Santas e Santos de 04 de dezembro

1. São João Da­mas­ceno (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero e doutor da Igreja, in­signe pela sua san­ti­dade e dou­trina, que lutou ar­do­ro­sa­mente com a sua pa­lavra e seus es­critos contra o im­pe­rador Leão, o Isáu­rico, em de­fesa do culto das sa­gradas ima­gens e, tor­nando-se monge na laura de São Sabas, perto de Je­ru­salém, compôs hinos sa­grados e ali morreu. O seu corpo foi se­pul­tado neste dia. († c. 749).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 749, o nascimento no céu de São João Damasceno, presbítero e Doutor da Igreja. Por ter defendido o culto das santas imagens, teve que deixar a corte do califa árabe de Damasco. Entrou então para o mosteiro de São Sabas, perto de Jerusalém, onde escreveu, em particular, um tratado sobre a fé ortodoxa dos Padres gregos. Ele aparece também como um dos principais defensores da tradição mariana da Igreja. (M)

– Ver VIDA DE SÃO BRÁS escrita por São João Damasceno em páginas 112-149: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver “João Damasceno ou João de Damasco (em grego: Ἰωάννης ὁ Δαμασκηνός; romaniz.: Iōannēs ho Damaskēnos; em latimIohannes Damascenus675 – 4 de dezembro de 749), dito Crisórroas (Chrysorrhoas; “boca de ouro”), foi um monge e sacerdote sírio. Nascido e criado em Damasco, morreu em seu mosteiroMar Saba, perto de Jerusalém.[2] Um polímata cujos interesses incluíam direitoteologia e música, algumas fontes afirmam que serviu como administrador-chefe do califa de Damasco antes de sua ordenação.[3][4]”: João Damasceno – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

2.   Co­me­mo­ração de Santa Bár­bara (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, se­gundo a tra­dição, foi virgem e mártir em Ni­co­média, na ac­tual Turquia. († data inc.).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, Santa Bárbara, ilustre mártir cujo culto foi amplamente difundido desde o séc. V tanto no Oriente como no Ocidente. Uma antiga tradição, que relata como seu carrasco foi fulminado por um raio, está na origem da devoção popular que a invoca contra os riscos de morte súbita causada pelo fogo ou pela eletricidade. (M).

– Ver páginas 20-22: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2021.pdf

– Ver:  https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Bárbara_de_Nicomédia

– Ver também “Bárbara de Nicomédia (Nicomédiac. 280 – Nicomédiac. 317) foi uma virgem mártir do século III comemorada como santa cristã na Igreja Católica Romana, na Igreja Ortodoxa e na Igreja Anglicana. Em Portugal e no Brasil, tornou-se popular a devoção à Santa Bárbara, invocada como protetora por ocasião de tempestadesraios e trovões, dando origem à expressão “Só se lembram de Santa Bárbara quando troveja“. Ela é comemorada no dia 4 de dezembro de cada ano.”: Bárbara de Nicomédia – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver “DISCURSO DO PAPA JOÃO PAULO II A UM GRUPO DE MARINHEIROS MILITARES ITALIANOS  NO DIA DE SANTA BÁRBARA”: À um grupo da Marinha Militar Italiana pelo dia da padroeira Santa Bárbara (4 de dezembro de 2002) | João Paulo II (vatican.va)

– Ver ainda “Conheça a história de Santa Bárbara e Iansã”: Globoplay

– Ver ainda: “Esta artigo aborda os hábitos alimentares na festa centenária  de  Santa  Bárbara,  que  acontece anualmente   em   Salvador,   na Bahia, no dia 04  de dezembro.”: Vista do O acará de Iansã na festa de Santa Bárbara (usp.br)

– Ver também “Santa Bárbara, 4 de dezembro – Contra febre, morte súbita ou decorrente de tempestade.”: Catorze santos auxiliares – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

3.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, Santo Hé­ra­clas, bispo, dis­cí­pulo de Orí­genes, seu co­la­bo­rador e su­cessor na es­cola ca­tequé­tica, que ad­quiriu ex­tra­or­di­nária fama e de­pois foi eleito para di­rigir esta sede episcopal. († 247/249)

4.   Em Se­bas­topol, no Ponto, na ho­di­erna Tur­quia, São Me­lécio, bispo, que, em­bora já fa­moso pela sua eru­dição, foi ainda mais emi­nente pela sua vir­tude e in­te­gri­dade de vida. († s. IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Ponto, no séc. IV, São Melécio, bispo. Homem de grande experiência e vasta cultura, foi cognominado por seus companheiros de mocidade “o mel da Ática”, sendo considerado por Santo Atanásio e São Basílio como grande defensor da divindade do Verbo em face do arianismo. (M)

5.   Em Bo­lonha, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, São Félix, bispo, que tinha sido diá­cono com Santo Am­brósio na Igreja de Milão. († 431/432).

 – Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 431, São Félix, bispo, que dirigiu e santificou a Igreja de Bolonha durante mais de trinta anos. (M)

6*.   Em Vi­enne, na Gália Li­o­nense, na ac­tual França, Santo Apro, pres­bí­tero, que, dei­xando a sua pá­tria, cons­truiu para si uma pe­quena cela e se­guiu a vida so­li­tária e penitente. († s. VII)

7*.   No ter­ri­tório de Bourges, na Aqui­tânia, também na ho­di­erna França, São Si­gi­rano ou Si­rano, monge, pe­re­grino e abade de Longoret. († s. VII)

8*.   Em Le Mans, na Nêus­tria, hoje também na França, Santa Adraílde ou Ada, aba­dessa do mos­teiro de Santa Maria. († d. 692).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VII, Santa Ada, abadessa. Foi de Soissons para Le Mans para implantar a Regra de São Bento no mosteiro de Santa Maria, fundado por São Pavino. (X)

9*.   No mos­teiro de Ellwangen, na Ba­viera, re­gião da Ale­manha, São Sola ou Sualo, pres­bí­tero e eremita. († 794)

10.   Em Po­li­boto, na Frígia, na ho­di­erna Tur­quia, São João, cha­mado o Taumaturgo, bispo, que se em­pe­nhou in­ten­sa­mente contra o de­creto do im­pe­rador Leão o Ar­ménio a favor do culto das sa­gradas imagens. († s. IX)

11.   No mos­teiro de Si­eg­burg, na Re­nânia, re­gião da Ale­manha, Santo Anónio, bispo de Co­lónia, homem de exímio ta­lento, que, du­rante o rei­nado do im­pe­rador Hen­rique IV, teve uma ac­tu­ação de grande pres­tígio, tanto na Igreja como nos as­suntos civis e, para au­mentar a fé e a pi­e­dade, fo­mentou a cons­trução de muitas igrejas e mosteiros. († 1075).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Santo Annon, bispo de Colônia, fundador de cinco mosteiros, em particular o de Siegeburg. (X).

– Ver “Anno II (c. 1010 — Siegburg4 de dezembro de 1075) foi Arcebispo de Colônia de 1056 a 1075… Foi canonizado em 1183 pelo Papa Lúcio III. Foi fundador e co-fundador de mosteiros (MichaelsbergGrafschaft e Affligem) e um construtor de igrejas. Defendeu o celibato clerical e introduziu uma disciplina rigorosa em vários mosteiros. Era um homem de grande energia e capacidade, cuja ação em reconhecer Alexandre II foi da maior importância para Henrique IV e para a Alemanha. Anno foi o protagonista de duas importantes obras literárias: Vita Annonis, escrita em latim, e Annolied, em alto-alemão médio.”: Anno II – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

12.   Em Sa­lis­bury, na In­gla­terra, Santo Os­mundo, bispo, que, acom­pa­nhando o rei Gui­lherme, se tras­ladou da Nor­mandia para a In­gla­terra, e, pro­mo­vido ao epis­co­pado, ce­le­brou a de­di­cação da igreja ca­te­dral e pro­moveu a ad­mi­nis­tração da di­o­cese e a dig­ni­dade do culto divino. († 1099)

13.   Em Parma, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, São Ber­nardo (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que, sendo monge, pro­curou sempre a vida de per­feição, como car­deal o bem da Igreja e como bispo a sal­vação das almas. († 1133).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1133, São Bernardo Umberti, monge e depois abade geral de Valumbrosa. Nomeado legado pontificio na Lombardia, e finalmente bispo de Parma, deu provas das maiores qualidades de liderança, sem jamais perder seus hábitos de simplicidade monástica. (M)

14*.   Em Sena, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o Beato Pedro Pectinário, re­li­gioso da Ordem Ter­ceira de São Fran­cisco, in­signe pela sua pe­cu­liar ca­ri­dade para com os po­bres e os en­fermos, bem como pela sua vida de hu­mil­dade e silêncio. († 1289)

15*.   Em Edo, lo­ca­li­dade do Japão, os be­atos már­tires Fran­cisco Gálvez, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, Je­ró­nimo de Ângelis, pres­bí­tero, e Simão Yempo, re­li­gioso, ambos da Com­pa­nhia de Jesus, que foram quei­mados vivos em ódio à fé. († 1622/1623). Ver página 24: VIDAS DOS SANTOS – 21.pdf (obrascatolicas.com)

16♦.   Em Tó­quio, no Japão, o Beato João Hara Mondo, re­li­gioso da Ordem Ter­ceira de São Fran­cisco e mártir. († 1623)

17*.   Em Co­lónia, na Re­nânia da Prússia, hoje na Ale­manha, o beato Adolfo Kolping, pres­bí­tero, que, ar­den­te­mente so­lí­cito para com os tra­ba­lha­dores e a jus­tiça so­cial, fundou uma as­so­ci­ação de jo­vens ope­rá­rios e a di­fundiu em muitos lugares. († 1865)

18.   Em Ve­rona, na Itália, São João Calábria, pres­bí­tero, que fundou a Con­gre­gação dos Po­bres Servos e das Servas da Di­vina Providência. († 1954).

– Ver “… São João Calábria (Verona8 de outubro de 1873 – Verona4 de dezembro de 1954) nasceu em Verona no dia 8 de outubro de 1873, sétimo e último filho de Luís Calábria, sapateiro, e de Ângela Foschio, empregada doméstica e mulher de grande fé, educada pelo Servo de Deus Pe. Nicolau Mazza, em seu Instituto para meninas pobres…”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/João_Calábria

Ver em 08 de outubro: SÃO JOÃO CALÁBRIA: Nasceu em 8 de outubro de 1873, em Verona, Itália. Muito preocupado com os necessitados, desde o início cultivou o hábito de visitar os doentes, desdobrando-se também na catequese das crianças abandonadas. Fundou a Congregação dos Pobres Servos da Divina Providência e devido às necessidades funda o ramo feminino da Obra, as Pobres Servas da Divina Providência. A orientação básica que costumava repetir era muito simples, como foi toda a sua vida: “Sejamos evangelhos vivos”. Faleceu no dia 4 de dezembro de 1954, quando ofereceu sua vida no lugar da do Papa Pio XII, que na ocasião também estava doente. Quando este recebeu a notícia da morte de padre Calábria, cuja vida acompanhou e admirava, assim o definiu: era um “campeão de evangélica caridade”. Foi canonizado pelo papa João Paulo II em 1999. Ver também “São João Calábria (Verona8 de outubro de 1873 – Verona4 de dezembro de 1954) nasceu em Verona no dia 8 de outubro de 1873, sétimo e último filho de Luís Calábria, sapateiro, e de Ângela Foschio, empregada doméstica e mulher de grande fé, educada pelo Servo de Deus Pe. Nicolau Mazza, em seu Instituto para meninas pobres… Canonizado em 18 de abril de 1999 pelo Papa João Paulo II”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Cal%C3%A1bria

– Ver “Morreu em 4 de dezembro de 1954, foi beatificado pelo Santo Padre João Paulo II em Verona, no dia 17 de abril de 1988, e canonizado pelo mesmo Papa em 18 de abril de 1999, em Roma. A festa litúrgica de São João Calábria é comemorada em 8 de outubro.”: História de São João Calábria (pobresservos.org.br)

– Ver também “Morreu no dia 4 de dezembro de 1954. Na vigília, porém, fez o seu último gesto de caridade: ofereceu a sua vida ao Senhor pelo papa Pio XII, que estava agonizando. Deus aceitou sua oferta: Pe. João Calábria morreu e o Papa, misteriosa e repentinamente recuperou a saúde e viveu por mais quatro anos. O mesmo Pontífice, desconhecendo o último gesto de oferta do Pe. Calábria, mas profundo conhecedor de toda a sua vida, recebendo a notícia de sua morte, em um telegrama de pêsames à Congregação, definiu-o “campeão de evangélica caridade “. O Pe. João Calábria foi beatificado pelo papa João Paulo II no dia 17 de abril de 1988.”:

http://www.vatican.va/news_services/liturgy/saints/ns_lit_doc_19990418_giovanni-calabria_po.html

19. Na Igreja Ortodoxa Oriental, São Clemente de Alexandria. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Clemente_de_Alexandria

– Ver “Clemente de Alexandria ou Tito Flávio Clemente (Atenas (?), c. 150 – Palestina215) foi um escritor, teólogoapologista cristão grego nascido em Atenas… Clemente de Alexandria é tido como santo na Igreja Ortodoxa e entre os católicos orientais. Na Igreja Católica Apostólica Romana, porém, não houve canonização.”: Clemente de Alexandria – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também: https://www.google.com/search?q=s%C3%A3o+clemente+de+alexandria&oq=s%C3%A3o+clemente+de+alexandria&aqs=chrome..69i57j0l2.7265j0j8&sourceid=chrome&ie=UTF-8

– Ver “… São Clemente de Alexandria, professor confessor de Orígenes na Escola de Catequese de Alexandria. Egito. Nascido Titus Flavius ​​Clemens, ele treinou Orígenes e deixou vários escritos. CLEMENTE DE ALEXANDRIA: … dedicando várias páginas à vida e aos escritos deste eminente pai da Igreja, Alban Butler afirma: “O Papa Bento XIV na sua erudita dissertação, dirigida em forma de breve ao Rei de Portugal, prefixada a a edição do Martirológio Romano feita em 1748, mostra de forma excelente que não há razão suficiente para alguma vez inserir o seu nome no Martirológio Romano. A autoridade de certos calendários privados e o costume de biógrafos sagrados é suficiente para dar sua vida neste lugar.” O título de Santo ainda é às vezes concedido a Clemente no uso popular, mas a exclusão deliberada e formal de seu nome do Martirológio Romano é uma razão decisiva para omiti-lo de qualquer coleção comum de vidas de santos…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayDecember04.html

20. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Mesopotâmia, perto do ano de 400, São Marutas, bispo. Nomeado por duas vezes embaixador de Roma junto à corte da Pérsia, aproveitou para reorganizar a Igreja daquele país e recolher as atas dos mártires persas. (M).

Ver São Marutas (páginas 16-18) e também São Sahag e Mesrob páginas 18-19: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2021.pdf

21. Ver em 25 de outubro. Em Pécs, na Hun­gria, Santo Amaro, bispo, que, tendo sido mestre de re­tó­rica du­rante quase toda a sua vida, se fez monge e de­pois foi abade do mos­teiro de São Martinho. († 1070).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 04 de dezembro no ano do Senhor de 1070, São Mauro, monge beneditino de Pannohalma, eleito bispo de Pécs, na Hungria. (X).

– Ver “São Maurício de Pécs ou Mór ( húngaro : Mór pécsi püspök ) foi o primeiro prelado conhecido que nasceu no Reino da Hungria . Ele foi abade da Abadia Beneditina de Pannonhalma entre cerca de 1029 e 1036, e bispo de Pécs do ano 1036 até sua morte por volta do ano 1075. Ele escreveu a Lenda dos Santos Bento e André Zorard , dois eremitas que viveram na região de Nitra em a Eslováquia dos dias modernos . O próprio culto de Maurus foi confirmado pelo Papa Pio IX em 1848. São Maurício de Pécs – https://pt.qaz.wiki/wiki/Saint_Maurus_of_P%C3%A9cs”: São Maurício de Pécs – Saint Maurus of Pécs – qaz.wiki

OBS. NO VIDA DOS SANTOS de 04 de dezembro, São Pedro Crisólogo – páginas 9-15, (cuja memória é 30 de julho. Na Folhinha do Coração de Jesus, São Crisólogo, dia 02 de dezembro)

22. Outros santos do dia 04 de dezembro: págs. 09-24: VIDAS DOS SANTOS – 21.pdf (obrascatolicas.com)            

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

 * “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 04 de dezembro: 4 de dezembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (Todas da internet, foram consultadas no dia de hoje)

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  925-928: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayDecember04.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* SENHOR, NOSSO DEUS E PAI AMADO, OBRIGADO POR TUDO O QUE O SENHOR NOS TEM DADO E PERMITIDO VIVER!

QUERIDA MÃE VIRGEM MARIA, SOCORRA-NOS, PROTEJA-NOS!

SÃO JOSÉ, ANJOS E SANTOS, INTERCEDAM POR NÓS! OBRIGADO! AMÉM!

PAI AMADO, DÊ-NOS ESPÍRITO DE ORAÇÃO, VIGILÂNCIA, RENÚNCIA, PENITÊNCIA! DÊ-NOS ARDOR MISSIONÁRIO PELO E PARA O SENHOR! TIRE-NOS O TORPOR E A TIBIEZA! DÊ-NOS, AMADO PAI, CORAGEM DE LUTAR COM ENTUSIASMO E FORÇA DE VONTADE, MESMO EM SITUAÇÕES SEDUTORAS, DIFÍCEIS E ESPINHOSAS, PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ DE BONS COSTUMES E SANTIDADE POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO. DÊ-NOS A DOCILIDADE DAS OVELHAS! SOBRETUDO, DÊ-NOS A GRAÇA! PEDIMOS EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro).

Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“… Não há nada mais difícil do que a oração, pois não há esforços que os demônios não façam para interromper este poderoso meio de os desanimar (Santo Antão, lembrado em 21 de outubro)

Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guia para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

“… A PAIXÃO VIVE; APENAS ESTÁ REPRIMIDA… ESTÁ APENAS PRESA… AS PAIXÕES VIVEM, APENAS SÃO REPRIMIDAS PELOS SANTOS (COM A GRAÇA DE DEUS!) …”.  SANTAS E SANTOS, INTERCEDAM POR NÓS PARA QUE POSSAMOS REPRIMIR AS PAIXÕES. (SANTO ABRAÃO, ERMITÃO, 27 DE OUTUBRO), conforme páginas 52-53: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

“… a oração por um ente querido é, para o crente, uma forma de apagar qualquer distância, até mesmo a morte. Em oração, permanecemos na presença de Deus na companhia de alguém que amamos, mesmo que essa pessoa tenha morrido antes de nós

“Não devemos transformar o purgatório em um campo de concentração em chamas à beira do inferno – ou mesmo em um ‘inferno por um curto período de tempo’. É uma blasfêmia pensar nisso como um lugar onde um Deus mesquinho cobra a última libra – ou grama – de carne … Santa Catarina de Gênova (Festa dia 15 de setembro, mística do século 15), escreveu ‘fogo’ do purgatório é o amor de Deus ‘queimando’ a alma para que, por fim, a alma esteja totalmente em chamas. É a dor de querer ser feito totalmente digno de Alguém que é visto como infinitamente amável, a dor do desejo de união que agora está absolutamente assegurada, mas ainda não completamente experimentada

(Leonard Foley, OFM, Crendo em Jesus) …”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayNovember02.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, CUIDE DE NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!