Santas e Santos de 02 de novembro

Co­me­mo­ração de Todos os Fiéis Defuntos (também na Folhinha do Coração de Jesus), na qual a Igreja, Mãe pi­e­dosa, de­pois da sua so­li­ci­tude em ce­le­brar com os de­vidos lou­vores todos os seus fi­lhos que se ale­gram no Céu, quer in­ter­ceder di­ante de Deus pelas almas de todos os que nos pre­ce­deram mar­cados com o sinal da fé e agora dormem na es­pe­rança da res­sur­reição, bem como por todos os de­funtos desde o prin­cípio do mundo cuja fé só Deus co­nhece, a fim de que, pu­ri­fi­cados de toda a mancha do pe­cado, sejam as­so­ci­ados aos ci­da­dãos ce­lestes, para po­derem gozar da visão da fe­li­ci­dade eterna. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, comemoração de Todos os Fiéis Defuntos, dia em que a Igreja intercede por seus membros adormecidos na morte e sofrem uma última purificação antes de entrarem na Glória. Esta celebração litúrgica deve sua origem a Santo Odilon, abade de Cluny, que foi o primeiro a prescreve-la para todos os mosteiros beneditinos. (R). Ver páginas 129-137: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf .

– Ver também APÊNDICE, páginas 145-146: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

– Ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Dia_dos_Fiéis_Defuntos

2.   Co­me­mo­ração de São Vi­to­rino, bispo de Po­e­tóvio, na Pa­nónia, hoje Ptuj, na Es­lo­vénia, que re­digiu muitos es­critos para ex­plicar os li­vros da Sa­grada Es­cri­tura e foi co­roado com o mar­tírio na per­se­guição do im­pe­rador Diocleciano. († c. 303). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Panônia, no séc. IV, São Vitorino, bispo. Segundo São Jerônimo, ele trabalhou a serviço da Palavra de Deus adaptando para o latim comentários escriturísticos gregos. (M).

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Vitorino_de_Pettau

3.   Em Tri­este, na Ís­tria, ac­tu­al­mente na Itália, São Justo, mártir. († c. s. IV)

4.   Em Se­baste, na Ar­ménia, hoje Sivas, na Tur­quia, os santos Car­tério, Es­ti­ríaco, To­bias (também na Folhinha do Coração de Jesus), Eu­dóxio, Agápio e com­pa­nheiros, már­tires, que, sendo sol­dados no tempo do im­pe­rador Li­cínio, se­gundo a tra­dição, foram lan­çados às chamas por per­se­ve­rarem na fé de Cristo. († c. 320). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Sebaste, São Cartério e seus Companheiros, soldados. Acusados de terem desviado o povo de sua submissão ao Imperador, Cartério respondeu que era a causa “não da sublevação do povo, mas de sua marcha rumo a Cristo, Rei imortal”. (M)

5.   Na an­tiga Pérsia, os santos Acin­dino, Pe­gásio, Af­tónio, El­pi­dí­foro, Anem­po­disto e nu­me­rosos com­pa­nheiros, már­tires, que, se­gundo a tra­dição, pa­de­ceram no tempo do rei Sapor II. († s. IV)

6.   Em Vi­enne, ci­dade da Gália Li­o­nense, hoje na França, São Do­nino, bispo, que se de­dicou à obra da re­denção dos cativos. († c. 538)

7.   Co­me­mo­ração de São Mar­ciano, ere­mita, que, nas­cido em Ciro, se re­tirou para o de­serto na Cal­ce­dónia, na ac­tual Tur­quia, onde vivia num es­trei­tís­simo ca­sebre, não se ali­men­tando senão à tarde com uma pe­quena quan­ti­dade de pão e água, mas an­te­pondo ao jejum o amor fraterno. († s. IV f.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Síria, no séc. IV, São Marciano, eremita. A um monge que um dia recusou a comida que lhe era oferecida em sinal de hospitalidade, respondeu: “Nós consideramos o jejum mais valioso que a comida, mas sabemos que a caridade é mais agradável a Deus”. (M). Ver páginas 138-141: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

8.   No mos­teiro de Agaune, entre os Hel­vé­cios, hoje Saint-Mau­rice-en-Va­lais, na Suíça, Santo Am­brósio, abade, que, tendo sido o su­pe­rior do mos­teiro de Île-Barbe, perto de Lião, foi trans­fe­rido para esta sede em vir­tude da sua in­signe ob­ser­vância re­li­giosa, onde es­ta­be­leceu a prá­tica da laus perennis, de modo que hou­vesse sempre monges can­tando no coro os lou­vores de Deus. († c. 520)

9.   Junto a uma fonte si­tuada em Holywell, lo­ca­li­dade do País de Gales, Santa Vin­freda, virgem, que é ve­ne­rada como monja insigne. († c. s. VII)

10.   Em Vi­enne, ci­dade da Bor­gonha, na ho­di­erna França, São Jorge, bispo. († c. 670)

11.   No mos­teiro de Cla­raval, também na Bor­gonha, o se­pul­ta­mento de São Ma­la­quias, bispo de Down e Connor, na Ir­landa, que re­novou a vida da sua Igreja e, neste mos­teiro, quando se di­rigia a Roma, en­tregou o seu es­pí­rito ao Se­nhor na pre­sença do abade São Bernardo. († 1148)

12*.   Em Mor­tagne, ci­dade da Nor­mandia, na França, a Beata Mar­ga­rida de Lorena, que era du­quesa de Alençon e, ao ficar viúva, abraçou a vida re­li­giosa no mos­teiro das Cla­rissas, que ela tinha fundado. († 1521). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1521, a Bem-Aventurada Margarida de Lorena, Duquesa de Alençon, neta do bom Rei Renato e avó de Henrique IV. Após ter educado cristãmente os filhos e ter-se dedicado aos pobres, acabou por entrar no Mosteiro das Clarissas de Argentan. (X). Ver páginas 142-144: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

13*.   Em An­dover, no con­dado de Hampshire, na In­gla­terra, o Beato João Bodey, mártir, que, sendo mestre-es­cola, por não aceitar a au­to­ri­dade da rainha Isabel I em as­suntos es­pi­ri­tuais, foi en­for­cado e esquartejado. († 1583)

14*.   Em Ca­sale, na Fla­mínia, hoje na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, o Beato Pio de São Luís (Luís Cam­pi­délli), re­li­gioso da Con­gre­gação da Paixão, que, ainda jovem, tendo sido ví­tima de uma grave en­fer­mi­dade, se con­formou ple­na­mente com a von­tade divina. († 1889)

15. São Pápias (também na Folhinha do Coração de Jesus)

16. São Tomás de Walen (também na Folhinha do Coração de Jesus)

17, Outros santos do dia 01 de novembro: págs. 129-147, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf  Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XVII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 02 de novembro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/2_de_novembro   

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.