Santas e Santos de 04 de outubro

1. Me­mória de São Fran­cisco (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, de­pois de uma vida des­pre­o­cu­pada, se con­verteu à vida evan­gé­lica em Assis, na Úm­bria, re­gião da Itália, en­con­trando Jesus Cristo es­pe­ci­al­mente nos po­bres e tor­nando-se ele mesmo pobre ao ser­viço dos ne­ces­si­tados. Reuniu em co­mu­ni­dade con­sigo os Frades Me­nores, pregou o amor de Deus a todos nas suas ca­mi­nhadas, in­clu­si­va­mente na pe­re­gri­nação à Terra Santa, mos­trando com as suas pa­la­vras e ati­tudes o de­sejo de se­guir a Cristo, e quis morrer dei­tado sobre a terra nua.  († 1226).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Francisco de Assis. Chamado pelo Divino Crucificado a reparar Sua Igreja, renunciou a uma rica herança paterna e decidiu viver e anunciar o ideal evangélico na mais estrita pobreza. Em seu desnudamento, recebeu no eremitério de Auverne os estigmas da Paixão e cantou as belezas da Criação. Foi canonizado dois anos após sua morte, ocorrida em 1226. Seus numerosos discípulos, chamados franciscanos, são repartidos em três ramos: os Frades Menores, os Capuchinhos e os Conventuais. (R).

– Ver páginas 303-319: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf 

– Ver também “… Giovanni di Pietro di Bernardone, mais conhecido como São Francisco de Assis (Assis, 1181 ou 1182 — 3 de outubro de 1226), foi um frade católico nascido na atual Itália. Depois de uma juventude irrequieta e mundana, voltou-se para uma vida religiosa de completa pobreza, fundando a ordem mendicante dos Frades Menores, mais conhecidos como Franciscanos, que renovaram o Catolicismo de seu tempo. Com o hábito da pregação itinerante, quando os religiosos de seu tempo costumavam fixar-se em mosteiros, e com sua crença de que o Evangelho devia ser seguido à risca, imitando-se a vida de Cristo, desenvolveu uma profunda identificação com os problemas de seus semelhantes e com a humanidade do próprio Cristo. Sua atitude foi original também quando afirmou a bondade e a maravilha da Criação num tempo em que o mundo era visto como essencialmente mau, quando se dedicou aos mais pobres dos pobres, e quando amou todas as criaturas chamando-as de irmãos. Alguns estudiosos afirmam que sua visão positiva da natureza e do homem, que impregnou a imaginação de toda a sociedade de sua época, foi uma das forças primeiras que levaram à formação da filosofia da Renascença.[2]

Dante Alighieri disse que ele foi uma “luz que brilhou sobre o mundo”, e para muitos ele foi a maior figura do Cristianismo desde Jesus, mas a despeito do enorme prestígio de que ele desfruta até os dias de hoje nos círculos cristãos, que fez sua vida e mensagem serem envoltas em copiosa  e darem origem a inumeráveis representações na arte, a pesquisa acadêmica moderna sugere que ainda há muito por elucidar quanto aos aspectos políticos de sua atuação, e que devem ser mais exploradas as conexões desses aspectos com o seu misticismo pessoal. Sua vida é reconstituída a partir de biografias escritas pouco após sua morte mas, segundo alguns estudiosos, essas fontes primitivas ainda estão à espera de edições críticas mais profundas e completas, pois apresentam contradições factuais e tendem a fazer uma apologia de seu caráter e obras; assim, deveriam ser analisadas sob uma óptica mais científica e mais isenta de apreciações emocionais do que tem ocorrido até agora, a fim de que sua verdadeira estatura como figura histórica e social, e não apenas religiosa, se esclareça. De qualquer forma, sua posição como um dos grandes santos da Cristandade se firmou enquanto ele ainda era vivo, e permanece inabalada. Foi canonizado pela Igreja Católica menos de dois anos após falecer, em 1228, e por seu apreço à natureza é mundialmente conhecido como o santo patrono dos animais e do meio ambiente.[3]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Francisco_de_Assis

– Ver “… Francisco de Assis era pobre apenas para ser semelhante a Cristo. Ele amava a natureza porque era outra manifestação da beleza de Deus. Ele fez uma grande penitência (desculpando-se com o “Irmão Corpo” mais tarde na vida) para que pudesse ser totalmente disciplinado pela vontade de Deus. Sua pobreza tinha uma irmã, humildade, com o que ele queria dizer total dependência do bom Deus. Mas tudo isso era, por assim dizer, preliminar ao âmago de sua espiritualidade: viver a vida evangélica, resumida na caridade de Jesus e perfeitamente expressa na Eucaristia.

Citação: “Nós te adoramos e te bendizemos, Senhor Jesus Cristo, aqui e em todas as igrejas que existem no mundo inteiro, porque pela tua santa cruz tu redimiste o mundo”. (São Francisco) …”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayOctober04.html

2.   Em Bo­lonha, hoje na Emília-Ro­manha, também re­gião da Itália, São Pe­trónio (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que passou das res­pon­sa­bi­li­dades po­lí­ticas ao mi­nis­tério sa­cer­dotal e ilus­trou com os seus es­critos e o seu exemplo a na­tu­reza do mi­nis­tério episcopal. († c. 450).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 460, São Petrônio, alto funcionário, que renunciou a ser servido para servir à Igreja de Bolonha. (M). Ver página 320: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

– Ver também “… Petrônio (português brasileiro) ou Petrónio de Bolonha (português europeu) (em italianoSan Petronio; m. ca. 450) foi bispo de Bolonha no século V e é hoje o padroeiro da cidade. Nascido numa família nobre romana, converteu-se ao cristianismo e tronou-se padre. Como bispo, construiu a Igreja de São Estêvão”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Petr%C3%B4nio_de_Bolonha

3*.   No ter­ri­tório da Gália Tu­ro­nense, na ho­di­erna França, São Quin­tino, mártir. († s. VI)

– Ver página 323 “… Em Tours, São Quintino, mártir (século VI ou VII). Nascido em Meaux, filho de pais parisienses, Quintino foi trabalhar na mansão dum nobre chamado Gontran. Gontran era casado com perversa mulher, Aga. Encantada com o servidor, Aga propôs viver com ele. Quintino, como um novo José, repeliu-a. Irada, a mulher reuniu fiéis servidores para que o matassem. Levado a lugar escuso, perto duma fonte, cortaram-lhe traiçoeiramente a cabeça, que jogaram às águas da nascente, desde então tornadas miraculosas…”: VIDAS DOS SANTOS – 17.pdf (obrascatolicas.com)

4.   Em Paris, na Gália, hoje na França, Santa Áurea, aba­dessa, de­sig­nada por Santo Elígio para pre­sidir ao mos­teiro que ele tinha fun­dado dentro da ci­dade se­gundo a regra de São Co­lum­bano, no qual tinha reu­nido tre­zentas virgens. († 856).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 666, Santa Áurea, primeira abadessa do mosteiro de São Marcial, fundado por Santo Elói, em Paris. (M)

5*.   Em New Or­leans, na Lui­siana, nos Es­tados Unidos da Amé­rica do Norte, o Beato Fran­cisco Xa­vier Se­elos, pres­bí­tero da Con­gre­gação do San­tís­simo Re­dentor, oriundo da Ba­viera, que atendeu com grande so­li­ci­tude às ne­ces­si­dades das cri­anças, dos jo­vens e dos imigrantes. († 1867)

6*.   Em Xa­raco, po­vo­ação da pro­víncia de Va­lência, na Es­panha, o Beato Hen­rique Mo­rant Pellicer, pres­bí­tero e mártir, que con­sumou o com­bate pela fé du­rante a per­se­guição religiosa. († 1936)

7*.   Perto de Gandia, na mesma pro­víncia de Va­lência, o Beato José Canet Giner, pres­bí­tero e mártir, que, pela sua fi­de­li­dade a Cristo, me­receu ser as­so­ciado ao sa­cri­fício do Salvador. († 1936)

8*.   Em Bellr­re­guart, também na pro­víncia de Va­lência, o Beato Al­fredo Pel­licer Muñoz (Jaime), re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores e mártir, que, na mesma per­se­guição, con­firmou a sua fé em Cristo até al­cançar a palma da vitória. († 1936)

9. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Síria, no ano do Senhor de 302, Santa Donina e suas duas filhas, vítimas da última perseguição romana. Elas preferiram jogar-se num rio a correrem o risco da desonra com a qual as ameaçavam os soldados encarregados de prendê-las. São João Crisóstomo e Santo Agostinho elogiaram essas mulheres que se fizeram mártires voluntárias. (M)

10. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, Santo Amônio (também na Folhinha do Coração de Jesus), fundador da célebre colônia de anacoretas de Nítria, situada a cerca de 60 km de Alexandria. Ele povoou também, com ascetas mais avançados, o deserto de Celas. (M)

11. São Pedro de Capitólias, mártir. Ver páginas 321-322: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

12. Outras santas e santos do dia 04 de outubro, págs. 303-324 em:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

 “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 04 de outubro: 4 de outubro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  779-780: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayOctober04.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS ESPÍRITO DE ORAÇÃO, VIGILÂNCIA, RENÚNCIA, PENITÊNCIA! DÊ-NOS ARDOR MISSIONÁRIO PELO E PARA O SENHOR! TIRE-NOS O TORPOR E A TIBIEZA! DÊ-NOS A GRAÇA, AMADO PAI, DE LUTAR COM ENTUSIASMO, CORAGEM E FORÇA DE VONTADE, MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS, PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ DE BONS COSTUMES E SANTIDADE POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO. DÊ-NOS, SOBRETUDO, A DOCILIDADE DAS OVELHAS. PEDIMOS EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, CUIDE DE NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.