Santas e Santos de 12 de outubro

SOLENIDADE DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, SOLENIDADE DE NOSSA SENHORA APARECIDA, PADROEIRA PRINCIPAL DO BRASIL (também na Folhinha do Coração de Jesus). De acordo com o relato do Padre José Alves Vilela, vigário de Guaratinguetá de 1725 a 1745, “na segunda quinzena de outubro de 1717, passando por esta vila de Guaratinguetá para as Minas o Governador delas e de São Paulo, o Conde de Assumar, D. Pedro de Almeida, foram notificados pela Câmara todos os pescadores para apresentarem todo o peixe que pudessem haver para o dito governador. Entre os muitos, foram a pescar Domingos M. Garcia, João Alves e Filipe Pedroso, em suas canoas. E principiando a lançar suas redes no porto de José Correa Leite, continuaram até o porto de Itaguaçu, distância bastante, sem tirar peixe algum. E lançando neste porto João Alves a sua rede de arrasto, tirou o corpo de uma senhora sem a cabeça; e lançando mais abaixo outra vez a rede, tirou a cabeça da mesma Senhora, não se sabendo nunca quem ali a lançasse. Guardou o inventor esta imagem em um tal ou qual pano; e continuando a pescaria, não tendo até então tomado peixe algum, dali por diante foi tão copiosa a pescaria em poucos lanços, que receosos os companheiros de naufragarem pelo muito peixe que tinham em suas canoas, se retiraram a suas vivendas, admirados desse sucesso. Filipe Pedroso conservou esta imagem seis anos, pouco mais ou menos, em sua casa, perto de Lourenço de Sá. E passando para a Ponte Alta, ali a conservou em sua casa nove anos, pouco mais ou menos. Daqui se passou a morar em Itaguaçu, onde deu a imagem a seu filho, Atanásio Pedroso, o qual lhe fez oratório tal e qual; e em um altar de paus colocou a santa, onde todos os sábados se ajuntava a vizinhança a cantar o terço e mais devoções.

            Foi edificada uma capelinha, e depois outra maior. A 24 de junho foi bento solenemente o templo, hoje chamado de “basílica velha”. A monumental basílica atual foi consagrada pelo papa São João Paulo II no dia 4 de julho de 1980. Desde 1894, como capelães e missionários, vieram os padres redentoristas, que desde então prestam assistência religiosa aos romeiros. A devoção do povo brasileiro à Nossa Senhora, a peregrinação da Padroeira por toda a Pátria, a abertura de vias de acesso rápido e uma equipe de religiosos especializados colocaram Aparecida entre os maiores centros de peregrinação do mundo. Em 1988, o Presidente João Figueiredo decretou o dia 12 de outubro como feriado nacional. (R). Ver páginas 116-156: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2018.pdf

Ver ainda: págs. 366-374. OBSERVAÇÃO: entre as páginas 370-373, NOSSA SENHORA APARECIDA: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Conceição_Aparecida

NOSSA MÃEZINHA SEMPRE MERECE SER LEMBRADA. ABAIXO: FESTAS E SOLENIDADES DE NOSSA SENHORA  (PODEM SER ENRIQUECIDAS COM MAIS ANOTAÇÕES)

A. EM 11 DE SETEMBRO, FESTA DA MATERNIDADE DA BEM-AVENTURADA VIRGEM MARIA. Instituída por Pio XI em 1931. Ver: Carta Encíclica LUX VERITATIS: http://w2.vatican.va/content/pius-xi/it/encyclicals/documents/hf_p-xi_enc_19311225_lux– VEr veritatis.html

– Ver páginas 107-108: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2018.pdf

– Ver também motivo da festa em 11 de outubro: http://farfalline.blogspot.com/2014/10/maternidade-divina-de-Maria.html

http://espelhodejustica.blogspot.com/2017/10/11-de-outubro-maternidade-divina-de-n.html

B. Festa de NOSSA SENHORA DA GRAÇA, padroeira principal da Diocese de Parnaíba, Piauí, conforme o Martirológio Romano-Monástico. NOSSA SENHORA MÃE DA DIVINA GRAÇA, padroeira da cidade de Parnaíba, Piauí. No Martirológio Romano-Monástico, festa em 11 de outubro. No  Diretório de Liturgia da CNBB, dia 11 de outubro é DEDICAÇÃO DA CATEDRAL. Ver: http://obviousmag.org/a_literatura_vivendo_em_mim/2017/dia-08-de-setembro-festa-da-mae-da-divina-gracapadroeira-da-cidade-de-parnaiba.html

– VER TAMBÉM: http://www.diocesedeparnaiba.org.br/

C. Ver em 08 de setembro, SOLENIDADES E FESTAS DE NOSSA SENHORA:

C.1. * Festa da Na­ti­vi­dade da Virgem Santa Maria, da des­cen­dência de Abraão, nas­cida da tribo de Judá, da li­nhagem régia de David, da qual nasceu o Filho de Deus, feito homem por vir­tude do Es­pí­rito Santo, para li­bertar os ho­mens da an­tiga es­cra­vidão do pecado.

– Ver ainda: NATIVIDADE DA SANTÍSSIMA VIRGEM: Ver páginas 99-100: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, FESTA DA NATIVIDADE DA BEM-AVENTURADA VIRGEM MARIA, herdeira das Alianças e das promessas de Israel, de quem Cristo se originou, segundo a sua humanidade. Essa festa é igualmente celebrada pelos orientais bizantinos e siríacos, ao passo que os gregos e coptas a celebram na vigília deste dia. (R). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Natividade_de_Nossa_Senhora

C.2.NOSSA SENHORA DA PENHA: ver também 08 de abril.

-Ver:http://www.arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/nossa-senhora-da-penha

https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Penha_de_Fran%C3%A7a

https://www.altoastral.com.br/nossa-senhora-da-penAa/

D.Solenidade de NOSSA SENHORA DE MONSERRATE, titular da Abadia Territorial de Nossa Senhora de Monserrate, no Rio de Janeiro, e padroeira principal das arquidioceses de Curitiba e Vitória, da diocese de Juazeiro e da prelazia de Lábrea. Nas cidades de Curitiba e Santos, é padroeira. Nas catedrais de Curitiba (Nossa Senhora da Luz), Vitória (Nossa Senhora da Vitória), Juazeiro (Nossa Senhora das Grotas) e Lábrea (Nossa Senhora de Nazaré), solenidade da titular. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Virgem_de_Montserrat

E. VER AINDA:

E.1.* NOSSA SENHORA DA CARIDADE DO COBRE: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Caridade_do_Cobre

E.2.* NOSSA SENHORA DE NAZARÉ: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_de_Nazaré

E.3.* NOSSA SENHORA DA PENNA (também na Freguesia – Rio de Janeiro): https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Pena

E.4.* NOSSA SENHORA DO PORTO: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_do_Porto

E.5.* NOSSA SENHORA DA SAÚDE  https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Saúde

1.   Em Roma, junto à Via Lau­ren­tina, Santo He­disto, mártir. († data inc.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia receberam a palma do martírio os Santos Edisto, perto de Roma; e Donina, na Cilícia (M).

2.       Em Ana­zarbo, na Ci­lícia, na ho­di­erna Tur­quia, Santa Se­nho­rinha, mártir, que, se­gundo a tra­dição, no tempo do im­pe­rador Di­o­cle­ciano e do go­ver­nador Lí­cias, de­pois de so­frer muitos tor­mentos, no cár­cere en­tregou o seu es­pí­rito a Deus. († c. 304)

3.   Co­me­mo­ração dos quatro mil no­ve­centos e ses­senta e seis már­tires e con­fes­sores da fé, que du­rante a per­se­guição de­sen­ca­deada pelos Vân­dalos na África Se­ten­tri­onal, foram mortos por ordem do rei ariano Hu­ne­rico, em ódio à fé ca­tó­lica: bispos, pres­bí­teros e diá­conos da Igreja de Deus, jun­ta­mente com uma grande mul­tidão de fiéis, foram con­fi­nados num hor­rível ermo, onde, de­pois de sub­me­tidos a vá­rios gé­neros de tor­turas, ce­le­braram o seu mar­tírio; entre eles es­tavam os bispos Ci­priano e Félix, in­signes sa­cer­dotes do Senhor. († 483). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Tunísia, perto de 404, o martírio de Cinco Mil Bispos, Clérigos e Leigos africanos, que haviam confessado sua fé diante dos perseguidores arianos:  “Somos cristãos, somos católicos, nós proclamamos a Trindade em Um Só Deus”. (M). Ver páginas 159-160: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2018.pdf

4*.     Em Pi­a­cenza, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, Santo Opílio, diácono. († c. s. V)

5.   Em Roma, São Félix IV, papa, que trans­formou dois tem­plos do Foro Ro­mano na igreja de­di­cada aos santos Cosme e Da­mião e tra­ba­lhou com grande zelo pela fé católica. († 530)

6.   Na pro­víncia do Nó­rico Ri­pense, ac­tu­al­mente na Áus­tria, São Ma­xi­mi­liano, que é ve­ne­rado como bispo de Lorch. († a. s. VII)

7*.     Em Pavia, na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Ro­to­baldo, bispo, homem de exem­plar es­pí­rito de pe­ni­tência, muito de­di­cado ao culto di­vino e à in­ves­ti­gação das re­lí­quias dos santos. († 1254)

8.   Em Ás­coli, ci­dade do Pi­ceno, ac­tu­al­mente nas Marcas, re­gião da Itália, São Se­rafim (também na Folhinha do Coração de Jesus) de Monte Granaro (Félix de Ni­cola), re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, me­mo­rável pela sua hu­mil­dade, po­breza e piedade. († 1604). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na região de Ancona, às margens do Adriático, em 1604, São Serafim, frade capuchinho assíduo ao culto eucarístico e ao serviço de seus irmãos (M).

9*.     Em Lon­dres, na In­gla­terra, o Beato Tomás Bul­laker, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores e mártir, que, apri­si­o­nado no rei­nado de Carlos I no mo­mento em que ce­le­brava a Missa, morreu na forca de Ty­burn por causa do seu sa­cer­dócio e es­quar­te­jado quando ainda es­tava vivo. († 1642)

10♦.   Em Oviedo, na Es­panha, o Beato Eu­frásio do Me­nino Jesus (Eu­frásio Bar­redo Fer­nández), pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e mártir, que, as­sas­si­nado em ódio à fé,  se tornou par­ti­ci­pante na vi­tória de Cristo. († 1934)

11*.   Em Ri­bar­roja de Túria, lo­ca­li­dade da pro­víncia de Va­lência, também na Es­panha, o Beato José Gon­zález Huguet, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, com­bateu por Cristo um glo­rioso combate. († 1936)

12*.   Em Mas­sa­ma­grel, também na pro­víncia de Va­lência, o Beato Pa­cí­fico de Va­lência (Pedro Sal­cedo Pu­chades), re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos e mártir, que na mesma per­se­guição foi con­fi­gu­rado à Paixão de Cristo. († 1936)

13*.   No campo de con­cen­tração de Aus­chwitz, perto de Cra­cóvia, na Po­lónia, o Beato Romão Sitko, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a ocu­pação mi­litar da Po­lónia, de­pois de ter sido atroz­mente ator­men­tado pelos per­se­gui­dores hostis à dig­ni­dade dos ho­mens e da re­li­gião, partiu para a visão da eterna bem-aventurança. († 1942)

14. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 710, a volta para Deus de São Vilfrido. Inicialmente monge na abadia de Lindisfarne, fundou o mosteiro de Ripon, onde introduziu os costumes litúrgicos romanos e a Regra de São Bento. Tornando-se bispo de York, teve de sofrer o exílio e a prisão, mas foi por duas ocasiões reabilitado por Roma. (M).

15. Santo Evágrio (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver página 159: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2018.pdf

16. Beato Tiago de Ulm. Ver páginas111-115: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2018.pdf

17. Santo Edwin, rei da Nortúmbria. Ver páginas 157-159: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2018.pdf

18. Outros santos do dia 12 de outubro: págs. 111-161, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2018.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XVII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 12 de outubro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/12_de_outubro

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.