Santas e Santos de 20 de abril

Em 2020, NOSSA SENHORA DA PENHA dia 20 de abril

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, festa de Nossa Senhora da Penha (VER DIA 15 DE ABRIL), padroeira principal do Espírito Santo e de outras dioceses brasileiras. Menção a Nossa Senhora da Penha, festa a partir da Páscoa, no Espírito Santo, encerrando-se 9 dias depois. Ver: https://clube.cancaonova.com/outras-materias/vamos-conhecer-a-historia-de-nossa-senhora-da-penha-no-estado-do-espirito-santo/ e ver também: https://www.google.com/search?q=Nossa+Senhora+da+Penha+padroeira+do+Esp%C3%ADrito+Santo&oq=Nossa+Senhora+da+Penha+padroeira+do+Esp%C3%ADrito+Santo&aqs=chrome..69i57j0.7680j0j8&sourceid=chrome&ie=UTF-8 e ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Penha_de_Fran%C3%A7a

1. Em Roma, Santo Ani­ceto, papa, que re­cebeu fra­ter­nal­mente o hós­pede in­signe São Po­li­carpo, para di­a­logar com ele sobre o dia da Páscoa. († c.166).  Ver dia 17 de abril: em Roma, perto de 166, o martírio de Santo Aniceto (também na Folhinha do Coração de Jesus de 17 de abril), Papa. Em tempos particularmente difíceis, recebeu a visita de São Policarpo de Esmirna, que tratou com ele o estabelecimento da data da festa da Páscoa (Conforme Martirológio Romano-Monástico – M). Ver 20 de abril. No Martirológio Italiano: em Roma, Santo Ani­ceto, papa, que re­cebeu fra­ter­nal­mente o hós­pede in­signe São Po­li­carpo, para di­a­logar com ele sobre o dia da Páscoa. († c.166).  Ver ainda página 31: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_Aniceto

2.   Também em Roma, a co­me­mo­ração dos santos Sul­pício (também na Folhinha do Coração de Jesus) e Ser­vi­ciano, már­tires, cujos corpos foram se­pul­tados na Via La­tina a três mi­lhas da cidade. ( † data inc.)

3.   Em Cór­dova, na His­pânia Bé­tica, São Se­cun­dino, mártir. († s. IV)

4.   Em Em­brun, na Gália, hoje na França, São Mar­ce­lino (também na Folhinha do Coração de Jesus), pri­meiro bispo desta ci­dade, que, tendo vindo da África, con­verteu à fé de Cristo a maior parte desta re­gião dos Alpes Ma­rí­timos e foi or­de­nado para esta sede epis­copal por Santo Eu­sébio de Vercelas. († c.374). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 374, São Marcelino. Originário da África, chegou ao sul da Gália, que converteu à fé cristã. Foi o primeiro bispo de Embrun (M). Ver páginas 118-121: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

5.   Em Au­xerre, na Gália Li­o­nense, também na ac­tual França, São Mar­ciano, monge. († c. 488)

6.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, São Te­o­doro, que, cha­mado Tri­quinas por causa do ás­pero ci­lício de crinas que usava sempre, levou uma vida de grande vir­tude na solidão. († s. V). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. V, perto de Constantinopla, São Teodoro, monge (M).

7.   Em An­ti­o­quia, na Síria, hoje An­takya, na Tur­quia, Santo Anas­tásio, bispo e mártir, que, no tempo do im­pe­rador Focas, foi cru­el­mente as­sa­si­nado por sicários. († 609)

8*.   No ter­ri­tório de Lau­rino, perto de Paéstum, na Cam­pânia, re­gião da Itália, Santa He­liena, virgem, que, fir­me­mente ani­mada pelas obras de Cristo, re­ti­rando-se para um lugar de­serto, se con­sa­grou total e in­can­sa­vel­mente a Deus no ser­viço dos re­li­gi­osos e dos enfermos. († s. VII). Ver páginas 130-131: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

9*.   Em Os­nabrück, na Sa­xónia, na ac­tual Ale­manha, São Vião, bispo, na­tural da Frísia, que foi en­viado como abade pelo im­pe­rador Carlos Magno para evan­ge­lizar os Sa­xões e de­pois, eleito bispo da Igreja de Os­na­bruck, su­portou por Cristo muitas tribulações. († 804)

10*.   No mos­teiro de Châ­te­liers, no ter­ri­tório de Poi­tiers, re­gião da França, o Beato Ge­raldo (Gerardo) de Sales, que, vi­vendo pobre como có­nego re­grante e mais pobre ainda como ere­mita e en­tregue a ár­duas pe­ni­tên­cias, a muitos in­flamou no amor de Deus, atraindo-os à vida ere­mí­tica, e fundou nu­me­rosas casas de có­negos regrantes. († 1120)

11*.   Em Pisa, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o Beato Do­mingos Vernagálli, pres­bí­tero da Ordem Ca­mal­du­lense, que cons­truiu um hos­pício para órfãos. († 1218)

12.   Em Mon­te­pul­ciano, também na Etrúria e hoje na Tos­cana, Santa Inês, virgem, que aos nove anos tomou as vestes das vir­gens sa­gradas e ainda com quinze anos foi eleita, contra a sua von­tade, su­pe­riora das monjas de Pro­ceno; de­pois fundou um mos­teiro em Mon­te­pul­ciano se­gundo a ob­ser­vância de São Do­mingos, onde deu exemplo ad­mi­rável de ver­da­deira humildade. († 1317). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Itália, no séc. XIV, Santa Inês, dominicana, que soube harmonizar, na renúncia, ação e contemplação (X e M). Ver páginas 109-110: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/In%C3%AAs_de_Montepulciano

13*.   Em Bo­lonha, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, o Beato Simão de Tódi Rinaldúcci, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, que ins­truiu os jo­vens es­tu­dantes e o povo de Deus com a pa­lavra da sua pre­gação e o exemplo da sua vida. († 1322)

14*.   Em Len­castre, na In­gla­terra, os be­atos Jaime Bell e João Finch, már­tires: o pri­meiro, pres­bí­tero, de­pois de ter pas­sado vinte anos noutra con­fissão, ori­en­tado pela exor­tação de uma pi­e­dosa mu­lher re­con­ci­liou-se com a Igreja ca­tó­lica; o se­gundo, pai de fa­mília, agri­cultor e ca­te­quista, pela sua fé su­portou du­rante muitos anos o cár­cere, a fome e ou­tros tor­mentos; no rei­nado de Isabel I, ambos al­can­çaram ao mesmo tempo a fe­li­ci­dade eterna. († 1584)

15*.   Em Lon­dres, também na In­gla­terra, os be­atos Ri­cardo Sargeant e Gui­lherme Thomson, pres­bí­teros e már­tires, que, con­de­nados à morte por terem en­trado como sa­cer­dotes na In­gla­terra e aí per­ma­ne­cerem, pa­de­ceram no pa­tí­bulo de Ty­burn o ex­tremo suplício. († 1584)

16*.   Em Clonmel, na Ir­landa, o Beato Mau­rício MacKenraghty, pres­bí­tero e mártir, que, de­pois de dois anos de ca­ti­veiro, re­cu­sando sempre a au­to­ri­dade da rainha Isabel I nos as­suntos es­pi­ri­tuais, foi con­de­nado ao su­plício do patíbulo. († 1585)

17*.   Em York, na In­gla­terra, o Beato An­tónio Page, pres­bí­tero e mártir, homem pa­cí­fico e hon­rado, que foi con­de­nado a cruéis tor­turas em ódio ao sacerdócio. († 1593)

18*.   Em Lon­dres, também na In­gla­terra, os be­atos Fran­cisco Page, da Com­pa­nhia de Jesus, e Ro­berto Watkinson, pres­bí­teros e már­tires, que, no rei­nado de Isabel I, em ódio ao sa­cer­dócio – o se­gundo or­de­nado pres­bí­tero apenas um mês antes – foram ambos obri­gados a subir si­mul­ta­ne­a­mente ao pa­tí­bulo de Tyburn. († 1602)

19*.   Em Pi­a­nello, junto ao lago Como, na Itália, a Beata Clara Bos­satta (Dina Bos­satta), virgem, que, com o au­xílio de São Luís Gua­nella, fundou o Ins­ti­tuto das Fi­lhas de Santa Maria da Providência. († 1887)

20*.   No per­curso do campo de con­cen­tração de Da­chau para Hutheim, lo­ca­li­dade pró­xima de Linz, na Áus­tria, o Beato Anas­tásio Pankiewicz, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores e mártir, que, contra um re­gime opressor da dig­ni­dade cristã, deu tes­te­munho da sua fé até à morte. († 1942)

21. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, pela mesma época – séc. V – São Teotimo. Nascido pagão, tornou-se especialmente célebre por seus conhecimentos de filosofia grega, dando realce a esta ciência por uma rigorosa prática do cristianismo. Mais tarde tornou-se bispo de Cítia (M). – Ver São Teotimo, o filósofo, páginas 122-123: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf 

22. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia , na Bélgica, a Bem-Aventurada Oda. Ver páginas: 126-130: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

23. Santa Hildegonda ou Irmão José. Ver páginas 111-117: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

24. Bem-Aventurado Hugo de Anzy, confessor. Ver páginas 124-125: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

25. Santo Antonino. Na Folhinha do Coração de Jesus. Conforme o Martirológio Ed. Permanência, na Nicomédia, os santos mártires Vítor, Zótico, Zenon, Acindino, Cesáreo, Severiano, Cristóvão, Teonas e ANTONINO, os quais, convertidos a Cristo, pelos martírio e milagres de São Jorge, em tempo do imperador Diocleciano, e tentados de vários modos, foram martirizados pela intrépida confissão da fé.

26. São Beuno. Festa litúrgica em 20 de abril (tradicionalmente) e 21 de abril (catolicismo). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Beuno

27. Santos de 20 de abril na Igreja Ortodoxa. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/20_de_abril_na_Igreja_Ortodoxa

28. Outros santos do dia 20 de abril: págs: 109-132 (vol.07):   http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 20 de abril, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/20_de_abril

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 340-343: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.