Santas e Santos de 08 de agosto

Me­mória de São Do­mingos de Gusmão (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, có­nego de Osma, ci­dade da pro­víncia de Sória, na Es­panha, que hu­mil­de­mente se de­dicou ao mi­nis­tério da pre­gação nas re­giões per­tur­badas pela he­resia dos Al­bi­genses e viveu vo­lun­ta­ri­a­mente nas pri­va­ções da po­breza, fa­lando sempre com Deus ou de Deus. De­se­joso de en­con­trar uma nova forma de pro­pagar a fé, fundou a Ordem dos Pre­ga­dores, para re­novar na Igreja a forma de vida apos­tó­lica, man­dando aos seus ir­mãos que se de­di­cassem ao ser­viço do pró­ximo com a oração, o es­tudo e o mi­nis­tério da pa­lavra. Morreu em Bo­lonha, ci­dade da Itália, no dia seis de Agosto. († 1221).

CONFORME ANOTAÇÕES DE 06 DE AGOSTO: Em Bo­lonha, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, o dia natal (aniversário da morte) de São Do­mingos de Gusmão, pres­bí­tero, cuja me­mória se ce­lebra no dia oito deste mês. († 1221). No Martirológio Romano-Monástico, de 08 de agosto, memória de São Domingos de Gusmão, sacerdote, morto em Bolonha no dia 06 de agosto de 1221. Originário da Província de Burgos, na Espanha, tomou aos vinte e oito anos o hábito dos cônegos regulares de Osma. Após ter esta estabelecido um convento de religiosas em Prouille, perto de Toulouse, fundou nesta cidade a Ordem Mendicante dos Frades Pregadores, para a difusão, através da pregação, da verdade contemplada e aprofundada pelos estudos Teológicos. (R). Conforme o Martirológio Romano e o Martirológio Romano Italiano de 08 de agosto, memória de São Domingos de Gusmão, presbítero, cónego de Osma, cidade da província de Sória, na Espanha, que humildemente se dedicou ao ministério da pregação nas regiões perturbadas pela heresia dos Albigenses e viveu voluntariamente nas privações da pobreza, falando sempre com Deus ou de Deus. Desejoso de encontrar uma nova forma de propagar a fé, fundou a Ordem dos Pregadores, para renovar na Igreja a forma de vida apostólica, mandando aos seus irmãos que se dedicassem ao serviço do próximo com a oração, o estudo e o ministério da palavra. Morreu em Bolonha, cidade da Itália, no dia seis de Agosto. Ver VIDAS DOS SANTOS: págs. 94-123: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

– Ver também, a prática e a instituição do Santo Rosário por São Domingos, às páginas 109-123: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

– Ver ainda “Palavras de João Paulo II sobre o Rosário”: https://www.acidigital.com/rosario/papa.htm                                                                               e ainda “O Rosário do Papa João Paulo II incluindo os mistérios luminosos”:  http://www.derradeirasgracas.com/2.%20Segunda%20P%C3%A1gina/As%20Devo%C3%A7%C3%B5es/3.%20ORA%C3%87%C3%95ES%20GERAIS/O%20Ros%C3%A1rio%20do%20papa%20Jo%C3%A3o%20Paulo%20II.htm

– e mais, a CARTA APOSTÓLICA ROSARIUM VIRGINIS MARIAE”: http://w2.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/apost_letters/2002/documents/hf_jp-ii_apl_20021016_rosarium-virginis-mariae.html

OBSERVAÇÃO: SÃO JOÃO PAULO II ERA DOMINICANO.

1. BEM-AVENTURADA JOANA DE ASA, mãe de São Domingos de Gusmão. Ver páginas 219-220: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

2.   Em Al­bano, na Via Ápia, a quinze mi­lhas da ci­dade de Roma, os santos Se­gundo, Car­pó­foro, Vi­to­rino e Se­ve­riano, mártires. († s. III f.-IV in.)

3.   Em Roma, na milha sé­tima da Via Os­ti­ense, os santos Ci­ríaco, Largo, Cres­cen­ciano, Mémia, Ju­liana e Es­me­raldo, mártires. († s. IV in.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, na Via Óstia, o martírio dos Santos Ciríaco, Largo, Crescenciano, Mêmia, Juliana e Esmaragdo. (M). Ver páginas 214-216: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

4.   Em Tarso, na Ci­lícia, na ac­tual Tur­quia, a paixão de São Ma­rinho, an­cião de Ana­zarbo, que, no tempo do im­pe­rador Di­o­cle­ciano e do go­ver­nador Lí­sias, foi de­go­lado, e o seu corpo, por ordem do pre­feito, lan­çado ao pasto das feras. († c. 303-311). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no começo do séc. IV, o martírio de São Marino. (M)

5.   Em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, Santo Eu­sébio, bispo, que tra­ba­lhou as­si­du­a­mente para manter a ver­da­deira fé e re­cons­truiu a igreja ca­te­dral des­truída pelos Hunos. († c. 462)

6.   Em Vi­enne, na Gália Li­o­nense, hoje na França, São Se­vero, presbítero. († c. s. V)

7*.   Em Bor­déus, na Aqui­tânia, também na ac­tual França, São Mú­mulo, abade de Fleury. († 678). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VII, São Leodebaldo, fundador e primeiro abade de Fleury sur-Loire, juntamente coom São Mamolo, seu sucessor, que transferiu de Monte Cassino para a França os corpos de São Bento e de Santa Escolástica, conforme uma antiga lenda não comprovada. (X)

8.   Em Cí­zico, no He­les­ponto, na ac­tual Tur­quia, Santo Emi­liano (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que por de­fender o culto das sa­gradas ima­gens su­portou muitos tor­mentos da parte do im­pe­rador Leão e morreu no exílio. († s. IX). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Helesponto, Santo Emiliano, bispo de Cisíquia, morto no exílio por ter recusado a intervenção imperial em assunto religioso. (M)

9*.   No mos­teiro de Götweig, na Áus­tria, Santo Alt­mano, bispo de Passau, que fundou nu­me­rosas co­mu­ni­dades de clé­rigos com a regra de Santo Agos­tinho, res­taurou a dis­ci­plina do clero e por de­fender a li­ber­dade da Igreja morreu no exílio, ex­pulso da sua sede pelo im­pe­rador Hen­rique IV. († 1091). Ver Santo Almano, páginas 217-218: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

10*.   Em Gal­lese, pró­ximo de Vi­terbo, na Tos­cana, hoje no Lácio, re­gião da Itália, São Fa­mião, ere­mita, na­tural de Co­lónia, que dis­tri­buiu os seus bens pelos po­bres e, de­pois de vá­rias pe­re­gri­na­ções, morreu neste lugar com o há­bito cisterciense. († c. 1150)

11*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, o Beato João Felton, mártir, que, por ter afi­xado pu­bli­ca­mente a bula de ex­co­mu­nhão pro­cla­mada pelo papa São Pio V contra a rainha Isabel I, foi cru­el­mente es­quar­te­jado junto à ca­te­dral de São Paulo e, in­vo­cando o nome de Jesus, con­sumou glo­ri­o­sa­mente o seu martírio. († 1570)

12*.   Em York, também na In­gla­terra, o Beato João Fin­gley, pres­bí­tero e mártir, que, no mesmo rei­nado de Isabel I, foi con­de­nado à morte e en­for­cado por ser sa­cer­dote. Com ele co­me­mora-se também o Beato Ro­berto Bid­ken­dike, mártir, que, no mesmo tempo mas em dia e ano in­certos, pa­deceu os mesmos tor­mentos por se ter re­con­ci­liado com a Igreja católica. († 1586)

13.   Em Xi­xi­a­odun, perto de Xi­nhe­xian, no Hebei, pro­víncia da China, São Paulo Ke Tingzhu, mártir, que, sendo di­ri­gente de uma al­deia de cris­tãos, du­rante a per­se­guição de­sen­ca­deada pelos se­quazes da seita dos “Yihe­tuan”, foi es­quar­te­jado, membro após membro, dando aos ou­tros cris­tãos um lu­mi­noso exemplo de cons­tância na pro­fissão da fé. († 1900)

14*.   Em Za­mora, na Es­panha, Santa Bo­ni­fácia Ro­drí­guez de Castro, virgem, que, ar­den­te­mente em­pe­nhada na pro­moção cristã e so­cial das mu­lheres através da oração e do tra­balho, fundou a Con­gre­gação das Servas de São José, se­gundo o mo­delo da Sa­grada Fa­mília de Nazaré. († 1905)

15*.   Em Sydney, na Aus­trália, Santa Maria da Cruz (Maria He­lena Mac­Killop), virgem, que fundou a Con­gre­gação das Irmãs de São José e do Sa­grado Co­ração e a di­rigiu entre muitas tri­bu­la­ções e adversidades. († 1909)

16*.   Em Póggio a Caiano, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, a Beata Maria Mar­ga­rida (Maria Ana Rosa Caiáni), virgem, que fundou o Ins­ti­tuto Fran­cis­cano das Irmãs Mí­nimas do Sa­grado Co­ração, para a ins­trução da ju­ven­tude e a as­sis­tência aos enfermos. († 1921)

17*.   No lugar cha­mado El Saler, perto de Va­lência, na Es­panha, o Beato An­tónio Sil­vestre Moya, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, pelo seu in­que­bran­tável tes­te­munho de Cristo al­cançou vi­to­ri­o­sa­mente o reino celeste. († 1936)

18*.   Em Va­lência, também na Es­panha, as be­atas Maria do Me­nino Jesus (María Jo­sefa An­tonia Bal­dillou y Bullit) e com­pa­nheiras, vir­gens do Ins­ti­tuto das Fi­lhas de Maria das Es­colas Pias e már­tires, que, na mesma per­se­guição, de­pois de so­frer a vi­o­lência dos ini­migos da Igreja, foram glo­ri­o­sa­mente ao en­contro de Cristo, seu Esposo. São estes os seus nomes: Apre­sen­tação da Sa­grada Fa­mília (Pas­co­a­lina Gallén y Marti), Maria Luísa de Jesus (Maria Luísa Giron y Ro­mera), Car­mela de São Fi­lipe Néri (Na­zária Gómez y Le­zaun) e Cle­mência de São João Bap­tista (An­tónia Riba y Mestres). († 1936)

19♦.   Em San An­dréu de Pa­lomar, na Ca­ta­lunha, também na Es­panha, o Beato An­tero Mateo Garcia, pai de fa­mília e mártir, que, sendo pai de fa­mília, du­rante a mesma per­se­guição foi re­ce­bido na glória do Senhor. († 1936)

20♦.   Em Villat de Olalla, lo­ca­li­dade da pro­víncia de Cu­enca, também na Es­panha, os be­atos e már­tires Cruz La­plana y Laguna, bispo de Cu­enca e Fer­nando Español Berdié, pres­bí­tero da mesma di­o­cese, que, na mesma per­se­guição, me­receu re­ceber a su­blime palma do martírio. († 1936)

21♦.   Em Tra­ver­seras, na Ca­ta­lunha, também na Es­panha, os be­atos Di­o­nísio Luís (Ma­teus Mo­linos Co­loma) e Le­o­nardo José (José Maria Ara­gonês Mateu), re­li­gi­osos, re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e már­tires na mesma per­se­guição contra a fé cristã. († 1936)

22♦.   Em Fu­ente el Fresno, perto de Ciudad Real, também na Es­panha, o Beato Fi­lipe José (Pedro João Ál­varez Pérez), da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e már­tires, que con­sumou egre­gi­a­mente o seu com­bate por Cristo. († 1936)

23♦.   Em Val­li­rana, lo­ca­li­dade da pro­víncia de Bar­ce­lona, também Es­panha, as be­atas Maria do Carmo Za­ra­goza Za­ra­goza e Maria Rosa Adrover Marti (An­tónia Adrover Marti), vir­gens da Con­gre­gação das Do­mi­ni­canas de Santa Ca­ta­rina de Sena e már­tires, que, na mesma per­se­guição, com­ba­tendo pela fé em Cristo Es­poso, al­can­çaram a re­com­pensa eterna. († 1936)

24♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, o Beato Ni­colau de la Torre Merino, re­li­gioso da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir. († 1936)

25*.   Em Gusen, lo­ca­li­dade da Ale­manha, o Beato Vla­di­miro Las­kowski, pres­bí­tero e mártir, que, em tempo da guerra, foi de­por­tado por causa da sua fé para este campo de con­cen­tração e, atroz­mente tor­tu­rado, al­cançou a glória do martírio. († 1940)

26. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano do Senhor de 1546, o BemAventurado Pedro Fabre (ou Lefèvre). Originário de Savóia, era o único membro de língua francesa no grupo fundador da Companhia de Jesus. Recrutou diversas vocações na Itália, na Alemanha e na Espanha. (X). Ver páginas 221-223: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

27. São Miro (também na Folhinha do Coração de Jesus). Conforme VIDAS DOS SANTOS, em Creta, São Miro, bispo, afamado por seus milagres. Ver página 233: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf 

28. No “VIDAS DOS SANTOS”, Santo Hormisdas e outros Mártires, na Pérsia. Ver páginas 210-213: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

29. SANTOS AUXILIADORES: Conforme o VDAS DOS SANTOS, eis os Santos Auxiliadores: 1. São Jorge, acompanhado do dragão, que cura enfermidades dartrosas (afecções cutâneas); 2. São Brás, representado com dois círios cruzados, que livra os devotos dos males da garganta; 3. Santo Erasmo, curador de males e de dores de estômago; 4. São Pantaleão, invocado na depauperação (empobrecer, perder a força física); 5. São Cristóvão, aquele que leva nos ombros a Jesus Menino, protetor dos viajantes, livrando-os dos desastres, da morte súbita, das tempestades e dos raios; 6. São Dionísio, o que caminha levando nas mãos -a própria cabeça, preserva o fiel da possessão diabólica; 7.São, Ciríaco, o diácono, poderoso também contra os assaltos do demônio, é curador dos males dos olhos; 8. Santo Acácio, cercado de espinhos, é invocado nas dores de cabeça; 9. Santo Eustáquio, lembrado nos incêndios, preserva-nos do fogo eterno; 10. São Gil, também Egídio, abade beneditino, sempre representado com uma cabra, traz a paz aos loucos, aos que são tomados de pânico e aos medrosos da escuridão e sinistro silêncio das noites; 11. Santa Margarida, a do dragão e da cruz, invocada contra males dos rins e pelas gestantes; 12, Santa Bárbara, invocada nos temporais, contra os raios, também, como São Cristóvão, preserva-nos da morte súbita. É padroeira dos matemáticos, dos artilheiros e dos bombeiros; 13. Santa Catarina, a sábia conselheira dos filósofos, dos advogados e dos pensadores. Ver páginas 224-225: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

30. NOSSA SENHORA, MEDIADORA DE TODAS AS GRAÇAS. Ver páginas 225-230: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

31. Outros santos do dia 08 de agosto: págs. 210-233, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular