristãos. († 1859)

14.   No vale de Alighede, na Etiópia, São Jus­tino De Jacobis, bispo, da Con­gre­gação da Missão, que, com ad­mi­rável man­sidão e ca­ri­dade, se de­dicou ao mi­nis­tério apos­tó­lico e à for­mação do clero in­dí­gena, so­frendo por isso a fome, a sede, as tri­bu­la­ções e o cárcere. († 1860)

15*.   Em Gra­nol­lers, ci­dade pró­xima de Bar­ce­lona, na Es­panha, os be­atos már­tires Di­o­nísio Vi­cente Ramos, pres­bí­tero, e Fran­cisco Remon Játiva, re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores Con­ven­tuais, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, com o seu mar­tírio se­guiram os passos de Cristo. († 1936)

16*.   Em Va­lência, também na Es­panha, o Beato Jaime Buch Canals, re­li­gioso da So­ci­e­dade Sa­le­siana, que na mesma per­se­guição morreu pro­fes­sando a sua fé em Cristo. († 1936)

17♦.   Em La Ar­ra­bas­sada, perto de Bar­ce­lona, também na Es­panha, as be­atas Es­pe­rança da Cruz (Te­resa Su­birá San­jaume) e Com­pa­nheiras, vir­gens da Con­gre­gação das Irmãs Car­me­litas Mis­si­o­ná­rias e már­tires, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, foram as­sas­si­nadas por causa da sua fi­de­li­dade a Cristo Esposo. São estes os seus nomes: Da­niela de São Bar­nabé (Vi­centa Achurra Go­ge­nola), Ga­briela de São João da Cruz (Fran­cisca Pons Sardá) e Maria do Re­fúgio de Santo Ân­gelo (Maria Ro­queta Serra), vir­gens da Con­gre­gação das Irmãs Car­me­litas Missionárias († 1936)

18♦.   Em To­ledo, também na Es­panha, os be­atos Na­zário do Sa­grado Coração (Na­zário del Valle Gon­zález), pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e com­pa­nheiros már­tires, que, na mesma per­se­guição, me­re­ceram re­ceber a su­blime palma do martírio. São estes os seus nomes: Pedro José dos Sa­grados Co­ra­ções (Pedro José Ji­ménez Val­lejo), e Rai­mundo de Nossa Se­nhora do Carmo (José Gri­jaldo Medel), pres­bí­teros; Mel­chior do Me­nino Jesus (Mel­chior Martin Monge), Félix de Nossa Se­nhora do Carmo (Luís Gómez de Pablo), Plá­cido do Me­nino Jesus (José Luís Col­lado Oliver), Da­niel da Sa­grada Paixão (Da­niel Mora Nine), re­li­gi­osos todos da Ordem dos Car­me­litas Descalços. († 1936)

19♦.   Em An­dújar, lo­ca­li­dade da pro­víncia de Jaen, também na Es­panha, os be­atos Pru­dêncio da Cruz (Pru­dêncio Gue­ré­quiz Gue­zu­raga) e Se­gundo de Santa Teresa (Se­gundo Garcia Ca­bezas), pres­bí­teros da Ordem da San­tís­sima Trin­dade e már­tires, que, opri­mido pela vi­o­lência dos ini­migos da Igreja, foi ao en­contro do Senhor. († 1936)

20♦.   Em Pa­ra­cu­ellos del Ja­rama, lo­ca­li­dade pró­xima de Ma­drid, também na Es­panha, o Beato Ví­tório (Mar­tinho An­glés Oli­veras), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que pelo mar­tírio se tornou par­ti­ci­pante na vi­tória de Cristo. († 1936)

21*.   Em Da­chau, pró­ximo de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Mi­guel Ozieblowski, pres­bí­tero e mártir, que, de­por­tado da Po­lónia, sua pá­tria, do­mi­nada por um re­gime hostil à re­li­gião, por causa da fé foi en­car­ce­rado num campo de con­cen­tração e, du­ra­mente tor­tu­rado, con­sumou o seu martírio. († 1942)

22*.   Em Ka­lisz, na Po­lónia, o Beato Fran­cisco Stryjas, mártir, que, na mesma per­se­guição, es­vaído por muitos su­plí­cios, foi glo­ri­o­sa­mente ao en­contro do Senhor. († 1944)

23*.   Em Tr­nava, na Es­lo­vá­quia, a Beata Si­dónia (Ce­cília Sche­lin­gova), virgem da Con­gre­gação das Irmãs da Ca­ri­dade da Santa Cruz e mártir, que, em tempo de ex­trema hos­ti­li­dade contra a Igreja na sua nação, por ter pro­te­gido um sa­cer­dote so­freu muitas tri­bu­la­ções no corpo e no es­pí­rito e, fi­nal­mente con­su­mida pela en­fer­mi­dade, res­plan­deceu como in­que­bran­tável e alegre tes­te­munha de Cristo. († 1955)

24. Outros santos do dia 31 de JULHO, páginas 461-485:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-

%2013.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santase Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 31 de julho, ver ainda: 31 de julho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  591-594: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes,sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly31.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 30 de julho

NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO – 30 de julho: no Martirológio Romano-Monástico, 30 DE JULHO, festa de NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO, padroeira da Prelazia de Cristalândia. Também no DIRETÓRIO DA LITURGIA DA CNBB DE 2021, NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO. Na Folhinha do Coração de Jesus (de 27 de junho).

VER TAMBÉM 27 DE JUNHO: NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO (também na Folhinha do Coração de Jesus de 27 de junho)Hoje é celebrada Nossa Senhora do Perpétuo SocorroVer páginas 235-236 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “… Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é um título conferido a Maria, mãe de Jesus, representada em um ícone de estilo bizantino[1][2][3][4]. Na Igreja Ortodoxa é conhecida como Mãe de Deus da Paixão, ou ainda, a Virgem da Paixão… Festa litúrgica: 27 de junho”:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_do_Perp%C3%A9tuo_Socorro

– “No último dia 27 de junho comemoramos o dia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro…”: https://www.nossasagradafamilia.com.br/conteudo/conheca-a-historia-da-nossa-senhora-do-perpetuo-socorro.html

– Ver 27 de junho: NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO “… Ela é a senhora da morte e a rainha da vida, o socorro seguro e certo dos que a invocam com amor filial. Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, rogai por nós!”: https://santo.cancaonova.com/santo/nossa-senhora-do-perpetuo-socorro-auxilio-dos-cristaos/

– Pesquisa sobre NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO:https://www.google.com/search?q=nossa+senhora+do+perp%C3%A9tuo+socorro&oq=Nossa+Senhora+do+Perp&aqs=chrome.0.0j69i57j0l4.11471j0j8&sourceid=chrome&ie=UTF-8

– Ver: “João Paulo II. Homilia nas vésperas e coroação da imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro em WadowicePolônia, 16 de Junho de 1999… Sob a tua protecção, Maria, procuramos refúgio. À tua protecção confiamos a história desta cidade, da Igreja de Cracóvia e de toda a Pátria. Ao teu amor materno confiamos o destino de cada um de nós, das nossas famílias e da sociedade inteira. Não desprezes a súplica de nós que estamos na provação e livra-nos sempre de todo o perigo. Maria, pede para nós a graça da fé, da esperança e da caridade, a fim de que, sob o teu exemplo e a tua guia, levemos ao novo milénio o testemunho do amor do Pai, da morte redentora e da ressurreição do Filho e da acção santificadora do Espírito Santo. Permanece sempre connosco! Virgem gloriosa e bendita, Nossa Senhora, nossa Advogada, nossa Medianeira, nossa Consoladora, nossa Mãe! Amém.”: http://www.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/homilies/1999/documents/hf_jp-ii_hom_19990616_wadowice.html

– “Devoção a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Depois desta missão recebida do papa, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro passou a ser oficialmente a Padroeira dos Redentoristas. Sua festa é comemorada em 27 de junho. Após a restauração da imagem, ela foi devolvida à Igreja de Santo Afonso. Lá passou a ser venerada pelo povo. O quadro, atualmente, em se tratando de ícone bizantino, é o mais venerado em todo o mundo.

Oração a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Ó mãe do Perpétuo Socorro, nós vos suplicamos, com toda a força de nosso coração, amparar a cada um de nós em vosso colo materno, nos momentos de insegurança e sofrimento. Que o vosso olhar esteja sempre atento para não nos deixar cair em tentação. Que em vosso silêncio aprendamos a aquietar nosso coração e fazer a vontade do Pai. Intercedei junto ao Pai pela paz no mundo e em nossas famílias. Abençoai todos os vossos filhos e filhas enfermos. Iluminai nossos governantes e representantes, para que sejam sempre servidores do povo de Deus. Concedei-nos ainda muitas e santas vocações religiosas, sacerdotais e missionárias, para a maior difusão do reino de filho Jesus Cristo. Enfim derramai nos corações de vossos filhos e filhas a Vossa Benção de amor e misericórdia. Sede sempre o nosso Perpétuo Socorro na vida e principalmente na hora da nossa morte. Amém.” https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-nossa-senhora-perpetuo-socorro/49/102/

– Ver ainda “Hoje, 27 de Junho é dia de: Nossa Senhora da Paixão (ou Nossa Senhora do Perpétuo Socorro). Localização: Moscou (Rússia)… O título deriva do ícone russo Mãe de Deus da Paixão, que recebeu este nome porque, ao lado de Nossa Senhora, dois anjos carregam os instrumentos do sofrimento do Senhor. O ícone foi trasladado da vila de Palitsa a Moscou no ano de 1641. Uma igreja foi construída no lugar e, em 1654, foi estabelecido o Mosteiro da Paixão.

Mosteiro da Paixão foi destruído pelos ateus soviéticos no ano de 1937. Atualmente existe uma campanha para a sua reconstrução, que já reuniu mais de 84 mil assinaturas.

Outros nomes pelos quais o ícone é conhecido são: o ícone de Strastnaja ou Nossa Senhora da Paixão e Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. O ícone reflete a gravidade da paixão na expressão facial de Maria, enquanto Ela reflete sobre a futura Paixão do seu Filho… Os instrumentos desse sofrimento são carregados pelos arcanjos Miguel e Gabriel. Enquanto Gabriel, com as suas mãos cobertas, carrega a cruz de três traves e os cravosMiguel leva a lança e o junco com a esponja. O Menino Jesus, assustado, olha para trás, por cima do seu ombro, e segura com força a mão da sua Mãe.

A cruz de três traves é um símbolo muito antigo da Igreja Oriental. A trave superior simboliza a placa na qual Pilatos mandou escrever INRI (Jesus de Nazaré, Rei dos Judeus); a do meio madeiro que foi carregado por Jesus na Via Sacra, e a inferior o descanso para os pés.

Fontes:

“Mary in Our Life: Atlas of the Names and Titles of Mary, the Mother of Jesus, and Their Place in Marian Devotion (English Kindle Edition)” by Nicholas Joseph Santoro, 18566.

https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-nossa-senhora-da-paixao/492/102/”: https://www.a12.com/academia/titulos-de-nossa-senhora?s=nossa-senhora-da-paixao-ou-nossa-senhora-do-perpetuo-socorro

– Ver também “…27 de Junho – Nossa Senhora da Ajuda Perpétua (1866). O ícone de Nossa Senhora da Ajuda Perpétua veio de Creta para Roma por volta de 1500. Por quase 300 anos, foi exibida na igreja de São Mateus, em Roma, e considerada milagrosa pela população. Com a chegada das tropas francesas em 1798, a igreja de São Mateus foi destruída, o ícone levado para uma capela privada dos Padres Agostinianos, e esquecido.
Em 1855, os Redentoristas compraram a terra em que São Mateus estava, para construir sua Casa
Geral. Lembrando que neste lugar a imagem milagrosa de Nossa Senhora tinha sido exposta, eles procuraram por ela e a encontraram, e pediram ao Papa para colocá-la de volta onde estava antes. Isso foi feito em 1866. Desde então, a devoção a Nossa Senhora da Ajuda Perpétua se espalhou pelo mundo.
Agência Fides 04/13/2015…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune27.html

OUTROS SANTOS DE 30 DE JULHO

1. São Pedro Crisólogo (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Ra­vena e doutor da Igreja, que, tendo re­ce­bido o nome do santo Após­tolo, o imitou tão per­fei­ta­mente no seu mi­nis­tério, que con­se­guiu atrair as po­pu­la­ções à fé com a rede da sua dou­trina ce­leste e as sa­ciou com a su­a­vi­dade da sua di­vina eloquência. A sua morte su­cedeu no dia trinta e um deste mês, em Ímola, na Fla­mínia, ac­tual Emília Ro­manha, re­gião da Itália. († c. 450).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Ímola, sua cidade natal, na Itália, perto de 451, o nascimento para o céu de São Pedro, bispo de Ravena, que mereceu, por suas pregações populares e s ua doutrina o cognome de “Crisólogo”, e o título de “Doutor da Igreja”. (R).

– Ver “… Pedro Crisólogo (em grego: Ἅγιος Πέτρος ὁ Χρυσολόγος; romaniz.: Petros Chrysologos , “Pedro das palavras de ouro”; em latimPetrus Chrysologus)[1] foi bispo de Ravena de 433 até sua morte.[2] Venerado como santo por católicos e ortodoxos, é autor de belas homilias e daí ser “Crisólogo“, isto é, “Palavra de Ouro”.[3] Foi também proclamado Doutor da Igreja pelo papa Bento XIII em 1729…”:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Pedro_Cris%C3%B3logo

– Ver também páginas 9-15 VIDAS DOS SANTOS de 04 de dezembro: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2021.pdf

2.   Em Roma, no ce­mi­tério de Pon­ciano, junto à Via Por­tu­ense, os santos Abdon e Sénen, mártires. († c. s. III).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma o martírio dos Santos Abdon e Sênen, príncipes persas que renunciaram ao poder terreno para reinar com Cristo. (M)

– Ver “… Em Roma, no reinado de Décio, os santos mártires persas Abdon e Sennen, que foram amarrados com correntes, foram trazidos a Roma, açoitados com chicotes de chumbo pela fé em Cristo e depois mortos à espada. Abdon, também chamado de Abdo ou Abdus em algumas listas, está registrado na Acta dos santos que data do século IX, mas ele e St. Sennen eram venerados já no século III. Os mártires foram expostos a perseguições no reinado do imperador Diocleciano e foram levados acorrentados para Roma. Lá, eles foram colocados em uma arena com animais selvagens, mas permaneceram ilesos, pois os animais se recusaram a matá-los. Gladiadores foram enviados para matá-los como último recurso. O corpo de Abdon e o de seu companheiro foram enterrados no cemitério de Pontian perto dos portões de Roma; no entanto, Florence e Soissons também afirmam possuir seus restos mortais.”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly30.html

3.   Em Ce­sa­reia da Ca­pa­dócia, hoje Kay­seri, na Tur­quia, Santa Ju­lieta (também na Folhinha do Coração de Jesus, Santa Julita), mártir, que, por ter re­cu­sado in­que­bran­ta­vel­mente ofe­recer in­censo aos ídolos, como lhe or­de­nava o juiz, foi lan­çada ao fogo.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Cesaréia da Capadócia, perto de 303, o martírio de Santa Julita, vítima da perseguição de Diocleciano. Era uma rica viúva de Cesaréia, que um notável da cidade fez despojar de todos os seus bens por meios fraudulentos. Intimada a sacrificar os ídolos, ela declarou “preferir morrer a dizer uma impiedade contra o Deus que a havia criado”. (M) († c. 303).

– Ver páginas 453-454: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

4.   Em Tu­burbo, na África Pro­con­sular, na ac­tual Tu­nísia, as santas Má­xima, Do­na­tila e Se­gunda, vir­gens e már­tires. As pri­meiras duas, du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Di­o­cle­ciano, re­cu­saram sem temor a ordem im­pe­rial de sa­cri­ficar aos ídolos e, por sen­tença do procônsul, jun­ta­mente com a jovem Se­cunda, foram lan­çadas às feras e fi­nal­mente degoladas.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na África, perto de 300, a paixão das Santas Máxima, Donatila e Segunda, que sofreram diversos suplícios, e depois foram condenadas à morte pela espada, durante a perseguição de Valeriano e Galiano. (M) († 304).

– Ver páginas 456-458: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também “… No Tuberbum Lucernarium, na África, as santas virgens e mártires Maxima, Donatilla e Secunda. As duas primeiras, na perseguição de Valeriano e Galieno, foram forçadas a beber vinagre e fel, depois açoitadas com mais severidade, esticadas na grade, queimadas na grelha, esfregadas com cal e depois expostas aos animais com a virgem Secunda, doze anos de idade. Mas não sendo tocados por eles, elas foram finalmente decapitados.

Santa Máxima, Donatilla e Secunda foram três virgens santas que sofreram a morte de mártires por volta de 258 nas perseguições contra os cristãos sob os governadores Valeriano e Galieno. Santa Máxima tinha quatorze anos e Donatilla também era muito jovem. Eles viveram em um assentamento imperial perto de Tuburbium Maius (ao norte da atual Tunísia, no Norte da África). Quando ordenados a sacrificar aos ídolos, todos os cidadãos obedeceram. No entanto, Maxima e Donatilla objetaram destemidamente, confessando que eram cristãs. Elas foram condenadas e submetidas a todas as formas imagináveis ​​de tortura… Sobrevivendo às torturas anteriores, as três donzelas foram jogadas diante de animais selvagens, mas as feras recuaram docilmente. Eles foram decapitadas e receberam as coroas de mártires…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly30.html

5.   Em Au­xerre, na Gália Li­o­nense, na ac­tual França, Santo Urso, bispo. († s. VI).

Ver página 455: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

6*.   Em Gistel, na Flan­dres, hoje na Bél­gica, Santa Go­de­leva, mártir, que, ca­sada com o se­nhor local, foi muito mal­tra­tada pelo es­poso e sua sogra e fi­nal­mente es­tran­gu­lada por dois servos. († c. 1070)

7*.   Em Ca­le­ruega, lo­ca­li­dade de Cas­tela, re­gião da Es­panha, a co­me­mo­ração do Beato Manés (Manno) de Guzman, pres­bí­tero, irmão de São Do­mingos, seu co­la­bo­rador na ex­pansão da Ordem dos Pre­ga­dores e pru­dente con­se­lheiro das monjas. († c. 1235)

8*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, os be­atos Edu­ardo Powell, Ri­cardo Fe­athers­tone e Tomás Abel, pres­bí­teros e már­tires, que, na qua­li­dade de dou­tores em sa­grada te­o­logia, se opu­seram ao di­vórcio re­que­rido pelo rei Hen­rique VIII e per­se­ve­raram te­naz­mente na sua fi­de­li­dade ao Ro­mano Pon­tí­fice; por isso, de­pois de es­tarem de­tidos na Torre de Lon­dres, foram en­for­cados em Smithfield. († 1540)

9.   Em Daying, pró­ximo de Za­oqiang, ci­dade do Hebei, na China, São José Yuan Gengyin, mártir, um ne­go­ci­ante no mer­cado local, que, du­rante a per­se­guição de­sen­ca­deada pelos “Yihe­tuan”, morreu pelo nome de Cristo. († 1900)

10*.   Em Ca­la­fell, lo­ca­li­dade pró­xima de Tar­ra­gona, no li­toral da Es­panha, os be­atos már­tires Bráulio Maria Corres Díaz de Cério (Paulo), pres­bí­tero, e ca­torze companheiros, todos da Ordem de São João de Deus, que, cap­tu­rados du­rante a per­se­guição contra os re­li­gi­osos, per­do­ando aos ini­migos, me­re­ceram a fe­li­cís­sima coroa do martírio. São estes os seus nomes: Ju­lião Car­ras­quer Fós (Mi­guel), Eu­sébio For­cades Fer­raté (An­tónio), Cons­tante Roca Hu­guet (Sa­tur­nino), Bento José Labre Mañoso Gon­zález (Ar­sénio), Vi­cente de Paulo Ca­nelles Vives, re­li­gi­osos; Tomás Urdañoz Aldaz, Ra­fael Fla­ma­rique Sa­linas, An­tónio Llau­radó Pa­rísi, Ma­nuel Lopez Or­bara, Inácio Te­jero Mo­lina, Hen­rique Bel­tran Llorca, Do­mingos Pi­tarch Gurrea, An­tónio San­chis Sil­vestre e Ma­nuel Ji­ménez Sa­lado, noviços. († 1936)

11*.   Em Cas­tel­serás, lo­ca­li­dade pró­xima de Te­ruel, também na Es­panha, os be­atos már­tires José Maria Muro Sanmiguel, pres­bí­tero, Jo­a­quim Prats Baltueña, re­li­gioso, ambos da Ordem dos Pre­ga­dores, e Zó­simo Iz­qui­erdo Gil, pres­bí­tero, que, du­rante a mesma per­se­guição contra a fé, mor­rendo por Cristo al­can­çaram a coroa de glória. († 1936)

12*.   Em Bar­ce­lona, também na Es­panha, o Beato Sérgio Cid Pazo, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana, que, du­rante a mesma per­se­guição, morreu por causa do seu co­ra­joso tes­te­munho da fé. († 1936)

13♦.   Também em Bar­ce­lona, o Beato Ca­e­tano José (Rai­mundo Palos Gascón), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que pa­deceu o mar­tírio du­rante a mesma per­se­guição contra a fé cristã. († 1936)

14♦.   Em Cabañas de la Sagra, pró­ximo de To­ledo, também na Es­panha, os be­atos José Maria de Nossa Se­nhora das Dores (Vi­cente José Álamo Ji­ménez) e Cons­tâncio de São José (José Mata Luís), re­li­gi­osos da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e már­tires, que, du­rante a mesma per­se­guição re­li­giosa, com o seu mar­tírio se­guiram os passos de Cristo. († 1936)

15♦.   Em To­ledo, também na Es­panha, o Beato Ri­cardo Plá Espli, pres­bí­tero da di­o­cese de To­ledo e mártir, que morreu como ví­tima por Cristo na mesma per­se­guição contra a fé cristã. († 1936)

16.   Em Pádua, na Itália, São Le­o­poldo (Bogdan) de Cas­tro­novo Mandic, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, que viveu ar­den­te­mente o ideal da uni­dade dos cris­tãos e de­dicou toda a vida ao mi­nis­tério da reconciliação. († 1942)

– Ver “Frei Leopoldo Mandic morreu no dia 30 de julho de 1942, em Pádua. O seu funeral provocou um forte apelo popular e a fama de sua santidade espalhou-se, sendo beatificado em 1976. O papa João Paulo II incluiu-o no catálogo dos santos em 1983, declarando-o herói do confessionário e “apóstolo da união dos cristãos”, um modelo para os que se dedicam ao ministério da reconciliação.”: http://arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/sao-leopoldo-mandic

– Na Folhinha do Coração de Jesus de 12 de maio.

17*.   Em Gua­da­la­jara, no Mé­xico, a Beata Maria Vi­centa de Santa Do­ro­teia (Do­ro­teia Chávez Orozco), virgem, fun­da­dora do Ins­ti­tuto das Servas dos Po­bres e, cheia de con­fi­ança só em Deus e no au­xílio da Pro­vi­dência, deu ad­mi­rável tes­te­munho da bon­dade e de­di­cação para com os aflitos e os pobres. († 1949)

18.   Também no Mé­xico, a Beata Maria de Jesus Sa­cra­men­tado (Maria da Na­ti­vi­dade Ve­negas de la Torre), virgem, que du­rante cin­quenta e quatro anos se de­dicou ao cui­dado dos en­fermos num pe­queno hos­pital para po­bres, onde fundou a Con­gre­gação das Fi­lhas do Sa­grado Co­ração de Jesus. († 1959)

19. Santo Everaldo Hanse (também na Folhinha do Coração de Jesus). Em 31 de julho, no Martirológio, Em Lon­dres, na In­gla­terra, o Beato Eve­rardo Hanse, pres­bí­tero e mártir, que, desde o dia em que pro­fessou a fé ca­tó­lica, a guardou sempre fi­el­mente, a di­fundiu entre os seus con­ci­da­dãos e, no rei­nado de Isabel I, a con­firmou com o glo­rioso mar­tírio em Tyburn. († 1581)

20. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, a comemoração de Abel, o justo, que, segundo a Epístola aos Hebreus, “ofereceu (pela fé) a Deus um sacrifício melhor que o de Caim. Graças a ela, foi declarado justo, e Deus a presentou o testemunho dos seus dons” (Hb 11,4). (M).

Ver páginas 446-452: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

21. Bem-Aventurado Maniqueu de Guzman, Confessor. Ver página 459: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

22.Outros santos do dia 30 de JULHO, páginas 429-460:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-

%2013.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santase Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 30 de julho, ver ainda: 30 de julho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  591-594: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes,sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly30.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 29 de julho

NOSSA SENHORA DA AJUDA. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, celebração de Nossa Senhora da Ajuda, reverenciada em diversas dioceses brasileiras em 29 de julho.

– Conforme o Diretório de Liturgia de 2021, dia 29 de julho, na Diocese Teixeira de Freitas – Caravelas, NOSSA SENHORA DA AJUDA, Padroeira diocesana secundária.

Festa, conforme alguns textos, em dia diferente: 15 de agosto. Ver: “… O culto a Nossa Senhora é bíblico, é teológico, é litúrgico, é pastoral e é devocional. É necessário para a vivência da fé cristã, mas nunca deve lhe ser prestado por mero devocionalismo. Ou sentimentalismo. Sem dúvida, comover-se com as aflições dos outros, sensibilizar-se com seus sofrimentos e ajudar as pessoas necessitadas é sinal de solidariedade, enobrece o caráter humano. Entretanto, quando se trata de viver a fé cristã não bastam emoções. Se vivida apenas com emoções, a fé não resiste às dúvidas, às incertezas e provações. O título Nossa Senhora da Ajuda foi atribuído à Maria tendo presente essa convicção profunda. Estaria relacionado antes de tudo à agonia de Cristo no Calvário. Lá estava ela, de pé, a mulher forte, a mãe à qual o Filho legou seus discípulos para que ela os ajudasse. A Virgem Maria associada ao sofrimento de Jesus é nossa intercessora pelos méritos dele junto a Deus Pai. Ela recebeu dele o poder de nos ajudar em situações difíceis, angustiosas, incertas, sofridas ou perigosas. Esta “ajuda” é-lhe pedida também através de outras invocações como: Perpétuo Socorro, Auxiliadora, Amparo, Livramento, Mercês, Bom Sucesso, Desatadora de nós e outras mais…

… Segundo a História os navegadores e as caravelas reais enfrentavam grandes perigos e desafios na travessia de mares e oceanos. Na Idade Média, reis, capitães de esquadras mercantes, descobridores, colocavam suas naus em expedições ou em batalhas navais, sob a proteção de Maria invocada como: Nossa Senhora da Ajuda. Faziam-se celebrações e festejos, seja na partida, seja na chegada das embarcações aos portos. Esta foi a origem de muitas igrejas ou capelas construídas na orla marítima da Europa. No início das grandes expedições marítimas do século XVI, o culto a Nossa Senhora da Ajuda chegou ao Brasil-Colônia por devoção de cinco padres jesuítas. Em 1549 eles integraram a comitiva do Governador Geral do Brasil, Tomé de Souza. Trouxeram consigo uma bonita imagem da Virgem medindo uns 30 cm. e se estabeleceram no litoral sul da Bahia onde construíram a capela em honra de Nossa Senhora da Ajuda. Aí nasceu o povoado, hoje distrito de Porto Seguro com o nome de Arraial da Ajuda e lugar turístico. Conta a tradição que os jesuítas após inúmeras tentativas não encontravam água potável. Pediram então a ajuda da Mãe de Deus para erguer a capela em sua honra. Enquanto era celebrada a missa surgiu misteriosa e mansamente uma fonte de água viva sob uma árvore ali perto. Não poucos autores deixaram relatado o fato que logo foi se espalhando da Bahia para São Paulo, inclusive no testemunho do Beato José de Anchieta -SJ. O santuário de Nossa Senhora da Ajuda é tido como o mais antigo do Brasil. Foi confiado aos cuidados pastorais dos Padres Redentoristas. A festa tradicional é celebrada solenemente no dia 15 de agosto. Pe. Antonio Clayton Sant´Anna, C.Ss.R.”: https://www.a12.com/academia/artigos/nossa-senhora-da-ajuda-1

– Ver ainda: http://www.lendarium.org/narrative/lenda-de-nossa-senhora-da-ajuda/?tag=1146 e http://oquefazernabahia.com/2017/10/25/cachoeira-tera-17-dias-de-festa-em-homenagem-nossa-senhora-dajuda/

– Ver também “… Nossa Senhora da Ajuda é uma das diversas invocações de Maria, mãe de Jesus. O culto teve início em Portugal durante a Idade Média, sendo particularmente associado a uma ermida que se localizava na praia do Restelo, nas proximidades de Lisboa, onde havia uma imagem de Nossa Senhora que era objeto da devoção de marinheiros e soldados. De Portugal, a invocação foi trazida ao Brasil colonial pelos jesuítas, que levantaram a primeira igreja de Salvador sob sua invocação em 1549: a Capela da Ajuda”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Ajuda

– Ver ainda “… Qual o dia de Nossa Senhora da Ajuda? Atualmente, segundo dados do Santuário de Nossa Senhora da Ajuda, a igreja recebe cerca de 15 mil romeiros na “Festa da Santa” entre os dias 7 e 15 de agosto. Arraial d’Ajuda é marcado por uma tradição de romarias.”:  https://www.arraialdajuda.tur.br/historia/

– Ver ainda: https://www.google.com/search?source=hp&ei=Mn8fX727Huiw5OUPvp2ruAU&q=Nossa+Senhora+da+Ajuda&oq=Nossa+Senhora+da+Ajuda&gs_lcp=CgZwc3ktYWIQAzICCAAyAggAMgIIADICCAAyAggAMgYIABAWEB4yBggAEBYQHjIGCAAQFhAeMgYIABAWEB4yBggAEBYQHjoFCAAQsQM6BQguELEDOgIILlDDC1i3OWDWOmgBcAB4AIAB2AGIAeogkgEGMC4xNy41mAEAoAEBqgEHZ3dzLXdperABAA&sclient=psy-ab&ved=0ahUKEwi9nIHV5e7qAhVoGLkGHb7OClcQ4dUDCAc&uact=5

OUTROS SANTOS E SANTAS DE 29 DE JULHO

1. Me­mória de Santa Marta (também na Folhinha do Coração de Jesus), que em Be­tânia, pró­ximo de Je­ru­salém, re­cebeu na sua casa o Se­nhor Jesus e, quando morreu o seu irmão, con­fessou: “Tu és Cristo, o Filho de Deus, que veio ao mundo”.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória dos Santos Marta, Maria e Lázaro, amigos do Senhor. Eles davam-lhe, generosamente, hospedagem em sua casa de Betânia, perto de Jerusalém. Jesus lembrou a Marta, que se preocupava alem da medida em servi-lo, que o único necessário era ouvir a Palavra. Garantiu tambem e por toda parte no mundo onde se proclamasse o Evangelho, seria relembrada a unção profética de Maria. Ao ver o túmulo de Lázaro, chorou a morte do amigo, fazendo com que os presentes comentassem: “vede como o amava”! (M).

Ver páginas 406-418: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também Marta de Betânia “… Marta é uma personagem bíblica descrita nos Evangelhos. De acordo com João 11:1-45 – João 12:2, ela era irmã de Maria e de Lázaro, da aldeia de Betânia. Marta foi uma das mulheres que acompanharam Jesus no calvário e na ressurreição.

O nome Marta é uma transliteração do grego Μαρθα, que já é uma tradução do aramaico מַרְתָּא, que significa “mestra” ou “a senhora”. A forma aramaica ocorre em uma inscrição datada como sendo do primeiro século, que encontra-se no Museu de Nápoles….”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Marta_de_Bet%C3%A2nia

2.   Co­me­mo­ração de São Lá­zaro, irmão de Santa Marta, por quem o Se­nhor chorou ao saber que es­tava morto e a quem res­sus­citou, e de Santa Maria, sua irmã, que, en­quanto Marta se ata­re­fava no ser­viço de hos­pe­dagem, ela es­tava sen­tada aos pés do Se­nhor e es­cu­tava a sua palavra. Ver páginas

– Ver: Maria de Betânia “… Maria, irmã de Marta ou Maria de Betânia é uma personagem do Novo Testamento da Bíblia e que aparece no episódio da vida de Jesus conhecido como Jesus na casa de Marta e Maria, relatado em Lucas 10:38-42. Ela é irmã de Marta e de Lázaro…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_de_Bet%C3%A2nia

– Ver “… Lázaro de Betânia é uma personagem bíblico descrito no Evangelho segundo João como um amigo que Jesus teria ressuscitado, irmão de Marta e de Maria. Seu nome provavelmente do grego corresponde ao hebraico Eleazar (אלעזר), e significa literalmente “Deus ajudou”…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%A1zaro

São Lázaro. Ver páginas 309-318:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2021.pdf

3.   Em Gangra, na Pa­fla­gónia, hoje Çan­kiri, na Tur­quia, São Ca­lí­nico, mártir. († s. II-III)

4.   Na Via Por­tu­ense, a três mi­lhas de Roma, no ce­mi­tério de­di­cado ao seu nome, São Félix, mártir. († s. III-IV).

– Ver “São Félix II, Papa e Mártir” página 419: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

5.   Também em Roma, no ce­mi­tério de Ge­ne­rosa, os santos Sim­plício, Faus­tino, Vi­a­dora e Rufo, mártires. († s. III-IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, sob o imperador Diocleciano, os mártires Simplício e Faustino, que foram atirados no rio Tibre, junto com outros cristãos. Sua irmã Beatriz recolheu os corpos e os sepultou na via Portuensis. (M).

– Ver São Faustino, Simplício e Beatriz (também na Folhinha do Coração de Jesus).

– Página: 420: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

6.   Em Troyes, na Gália Li­o­nense, na ho­di­erna França, São Lopo (Lupo), bispo, que foi para a Bre­tanha jun­ta­mente com São Germano de Au­xerre para com­bater a he­resia pe­la­giana, de­fendeu com a oração a sua ci­dade do furor de Átila e, de­pois de exercer de modo ad­mi­rável o sa­cer­dócio du­rante cin­quenta e dois anos, des­cansou em paz. († c. 478).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, próximo ao ano 478, São Lobo. Primeiro foi monge em Lérins, e mais tarde tornou-se bispo de Troyes. Depois, acompanhou São Germano de Auxerre à Inglaterra para combater o pelagianismo. Retido durante algum tempo por Átila, como refém, exerceu uma benéfica influência sobre o bárbaro. (M).

– Ver páginas 426-427: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

7.   Em Or­leães, também na Gália Li­o­nense, São Prós­pero, bispo. († s. V)

8.   Em Tromdheim, na No­ruega, Santo Olavo (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir, que, sendo rei deste povo, di­fundiu no seu reino a fé cristã que co­nhe­cera na In­gla­terra, de­be­lando com ardor a ido­la­tria, e fi­nal­mente morreu apu­nha­lado pelos inimigos. († 1030).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1030, Santo Olavo II, rei e patrono da Noruega, que favoreceu a unificação e a cristianização de seu reino. (M).

– Ver páginas 401-405: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também “… Olavo II Haraldsson, também conhecido como Olavo, o Santo (em nórdico antigo Ólafr Haraldsson; em norueguês Heilag-Olav), foi rei da Noruega de 1015 a 1028. De origem viquingue, converteu-se ao catolicismo na cidade francesa de Ruão e esteve a serviço do rei exilado Etelredo II de Inglaterra. (r. 978–1016).[3]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Olavo_II_da_Noruega

– Ver “Olavo II Haraldsson, também conhecido como Olavo, o Santo 

(em nórdico antigo Ólafr Haraldsson; em norueguês nynorsk Heilag-Olav), foi rei da Noruega de 1015 a 1028. De origem viquingue, converteu-se ao cristianismo na cidade francesa de Ruão e esteve a serviço do rei exilado Etelredo II de Inglaterra. (r. 978–1016)[3]

Regressou à Noruega em 1015. Por ser descendente do rei Haroldo I da Noruega,[4][5] foi reconhecido rapidamente como rei e tirou os nobres que regiam o país do poder. Introduziu uma administração central forte, completou a conversão, iniciada por Olavo I da Noruega, dos noruegueses e ergueu igrejas por todo o território.[3]

É o padroeiro da Noruega e um dos poucos santos de origem norueguesa reconhecidos pela Igreja Católica.[3]

Vida: Foi filho de Haroldo Grenske da Noruega[6] (947 – c.  995), líder viquingue e rei de VestfoldNoruega, no século X e de Åsta Gudbrandsdatter. Olavo II casou em fevereiro de 1019 em Sarpsborg com Astrid Olofsdotter de Suécia, filha do rei Olavo, o Tesoureiro (960 — c. 1022)[7] Tiveram uma filha:

Vulfilda da Noruega (c. 1025 – 1072), que se casou com Ordulfo da Saxônia (1020 – 28 de Março de 1072).[8]

Com uma amante, Alvilda, teve um filho ilegítimo:

Magno I da Noruega (1045 – 1106), futuro rei da Noruega e Dinamarca, casado com Sofia da Hungria (1040 – 18 de junho de 1095) filha de Bela I da Hungria (1016 – 1063)[9] e de Rixa da Polónia.

Referências:

  1.  «Ecclesiastical calendar of the Archdiocese of Nidaros». Manuscripta-mediaevalia.de. Consultado em 21 de maio de 2012
  2.  «Meddelelse fra biskop Bernt Eidsvig Can. Reg. av Oslo» (em (em norueguês)). Katolsk.no. 8 de outubro de 2007. Consultado em 21 de maio de 2012
  3.  Ir para:a b c Birro, RM (2013). «Resumo; Introdução». Rex perpetuus Norvegiae: a sacralidade régia na monarquia norueguesa e a santificação de Óláfr Haraldsson (c.995-1030) à luz da literatura latina e vernacular (sécs.XI-XII) (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal Fluminense
  4.  Verbete hår (cabelo) do dicionário de norueguês da Universidade de Oslo
  5.  Verbete fagre (belo) do dicionário de norueguês da Universidade de Oslo
  6.  «Harald Grenske (Family Links)». Consultado em 9 de agosto de 2012. Arquivado do original em 31 de outubro de 2010
  7.  MELIN, Jan; JOHANSSON, Alf; HEDENBORG, Susanna (2006). «Järnåldern». Sveriges historia (em sueco). Estocolmo: Prisma. 38 páginas. ISBN 91-518-4666-7
  8.  Lutz Fenske: Ordulf (Otto) . In: Biografia alemão Novo (NDB). Volume 19, Duncker & Humblot, Berlim, 1999, pp 583
  9.  The realm of St. Stephen: a history of medieval Hungary, 895-1526 ”:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Olavo_II_da_Noruega#cite_note-rexperpetuus-3

9*.   Em Roma, o Beato Ur­bano II, papa, que de­fendeu a li­ber­dade da Igreja contra as in­ge­rên­cias dos po­deres se­cu­lares, com­bateu a si­monia e a cor­rupção do clero e, no Con­cílio de Cler­mont, exortou os sol­dados cris­tãos a li­bertar, com o sinal da cruz, os ir­mãos opri­midos pelos in­fiéis e o se­pulcro do Senhor. († 1099).

– Ver “Bem-aventurado Urbano II, Papa e Confessor” páginas 421-425: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

10.   Em Saint-Brieuc, ci­dade da Bre­tanha Menor, re­gião da ac­tual França, São Gui­lherme Pinchon, bispo, que se de­dicou à cons­trução da igreja ca­te­dral, res­plan­deceu pela sua bon­dade e sim­pli­ci­dade e, por de­fender in­tre­pi­da­mente o seu re­banho e os di­reitos da Igreja, su­portou duros ve­xames e o exílio. († 1234).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1234, São Guilherme, bispo de Saint-Brieuc, que deu prosseguimento à construção da catedral e defendeu os direitos da Igreja contra as pretensões abusivas do duque da Bretanha. (M)

11*.   Em Omura, no Japão, os be­atos már­tires Luís (Ludovico) Bertran, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, Mâncio da Santa Cruz e Pedro de Santa Maria, re­li­gi­osos da mesma Ordem, que foram quei­mados vivos por Cristo. († 1627)

12*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Carlos Ni­colau An­tónio Ancel, pres­bí­tero da Con­gre­gação de Jesus e Maria e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, en­cer­rado na sór­dida ga­lera em ódio ao sa­cer­dócio, con­sumou o mar­tírio, mor­rendo con­ta­giado por uma grave enfermidade. († 1794)

13.   Em Qingyan, ci­dade do Guizhou, pro­víncia da China, os santos már­tires José Zhang Wenlan, Paulo Chen Changpin, alunos do se­mi­nário, João Bap­tista Lou Tingyin, ad­mi­nis­trador do se­mi­nário, e Marta Wang Louzhi, viúva, que, pela sua fé em Cristo, foram en­cer­rados numa ca­vi­dade quente e hú­mida, so­freram atrozes tor­mentos e fi­nal­mente mor­reram decapitados. († 1861)

– Ver “… 1861 – Santa Martha Wang Mártir de Tonkin, Vietnã, que foi presa carregando cartas dos mártires presos, os Beatos Joseph Tshang e Paul Tcheng. Ela foi decapitada com eles em Tsingai. Martha foi beatificada em 1909…

… 1861 – Bl. Paul Tcheng Mártir da China. Ele era um seminarista católico quando foi preso pelas autoridades chinesas e decapitado em Tsingai. Ele foi beatificado em 1909 .”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly29.html

14♦.   Em La Musse, na Bre­tanha, re­gião da França, São Luís Martin, pai de Santa Te­resa do Me­nino Jesus. († 1894)

– Ver dia 12 de julho: São Luís Martin (também na Folhinha do Coração de Jesus). Santa Zélia Guérin (também na Folhinha do Coração de Jesus).

– Ver Santos Luís Martin e Zélia Guérin (pais de Santa Teresinha do Menino Jesus) “…São Luís Martin (Bordeaux, 22 de agosto de 1823 – Arnières-sur-Iton, 29 de julho de 1894) e Santa Zélia Guerín Martin (Saint-Denis-sur-Sarthon, 23 de dezembro de 1831 – Alençon, 28 de agosto de 1877) foram um casal que viveu em Alençon, França, mais conhecidos por serem os pais de Santa Teresinha do Menino Jesus. Luís era relojoeiro e Zélia rendeira, sendo ambos filhos de militares e educados em ambiente severo. Ele foi educado nos “Irmãos das Escolas Cristãs” e ela nas “Irmãs da Adoração Perpétua”. Zélia, depois de passar um tempo ajudando a mãe na loja da família, especializou-se no ponto de Alençon na escola de tecelões e rendas, abrindo uma pequena fábrica de rendas onde obteve relativo sucesso…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lu%C3%ADs_Martin_e_Z%C3%A9lia_Gu%C3%A9rin

15*.   Em Es­plu­gues, ci­dade pró­xima de Bar­ce­lona, na Es­panha, o Beato João Bap­tista Egoz­cu­e­zábal Aldaz, da Ordem de São João de Deus e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, foi morto em ódio à Igreja. († 1936)

16*.   Em Ca­landa, pró­ximo de Te­ruel, também na Es­panha, os be­atos Lúcio Mar­tínez Mancebo, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, e com­pa­nheiros, már­tires, que, ani­mados pela for­ta­leza de Cristo, deram a vida na mesma perseguição.  São estes os seus nomes: An­tónio López Cou­ceiro, Fe­li­cís­simo Díez Gon­zález, Sa­túrio Rey Ro­bles, Tirso Man­rique Me­lero, pres­bí­teros; Gu­mer­sindo Soto Barros e Lam­berto de Na­va­cués y de Juan, re­li­gi­osos, da Ordem dos Pre­ga­dores; e Ma­nuel Al­bert Ginés, presbítero. († 1936)

17*.   Em Va­lência, também na Es­panha, o Beato José de Ca­la­sanz Marqués, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que na mesma per­se­guição der­ramou o sangue por Cristo. († 1936)

18♦.   Em Clot dels Au­bins, perto de Lé­rida, também na Es­panha, os be­atos Ân­gelo Maria Prat Hostench, pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e com­pa­nheiros, már­tires, que, du­rante a mesma per­se­guição, con­fir­maram com o seu sangue a plena fi­de­li­dade a Cristo. São estes os seus nomes. Eliseu Maria (Eliseu Ma­neus Be­sal­duch), Anas­tásio Maria (Pedro Dorca Co­ro­mina), Edu­ardo Maria (Ma­nuel Ser­rano Buj), pres­bí­teros; André Cor­sino Maria (José Solé Ro­vira), Eliseu Maria (Luís Font­de­cava Qui­roga), João Maria (João Maria Puig­mitjá Rubió), José Maria (Ga­briel Es­coto Ruiz), Mi­guel Maria (Mi­guel Soler Sala), Pedro Maria (Pedro Ferrer Marin), Pedro Tomás Maria (João Prat Coll­de­car­rera), Elias Maria (Ge­nésio Garre Egea), re­li­gi­osos, todos da Ordem dos Car­me­litas Descalços. († 1936)

19. Outros santos do dia 29 de JULHO, páginas 401-428:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-

%2013.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santase Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 29 de julho, ver ainda: 29 de julho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  588-590: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes,sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly29.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 28 de julho

1.   Co­me­mo­ração dos santos Pró­coro, Ni­canor, Timão, Pár­menas e Ni­colau pro­sé­lito de An­ti­o­quia, os quais per­tencem ao grupo dos sete que, cheios do Es­pí­rito Santo e de sa­be­doria, foram es­co­lhidos pela mul­tidão dos dis­cí­pulos e sobre quem os Após­tolos im­pu­seram as mãos para o ser­viço dos necessitados.

– Ver “… Os santos Nicanor, Prócoro, Timão e Parmenas, Apóstolos dos Setenta, estavam entre os primeiros diáconos da Igreja de Cristo… Eles são comemorados juntos em 28 de julho, embora tenham morrido em vários momentos e em vários lugares…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly28.html

2.   Em Roma, São Vítor I, papa, afri­cano, que es­ta­be­leceu que o dia da Páscoa fosse ce­le­brado em toda a Igreja no do­mingo a se­guir à Páscoa judaica. († c. 200).

Ver tambémVÍTOR I foi o décimo quarto papa da Igreja Católica Apostólica Romana entre (datas aproximadas) 189 e 199.[1] Vítor nasceu na província romana de Tunísia; esta notícia é bastante certa, pois na Catedral Católica de Tunes, à esquerda do altar, tem um mosaico com o rosto dele. De seu pai sabe-se somente que se chamava Félix.

Vítor I estabeleceu que qualquer tipo de água, quer seja de um rio, mar ou outras fontes, pode ser utilizada no batismo, no caso de faltar água benta. Outra contribuição importante foi que Vítor tomou partido do estabelecimento do domingo (em substituição do sábado) como dia sagrado, em memória da ressurreição de Cristo, embora a prática só se tornasse universal no Primeiro Concílio de Niceia.

Foi Vítor I quem determinou que a Páscoa seria celebrada sempre neste dia da semana, excomungando todos os bispos que se opuseram à mudança. O Primeiro Concílio de Niceia (325) confirmou sua decisão. É também sua a decisão de realizar as Missas em latim em vez de grego. Além disso, tornou herética a doutrina do adocionismo no ano de 190.[2]

Pensa-se que Vítor tenha sido martirizado durante o reinado de Septímio Severo. Seu dia é celebrado pela Igreja Católica em 28 de julho.”:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_V%C3%ADtor_I

Ver A CONTROVÉRSIA DA PÁSCOA “…Controvérsia da Páscoa é um termo utilizado para descrever um conjunto de controvérsias relacionadas com a data apropriada para se celebrar o feriado cristão da Páscoa. Até agora, a disputa teve quatro fases distintas e ainda não está completamente resolvida… Por volta de 195, Vítor tentou excomungar os quartodecimanos (Quartodecimanismo – do Vulgata latinaquarta decima citada em «No primeiro mês, aos quatorze dias do mês, à tardinha, é a Páscoa de YHWH…» (Levítico 23:5[1] significando “quatorze” – se refere ao costume de alguns cristãos antigos de celebrar o feriado da Pessach – Páscoa judaica – começando na véspera do dia 14 de Nisan – ou Abib no calendário da Bíblia hebraica -, cujo crepúsculo é conhecido biblicamente como a “Passagem do Senhor”.), transformando a diferença de práticas em uma controvérsia completa…

… O segundo estágio da controvérsia sobre a Páscoa se centrou no Primeiro Concílio de Niceia, realizado em 325 dC…

… 3ª FASE: ste sistema britânico-irlandes, pela evidência nos deixada pelo venerável Beda, fixava a Páscoa no domingo que estivesse no período de sete dias entre o décimo-quarto e o vigésimo dia do mês lunar, de acordo com um ciclo de 84 anos[4]. Estas datas limite (14-luna e 20-luna) foram confirmados por São Columbano[5]

… 4ª FASE: Em 1997, o Conselho Mundial de Igrejas propôs uma reforma do método[9] num encontro em Alepo, na Síria: a Páscoa seria definida como sendo o primeiro domingo após a primeira lua cheia astronômica posterior ao equinócio vernal como determinado no meridiano de Jerusalém. A reforma seria implementada a partir de 2001, uma vez que naquele as datas da Páscoa no ocidente e no oriente coincidiram. Porém, até outubro de 2010 ela ainda não havia sido implementada…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Controv%C3%A9rsia_da_P%C3%A1scoa

Ver “São Vítor, Papa e Mártir e Santo Inocêncio I, Papa… Africano de nascimento, Vítor, foi eleito Papa depois da morte de Santo Eleutério, acontecida em 193 e mostrou-se digno sucessor de São Pedro…” às páginas 384-395: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

Conforme o Martirológio Romano-Monástico (DESTE DIA 28 DE JULHO), em Roma, no ano do Senhor de 417, Santo Inocêncio I, papa. Tomou energicamente a defesa de São João Crisóstomo, expulso de Constantinopla, e apoiou Santo Agostinho na luta contra os donatistas, na África, contribuindo assim para a sobrevivência e a união da Igreja em época difícil que assistiu ao desmoronamento do Império Romano.

– Ver também: PAPA INOCÊNCIO I: “O Papa São Inocêncio I (em latimInnocentius I) foi um papa eleito em 22 de dezembro de 401 e faleceu dia 12 de março de 417.

Um dos mais ferrenhos defensores, na Igreja primitiva, das prerrogativas da Sé Apostólica em questão de doutrina e disciplina eclesiástica, Inocêncio I era, na verdade, filho de Anastácio I. É o primeiro caso de um filho suceder o pai no pontificado.[1][2] Foi durante o seu pontificado que São Jerônimo terminou a revisão da tradução latina da Bíblia conhecida como Vulgata Latina, em 404.

Tendeu a unificar a Igreja ocidental em torno da “praxis romana”, estabelecendo a observância dos ritos romanos no Ocidente, o catálogo do livros canônicos e as regras monásticas. Enfrentou a heresia de Pelágio da Britânia, tendo ratificado a condenação deste e de Celestino; defendeu São João Crisóstomo. Durante seu pontificado, Roma foi saqueada pelos visigodos de Alarico I. Conseguiu que o imperador Flávio Honório proibisse as lutas de gladiadores…”

https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Inoc%C3%AAncio_I#cite_note-2

– Ver “… Papa Inocêncio: foi ele que estabeleceu a uniformidade que as várias Igrejas devem ter com a doutrina apostólica romana. Além disso, estratificou em forma e conteúdo a doutrina dos sacramentos da penitência, da unção dos enfermos, do batismo e do casamento.
Durante o seu pontificado difundia-se a heresia pelagiana, condenada no ano 416 pelos concílios regionais de Melevi e de Cartago, convocados por iniciativa de santo Agostinho e com aprovação do papa Inocêncio I, que formalmente sentenciou Pelágio e seu discípulo Celestio.
O papa Inocêncio I morreu no dia 28 de julho de 417, sendo sepultado no cemitério de Ponciano, na Via Portuense, em Roma…”: http://arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/santo-inocencio-i

VER EM 12 DE MARÇO: Em Roma, no ce­mi­tério de Pon­ciano “ad Ursum Pi­le­atum”, o se­pul­ta­mento de Santo Ino­cêncio I (também na Folhinha do Coração de Jesus), papa, que de­fendeu São João Cri­sós­tomo, con­fortou São Je­ró­nimo e aprovou Santo Agostinho. († 417).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico (deste dia 12 de março), em 417, o sepultamento de Santo Inocêncio I, papa. Estendeu a solicitude da Igreja Romana ao Oriente, defendendo São João Crisóstomo quando de sua expulsão da Sé de Constantinopla; e à África, apoiando Santo Agostinho contra a heresia donatista, Na Itália, teve quc enfrentar a invasão dos visigodos. (M)

3.   Co­me­mo­ração de nu­me­rosos mártires, que, na Te­baida do Egipto, pa­de­ceram du­rante a per­se­guição dos im­pe­ra­dores Décio e Va­le­riano; vendo que os cris­tãos de­se­javam com ardor morrer ao fio da es­pada pelo nome de Cristo, os as­tu­ci­osos ini­migos, mais em­pe­nhados na morte das almas que dos corpos, foram pro­lon­gando os su­plí­cios de morte lenta. († c. 250).

– Ver página 400: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

4.   Em Mi­leto, na Cária, na ho­di­erna Tur­quia, Santo Acácio, mártir no tempo do im­pe­rador Licínio. († 308/311)

5.   Em Milão, na Li­gúria, ac­tu­al­mente na Lom­bardia, re­gião da Itália, os santos Na­zário e Celso, már­tires, cujos corpos foram en­con­trados por Santo Ambrósio. († inv. 395).

São Nazário (na Folhinha do Coração de Jesus). Em Milão, a invenção dos Santos Nazário e Celso, em memória do dia em que Santo Ambrósio, bispo, tendo encontrado o corpo de São Nazário coberto de sangue, que parecia ainda fresco, o transferiu para a igreja dos santos apóstolos com o do bem-aventurado Celso, menino que o santo mártir havia educado, e que o juiz Anolim mandara decapitar durante a perseguição de Nero, em 28 de julho, dia no qual se lhe soleniza a festa. Santo Ambrósio compôs esta inscrição: “Nazário gozou de uma eterna paz. A Cruz, que foi seu refúgio, ainda é seu refúgio”.

Ver também dia 10 de maio. Ver páginas 256-257: http://obrascatolicas.com/livros/Bgrafia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

No Martirológio Romano-Monástico (de 28 de julho). “Em Milão, os mártires Santos Nazário e Celso. Santo Ambrósio, que descobriu seus corpos, compôs esta inscrição: <Nazário gozou de uma eterna paz. A Cruz, que foi o seu refúgio, ainda é seu refúgio.> (M)”

– Ver “… Nazário e Celso (em italianoSanti Nazaro e Celso; em latimNazarius et Celsus) foram dois mártires dos quais nada sabemos além da descoberta de seus corpos em Mediolano por Santo Ambrósio. Segundo Paulino, o Diácono em sua biografia do santo, o próprio Ambrósio, em algum momento nos três anos finais de sua vida, depois da morte do imperador Teodósio (m. 395), descobriu, num jardim fora das muralhas de Mediolano, o corpo de São Nazário, com a cabeça separada do corpo. Segundo a lenda, o sangue ainda estava líquido e vermelho quando seu corpo foi exumado.[1] O bispo então levou-o para a Basílica dos Apóstolos. No mesmo jardim, Ambrósio descobriu também o corpo de São Celso, que ele transportou para o mesmo lugar. Segundo a Enciclopédia Católica : “Obviamente a tradição sobre estes mártires ainda existia na comunidade cristã de Mediolano, o que levou à busca e à descoberta dos corpos”.[2]”: Nazário e Celso – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

6*.   Em Troyes, na Gália, hoje na França, São Ca­me­liano, bispo, que foi dis­cí­pulo de São Lopo e seu sucessor. († s. VI)

7.   Em Dol, na Bre­tanha Menor, também na ac­tual França, São Sansão (também na Folhinha do Coração de Jesus), abade e bispo, que di­fundiu por todo o ter­ri­tório da Dom­nonée o Evan­gelho e a dis­ci­plina mo­nás­tica que apren­dera do abade Santo Il­tudo, no País de Gales. († c. 565).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto do ano 565, o retorno para Deus de São Sansão. No começo foi monge no País de Gales, e depois passou pela Ilha de Caldey, chegando à Irlanda, de onde voltou mais tarde sagrado bispo. Refugiado no Continente, veio a fundar os mosteiros de Pental e de Dol-Em-Bretagne. (M).

– Ver páginas 396-399: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf 

8*.   Na Suécia, São Bot­vido, mártir, que, de origem sueca e bap­ti­zado na In­gla­terra, se de­dicou à evan­ge­li­zação da sua pá­tria, até que foi as­sas­si­nado por um homem que ele pró­prio tinha res­ga­tado da escravidão. († 1100)

– Ver: “…São Botuído (em suecoSankt Botvid; em latimBotuidus) foi um missionário católico da província sueca de Sudermânia, no século XII….”: Botuído da Suécia – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

9♦.   Em Nishi­zaka, lo­ca­li­dade de Na­ga­sáki, no Japão, o Beato Mi­guel Kusuriya, mártir. († 1633)

10.   Em Nam Dinh, ci­dade do Ton­quim, no ac­tual Vi­etnam, São Mel­chior Garcia Sanpedro, bispo da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, por Cristo foi en­cer­rado numa es­trei­tís­sima prisão e, por ordem do im­pe­rador Tu Duc, morreu dilacerado. († 1858)

11.   Em Ma­drid, na Es­panha, São Pedro Po­veda Castroverde, pres­bí­tero e mártir, que fundou o Ins­ti­tuto Te­re­siano para di­vul­gação da dou­trina cristã e, no início da per­se­guição contra a Igreja, foi morto em ódio à fé, ofe­re­cendo a Deus um in­signe testemunho. († 1936)

12*.   Em Purroy de la So­lana, local da pro­víncia de Hu­esca, também na Es­panha, os be­atos Ma­nuel (Emanuel) Se­gura López, pres­bí­tero, e David Carlos Marañón, re­li­gioso, ambos da Ordem dos Clé­rigos Re­grantes das Es­colas Pias, már­tires na mesma perseguição. († 1936)

13*.   Em Bar­ce­lona, também na Es­panha, os be­atos José Ca­selles Moncho e José Cas­tell Camps, pres­bí­teros da So­ci­e­dade Sa­le­siana e már­tires, que, na mesma per­se­guição contra a fé, me­re­ceram através do mar­tírio al­cançar a glória eterna. († 1936)

14♦.   Em Ronda, perto de Má­laga, também na Es­panha, os be­atos Mi­guel Mo­lina de la Torre e Paulo Ca­bal­lero Lopez, pres­bí­teros, Ho­nório Her­nández Martin e João Luís Her­nández Medina, re­li­gi­osos, todos da So­ci­e­dade Sa­le­siana e már­tires, que foram fu­zi­lados na mesma per­se­guição contra a Igreja. († 1936)

15♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, os be­atos már­tires Sa­bino Her­nández Laso, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana, e Mi­guel Léibar Garay, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Maria, que mor­reram como ví­tima por Cristo na mesma per­se­guição contra a fé cristã. († 1936)

16♦.   Na es­trada Ma­drid-Va­lência, também na Es­panha, os be­atos Pedro Alonso Fernández, Pri­mi­tivo Sandin Miñambres, Lou­renço Ar­ribas Pa­lácio e Froilão La­nero Villadangos, pres­bí­teros da Ordem de Santo Agos­tinho e már­tires, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, con­su­maram o seu mar­tírio fu­zi­lados junto ao muro do ce­mi­tério em ódio ao sacerdócio. († 1936)

17♦.   Em Fer­nan­ca­bal­leros, lo­ca­li­dade da pro­víncia de Ciudad Real, na Es­panha, o Beato Jesus Aníbal Gómez Gómez, can­di­dato ao sa­cer­dócio na Con­gre­gação dos Mis­si­o­ná­rios Fi­lhos do Co­ração Ima­cu­lado de Maria e mártir, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, tendo vindo da Colômbia para os es­tudos de te­o­logia, foi as­sas­s­si­nado em ódio à fé e ofe­receu a Deus o sa­cri­fício per­feito com o der­ra­ma­mento do seu sangue. († 1936)

18♦.   Em Griñon, ci­dade da  pro­víncia de Ma­drid, na Es­panha, o Beato Mário Félix (Ma­nuel José de Sousa), na­tural de Santa Marta de Bouro, lo­ca­li­dade do dis­trito de Braga, em Por­tugal, que, de­pois de ter vi­vido vá­rios anos no Brasil, voltou à pá­tria e in­gressou na Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e, tendo sido des­ti­nado a esta Co­mu­ni­dade, foi preso e fu­zi­lado pelos per­se­gui­dores da Igreja em ódio à fé. († 1936)

19.   Em Tar­ra­gona, também na Es­panha, São Jaime Hi­lário (Ma­nuel Barbal Cosan), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs, mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a fé cristã, foi con­de­nado à morte em ódio à Igreja. († 1937).

– Ver “Manuel Barbal Cosan (Irmão Jaime Hilário). Manuel Barbal Cosan (2 de janeiro de 1888Enviny, Diocese de Urgel, Província de LéridaEspanha – 18 de janeiro de 1937, Bosque do Monte de La Oliva, perto do Cemitério de TarragonaEspanha). Foi beatificado e canonizado pelo Papa João Paulo II, juntamente com os Santos Irmãos Mártires de Turón, respectivamente em 29 de Abril de 1990 e 21 de Novembro de 1999. Morreu em nome da fé e figura na lista dos mártires da Igreja Católica. É festejado em 28 de Julho.Em 18 de Janeiro de 1937, às 15h30min, fuzilaram-no no Cemitério “La Oliva”, em Tarragona. Mesmo após vários disparos, ele permaneceu de pé. O chefe, furioso, aproximou-se e acabou de matá-lo, atirando à queima-roupa na cabeça do santo, que ainda teve força para gritar: “Morrer por Cristo é viver, meu rapazes!”.O Irmão Jaime Hilário, como religioso, era exemplar: piedoso e fiel. Esta fidelidade, sua principal característica, lhe inculcava uma grande estima pela Congregação. Fidelidade à lealdade, à constância e ao apego à vocação. Suas cartas aos familiares estão repletas destas idéias e procurava comunicar esta fidelidade aos seus. Os escritos transpiram uma vivência de profundo amor a Deus.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Jaime_Hilário

20*.   Em Bha­ra­nan­ganan, ci­dade do es­tado de Ke­rala, na Índia, Santa Afonsa da Ima­cu­lada Con­ceição (Ana Mut­tathu­pa­dathu), virgem, que, para evitar um ma­tri­mónio im­posto, queimou um pé no fogo e, ad­mi­tida entre as Cla­rissas Ma­la­ba­renses, viveu quase con­ti­nu­a­mente en­ferma, ofe­re­cendo a Deus a sua vida. († 1946)

– Ver “… Afonsa Muttathupadathu (pela grafia arcaica, Alphonsa), conhecida como Afonsa da Imaculada Conceição[1] (19 de Agosto de 1910 – 28 de Julho de 1943) é a primeira santa da Índia, canonizada pelo papa Bento XVI.[2] em 12 de outubro de 2008…”: Afonsa Muttathupadathu – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

21. São Décio (também na Folhinha do Coração de Jesus)

22. Santo Eustádio (também na Folhinha do Coração de Jesus).

– Ver Santo Eustato, página 400: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver “… 316 – Eustácio (Eustáquio) da Galácia, um mártir da Galácia, foi torturado e depois lançado em um rio em um baú, cantava o Salmo 90 (91º): “Aquele que habita na ajuda do Altíssimo …”; recebeu a comunhão das mãos de um anjo. Vendo o milagre e sentindo-se desonrado, o governador se matou; (Beneditinos). M (RM)…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly28.html

23. Outros santos do dia 28 de JULHO, páginas: 384-400

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-

%2013.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santase Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 28 de julho, ver ainda: 28 de julho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  585-588: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes,sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly28.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica apóso Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 27 de julho

1.   Co­me­mo­ração dos santos Sete Dormentes de Éfeso, que, se­gundo a tra­dição, con­su­mado o mar­tírio, des­cansam em paz, es­pe­rando o dia da ressurreição. († data inc.). Conforme o “Vidas dos Santos”, no mesmo dia, em Éfeso, a morte dos santos Sete Dormentes: Maximiano, Malco, Martiniano, Dionísio, João, Serapião e Constantino. Sob Décio, mais ou menos em 250, sete fiéis se refugiaram numa caverna perto de Éfeso Deus enviou-lhes um sono profundo e longo (cerca de 200 anos) de modo que acordaram somente quando de Teodósio II (401-450), falecendo logo depois, pelo testemunho de Deus. Ver página 381: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Nos Martirológios sua memória é 27 de julho. Texto abaixo diz que são comemorados em 04 de agosto, 14 de setembro ou 22 de outubro. Ver: http://santosortodoxos.blogspot.com/2013/08/santos-sete-jovens-dormentes-de-efeso-c.html

– Ver também: http://lhs.unb.br/atlas/Sete_dormentes_Maximi%C3%A1no,_M%C3%A1lco,_Martini%C3%A1no,_Dionisio,_Jo%C3%A3o,_Serapi%C3%A3o,_e_Constantino.

– Ver ainda o texto de Rubens Ricupero de 23.04.2000, “OS SETE ADORMECIDOS: …Ora, muito tempo após a morte de Décio e de toda a sua geração, no trigésimo ano do império de Teodósio, espalhou-se a heresia dos que negavam a ressurreição dos mortos. E Teodósio, como bom cristão, estava tão desolado com os progressos dessa ímpia heresia que, retirado no fundo do palácio e coberto de um cilício, chorava durante dias inteiros.
Vendo isso, Deus, na sua misericórdia, resolveu consolar o luto dos cristãos e confirmá-los na esperança da ressurreição. E foi aos sete mártires de Éfeso que confiou a honra de dar testemunho.
Ele inspirou a certo habitante de Éfeso construir estábulos no monte Celião. E quando os pedreiros abriram a caverna, os sete adormecidos acordaram como se tivessem dormido apenas uma noite e indagaram se Malco sabia o que Décio tinha decidido contra eles.
Malco respondeu que ia descer à cidade para buscar pão e voltaria à noite com notícias. Tomou cinco moedas, saiu da caverna e ficou um pouco surpreso com as pedras amontoadas à entrada. Ficou ainda mais surpreso ao ver sobre as portas da cidade o sinal da cruz. Ao chegar ao mercado e ouvir que todos mencionavam Cristo, seu estupor não tinha limites. “É possível que nesta cidade, onde ninguém ousava ontem mencionar Cristo, todos hoje falam dele livremente? E, aliás, esta cidade não é Éfeso, pois os edifícios são diferentes, e, no entanto, o lugar é o mesmo, e não há outra cidade por perto!”
Disseram-lhe que a cidade era bem Éfeso e, julgando-se louco, quase voltou para junto de seus companheiros. Quis, de todo modo, comprar pão, e o padeiro examinou com surpresa as moedas que apresentou. Perguntou-lhe se havia descoberto um tesouro antigo e o ameaçou a revelá-lo, pois queria partilhar o dinheiro.
Malco suplicou que o deixassem partir, mas o comerciante passou-lhe uma corda ao pescoço e o arrastou pelas ruas.
Ouvindo isso, o bispo são Martinho e o procônsul Antipater o fizeram comparecer perante eles e lhe perguntaram onde havia encontrado as velhas moedas.
Ele lhes respondeu que elas provinham da bolsa de seus pais. E o procônsul: “Peça a teus pais que te reconheçam!”. Ele mencionou o nome dos pais: ninguém os conhecia. E o procônsul: “Como pretendes fazer-nos crer que esse dinheiro vem de teus pais, quando as inscrições que traz são velhas, de quase 400 anos, datando dos primeiros dias do imperador Décio?”. Então Malco lhe disse: “Em nome do céu, respondei ao que vou perguntar e vos direi tudo o que tenho no coração. O imperador Décio, que estava aqui ontem, onde está agora?”. Então o bispo: “Meu filho, não há hoje sobre a terra um imperador chamado Décio, mas havia um outrora, há muito tempo”. E Malco: “Senhor, ninguém me crê. Vinde comigo, porém, e vos mostrarei meus companheiros que, como eu, fugiam da cólera de Décio”.
Por ordem do bispo, que via nisso um desígnio de Deus, o procônsul, o clero e uma grande multidão seguiram Malco até a caverna; e o bispo encontrou entre as pedras um escrito selado com dois selos de prata e o leu à multidão reunida.
Penetrou em seguida até perto dos santos, que encontrou com rostos radiantes como rosas em flor. Imediatamente avisaram Teodósio para que viesse ver o milagre de Deus. E Teodósio veio de Constantinopla a Éfeso, subiu até a caverna, prosternou-se diante dos santos e os abraçou, chorando e dizendo: “É como se eu estivesse a ver o Senhor ressuscitar Lázaro!”. Então Maximiliano lhe disse: “É para ti que Deus nos ressuscitou antes do dia da grande ressurreição, a fim de que não duvides!”. Dito isso, todos os sete adormeceram de novo e, inclinando a cabeça, entregaram a alma a Deus…”:

https://www1.folha.uol.com.br/fsp/dinheiro/fi2304200010.htm

2.   Em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, São Pan­ta­leão (também na Folhinha do Coração de Jesus), ou Pan­ta­laimão, mártir, ve­ne­rado no Ori­ente por ter exer­ci­tado a pro­fissão de me­di­cina sem re­ceber re­com­pensa al­guma pelo seu trabalho. († c. 305).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Nicomédia, na Ásia Menor, o martírio de São Pantaleão, médico, venerado no Oriente como “anárgiro”, isto é, o que exerce a profissão por amor a Deus. (M)

– Ver “… São Pantaleão é um santo católico, que viveu no século IV.[1]

Sendo um dos Catorze santos auxiliares, é invocado contra o mal do cancro e da tuberculose e é patrono dos médicos.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pantale%C3%A3o_de_Nicom%C3%A9dia

– Ver Catorze santos auxiliares “… Os catorze santos auxiliares são um grupo de santos invocados pelos cristãos em casos de necessidade especial, geralmente para se curar doenças particulares. As tradições cristãs contam que a devoção a esses santos nasceu na Alemanha, na região da Renania do século XV, quando o Menino Jesus teria aparecido ao pastor Hermann Leicht Langheim[1], a peste negra que assolava a Europa no supracitado período teria auxiliado a propagação do culto.[2]…”: Catorze santos auxiliares – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

3.   Em Lons-le-Saul­nier, nos montes do Jura, na Gália, ac­tu­al­mente na França, São De­si­de­rato, que é con­si­de­rado como bispo de Besançon. († s. V)

4.   Em Roma, no ce­mi­tério de Pris­cila, junto à Via Sa­lária, São Ce­les­tino I, papa, que, para de­fender a fé da Igreja e ex­pandir as suas fron­teiras, cons­ti­tuiu o epis­co­pado na In­gla­terra e na Ir­landa e apoiou o Con­cílio de Éfeso, no qual, em opo­sição a Nes­tório, foi sau­dada a Bem-aven­tu­rada Virgem Maria como Mãe de Deus. († 432).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 432, São Celestino I. Romano de nascença, passou algum tempo em Milão junto a Santo Ambrósio. Depois de eleito papa, aprovou por seus legados o Concílio de Éfeso, que proclamou a divina maternidade da Virgem Maria. (M)

5.   Pró­ximo de An­ti­o­quia, na Síria, hoje na Tur­quia, São Si­meão, monge, que viveu muitos anos sobre uma co­luna, pelo qual foi de­no­mi­nado o Es­ti­lita, homem ad­mi­rável pela sua vida e pela sua palavra. († 459)

6*.   Em Lo­ches, junto ao rio Indre, no ter­ri­tório de Tours, na Gália, ac­tu­al­mente na França, Santo Urso, abade, pai de muitos ce­nó­bios, cé­lebre pela sua abs­ti­nência e ou­tras virtudes. († s. V-VI).

– Santo Urso e Leubais, ver páginas 376-379: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

7*.   Em Ra­vena, na Fla­mínia, hoje na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, Santo Eclésio, bispo, que foi com­pa­nheiro do papa São João I na opo­sição às atro­ci­dades do rei Te­o­do­rico e, de­pois de as su­perar so­zinho, deu à sua Igreja novo esplendor. († c. 532)

8*.   Na re­gião de Béarn, si­tuada nos Pi­re­neus, na Gas­conha da Gália, hoje na França, São Ga­lac­tório, que é ve­ne­rado como bispo de Lescar e mártir. († s. VI)

9.   Em Man­ti­neia, pró­ximo de Es­kihisar, em Ho­no­ríades, ter­ri­tório da Ana­tólia, hoje na Tur­quia, Santa An­tusa, virgem, que, sendo monja, so­freu a fla­ge­lação e o exílio no tempo do im­pe­rador Cons­tan­tino Co­pró­nimo por causa do culto das sa­gradas ima­gens e, fi­nal­mente, pôde re­gressar à sua pá­tria, onde morreu em paz. († s. VIII).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Bitínia, a Bem-Aventurada Antusa, virgem. Depois de ter sido atormentada por causa do culto das santas imagens, sob o imperador Constantino Copromino, pôde retornar ao seu mosteiro e lá terminar seus dias em paz. (M)

10.     Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, os santos már­tires Jorge, diá­cono e monge sírio, Au­rélio (também na Folhinha do Coração de Jesus) e Sa­bi­goto (Natália), es­posos, Félix e Li­liosa, também es­posos, que, du­rante a per­se­guição dos Mouros, ani­mados pelo de­sejo de dar tes­te­munho da fé em Cristo, não ces­saram de louvar Jesus Cristo até ao mo­mento de serem decapitados. († 852).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, São Jorge, monge, e os Santos Félix, Aurélia, Natália (também na Folhinha do Coração de Jesus) e Liliosa, martirizados em Córdova, na Espanha, em 852, por não terem hesitado em confessar abertamente sua fé em Cristo diante do islamismo (M).

– Ver também “… Os mártires de Córdova foram quarenta e oito mártires cristãos que viviam no emirado muçulmano do Alandalus (na Península Ibérica) no século IX. Suas hagiografias descrevem em detalhes as suas execuções provocadas principalmente pela busca, de forma deliberada, de penas capitais por violação da Xaria em Alandalus. Os martírios, estimulados por Eulógio de Córdova, ocorreram entre 851 e 859. Com umas poucas exceções, os cristãos provocaram a execução ao fazerem declarações públicas sobre temas escolhidos especialmente para provocar o martírio: alguns foram até autoridades muçulmanas para denunciar Maomé ou o Islã (o que era blasfêmia), outros, possivelmente os nascidos de casamentos entre muçulmanos e cristãos, publicamente declaravam sua fé no cristianismo e eram assim acusadas de apostasia[1]….”:: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Mártires_de_Córdova

https://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A1rtires_de_C%C3%B3rdova

– Ver Santa Natália de Córdova “…Natália ou Sabagota (Córdovac. 825 — Córdova, 27 de julho de 852), como era chamada, é uma da santas da Igreja Católica. Por se ter convertido à fé cristã, sofreu o martírio durante a perseguição muçulmana em Córdova em 852.

Ela e seu marido Aurélio haviam-se convertido ao cristianismo, o qual practivam na clandestinidade juntamento com seus familiares Félix e Liliana. Certo dia Aurélio testemunha o martírio de um cristão, o que levá-lo-ia a passar a professar abertamente a sua fé; no seguimento do que, Natália, Aurélio, Félix e Liliana, juntamente com um monge chamado Jorge, foram condenados à morte e executados.[1][2]: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nat%C3%A1lia_de_C%C3%B3rdova

11*.    Com ele se co­me­moram os santos bispos Go­razdo, Nahum, Sabas e An­ge­lário, que con­ti­nu­aram na Bul­gária a obra dos santos Ci­rilo e Metódio. († s. IX-X)

12*.   No ce­nóbio de Garsten, na Es­tíria, na ho­di­erna Áus­tria, o Beato Ber­toldo, abade, ao qual ti­nham fácil acesso os pe­ni­tentes em busca de con­selho e todos os que pro­cu­ravam auxílio. († 1142).

– Ver página 381: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver “… Berthold levava uma vida comum de monge, dividindo seu tempo entre a oração, o estudo e o trabalho da casa; mas esta vida foi projetada para ser um meio de santidade, e por ela Berthold se tornou um santo: em segredo ele levou uma vida de grande penitência, ele nunca comeu carne ou peixe, e passou horas de sua curta noite em orações privadas. Pessoas vinham de longe para ouvi-lo pregar e pedir sua bênção; e é particularmente interessante notar, em vista do período em que viveu, que o zelo de Berthold se manifestava especialmente ao ouvir confissões, tanto de seus próprios religiosos quanto de leigos.

A vida completa de Bd Berthold que possuímos foi escrita cerca de vinte anos após sua morte e foi impressa com muito material ilustrativo na Acta Sanctorum, julho, vol. VI…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly27.html

13*.   Em Pi­a­cenza, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, o Beato Rai­mundo Pal­mério, pai de fa­mília, que, de­pois de mor­rerem a es­posa e os fi­lhos, fundou um hos­pício para aco­lher os pobres. († 1200)

14*.   Em Fa­enza, também na Emília-Ro­manha, o Beato Ne­vo­lone, cé­lebre pelas suas pe­re­gri­na­ções re­li­gi­osas, aus­te­ri­dade de vida e ob­ser­vância eremítica. († 1280).

Ver Bem-aventurado Nevolon, operário, às páginas 373-375:   http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também “… 1280 – Bem-aventurado Nevolo de Faenza. Ele se casou e levou uma vida frívola até aos 24 anos de idade, ele experimentou uma conversão completa. Ele se tornou o primeiro terciário franciscano e mais tarde entrou no mosteiro camaldulense de San Maglorio em Faenza como irmão leigo (beneditinos).OSB Cam. O Eremita (AC) Cultus aprovado em 1817. Nevolo era sapateiro de profissão…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly27.html

15*.   Em Amélia, na Úm­bria, também re­gião da Itália, a Beata Lúcia Bu­fa­lári, virgem, irmã de São João de Riéti, das Oblatas da Ordem de Santo Agos­tinho, ilustre pela sua pe­ni­tência e zelo das almas. († c. 1350)

16*.   Em Staf­ford, na In­gla­terra, o Beato Ro­berto Sutton, pres­bí­tero e mártir, que, no rei­nado de Isabel I, foi en­for­cado por causa do sacerdócio. († 1588)

17*.   Em Be­au­maris, no País de Gales, o Beato Gui­lherme Da­vies, pres­bí­tero e mártir, que, na mesma per­se­guição, por causa do sa­cer­dócio, de­pois de orar pelos pre­sentes, so­freu o mesmo suplício. († 1593)

18*.   Em Bréscia, na Lom­bardia, re­gião da Itália, a Beata Maria Ma­da­lena Martinengo (também na Folhinha do Coração de Jesus), aba­dessa da Ordem das Cla­rissas Ca­pu­chi­nhas, in­signe pela sua abstinência. († 1737)

19♦.   Em San Giórgio a Cre­mano, ci­dade da pro­víncia de Ná­poles, na Itália, a Beata Maria da Paixão de Nosso Se­nhor Jesus Cristo (Maria da Graça Ta­rallo), re­li­giosa da Con­gre­gação das Re­li­gi­osas Cru­ci­fi­cadas Ado­ra­doras da Eucaristia. († 1912)

20*.   Em Ol­leria, po­vo­ação da pro­víncia de Va­lência, na Es­panha, o Beato Jo­a­quim Vi­la­nova Camallonga, pres­bí­tero e mártir, que, em tempo de per­se­guição contra a fé, al­cançou a glória celeste. († 1936)

21*.   Em Llisà, lo­ca­li­dade pró­xima de Bar­ce­lona, também na Es­panha, o Beato Mo­desto Vegas Vegas, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Con­ven­tuais e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição contra a fé, der­ramou o seu sangue por Cristo. († 1936)

22*.   Em Bar­ce­lona, também na Es­panha, os be­atos Fi­lipe Her­nández Martínez, Za­ca­rias Abadia Buesa e Jaime Ortiz Alzueta, re­li­gi­osos da So­ci­e­dade Sa­le­siana e már­tires, que na mesma per­se­guição so­freram o martírio. († 1936)

23♦.   Em Gua­da­la­jara, também na Es­panha, o Beato André Ji­ménez Galera, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que con­sumou glo­ri­o­sa­mente o com­bate da fé du­rante a mesma per­se­guição religiosa. († 1936)

24♦.   Em Las “emes” de Be­lin­chón, perto de Cu­enca, também na Es­panha, os be­atos már­tires An­tolin As­torga Díaz, Hen­rique Ber­nar­dino Fran­cisco Serra Chorro, José Au­rélio Cal­leja del Hi­erro e José Gu­tiérrez Arranz, pres­bí­teros da Ordem de Santo Agos­tinho; e Vi­cente To­le­dano Valenciano, pres­bí­tero da di­o­cese de Cu­enca, que pas­saram à glória ce­leste de­pois de terem dado um in­que­bran­tável tes­te­munho de fé em Cristo. († 1936)

25♦.   Em Mu­nera, na pro­víncia de Al­ba­cete, também na Es­panha, o Beato Bar­to­lomeu Ro­drí­guez Sória, pres­bí­tero da di­o­cese de Al­ba­cete e mártir, que na mesma per­se­guição re­li­giosa ter­minou vi­to­ri­o­sa­mente o com­bate da fé. († 1936)

26♦.   Em To­ledo, também na Es­panha, o Beato Jo­a­quim de la Ma­drid Arespacochaga, pres­bí­tero da di­o­cese de To­ledo e mártir, que deu o su­premo tes­te­munho de Cristo du­rante a mesma per­se­guição contra a fé cristã. († 1936)

27♦.   Em Bal­sareñy, ci­dade da Ca­ta­lunha, também na Es­panha, os be­atos Fran­cisco Magino (An­tónio Tost Lla­veria) e Rai­mundo Elói (Nar­ciso Serra Ro­vina), re­li­gi­osos da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e már­tires, que, pelo com­bate do mar­tírio, al­can­çaram a im­pe­re­cível coroa de glória. († 1936)

28♦.   Em San Fru­tuoso de Bages, lo­ca­li­dade da Ca­ta­lunha, também na Es­panha, o Beato Ho­nesto Maria (Fran­cisco Pujol Es­pi­nalt), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que, na mesma per­se­guição, foi as­sas­si­nado por causa da sua fé. († 1936)

29♦.   Em Vall­vi­drera, na Ca­ta­lunha, também na Es­panha, as be­atas Rai­munda Fossas Romans, Adelfa Soro Bó, Te­resa Prats Marti, Otília Alonso González e Rai­munda Per­ramón Vila, vir­gens da Con­gre­gação das Irmãs Do­mi­ni­canas da Anun­ciata e már­tires, que, de lâm­padas acesas, foram dignas de en­trar na ceia eterna de Cristo Esposo. († 1936)

30*.   Em Aus­chwitz, pró­ximo de Cra­cóvia, na Po­lónia, a Beata Maria Cle­mente de Jesus Cru­ci­fi­cado (He­lena Stas­zewska), virgem da Ordem de Santa Úr­sula e mártir, que, du­rante o furor da guerra, foi en­car­ce­rada no de­su­mano campo de ex­ter­mínio, onde morreu ví­tima dos tor­mentos su­por­tados pela fé cristã. († 1943)

31. São Lourenço, bispo e confessor. Ver página 380: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf  

32. São Teobaldo de Marly (27 de julho ou 08 de julho). Ver “São Teobaldo de Marly (em francês: Saint Thibaut, Thibault, Thiébaut) (falecido em 8 de dezembro de 1247) foi um abade francês e santo. Ele nasceu no castelo de Marly, em Montmorency, e foi treinado como cavaleiro. Ele serviu como um cavaleiro na corte de Filipe Augusto, embora mais tarde, ele entrou para o ordem de Cister, mosteiro de Vaux-de-Cernay , em 1220. Ele foi eleito prior em 1230 e nono abade, em 1235.[1] Ele era tido em alta estima pelo Luís IX.[2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Teobaldo_de_Marly

33. São Clemente de Ocrida (na Wikipedia de 08 de dezembro, dizendo que sua festa litúrgica é 27 de julho e 25 de novembro (calendário gregoriano) e 9 de agosto e 8 de dezembro (calendário juliano)) “Clemente de Ocrida (em antigo eslavo eclesiástico: Климє́нтъ Охрїдьскъ; em búlgaro: Свети Климент Охридски), também conhecido como Clemente de Ohrid, foi um escritor e estudioso búlgaro reconhecido como santo pelo seu papel como missionário entre os eslavos.[6][7][8][9][10] Ele foi o mais importante discípulo dos irmãos e santos Cirilo e Metódio e é geralmente associado aos dois como criador do alfabeto glagolítico, um antecessor do alfabeto cirílico, especialmente por tê-los tornado popular entre os eslavos recém-cristianizados. Ele foi o fundador da Escola Literária de Ocrida e é considerado como o patrono da educação e da língua por algumas nações eslavas. Além disso, ele é também considerado como sendo o primeiro bispo da Igreja Ortodoxa Búlgara,[11][12] um dos sete apóstolos do Império Búlgaro, o padroeiro da Macedónia do Norte, da cidade de Ocrida[3] e da Igreja Ortodoxa Macedônica.[4]”: Clemente de Ocrida – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

34.No campo de con­cen­tração de Da­chau, pró­ximo de Mu­nique, na Ale­manha, o Beato Tito Brandsma, pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas e mártir, de origem ho­lan­desa, que, por de­fender a Igreja e a dig­ni­dade do homem, su­portou se­re­na­mente todo o gé­nero de ve­xames e tor­turas, ma­ni­fes­tando um exemplo de exímia ca­ri­dade, tanto para com os seus com­pa­nheiros de prisão como para com os pró­prios algozes. († 1942).

– Ver também “… Anno Sjoerd Titus Brandsma (Bolsward23 de fevereiro de 1881 — Dachau26 de julho de 1942) foi um religioso católico neerlandês… Depois de ser mantido prisioneiro em ScheveningenAmersfoort e Kleve, Brandsma foi transferido para o Campo de concentração de Dachau, chegando lá em 19 de junho. Sua saúde rapidamente piorou e ele foi transferido para o hospital do campo. Ele morreu em 26 de julho de 1942, de uma injeção letal administrada por uma enfermeira [12] da Allgemeine SS, como parte de seu programa de experimentação médica nos prisioneiros[2]… Brandsma é homenageado como um mártir dentro da Igreja Católica Romana. Ele foi beatificado em 3 de novembro de 1985 pelo Papa João Paulo II. Seu dia de festa é celebrado na Ordem Carmelita em 27 de julho…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Titus_Brandsma

– Ver também 26 de julho

35. Outros santos do dia 27 de JULHO, páginas: 373-383

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-

%2013.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santase Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 27 de julho, ver ainda: 27 de julho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  582-585: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes,sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly27.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica apóso Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 26 de julho

PRIMEIRO DOMINGO DE JULHO: DIA MUNDIAL DOS AVÓS E DOS IDOSOS

“Eu estou contigo todos os dias”

Queridos avôs, queridas avós!

“Eu estou contigo todos os dias” (cf. Mt 28, 20) é a promessa que o Senhor fez aos discípulos antes de subir ao Céu; e hoje repete-a também a ti, querido avô e querida avó. Sim, a ti! «Eu estou contigo todos os dias» são também as palavras que eu, Bispo de Roma e idoso como tu, gostaria de te dirigir por ocasião deste primeiro Dia Mundial dos Avós e dos Idosos: toda a Igreja está solidária contigo – ou melhor, conosco –, preocupa-se contigo, ama-te e não quer deixar-te abandonado. Conforme: http://divinaprovidencia.org.br/noticias/2021/07/23/mensagem-do-papa-francisco-para-o-dia-mundial-dos-avos-e-dos-idosos/

– Ver também “… Penitenciaria Apostólica: Indulgência Plenária no 1° Dia Mundial dos Avós e dos Idosos

Receberão a Indulgência Plenária os avós, idosos e todos os fiéis que participarem no dia 25 de julho de 2021, Primeiro Dia Mundial dos Avós e dos Idosos, da solene celebração que o Papa Francisco presidirá na Basílica de São Pedro ou das diversas funções que ocorrerão em todo o mundo…”: https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2021-06/penitenciaria-apostolica-indulgencia-plenaria-avos-idosos.html

SANTAS E SANTOS DE 26 DE JULHO

1. Me­mória de São Jo­a­quim e Santa Ana (também na Folhinha do Coração de Jesus), pais da Ima­cu­lada Virgem Mãe de Deus, cujos nomes foram con­ser­vados pelas an­tigas tra­di­ções cristãs.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória dos Santos Joaquim e Ana, herdeiros das Aliança das Promessas de Israel, de quem nasceu a Virgem Maria, Mãe de Deus. O culto de Sant’Ana desenvolve-se particularmente na Bretanha, desde as aparições em Auray, em 1623 (R).

– Ver páginas 361-368: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

Ver também São Joaquim, página 15: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf  

Ver também “…São Joaquim (latimIoachim, e este do hebraicoPreparação de Javé) (Jerusalém88 a.C.8 a.C.) foi pai da Virgem Maria e avô de Jesus Cristo

São Joaquim pertencia à família real de Davi, e era parente próximo de São José, sendo que os padres bolandistas, que dirigiram a publicação da Acta Sanctorum de 1643 a 1794, afirmam em seus estudos que São Joaquim era irmão de São José.

Os estudiosos e historiadores afirmam com base em documentos antigos que Joaquim, cujo nome vem do hebraico e significa “preparação de Javé”, era um homem de posses, descendente direto do rei Davi e parente próximo de São José, que veio a ser esposo de Maria e pai terreno de Jesus…”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/São_Joaquim

– Ver também “… Santa Ana ou Sant’Ana (do latim Anna, por sua vez do hebraico transliterado Hannah, “Graça”) foi mãe de Maria, avó de Jesus Cristo

Sant’Ana, cujo nome em hebraico significa graça, pertencia à família do sacerdote Aarão e seu marido, São Joaquim, pertencia à família real de DaviSão João Damasceno, ao escrever sobre o Natal, deixa claro que São Joaquim e Santa Ana são os pais de Maria…”:

https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ana,_mãe_de_Maria

– Ver ainda “Dia dos Avós No Brasil, em Portugal e em Espanha[1], o Dia dos Avós é comemorado a 26 de julho, tendo sido esta data escolhida por referência à comemoração do dia de Santa Ana e São Joaquim, que, segundo a tradição da igreja católica e evangelhos apócrifos (não reconhecidos como legítimos)[carece de fontes] seriam pais de Maria e portanto avós de Jesus Cristo. Embora, nos evangelhos oficiais, que compõem originalmente a Bíblia, a genealogia de Maria não seja descrita.

De notar que a celebração brasileira é tida como tendo origem em Portugal, mas esta data não é observada na esfera portuguesa. [2][3][4]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_dos_Av%C3%B3s

2.   Co­me­mo­ração de Santo Erasto, que era te­sou­reiro na ci­dade de Co­rinto e se tornou au­xi­liar no mi­nis­tério do Após­tolo São Paulo.

Ver páginas 369-370: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf  

3.   No mos­teiro de São Bento Pó, pró­ximo de Mântua, na Itália, São Si­meão, monge e eremita.

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na região de Mântua, na Itália, no ano de 1016, São Simeão, eremita, cujos diversos milagres atestaram sua santidade. (M) († 1016)

4*.   Em Auch, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, Santo Aus­tindo, bispo, a quem se deve a cons­trução da ca­te­dral, a re­forma dos cos­tumes do povo e a edi­fi­cação da casa de Deus. († 1068)

5*.   Em Ve­rona, hoje no Vé­neto, re­gião da Itália, os be­atos Evan­ge­lista e Pe­re­grino, presbíteros. († s. XII-XIII)

6*.   Em Sas­so­fer­rato, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, o Beato Hugo de Áctis, monge da Con­gre­gação dos Sil­ves­trinos da Ordem de São Bento. († 1250)

7*.   Em San Se­ve­rino, também na re­gião das Marcas, a Beata Ca­mila Gen­tíli, mártir, que foi as­sas­si­nada pelo seu ímpio esposo. († s. XIV/XV)

8*.   Em Ga­teshead, pró­ximo de New­castle-on-Tyne, na In­gla­terra, o Beato João In­gram, pres­bí­tero e mártir, que, de origem in­glesa, foi or­de­nado na Ba­sí­lica de La­trão e exerceu o mi­nis­tério sa­cer­dotal na Es­cócia, até que, tendo atra­ves­sado a fron­teira da In­gla­terra, no rei­nado de Isabel I foi con­de­nado à morte e en­for­cado por causa do sacerdócio. († 1594)

9*.   Em Dar­lington, também na In­gla­terra, o Beato Jorge Swal­lowell, mártir, que, no mesmo ano, foi con­de­nado à morte por se ter re­con­ci­liado com a Igreja ca­tó­lica e, apesar de for­te­mente ater­ro­ri­zado com as cruéis tor­turas dos ini­migos, for­ta­le­cido pela fé, aceitou por Cristo os mais atrozes tormentos. († 1594)

– Ver “… 1594 – O beato George Swallowell e John Ingram convertidos ao catolicismo, martirizados por seu sacerdócio MM (AC). Beatificados em 1929. O ministro protestante e professor de escola George Swallowell nasceu perto de Durham. Ele foi condenado e executado em Darlington, por ter se reconciliado com a Igreja. Na mesma época, em Gateshead, o padre John Ingram, outro convertido ao catolicismo, foi martirizado por seu sacerdócio. O Padre Ingram nasceu em Stoke Edith, Herefordshire, converteu-se à fé, estudou no New College, Oxford, e depois se preparou para a ordenação em Rheims e Roma. Ele foi ordenado sacerdote em 1589 e trabalhou na Escócia até sua morte (Beneditinos).”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly26.html

10*.   Em Len­castre, também na In­gla­terra, os be­atos Edu­ardo Thwing, da Ordem dos Pre­ga­dores, e Ro­berto Nutter, pres­bí­teros e már­tires, que, de­pois de terem re­a­li­zado muitos tra­ba­lhos na vinha do Se­nhor, con­de­nados à morte por serem sa­cer­dotes, con­su­maram o seu glo­rioso mar­tírio no rei­nado de Isabel I. († 1600)

11*.   Em Lon­dres, também na In­gla­terra, o Beato Gui­lherme Webster, pres­bí­tero e mártir, que, de­pois de ter exer­cido o mi­nis­tério du­rante mais de vinte anos em di­versas pri­sões, no rei­nado de Carlos I, por ordem do par­la­mento, foi en­car­ce­rado por causa do sa­cer­dócio e con­sumou o mar­tírio no pa­tí­bulo de Tyburn. († 1641)

12*.   Em Phu Yen, no Anam, hoje no Vi­etnam, o Beato André, mártir, que era ca­te­quista, quando, na per­se­guição contra a dou­trina cristã foi im­pi­a­mente cap­tu­rado pelos sol­dados e der­ramou o seu sangue por Cristo, como pri­mí­cias da Igreja nesta terra. († 1644)

13*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, os be­atos Mar­celo Gau­chério La­bigne de Regnefort, da So­ci­e­dade das Mis­sões, e Pedro José Le Groing de La Romagère, pres­bí­teros e már­tires, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, foram cap­tu­rados – o pri­meiro na re­gião de Li­moges, o se­gundo na re­gião de Bourges – e en­car­ce­rados em con­di­ções de­su­manas em ódio à sua re­li­gião. Mor­reram con­su­midos pela exaustão e enfermidade. († 1794)

14*.   Em Orange, também na França, as be­atas Maria Mar­ga­rida Bonnet (Santo Agos­tinho) e quatro com­pa­nheiras, vir­gens da Ordem de Santa Úr­sula, que so­freram o mar­tírio na mesma perseguição. São estes os seus nomes: Maria Ma­da­lena de Jus­ta­mont (Ca­ta­rina de Jesus), Ana Car­tier (São Ba­sílio),  Maria Clara du Bac (Clara de Santa Ro­sália), Isabel Te­resa Con­solin (Co­ração de Jesus). († 1794)

15.   Em Ló­vere, na Lom­bardia, re­gião da Itália, Santa Bar­to­lo­meia Capitânio, que, jun­ta­mente com Santa Vi­centa Ge­rosa, fundou o Ins­ti­tuto da Ca­ri­dade de Maria Me­nina e morreu aos vinte e sete anos de idade, ví­tima da tu­ber­cu­lose e exausta pelo zelo da caridade. († 1833)

16*.   Em Mo­tril, pró­ximo de Gra­nada, no li­toral da Es­panha, os be­atos Vi­cente Pi­nilla, da Ordem dos Agos­ti­nhos Re­co­letos, e Ma­nuel Martin Sierra, pres­bí­teros e már­tires, que no dia se­guinte ao mar­tírio de cinco com­pa­nheiros, foram ar­re­ba­tados da igreja e fuzilados. († 1936)

17♦.   Em Vil­la­nueva del Ar­zo­bispo, na An­da­luzia, também na Es­panha, o Beato Ma­riano de São José (Tiago Al­to­la­guirre Al­to­la­guirre), pres­bí­tero da Ordem da San­tís­sima Trin­dade e mártir, que, na mesma per­se­guição, me­receu re­ceber a su­blime palma da glória celeste. († 1936)

18♦.   Em Cas­tell­gali, na Ca­ta­lunha, também na Es­panha, as be­atas Re­gi­nalda Picas Planas e Rosa Jut­glar Gallart, vir­gens da Con­gre­gação das Irmãs Do­mi­ni­canas da Anun­ciata e már­tires, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, foram en­car­ce­radas e de­pois as­sas­si­nadas por causa da sua fi­de­li­dade a Cristo Esposo. († 1936)

19*.   No campo de con­cen­tração de Da­chau, pró­ximo de Mu­nique, na Ale­manha, o Beato Tito Brandsma, pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas e mártir, de origem ho­lan­desa, que, por de­fender a Igreja e a dig­ni­dade do homem, su­portou se­re­na­mente todo o gé­nero de ve­xames e tor­turas, ma­ni­fes­tando um exemplo de exímia ca­ri­dade, tanto para com os seus com­pa­nheiros de prisão como para com os pró­prios algozes. († 1942). Ver também “… Anno Sjoerd Titus Brandsma (Bolsward23 de fevereiro de 1881 — Dachau26 de julho de 1942) foi um religioso católico neerlandês… Depois de ser mantido prisioneiro em ScheveningenAmersfoort e Kleve, Brandsma foi transferido para o Campo de concentração de Dachau, chegando lá em 19 de junho. Sua saúde rapidamente piorou e ele foi transferido para o hospital do campo. Ele morreu em 26 de julho de 1942, de uma injeção letal administrada por uma enfermeira [12] da Allgemeine SS, como parte de seu programa de experimentação médica nos prisioneiros[2]… Brandsma é homenageado como um mártir dentro da Igreja Católica Romana. Ele foi beatificado em 3 de novembro de 1985 pelo Papa João Paulo II. Seu dia de festa é celebrado na Ordem Carmelita em 27 de julho…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Titus_Brandsma

20♦.   Em Cen­to­nara D´Artò, lo­ca­li­dade da pro­vínvia de No­vara, na Itália, a Beata Maria Pi­e­rina de Micheli (Jo­se­fina Maria de Mi­cheli), virgem do Ins­ti­tuto das Fi­lhas da Ima­cu­lada Con­ceição de Bu­enos Aires. († 1945)

21*.   Em La Va­letta, na ilha de Malta, São Jorge Preca, pres­bí­tero, que se de­dicou ar­do­ro­sa­mente à for­mação ca­tequé­tica dos jo­vens e fundou a So­ci­e­dade da Dou­trina Cristã para dar tes­te­munho da acção pro­vi­den­cial da pa­lavra de Deus entre o povo. († 1962)

22. São Pastor (também na Folhinha do Coração de Jesus.

– Ver página 370: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também “… Em Alcalá, na Espanha, os santos mártires Justus e Pastor, irmãos. Quando ainda eram meninos de escola, jogaram seus livros de lado na escola e espontaneamente correram para o martírio. Por ordem do governador Dacian, eles foram presos, espancados com varas e, conforme se exortavam uns aos outros à constância, foram conduzidos para fora da cidade e tiveram suas gargantas cortadas pelo carrasco...”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly26.html

23. Outros santos do dia 26 de JULHO, páginas: 348-372

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-

%2013.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santase Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 26 de julho, ver ainda: 26 de julho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  578-581: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes,sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-

%201.pdf

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica apóso Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santos e Santos de 25 de julho

1. Festa de São Tiago (também na Folhinha do Coração de Jesus), Após­tolo, filho de Ze­bedeu e irmão de São João Evan­ge­lista, que, com Pedro e João foi tes­te­munha da trans­fi­gu­ração do Se­nhor e da sua agonia. Pró­ximo da festa da Páscoa, de­ca­pi­tado por He­rodes An­tipas, foi o npri­meiro dos Após­tolos a re­ceber a coroa do martírio.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, festa de São Tiago Maior, Apóstolo. Com Pedro e seu irmão João foi testemunha privilegiada da Transfiguração e da agonia do Senhor. Segundo os Atos dos Apóstolos, foi o primeiro dentre os doze a oferecer a vida pelo Evangelho, perto da Páscoa de 44. São Tiago, especialmente venerado em Compostela por toda a cristandade, é o padroeiro da Espanha.

– Ver páginas 313-339: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também “… Santiago Maior, também chamado de Santiago Filho do Trovão (Boanerge)Tiago, filho de Zebedeu e Santiago Apóstolo o Maior[1]martirizado no ano 44, foi um dos doze apóstolos de Jesus Cristo. Foi feito santo e chamado Maior (mais velho) para o diferenciar de outro discípulo de Jesus de mesmo nome, conhecido como Santiago Menor (mais jovem) e também de Tiago, o Justo, sendo estes últimos possivelmente a mesma pessoa: Tiago, menor; Tiago, o justo; e Tiago, irmão do Senhor… Os nomes Tiago e Jaime derivam indirectamente do latim Iacobus, por sua vez uma latinização do nome hebraico Ya’akov (aportuguesado em “Jacó“) e da sua associação Sanctus Iacopus.

Com o decorrer do tempo, o nome evoluiu em diversas direcções consoante as línguas: manteve-se Jakob em alemão e noutras línguas nórdicas, James em inglêsGiacomo em italiano e Jacques em francês”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Santiago_Maior

– Ver também “… São Tiago, irmão de São João Evangelista, filho de Zebedeu, foi chamado de Maior para o distinguir do outro apóstolo de mesmo nome, apelidado de Menor por ser o mais jovem. São Tiago Maior era galileu de nascimento e pescador de comércio com o pai e o irmão, provavelmente morando em Betsaida, onde também morava São Pedro… Este Tiago, às vezes chamado de Tiago, o Maior, não deve ser confundido com o autor da Carta de Tiago e líder da comunidade de Jerusalém…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly25.html

2.   Em Lícia, na ac­tual Tur­quia, São Cris­tóvão (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir. († data inc.).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, São Cristóvão, martirizado em meados do séc. II. Seu culto é comprovado desde o séc. V, na Bitínia, onde uma basílica lhe foi dedicada. Seu nome, que significa “o que carrega Cristo”, designou-o como protetor de todos aqueles que utilizam meios de transporte. (M). Ver páginas 341-343: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também “… São Cristóvão (em grego: Άγιος Χριστόφορος, em latim: Christophorus) é um santo venerado por Católicos RomanosOrtodoxos e Umbandistas (no sincretismo afro-brasileiro).

Considerado um mártir cristão, São Cristóvão foi morto durante o reinado de Décioimperador romano do século III.[1][2] Apesar de ser um dos santos mais populares do mundo, muito pouco se sabe ao certo sobre sua vida.[3]

São Cristóvão é venerado em 9 de março na Grécia, em 9 de maio pela Igreja Ortodoxa, em 16 de novembro em Cuba e em 10 de julho em algumas localidades da Espanha.[1] O Calendário Tridentino da Igreja Católica permitia a celebração de São Cristóvão no dia 25 de julho, apenas em missas privadas. Esta restrição foi removida mais tarde. Apesar da Igreja Católica ainda aprovar a devoção a ele, o listando entre os mártires romanos venerados em 25 de julho,[4] ela removeu seu dia festivo do calendário católico de santos em 1969. Na época, a igreja declarou que a celebração não era de tradição romana, tendo em vista sua adesão tardia (por volta do ano de 1550) e limitada ao calendário romano.[5]

A Igreja Católica argumenta que quase nada de histórico é conhecido sobre a vida e a morte de São Cristóvão,[6] apesar de várias lendas serem atribuídas a ele. A mais popular se origina da Legenda Áurea, uma compilação de histórias de santos do século XIII”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Crist%C3%B3v%C3%A3o_da_L%C3%ADcia

3.   Em Bar­ce­lona, na His­pânia Tar­ra­co­nense, São Cu­cu­fate, mártir, que, tres­pas­sado por uma es­pada du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Di­o­cle­ciano, subiu vi­to­rioso para ao Céu. († s. IV).     

Ver São Cocufás, mártir à página 340: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também “… São Cucufate (CucufasQaqophas, Cocoba(s); em catalãoCugatCulgat, ou Cougat; em francêsCucuphatCucufa, Cucuphat, Quiquenfat; em galegoCovade, Cobad; em gascãoCophan; em asturiano: ‘Cucao) (m. 304) foi um mártir que viveu no território da actual Espanha. A sua festividade é em 25 de julho, mas em algumas zonas é celebrado em 27 de julho para evitar a sobreposição com o dia festivo de Santiago, o santo patrono da Espanha. O seu nome é dito ser de origem fenícia significando “o que brinca, o que gosta de brincar.”[1]. Outra corrente defende que etimologicamente, “cucufa” significa “poupa” (em copta cacupat ou cucufat, em grego kukupha, e em latim upupa)…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cucufate_(santo)

4.   Em Ce­sa­reia, na Pa­les­tina, os santos Va­len­tina (também na Folhinha do Coração de Jesus), Teia e Paulo, már­tires na per­se­guição do im­pe­rador Ma­xi­miano, sob a pre­fei­tura de Fir­mi­liano. A virgem Va­len­tina, de­pois de ter der­ru­bado a ara le­van­tada para os ídolos pa­gãos, jun­ta­mente com a virgem Teia, so­freu cruéis tor­turas e, lan­çada ao fogo, correu ao en­contro do Es­poso. Paulo, con­de­nado à morte, tendo con­se­guido um breve tempo para orar, im­plorou de todo o co­ração a sal­vação de todos e, de­ca­pi­tado, re­cebeu a coroa do martírio. († 308).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Palestina, no início do séc. IV, na Palestina, o martírio de São Paulo e das Santas Valentina e Téa, virgens. No momento de sua morte, Paulo “pediu a Deus a reconciliação e a liberdade para os cristãos. Implorou, a seguir, pela ascensão dos judeus a Deus por meio de Cristo. Finalmente, pediu ao Deus do universo que não considerasse a falta de seus carrascos”. (M)

5.   Em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, o pas­sa­mento de Santa Olim­píades (Olimpiade), viúva, que, tendo per­dido o es­poso ainda jovem, passou pi­e­do­sís­si­ma­mente o resto da sua vida em Cons­tan­ti­nopla entre as mu­lheres con­sa­gradas a Deus, aju­dando os po­bres e per­ma­neceu sempre fiel co­la­bo­ra­dora de São João Cri­sós­tomo, também no seu exílio. († 408)

6.   Em Tré­veris, na Re­nânia da Aus­trásia, na ac­tual Ale­manha, São Mag­ne­rico, bispo, que foi dis­cí­pulo de São Ni­cécio, fiel com­pa­nheiro no seu exílio e imi­tador do seu zelo pas­toral quando lhe su­cedeu no episcopado. († c. 596).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no fim do séc. VI, São Magnérico, bispo de Treves, que exerceu grande influência na corte da Austrásia e soube formar pastores de grande valor. (M).

– Ver página 344: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

7*.   Também em Tré­veris, os santos Beato e Banto, pres­bí­teros, que le­varam vida ere­mí­tica no tempo de São Magnerico. († s. VI-VII)

8*.   Em Metz, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, Santa Glo­de­sinda, abadessa. († s. VI).

– Ver Santa Glossinda, páginas 310-312: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

9.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, São Te­o­de­miro, monge de Car­mona e mártir ainda jovem du­rante a per­se­guição dos Mouros. († 851)

10*.   Em An­gers, na França, o Beato João So­reth, pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas, que ele con­duziu a uma ob­ser­vância mais es­treita e dotou de con­ventos de monjas. († 1471)

11*.   Em Ca­me­rino, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, o Beato Pedro Cor­ra­dini de Molliano, pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, in­signe pela sua pre­gação evan­gé­lica, pelas suas vir­tudes e pela fama dos seus milagres. († 1490).

– Ver Bem-Aventurado Pedro de Mogliano, confessor, página 345: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf 

12*.   Em Sal­sete, na Índia, os be­atos már­tires Ro­dolfo Acquaviva, Afonso Pa­checo, Pedro Berna, An­tónio Fran­cisco, pres­bí­teros, e Fran­cisco Aranha, re­li­gioso, todos da Com­pa­nhia de Jesus, que foram mortos pelos in­fiéis por terem exal­tado a cruz. († 1583)

13*.   Em Bo­bino, na Apúlia, re­gião da Itália, o Beato An­tónio Lúcci, bispo, da Ordem dos Frades Me­nores Con­ven­tuais, que res­plan­deceu pela sua emi­nente dou­trina e se de­dicou de tal modo a so­correr os po­bres que es­quecia as suas pró­prias necessidades. († 1752)

14*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Mi­guel Luís Brulard, pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, foi en­car­ce­rado em de­su­manas con­di­ções por ser sa­cer­dote e morreu con­su­mido pela en­fer­mi­dade. († 1794)

15*.   Em Ma­drid, na Es­panha, Santa Maria do Carmo Sallés y Barangueras, virgem, que fundou a Con­gre­gação das Irmãs da Ima­cu­lada Con­ceição, para a for­mação das mu­lheres pi­e­dosas e incultas. († 1911).

– Ver “… Santa Maria do Monte Carmelo (Carmen Sallés y Barangueras) (Vic, Barcelona 11 de abril de 1848 – Madrid25 de abril de 1913) foi uma religiosa católica espanhola, fundadora da congregação denominada “Religiosas Concepcionistas Misioneras de la Enseñanza” (Religiosas Concecionistas Missionárias do Ensino). Tomou o nome de Maria do Monte Carmelo.

Estou na Companhia de Maria em Manresa.

Declarada venerável em 1996, foi beatificada em 15 de março de 1998 pelo Papa João Paulo II e canonizada pelo Papa Bento XVI em 21 de outubro de 2012.[1] A sua festa litúrgica é em 25 de julho…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Carmen_Sall%C3%A9s_y_Barangueras

16♦.   Em Vera Cruz, no Mé­xico, o Beato Ân­gelo Dario Acosta Zurita, pres­bí­tero de Ve­ra­cruz (Mé­xico) e mártir. († 1931)

17*.   Em Urda, pró­ximo de To­ledo, na Es­panha, os be­atos már­tires Pedro do Co­ração de Jesus (Pedro Largo Re­dondo), pres­bí­tero e Bento de Nossa Se­nhora de Villar (Bento So­lano Ruiz), re­li­gi­osos da Con­gre­gação da Paixão, que, fu­zi­lados por causa da sua fé cristã du­rante a grande per­se­guição, al­can­çaram a palma do martírio. († 1936)

18.   Em Ta­la­vera de la Reina, pró­ximo de To­ledo, também na Es­panha, os be­atos már­tires Fre­de­rico (Carlos Fre­de­rico Rúbio Ál­varez), pres­bí­tero, Primo Mar­tínez de San Vi­cente Castillo, Je­ró­nimo Ochoa Ur­dan­garin e João da Cruz (Elói Fran­cisco Del­gado Pastor), re­li­gi­osos, todos da Ordem Hos­pi­talar de São João de Deus, que, na mesma per­se­guição, num jul­ga­mento su­mário, al­can­çaram a coroa de glória. († 1936)

19*.   Em Monzon, lo­ca­li­dade pró­xima de Hu­esca, também na Es­panha, o Beato Di­o­nísio Pam­plona Polo, pres­bí­tero da Ordem dos Clé­rigos Re­grantes das Es­colas Pias e mártir, as­sas­si­nado no mesmo tempo em ódio à fé cristã. († 1936)

20*.   Em Mo­tril, lo­ca­li­dade pró­xima de Gra­nada, no li­toral da Es­panha, os be­atos De­o­grá­cias Pa­lá­cios, Leão In­chausti, José Rada, Ju­lião Mo­reno, pres­bí­teros, e José Díez Rodríguez, re­li­gioso, todos mi­li­tantes de Cristo na Ordem dos Agos­ti­nhos Re­co­letos, que, na mesma per­se­guição, foram ines­pe­ra­da­mente cer­cados pela mul­tidão e ime­di­a­ta­mente fu­zi­lados na praça pública. († 1936)

21♦.   Em Al­godor, perto de Ma­drid, também na Es­panha, os be­atos José Luís Pa­lácio Muñiz e An­tónio Va­rona Ortega, pres­bí­teros; Hi­gínio Roldán Ir­ri­bérri e João Crespo Calleja, re­li­gi­osos, todos da Ordem dos Pre­ga­dores e mártires. († 1936)

22♦.   Em Mont­cada, lo­ca­li­dade da Ca­ta­lunha, também na Es­panha, os be­atos már­tires Ga­briel da Anunciação (Jaime Bal­cells Grau) e Edu­ardo do Me­nino Jesus (Ri­cardo Farré Masip), pres­bí­teros da Ordem dos Car­me­litas Des­calços, e com­pa­nheiros. São estes os seus nomes: José Bento (José Más Pu­jo­bras), Vi­cente Jus­tino (Vi­cente Fer­nández Cas­trillo) e Ar­noldo Ju­lião (Jesus João Otero), re­li­gi­osos da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs; e Be­ne­dito José (José Bar­dalet Compte) e Ma­riano Leão (Santos López Mar­tínez), re­li­gi­osos da Con­gre­gação dos Ir­mãos Maristas. († 1936)

23♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, o Beato José López Tascón, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir. († 1936)

24*.   No campo de con­cen­tração de Dzi­al­dowo, na Po­lónia, a beata Maria Te­resa Kowalska, virgem das Cla­rissas Ca­pu­chi­nhas e mártir, que, no tempo da ocu­pação da Po­lónia du­rante a guerra, foi en­car­ce­rada por per­se­verar firme na fé e es­perou o seu úl­timo dia for­ta­le­cida pela sua plena con­fi­ança em Cristo. († 1941)

25. Outros santos do dia 25 de JULHO, páginas: 310-347

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-

%2013.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santase Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 25 de julho, ver ainda: 25 de julho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  574-578: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes,sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-

%201.pdf

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica apóso Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 24 de julho

1. Em Anaya, no Lí­bano, o dia natal de São Sar­bélio Makhluf (24 de dezembro, José Makhluf), cuja me­mória se ce­lebra no dia vinte e quatro de Julho. († 1898).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1898, a volta para Deus de São Charbel Makhlouf, maronita libanês. Após cerca de vinte anos de vida cenobítica, abraçou a vida eremitica, equilibrada entre a ascese, o trabalho e a pobreza, e completamente centrada na adoração e na comunhão eucarísticas. (X).

– Anotações de 24 de julho: São Sar­bélio Makhluf (José Makhluf) (Charbel Makhluf, também na Folhinha do Coração de Jesus de 24 de julho), pres­bí­tero da Ordem dos Ma­ro­nitas Li­ba­neses, que, ani­mado pelo de­sejo de aus­tera so­lidão e de mais alta per­feição, passou do ce­nóbio de Anaia, no Lí­bano, ao ermo, onde serviu a Deus dia e noite numa ri­go­rosa so­bri­e­dade de vida com je­juns e ora­ções. Des­cansou no Se­nhor no dia 24 de Dezembro. († 1898).

– Ver “… São Charbel Makhlouf, em árabe مار شربل‎ (Bekaa Kafra8 de maio de 1828 — Annaya24 de dezembro de 1898), foi um monge maronita libanês, declarado santo pela Igreja Católica”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Charbel_Makhlouf

2.   Em Bol­sena, na Tos­cana, ac­tu­al­mente no Lácio, re­gião da Itália, Santa Cris­tina (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem e mártir. († data inc.).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no início do séc. III, Santa Cristina. Uma tradição conta que, não acreditando que objeto inanimados e fabricados pelos homens fossem deuses, mas reconhecendo o Criador pela mediação das criaturas, quebrou os ídolos de metal precioso que pertenciam a seu pai e distribuiu seus pedaços aos pobres. Seu gesto, inspirado pela fé e pela caridade, foi recompensado com a coroa do martírio (M).

– Ver “… Cristina de Bolsena, também conhecida como Cristina de Tiro ou, na Igreja Ortodoxa como Cristina, a Grande Mártir[1] é uma cristã do século III venerada como mártir.

Escavações arqueológicas de um cemitério subterrâneo construído sob o seu túmulo mostraram que ela já era venerada em Bolsena no século IV…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cristina_de_Bolsena

3.   Em Ami­terno, na Sa­bina, junto à Via Sa­lária, também na Itália, São Vi­to­rino, mártir. († c. s. IV)

4*.   Em Tau­riana, na Ca­lá­bria, também na Itália, São Fan­tino o Velho, cha­mado o Taumaturgo. († s. IV)

5.   Na Te­baida, no Egipto, Santa Eu­frásia, virgem, que, pro­ce­dendo de uma nobre fa­mília se­na­to­rial, pre­feriu a vida ere­mí­tica no de­serto, sempre hu­milde, pobre e obediente. († s. V)

6*.   Em Ard­more, na pro­víncia de Munster, na Ir­landa, São De­clano, que é ve­ne­rado como pri­meiro bispo desta Igreja. († c. s. V)

7*.   No ter­ri­tório de Albi, na Aqui­tânia, hoje na França, Santa Si­go­lena, religiosa. († c. s. VI)

8.   Na Rússia, os santos Bóris e Gleb, már­tires, que, sendo prín­cipes ru­tenos e fi­lhos de São Vla­di­miro, pre­fe­riram aceitar a morte a re­sistir pela vi­o­lência contra o irmão Svi­a­to­polk: Boris al­cançou o mar­tírio junto ao rio Alta, pró­ximo de Pe­res­lavl; Gleb pouco tempo de­pois no rio Dni­eper, perto de Smolensk. († 1015)

9*.   Em Riéti, na Sa­bina, ac­tu­al­mente no Lácio, re­gião da Itália, São Bal­duíno (Baldovino), abade, que foi dis­cí­pulo de São Ber­nardo no mos­teiro de Cla­raval e por ele en­viado a esta ci­dade para aí fundar e di­rigir o ce­nóbio de São Mateus. († 1140)

10*.   Em Sint-Truiden, no Bra­bante, ac­tu­al­mente na Bél­gica, a Beata Cris­tina, virgem, de­no­mi­nada a Ad­mi­rável, porque nela, quer pelos so­fri­mentos cor­po­rais quer pelos êx­tases mís­ticos, o Se­nhor fez maravilhas. († c. 1224)

11.   Em Stary Sacz, perto de Tarnow, na Po­lónia, Santa Kinga ou Cu­ne­gundes, filha do rei da Hun­gria e dada em es­posa ao prín­cipe Bo­leslau, que com ele con­viveu em per­feita vir­gin­dade e, após a morte do es­poso, pro­fessou a Regra de Santa Clara no mos­teiro por ela fundado. († 1293).

– Ver Bem-Aventurada Cunegunda,virgem, páginas: 299-300:

Ver páginas 299-300: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também “…Santa Cunegunda da Polônia (em polacoŚwięta KingahúngaroSzent Kinga5 de março de 1224 — 24 de julho de 1292), foi uma princesa húngara”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cunegunda_da_Pol%C3%B4nia

12*.   Em Fer­rara, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, o Beato João Ta­vélli de Tossiniano, bispo, da Ordem dos Jesuatos. († 1146).

– Ver Bem-Aventurado João de Tossignano, Bispo e Confessor. Ver páginas 301-302: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

13.   Em Co­lónia, na Lo­ta­ríngia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, a tras­la­dação dos três reis magos, sá­bios do Ori­ente, que vi­eram a Belém, tra­zendo pre­sentes, para con­tem­plar no Me­nino o mis­tério su­blime do Uni­gé­nito de Deus. († 1162)

14*.   Em L’Áquila, no ter­ri­tório dos Ves­tinos, ac­tu­al­mente nos Abruzos, re­gião da Itália, o Beato An­tónio Tor­riáni, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, mé­dico dos corpos e das almas. († 1494).

– Ver páginas 303-304: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

15*.   Em Orbe, na Sa­bóia, ac­tu­al­mente na França, a Beata Luísa (Ludovica, também na Folhinha do Coração de Jesus), re­li­giosa, filha do Beato Amadeu, que con­traiu ma­tri­mónio com o prín­cipe Hugo de Chalon e, quando ficou viúva, pro­fessou a regra de Santa Clara se­gun do a re­forma de Santa Co­lecta, com grande hu­mil­dade e fidelidade. († 1503).

– Ver páginas 305-306: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

16*.   Em Derby, na In­gla­terra, os be­atos Ni­colau Garlick, Ro­berto Lu­dlam e Ri­cardo Simpson, pres­bí­teros e már­tires, que, de­pois de muitos tor­mentos e ve­xames, foram con­de­nados à morte por causa do seu sa­cer­dócio, no rei­nado de Isabel I e, mortos no pa­tí­bulo, al­can­çaram a ale­gria celeste. († 1588)

17*.   Em New­castle upon Tyne, também na In­gla­terra, o Beato José Lambton, pres­bí­tero e mártir, que, com vinte e quatro anos de idade, no rei­nado da mesma Isabel I, por causa do seu sa­cer­dócio su­portou cruéis tor­turas e foi di­la­ce­rado vivo. († 1592)

18.   Em Durham, também na In­gla­terra, São João Boste, pres­bí­tero e mártir, que, no mesmo rei­nado de Isabel I, so­freu o mar­tírio por causa do sa­cer­dócio e pe­rante o juiz não cessou de con­fortar os companheiros. († 1594)

– Ver também “… 1594 – St. John Boste. Um dos Quarenta Mártires da Inglaterra e Gales; nascido em Dufton, em Westmoreland, Inglaterra; estudou em Oxford. Tornando-se católico em 1576, ele foi para Reims e recebeu a ordenação em 1581. John voltou para a Inglaterra, onde trabalhou nas partes do norte do reino.
Ele se tornou o objeto de uma caça ao homem em massa. Ele foi traído, preso e levado para Londres. Lá ele ficou aleijado e voltou para Dryburn, perto de Durham. Em 24 de julho, ele foi enforcado, sorteado e esquartejado. João foi canonizado pelo Papa Paulo VI em 1970 como um mártir de Durham…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly24.html

19♦.   Em Cór­dova, na Es­panha, o Beato Cris­tóvão de Santa Catarina (Cris­tóvão Fer­nández Val­la­dolid), pres­bí­tero da Ordem Ter­ceira Re­gular de São Fran­cisco, que foi ca­pelão mi­litar, de­pois fez-se ere­mita e por fim se de­dicou ao apos­to­lado e as­sis­tência entre os in­di­gentes e os en­fermos, para os quais fundou a Con­gre­gação Hos­pi­ta­leira de Jesus Nazareno. († 1690)

20.   Em Nam Dinh, ci­dade do Ton­quim, ac­tu­al­mente no Vi­etnam, São José Fer­nández, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, no tempo do im­pe­rador Minh Mang, foi de­ca­pi­tado por causa da sua fé em Cristo. († 1838)

21*.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, re­gião da Itália, o Beato Mo­des­tino de Jesus e Maria (Do­mingos Ma­za­rello), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, que, sempre dis­po­nível para todo o gé­nero de pes­soas po­bres e aflitas, morreu num tempo de peste, as­sis­tindo os mo­ri­bundos e con­ta­giado também ele pela epidemia. († 1854)

22*.   Em Gua­da­la­jara, na Es­panha, as beatas Maria do Pilar de São Fran­cisco de Borja (Ja­coba Mar­tínez Garcia), Te­resa do Me­nino Jesus (Eu­sébia Garcia y Garcia) e Maria Ân­gela de São José (Mar­ciana Vol­ti­erra Tor­de­sillas), vir­gens da Ordem das Car­me­litas Des­calças e már­tires, que, em tempo da per­se­guição re­li­giosa, re­ce­beram a coroa do mar­tírio acla­mando com ale­gria o Es­poso, Jesus Cristo. († 1936)

23*.   Em Bar­ce­lona, também na Es­panha, a Beata Maria Mer­cedes Prat, virgem da Com­pa­nhia de Santa Te­resa de Jesus e mártir, que na mesma per­se­guição con­sumou o mar­tírio por ser religiosa. († 1936)

24*.   Também em Bar­ce­lona, o Beato Xa­vier Bordas Piferrer, re­li­gioso da So­ci­e­dade Sa­le­siana, que, com o exemplo e o mar­tírio, deu tes­te­munho de Cristo, o di­vino mestre. († 1936)

25♦.   Em Ronda, perto de Má­laga, na Es­panha, os be­atos An­tónio Hen­rique Canut Isus e An­tónio Tor­rero Luque, pres­bí­teros da So­ci­e­dade Sa­le­siana e már­tires, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, foram as­sas­s­si­nados e re­ce­beram a re­com­pensa do Senhor. († 1936)

26♦.   Em Bar­ce­lona, também na Es­panha, o Beato In­da­lécio Maria (Marcos Morón Casas), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição contra a fé, com­bateu por Cristo um glo­rioso combate. († 1936)

27♦.   Também em Bar­ce­lona, os be­atos Jaime de Santa Teresa (Jaime Gascón Bordás) e Ro­mu­aldo de Santa Catarina (José Guil­lami Rodó) pres­bí­teros da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e már­tires, que, du­rante a mesma per­se­guição, como dis­cí­pulos fiéis me­re­ceram a sal­vação no sangue de Cristo. († 1936)

28♦.   Em Hos­pi­talet de Llo­bregat, ci­dade da pro­víncia de Bar­ce­lona, também na Es­panha, o Beato Mi­guel Peiró Victóri, da Ordem Ter­ceira de São Do­mingos e mártir, que, na mesma per­se­guição contra a Igreja, con­firmou com o seu sangue a sua fi­de­li­dade ao Senhor. († 1936)

29♦.   Em Ma­drid, na Es­panha, José Jo­a­quim Es­naola Urteaga, o Beato pres­bí­tero da Ordem de Santo Agos­tinho e mártir, que, acei­tando fi­el­mente as pa­la­vras de Jesus, na mesma per­se­guição contra a fé, pela sua morte passou à vida gloriosa. († 1936)

30♦.   Também em Ma­drid, os be­atos João An­tónio Pérez Mayo, pres­bí­tero da Con­gre­gação dos Mis­si­o­ná­rios Oblatos de Maria Ima­cu­lada e com­pa­nheiros, már­tires, que, du­rante a mesma per­se­guição contra a fé cristã, der­ra­maram o seu sangue por Cristo. São estes os seus nomes: Ce­cílio Vega Do­mín­guez, Fran­cisco Pol­vo­rinos Gómez, João Pedro Co­tillo Fer­nández, Justo Gon­zález Lo­rente, Ma­nuel Gu­tiérrez Martín e Pas­coal Aláez Me­dina, re­li­gi­osos da Con­gre­gação dos Mis­si­o­ná­rios Oblatos de Maria Ima­cu­lada, e Cân­dido Castán San José, pai de família. († 1936)

31. Santo Ursino (também na Folhinha do Coração de Jesus)

– Ver Santo Ursicino, Bispo e Confessor: página 309: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver “… Ursicinus de Sens B (RM) morreu c. 380. São Ursicinus é registrado como o quarto bispo de Sens, França. Ele era um oponente do arianismo (beneditinos)…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly24.html

32. São Niceta (também na Folhinha do Coração de Jesus).

– Ver páginas 308-309,  Santos Niceta e Aquilina  que, tendo se convertido pela pregação de São Cristóvão, mártir, e tendo sido decapitadas, conseguiram apalma do martírio: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver “… Soldados Martirizados, Santos Niceta e Aquilina. Nas tradições originais, eles foram chamados de Nicetas e Aquila. Em Lycia sanctárum Mártyrum Nicétæ et Aquilínæ, quæ, beáti Christóphori Mártyris prædicatióne ad Christum convérsæ, martyrii palmam obtruncatióne cápitis sumpsérunt.
   Na Lícia, os santos mártires Niceta e Aquilina, que se converteram a Cristo pela pregação do beato mártir Cristóvão, ganharam a palma do martírio ao serem decapitados.”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly24.html

33. Santo Himeneu e Capitão, mártires orientais, conforme o Martirológio Romano-Monástico.

– Ver Santo Meneu e Capiton, página 309: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

34. Outros santos do dia 24 de JULHO, páginas: 291-309

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-

%2013.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santase Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 24 de julho, ver ainda: 24 de julho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  571-574: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes,sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-

%201.pdf

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica apóso Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 23 de julho

1. Santa Brí­gida (também na Folhinha do Coração de Jesus), re­li­giosa, que, con­traindo ma­tri­mónio na Suécia com o se­nador Ulf, educou piis­si­ma­mente os seus oito fi­lhos e exor­tava o pró­prio es­poso com as pa­la­vras e o exemplo à vida de pi­e­dade. Após a da morte do es­poso, fez vá­rias pe­re­gri­na­ções aos Lu­gares Santos e morreu em Roma, dei­xando vá­rios es­critos sobre a re­forma da Igreja, na sua ca­beça e nos seus mem­bros, e tendo lan­çado os fun­da­mentos da Ordem do San­tís­simo Sal­vador. († 1373).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano da graça de 1373, o nascimento no céu de Santa Brígida, princesa da Suécia e mãe de família cristã, que fundou a Ordem de São Salvador em Valdstena. Foi favorecida com revelações místicas, em que “a Igreja é comparada à uma colméia, na qual os cristãos são reunidos e vivem na unidade da fé e do amor”. (R)

 – Ver páginas 273-284: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também “… Faleceu no dia 23 de julho de 1323, com a idade de setenta e um anos. sepultaram-na na Igreja de são Lourenço, in-Panis-Perna, que pertencia” às clarissas pobres. No ano seguinte, o príncipe Birger, seu filho, e Santa Catarina, sua filha, mandaram trasladar-lhe o corpo para o Mosteiro de Watstein, na Suécia. Foi canonizada pelo Papa Bonifácio IX, no dia 7 de outubro de 1391. O dia 8 do mesmo mês foi designado para a sua festa…” às páginas 403-418: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

– Ver também “…Brígida Birgersdotter (Birgitta Birgersdotter, conhecida como Heliga Birgitta (Santa Brígida)UplândiaSuécia15 de dezembro de 1303 – Roma23 de julho de 1373) foi uma religiosa sueca, escritorateóloga, fundadora de ordem religiosa, padroeira da Suécia e co-padroeira da Europa. Era filha do homem de leis e nobre Birger Persson, da linhagem dos Finsta, e de Ingeborg Bengtsdotter. Por intermédio de seus pais e de seu esposo, pertenceu aos círculos políticos mais influentes da Suécia medieval.[1][2]… Em 23 de julho de 1373, Santa Brígida faleceu aos setenta e um anos, em mãos de seu fiel confessor. Foi canonizada a 7 de outubro de 1391[2] por Bonifácio IX. É venerada como a padroeira da Suécia. Sua festa litúrgica é comemorada em 23 de julho”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Br%C3%ADgida_Birgersdotter_da_Su%C3%A9cia

2.   A co­me­mo­ração de Santo Eze­quiel, pro­feta, filho do sa­cer­dote Búzi, que, no tempo do exílio na terra dos Cal­deus, teve a visão da glória do Se­nhor e, posto como sen­ti­nela da casa de Is­rael, re­cri­minou a in­fi­de­li­dade do povo eleito e anun­ciou a des­truição da ci­dade santa de Je­ru­salém e a de­por­tação do povo; vi­vendo ele pró­prio no meio dos pri­si­o­neiros, ali­mentou a sua es­pe­rança, pro­fe­ti­zando que os ossos res­se­quidos res­sus­ci­ta­riam para uma nova vida.

3.   Em Classe, pró­ximo de Ra­vena, na Fla­mínia, hoje na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, a co­me­mo­ração de Santo Apo­li­nário, bispo, cuja me­mória é ce­le­brada no dia 20 de Julho. († c. s. II).

– Santo Apo­li­nário (também dia 20 de julho na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que, ma­ni­fes­tando ao povo as in­son­dá­veis ri­quezas de Cristo, ca­mi­nhava à frente do seu re­banho como bom pastor e, se­gundo a tra­dição, honrou com o seu ilustre mar­tírio a Igreja de Classe, em Ra­vena, na Fla­mínia, ac­tu­al­mente na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália. No dia 23 de Julho partiu para o ban­quete eterno. († c. s. II).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, de 23 de julho, perto do ano 200, Santo Apolinário, primeiro bispo de Ravena. Inicialmente exerceu o ministério entre soldados e marinheiros daquela importante cidade portuária e militar do Império. Os duros trabalhos que teve que suportar em seu apostolado sacerdotal e episcopal conferiram-lhe o título de mártir (M).

– Ver também página 290: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver “…Apolinário de Ravena, o Santo Apolinário foi o primeiro bispo da cidade de Ravena, sendo seu padroeiro….”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Apolin%C3%A1rio_de_Ravena

4.   Em Bízia, ci­dade da Trácia, hoje Wiza, na Tur­quia, São Se­vero, mártir no tempo dos im­pe­ra­dores Di­o­cle­ciano e Ma­xi­miano, que, as­pi­rando à palma do mar­títio, se narra ter con­ver­tido à fé o cen­tu­rião São Ménon e o tenha se­guido no com­bate do martírio. († c. 304)

5*.   Em Mar­selha, na Pro­vença da Gália, ac­tu­al­mente na França, São João Cassiano, pres­bí­tero, que fundou dois mos­teiros – um para ho­mens, outro para mu­lheres – e, como fruto da sua longa ex­pe­ri­ência de vida mo­nás­tica, es­creveu as “Ins­ti­tui­ções ce­no­bí­ticas” e as “Con­fe­rên­cias dos Pa­dres” para a edi­fi­cação dos monges. († c. 435).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 432, São João Cassiano. Primeiro foi monge em Belém e mais tarde fundou duas comunidades monásticas em Marselha, depois de ter vivido cerca de 15 anos junto aos monges do deserto, no Egito. De lá, trouxe para o Ocidente as admiráveis Conferências que o fazem ser considerado um dos grandes mestres da vida monástica (X).

– Ver páginas 285-287: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

6*.   Em Ci­miez, também na Pro­vença, São Va­le­riano, bispo, que, pas­sando do mos­teiro de Lé­rins para o epis­co­pado, propôs nos seus es­critos os exem­plos da vida dos Santos para edi­fi­cação do povo e dos monges. († c. 460)

Ver página 288: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

7*.   Em Or­vieto, na Tos­cana, ac­tu­al­mente na Úm­bria, re­gião da Itália, a Beata Joana, virgem, das Irmãs da Pe­ni­tência de São Do­mingos, in­signe pela sua ca­ri­dade e paciência. († 1306)

8♦.   Em San Se­bas­tian, na Es­panha, a beata Mar­ga­rida Maria López de Maturana, virgem da Ordem das Mercês, fun­da­dora do Ins­ti­tuto das Mer­ce­dá­rias Mis­si­o­ná­rias de Berriz. († 1934)

9*.   Em Man­za­nares, lo­ca­li­dade de Cas­tela a Nova, re­gião da Es­panha, os be­atos Ni­cé­foro de Jesus e Maria (Vi­cente Díez Te­je­rina), pres­bí­tero, e cinco companheiros, todos eles da Con­gre­gação da Paixão, már­tires, que, em tempo de per­se­guição, foram fu­zi­lados por per­ma­ne­cerem fiéis à sua vo­cação re­li­giosa e assim me­re­ceram al­cançar a coroa do martírio. São estes os seus nomes: José do Sa­grado Co­ração (José Es­ta­layo García), Epi­fânio de São Mi­guel (Epi­fânio Si­erra Conde), Abílio da Cruz (Abílio da Cruz Ramos y Ramos), Za­ca­rias do San­tís­simo Sa­cra­mento (Za­ca­rias Fer­nández Crespo) e Ful­gêncio do Co­ração de Maria (Ful­gêncio Calvo Sán­chez), re­li­gi­osos da Con­gre­gação da Paixão. († 1936)

10*.   Em Ca­ra­ban­chel Bajo, pró­ximo de Ma­drid, também na Es­panha, os be­atos már­tires Ger­mano de Jesus e Maria (Ma­nuel Pérez Gi­ménez), pres­bí­teros, e oito com­pa­nheiros, re­li­gi­osos da mesma Con­gre­gação da Paixão, que na mesma per­se­guição con­su­maram vi­to­ri­o­sa­mente o bom com­bate por Cristo.  São estes os seus nomes: Fi­lipe do Sa­grado Co­ração de Maria (Fi­lipe Val­ca­bado Gra­nado), pres­bí­tero; Mau­rílio do Me­nino Jesus (Mau­rílio Macho Ro­drí­guez), José de Jesus e Maria (José Osés Sáinz), Júlio do Sa­grado Co­ração (Júlio Me­di­a­villa Con­ce­jero), José Maria de Jesus Ago­ni­zante (José Maria Ruiz Mar­tínez), Lau­reano de Jesus Cru­ci­fi­cado (Lau­rindo Proaño Cu­esta), Ana­cário da Ima­cu­lada (Ana­cário Be­nito Rozal), Fi­lipe de São Mi­guel (Fi­lipe Ruiz Fraile), religiosos. († 1936)

11*.   Em To­ledo, também na Es­panha, os be­atos már­tires Pedro Ruiz de los Paños e José Sala Picó, pres­bí­teros do Ins­ti­tuto dos Sa­cer­dotes Ope­rá­rios Di­o­ce­sanos e már­tires, que mor­reram na mesma perseguição. († 1936)

12♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, os be­atos Emílio Arce Díez e Ví­to­riano Fer­nández Reinoso, re­li­gi­osos da So­ci­e­dade Sa­le­siana e már­tires, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, con­su­maram o com­bate pela fé. († 1936)

13♦.   Em Bar­ce­lona, também na Es­panha, os be­atos Simão Reynés Solivellas e Mi­guel Pons Ramis, pres­bí­teros; Fran­cisco Mayol Oliver, e Paulo No­guera Trias re­li­gi­osos, todos da Con­gre­gação dos Sa­grados Co­ra­ções e már­tires, que, du­rante a mesma per­se­guição, me­re­ceram a coroa glo­riosa pelo seu in­que­bran­tável tes­te­munho de Cristo. († 1936)

14♦.   Em La Abar­ras­sada, perto de Bar­ce­lona, também na Es­panha, as be­atas már­tires Ca­ta­rina do Carmo (Ca­ta­rina Caldés Só­cias) e Mi­caela do Sacramento (Mi­caela Rullán Ribot), vir­gens da Con­gre­gação das Fran­cis­canas Fi­lhas da Mi­se­ri­córdia, e Pru­dência Ca­nellas Ginestá, que, du­rante a mesma per­se­guição, me­receu di­ante de Deus om­ni­po­tente a palma da vitória. († 1936)

15*.   Em Da­chau, pró­ximo de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Cris­tino Gondek, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores e mártir, que, du­rante a ocu­pação da Po­lónia por um re­gime hostil à dig­ni­dade hu­mana e à re­li­gião, por causa da sua fé em Cristo foi de­por­tado para o campo de con­cen­tração, onde, sub­me­tido à tor­tura, al­cançou a coroa glo­riosa do martírio. († 1942)

16*.   Em Presov, na Es­lo­vá­quia, o Beato Ba­sílio Hopko, bispo au­xi­liar de Presov e mártir, que, du­rante o tempo de um re­gime ini­migo da fé cristã e da Igreja, foi preso por ter exer­cido o mi­nis­tério pas­toral ao ser­viço dos cris­tãos do Rito Bi­zan­tino e, su­por­tando cruéis su­plí­cios, con­traiu uma grave e longa en­fer­mi­dade que o acom­pa­nhou até à morte, al­can­çando assim a palma da vitória. († 1976)

17. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, em Roma as Santas Rômula (também na Folhinha do Coração de Jesus), Redempta e Herundina (também na Folhinha do Coração de Jesus, Santa Erondina). Pobres dos bens deste mundo, eram, no entanto, ricas das virtudes da paciência, do silêncio e da oração. (M)

– Ver “… 580 – Rômula, Redempta e Herundina Três donzelas romanas que viveram uma vida de austeridade e oração na igreja de Santa Maria Maior ou perto dela. Elas eram veneradas por São Gregório Magno (Beneditinos, Enciclopédia). VV (RM)”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly23.html

18. Outros santos do dia 23 de JULHO, páginas: 273-290

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-

%2013.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santase Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 23 de julho, ver ainda: 23 de julho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  568-570: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes,sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-

%201.pdf

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica apóso Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 22 de julho

1. Festa de Santa Maria Madalena (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, li­berta de sete de­mó­nios pelo Se­nhor, se tornou sua dis­cí­pula, se­guindo-O até ao monte Cal­vário e, na manhã da Páscoa, me­receu ser a pri­meira a ver o Sal­vador res­sus­ci­tado de entre os mortos e levar aos ou­tros dis­cí­pulos o anúncio da ressurreição.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Memória de Santa Maria Madalena. Libertada dos demônios por Cristo, colocou-se a seu serviço e o seguiu até o Calvário. Foi ela a primeira a reconhecer o Senhor Ressurgido da morte e a anunciar aos Apóstolos a Ressurreição. O culto de Santa Maria Madalena teve um grande brilho na abadia de Vézelay assim como na de Sainte-Baume, na diocese de Toulouse-Fréjus. (R).

Ver páginas 250-267: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também “…Maria Madalena (em grego: Μαρία ἡ Μαγδαληνή) ou Maria de Magdala, é descrita no Novo Testamento como uma das seguidoras mais dedicadas de Jesus Cristo. É considerada santa pelas diversas denominações cristãs e sua festa é celebrada no dia 22 de julho”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_Madalena

2.   Em An­cira, na Ga­lácia, hoje An­cara, na Tur­quia, São Platão, mártir. († s. III-IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Ancyra, atual Ancara, na Turquia, o martírio de São Platão, que deu testemunho de Cristo sob a perseguição de Diocleciano (M).

3.   Na África Pro­con­sular, em ter­ri­tório da ac­tual Tu­nísia, os santos már­tires Mas­si­li­tanos, sobre os quais Santo Agos­tinho fez um sermão no ani­ver­sário da sua morte. († s. III-IV)

4.   Em An­ti­o­quia, na Síria, hoje An­takya, na Tur­quia, São Ci­rilo, bispo, que, no tempo do im­pe­rador Di­o­cle­ciano, pa­deceu o cár­cere e o exílio. († c. 306).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 306, São Cirilo, que trabalhou no anúncio do Evangelho em Antioquia durante episcopado que durou cerca de 30 anos (M).

5.   Na for­ta­leza de Sche­maris, nos montes do Cáu­caso, Santo Anas­tásio, monge, que foi dis­cí­pulo de São Má­ximo Con­fessor, com o qual su­portou o cár­cere e a tor­tura por causa da ver­da­deira fé e, tendo che­gado a esta for­ta­leza, ou talvez du­rante o ca­minho, partiu desta vida. († 662)

6.   No mos­teiro de Fon­te­nelle, na Nêus­tria, na ac­tual França, São Van­dre­gi­silo, abade, que, dei­xando a corte do rei Da­go­berto, se­guiu a vida mo­nás­tica em di­versos lu­gares e, pro­mo­vido ao sa­cer­dócio por Santo Au­duíno, bispo de Ruão, fundou e di­rigiu um mos­teiro na flo­resta de Jumièges. († c. 668).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 668, São Vandregísilo, abade. Tomou o hábito no mosteiro de Saint-Faucon-en-Argonne. Retirou-se depois no Jura suíço, antes de fundar, às margens de Fontenelle, perto de Ruão, a abadia que hoje tem o seu nome. (M).

7.   Em Menat, na Gália Ar­ve­nense, também na ac­tual França, São Me­neleu, abade. († c. 700).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 720, São Meneleu, monge. Originário de Précigné, no Anjou, onde uma capela ainda lhe é dedicada, restaurou o antigo mosteiro de Menat, na Auvergne (M).

– Ver “… Meneleu, cuja família era intimamente ligada ao imperador Carlos Magno, sempre quis servir a Cristo de todo o coração. Quando atingiu a maioridade, seus pais o forçaram a aceitar um anel enviado a ele por um grande senhor, chamado Baronte, como um símbolo de seu noivado com a filha do senhor. Desejando apenas servir a Deus, ele fugiu para Auvergne, onde se tornou um monge da Abadia de Corméry-en-Velay perto de Puy, provavelmente nas mãos de São Chaffre. Aqui Meneleu viveu sete anos sob o abade Santo Eudo. Depois disso, ele se tornou o abade-restaurador do mosteiro de Ménat, perto de Clermont. Meneleu é altamente venerado em Auvergne e Anjou (Beneditinos, Husenbeth)…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly22.html#

8*.   Em Pavia, na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Je­ró­nimo, bispo. († s. VIII)

9*.   Em Lódi, também na Lom­bardia, São Gualter, fun­dador da Casa Hos­pital da Misericórdia. († 1224)

10*.   Em Ve­neza, ci­dade do Vé­neto, re­gião da Itália, o Beato Agos­tinho de Bi­ella Fángi, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, que re­a­lizou muitos bons ser­viços em Son­cino, Vi­gé­vano e Veneza. († 1493)

11.   Em Lisboa, ci­dade de Por­tugal, o dia natal de São Lou­renço de Brindes, cuja me­mória é ce­le­brada no dia anterior. († 1619)

12.   Em Car­diff, no País de Gales, os santos Fi­lipe Evans (também na Folhinha do Coração de Jesus), da Com­pa­nhia de Jesus, e João Lloyd, pres­bí­teros e már­tires, que, no rei­nado de Carlos II, foram en­for­cados ao mesmo tempo por se des­co­brir que exer­ciam o sa­cer­dócio na sua pátria. († 1679).

– Ver páginas 270-271: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

13*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Tiago Lom­bardie, pres­bí­tero de Li­moges e mártir, que, du­rante a grande per­se­guição contra a Igreja, foi en­car­ce­rado em con­di­ções de­su­manas por causa do seu sa­cer­dócio e morreu con­ta­giado por uma en­fer­mi­dade incurável. († 1794)

14.   Em Ma­ji­azhuang, lo­ca­li­dade pró­xima de Dai­ning, no Hebei, pro­víncia da China, os santos már­tires Ana Wang, virgem, Lúcia Wang Wangzhi e seu filho André Wang Tianking, que, du­rante a per­se­guição de­sen­ca­deada pelos “Yihe­tuan”, foram mortos pelo nome de Cristo. († 1900)

15.   Também pró­ximo de Dai­ning, nos ar­re­dores de Yong­nian, ci­dade do Hebei, pro­víncia da China, Santa Maria Wang Lizhi, mártir, que, na mesma per­se­guição, apesar de al­guns pa­gãos a acon­se­lharem a negar ser cristã para salvar a vida, ela de­clarou aber­ta­mente ser serva de Cristo e por isso foi ime­di­a­ta­mente assassinada. († 1900)

16♦.   Em To­ledo, na Es­panha, os be­atos Eu­sébio do Me­nino Jesus (Ovídio Fer­nández Are­nillas), pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e com­pa­nheiros már­tires, que, du­rante a cruel per­se­guição re­li­giosa, foram ví­timas da vi­o­lência dos ini­migos da Igreja e par­tiram ao en­contro do Senhor.  São estes os seus nomes: Eliseu de Jesus Cru­ci­fi­cado (Es­têvão Cu­evas Cas­quero), Her­milo de Santo Eliseu (Pedro Rai­mundo Ro­drí­guez Calle), José Agos­tinho do San­tís­simo Sa­cra­mento (Tomás Ma­teos Sán­chez), Per­feito de Nossa Se­nhora do Carmo (Per­feito Do­mín­guez Monge), Cle­mente dos Sa­grados Co­ra­ções (Cle­mente López Yagüe), re­li­gi­osos da Ordem dos Car­me­litas Descalços. († 1936)

17♦.   Em Bar­ce­lona, na Es­panha, o Beato Luís de Jesus (José Luís Marcou Pe­cavel), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que, na mesma per­se­guição contra a Igreja, con­firmou com o seu sangue a sua fi­de­li­dade ao Senhor. († 1936)

18♦.   Em Roma, a Beata Maria Inês Te­resa do San­tís­simo Sacramento (Ma­nuela de Jesus Árias Es­pi­nosa), virgem, fun­da­dora das Mis­si­o­ná­rias Cla­rissas do San­tís­simo Sacramento. († 1981)

19. São José da Palestina, na Folhinha do Coração de Jesus.

– Ver “… José da Palestina (RM). São José era um judeu, que pertencia à escola bíblica de Tiberíades, uma das várias estabelecidas pelos judeus após a destruição do Templo. O de Tiberíades produziu médicos massoréticos, famosos pela invenção dos pontos vocálicos para preservar a pronúncia do hebraico escrito. Após prolongada resistência interior, tornou-se cristão e foi muito favorecido pelo imperador Constantino, que lhe conferiu o título de conde. Ele se dedicou a construir igrejas e divulgar o Evangelho na Terra Santa. Ele hospedou Santo Eusébio de Vercelli, Santo Epifânio e outros (beneditinos)…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly22.html#

20. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia o martírio de São Teófilo. Preso na ilha de Chipre, confessou até a morte sua fé na Divina Trindade (M).

21. Outros santos do dia 21 de JULHO, páginas: 250 -272

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-

%2013.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santase Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 22 de julho, ver ainda: 22 de julho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 565-568: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes,sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-

%201.pdf

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica apóso Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/MUITO OBRIGADO