Santas e Santos de 22 de julho

Festa de Santa Maria Madalena (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, li­berta de sete de­mó­nios pelo Se­nhor, se tornou sua dis­cí­pula, se­guindo-O até ao monte Cal­vário e, na manhã da Páscoa, me­receu ser a pri­meira a ver o Sal­vador res­sus­ci­tado de entre os mortos e levar aos ou­tros dis­cí­pulos o anúncio da ressurreição. Ver páginas 250-267: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

2.   Em An­cira, na Ga­lácia, hoje An­cara, na Tur­quia, São Platão, mártir. († s. III-IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Ancyra, atual Ancara, na Turquia, o martírio de São Platão, que deu testemunho de Cristo sob a perseguição de Diocleciano (M).

3.   Na África Pro­con­sular, em ter­ri­tório da ac­tual Tu­nísia, os santos már­tires Mas­si­li­tanos, sobre os quais Santo Agos­tinho fez um sermão no ani­ver­sário da sua morte. († s. III-IV)

4.   Em An­ti­o­quia, na Síria, hoje An­takya, na Tur­quia, São Ci­rilo, bispo, que, no tempo do im­pe­rador Di­o­cle­ciano, pa­deceu o cár­cere e o exílio. († c. 306). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 306, São Cirilo, que trabalhou no anúncio do Evangelho em Antioquia durante episcopado que durou cerca de 30 anos (M).

5.   Na for­ta­leza de Sche­maris, nos montes do Cáu­caso, Santo Anas­tásio, monge, que foi dis­cí­pulo de São Má­ximo Con­fessor, com o qual su­portou o cár­cere e a tor­tura por causa da ver­da­deira fé e, tendo che­gado a esta for­ta­leza, ou talvez du­rante o ca­minho, partiu desta vida. († 662)

6.   No mos­teiro de Fon­te­nelle, na Nêus­tria, na ac­tual França, São Van­dre­gi­silo, abade, que, dei­xando a corte do rei Da­go­berto, se­guiu a vida mo­nás­tica em di­versos lu­gares e, pro­mo­vido ao sa­cer­dócio por Santo Au­duíno, bispo de Ruão, fundou e di­rigiu um mos­teiro na flo­resta de Jumièges. († c. 668)

7.   Em Menat, na Gália Ar­ve­nense, também na ac­tual França, São Me­neleu, abade. († c. 700). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 720, São Meneleu, monge. Originário de Précigné, no Anjou, onde uma capela ainda lhe é dedicada, restaurou o antigo mosteiro de Menat, na Auvergne (M).

8*.   Em Pavia, na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Je­ró­nimo, bispo. († s. VIII)

9*.   Em Lódi, também na Lom­bardia, São Gualter, fun­dador da Casa Hos­pital da Misericórdia. († 1224)

10*.   Em Ve­neza, ci­dade do Vé­neto, re­gião da Itália, o Beato Agos­tinho de Bi­ella Fángi, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, que re­a­lizou muitos bons ser­viços em Son­cino, Vi­gé­vano e Veneza. († 1493)

11.   Em Lisboa, ci­dade de Por­tugal, o dia natal de São Lou­renço de Brindes, cuja me­mória é ce­le­brada no dia anterior. († 1619)

12.   Em Car­diff, no País de Gales, os santos Fi­lipe Evans (também na Folhinha do Coração de Jesus), da Com­pa­nhia de Jesus, e João Lloyd, pres­bí­teros e már­tires, que, no rei­nado de Carlos II, foram en­for­cados ao mesmo tempo por se des­co­brir que exer­ciam o sa­cer­dócio na sua pátria. († 1679). Ver páginas 270-271: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

13*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Tiago Lom­bardie, pres­bí­tero de Li­moges e mártir, que, du­rante a grande per­se­guição contra a Igreja, foi en­car­ce­rado em con­di­ções de­su­manas por causa do seu sa­cer­dócio e morreu con­ta­giado por uma en­fer­mi­dade incurável. († 1794)

14.   Em Ma­ji­azhuang, lo­ca­li­dade pró­xima de Dai­ning, no Hebei, pro­víncia da China, os santos már­tires Ana Wang, virgem, Lúcia Wang Wangzhi e seu filho André Wang Tianking, que, du­rante a per­se­guição de­sen­ca­deada pelos “Yihe­tuan”, foram mortos pelo nome de Cristo. († 1900)

15.   Também pró­ximo de Dai­ning, nos ar­re­dores de Yong­nian, ci­dade do Hebei, pro­víncia da China, Santa Maria Wang Lizhi, mártir, que, na mesma per­se­guição, apesar de al­guns pa­gãos a acon­se­lharem a negar ser cristã para salvar a vida, ela de­clarou aber­ta­mente ser serva de Cristo e por isso foi ime­di­a­ta­mente assassinada. († 1900)

16♦.   Em To­ledo, na Es­panha, os be­atos Eu­sébio do Me­nino Jesus (Ovídio Fer­nández Are­nillas), pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e com­pa­nheiros már­tires, que, du­rante a cruel per­se­guição re­li­giosa, foram ví­timas da vi­o­lência dos ini­migos da Igreja e par­tiram ao en­contro do Senhor.  São estes os seus nomes: Eliseu de Jesus Cru­ci­fi­cado (Es­têvão Cu­evas Cas­quero), Her­milo de Santo Eliseu (Pedro Rai­mundo Ro­drí­guez Calle), José Agos­tinho do San­tís­simo Sa­cra­mento (Tomás Ma­teos Sán­chez), Per­feito de Nossa Se­nhora do Carmo (Per­feito Do­mín­guez Monge), Cle­mente dos Sa­grados Co­ra­ções (Cle­mente López Yagüe), re­li­gi­osos da Ordem dos Car­me­litas Descalços. († 1936)

17♦.   Em Bar­ce­lona, na Es­panha, o Beato Luís de Jesus (José Luís Marcou Pe­cavel), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que, na mesma per­se­guição contra a Igreja, con­firmou com o seu sangue a sua fi­de­li­dade ao Senhor. († 1936)

18♦.   Em Roma, a Beata Maria Inês Te­resa do San­tís­simo Sacramento (Ma­nuela de Jesus Árias Es­pi­nosa), virgem, fun­da­dora das Mis­si­o­ná­rias Cla­rissas do San­tís­simo Sacramento. († 1981)

19. São José da Palestina, na Folhinha do Coração de Jesus.

20. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia o martírio de São Teófilo. Preso na ilha de Chipre, confessou até a morte sua fé na Divina Trindade (M).

21. Outros santos do dia 22 de julho: págs. 250-272, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3.VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4.Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5.Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6.Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 21 de julho

São Lou­renço de Brindes, pres­bí­tero e doutor da Igreja, que, tendo en­trado na Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, de­sem­pe­nhou in­can­sa­vel­mente o mi­nis­tério da pre­gação em vá­rias re­giões da Eu­ropa, quer para de­fender a Igreja dos ata­ques dos in­fiéis, quer para pro­mover a re­con­ci­li­ação dos prín­cipes, quer no go­verno da sua Ordem, re­a­li­zando toda a sua ac­ti­vi­dade com sim­pli­ci­dade e hu­mil­dade. Morreu em Lisboa, ci­dade de Por­tugal, no dia 22 de Julho. († 1619). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Lisboa, o nascimento no céu de São Lourenço de Brindisi (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ministro geral dos capuchinhos, pregou diversas missões em toda a Europa, diante do Judaísmo e do Islamismo (R)

2.   Em Mar­selha, na Pro­vença, re­gião da Gália, ac­tu­al­mente na França, São Vítor, mártir. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. III, o nascimento no céu de Santo Victor, mártir, vitorioso pelo nome e pela fé que professou em presença do imperador Maximiano, quando este passava por Marselha. Cassiano fundou, sobre seu túmulo, um mosteiro que teve grande influência nos sécs. XI e XII. (M) († c. 292)

3.   Em Emessa, hoje Homs, na Síria, São Si­meão Salo, que, mo­vido pelo Es­pí­rito Santo, quis ser con­si­de­rado louco por amor de Cristo e ig­nóbil aos olhos dos ho­mens. Também a co­me­mo­ração de São João (também na Folhinha do Coração de Jesus), ere­mita, que, du­rante quase trinta anos, foi com­pa­nheiro de São Si­meão na pe­re­gri­nação aos Lu­gares Santos e no ermo pró­ximo do lago As­fál­tite, na Judeia. († s. IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, São João, monge, que viveu na oração e na penitência no deserto da Síria. (M)

4.   Em Roma, a co­me­mo­ração de Santa Pra­xedes (também na Folhinha do Coração de Jesus), a cujo tí­tulo foi de­di­cada a Deus uma igreja no Esquilino. († a. 491)

5.   Em Es­tras­burgo, ci­dade da Bor­gonha, ac­tu­al­mente na França, Santo Ar­bo­gasto, bispo. († s. VI). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, eremita originário da Aquitânia, que tornando-se bispo de Estrasburgo construiu a catedral de Nossa Senhora, e depois um mosteiro dedicado a São Martinho. (M)

6*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Ga­biel Per­gaud, pres­bí­tero e mártir, que, sendo có­nego re­gular na abadia de Be­au­lieu, no ter­ri­tório de Sain-Brieuc, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, por causa do sa­cer­dócio foi ar­re­ba­tado para fora da abadia e en­car­ce­rado na esquá­lida ga­lera, onde con­sumou o seu mar­tírio, mor­rendo afec­tado por uma en­fer­mi­dade contagiosa. († 1794)

7.   Em Yan­zi­bian, pró­ximo de Yang­ping­guan, na China, Santo Al­be­rico Crescitélli, pres­bí­tero do Pon­ti­fício Ins­ti­tuto das Mis­sões Es­tran­geiras e mártir, que, du­rante a per­se­guição dos “Yihe­tuan”, cru­el­mente es­pan­cado quase até à morte, foi no dia se­guinte ar­ras­tado por um ca­minho pe­dre­goso com os pés li­gados até ao rio, onde, mi­nu­ci­o­sa­mente di­la­ce­rado e fi­nal­mente de­ca­pi­tado, re­cebeu a coroa do martírio. († 1900)

8.   A ca­minho de Dai­ning, pró­ximo de Yong­nian, ci­dade do Hubei, pro­víncia da China, a paixão de São José Wang Yumei, mártir na mesma perseguição. († 1900)

9♦.   Em Mora, pró­ximo de To­ledo, na Es­panha, o Beato Agrí­cola Ro­drí­guez Garcia de los Huertos, pres­bí­tero da di­o­cese de To­ledo e mártir, que du­rante a per­se­guição no com­bate da fé al­cançou a vida eterna. († 1936)

10♦.   Em Morón de la Fron­tera, perto de Se­vilha, na Es­panha, os be­atos már­tires José Limón Limón, pres­bí­tero e José Blanco Salgado, re­li­gioso, ambos da So­ci­e­dade Sa­le­siana, que du­rante a mesma per­se­guição, foram co­ro­ados pelo mar­tírio no tes­te­munho de Cristo. († 1936)

11. Profeta Daniel. Ver páginas 225-246: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

12. Bem-Aventurado Odin Barotti, confessor. Ver páginas 247-248: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

13. Outros santos do dia 21 de julho: págs. 225-249, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3.VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4.Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5.Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6.Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 20 de Julho

Santo Apo­li­nário (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que, ma­ni­fes­tando ao povo as in­son­dá­veis ri­quezas de Cristo, ca­mi­nhava à frente do seu re­banho como bom pastor e, se­gundo a tra­dição, honrou com o seu ilustre mar­tírio a Igreja de Classe, em Ra­vena, na Fla­mínia, ac­tu­al­mente na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália. No dia 23 de Julho partiu para o ban­quete eterno. († c. s. II)

2.   A co­me­mo­ração de Santo Elias o Tesbita, pro­feta do Se­nhor no tempo de Acab e Aca­zias, reis de Is­rael, que rei­vin­dicou os di­reitos do Deus único contra a in­fi­de­li­dade do povo com tanto ardor que pre­fi­gu­rava não só João Bap­tista mas o pró­prio Cristo. Não deixou orá­culos es­critos, mas a sua me­mória é fi­el­mente con­ser­vada, es­pe­ci­al­mente no monte Carmelo. Ver páginas 195-213: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

3.   A co­me­mo­ração de São José Bar­sabás, cha­mado o Justo, dis­cí­pulo do Se­nhor, que os Após­tolos pro­pu­seram, jun­ta­mente com o após­tolo São Ma­tias, para que um deles ocu­passe o lugar de Judas o traidor; mas, em­bora a sorte tenha caído sobre Ma­tias, exer­citou igual­mente o mi­nis­tério da pre­gação e da santidade. Ver páginas 214-215: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

4.   Em An­ti­o­quia da Pi­sídia, na ac­tual Tur­quia, Santa Ma­rinha ou Mar­ga­rida, que, se­gundo a tra­dição, con­sa­grou o seu corpo a Cristo na san­ti­dade e no martírio. († data inc.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Antioquia, no fim do séc. III, Santa Margarida, que consagrou seu corpo a Cristo pela virgindade e pelo martírio. Muito popular durante a Idade Média, foi uma das “vozes” de Santa Joana D’Arc. (M). Ver páginas 216-218: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

5.   Na Etiópia, São Fru­mêncio, bispo, que, tendo sido pri­si­o­neiro, foi de­pois or­de­nado bispo por Santo Ata­násio e pro­pagou o Evan­gelho nesta região. († s. IV)

6.   Em Car­tago, na ac­tual Tu­nísia, Santo Au­rélio (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, co­luna fir­mís­sima da Igreja, que pro­tegeu os fiéis contra os cos­tumes pa­gãos e es­ta­be­leceu a sede epis­copal no lugar onde antes se en­con­trava uma es­tátua da deusa Celeste. († c. 430). Ver páginas 219-220: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

7.   No ter­ri­tório de Bou­logne, na Gália, ac­tu­al­mente na França, São Vul­maro, pres­bí­tero, que da con­dição de hu­milde pastor foi con­du­zido aos es­tudos e ad­mi­tido ao mi­nis­tério sa­cer­dotal; de­pois re­tirou-se num ermo para viver se­gundo o cos­tume dos pa­dres an­tigos e fi­nal­mente fundou em Haut­mont, no Hai­naut, entre os bos­ques da sua terra natal, dois mos­teiros, um para os monges e outro para as sa­gradas virgens. († c. 700)

8.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, São Paulo (também na Folhinha do Coração de Jesus), diá­cono e mártir, que, ins­truído pelo exemplo e pela pa­lavra de São Si­se­nando, não teve medo de cen­surar aos prín­cipes e ma­gis­trados dos Mouros a fal­si­dade do seu culto e foi morto con­fes­sando a fé em Cristo como ver­da­deiro Deus. († 851)

9*.   Em Hil­desheim, na Sa­xónia, re­gião da ac­tual Ale­manha, o Beato Ber­nardo, bispo, que, em­bora cego, go­vernou a sua Igreja du­rante vinte e três anos. († 1153)

10.   Em Seul, na Co­reia, as santas Ma­da­lena Yi Yong-hui, Te­resa Yi Mae-im, Marta Kim Song-im, Luzia Kim, Rosa Kim, Ana Kim Chang-gum e Maria Won Kwi-im, virgem, e São João Bap­tista Yi Kwang-nyol, mártires. († 1839)

11.   Em Nam Dinh, ci­dade do Ton­quim, no ac­tual Vi­etnam, São José Maria Díaz Sanjurgo, bispo da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, na per­se­guição de­sen­ca­deada pelo im­pe­rador Tu Duc, foi con­de­nado à morte em ódio à fé cristã. († 1857)

12.   Em Zhou­jiahe, ci­dade pró­xima de Ying­xian, no Hebei, pro­víncia da China, a paixão dos santos Leão Inácio Mangin e Paulo Denn, pres­bí­teros da Com­pa­nhia de Jesus, que, na per­se­guição de­sen­ca­deada pela seita dos “Yihe­tuan”, quando con­for­tavam ar­den­te­mente os fiéis reu­nidos na igreja, foram sur­pre­en­didos pelos ini­migos que ir­rom­peram no templo e mortos di­ante do altar. Com eles pe­receu também Santa Maria Zhou Wuzhi, que, in­ten­tando pro­teger com o seu corpo São Leão, mi­nistro da sa­grada Eu­ca­ristia, caiu fe­rida de morte. († 1900). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1900, o martírio do Bem-Aventurado Leão-Inácio Mengin, jesuíta de Lorena, que confessou a fé cristã até o derramamento de sangue, juntamente com outros cinquenta e quatro católicos chineses. (X)

13.   Em Lu­ji­azhuang, pró­ximo de Ying­zian, também no Hebei, São Pedro Zhou Rixin, mártir, que, na mesma per­se­guição dos “Yihe­tuan”, pe­rante as in­sis­tên­cias do pre­feito para ab­jurar, negou poder re­negar a sua fé no Deus cri­ador do mundo, e por isso foi decapitado. († 1900)

14.   Em Da­li­acum, ci­dade pró­xima de Wuyi, na mesma pro­víncia da China, Santa Maria Fu Guilin, uma pro­fes­sora que, na mesma per­se­guição, foi en­tregue às mãos dos ini­migos do Evan­gelho de Cristo e morreu de­ca­pi­tada en­quanto in­vo­cava Cristo Salvador. († 1900)

15.   Em Wuqiao Zha­ojia, também no Hebei, a co­me­mo­ração das santas Maria Zhao Guozhi e suas fi­lhas Rosa Zhao e Maria Zhao, que, na mesma per­se­guição, para não serem vi­o­ladas se lan­çaram num poço; mas foram de lá re­ti­radas e con­su­maram o seu martírio. († 1900)

16.   Em De­chau, também no Hebei, a co­me­mo­ração de São Xi Guizi, mártir, que, ainda ca­te­cú­meno, na praça em tu­multo de­clarou ser cristão e, di­la­ce­rado pelos golpes dos ini­migos da fé, foi bap­ti­zado com o seu sangue. († 1900)

17*.   Em Ma­drid, na Es­panha, as be­atas Rita Do­lores do Co­ração de Jesus (Rita Do­lores Pu­jalte y Sán­chez) e Fran­cisca do Co­ração de Jesus (Fran­cisca Aldea y Araújo), vir­gens da Con­gre­gação das Irmãs da Ca­ri­dade do Sa­grado Co­ração de Jesus e már­tires, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa na guerra civil, foram presas pelos ini­migos da Igreja na ca­pela do co­légio e pouco de­pois fu­zi­ladas na praça pública. († 1936)

18♦.   Em Se­vilha, na Es­panha, o Beato An­tónio Fer­nandez Camacho, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que, na mesma per­se­guição contra a Igreja, con­firmou com o seu sangue a sua fi­de­li­dade ao Senhor. († 1936)

19♦.   Em Ma­drid, na Es­panha, os be­atos Luís Fu­rones Furones (Abraão Fu­rones Fu­rones), pres­bí­tero, e Ja­cinto Garcia Riesco, re­li­gioso, ambos da Ordem dos Pre­ga­dores e már­tires, que, na mesma per­se­guição, pela sua in­ven­cível cons­tância na fé al­can­çaram o reino celeste. († 1936)

20♦.   Em Bar­ce­lona, na Es­panha, os be­atos már­tires Lucas de São José (José Tristañy Pujol), pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços, e João José de Jesus Crucificado (João Pá­fila Mon­tlleó), pres­bí­tero da Ordem da San­tís­sima Trin­dade, que, na mesma per­se­guição, me­re­ceram di­ante de Deus om­ni­po­tente a palma da vitória. († 1936)

21♦.   Em Moiá, perto de Bar­ce­lona, na Es­panha, o Beato Jorge de São José (An­tónio Bosch Ver­dura), pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a Igreja, al­cançou a re­com­pensa eterna pelo com­bate da fé. († 1936)

22. Santa Severa, na Folhinha do Coração de Jesus. Em Trèves, Santa Severa, virgem, irmã de Modoaldo, bispo daquela cidade. Falecida em 660. Ver página 224: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

23. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no começo do séc. VIII, São Vulmério, eremita. Os discípulos que vieram reunir-se em torno dele formaram um novo centro de vida monástica em Flandres, que se colocou mais tarde sob seu patrocínio. (M)

24. Bem-Aventurado Gregório Lopes, confessor. Ver páginas 221-223: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

25. Outros santos do dia 20 de julho: págs. 183-, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portuga http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3.VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4.Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5.Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6.Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 19 de julho

1.   Co­me­mo­ração de Santo Epa­fras, que tra­ba­lhou muito pelo Evan­gelho em Co­lossos, em La­o­di­ceia e em Hi­e­rá­polis, a quem o após­tolo São Paulo chama ca­rís­simo, com­pa­nheiro de prisão e fiel mi­nistro de Cristo. Ver páginas 176-177: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

2.   Em Meros, na Frígia, na ac­tual Tur­quia, os santos Ma­ce­dónio, Teó­dulo e Ta­ciano, már­tires, que, no tempo do im­pe­rador Ju­liano o Após­tata, por ordem do go­ver­nador Al­má­quio, foram co­lo­cados sobre grades de ferro em brasa, onde con­su­maram com ale­gria o seu martírio. († c. 362)

3.   No mos­teiro de An­nesis, junto ao rio Íris, no Ponto, também na ac­tual Tur­quia, Santa Ma­crina, virgem, irmã dos santos Ba­sílio Magno, Gre­gório de Nissa e Pedro de Se­baste, eru­dita na Sa­grada Es­cri­tura, que se re­tirou para a vida so­li­tária e foi ad­mi­rável exemplo do amor de Deus e aban­dono da vai­dade do mundo. († 379). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Capadócia, no ano da graça de 379, Santa Macrina, irmã de São Basílio Magno. Na hora de morrer, evocou seu passado dando graças: “Deus eterno, a quem sempre consagrei a minha alma e o meu corpo, desde a minha juventude até agora, possa eu ser recebida em tuas mãos como o incenso diante de Ti” (cf. Vita). (M). Ver páginas 178-179: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

4*.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, São Dio o Taumaturgo, ar­qui­man­drita, na­tural de An­ti­o­quia, que, nesta ci­dade foi or­de­nado sa­cer­dote e cons­truiu um mos­teiro sob a Regra dos Acemetas. († s. V in.)

5.   Em Roma, junto de São Pedro, São Sí­maco, papa, que, de­pois de ter so­frido muito tempo pela facção dos cis­má­ticos, morreu como au­tên­tico con­fessor da fé. († 514). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano de 514, a volta para Deus do Papa São Símaco, que teve que sofrer muito da parte do senado do Rei Teodorico e do próprio clero, mas que acabou sendo reconhecido por todos. Dedicou-se a construir ou a reconstruir igrejas na cidade eterna (M). Ver páginas 151-175: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

6.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, Santa Áurea (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, irmã dos santos már­tires Adolfo (também na Folhinha do Coração de Jesus) e João, que, du­rante a per­se­guição dos Mouros, aco­me­tida pelo medo ab­jurou pe­rante o juiz; mas logo se ar­re­pendeu e, re­no­vando a ba­talha, venceu o ini­migo num novo com­bate com o der­ra­ma­mento do seu sangue. († 856)

7.   Em Utrecht, na Gél­bria da Lo­ta­ríngia, no ter­ri­tório da ac­tual Ho­landa, São Ber­noldo ou Ber­nolfo, bispo, que li­bertou igrejas e mos­teiros do do­mínio dos po­de­rosos, cons­truiu muitas igrejas e fo­mentou nos mos­teiros a ob­ser­vância dos Cluniacenses. († 1054)

8*.   No mos­teiro de Ma­ri­en­burg, na Fran­cónia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, a Beata Es­tila, virgem con­sa­grada, que foi se­pul­tada na igreja por ela construída. († c. 1140)

9*.   Em Fo­linho, na Úm­bria, re­gião da Itália, o Beato Pedro Crisci, que, tendo dis­tri­buído todos os seus bens pelos po­bres, exer­citou o mi­nis­tério na igreja ca­te­dral e viveu em grande hu­mil­dade e pe­ni­tência na torre do cam­pa­nário da igreja. († c. 1323). Ver páginas 180-181: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

10.   Em Chester, na In­gla­terra, São João Plessington, pres­bí­tero e mártir, que, or­de­nado sa­cer­dote em Se­góvia e re­gres­sando à In­gla­terra, foi por isso con­de­nado ao su­plício da forca no rei­nado de Carlos II. († 1679)

11.   Em Lu­ji­a­zuang, lo­ca­li­dade pró­xima de Ying­zian, no Hebei, pro­víncia da China, São João Bap­tista Zhou Wurui, mártir, que, ainda ado­les­cente, se de­clarou aber­ta­mente cristão pe­rante os sec­tá­rios “Yihe­tuan” e por isso foi des­mem­brado e morto a golpes de machado. († 1900)

12.   Em Liucun, pró­ximo da ci­dade de Renkin, também no Hebei, os santos már­tires Isabel Qin Bianzhi e seu filho Simão Qin Chunfu, de ca­torze anos, que, du­rante a mesma per­se­guição dos “Yihe­tuan”, fortes na fé, su­pe­raram toda a cru­el­dade dos inimigos. († 1900)

13*.   Em Bo­rowi­kowsczyzna, na Po­lónia, os be­atos Aquiles Puchala e Her­mano Stepien, pres­bí­teros da Ordem dos Frades Me­nores Con­ven­tuais e már­tires, que, du­rante a ocu­pação da Po­lónia, sua pá­tria, sob um re­gime mi­litar es­tran­geiro, foram mortos em ódio à fé cristã. († 1943)

14. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Sevilha, na Espanha, perto de 297, a paixão das Santas Justa e Rufina, virgens, que confessaram a fé em Cristo, recusando-se a oferecer para o culto de Adônis as cerâmicas cujo valor era seu único ganha-pão. (M).

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no final do séc. VIII, Santo Ambrósio Autpert. Começou como oficial na corte de Pepino o Breve, e foi preceptor do futuro imperador Carlos Magno, mas logo entrou para a vida monástica na abadia de São Vicente, no ducado de Benevento. Autor muito apreciado durante a Idade Média, escreveu comentários à Escritura e várias obras litúrgicas e hagiográficas. (X)

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Egito, no ano do Senhor de 445, Santo Arsênio (também na Folhinha do Coração de Jesus), anacoreta. Pertencente a uma família senatorial romana, foi ordenado diácono por São Dâmaso, e depois viveu por quase cinquenta anos no deserto de Cétia. Contemplado com o dom das lágrimas, são atribuídos a ele os grandes princípios da vida hesicasta.(M)

17. Outros santos do dia 19 de julho: págs.151-182, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portuga http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3.VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4.Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5.Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6.Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 18 de julho

Co­me­mo­ração do Beato Bar­to­lomeu dos Mártires, bispo, que, nas­cido em Lisboa, na fre­guesia dos Már­tires, in­gressou na Ordem dos Pre­ga­dores e foi no­meado para a sede epis­copal de Braga, onde pôs em prá­tica as ori­en­ta­ções do Con­cílio de Trento, no qual par­ti­cipou efi­ci­en­te­mente. In­signe pela in­te­gri­dade da sua vida, em­pe­nhou-se com suma ca­ri­dade pas­toral em acudir às ne­ces­si­dades do seu re­banho e ilus­trou com só­lida dou­trina os seus nu­me­rosos es­critos. Fi­nal­mente, tendo re­nun­ciado ao mi­nis­tério epis­copal, re­tirou-se no Con­vento de Santa Cruz de Viana do Cas­telo, cons­truído por sua ini­ci­a­tiva, onde pros­se­guiu a vida aus­tera de sim­ples re­li­gioso, de­di­cado à oração, ca­ri­dade e es­tudo, e fa­leceu no dia 16 deste mês. († 1590)

2.   Na Via Ti­bur­tina, a nove mi­lhas de Roma, a co­me­mo­ração dos santos Sin­fo­rosa e sete com­pa­nheiros – Cres­cente, Ju­liano, Ne­mésio, Pri­mi­tivo, Jus­tino, Es­tacteu e Eu­génio – már­tires, que su­por­taram o mar­tírio com di­versos gé­neros de tor­tura, como ir­mãos em Cristo. († s. III-IV). Em Tívoli, Santa Sinforosa, mulher de São Getúlio, mártir, e seus sete filhos, Crescêncio, Julião, Nemésio, Primitivo, Justino, Estácio (também na Folhinha do Coração de Jesus), e Eugênio. A mãe, por causa de sua constância insuperável, foi, sob o imperador Adriano, primeiramente, e por muito tempo, esbofeteada e pendurada pelos cabelos, e, por fim presa a uma grande pedra e precipitada ao rio; seus filhos, presos a postes e puxados com polias, receberam o martírio com diversos gêneros de morte. Seus corpos, que tinham sido levados a Roma, foram encontrados sob o pontificado de Pio IV na Igreja do Santo Anjo da Pescaria, título de um cardeal-diácono. Ver página 150: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

3.   Em Milão, na Li­gúria, ac­tu­al­mente na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Ma­terno, bispo, que, res­ta­be­le­cida a li­ber­dade da Igreja, tras­ladou com grande so­le­ni­dade de Lódi para a sua ci­dade os corpos dos már­tires Nabor e Félix. († s. IV)

4.   Em Do­rós­toro, na Mésia, hoje Si­listra, na Bul­gária, Santo Emi­liano, mártir, que, in­di­fe­rente aos editos de Ju­liano o Após­tata e às ame­aças do seu vi­gário Ca­tu­lino, des­truiu o altar dos ídolos para im­pedir o sa­cri­fício e, por isso, ati­rado para uma for­nalha, re­cebeu a palma do martírio. († 362)

5.   Em Bréscia, na Ve­nécia, ac­tu­al­mente na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Fi­lastro, bispo, cuja vida e morte foram lou­vadas por São Gau­dêncio, seu sucessor. († c. 397). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto ee 395, São Filástrio, bispo de Bréscia. Inteiramente consagrado ao serviço de Deus e da Igreja, não teve nenhuma preocupação em relação à glória humana, e mostrava-se muito mais inclinado a reconciliar do que a repreender (M).

6.   Em For­lim­pó­puli, na ac­tual Emília-Ro­manha, também re­gião da Itália, São Ru­filo, bispo, que é con­si­de­rado o pri­meiro a go­vernar esta Igreja e ter con­du­zido a Cristo todo o povo rural deste território. († s. V)

7.   Em Metz, na Aus­trásia, ac­tu­al­mente na França, Santo Ar­nolfo, ou Arnul (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que foi con­se­lheiro de Da­go­berto, rei da Aus­trásia, e de­pois, re­nun­ci­ando ao cargo, se re­tirou para a vida ere­mí­tica nos montes Vosgos. († 640). No Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 640, Santo Arnoldo. Inicialmente conselheiro do rei da Autrásia, foi depois encarregado da Igreja de Metz, e retirou-se, finalmente, para a solidão dos Vosges, onde foi chamado para cuidar dos leprosos (M).

– Ver também Santo Arnulfo de Metz, fundador da dinastia dos Arnulfianos, ancestral de Carlos Magno. Teve uma vida intrigante. Foi casado, depois eremita, Bispo de Metz. Santo Arnulfo é o santo padroeiro dos cervejeiros: https://pt.wikipedia.org/wiki/Arnulfo_de_Metz

– Ver ainda: a curiosa história do Santo padroeiro dos cervejeitos…”No ano de 627, Santo Arnulfo, se retirou a um mosteiro perto de Remiremont na França onde morreu e foi enterrado, em 640. No ano seguinte, os cidadãos de Metz pediram que seu corpo fosse exumado e levado a cidade para enterrá-lo na Igreja local. Enquanto carregavam o corpo de volta, vários fiéis sentiram-se cansados, esgotados e pararam numa taberna para comprar cerveja. Ao entrar, descobriram com tristeza que só havia uma garrafa e tiveram que compartilhar. Surpreendentemente a garrafa nunca acabou e todos puderam beber a cerveja e matar sua sede. O milagre foi atribuído a São Arnulfo e é a razão pela qual a Igreja o considera o santo padroeiro dos cervejeiros”. Ver em:https://pt.churchpop.com/curiosa-historia-do-santo-patrono-dos-cervejeiros-santo-arnulfo-de-metz/

– Ver ainda a linda história do Santo Arnolfo, Bispo de Metz, com vários outros santos de sua família,   nas páginas 130-145: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

8.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, Santa Te­o­dósia, monja, que so­freu o mar­tírio por de­fender uma an­tiga imagem de Cristo que o im­pe­rador Leão, o Isáu­rico, or­de­nara re­mover da cha­mada Porta de Bronze do seu palácio. († s. VIII)

9.   Em Utrecht, na Gél­dria da Aus­trásia, ac­tu­al­mente na Ho­landa, São Fre­de­rico, bispo, que foi exímio co­nhe­cedor da Sa­grada Es­cri­tura e se con­sa­grou com grande zelo à evan­ge­li­zação dos Frisões. († 838). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IX, São Frederico, bispo de Utrecht. Foi assassinado por haver recriminado Luís o indulgente, por causa de sua má conduta, depois de ter sido ele próprio um modelo da lealdade, desapego e bondade (M).

10.   Em Ségni, no Lácio, re­gião da Itália, São Bruno, bispo, que tra­ba­lhou e so­freu muito pela re­no­vação da Igreja e, por isso, obri­gado a deixar a sua sede epis­copal, en­con­trou re­fúgio em Mon­te­cas­sino, ao qual pre­sidiu como abade tem­po­rário do mosteiro. († 1123)

11*.   Em Cra­cóvia, na Po­lónia, São Simão de Lipnica, pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, in­signe pre­gador e de­voto do nome de Jesus, que, im­pe­lido pela sua ca­ri­dade, en­con­trou a morte no cui­dado dos em­pes­tados moribundos. († 1482). Ver página 148: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

12*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato João Bap­tista de Bruxelas, pres­bí­tero de Li­moges e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, foi en­cer­rado na sór­dida ga­lera em ódio ao sa­cer­dócio, onde morreu con­su­mido pela enfermidade. († 1794)

13.   Em Nam Dinh, ci­dade do Ton­quim, hoje no Vi­etnam, São Do­mingos Ni­colau Dinh Dat, mártir, que, sendo sol­dado, cons­tran­gido a negar a fé cristã, de­pois de cruéis tor­turas calcou a cruz; mas ime­di­a­ta­mente ar­re­pen­dido, para ex­piar a culpa da apos­tasia, es­creveu ao im­pe­rador Minh Mang para que fosse de novo jul­gado como cristão e fi­nal­mente morreu estrangulado. († 1859)

14*.   Em Krys­to­nópil, na Ucrânia, a Beata Tar­císia (Olga Mackiv), virgem da Con­gre­gação das Irmãs Es­cravas de Maria Ima­cu­lada e mártir, que, em tempo da guerra, por ter de­fen­dido a fé pe­rante os per­se­gui­dores, al­cançou a dupla vi­tória da vir­gin­dade e do martírio. († 1944)

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Cartago, no começo do séc. III, Santa Gudena, virgem e mártir. (M)

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no deserto de Nístria, no Egito, no séc. IV, São Pambo, discípulo de Santo Antão. Na hora de sua morte, declarou: “Jamais comi qualquer coisa que não tivesse ganho com o meu trabalho. Jamais disse algo que me tivesse causado arrependimento. E estou indo para Deus, mesmo antes de haver começado a servi-lo”! (M). Ver São Pambom, naspáginas 146-147: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

17. Outros santos do dia 18 de julho: págs.125-150 , em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portuga http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3.VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4.Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5.Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6.Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 17 de julho

Co­me­mo­ração dos be­atos már­tires Inácio de Azevedo, pres­bí­tero, e trinta e nove companheiros da Com­pa­nhia de Jesus, que se di­ri­giam para as mis­sões do Brasil numa nau cha­mada «São Tiago», quando foram as­sal­tados por um barco de pi­ratas e pas­sados ao fio da es­pada e golpes de lança em ódio à re­li­gião católica. São estes os seus nomes: Diogo de An­drade, pres­bí­tero; Gon­çalo Hen­ri­ques, diá­cono; An­tónio So­ares, Bento de Castro, João Fer­nandes, Ma­nuel Ál­vares, Fran­cisco Ál­vares, João de Mayorga, Es­têvão de Zu­rara, Afonso de Baena, Do­mingos Fer­nandes, outro João Fer­nandes, Aleixo Del­gado, Luís Cor­reia, Ma­nuel Ro­dri­gues, Simão Lopes, Ma­nuel Fer­nandes, Ál­varo Mendes, Pedro Nunes, Luís Ro­dri­gues, Fran­cisco de Ma­ga­lhães, Ni­colau Dinis, Gaspar Ál­vares, Brás Ri­beiro, An­tónio Fer­nandes, Ma­nuel Pa­checo, Pedro de Fon­toura, André Gon­çalves, Amaro Vaz, Diogo Pires, Marcos Cal­deira, An­tónio Cor­reia, Fer­nando Sán­chez, Gre­gório Es­cri­bano, Fran­cisco Pérez Godoy, João de Zafra, João de San Martin, Simão da Costa, re­li­gi­osos; e ainda João “Agre­gado” (isto é, que se lhes juntou). († 1570).

– Ver dia 15 de julho: Co­me­mo­ração dos be­atos már­tires Inácio de Azevedo, pres­bí­tero, e trinta e nove companheiros da Com­pa­nhia de Jesus, que em Por­tugal se ce­le­bram no dia de­zas­sete deste mês. († 1570). Ver páginas 57-61: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

2.   Em Car­tago, na ho­di­erna Tu­nísia, o dia natal dos santos már­tires ci­li­tanos – Es­pe­rato, Narzal, Ci­tino, Ve­túrio, Félix, Aqui­lino, Le­tâncio, Ja­nuária, Ge­ne­rosa (também na Folhinha do Coração de Jesus), Véstia, Do­nata e Se­gunda – que, por ordem do procônsul Sa­tur­nino, de­pois de terem pro­fes­sado a sua fé em Cristo, foram en­cer­rados no cár­cere; no dia se­guinte, atados a um cepo, por per­se­ve­rarem fir­me­mente a de­clarar-se cris­tãos e a re­cusar prestar ho­me­nagem di­vina ao im­pe­rador, foram con­de­nados à morte; e en­quanto eram de­go­lados ao fio da es­pada, de jo­e­lhos una­ni­me­mente davam graças a Deus. († 180). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Cartago, em 180, a paixão de Seis Cristãos, que segundo as atas de seu martírio, compareceram diante do procônsul, trazendo consigo os Livros Sagrados e as Cartas de São Paulo. “Honramos a César, mas adoramos somente a Deus”! (M). Ver páginas 95-99: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

3.   Em Amás­tris, na Pa­fla­gónia, na ho­di­erna Tur­quia, São Ja­cinto, mártir. († c. s. III)

4.   Em Se­vilha, na Bé­tica, pro­víncia da His­pânia, as santas Justa e Ru­fina, vir­gens, que, apri­si­o­nadas pelo go­ver­nador Di­o­ge­niano, de­pois de so­frerem cruéis su­plí­cios, pa­de­ceram o cár­cere, a fome e ou­tras tor­turas: Justa morreu no ca­ti­veiro; Ru­fina, por con­ti­nuar a pro­fissão de fé no Se­nhor, foi decapitada. († c. 287)

5.   Em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, Santa Mar­ce­lina (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, irmã de Santo Am­brósio, que em Roma, na ba­sí­lica de São Pedro, re­cebeu do papa Li­bério o véu da con­sa­gração no dia da Epi­fania do Senhor. († s. IV f.)

6.   Em Roma, na igreja si­tuada no monte Aven­tino, ce­lebra-se um homem de Deus cha­mado Aleixo (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, se­gundo a tra­dição, deixou a sua casa que era rica, para se fazer pobre e viver in­cog­ni­ta­mente de esmolas. († s. IV)

7.   Em Au­xerre, na Gália Li­o­nense, ac­tu­al­mente na França, São Te­o­dósio, bispo. († s. VI)

8.   Em Pavia, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, Santo Enódio, bispo, que ce­le­brou nos seus hinos as me­mó­rias e tem­plos dos Santos e dis­tri­buiu ge­ne­ro­sa­mente os seus bens. († 521). Ver página 117: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

9*.   Em Deurne, pró­ximo de An­tuérpia, no Bra­bante, re­gião da Aus­trásia, ac­tu­al­mente na Bél­gica, São Fre­de­gando, monge, pro­va­vel­mente pro­ce­dente da Ir­landa, que foi com­pa­nheiro de São Foilão e de ou­tros mis­si­o­ná­rios itinerantes. (†  s. VIII)

10*.   No mos­teiro de Win­chel­combe, na Mércia, re­gião da In­gla­terra, São Ke­nelmo, prín­cipe da Mércia, que é con­si­de­rado mártir. († c. 812)

11.   Em Roma, junto de São Pedro, São Leão IV, papa, de­fensor da ci­dade e apo­lo­gista do pri­mado de Pedro. († 855). Ver páginas 100-116: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

12.   Em Stoc­kerau, no ter­ri­tório de Viena, na Ba­viera, ac­tu­al­mente na Áus­tria, São Co­lo­mano, de origem ir­lan­desa, que se fez pe­re­grino em nome de Deus; ao di­rigir-se para a Terra Santa, foi con­si­de­rado um espia ini­migo e, sus­penso de uma ár­vore, al­cançou a Je­ru­salém celeste. († 1012)

13*.   Em Nitra, junto ao rio Waag, nos montes Cár­patos, em ter­ri­tório da ac­tual Es­lo­vá­quia, os santos André ou Zo­e­rardo e Bento, ere­mitas, que, vindos da Po­lónia para a Hun­gria a pe­dido de Santo Es­têvão, se­guiram num ermo do monte Zobor uma vida de ri­go­rosa austeridade. († 1031 e 1034)

14.   Em Cra­cóvia, na Po­lónia, Santa Ed­viges, rainha, que, nas­cida na Hun­gria, re­cebeu o reino da Po­lónia e, tendo-se ca­sado com Ja­gue­lione, grão-duque da Li­tuânia, que re­cebeu no Bap­tismo o nome de La­dislau, com ele pro­pagou a fé ca­tó­lica na Lituânia. († 1399)

15*.   Em Paris, na França, as be­atas Maria Ma­da­lena Clau­dina Li­doine (Te­resa de Santo Agos­tinho) e quinze companheiras, vir­gens do Car­melo de Compiègne e már­tires, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, por ob­ser­varem fi­el­mente a dis­ci­plina mo­nás­tica foram con­de­nadas à morte e, pe­rante o pa­tí­bulo, re­no­varam as pro­messas da fé bap­tismal e os votos religiosos.  São estes os seus nomes: Maria Ana Fran­cisca Bri­deau (São Luís), Maria Ana Pi­ed­court (Ana Maria de Jesus Cru­ci­fi­cado), Ana Maria Ma­da­lena Thouret (Car­lota da Res­sur­reição), Maria Cláudia Ci­priana Brard (Eu­frásia da Ima­cu­lada Con­ceição), Maria Fran­cisca Ga­briela de Croissy (Hen­ri­queta de Jesus), Maria Ana Ha­nisset  (Te­resa do Co­ração de Maria), Maria Ga­briela Trézel (Te­resa de Santo Inácio), Rosa Cris­tina de Neu­ville (Júlia Luísa de Jesus), Maria Anita Pelras (Maria Hen­ri­queta da Pro­vi­dência), Maria Ge­no­veva Meu­nier (Cons­tância), An­gé­lica Roussel (Maria do Es­pí­rito Santo), Maria Du­four (Santa Marta), Isabel Ju­lieta Vé­rolot (São Fran­cisco Xa­vier), Ca­ta­rina Soiron e Te­resa Soiron. († 1794). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Paris, no ano de 1784, o martírio de Dezesseis Carmelitas de Compiègne, que ofereceram suas vidas em holocausto “pela paz da Igreja e da França” (cf. Decreto de Beatificação, 1905 – X). Ver páginas 118-120:  http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

16.   Em Zhu­ji­a­xi­ezhuang, pró­ximo de Shen­zian, no Hebei, pro­víncia da China, São Pedro Liu Ziyu, mártir, que du­rante a per­se­guição de­sen­ca­deada pelos se­quazes da seita dos “Yihe­tuan”, apesar dos con­se­lhos dis­su­a­sivos dos amigos, per­ma­neceu firme na fé cristã e por isso foi tres­pas­sado ao fio da espada. († 1900)

17*.   Em Le­o­poldov, na Es­lo­vá­quia, o Beato Paulo Goj­dich (Pedro Goj­dich), bispo e mártir, que, sendo pastor dos fiéis no ter­ri­tório de Presov, du­rante o do­mínio dum re­gime hostil a Deus, foi en­car­ce­rado e su­portou tão graves tri­bu­la­ções que, de­pois de atrozes tor­turas, aco­lhendo fi­el­mente as pa­la­vras de Cristo, com uma co­ra­josa pro­fissão de fé passou à vida eterna. († 1960)

18. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VIII, Santa Teodósia, vítima da perseguição iconoclasta. Lutou contra o bispo Atanásio, patriarca intruso, que ocupara a Sé de São Germano, em Constantinopla (M).

19. Outros santos do dia 17 de julho: págs. 95-124, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portuga http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3.VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4.Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5.Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6.Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 16 de julho

Nossa Se­nhora do Carmo, que evoca o monte Car­melo, onde o pro­feta Elias re­con­duziu o povo de Is­rael ao culto do Deus vivo e, mais tarde, ali se re­ti­raram al­guns ere­mitas à pro­cura de so­lidão, cons­ti­tuindo uma ordem de vida con­tem­pla­tiva sob o pa­tro­cínio da Santa Mãe de Deus. Ver páginas 91-92: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

2.   Em Anas­ta­sió­polis, na Ga­lácia, na ho­di­erna Tur­quia, Santo An­tíoco, mártir, irmão de São Platão. († s. III-IV)

3.   Em Se­baste, na an­tiga Ar­ménia, hoje Sivas, na Tur­quia, Santo Ate­nó­genes, co­re­pís­copo e mártir, que deixou aos dis­cí­pulos um hino sobre a di­vin­dade do Es­pí­rito Santo e morreu quei­mado vivo por Cristo. († c. 305). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no começo do séc. IV, Santo Atenogênio, bispo de Sebaste, na Armênia, que foi queimado vivo junto com dez de seus discípulos. Segundo São Basílio, ele compusera um hino no qual proclamava a divindade do Espírito Santo (M).

4*.   Em Jersey, ilha do Mar do Norte, Santo He­lério, ere­mita, que, se­gundo a tra­dição, so­freu o mar­tírio às mãos de piratas. († s. VI)

5*.   Em Ma­as­tricht, no Bra­bante, re­gião da Aus­trásia, ac­tu­al­mente na Ho­landa, os santos Mo­nulfo e Gon­dulfo, bispos. († s. VI/VII)

6.   Em Saintes, no Hai­naut, na ac­tual França, os santos már­tires Rei­nilde, virgem, Gri­mo­aldo e Gon­dulfo, que, se­gundo a tra­dição so­freram o mar­tírio às mãos de salteadores. († c. 680)

7.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, São Si­se­nando, diá­cono e mártir, que foi de­go­lado pelos Mouros por causa da sua fé em Cristo. († 851). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Córdova, em 851, São Sisenando, diácono, cognominado “o Santíssimo Levita”, que proclamou Cristo pelo sacrifício sangrento de sua vida diante do islamismo (M). Ver página 85: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

8*.   No mos­teiro de Chi­emsee, na Ba­viera, re­gião da ac­tual Ale­manha, a Beata Ir­men­garda, aba­dessa, que, desde tenra idade aban­donou o fausto do pa­lácio real e se en­tregou ao ser­viço de Deus, le­vando con­sigo muitas com­pa­nheiras vir­gens para se­guirem o Cordeiro. († 866)

9*.   A paixão do Beato Simão da Costa, re­li­gioso da Com­pa­nhia de Jesus e o úl­timo dos már­tires da nau «São Tiago», que na vés­pera deste dia foram as­sas­si­nados em ódio à Igreja. († 1570)

10*.   Em Viana do Cas­telo, no mos­teiro da Santa Cruz, em Por­tugal, o Beato Bar­to­lomeu dos Mártires, bispo de Braga, cuja me­mória em Por­tugal se ce­lebra no dia de­zoito deste mês. († 1590). Ver páginas 86-87: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

11*.   Em Warwich, na In­gla­terra, os be­atos João Sugar, pres­bí­tero, e Ro­berto Grissold, már­tires, que foram con­de­nados à morte no rei­nado de Jaime I – o pri­meiro por ter en­trado na In­gla­terra como sa­cer­dote, o se­gundo por tê-lo aju­dado – e, ator­men­tados com duros su­plí­cios, al­can­çaram a palma do martírio. († 1604)

12*.   Em Cu­nhaú, ci­dade pró­xima de Natal, no Brasil, os be­atos André de Soveral, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus, e Do­mingos Carvalho, már­tires, que du­rante a ce­le­bração da Missa com um nu­me­roso grupo de fiéis, foram do­lo­sa­mente re­tidos na igreja e bar­ba­ra­mente assassinados. († 1645). Ver sua festa litúrgica no dia 03 de outubro.

– Ver também Protomártires do Brasil, Mártires da Fé. Morte: 16 de julho de 1645 e 3 de outubro de 1645 em Engenho de Cunhaú (Canguaretama) e Comunidade Uruaçú (São Gonçalo do Amarante). Veneração por Igreja Católica. Beatificação: 5 de março de 2000Praça de São PedroVaticano por São João Paulo II. Canonização 15 de Outubro de 2017Vaticano por Papa Francisco. Principal templo: Capela dos Mártires de Cunhaú e Uruaçu. Festa litúrgica: 3 de outubro. Padroeiro do estado do Rio Grande do Norte: https://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A1rtires_de_Cunha%C3%BA_e_Urua%C3%A7u

13*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, os be­atos Ni­colau Sa­vouret, da Ordem dos Frades Me­nores Con­ven­tuais, e Cláudio Bé­guignot, da Ordem Car­tu­siana, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, en­car­ce­rados na sór­dida ga­lera em ódio ao seu sa­cer­dócio, pe­re­ceram con­su­midos pela enfermidade. († 1794)

14*.   Em Orange, na França, as be­atas Amada de Jesus (Maria Rosa de Gordon) e seis companheiras, vir­gens e már­tires, que, na mesma re­vo­lução, tendo-se re­cu­sado a aban­donar a vida re­li­giosa, foram con­de­nadas à morte e re­ce­beram com ale­gria a palma do martírio. São estes os seus nomes: Maria de Jesus (Mar­ga­rida Te­resa Cha­ransol), São Jo­a­quim (Maria Ana Bé­guin-Royal), São Mi­guel (Maria Ana Doux), Santo André (Maria Rosa Laye), Do­ro­teia do Co­ração de Maria  (Do­ro­teia Ma­da­lena Júlia de Jus­ta­mond) e Ma­da­lena do San­tís­simo Sa­cra­mento (Ma­da­lena Fran­cisca de Justamont). († 1794)

15.   No ter­ri­tório de Saint-Sau­veur-le-Vi­comte, na Nor­mandia, re­gião da França, Santa Maria Ma­da­lena Postel (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que, na mesma per­se­guição, pe­rante a ex­pulsão dos sa­cer­dotes, prestou todo o gé­nero de au­xílio aos en­fermos e aos fiéis e, es­ta­be­le­cida a paz, fundou a Con­gre­gação das Fi­lhas da Mi­se­ri­córdia para a for­mação cristã das me­ninas pobres. († 1846). Ver páginas 88-90: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

16.   Em Lu­jiapo, lo­ca­li­dade pró­xima de Qinghe, no Hebei, pro­víncia da China, os santos Lang Yangzhi, ca­te­cú­mena, e Paulo Lang Fu, seu filho, már­tires, que, du­rante a per­se­guição dos «Yihe­tuan», porque a mãe se de­clarou cristã, con­su­maram o mar­tírio por Cristo na sua casa de­vo­rada pelas chamas. († 1900)

17. Na localidade de Zhangjiaji em Hebei Ningjin, Santa Teresa Zhang Hezhi, que durante a mesma perseguição,  pega em um pagode, recusou-se a adorar a divindade do lugar e foi lancinada com seus dois filhos com uma lança.

18. Santo Hilarino (também na Folhinha do Coração de Jesus). Santo Hilarino, monge, que tendo sido preso com São Donato, durante a perseguição de Juliano e recusando-se a sacrificar, foi tratado a golpes de porrete, e terminou o martírio em Arezzo, na Toscana, de onde suas relíquias foram levadas a Óstia. Ver pág. 94: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

19. Santa Rainelda, virgem e mártir no Brabante. Ver página 83: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

20. Santo Eustáquio, bispo de Antioquia. Ver página 84: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

21. Outros santos do dia 16 de julho: págs. 67-94, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portuga http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3.VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4.Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5.Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6.Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 15 de julho

Me­mória do se­pul­ta­mento de São Bo­a­ven­tura (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Al­bano, na Itália, e doutor da Igreja, in­signe pela sua dou­trina, san­ti­dade de vida e emi­nente ac­ti­vi­dade ao ser­viço da Igreja. Di­rigiu com suma pru­dência, como mi­nistro geral, a Ordem dos Me­nores, se­gundo o es­pí­rito de São Fran­cisco. Soube aliar nos seus nu­me­rosos es­critos a am­pli­tude da eru­dição com o ardor da pi­e­dade. Quando tra­ba­lhava na pre­pa­ração do Con­cílio de Lião II, me­receu passar à bem-aven­tu­rada visão de Deus.  Ver páginas 09-25: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf   († 1274)

2.   Em Porto Ro­mano, perto do ac­tual Fiu­mi­cino, na Itália, os santos Eu­trópio, Zó­sima e Bo­nosa (irmãs de Eutrópio, conforme o Martirológio Romano-Monástico), mártires. († data inc.)

3.   Em Car­tago, ac­tu­al­mente na Tu­nísia, junto à Via cha­mada dos Ci­li­tanos, na ba­sí­lica de Fausto, o se­pul­ta­mento de São Félix, bispo de Ti­biuca e mártir, que, res­pon­dendo à ordem do pro­cu­rador Mag­ni­liano para que lan­çasse ao fogo os li­vros da Es­cri­tura, de­clarou que pre­feria ser quei­mado ele mesmo em vez da Es­cri­tura di­vina, e ime­di­a­ta­mente foi morto à es­pada pelo procônsul Anulino. († 303)

4.   Também em Car­tago, a co­me­mo­ração dos santos Ca­tu­lino, diá­cono e mártir, em cuja honra Santo Agos­tinho pregou um sermão ao povo, e ou­tros már­tires (um grupo de Quatro Mártires, conforme o Martirológio Romano-Monástico) cujos corpos re­pousam na ba­sí­lica de Fausto. († 303)

5.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, os santos már­tires Fi­lipe e dez crianças. († c. s. IV)

6.   Na ilha de Té­nedo, no He­les­ponto, junto ao ac­tual es­treito de Dar­da­nelos, Santo Abu­démio, mártir. († s. IV)

7.   Em Ní­sibe, na Me­so­po­tâmia, hoje Nu­saybin, na Tur­quia, São Tiago, pri­meiro bispo desta ci­dade, que par­ti­cipou no Con­cílio de Ni­ceia, go­vernou em paz o seu povo e o de­fendeu dos ata­ques dos ini­migos da fé. († 338). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Mesopotâmia, no ano do Senhor de 338, o retorno para Deus de São Tiago. Célebre asceta, foi mestre espiritual de Santo Efrém. Ao tornar-se bispo, propagou o Evangelho e fundou a Igreja da Nisíbia. Santo Atanásio de Alexandria louvou seu zelo no combate ao arianismo (M). Ver página 51: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

8*.   Em Ro­er­mond, no Bra­bante, re­gião da Aus­trásia, ac­tu­al­mente na Ho­landa, São Ple­quelmo, bispo, que, oriundo da Nor­túm­bria, anun­ciou a muitos as ri­quezas de Cristo. († c. 713)

9*.   No mos­teiro de Ans­bach, na Fran­cónia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, São Gum­berto, abade, que fundou este ce­nóbio na sua herdade. († c. 790)

10.   Na Tes­sália, re­gião da Grécia, o pas­sa­mento de São José, bispo de Tes­sa­ló­nica, irmão de São Te­o­doro Es­tu­dita, que, du­rante a vida de monge, compôs nu­me­rosos hinos e, pro­mo­vido de­pois ao epis­co­pado, su­portou muitas e ás­peras ad­ver­si­dades por de­fender a dis­ci­plina ecle­siás­tica e o culto das sa­gradas ima­gens contra a he­resia ico­no­clasta; fi­nal­mente foi re­le­gado para a Tes­sália, onde morreu de fome. († 832)

11.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, re­gião da Itália, Santo Ata­násio, bispo, que, de­pois de ter so­frido muito da parte do seu ímpio so­brinho Sérgio, foi ex­pulso da sua sede epis­copal e, con­su­mido pelas tri­bu­la­ções, em Vé­roli, ter­ri­tório dos Hér­nicos, no Lácio, subiu à mo­rada celeste. († 872). Ver páginas 55-56: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

12.   Em Kiev, na Rússia, ac­tu­al­mente na Ucrânia, São Vla­dimir, prín­cipe, que re­cebeu no Bap­tismo o nome de Ba­sílio e tra­ba­lhou di­li­gen­te­mente para di­fundir a ver­da­deira fé entre os povos que governava. († 1015). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Rússia, no ano da graça de 1015, São Vladimir. Neto de Santa Olga, recebeu o batismo com seu povo em Quiev e dedicou-se desde então a construir um estado cristão cuja benéfica influência fez-se sentir por diversas gerações.

13*.   Em Rat­ze­burgo, no Hols­tein, na ac­tual Ale­manha, Santo An­suero, abade e mártir, que, com ou­tros vinte e oito monges, foi ape­dre­jado até à morte pelos Vendos, amo­ti­nados contra os pre­ga­dores da fé cristã. († 1066)

14*.   Em Västeras, na Suécia, São David, bispo, que, de na­ci­o­na­li­dade in­glesa, de­pois de ter sido foi monge de Cluny, dali partiu para con­verter os Su­ecos a Cristo e, já an­cião, morreu pi­e­do­sa­mente no mos­teiro que fundara. († c. 1082)

15*.   Em Breslau, na Si­lésia, ac­tu­al­mente na Po­lónia, o Beato Ceslau, pres­bí­tero dos pri­meiros ir­mãos da Ordem dos Pre­ga­dores, que tra­ba­lhou pelo reino de Deus na Si­lésia e nou­tras re­giões da Polónia. († 1242)

16*.   Em Mon­ca­liéri, lo­ca­li­dade do Pi­e­monte, re­gião da Itália, o Beato Ber­nardo, mar­grave de Baden, que foi sur­pre­en­dido pela morte quando se di­rigia para o Ori­ente a fim de de­fender os povos cris­tãos de­pois da con­quista de Cons­tan­ti­nopla pelos inimigos. († 1458)

17*.   Co­me­mo­ração dos be­atos már­tires Inácio de Azevedo, pres­bí­tero, e trinta e nove companheiros da Com­pa­nhia de Jesus, que em Por­tugal se ce­le­bram no dia de­zas­sete deste mês. († 1570). Ver páginas 57-61: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também dia 17 de julho: Co­me­mo­ração dos be­atos már­tires Inácio de Azevedo, pres­bí­tero, e trinta e nove companheiros da Com­pa­nhia de Jesus, que se di­ri­giam para as mis­sões do Brasil numa nau cha­mada «São Tiago», quando foram as­sal­tados por um barco de pi­ratas e pas­sados ao fio da es­pada e golpes de lança em ódio à re­li­gião católica. São estes os seus nomes: Diogo de An­drade, pres­bí­tero; Gon­çalo Hen­ri­ques, diá­cono; An­tónio So­ares, Bento de Castro, João Fer­nandes, Ma­nuel Ál­vares, Fran­cisco Ál­vares, João de Mayorga, Es­têvão de Zu­rara, Afonso de Baena, Do­mingos Fer­nandes, outro João Fer­nandes, Aleixo Del­gado, Luís Cor­reia, Ma­nuel Ro­dri­gues, Simão Lopes, Ma­nuel Fer­nandes, Ál­varo Mendes, Pedro Nunes, Luís Ro­dri­gues, Fran­cisco de Ma­ga­lhães, Ni­colau Dinis, Gaspar Ál­vares, Brás Ri­beiro, An­tónio Fer­nandes, Ma­nuel Pa­checo, Pedro de Fon­toura, André Gon­çalves, Amaro Vaz, Diogo Pires, Marcos Cal­deira, An­tónio Cor­reia, Fer­nando Sán­chez, Gre­gório Es­cri­bano, Fran­cisco Pérez Godoy, João de Zafra, João de San Martin, Simão da Costa, re­li­gi­osos; e ainda João “Agre­gado” (isto é, que se lhes juntou). († 1570)

18.   Em Campi Sa­len­tina, na Apúlia, re­gião da Itália, São Pom­pílio Maria Pirróti, pres­bí­tero da Ordem dos Clé­rigos Re­grantes das Es­colas Pias, in­signe pela aus­te­ri­dade da sua vida. († 1766). Ver páginas 62-63: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

19*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na costa ma­rí­tima da França, o Beato Mi­guel Ber­nardo Marchand, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, por causa do seu sa­cer­dócio foi de­por­tado de Ruão para a prisão na esquá­lida ga­lera, onde morreu con­su­mido pela enfermidade. († 1794)

20.   Em Nam Dinh, ci­dade do Ton­quim, ac­tu­al­mente no Vi­etnam, São Pedro Nguyen Ba Tuan, pres­bí­tero e mártir, que, preso pela sua fi­de­li­dade a Cristo no tempo do im­pe­rador Minh Mang, morreu de fome no cárcere. († 1838)

21*.   Em Paris, na França, a Beata Ana Maria Javouhey, virgem, que fundou a Con­gre­gação das Irmãs de São José de Cluny para o cui­dado dos en­fermos e a for­mação cristã da ju­ven­tude fe­mi­nina, obra que di­fundiu nas terras de missão. († 1851)

22.   Em My Tho, pro­víncia da Co­chin­china, ac­tu­al­mente no Vi­etnam, Santo André Nguyen Kim Thong Nam (Nam Thuong), mártir, que, no tempo do im­pe­rador Tu Duc, por ser ca­te­quista, foi en­car­ce­rado e de­pois en­viado para o exílio, obri­gado a ca­mi­nhar preso com ca­deias e car­re­gando uma trave, até que, fi­nal­mente, con­sumou du­rante a vi­agem o seu martírio. († 1855)

23*.   Em Bi­elsk Po­dlaski, po­vo­ação da Po­lónia, o Beato An­tónio Beszta-Borowski, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a guerra, foi preso pelos ini­migos da fé cristã e fu­zi­lado, mor­rendo por Cristo. († 1943)

24. Santa Justa (também na Folhinha do Coração de Jesus)

25. Santa Rosália (também na Folhinha do Coração de Jesus). Em Palermo, a descoberta do corpo de Santa Rosália, virgem que, sob o pontificado de Urbano VIII, tendo sido encontrado milagrosamente, livrou a Sicilia da peste, no ano do jubileu (ver 4 de setembro, pág. 38: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf ). Ver também: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

26. Santo Henrique, rei da Germânia e Imperador. Ver também 13 de julho. Santo Hen­rique (também na Folhinha do Coração de Jesus, Santo Henrique II), im­pe­rador dos Ro­manos, que, jun­ta­mente com sua es­posa, Santa Cu­ne­gundes, se em­pe­nhou na re­no­vação da vida da Igreja e na pro­pa­gação da fé cristã em toda a Eu­ropa; ani­mado por di­li­gente zelo mis­si­o­nário, ins­ti­tuiu muitas sedes epis­co­pais e fundou mos­teiros. Morreu neste dia em Grone, pró­ximo de Göttingen, na Fran­cónia, na ac­tual Alemanha. († 1024). Ver páginas 38-50: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

OBSERVAÇÃO: Em Bamberg, a morte de Santo Henrique I, imperador dos romanos e confessor: com Santa Cunegunda, sua espôsa, guardou a castidade perpétua. A Santo Estêvão, rei da Hungria, fêz com que abraçasse, com quase todo o reino, a fé católica. Celebra-se-lhe a festa a 15 dêste mês. Ver página 466: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

– Ver também 13 de julho.

27. São Barhadbesaba, mártir. Ver páginas 52-54: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

28. Outros santos do dia 15 de julho: págs. 38-66, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portuga http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3.VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4.Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5.Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6.Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 14 de julho

São Ca­milo de Léllis (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, que, nas­cido em Teano, nos Abruzos, re­gião da Itália, já desde a sua ado­les­cência se­guiu a vida mi­litar e fre­quentou os ví­cios do mundo; fi­nal­mente con­ver­tido, de­dicou-se fer­vo­ro­sa­mente ao ser­viço dos en­fermos no hos­pital dos in­cu­rá­veis, como se fossem o pró­prio Cristo e, or­de­nado sa­cer­dote, lançou em Roma os fun­da­mentos da Con­gre­gação dos Clé­rigos Re­grantes Mi­nis­tros dos Enfermos. († 1614). Ver páginas 125-129: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

2.   Em Bréscia, na Ve­nécia, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, Santo Op­ta­ciano, bispo, que subs­creveu a carta si­nodal sobre a fé ca­tó­lica a res­peito da En­car­nação, en­viada por Eu­sébio, bispo de Milão, ao papa São Leão. († s. V)

3*.   Em Soig­nies, no Bra­bante da Aus­trásia, ac­tu­al­mente na Bél­gica, São Vi­cente ou Ma­del­gário, que, com o as­sen­ti­mento da es­posa Santa Val­de­trudes, abraçou a vida mo­nás­tica e, se­gundo a tra­dição, fundou dois mosteiros. († c. 677)

4.   Em De­venter, na Frísia, ac­tu­al­mente na Ho­landa, São Mar­quelmo, pres­bí­tero e monge, de origem in­glesa, que desde a in­fância foi dis­cí­pulo de São Vi­li­brordo e seu com­pa­nheiro nos tra­ba­lhos de evangelização. († c. 775)

5*.   Em Stary Kins­perk, pró­ximo de Eger, na Boémia, ac­tu­al­mente na Ché­quia, o Beato Cros­nato, mártir, que, de­pois da morte da es­posa e do filho, aban­donou a corte do rei para en­trar no ce­nóbio dos Pre­mons­tra­tenses em Teplá e, ao de­fender os di­reitos do mos­teiro, foi feito pri­si­o­neiro e aban­do­nado até morrer de fome. († 1217)

6*.   Em Ve­rona, no Vé­neto, re­gião da Itália, Santa Tos­cana, que, de­pois da morte do es­poso, deu todos os seus bens aos po­bres e se de­dicou in­can­sa­vel­mente, na Ordem de São João de Je­ru­salém, ao cui­dado dos enfermos. († 1343/1344)

7*.   Em Fo­linho, na Úm­bria, também re­gião da Itália, a Beata An­ge­lina de Marsciano (dia 13 de julho na Folhinha do Coração de Jesus), que, ao ficar viúva, se con­sa­grou to­tal­mente, du­rante mais de cin­quenta anos, ao ser­viço de Deus e do pró­ximo e deu início à ordem re­li­giosa das Ter­ciá­rias Fran­cis­canas de clau­sura, para se de­dicar à edu­cação da ju­ven­tude feminina. († 1435)

8*.   Em Va­lência, na Es­panha, o Beato Gaspar de Bono (também na Folhinha do Coração de Jesus, Gaspar de Bene) pres­bí­tero da Ordem dos Mí­nimos, que aban­donou as armas dos prín­cipes ter­renos para servir a Cristo Rei e go­vernou as casas da pro­víncia es­pa­nhola da Ordem com zelo, pru­dência e caridade. († 1604). Ver páginas 31-32: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

9.   Em Lima, no Peru, São Fran­cisco So­lano (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, que, para a sal­vação das almas, per­correu por toda a parte as re­giões da Amé­rica do Sul e, com a sua pa­lavra e o seu tes­te­munho, en­sinou aos in­dí­genas e aos pró­prios co­lonos es­pa­nhóis a no­vi­dade da vida cristã. († 1610)

10*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, o Beato Ri­cardo Langhorne, mártir, in­signe ju­rista, que, acu­sado fal­sa­mente de cons­pi­ração, no rei­nado de Carlos II, foi con­de­nato à morte e en­tregou a alma a Deus no pa­tí­bulo de Tyburn. († 1679). Ver páginas 33-34: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

11*.   Em Ce­recca-Ghe­baba, lo­ca­li­dade da Etiópia, o Beato Ghebre Mi­guel, pres­bí­tero da Con­gre­gação da Missão e mártir, que, pro­cu­rando sempre a ver­da­deira fé no es­tudo e na oração, fi­nal­mente en­trou na uni­dade da Igreja ca­tó­lica; por isso, so­freu du­rante treze meses o cár­cere e ca­mi­nhadas for­çadas im­pe­lido por sol­dados, com os pés presos com ca­deias, até que morreu con­su­mido pelas in­ces­santes fla­ge­la­ções, pela sede e pela fome. († 1855)

12.   Em Nan­gong, ci­dade do Hebei, pro­víncia da China, São João Wang Guixin, mártir, que, du­rante a per­se­guição dos “Yihe­tuan”, re­cusou man­char-se com uma pe­quena men­tira que lhe pou­pava a vida ter­rena e morreu por Cristo. († 1900)

13. No meio do séc. III, Santo Héraclas. Bispo, passou a maior parte de sua vida ensinando. Primeiro sob a direção de Orígenes em sua escola de Alexandria, e depois como pastor daquela cidade por dezesseis anos (M). Ver página 27-28: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

14. Perto de 350, São Félix, primeiro bispo de Como. Mesmo sendo a evangelização pouco avançada e o clero pouco numeroso, conseguiu ganhar para Cristo a maioria dos habitantes, graças a um trabalho incessante (M). Ver página 26: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

15. Bem-aventurado Humberto de Romanos. Ver páginas 29-30: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

16. Outros santos do dia 14 de julho: págs. 09-37, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portuga http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3.VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4.Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5.Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6.Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 13 de julho

Santo Hen­rique (também na Folhinha do Coração de Jesus, Santo Henrique II), im­pe­rador dos Ro­manos, que, jun­ta­mente com sua es­posa, Santa Cu­ne­gundes, se em­pe­nhou na re­no­vação da vida da Igreja e na pro­pa­gação da fé cristã em toda a Eu­ropa; ani­mado por di­li­gente zelo mis­si­o­nário, ins­ti­tuiu muitas sedes epis­co­pais e fundou mos­teiros. Morreu neste dia em Grone, pró­ximo de Göttingen, na Fran­cónia, na ac­tual Alemanha. († 1024). Ver páginas 38-50: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

OBSERVAÇÃO: Em Bamberg, a morte de Santo Henrique I, imperador dos romanos e confessor: com Santa Cunegunda, sua espôsa, guardou a castidade perpétua. A Santo Estêvão, rei da Hungria, fêz com que abraçasse, com quase todo o reino, a fé católica. Celebra-se-lhe a festa a 15 dêste mês. Ver página 466: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

– Ver também 15 de julho.

2.   Co­me­mo­ração de Santo Es­dras, sa­cer­dote e es­criba, que, no tempo de Ar­ta­xerxes, rei dos Persas, re­gres­sando da Ba­bi­lónia para a Ju­deia, con­gregou o povo dis­perso e se em­pe­nhou com grande di­li­gência para que a lei do Se­nhor fosse in­ves­ti­gada, posta em prá­tica e en­si­nada em Israel. Ver páginas 418-436: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

3.   Co­me­mo­ração de São Silas, que, des­ti­nado pelos Após­tolos, jun­ta­mente com os santos Paulo e Bar­nabé, à Igreja dos gen­tios, cheio da graça de Deus, exerceu in­can­sa­vel­mente o mi­nis­tério da pre­gação do Evangelho. Ver páginas 446-456: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

4.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, São Se­ra­pião, mártir, que, no tempo do im­pe­rador Se­vero e do pre­feito Áquila, foi quei­mado vivo e assim al­cançou a coroa do martírio. († c. 212)

5.   Em Quios, ilha da Grécia, no Mar Egeu, Santa Mi­rope (Miropa, conforme o Martirológio Romano-Monástico), mártir. († s. III/IV)

6.   Em Fi­lo­mélio, na Frígia, na ho­di­erna Tur­quia, os santos már­tires Ale­xandre e trinta sol­dados, que, se­gundo a tra­dição, so­freram o mar­tírio no tempo de Magno, pre­feito de An­ti­o­quia da Pisídia. († s. IV)

7.   Em Albi, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, o pas­sa­mento de Santo Eu­génio, bispo de Car­tago, glo­rioso pela sua fé e sua vir­tude, que so­freu o exílio du­rante a per­se­guição dos Vândalos. († 501). Ver páginas 392-417: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

8.   Na Bre­tanha Menor, também na ac­tual França, São Tu­riavo (Turião, conforme o Martirológio Romano-Monástico), abade do mos­teiro de Dol e bispo. († s. VII/VIII)

9*.   Em Gé­nova, na Li­gúria, re­gião da Itália, o Beato Jaime de Vorágine, bispo, da Ordem dos Pre­ga­dores, que, para pro­mover a vida cristã no povo, propôs nos seus es­critos muitos exem­plos de virtude. († 1298)

10*.   Em Norwich, na In­gla­terra, o Beato Tomás Tunstal, pres­bí­tero da Ordem de São Bento e mártir, que, no rei­nado de Jaime I, por ter en­trado na In­gla­terra como sa­cer­dote, foi con­de­nado à morte e sus­penso no patíbulo. († 1616)

11*.   Num sór­dido barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, os be­atos Luís Ar­mando José Adam, da Ordem dos Frades Me­nores Con­ven­tuais, e Bar­to­lomeu Jar­rige de la Mo­rélie de Biars, pres­bí­teros e már­tires, que, na per­se­guição de­sen­ca­deada contra a Igreja, foram con­de­nados, como sa­cer­dotes ca­tó­licos, à prisão na ga­lera, onde mor­reram atin­gidos pelo con­tágio da en­fer­mi­dade, ví­timas da sua ca­ri­dade para com os com­pa­nheiros de cativeiro. († 1794)

12*.   Em Orange, na Pro­vença, re­gião da França, as be­atas Ma­da­lena da Mãe de Deus (Isabel Verchière) e cinco com­pa­nheiras, vir­gens e már­tires na mesma revolução. São estes os seus nomes: Maria da Anun­ci­ação (Te­resa Hen­ri­quina Faurie), Santo Aleixo (Ana An­dreia Mi­nutte), São Fran­cisco (Maria Ana Lam­bert), Santa Fran­cisca (Maria Ana De­peyre)  e São Ger­vásio (Maria Anas­tásia de Roquart). († 1794)

13.   Em Chau Doc, ci­dade da Co­chin­china, ac­tu­al­mente no Vi­etnam, São Ma­nuel Lê Van Phung, mártir, pai de fa­mília que, em­bora de­tido no cár­cere, não cessou de exortar os fi­lhos e fa­mi­li­ares à ca­ri­dade para com os per­se­gui­dores e, fi­nal­mente, foi de­ca­pi­tado por ordem do im­pe­rador Tu Duc. († 1859)

14.   Em Bú­drio, na Fla­mínia, hoje na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, Santa Clélia Barbiéri, virgem, que se de­dicou à for­mação es­pi­ri­tual da ju­ven­tude fe­mi­nina e fundou a Con­gre­gação das Mí­nimas de Nossa Se­nhora das Dores, con­sa­grada prin­ci­pal­mente à for­mação hu­mana e cristã das me­ninas po­bres e indigentes. († 1870)

15*.   Em Ga­le­azza Pé­poli, perto de Bo­lonha, também na Itália, o Beato Fer­nando Maria Bacciliéri, pres­bí­tero, que as­sistiu com grande di­li­gência o povo que lhe foi con­fiado e fundou a Con­gre­gação das Servas de Maria, para ajudar as fa­mí­lias po­bres e es­pe­ci­al­mente para a for­mação da ju­ven­tude feminina. († 1893)

16.   Em Lang­ziqiao, pró­ximo de Hengshui, no Hebei, pro­víncia da China, São Paulo Liu Jinde, mártir, homem de avan­çada idade, que, du­rante a per­se­guição de­sen­ca­deada pelos “Yihe­tuan”, sendo o único cristão que per­ma­neceu na­quela po­vo­ação, foi ao en­contro dos per­se­gui­dores com o ro­sário e o livro de ora­ções na mão e os saudou de modo cristão, pelo que foi ime­di­a­ta­mente assassinado. († 1900)

17.   Em Nan­gong, ci­dade do Hebei, também pro­víncia da China, São José Wang Guiji, mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição dos “Yihe­tuan”, re­jei­tando a ten­tação de salvar a vida com uma pe­quena men­tira que lhe su­ge­riam, pre­feriu a morte glo­riosa por Cristo. († 1900)

18. Na cidade de Angostura em Colômbia, Beato Mariano Jesus Euse Hoyos, sacerdote, que era famoso pela simplicidade e a integridade da vida e dedicou-se à oração, estudos e formação cristã das crianças.

19♦.   Em Ni­e­mowicze, perto de Grodno, na Po­lónia, hoje na Bi­e­lor­rúsia, a Beata Ma­riana Biernacka, viúva e mártir. († 1943)

20*.   Em São João de Porto Rico, o Beato Carlos Ma­nuel Ro­drí­guez Santiago, que se de­dicou in­ten­sa­mente à re­forma da sa­grada li­turgia e à di­fusão da fé entre os jovens. († 1963)

21. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VII, antes da nossa era, o Profeta Joel (também na Folhinha do Coração de Jesus), que anunciou “o dia do Senhor”, realizado em Pentecostes peoa efusão do Espírito Santo (M). Ver páginas 437-445: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

21. Santa Angelina de Marsciano, na Folhinha do Coração de Jesus. Ver dia 14 de julho no Martirológio Italiano e neste blog.

22. Santo Estêvão, confessor. Ver páginas 457-458: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

23. Santa Sara, virgem. Ver páginas 459-460: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

24. Santa Golindouch, mártir. Ver páginas 461-465: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

25. Outros santos do dia 13 de julho: págs. 392-466, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portuga http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3.VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4.Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5.Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6.Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular