Santas e Santos de 11 de novembro

1. Me­mória de São Mar­tinho (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, no dia do seu se­pul­ta­mento. Nas­cido de pais gen­tios na Pa­nónia, no ter­ri­tório da ho­di­erna Hun­gria, e cha­mado ao ser­viço mi­litar na Gália, quando era ainda ca­te­cú­meno, co­briu com o seu manto a Cristo na pessoa de um pobre. De­pois de re­ceber o Bap­tismo, re­nun­ciou à car­reira mi­litar, fundou um mos­teiro em Li­gugé, onde levou vida mo­nás­tica sob a di­recção de Santo Hi­lário de Poi­tiers. De­pois, or­de­nado sa­cer­dote e, mais tarde, eleito bispo de Tours, teve sempre em vista o exemplo do bom pastor, fun­dando em vá­rias lo­ca­li­dades ou­tros mos­teiros e pa­ró­quias, de­di­cando-se à for­mação e re­con­ci­li­ação do clero e à evan­ge­li­zação dos ru­rais, até que, em Candes, foi ao en­contro do Senhor. († 397).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, festa de São Martinho de Tours, morto em Candes no dia 08 de novembro de 397. Filho de um oficial romano comissionado na Panônia, atual Hungria, chegou a Amiens, onde depois de ter partilhado seus próprios vestimentos com Cristo na pessoa de um pobre, depôs as armas, recebeu o Batismo e foi para Ligugé levar vida solitária, sob a influência de Santo Hilário de Poitiers. É considerado como o grande iniciador do monaquismo na Gália. Eleito bispo de Tours, fundou Marmoutiers e consagrou-se à evangelização do interior, fundando as primeiras paróquias rurais. (R).

– Ver páginas 317-338: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Martinho_de_Tours 

– Ver “… Martinho de Tours (em latimMartinus TuronensisSabáriaPanónia316 – CondateGália8 de novembro de 397), foi um militarmonge e, mais tarde, bispo da Cidade dos Turões (atual Tours), sendo considerado santo pela Igreja Católica.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Martinho_de_Tours

2.   Junto ao lago de Ma­rió­tides, no Egipto, São Menas, mártir. († s. IV in.).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 295, São Menas, cristão sírio, martirizado em Alexandria. Foi durante muito tempo o padroeiro da colônia egípcia emigrada para Roma. (M).

– Também no Martirológio Romano-Monástico de 12 de novembro, no Egito, São Menas, martirizado durante a perseguição de Diocleciano. Seu culto teve grande popularidade, e seu nome permanece ligado à localidade de Abu-Mena. (M).

– Ver página 339-340: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Menas_de_Niceu

– Ver ainda “Menas (também chamado de Minas, Mina, Mena ou Mennas), taumaturgo e mártir, foi um dos mais famosos santos egípcios, tanto no oriente quanto no ocidente, principalmente por conta dos milagres que são atribuídos à sua intercessão e às suas preces. Embora Menas seja reconhecido como um santo menor na Igreja Ortodoxa e nas igrejas ocidentais, é considerado provável por muitos historiadores que ele seja celebrado nestas igrejas sob o nome de São Cristóvão (“Portador de Cristo”), uma vez que uma das lendas associadas à Menas mostra-o, como Cristóvão, carregando o menino Jesus.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Menas_de_Niceu

3.   Em Vence, na Pro­vença da Gália, ac­tu­al­mente na França, a co­me­mo­ração de São Verão (também na Folhinha do Coração de Jesus, São Verano), bispo, que, sendo filho de Santo Euquério, bispo de Lião, foi edu­cado no mos­teiro de Lé­rins e es­creveu ao papa São Leão Magno, para lhe agra­decer a pro­fissão de fé na en­car­nação do Verbo con­tida na sua carta a Flaviano. († s. V in.).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no final do séc. V, São Verano, bispo de Vence. Encorajou o Papa São Leão a inervir no Concílio de Calcedônia. (M)

4.   Na pro­víncia de Sâmnio, ter­ri­tório da ac­tual Itália, a co­me­mo­ração de São Menas, (também na Folhinha do Coração de Jesus, São Mena), so­li­tário, cujas vir­tudes são men­ci­o­nadas pelo papa São Gre­gório Magno. († c. 580)

5.   Em Ama­tonte, pró­ximo de Li­massol, na ilha de Chipre, o pas­sa­mento de São João o Esmoler, bispo de Ale­xan­dria, cé­lebre pela sua com­paixão para com os po­bres, que, mo­vido pela sua ge­ne­rosa ca­ri­dade, fez cons­truir muitas igrejas, hos­pi­tais e or­fa­natos, sempre so­lí­cito para ali­viar todas as ne­ces­si­dades da ci­dade, con­tri­buindo para isso com os bens da Igreja e exor­tando as­si­du­a­mente os ricos à prá­tica da beneficência. († 620)

– Ver “…  São João, o Misericordioso, monge, Patriarca de Alexandria. Suas façanhas espirituais lhe renderam honras entre os homens, até mesmo o imperador; caridade para com todos; prisioneiros resgatados, quarta e sexta ele recebeu todos os necessitados; resolveram disputas, ajudaram os injustiçados, distribuíram esmolas. 3 vezes por semana visitou as casas de enfermos, prestou assistência aos sofredoresO santo nunca recusou suplicantes. Um dia, quando o santo visitava os enfermos, encontrou um mendigo e ordenou que lhe dessem seis moedas de prata. O mendigo trocou de roupa, correu à frente do Patriarca e novamente pediu esmolas. São João deu-lhe mais seis moedas de prata. Quando, entretanto, o mendigo buscou caridade pela terceira vez, e os servos começaram a expulsar o sujeito, o Patriarca ordenou que ele recebesse doze moedas de prata, dizendo: “Talvez seja Cristo que está me testando”. Duas vezes o santo deu dinheiro a um comerciante que naufragara, e uma terceira vez deu-lhe um navio do Patriarcado cheio de grãos, com o qual o comerciante fez uma viagem bem-sucedida e pagou suas obrigações. São João, o Misericordioso, era conhecido por sua atitude gentil para com as pessoas. Certa vez, o santo foi obrigado a excomungar dois clérigos por algum tempo por causa de alguma ofensa. Um deles se arrependeu, mas o outro ficou com raiva do Patriarca e caiu em pecados maiores. O santo queria convocá-lo e acalmá-lo com palavras gentis, mas isso escapou de sua mente. Quando celebrava a Divina Liturgia, o santo foi subitamente lembrado pelas palavras do Evangelho: se levar a sua dádiva ao altar e se lembrar que o seu irmão tem algo contra você, deixe a sua dádiva diante do altar … primeiro, seja reconciliou-se com o seu irmão, e depois venha e ofereça o seu presente (Mt. 5: 23-24). O santo saiu do altar, chamou o clérigo ofensor, e caindo de joelhos diante dele na frente de todas as pessoas que ele pediu perdão. O clérigo, cheio de remorso, arrependeu-se de seu pecado, corrigiu-se e depois foi considerado digno de ser ordenado ao sacerdócio…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayNovember11.html

6*.   No mos­teiro de Ma­lone, no Bra­bante, na ac­tual Bél­gica, São Ber­tuíno, ve­ne­rado como bispo e abade. († 698)

7.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, São Te­o­doro Es­tu­dita, abade, que fez do seu mos­teiro uma es­cola de sá­bios, de santos e de már­tires que mor­reram ví­timas das per­se­gui­ções dos ico­no­clastas. Foi três vezes de­por­tado para o exílio, teve grande ve­ne­ração pela tra­dição dos Pa­dres da Igreja e, para de­fender a fé ca­tó­lica, es­creveu tra­tados fa­mosos sobre a dou­trina cristã. († 826).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, do dia 12 de novembro, em Constantinopla, no ano 826, o nascimento no céu de São Teodoro Estudita, abade, admirador da tradição patrística. Para ele, as ordens monásticas eram como que “os nervos da igreja”. Fez do mosteiro bizantino de Studios uma oficina de sábios, santos e mártires, vítimas da perseguição iconoclasta. Sofreu o exílio por três vezes, por ter defendido a santidade do casamento cristão em face do adultério do imperador Constantino II, e apoiado o culto dos santos ícones. (R).

– Ver “Teodoro Estudita (em grego: Θεόδωρος ο Στουδίτης), também chamado de Teodoro de Estúdio, foi um monge bizantino e abade do Mosteiro de Estúdio em Constantinopla Nascido em 759 na cidade de Constantinopla, então capital do Império Bizantino, Teodoro teve um papel preponderante no renascimento tanto do monasticismo bizantino quanto dos gêneros literários clássicos no Império.[1][2] Além disso, ficou conhecido como um feroz adversário do Iconoclasma, um dos diversos conflitos que o colocaram contra o imperador e o patriarca de Constantinopla.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Teodoro_Estudita

8.   No mos­teiro de Grot­ta­fer­rata, na re­gião de Fras­cáti, pró­ximo de Roma, São Bar­to­lomeu, abade, que, nas­cido na Ca­lá­bria, foi com­pa­nheiro de São Nilo, cuja vida de­pois es­creveu; es­teve a seu lado até aos seus úl­timos dias na cons­trução do ce­nóbio de Fras­cáti, sob a dis­ci­plina as­cé­tica dos Pa­dres ori­en­tais, que for­ta­leceu du­rante o seu go­verno, con­ver­tendo-o numa es­cola de ci­ência e de arte. († 1065).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1065, São Bartolomeu, abade de Grotaferrata. Como São Nilo, o fundador deste mosteiro ítalo-grego nasceu na Calábria, e ainda muito jovem colocou-se sob a direção de seu compatriota, cuja vida mais tarde escreveu. Apaixonado pelo estudo, aprendeu vários idiomas, e tornando-se abade transformou o seu mosteiro num centro de ciências e de artes, numa época de generalizada decadência. (M)

9.   Em Na­ga­sáki, no Japão, Santa Ma­rina de Omura, virgem e mártir, que, en­car­ce­rada e le­vada a uma casa pú­blica para es­cárnio da sua cas­ti­dade, foi fi­nal­mente quei­mada viva. († 1634)

10♦.   Em Ve­rona, na Itália, a Beata Vi­centa Maria (Luísa Po­lóni), virgem, fun­da­dora, jun­ta­mente  com o beato Carlos Steeb, do Ins­ti­tuto das Irmãs da Mi­se­ri­córdia de Ve­rona, para so­correr os aflitos, os po­bres e os enfermos. († 1855)

11*.   Em Laski Pi­as­nica, perto da ci­dade de Wejhe­rowo, na Po­lónia, a Beata Alice Kotowska (Maria  Jadwiga Ko­towska), virgem da Con­gre­gação das Irmãs da Res­sur­reição do Se­nhor e mártir, que du­rante a guerra foi fu­zi­lada por per­se­verar fir­me­mente na fé de Cristo. († 1939)

12*.   Em Sófia, na Bul­gária, a paixão do Beato Vi­cente Eu­génio Bossilkov, bispo de Ni­có­polis e mártir, da Con­gre­gação da Paixão de Jesus, que, sob um re­gime ti­rano, por se re­cusar a se­parar-se da co­mu­nhão com a Sé Ro­mana, foi en­car­ce­rado e atroz­mente tor­tu­rado e fi­nal­mente, sob a acu­sação de crime de alta traição, con­de­nado à morte e fuzilado. († 1952)

13. São Mercúrio de Cesareia. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Mercúrio_de_Cesareia

– Ver “Mercúrio (em latimMercurius) foi um santo cristão e um grande mártir. Nascido Filópater na cidade de Escento, na Capadócia, na parte oriental da Ásia Menor, seu nome significa “que ama o pai”. São Mercúrio também é conhecido pelo nome de Abu-Seifein, que em árabe significa o “portador [pai] de duas espadas”, como referência à segunda espada que lhe foi dada pelo Arcanjo Miguel”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Merc%C3%BArio_de_Cesareia

14. Outros santos do dia 11 de novembro: págs. 317-342, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf  Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIX – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

 “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 11 de novembro: 11 de novembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (Todas da internet, consultadas no dia)

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  868-870: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayNovember11.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* SENHOR, NOSSO DEUS E PAI AMADO, OBRIGADO POR TUDO O QUE O SENHOR NOS TEM DADO E PERMITIDO VIVER!

QUERIDA MÃE VIRGEM MARIA, SOCORRA-NOS, PROTEJA-NOS!

SÃO JOSÉ, ANJOS E SANTOS, INTERCEDAM POR NÓS! OBRIGADO! AMÉM!

PAI AMADO, DÊ-NOS ESPÍRITO DE ORAÇÃO, VIGILÂNCIA, RENÚNCIA, PENITÊNCIA! DÊ-NOS ARDOR MISSIONÁRIO PELO E PARA O SENHOR! TIRE-NOS O TORPOR E A TIBIEZA! DÊ-NOS A GRAÇA, AMADO PAI, DE LUTAR COM ENTUSIASMO, CORAGEM E FORÇA DE VONTADE, MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS, PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ DE BONS COSTUMES E SANTIDADE POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO. DÊ-NOS, SOBRETUDO, A DOCILIDADE DAS OVELHAS. PEDIMOS EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro).

Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“… Não há nada mais difícil do que a oração, pois não há esforços que os demônios não façam para interromper este poderoso meio de os desanimar (Santo Antão, lembrado em 21 de outubro)

Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guia para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

“… A PAIXÃO VIVE; APENAS ESTÁ REPRIMIDA… ESTÁ APENAS PRESA… AS PAIXÕES VIVEM, APENAS SÃO REPRIMIDAS PELOS SANTOS (COM A GRAÇA DE DEUS!) …”.  SANTAS E SANTOS, INTERCEDAM POR NÓS PARA QUE POSSAMOS REPRIMIR AS PAIXÕES. (SANTO ABRAÃO, ERMITÃO, 27 DE OUTUBRO), conforme páginas 52-53: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

“… a oração por um ente querido é, para o crente, uma forma de apagar qualquer distância, até mesmo a morte. Em oração, permanecemos na presença de Deus na companhia de alguém que amamos, mesmo que essa pessoa tenha morrido antes de nós

“Não devemos transformar o purgatório em um campo de concentração em chamas à beira do inferno – ou mesmo em um ‘inferno por um curto período de tempo’. É uma blasfêmia pensar nisso como um lugar onde um Deus mesquinho cobra a última libra – ou grama – de carne … Santa Catarina de Gênova (Festa dia 15 de setembro, mística do século 15), escreveu ‘fogo’ do purgatório é o amor de Deus ‘queimando’ a alma para que, por fim, a alma esteja totalmente em chamas. É a dor de querer ser feito totalmente digno de Alguém que é visto como infinitamente amável, a dor do desejo de união que agora está absolutamente assegurada, mas ainda não completamente experimentada

(Leonard Foley, OFM, Crendo em Jesus) …”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayNovember02.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, CUIDE DE NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Observação: FAMÍLIA, NOSSAS LEMBRANÇAS:

Família Barpuri Matos Marinho

Família Barpuri

Família Barbosa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.