Santas e Santos de 01 de outubro

FESTA DO SANTO ROSÁRIO: 1° DOMINGO DE OUTUBRO (CONFORME VIDA FOS SANTOS). Ver páginas 171-176: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

– Ver também 08 de agosto: SÃO DOMINGOS DE GUSMÃO:

Me­mória de São Do­mingos de Gusmão (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, có­nego de Osma, ci­dade da pro­víncia de Sória, na Es­panha, que hu­mil­de­mente se de­dicou ao mi­nis­tério da pre­gação nas re­giões per­tur­badas pela he­resia dos Al­bi­genses e viveu vo­lun­ta­ri­a­mente nas pri­va­ções da po­breza, fa­lando sempre com Deus ou de Deus. De­se­joso de en­con­trar uma nova forma de pro­pagar a fé, fundou a Ordem dos Pre­ga­dores, para re­novar na Igreja a forma de vida apos­tó­lica, man­dando aos seus ir­mãos que se de­di­cassem ao ser­viço do pró­ximo com a oração, o es­tudo e o mi­nis­tério da pa­lavra. Morreu em Bo­lonha, ci­dade da Itália, no dia seis de Agosto. († 1221).

CONFORME ANOTAÇÕES DE 06 DE AGOSTO: Em Bo­lonha, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, o dia natal (aniversário da morte) de São Do­mingos de Gusmão, pres­bí­tero, cuja me­mória se ce­lebra no dia oito deste mês. († 1221). No Martirológio Romano-Monástico, de 08 de agosto, memória de São Domingos de Gusmão, sacerdote, morto em Bolonha no dia 06 de agosto de 1221. Originário da Província de Burgos, na Espanha, tomou aos vinte e oito anos o hábito dos cônegos regulares de Osma. Após ter esta estabelecido um convento de religiosas em Prouille, perto de Toulouse, fundou nesta cidade a Ordem Mendicante dos Frades Pregadores, para a difusão, através da pregação, da verdade contemplada e aprofundada pelos estudos Teológicos. (R). Conforme o Martirológio Romano e o Martirológio Romano Italiano de 08 de agosto, memória de São Domingos de Gusmão, presbítero, cónego de Osma, cidade da província de Sória, na Espanha, que humildemente se dedicou ao ministério da pregação nas regiões perturbadas pela heresia dos Albigenses e viveu voluntariamente nas privações da pobreza, falando sempre com Deus ou de Deus. Desejoso de encontrar uma nova forma de propagar a fé, fundou a Ordem dos Pregadores, para renovar na Igreja a forma de vida apostólica, mandando aos seus irmãos que se dedicassem ao serviço do próximo com a oração, o estudo e o ministério da palavra. Morreu em Bolonha, cidade da Itália, no dia seis de Agosto. Ver VIDAS DOS SANTOS: págs. 94-123: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

– Ver também, a prática e a instituição do Santo Rosário por São Domingos, às páginas 109-123: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

– Ver ainda “Palavras de João Paulo II sobre o Rosário”: https://www.acidigital.com/rosario/papa.htm                                                                               e ainda “O Rosário do Papa João Paulo II incluindo os mistérios luminosos”:  http://www.derradeirasgracas.com/2.%20Segunda%20P%C3%A1gina/As%20Devo%C3%A7%C3%B5es/3.%20ORA%C3%87%C3%95ES%20GERAIS/O%20Ros%C3%A1rio%20do%20papa%20Jo%C3%A3o%20Paulo%20II.htm

– e mais, a CARTA APOSTÓLICA ROSARIUM VIRGINIS MARIAE”: http://w2.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/apost_letters/2002/documents/hf_jp-ii_apl_20021016_rosarium-virginis-mariae.html

OBSERVAÇÃO: SÃO JOÃO PAULO II ERA DOMINICANO.

*MARIA MEDIADORA. Ver páginas 207-217: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

Me­mória de Santa Te­resa do Me­nino Jesus (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem e dou­tora da Igreja, que, en­trando ainda muito jovem no mos­teiro das Car­me­litas de Li­sieux, na França, pela sua vida de ino­cência e sim­pli­ci­dade se tornou mestra da san­ti­dade em Cristo, en­si­nando o ca­minho da in­fância es­pi­ri­tual para atingir a per­feição cristã e pondo toda a sua mís­tica so­li­ci­tude ao ser­viço da sal­vação das almas e do for­ta­le­ci­mento da Igreja. Ter­minou a sua vida ter­rena aos vinte e cinco anos de idade e morreu no dia 30 de Setembro. († 1897). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de Santa Teresa do Menino Jesus. A sólida formação cristã recebida no seio de sua família em Alençon, e depois nas beneditinas de Lisieux, despertou nela uma precoce  vocação religiosa. Durante os nove anos passados no castelo de Lisieux, de 1888 até sua morte, ela praticou e depois ensinou o caminho evangélico da infância espiritual, aquela caridade que, do coração da Igreja, pode sozinha fecundar todo esforço apostólico. Por este motivo, foi proclamada, juntamente com São Francisco Xavier, padroeira das missões apostólicas. (R).Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Teresa_de_Lisieux

– Ver também páginas 270-296: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Teresa_de_Lisieux

2.   Em Lisboa, ci­dade da Lu­si­tânia, ac­tu­al­mente em Por­tugal, os santos Ve­rís­simo (também na Folhinha do Coração de Jesus), Má­xima e Júlia, már­tires.  († s. III/IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, receberam a coroa do martírio, nos sécs. III e IV, São Crestos, no Ponto; e os Santos Veríssimo, Máxima e Júlia em Lisboa. (M)

3.   Em Sé­clin, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, São Pi­atão, pres­bí­tero, que é ve­ne­rado como evan­ge­li­zador do ter­ri­tório de Tournai e mártir. († s. III/IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. III, São Plato. Encarregado pela Sé Romana de conquistar a Gália setentrional para a fé cristã, deu o supremo testemunho ao morrer por ela em Tournai. (M)

4.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, São Ro­mano, diá­cono, que foi de­no­mi­nado o Me­lo­dioso pela sua arte su­blime em compor hinos ecle­siás­ticos em honra do Se­nhor e dos Santos. († 555/565). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em meados do séc. VI, São Romano, cognominado “o Menestrel”. Diácono, foi agraciado com uma aparição da Santíssima Mãe de Deus, que o premiou com grandes talentos poéticos, graças aos quais ele compôs magníficas peças litúrgicas em sua honra. (X).

5.   Em Tré­veris, na Re­nânia da Aus­trásia, no ter­ri­tório da ac­tual Ale­manha, São Ni­cécio, bispo, que, se­gundo o tes­te­munho de São Gre­gório de Tours, era ve­e­mente na pre­gação, ter­rível na re­pre­ensão, con­sis­tente no en­sino. So­freu o exílio no tempo de Clo­tário, rei dos Francos. († 561)

6.   Em Gand, na Flan­dres, re­gião da Nêus­tria, hoje na Bél­gica, São Bavão, monge, que foi dis­cí­pulo de Santo Amando: dei­xando a vida se­cular, dis­tri­buiu os seus bens pelos po­bres e en­trou no mos­teiro fun­dado nesta cidade. († c. 659). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Flandres, perto de 658, São Bavão. Nobre pelo nascimento, renunciou a uma vida pouco edificante e à sua fortuna, após a morte de sua esposa, para seguir Santo Amândio, que acabara de fundar o mosteiro de São Pedro de Gand. Inicialmente acompanhou seu mestre, e viveu depois como eremita, perto de seu mosteiro, durante quase três anos. (M). Ver páginas 220-221: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

7*.   Em Condé-sur-l’Es­caut, no Hai­naut, ter­ri­tório da Aus­trásia, ac­tu­al­mente na França, São Vas­nulfo, monge, na­tural da Escócia. († s. VII)

8.   Em Can­tuária, na In­gla­terra, São Ge­raldo Edwards, pres­bí­tero e mártir, que foi or­de­nado na França e, tendo re­gres­sado à sua pá­tria du­rante a per­se­guição da rainha Isabel I, de­pois de longo ca­ti­veiro con­sumou o mar­tírio no pa­tí­bulo. Com ele foram mar­ti­ri­zados o Beato Ro­berto Wilcox e Cris­tóvão Buxton, pres­bí­teros, também por serem sa­cer­dotes, e Ro­berto Wid­mer­pool, por ter aju­dado um sacerdote. († 1588)

9*.   Em Chi­chester, também na In­gla­terra, os be­atos Ro­dolfo Croc­kett e Edu­ardo James, pres­bí­teros e már­tires, que, for­mados no Co­légio dos In­gleses de Reims, re­gres­sando à sua pá­tria, só por causa do seu sa­cer­dócio foram con­de­nados ao su­plício do patíbulo. († 1588)

10*.   Em Ipswich, também na In­gla­terra, o Beato João Ro­binson, pres­bí­tero e mártir, que, sendo pai de fa­mília, de­pois da morte da es­posa re­cebeu em idade avan­çada a or­de­nação sa­cer­dotal e por isso re­cebeu a coroa do martírio. († 1588)

11*.   Em Na­ga­sáki, no Japão, os be­atos Gaspar Hi­ko­jiro e André Yoshida, már­tires, que, sendo ca­te­quistas, foram de­go­lados por terem re­ce­bido sa­cer­dotes em suas casas. († 1617)

12♦.   Em Osma, ci­dade de Cas­tela la Mancha, re­gião da Es­panha, o Beato João de Pa­lafox y Mendoza, bispo. († 1659)

13*.   Em Sa­ronno, pró­ximo de Va­rese, na Lom­bardia, re­gião da Itália, o Beato Luís Maria Mónti, re­li­gioso, que, em­bora con­ser­vando a sua con­dição laical, ins­ti­tuiu os Fi­lhos de Maria Ima­cu­lada, que ori­entou para o exer­cício da ca­ri­dade em favor dos po­bres e ne­ces­si­tados, de­di­cando-se es­pe­ci­al­mente à as­sis­tência dos en­fermos e dos ór­fãos e à for­mação dos jovens. († 1900)

14♦.   Em Népi, ci­dade da pro­víncia de Vi­terbo, também na Itália, a Beata Ce­cília Eusépi, re­li­giosa da Ordem Ter­ceira dos Servos de Maria. († 1928)

15♦.   Em Rotglá y Cor­bera, lo­ca­li­dade da pro­víncia de Va­lência, na Es­panha, a Beata Flo­rência Ca­e­rols Mar­tínez, virgem e mártir, que, em tempo de per­se­guição contra a fé, me­receu através do mar­tírio a glória da vida eterna. († 1936)

16♦.   Em Vil­lena, lo­ca­li­dade da pro­víncia de Va­lência, o Beato Ál­varo San­juán Canet, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição, al­cançou a palma da vi­tória no com­bate pela fé. († 1936)

17♦.   Em Bar­ce­lona, na Ca­ta­lunha, re­gião da Es­panha, em dia in­certo de Ou­tubro, os be­atos Adolfo Mariano (Ma­riano Anel An­dréu) e Il­de­fonso Luís (José Casa Lluch), re­li­gi­osos da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cris­tiãs e már­tires, que, du­rante a mesma per­se­guição contra a fé, ter­mi­naram a sua vida se­guindo a Cristo até à morte. († 1936)

18♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, em dia in­certo de Ou­tubro, o Beato Ma­nuel Bor­rajo Míguez, re­li­gioso da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que, na mesma per­se­guição, der­ramou o seu sangue por Cristo. († 1936)

19♦.   Também em Ma­drid, os be­atos Car­melo João Pérez Rodríguez, Ma­teus Ga­ro­lera Mas­ferrer e Hi­gínio de Mata Díez, re­li­gi­osos da So­ci­e­dade Sa­le­siana e João de Mata Díez, már­tires, que, du­rante o furor da mesma per­se­guição re­li­giosa, foram as­sas­si­nados pelos mi­li­ci­anos em ódio à Igreja. († 1936)

20*.   Pró­ximo de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato An­tónio Rewera, pres­bí­tero e mártir, que, de­por­tado da Po­lónia para o campo de con­cen­tração de Da­chau por causa do seu tes­te­munho de Cristo, de­pois de duros tor­mentos al­cançou a coroa do martírio. († 1942)

21. São Milor (também na Folhinha do Coração de Jesus),

22.  São Remígio. No VIDAS DOS SANTOS, páginas 177-206: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

23. São Suliau. Ver páginas 218-219: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

15. Outros santos do dia 01 de outubro: págs. 171-225, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 01 de outubro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/1_de_outubro

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 30 de setembro

Me­mória de São Je­ró­nimo (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero e doutor da Igreja, que, nas­cido na Dal­mácia, na ac­tual Croácia, es­tudou em Roma, onde ad­quiriu uma vas­tís­sima cul­tura li­te­rária, e aí re­cebeu o Bap­tismo; de­pois, atraído pelo valor da con­tem­plação e da vida as­cé­tica, partiu para o Ori­ente e foi or­de­nado pres­bí­tero. Re­gressou a Roma e foi se­cre­tário do papa Dâ­maso; mais tarde, es­ta­be­leceu-se em Belém e re­tirou-se na vida mo­nás­tica, de­di­cando-se com exímia com­pe­tência a tra­duzir e ex­plicar a Sa­grada Es­cri­tura. De modo ad­mi­rável tomou parte ac­tiva nos vá­rios pro­blemas e ne­ces­si­dades da Igreja; fi­nal­mente, che­gando a uma idade avan­çada, des­cansou na paz do Senhor. († 420). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Jerônimo, Doutor da Igreja, morto em 419. Originário da Dalmácia ou do Vêneto, partiu para levar vida monástica na Síria e foi ordenado presbítero em Antioquia, antes de voltar para Roma, onde o Papa Dâmaso o encarregou oficialmente de editar a Bíblia latinaém: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Jerônimo de acordo com o original hebraico e a versão dos Setenta. Depois do que, retornou à Palestina e se fixou em Belém, onde reuniu e dirigiu uma comunidade de monges e outra de monjas. (R). Ver páginas 141-160: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Jerônimo

2.   Em Pi­a­cenza, na ac­tual Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, Santo An­to­nino, mártir. († 303)

3.   Em So­leure, no ter­ri­tório dos Hel­vé­cios, na ac­tual Suíça, os santos Urso e Vítor, már­tires, que, se­gundo a tra­dição, per­ten­ceram à Le­gião Tebana. († c. 320). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, receberam a coroa do martírio os Santos Leopardo, em Roma, no séc. IV; Vítor e Urso, na Suíça, pela mesma época; e Antonino, em Piacenza. (M)

4.   Na Ar­ménia, São Gre­gório o Iluminador (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que, de­pois de ter re­a­li­zado grandes tra­ba­lhos, se re­tirou numa ca­verna junto à con­fluência dos dois ramos do rio Eu­frates e aí des­cansou em paz. É con­si­de­rado o após­tolo dos Armenos. († c. 326). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 300, São Gregório, o iluminador. Foi o evangelizador e organizador da Igreja da Armênia, e seu primeiro “Catholicós”. (M). Ver páginas 161-163: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

5*.   Em Mar­selha, na Pro­vença, ac­tu­al­mente na França, Santa Eu­sébia, virgem, que desde a ju­ven­tude até à ve­lhice foi sempre fiel serva de Deus. († c. 497)

6.   Em Can­tuária, na In­gla­terra, Santo Ho­nório, bispo, que era monge ro­mano quando o papa Gre­gório Magno o en­viou como com­pa­nheiro de Santo Agos­tinho para evan­ge­lizar a In­gla­terra, a quem su­cedeu nesta sede episcopal. († 653). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 653, a volta para Deus de Santo Honório, discípulo de Santo Agostinho de Cantuária, missionário dos anglo-saxões, a quem sucedeu na Sé Episcopal. (M). Ver páginans 164-165: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

7*.   Em Roma, São Simão (também na Folhinha do Coração de Jesus), monge, an­te­ri­or­mente conde de Crepy, na França, que, re­nun­ci­ando à pá­tria, ao ma­tri­mónio e a tudo, es­co­lheu a vida mo­nás­tica e de­pois a vida ere­mí­tica nos montes do Jura; cha­mado muitas vezes a in­tervir como le­gado de paz para pro­mover a con­ci­li­ação entre os prín­cipes, morreu em Roma e foi se­pul­tado na ba­sí­lica de São Pedro. († 1082). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 1080, São Simão,  conde de Crépy-en-Valois. Recebeu o hábito monástico na abadia de Saint-Oyend, hoje Saint-Claude, e depois passou a levar vida eremítica no Jura. (M). Ver páginas 166-167: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

8.   Em Nusco, na Hir­pínia, hoje na Cam­pânia, re­gião da Itália, Santo Amado, bispo. († 1093)

9*.   Em Die, na França, Santo Is­midão, bispo, que, mo­vido pelo seu grande amor aos Lu­gares Santos, fez por duas vezes a pi­e­dosa pe­re­gri­nação a Jerusalém. († 1115)

10*.   Em Pê­saro, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, a Beata Fe­lícia Meda, aba­dessa da Ordem das Clarissas. († 1444)

11.   Em Roma, São Fran­cisco de Borja, pres­bí­tero, que, de­pois da morte da es­posa, de quem teve oito fi­lhos, en­trou na Com­pa­nhia de Jesus e, ab­di­cando das honras do mundo e das dig­ni­dades ecle­siás­ticas, foi eleito su­pe­rior geral da Ordem, sendo me­mo­rável pela sua aus­te­ri­dade de vida e es­pí­rito de oração. († 1572). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano da graça de 1572, São Francisco de Bórgia. Casado aos dezenove anos, após seus estudos em Saragoça foi nomeado Vice-Rei da Catalunha por Carlos V, e depois duque de Cândia. Após ter perdido a esposa, decidiu consagrar sua vida “à maior glória de Deus” na Companhia de Jesus, da qual veio a tornar-se o terceiro Geral. (M)

12*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, no li­toral da França, o Beato João Ni­colau Cordier, pres­bí­tero e mártir, que, de­pois da ex­tinção da Com­pa­nhia de Jesus, con­ti­nuou a exercer o mi­nis­tério sa­cer­dotal na re­gião de Verdun, até que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, pela sua con­dição de sa­cer­dote foi en­car­ce­rado na sór­dida ga­lera, mor­rendo de en­fer­mi­dade e inanição. († 1794)

13*.   Em Lanzo, lo­ca­li­dade pró­xima de Turim, na Itália, o Beato Fre­de­rico Albert, pres­bí­tero, que era pá­roco e, para so­correr os in­di­gentes, fundou a Con­gre­gação das Irmãs de São Vi­cente de Paulo da Ima­cu­lada Conceição. († 1876)

14.   Em Li­sieux, na França, o dia natal de Santa Te­resa do Me­nino Jesus, cuja me­mória se ce­lebra no dia seguinte. († 1897). Ver página 167: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

15. Outros santos do dia 30 de setembro: págs. 141-168, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 30 de setembro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/30_de_setembro

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 29 de setembro

Festa dos santos Mi­guel, Ga­briel e Ra­fael (também na Folhinha do Coração de Jesus), ar­canjos. No dia da de­di­cação da ba­sí­lica de São Mi­guel, an­ti­ga­mente edi­fi­cada na Via Sa­lária, a seis mi­lhas da ci­dade de Roma, ce­le­bram-se jun­ta­mente os três ar­canjos, cujas mis­sões sin­gu­lares são re­ve­ladas na Sa­grada Es­cri­tura e que, ser­vindo a Deus dia e noite e con­tem­plando o seu rosto, in­ces­san­te­mente O glorificam. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, festa dos Santos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael, honrados pela tradição bíblica como mensageiros de Deus junto aos homens. Entre eles, o Arcanjo São Miguel conheceu uma veneração especial, como protetor do povo eleito e adversário do mal. Segundo o Evangelho, o Arcanjo Gabriel – cujo nome significa “o que está diante de Deus” – coube anunciar à Virgem Maria que ela seria a mãe do Salvador. Também é ele que explica ao profeta Daniel como se dará a plena restauração, da volta do exílio à vinda do Messias, e que anuncia o nascimento do Precursor, João Batista, filho de Zacarias e Isabel. São Rafael Arcanjo, citado em um só livro das Escrituras, é o acompanhante do jovem Tobias, e por isso sua função é a de guiar os que viajam. Foi ele que sugeriu ao seu jovem protegido o remédio para a cura da cegueira de seu pai; também é invocado como curador: seu nome, etimologicamente, significa “Deus cura”. (R). No VIDAS DOS SANTOS, São Miguel e os Anjos Bons. Ver páginas 126-132: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf  

Ver também:

https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Gabriel_(anjo)

https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Miguel_(arcanjo)

https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Rafael_(arcanjo)

2.   Em Pe­rinto, mais tarde cha­mada He­ra­cleia, na Trácia, na ac­tual Tur­quia, Santo Eu­tí­quio, bispo e mártir. († c. s. III)

3.   Em Va­le­roc­tista, hoje Et­ch­mi­adzin, na Ar­ménia, as santas Ríp­simes, Gaiana e com­pa­nheiras, mártires. († s. IV in.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Armênia, no séc. V, Santa Ripsima e suas companheiras, que preferiram morrer a profanar sua virgindade consagrada a Cristo. (M)

4.   Em Au­xerre, na Gália Li­o­nense, na ac­tual França, São Fra­terno, bispo. († d. 450)

5.   Na Pa­les­tina, São Ci­ríaco, ana­co­reta, que ha­bitou du­rante quase no­venta anos em ca­vernas numa vida aus­te­rís­sima e foi exemplo ad­mi­rável para os ana­co­retas e de­fensor da ver­da­deira fé contra os origenistas. († 557). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, São Ciríaco, eremita. Nascido em Corinto, foi para a Palestina aos dezoito anos. Recebeu o hábito monástico das mãos de Santo Eutímio, e depois apresentou-se a São Gerásimo, às margens do Jordão. Sempre buscando a solidão para evitar seus admiradores e os perigos do mundo, fixou-se afinal na laura de Suca, onde morreu quarenta anos mais tarde. (M). Ver páginas 133-134: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ciríaco,_o_Anacoreta

6*.   Em Met­tlach, nas mar­gens do rio Saar, na Re­nânia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, o se­pul­ta­mento de São Lu­do­vino, bispo de Tré­veris, que fundou o mos­teiro deste lugar e morreu em Reims. († c. 717)

7*.   Na ilha de Ufnau, junto ao lago de Zu­rique, no ter­ri­tório dos Hel­vé­cios, ac­tu­al­mente na Suíça, Santo Adel­rico, pres­bí­tero e eremita. († s. X)

8*.   Na Bre­tanha Menor, re­gião da França, São Mau­rício, abade do mos­teiro cis­ter­ci­ense de Lan­gonet e pos­te­ri­or­mente do mos­teiro de Car­noet, por ele fun­dado, onde morreu com fama de santidade. († 1191)

9*.   No mos­teiro cis­ter­ci­ense de Long­pont, também na França, o Beato João de Montmirail, que deixou a sua pro­fissão de nobre ca­va­leiro para se tornar hu­milde monge. († 1217). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1217, o Bem-Aventurado João de Montmirail, monge cisterciense da abadia de Longpont, na diocese de Soissons. Em sua dedicação, não recusava nem mesmo diante das tarefas mais repugnantes. (X). Ver páginas 135-137: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

10*.   Em Vannes, no li­toral da Bre­tanha Menor, re­gião da França, o Beato Carlos de Blois, homem pi­e­doso, manso e hu­milde, que, sendo duque da Bre­tanha, de­se­java en­trar na Ordem dos Frades Me­nores, mas, cons­tran­gido a rei­vin­dicar o prin­ci­pado contra um ad­ver­sário, su­portou com fir­meza de ânimo as tri­bu­la­ções de um longo ca­ti­veiro e foi morto em com­bate junto de Auray. († 1364)

11*.   Em Roma, o Beato Ni­colau de Furca Palena, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de São Je­ró­nimo, que fundou no monte Ja­ní­culo o mos­teiro de Santo Onofre, onde, já cen­te­nário, des­cansou no Senhor. († 1449)

12*.   Em L’viv, na Ucrânia, São João de Dukla, pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, que viveu uma vida oculta e as­cé­tica, se­gundo os cos­tumes dos Ob­ser­vantes, fer­vo­ro­sa­mente de­di­cado ao mi­nis­tério pas­toral das almas e à uni­dade dos cristãos. († 1484)

13*.   Em Na­ga­sáki, no Japão, a paixão dos santos mártires Mi­guel de Aoxaraza, Gui­lherme Courtet, Vi­cente Shiwozuka, pres­bí­teros da Ordem dos Pre­ga­dores, Lá­zaro de Kioto e Lou­renço de Ma­nila Ruiz, pais de fa­mília, que, en­car­ce­rados du­rante mais de um ano por serem cris­tãos, so­freram o su­plício da cruz e de­pois foram de­go­lados. A sua me­mória, jun­ta­mente com a dos seus com­pa­nheiros, ce­lebra-se no dia precedente. († 1636)

14.   Em Os­ser­nenon, no ter­ri­tório do Ca­nadá, a paixão de São Re­nato Goupil, mártir, um mé­dico que era co­la­bo­rador de Santo Isaac Jo­gues e foi as­sas­si­nado a golpes de ma­chado por um nativo. († 1642)

15*.   Em Gilet, lo­ca­li­dade pró­xima de Va­lência, na Es­panha, o Beato Jaime Mestre Iborra, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos e mártir, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, der­ramou o seu sangue por Cristo. († 1936)

16*.   Em Va­lência, ci­dade da Es­panha, os be­atos már­tires Paulo Bori Puig, pres­bí­tero, e Vi­cente Sales Ge­novês, re­li­gioso, ambos da Com­pa­nhia de Jesus, que tra­varam o glo­rioso com­bate por Cristo. († 1936)

17*.   Em Pi­ca­dero de Pa­terna, lo­ca­li­dade da pro­víncia de Va­lência, o Beato Dario Her­nández Mo­rató, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, que na mesma per­se­guição re­li­giosa en­tregou a sua alma a Deus. († 1936)

18*.   Em Lé­rida, também na Es­panha, o Beato Fran­cisco de Paula Cas­telló i Aleu, mártir, que, con­de­nado na mesma per­se­guição re­li­giosa, en­frentou a morte por Cristo com ânimo se­reno e grande fortaleza. († 1936)

19♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, os be­atos José Vil­la­nova Tormo, pres­bí­tero e Fran­cisco Edreira Mosquera, re­li­gioso, ambos da So­ci­e­dade Sa­le­siana e már­tires, as­sas­si­nados em ódio à fé cristã na mesma perseguição. († 1936)

20♦.   Em Milão, na Itália, o Beato Luís Monza, pres­bí­tero da di­o­cese de Milão, fun­dador das Pe­quenas Após­tolas da Caridade. († 1954)

21. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1349, o Bem-Aventurado Ricardo Rolle, eremita inglês, autor de várias obras místicas. (X)

22. Outros santos do dia 29 de setembro: págs. 126-140, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 29 de setembro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/29_de_setembro

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 28 de setembro

São Ven­ceslau (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir, duque da Boémia, que, edu­cado pela sua avó Santa Lud­mila na sa­be­doria hu­mana e di­vina, foi ri­go­roso con­sigo, mas pa­cí­fico na ad­mi­nis­tração do reino e mi­se­ri­cor­dioso para com os po­bres; re­dimiu um grupo inu­me­rável de es­cravos pa­gãos que es­tavam à venda em Praga, para que fossem bap­ti­zados; e de­pois de en­frentar muitas di­fi­cul­dades em go­vernar os seus súb­ditos e formá-los na fé, foi atrai­çoado por seu irmão Bo­leslau e as­sas­si­nado por al­guns si­cá­rios na igreja de Stara Bo­leslav, na Boémia, na ac­tual Chéquia. († 929. /935) Conforme o Martirológio Romano-Monástico. Perto de Praga, por volta de 929, o martírio de São Venceslau, duque da Boêmia. Durante os quatro anos de seu governo, edificou por uma conduta irrepreensível sua corte de costumes duvidosos, e se esforçou para cristianizar seu povo, ainda pagão. Venceslau tornou-se depois herói nacional e religioso dos tchecos. Foi o primeiro eslavo a receber as honras da canonização. (R). Ver páginas 116-122: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

Santos Lou­renço Ruiz (de Ma­nila) e quinze companheiros (também na Folhinha do Coração de Jesus), már­tires – pres­bí­teros, re­li­gi­osos e leigos – que, de­pois de terem es­pa­lhado a se­mente da fé cristã nas Fi­li­pinas, na For­mosa e no Japão, por de­creto do su­premo chefe To­ku­gawa Ye­mitsu, em dias di­versos con­su­maram em Na­ga­sáki o seu mar­tírio por amor a Cristo, mas são ce­le­brados na mesma comemoração. São estes os seus nomes: Do­mingos Ibáñez de Er­quicia, Tiago Kyuhei Go­ro­bioye To­mo­naga, An­tónio Gon­zález, Mi­guel de Ao­za­raza, Gui­lherme Courtet, Vi­cente Shiwo­zuka, Lucas Al­fonso Gorda, Jordão (Ja­cinto) An­sa­lone y Tomás Hioji Ro­ku­zayemon Nishi, pres­bí­teros da Ordem dos Pre­ga­dores; Fran­cisco Shoyemon, Mi­guel Ku­ro­bioye e Ma­teus Kohioye, re­li­gi­osos da mesma Ordem; Ma­da­lena de Na­ga­sáki, virgem da Ordem Ter­ceira de Santo Agos­tinho; Ma­rina de Omura, virgem da Ordem Ter­ceira dos Pre­ga­dores; Lá­zaro de Kyoto, leigo. († 1633-1637). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Nagasaki, o martírio de São Lourenço Ruiz e seus companheiros. Todos pertenciam à Ordem dos Pregadores, ou a ela estavam ligados. Entre eles, havia presbíteros, religiosos e leigos. São Lourenço Ruiz era pai de família e natural das Filipinas. Pregou em várias regiões do Oriente e acabou sendo martirizado no Japão. (R)

3.   Em Ca­li­done, na Pi­sídia, na ho­di­erna Tur­quia, os santos Alfeu, Ale­xandre e Zó­simo, mártires. († s. IV)

4.   Na laura de Souka, perto de Belém, na Pa­les­tina, São Ca­ritão, abade, as­síduo na oração e nos je­juns e fun­dador de muitas lauras no de­serto da Judeia. († c. 350). Ver página 112: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

5.   Em Bo­lonha, na Emília-Ro­manha, ac­tual re­gião da Itália, São Zama, con­si­de­rado o pri­meiro bispo desta cidade. († c. s. IV)

6.   Em Tou­louse, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, Santo Exu­pério, bispo, que de­dicou uma ba­sí­lica em honra de São Sa­tur­nino, de­fendeu acer­ri­ma­mente a sua ci­dade ante a in­vasão dos bár­baros e, como re­fere São Je­ró­nimo, foi tão ri­go­roso con­sigo mesmo como be­ne­vo­lente para com os outros. († d. 411). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 415, São Exupério, bispo de Toulouse, que terminou a construção da célebre basílica de Saint-Sernin. São Jerônimo, que lhe dedicou seu comentário sobre o profeta Zacarias, celebra ainda sua caridade pela ocasião da invasão dos vândalos no sul da Gália: “O santo bispo passava fome enquanto alimentava os outros. Seu rosto empalidecia por causa dos jejuns, mas ele se torturava com a fome dos outros. Deu tudo quanto possuía aos pobres,  que são as entranhas de Cristo”. (M). Ver página 113: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

7.   Em Belém da Ju­deia, a co­me­mo­ração de Santa Eus­tó­quio  (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que, com sua mãe Santa Paula, partiu de Roma para ir viver junto do pre­sépio do Se­nhor e não ficar pri­vada dos con­se­lhos do seu mestre São Je­ró­nimo, e ali, en­ri­que­cida com in­signes mé­ritos, foi ao en­contro do Senhor. († c. 419). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 418, a volta para Deus de Santa Eustóquia, virgem. Como sua mãe, fez-se religiosa sob a direção de São Jerônimo, e as duas o seguiram para o Oriente. Elas se sucederam na direção do mosteiro de Belém, onde o estudo e a meditação da Bíblia eram especialmente honrados. (M). Ver páginas 114-115: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

8.   Em Ge­nebra, no ter­ri­tório dos Hel­vé­cios, na ac­tual Suíça, São Sa­lónio, bispo, que tinha sido monge na ilha de Lé­rins e, du­rante o seu epis­co­pado, con­firmou a dou­trina de São Leão Magno e ex­plicou em sen­tido mís­tico a Sa­grada Escritura. († d. 450). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. V, São Salônio, que se retirou junto com seus pais e seu irmão para a abadia de Lérins, e depois tornou-se bispo de Genebra. (M)

9.   Em Riez, na Pro­vença, re­gião da Gália, na ac­tual França, São Fausto, bispo, an­te­ri­or­mente abade do mos­teiro de Lé­rins, que foi man­dado para o exílio pelo rei Eu­rico, por ter es­crito, contra o ari­a­nismo, sobre o Verbo En­car­nado e o Es­pí­rito Santo con­subs­tan­cial ao Pai e eterno com o Filho. († d. 485)

10*.   Em Lião, na Gália, também na ac­tual França, Santo Ane­mundo, bispo e mártir. († c. 658)

11*.   Em Salz­burgo, na Ba­viera, na ho­di­erna Áus­tria, os santos Cu­ni­aldo e Gi­si­lário, pres­bí­teros, co­la­bo­ra­dores do bispo São Ruperto. († s. VIII)

12.   Perto de Mo­gúncia, na Re­nânia da Aus­trásia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, Santa Léoba, virgem, que, cha­mada da In­gla­terra para a Ger­mânia por São Bo­ni­fácio, seu pa­rente, foi no­meada aba­dessa do mos­teiro de Tau­ber­bis­choffsheim, onde con­duziu as servas de Deus pelo ca­minho da per­feição com a pa­lavra e o exemplo. († c. 782). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Schornsheim, perto de Mogúncia, aproximadamente em 782, a volta para Deus de Santa Líoba, virgem. Parenta de São Bonifácio, deixou a Inglaterra, seu país natal, para fundar mosteiros na Germânia. (M). Ver páginas 107-111: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

13*.   Em Pavia, na Lom­bardia, re­gião da Itália, o Beato Ber­nar­dino de Feltre (Mar­tinho To­mi­tano), pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, que ob­teve em toda a parte bons frutos no mi­nis­tério da sua pre­gação, com­bateu a usura fun­dando o cha­mado Monte de Pi­e­dade e, como homem de paz, foi cha­mado pelo papa Sixto IV para con­ci­liar dis­cór­dias civis. (†1494)

14.   Em Ma­drid, na Es­panha, São Simão de Rojas, pres­bí­tero da Ordem da San­tís­sima Trin­dade para a Re­denção dos Ca­tivos, que, ad­ju­di­cado à corte da rainha da Es­panha, nunca aceitou cargo nem re­tri­buição, mas entre os fastos ré­gios sempre per­ma­neceu hu­milde, pobre, mi­se­ri­cor­dioso para com os ne­ces­si­tados e fer­vo­ro­sa­mente de­voto para com Deus. (†1624)

15*.   Em Na­ga­sáki, no Japão, os beatos João Shozaburo, ca­te­quista, Mâncio Ichizayemon, Mi­guel Tai­emon Ki­noshi, Lou­renço Ha­chizo, Pedro Terai Kuhioye e Tomás Terai Kahioye, már­tires, de­go­lados por causa da sua fé em Cristo. (†1630)

16*.   Em San Feliú de Co­dines, lo­ca­li­dade da Ca­ta­lunha, na Es­panha, o Beato Fran­cisco Xa­vier Ponsa Casallarch, re­li­gioso da Ordem de São João de Deus e mártir, que, na cruel per­se­guição re­li­giosa, al­cançou a palma do mar­tírio por Cristo e pela Igreja. (†1936)

17*.   Em Be­nillup, po­vo­ação da pro­víncia de Ali­cante, também na Es­panha, a Beata Amália Abad Casasempere, mártir, mãe de fa­mília, que, em tempo de per­se­guição contra a fé cristã, re­cebeu a coroa de glória por dar tes­te­munho de Cristo. (†1936)

18*.   Em Va­lência, também na Es­panha, o Beato José Tar­rats Comaposada, re­li­gioso da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição re­li­giosa, foi ao en­contro de Cristo na glória celeste. (†1936)

19♦.   Em Moiá, perto de Bar­ce­lona, também na Es­panha, os be­atos már­tires Jo­a­quim de São José (José Casas Juliá), re­li­gioso da Ordem dos Car­me­litas Des­calços, e José Casas Rós, se­mi­na­rista de Bar­ce­lona, que na mesma per­se­guição e no mesmo dia, re­ce­beram a coroa de glória. († 1936)

20*.   Em Ka­radzar, ci­dade pró­xima de Ka­ra­ganda, no Ca­za­quistão, o Beato Ni­cetas Budka, bispo, o pri­meiro a exercer o mi­nis­tério epis­copal no Ca­nadá entre os fiéis ca­tó­licos do Rito Bi­zan­tino, o qual, de­pois de ter re­gres­sado à sua pá­tria, na Ucrânia, em tempo de um re­gime hostil a Deus, foi de­por­tado para um campo de con­cen­tração, onde su­portou por amor de Cristo todas as ad­ver­si­dades e per­se­verou fir­me­mente na fé até à morte. (†1949)

21. São Salomão, bispo. Ver página 116: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

22. Outros santos do dia 28 de setembro: págs. 107-125, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 28 de setembro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/28_de_setembro

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 27 de setembro

Me­mória de São Vi­cente de Paulo (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, cheio de es­pí­rito sa­cer­dotal, se en­tregou ao cui­dado dos po­bres em Paris, na França, re­co­nhe­cendo em cada pessoa atri­bu­lada o rosto do seu Se­nhor. Fundou a Con­gre­gação da Missão e, com a co­la­bo­ração de Santa Luísa de Ma­rillac, também a Con­gre­gação das Fi­lhas da Ca­ri­dade, para con­fi­gurar a Igreja à sua imagem pri­mi­tiva, para formar san­ta­mente o clero e para so­correr os necessitados.(† 1660). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Vicente de Paulo, sacerdote, morto em 1660. Depois de ter se dedicado aos prisioneiros, fundou em Paris o Instituto dos Padres da Missão, cujos membros, mais conhecidos por lazaristas, se dedicam à evangelização das regiões do interior e à formação do clero. Pai dos pobres e das crianças abandonadas, contribuiu com Santa Luiza de Marillac na fundação das Filhas da Caridade. (R). Ver também páginas 60-99: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

– ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Vicente_de_Paulo

2.   Em Milão, na Gália Trans­pa­dana, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Caio, bispo. († s. III)

3.   Na for­ta­leza de Bremur, no ter­ri­tório dos Éduos, na Gália, ac­tu­al­mente na França, São Flo­ren­tino (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, se­gundo a tra­dição, foi de­ca­pi­tado pelos Vân­dalos jun­ta­mente com Santo Hi­lário. († s. V)

4.   No ce­nóbio de Li­es­sies, no Hai­naut da Aus­trásia, também na ac­tual França, Santa Hil­trudes, virgem, que viveu pi­e­do­sa­mente re­ti­rada com seu irmão Gun­tardo, abade. († d. 800). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Hainaut (Bélgica), no começo do século IX, Santa Hiltrude, monja. Passou dezessete anos em recolhimento perto da abadia de Liessies, que seu pai havia fundado, e da qual seu irmão Gontrão foi o primeiro abade. (M).Ver páginas 104-105: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

5.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, os santos már­tires Adolfo e João, ir­mãos, que, du­rante a per­se­guição dos Mouros, no tempo do rei ‘Abd ar-Rahman II, foram co­ro­ados com o mar­tírio por Cristo. († c. 825). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia receberam a palma do martírio São Florenfiano, na Borgonha, no séc. V; e os Bem-Aventurados Adolfo e João, em Córdova, no séc. IX. (M)

6.   Em Fara, pró­ximo de Cín­goli, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, São Bon­fílio, que, de­pois de ter sido bispo de Fo­linho, passou dez anos na Terra Santa e, ao re­gressar a Itália, se re­tirou no mos­teiro de Stó­raco, do qual tinha sido abade, mor­rendo fi­nal­mente na solidão. († c. 1115)

7.   Em Paris, na França, Santo Eleá­zaro ou Eleázar de Sabran, conde de Ariano, que, ob­ser­vando a vir­gin­dade e todas as vir­tudes com sua es­posa, a Beata Del­fina, morreu na flor da idade. († 1323). Santo Elzeário, na Folhinha do Coração de Jesus (dia 26 de setembro). No VIDAS DOS SANTOS, Santo Elzeário e Santa Delfina, sua esposa. NOS MARTIROLÓGIOS – na bibliografia abaixo –, DIA 27 DE SETEMBRO. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1323, a volta para Deus de Santo Eleazário, nobre provençal que soube conciliar o manejo de armas e a política com seus deveres de terciário franciscano. Sua esposa, a Bem-Aventurada Delfina, sobreviveu-lhe por trinta e sete anos e pôde assistir sua canonização. (M). Ver no VIDAS DOS SANTOS, páginas 39-59: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

8*.   Em Pis­tóia, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o Beato Lou­renço de Ripafratta, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, que ob­servou fi­el­mente du­rante ses­senta anos a dis­ci­plina re­li­giosa e foi as­síduo na ad­mi­nis­tração sa­cra­mental da Penitência. († 1456)

9*.   Num sór­dido barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, no li­toral da França, o Beato João Bap­tista La­bo­rier du Vivier, diá­cono e mártir, que, em tempo de per­se­guição contra a Igreja, por causa do seu es­tado cle­rical foi con­de­nado a cruel ca­ti­veiro, onde morreu con­su­mido por grave enfermidade. († 1794)

10*.   Em Sa­gunto, na Es­panha, os be­atos már­tires José Fe­nol­losa Alcayna, pres­bí­tero, e Fidel de Puzol (Ma­riano Cli­mente San­chis), re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, que, du­rante o furor da per­se­guição re­li­giosa, der­ra­maram o seu sangue por Cristo. († 1936)

11*.   Em Gilet, po­vo­ação da pro­víncia de Va­lência, também na Es­panha, as be­atas már­tires Fran­cisca Xa­vier de Rafelbunol (Maria Fe­nol­losa Al­cayna), da Ordem Ter­ceira das Ca­pu­chi­nhas da Sa­grada Fa­mília, e Her­mínia Mar­tínez Amigó, mãe de fa­mília, que, na mesma per­se­guição re­li­giosa, con­fir­maram com o seu sangue a sua fi­de­li­dade ao Senhor. († 1936)

12♦.   Em Lloret del Mar, perto de Ge­rona, também na Es­panha, as be­atas Ma­da­lena Fra­dera Ferragutcasas, Maria do Carmo Fra­dera Ferragutcasas e Maria Rosa Fra­dera Ferragutcasas, vir­gens da Con­gre­gação das Mis­si­o­ná­rias do Co­ração de Maria e már­tires, que me­re­ceram as­so­ciar-se às núp­cias eternas com seu Es­poso, Jesus Cristo. († 1936)

13. São Fidêncio, também na Folhinha do Coração de Jesus

14. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. III, Santo Adérito, segundo bispo de Ravena, que estimulou o crescimento do Evangelho, semeado por seu predecessor. (M)

15. São Sigisberto, rei e mártir. Ver página 103: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

24. Outros santos do dia 27 de setembro: págs. 39-106, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 27 de setembro, ver ainda:

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 26 de setembro

Santos Cosme e Da­mião (também na Folhinha do Coração de Jesus), már­tires, que, se­gundo a tra­dição, exer­ceram a me­di­cina em Ciro, na Eu­fra­tésia, ter­ri­tório da ho­di­erna Síria, sem pedir nunca re­mu­ne­ração e cu­rando a muitos com os seus cui­dados gratuitos. († c. s. III). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Síria setentrional, o martírio dos Santos Cosme e Damião, que uma tradição apresenta como dois irmãos que exerceram gratuitamente a medicina, a fim de ganhar a clientela para  a fé cristã. Seu culto se popularizou muito na região mediterrânea a partir do séc. V. (R). Ver páginas 100-102: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Cosme_e_Damião .

2.   Co­me­mo­ração de São Ge­deão, da tribo de Ma­nassés, que foi juiz em Is­rael e, re­ce­bendo do Se­nhor o sinal do or­valho no velo de lã, com a for­ta­leza de Deus des­truiu o altar de Baal e li­bertou o povo de Is­rael dos seus inimigos.

3.   Em Al­bano, no Lácio, re­gião da Itália, São Se­nador, mártir. († s. III/IV)

4.   Em Bo­lonha, ci­dade da ac­tual Emília-Ro­manha, também na Itália, a co­me­mo­ração de Santo Eu­sébio, bispo, que, com Santo Am­brósio de­fendeu a fé ca­tó­lica contra os ari­anos e se em­pe­nhou muito em pro­mover entre as jo­vens o valor da virgindade. († s. IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, Santo Eusébio, que dirigiu a igreja de Bolonha no séc. III; e São Vígilo, que dirigiu a de Bréscia, no séc. V. (M)

5.   Em Gaeta, no Lácio, também na Itália, Santo Es­têvão de Rossano, monge, com­pa­nheiro de São Nilo o Jovem. († 1001).

6.   Na zona de Tús­culo, pró­ximo de Roma, São Nilo o Jovem, abade, na­tural da Grécia, que, as­pi­rando a uma forma de viver san­ta­mente, cul­tivou a prá­tica da abs­ti­nência, hu­mil­dade e pe­re­gri­nação, teve o dom da pro­fecia e sábia dou­trina e fundou o cé­lebre mos­teiro de Grot­ta­fer­rata se­gundo a ob­ser­vância dos Pa­dres Ori­en­tais, onde, já no­na­ge­nário e em oração na igreja, en­tregou o seu es­pí­rito a Deus. († 1004/1005). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1004, São Nilo, abade. Nascido de uma das primeiras famílias gregas da Calábria, fundou vários mosteiros de rito bizantino, dos quais o mais importante foi o de Grottaferrata. (M). Ver páginas 9-30): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

7*.   Em Sa­lerno, na Cam­pânia, re­gião da Itália, a Beata Lúcia de Caltagirone, virgem da Ordem Ter­ceira Re­gular de São Francisco. († 1400)

8.   Em Seul, na Co­reia, a paixão dos santos Se­bas­tião Nam I-gwan e oito companheiros, már­tires, que, de­pois de so­frerem cruéis su­plí­cios, foram de­go­lados por causa da sua fé cristã. Co­me­moram-se também as santas már­tires Luzia Kim, Ca­ta­rina Yi, viúva, e sua filha Ma­da­lena Cho, virgem, que, en­car­ce­radas pela sua fé em Cristo, mor­reram também ví­timas de atrozes tor­mentos em dia in­certo deste mês. São estes os seus nomes: Inácio Kim Che-jun, Carlos Cho Shin-ch’ol; Co­lomba Kim Hyoim, virgem; Ma­da­lena Pak Pong-son e Per­pétua Hong Kum-ju, viúvas; Ju­lieta Kim, Águeda Chon Kyong-hyob y Ma­da­lena Ho Kye-im. († 1839)

9.   Em Lião, na França, Santa Te­resa (Maria Vi­tória Cou­derc), virgem, que, su­pe­rando as tri­bu­la­ções com ânimo se­reno, fundou a Com­pa­nhia de Nossa Se­nhora do Ce­ná­culo na lo­ca­li­dade de La Lou­vesc, junto ao tú­mulo de São João Fran­cisco de Régis. († 1885). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Lião, no ano da graça de 1885, Santa Teresa Courdec, virgem. Nascida na região da Ardèche, entrou aos vinte anos nas Irmãs Assinantes de Apt, cuja congregação havia sido fundada pouco antes pelo abade Terme. Com a morte do fundador em 1834, a pequena sociedade dividiu-se em dois ramos: um dedicou-se ao ensino, ao passo que outro, dirigido por Madre Teresa, consagrava-se às obras de retiros espirituais e dava origem, assim, à Congregação de Nossa Senhora do Cenáculo. Várias vezes afastada de seu cargo de superiora, a santa soube aceitar tudo e levar uma vida humilde e escondida. (X)

10*.   Em Gars, po­vo­ação pró­xima de Mu­nique, na Ale­manha, o Beato Gaspar Stang­gas­singer (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Con­gre­gação do San­tís­simo Re­dentor, que, de­di­cado à for­mação dos jo­vens, foi para eles um exemplo de ca­ri­dade alegre e oração assídua. († 1899)

11*.   Em Los Reyes, ci­dade do Perú, o Beato Luís Tezza, pres­bí­tero da Ordem dos Clé­rigos Re­grantes Mi­nis­tros dos En­fermos, que, para servir a Deus nos en­fermos, fundou a Con­gre­gação das Fi­lhas de São Ca­milo, que sa­bi­a­mente reuniu para se de­di­carem a múl­ti­plas obras de caridade. († 1923)

12*.   Em Va­lência, na Es­panha, as Be­atas Maria do Amparo (Te­resa Rosat Ba­lasch) e Maria do Calvário (Jo­sefa Ro­mero Cla­riana), vir­gens da Con­gre­gação da Dou­trina Cristã e már­tires, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, foram en­car­ce­radas e de­pois as­sas­si­nadas por causa da sua fi­de­li­dade a Cristo Esposo. († 1936)

13*.   Também em Va­lência, o Beato Ra­fael Pardo Molina, re­li­gioso da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que morreu du­rante a per­se­guição contra a fé cristã. Com ele se co­me­mora também o beato mártir José Maria Vidal Segú, pres­bí­tero da mesma Ordem, que passou à glória ce­leste de­pois de ter dado em Bar­ce­lona um in­que­bran­tável tes­te­munho de fé em Cristo. († 1936)

14*.   Em Pu­erto de Ca­nals, lo­ca­li­dade da mesma pro­víncia de Va­lência, a Beata Cres­cência Valls Espi, virgem e mártir, que so­freu o mar­tírio du­rante a mesma per­se­guição religiosa. († 1936)

15*.   Em Be­ni­fairó de Vall­digna, po­vo­ação da mesma pro­víncia de Va­lência, a Beata Maria del Ol­vido No­guera Albelda, virgem e mártir, que, na mesma per­se­guição, so­freu o mar­tírio por causa da sua fé. († 1936)

16*.   Em Gilet, também na pro­víncia de Va­lência, o Beato Bo­a­ven­tura de Puzol (Júlio Es­teve Flors), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição, ví­tima da vi­o­lência dos ini­migos da fé cristã, foi ao en­contro do Senhor. († 1936)

17*.   Em Be­ni­fallin, na pro­víncia de Ali­cante, também na Es­panha, a Beata Maria Jordá Botella, virgem e mártir, que, na mesma per­se­guição, venceu glo­ri­o­sa­mente o bom com­bate por Cristo. († 1936)

18*.   Em Ma­drid, também na Es­panha, o Beato Leão Maria de Alacuás (Ma­nuel Légua Marti), pres­bí­tero da Con­gre­gação dos Ter­ciá­rios de Nossa Se­nhora das Dores e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição, al­cançou a coroa de glória. († 1936)

19♦.   Em Bilbau, também na Es­panha, o Beato An­tónio Cid Rodríguez, re­li­gioso da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que, na mesma per­se­guição, me­receu re­ceber a su­blime palma da glória celeste. († 1936)

20. Santo Elzeário, na Folhinha do Coração de Jesus. No VIDAS DOS SANTOS, Santo Elzeário e Santa Delfina, sua esposa. NOS MARTIROLÓGIOS – na bibliografia abaixo – , DIA 27 DE SETEMBRO. Ver no VIDAS DOS SANTOS, páginas 39-59: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

21. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Nicomédia, no começo do séc. IV, a paixão dos Santos Cipriano e Justina. Cipriano, qiue era mago, foi convertido pela graça sobrenatural da virgem Justina, que ele tentara em vão corromper através de seus sortilégios. Os dois sacrificaram a vida por Cristo. (M). Ver páginas 31-35: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SsANTOS%20-%2017.pdf

22. São Paulo VI. Nascimento em 26/09/1897 e falecimento em 06/08/1978. Festa litúrgica dm 29 de maio. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_Paulo_VI

23. São Colman, abade. Ver página 36: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

24. Outros santos do dia 26 de setembro: págs. 9-38, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 26 de setembro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/26_de_setembro

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 25 de setembro

1.   Co­me­mo­ração de São Cléofas (também na Folhinha do Coração de Jesus), dis­cí­pulo do Se­nhor, que, se­guindo em vi­agem com outro dis­cí­pulo, sentiu arder-lhe o co­ração quando Cristo, na tarde da Páscoa, lhes apa­receu no ca­minho e lhes ex­pli­cava as Es­cri­turas e de­pois, na po­vo­ação de Emaús, re­co­nheceu o Sal­vador na fracção do pão. Ver páginas 435-440: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

2.   Em Amiens, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, São Fir­mino, ve­ne­rado como bispo e mártir. († data inc.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, igualmente São Firmino, primeiro bispo de Amiens, que para lá levou o Evangelho de Cristo. (M). Ver páginas 441-442: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

3.   Em Da­masco, na Síria, os santos már­tires Paulo e Tata, es­posos, e seus fi­lhos Sa­bi­niano, Má­ximo, Rufo e Eu­génio, que, acu­sados de serem cris­tãos, de­pois de su­por­tarem açoites e ou­tros su­plí­cios, en­tre­garam a sua alma a Deus. († c. s. IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, receberam a palma do martírio São Paulo e sua Família, em Damasco; bem como os Bem-Aventurados Bardoniano e Eucarpo e mais vinte e seis cristãos, na Ásia. (M)

4.   Em Char­tres, na Gália Li­o­nense, na ho­di­erna França, São So­lene, bispo. († a. 511). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no começo do séc. VI, São Solênio, bispo de Chartres. Conselheiro muito ouvido por Clóvis, assistiu a seu batismo juntamente com São Remígio e São Gastão. (M). Ver páginas 443-444: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

5.   Em Sois­sons, na Gália Bél­gica, também na ac­tual França, São Prin­cípio, bispo, irmão de São Remígio. († s. VI)

6*.   Em Cork, na Mor­mónia, pro­víncia da Ir­landa, São Fin­barro, bispo. († s. VI)

7.   Em Au­xerre, na Nêus­tria, ac­tu­al­mente na França, Santo Ana­cário ou Au­na­cário, bispo, du­rante cujo epis­co­pado se con­cluiu o cha­mado Mar­ti­ro­lógio Jeronimiano. († 605). Ver páginas 445-446: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

8*.   Em Cu­sance, no ter­ri­tório de Be­sançon, na Nêus­tria, também na ac­tual França, Santo Er­men­fredo, abade. († c. 670)

9*.   No mos­teiro da San­tís­sima Trin­dade, na re­gião de Mos­covo, na Rússia, São Sérgio de Ra­donez, que, de­pois de viver como ere­mita na as­pe­reza da flo­resta, se­guiu a vida ce­no­bí­tica, que pro­pagou desde que foi eleito he­gú­meno; foi sempre um homem de ín­dole afável, con­se­lheiro de prín­cipes e con­so­lador dos fiéis. († 1392)

10*.   Na serra de Al­pu­jarras, pró­ximo de Gra­nada, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, o Beato Marcos Criado, pres­bí­tero da Ordem da San­tís­sima Trin­dade dos Ca­tivos e mártir, que foi morto pelos Mouros. († 1569)

11*.   Em Car­rión de Ca­la­trava, po­vo­ação pró­xima de Ciudad Real, também na Es­panha, os be­atos már­tires João Pedro de Santo António (José Maria Bengoa Aran­gúren), pres­bí­tero, e Paulo Maria de São José (Pedro Leoz y Por­tillo), re­li­gioso da Con­gre­gação da Paixão, e Jesus Hita Mi­randa, re­li­gioso da Com­pa­nhia de Maria, que, du­rante o furor da per­se­guição re­li­giosa, foram fu­zi­lados pelos mi­li­ci­anos em ódio à Igreja. († 1936)

12♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, os be­atos João Co­dera Marquês e Tomás Gil de la Cal, re­li­gi­osos da So­ci­e­dade Sa­le­siana e már­tires na mesma per­se­guição contra a Igreja. († 1936)

13*.    Em Urda, pró­ximo de To­ledo, na Es­panha, o Beato Félix das Cinco Chagas (Félix Ugalde Irurzun), re­li­gioso da Con­gre­gação da Paixão, que, fu­zi­lado por causa da sua fé cristã du­rante a grande per­se­guição, al­cançou a palma do martírio. († 1936)

14. Santa Aurélia, também na Folhinha do Coração de Jesus. 

15. São Vicente Stambi, também na Folhinha do Coração de Jesus.

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1487, São Nicolau de Flue.  Casado e pai de família, deu aos cinquenta anos sua casa, esposa e seus filhos, de acordo com o conselho evangélico, pelo nome de Cristo. Por sua sabedoria e sua oração conseguiu salvar, um dia, a unidade e a independência dos cantões da Confederação Helvética, da qual mereceu ser proclamado o patrono celeste. (F)

17. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 716, São Ceolfrido, abade de Wearmouth, que mostrou-se muito unido à Santa Sé. (M)

18. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Baviera, em 1054, o Bem-Aventurado Hermano, o Coxo, monge de Reichenau, cantor da Virgem Maria. (X)

19. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1838, a paixão do Bem-Aventurado Francisco Jaccard, missiohário da Savóia, martirizado na Indochina. (X). Ver página 447: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

20. São Pacífico de São Severino, no VIDAS DOS SANTOS. Ver páginas 427-428: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

21.  Beato Pedro Claver, jesuíta, apóstolo e servidor dos negros escravizados, no VIDAS DOS SANTOS. Ver páginas 429-434: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

22. Outros santos do dia 25 de setembro: págs. 427-448, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 25 de setembro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/25_de_setembro

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 24 de setembro

Solenidade de NOSSA SENHORA DAS MERCÊS. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Solenidade de Nossa Senhora das Mercês (também na Folhinha do Coração de Jesus), nas catedrais de Bom Jesus de Gurguéia, Itapipoca e Porto Nacional, das quais é titular. Também no Diretório da Liturgia da CNBB, que acrescenta NOSSA SENHORA DA GUIA, na Diocese de Patos.

– No VIDAS DOS SANTOS, 10 de agosto, pág. 330: “Na Espanha, aparição da bem-aventurada Virgem Maria, para que se instituísse, sob o nome de Nossa Senhora das Mercês, a ordem da Redenção dos cativos (24 de set.): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

– Ver ainda pág. 425 “No mesmo dia (24 de setembro), a festa da Bem-aventurada Virgem Maria, dita das Mercês, ordem que Ela mesma instituiu, sob êste nome, para o resgate de cativos. A origem da Ordem dos Mercedários, que se ocupou com a “liberdade dos cristãos cativos dos muçulmanos, calca-se numa vontade mesma de Nossa Senhora, que, aparecendo a São Pedro Nolasco, a São Raimundo de Penhaforte e ao rei de Aragão, no século XIII, assim sugeriu que se criasse aquela ordem. A festa de Nossa Senhora das Mercês estendeu-se à Igreja universal em 1696,”: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_das_Mercês

1.   Em Milão, na Trans­pa­dana, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, Santo Ana­tólio, que é con­si­de­rado o pri­meiro bispo desta cidade. († s. II)

2.   Em Se­de­laucum, hoje Se­au­lieu, no ter­ri­tório de Autun, na França, os santos An­dó­quio, Tirso e Félix, mártires. († data inc.). Ver Santos Andóquio, Tirso e Félix, mártires, páginas 420-421: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

3.   Em Ar­vena, na Aqui­tânia, hoje Cler­mont-Fer­rand, também na França, São Rús­tico, bispo, que, sendo pres­bí­tero nesta ci­dade, as­sumiu, com grande ale­gria da ci­dade, a honra do episcopado. († s. V)

4.   Em Lião, na Gália, hoje também na França, São Lopo (São Lupo), bispo, que antes tinha vi­vido como anacoreta. († d. 528)

5*.   Em Mar­selha, na Pro­vença, também na França, Santo Isarno, abade, homem aus­tero para con­sigo, mas be­ne­vo­lente e pa­cí­fico para com os ou­tros, que re­novou a vida re­gular no mos­teiro de São Vítor. († 1043). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1043, Santo Isarno, amigo de Santo Odilão de Cluny. Eleito abade de São Vítor de Marselha, favoreceu o monaquismo no sul da França e na Catalunha. (X). Ver página 424: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

6.   Na Pa­nónia, em ter­ri­tório da ac­tual Hun­gria, São Ge­rardo Sa­gredo, bispo de Csanad e mártir, que foi pre­ceptor de Santo Eme­rico, prín­cipe ado­les­cente, filho do rei Santo Es­têvão, e morreu ape­dre­jado junto ao rio Da­núbio numa se­dição de hún­garos pagãos. († 1046). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1046, São Geraldo (também na Folhinha do Coração de Jesus), monge beneditino veneziano, que feito bispo de Csanad na Hungria, sacrificou sua vida defendendo os direitos e os deveres civis e religiosos. (M). Ver páginas 414-419: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

7*.   Em Ge­rona, na Ca­ta­lunha, re­gião da Es­panha, o Beato Dal­mácio Moner, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, in­signe pelo seu amor à so­lidão e ao silêncio. († 1341)

8*.   Em York, na In­gla­terra, os be­atos már­tires Gui­lherme Spenser, pres­bí­tero, e Ro­berto Har­desty, con­de­nados à pena ca­pital e en­for­cados no rei­nado de Isabel I, o pri­meiro por ser sa­cer­dote, o se­gundo por lhe ter dado hospitalidade. († 1589)

9.   Em Na­ga­sáki, no Japão, Santo An­tónio Gon­zález, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, que, en­viado para o Japão com ou­tros cinco com­pa­nheiros e en­car­ce­rado pouco tempo de­pois, foi sub­me­tido duas vezes ao su­plício da água, até que, con­su­mido pela febre, pre­cedeu os seus com­pa­nheiros na morte, no tempo do chefe su­premo To­ku­gawa Yemitsu. († 1637)

10.     Em San Se­ve­rino, nas Marcas, re­gião da Itália, São Pa­cí­fico (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, in­signe pela suas pe­ni­tên­cias, amor à so­lidão e oração ante o San­tís­simo Sacramento. († 1721). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em San Severino, na região de Ancona, na Itália, São Pacífico, franciscano. Professor de filosofia e brilhante pregador, aceitou generosamente a doença que aos trinta e cinco anos o obrigou a cessar toda a atividade exterior. (M)

11*.   Em Ma­ribor, na Es­lo­vénia, o Beato An­tónio Mar­tinho Slomsek, bispo, que se de­dicou com todas as suas ener­gias ao cui­dado da vida cristã das fa­mí­lias, à for­mação do clero e à de­fesa da uni­dade da Igreja. († 1862)

12*.   Em Roma, a Beata Co­lomba Ga­briel (Joana Ma­tilde Ga­briel), aba­dessa do mos­teiro de L’viv, na Ucrânia, que, in­jus­ta­mente ca­lu­niada, se di­rigiu para Roma, onde viveu pobre e alegre e fundou a Con­gre­gação das Irmãs Be­ne­di­tinas da Ca­ri­dade, além da obra so­cial cha­mada Casa da Fa­mília, em favor das jo­vens ope­rá­rias po­bres ou afas­tadas da família. († 1926)

13*.   Em Ablat de la Ri­bera, po­vo­ação da pro­víncia de Va­lência, na Es­panha, o Beato José Rai­mundo Pas­coal Ferrer Botella, pres­bí­tero e mártir, que pa­deceu o mar­tírio du­rante a per­se­guição contra a fé cristã. († 1936)

14*.   Em Rotglà y Cor­bera, também na pro­víncia de Va­lência, o Beato José Maria Fer­rándiz Hernández, pres­bí­tero e mártir, que na mesma per­se­guição re­li­giosa ter­minou vi­to­ri­o­sa­mente o com­bate da fé. († 1936)

15*.   Em Ol­leria, na mesma pro­víncia de Va­lência, a Beata En­car­nação Gil Valls, virgem e mártir, que, le­vando a lâm­pada acesa, foi ao en­contro de Cristo Esposo. († 1936)

16*.   Em Al­cira, também na pro­víncia de Va­lência, o Beato José Rai­mundo Fer­ragut Girbés, mártir, pai de fa­mília que morreu como ví­tima por Cristo na mesma per­se­guição contra a fé cristã. († 1936)

17♦.   Em Bar­ce­lona, também na Es­panha, o Beato Afonso do Sa­grado Co­ração de Maria (Afonso Ari­mány Ferrer), pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a Igreja, foi as­sas­si­nado  em ódio ao sacerdócio. († 1936)

18♦.   Em Má­laga, também na Es­panha, os be­atos Ma­nuel Gómez Contioso, pres­bí­tero, e com­pa­nheiros már­tires, que, du­rante a mesma per­se­guição, foram as­sas­si­nados em ódio à fé cristã. São estes os seus nomes: Es­têvão Garcia Garcia e Ra­fael Ro­drí­guez Mesa, re­li­gi­osos da So­ci­e­dade Salesiana. († 1936)

19♦.   Em Cu­enca, também na Es­panha, os be­atos Mel­chior do Es­pí­rito Santo (Mel­chior Ro­drí­guez Vil­las­trigo), pres­bí­tero da Ordem da San­tís­sima Trin­dade e com­pa­nheiros már­tires, que con­sumou egre­gi­a­mente o seu com­bate por Cristo. São estes os seus nomes: Luís de São Mi­guel dos Santos (Luís de Er­doíza y Za­malloa), Tiago de Jesus (Tiago Ar­riaga y Ar­ríen), pres­bí­teros, e João de Nossa Se­nhora do Cas­tellar (João Fran­cisco Joya y Cor­ra­lero), re­li­gioso, todos da Ordem da San­tís­sima Trindade. († 1936)

20. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em meados do séc. VII, São Geremário (São Germaro, também na Folhinha do Coração de Jesus), abade, que multiplicou o número de mosteiros na região de Beauvais. Morreu em um deles, que em seguida tomou o seu nome. (M). Ver páginas 422-423: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

21. Outros santos do dia 24 de setembro: págs. 414-426, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 24 de setembro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/24_de_setembro

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 23 de setembro

Me­mória de São Pio (também na Folhinha do Coração de Jesus), de Pietrelcina (Fran­cisco For­gione), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, que no con­vento de San Gi­o­vánni Ro­tondo, na Apúlia, re­gião da Itália, se con­sa­grou as­si­du­a­mente à di­recção es­pi­ri­tual dos fiéis e à re­con­ci­li­ação dos pe­ni­tentes, e foi tão grande a sua pro­vi­dente de­di­cação aos po­bres e aos ne­ces­si­tados, que neste dia ter­minou a sua pe­re­gri­nação ter­rena ver­da­dei­ra­mente con­fi­gu­rado com Cristo crucificado. († 1968). Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Padre_Pio

2.   Co­me­mo­ração dos santos Za­ca­rias e Isabel, pais de São João Bap­tista, Pre­cursor do Se­nhor. Isabel, quando re­cebeu em sua casa Maria, sua pa­rente, cheia do Es­pí­rito Santo saudou a Mãe do Se­nhor como ben­dita entre as mu­lheres. Za­ca­rias, sa­cer­dote, cheio de es­pí­rito pro­fé­tico, ante o nas­ci­mento do filho, louvou a Deus re­dentor e anun­ciou a pró­xima vinda de Cristo, que pro­cede do alto como sol nascente.

3.   Em Roma, a co­me­mo­ração de São Lino, papa, a quem, se­gundo o tes­te­munho de Santo Ireneu, os Após­tolos con­fi­aram o epis­co­pado da Igreja fun­dada na Urbe e que São Paulo re­corda como seu companheiro. († s. I). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, o martírio do papa São Lino, que depois de São Pedro foi o primeiro a governar a Igreja Católica. Foi sepultado no Vaticano, junto do próprio Apóstolo. (R). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_Lino

– Ver também página 413: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

4.   Em Capo Mi­seno, na Cam­pânia, re­gião da Itália, São Sósio, diá­cono e mártir, que, como re­fere o papa São Sí­maco, de­se­jando pro­teger da morte o seu bispo, con­se­guiu também ele no mar­tírio com igual preço a mesma glória. († c. 305). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Campânia, no séc. III, o Bem-Aventurado Sosso, diácono da Igreja de Misena, que teve sua cabeça cortada por causa de sua fé cristã. (M)

5.   Em An­cona, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, também re­gião da Itália, a co­me­mo­ração de São Cons­tâncio, por­teiro da igreja, que res­plan­deceu mais pela hu­mil­dade que pelo dom de milagres. († s. V). Ver páginas 411-412: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

6*.   Em Iona, ilha da Es­cócia, Santo Adam­nano, pres­bí­tero e abade, homem muito ex­pe­ri­ente no co­nhe­ci­mento da Sa­grada Es­cri­tura e in­can­sável pro­motor da uni­dade e da paz, que, tanto na Es­cócia como na Ir­landa, per­su­adiu muitos com a sua pre­gação a ce­le­brar a Páscoa se­gundo a tra­dição romana. († 704). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mosteiro de Iona, na Escócia, em 704, Santo Adanano, o maior dos sucessores de São Columbano na direção daquela abadia. Exerceu benéfica influência sobre a Igreja e a sociedade de seu tempo. (X). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Adomnano

7.   Na África se­ten­tri­onal, os santos André, João, Pedro e An­tónio, már­tires, os quais, cap­tu­rados em Si­ra­cusa, na Si­cília, foram de­por­tados e sub­me­tidos ao su­plício pelos Mouros. († d. 881). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 880, os Santos Mártires André, João, Pedro e Antônio. Originários de Siracusa, foram deportados para a África em testemunho de sua fé. (M)

8*.   Em Ve­neza, ci­dade do Vé­neto, re­gião da Itália, o Beato Pedro Acotanto, monge, que re­cusou hu­mil­de­mente o cargo de abade e pre­feriu viver re­cluso no mosteiro. († c. 1187)

9*.   Em Bo­lonha, ci­dade da ac­tual Emília-Ro­manha, também na Itália, a Beata He­lena Du­glióli Dall’Ólio, que, de­pois de um ma­tri­mónio vi­vido em grande har­monia com o es­poso, quando ficou viúva viveu uma vida exemplar. († 1520)

10*.   Em Tlax­cala, no Mé­xico, os beatos Cris­tóvão, An­tónio e João, már­tires, que, no tempo da pri­meira evan­ge­li­zação da Amé­rica, ade­riram com ale­gria à fé cristã e por isso foram es­pan­cados até à morte pelos seus concidadãos. († 1527-1529)

11*.   Em Kingston, nas mar­gens do Ta­misa, na In­gla­terra, o Beato Gui­lherme Way, pres­bí­tero e mártir, que, no rei­nado de Isabel I, por ter en­trado na In­gla­terra como sa­cer­dote foi con­de­nado à morte e en­for­cado no patíbulo. († 1588)

12*.   Em Mon­tréal, no Quebec, pro­víncia do Ca­nadá, a Beata Maria Emília Tavernier, re­li­giosa, que, de­pois de perder o es­poso e os fi­lhos, se de­dicou à as­sis­tência dos ne­ces­si­tados e fundou a Con­gre­gação das Irmãs da Pro­vi­dência, em favor dos ór­fãos, dos an­ciãos e dos de­fi­ci­entes mentais. († 1851)

13*.   Em Be­nisa, po­vo­ação da pro­víncia de Va­lência, na Es­panha, o Beato Vi­cente Bal­lester Far, pres­bí­tero e mártir, que, no tempo de per­se­guição re­li­giosa, en­frentou glo­ri­o­sa­mente o com­bate por Cristo. († 1936)

14*.   Em Be­ni­calap, po­vo­ação da mesma pro­víncia da Es­panha, as be­atas Sofia Xi­ménez Ximénez, mãe de fa­mília, Maria da Pu­ri­fi­cação de São José (Maria da Pu­ri­fi­cação Xi­ménez Xi­ménez) e Maria de Santa Sofia (Maria Jo­sefa del Rio Messa), vir­gens do Ins­ti­tuto das Irmãs Car­me­litas da Ca­ri­dade, már­tires, que, pelo com­bate do mar­tírio, al­can­çaram a im­pe­re­cível coroa de glória. († 1936)

15*.   Em Cra­cóvia, na Po­lónia, a Beata Ber­nar­dina Jablonska, virgem, fun­da­dora da Con­gre­gação das Irmãs Servas dos Po­bres, que foi sempre so­lí­cita para com os po­bres e os enfermos. († 1940)

16*.   Em Var­sóvia, também na Po­lónia, o Beato José Stanek, pres­bí­tero da So­ci­e­dade do Apos­to­lado Ca­tó­lico e mártir, que, du­rante a guerra, so­freu o mar­tírio, en­for­cado pelos per­se­gui­dores da fé cristã. († 1944)

17. Santa Tecla de Icônio, (também na Folhinha do Coração de Jesus). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, Santa Tecla, considerada pela tradição de diversos Padres da Igreja, como “a primeira das mulheres mártires” e “semelhante aos Apóstolos”. A basílica de Santa Tecla, edificada perto de Selêucia, foi um dos mais ilustres santuários da Antiguidade. (M). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Tecla_de_Icônio

18. Bem-Aventurado Francisco de Paula Vítor(também na Folhinha do Coração de Jesus),

19. Outros santos do dia 23 de setembro: págs. 399-, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 23 de setembro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/23_de_setembro

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Santas e Santos de 22 de setembro

1.   Em Roma, no ce­mi­tério de Co­mo­dila, junto à Via Os­ti­ense, a co­me­mo­ração de Santa Emé­rita, mártir. († data inc.)

2.   Em Agaune, no ter­ri­tório de Va­lais, na Hel­vécia, hoje Saint-Mau­rice, na Suíça, os santos már­tires Mau­rício, Exu­pério e Cân­dido, sol­dados, os quais, como narra Santo Euquério de Lião, jun­ta­mente com os com­pa­nheiros da Le­gião Te­bana e o ve­te­rano Vítor, mortos por Cristo no tempo do im­pe­rador Ma­xi­miano, hon­raram a Igreja com a sua glo­riosa paixão. († c. 302). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Agaune, no cantão suíço de Valais, o martírio de São Maurício, ao qual uma tradição que remonta ao séc. V associa grande número de companheiros, membros de uma legião romana recrutada na Tebaida. Uma abadia de cônegos agostinianos foi levantada mais tarde sobre o túmulo desses santos e propagou o seu culto. (M). Ver páginas 399-410: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

3.   Em Roma, junto à Via Sa­lária An­tiga, o se­pul­ta­mento de Santa Ba­sila, mártir, no tempo dos im­pe­ra­dores Di­o­cle­ciano e Maximiano. († 304)

4.   Em Le­vroux, lo­ca­li­dade do ter­ri­tório de Bourges, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, São Sil­vano, eremita. († c. s. V)

5.   No monte Glonna, junto ao rio Loire, no ter­ri­tório de Poi­tiers, na Gália, também na ac­tual França, São Flo­rêncio, presbítero. († c. s. VI). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no monte Glonne, às margens do Loire, no séc. V, São Florêncio, monge e sacerdote, que pregou o evangelho na região de Saumur. Suas relíquias, sempre transportadas, deixaram o nome do santo em diversas localidades nas quais foram veneradas. (M)

6.   No ter­ri­tório de Cou­tances, também na ho­di­erna França, São Lauto ou Laudo, bispo. († d. 549). Ver pág. 396: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

7.   Em Laon, na Nêus­tria, também na ac­tual França, Santa Sa­la­berga, aba­dessa, que, se­gundo se narra, foi cu­rada da ce­gueira e con­du­zida ao ser­viço de Deus por São Columbano. († c. 664). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 665, Santa Salaberga, mãe de família cristã, que fundou um convento em Langres, mais tarde transferido para Laon.

8.   Em Ra­tis­bona, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, Santo Eme­ramo (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que so­freu o mar­tírio pela fé em Cristo. († c. 690). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VII, o martírio de Santo Emerano, bispo, que evangelizou a Baviera. Seu nome permanece ligado à abadia beneditina de Kleinechelfendorf, levantada sobre seu túmulo e que tornou-se local de peregrinação. (M)

9*.   No mos­teiro cis­ter­ci­ense de Mo­ri­mond, na França, o pas­sa­mento do Beato Otão, bispo de Frei­sing, que morreu com o há­bito mo­nás­tico, que nunca deixou du­rante o episcopado. († 1158)

10.          Em Turim, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, Santo Inácio de Santhiá (Lou­renço Mau­rício Bel­vi­sótti), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, muito as­síduo na au­dição de con­fis­sões e na as­sis­tência aos enfermos. († 1770)

11*.   Ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato José Mar­chandon, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, por causa do seu sa­cer­dócio foi en­car­ce­rado numa sór­dida ga­lera, onde morreu con­su­mido pela fome e as en­fer­mi­dades e foi ao en­contro do Pai. († 1794)

12.   Em Seul, na Co­reia, a paixão dos santos Paulo Chong Ha-sang e Agos­tinho Yu Chin-gil, már­tires: o pri­meiro di­rigiu du­rante vinte anos, em tempo de per­se­guição, a pri­meira co­mu­ni­dade cristã; o se­gundo es­creveu cartas ao papa Gre­gório XVI pe­dindo-lhe pres­bí­teros para a Co­reia; ambos ca­te­quistas, de­pois de sub­me­tidos aos mais duros su­plí­cios, foram de­go­lados por causa da sua fé. († 1839)

13*.   Em Mon­serrat, na pro­víncia de Va­lência, na Es­panha, o Beato Carlos Na­varro Miguel, pres­bí­tero da Ordem dos Clé­rigos das Es­colas Pias e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra os re­li­gi­osos, foi co­roado com nobre martírio. († 1936)

14*.   No mesmo lugar, o Beato Ger­mano Gon­çalvo Andréu, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição, foi co­roado com o tes­te­munho glo­rioso de Cristo. († 1936)

15*.   Em Al­cira, também na pro­víncia de Va­lência, os be­atos már­tires Vi­cente Pe­lufo Corts, pres­bí­tero, e Jo­se­fina Mos­cardó Montalvá, virgem, que, du­rante a mesma per­se­guição contra a fé cristã, me­re­ceram chegar à pre­sença de Deus om­ni­po­tente com a palma da vitória. († 1936)

16*.   Em Bol­baite, também na pro­víncia de Va­lência, o Beato Vi­cente Si­cluna Her­nández, pres­bí­tero e mártir, que foi morto na mesma per­se­guição religiosa. († 1936)

17*.   Em Cor­bera, lo­ca­li­dade pró­xima de Va­lência, também na Es­panha, a Beata Maria da Pu­ri­fi­cação Vidal Pastor, virgem e mártir, que me­receu as­so­ciar-se às núp­cias eternas com seu Es­poso, Jesus Cristo. († 1936)

18♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, os be­atos Es­têvão Cobo Sanz e Fre­de­rico Cobo Sanz, re­li­gi­osos da So­ci­e­dade Sa­le­siana e már­tires na mesma per­se­guição contra a fé cristã. († 1936)

19♦.   Em Azuaga, perto de Ba­dajoz, também na Es­panha, os be­atos Félix Eche­varría Gorostiaga, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores e com­pa­nheiros már­tires, que, na mesma per­se­guição, em vir­tude da sua in­tré­pida fi­de­li­dade re­ce­beram do Se­nhor a re­com­pensa eterna. São estes os seus nomes: An­tónio (Ru­perto Sáez de Ibarra López), Fran­cisco Jesus (Fran­cisco Carlés Gon­zález), Luís Eche­varría Go­ros­tiaga, pres­bí­teros; Mi­guel (Leão Zar­ragúa Itur­rí­zaga) e Simão Mi­guel Ro­drí­guez, re­li­gi­osos, todos da mesma Ordem dos Frades Menores. († 1936)

20. São Focas (também na Folhinha do Coração de Jesus),

21. São Santino (também na Folhinha do Coração de Jesus),

22. No “VIDAS DOS SANTOS” São Tomás de Vilanova. Ver páginas 373-395: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf  

23. Outros santos do dia 22 de setembro: págs. 373-398, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 22 de setembro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/22_de_setembro

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular