Santas e Santos de 25 de fevereiro

1.   Em Perga, na Pan­fília, na ac­tual Tur­quia, a paixão de São Nestor, bispo de Ma­gido e mártir, que, preso du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Décio, foi con­de­nado pelo go­ver­nador da pro­víncia a morrer na cruz, para que so­fresse o mesmo su­plício do Cru­ci­fi­cado, cuja fé professava. († c. 250). Conforme o Martirológio Romano-Monástico (de 26 de fevereiro), em Megidos, na Ásia Menor, o Bem-Aventurado Nestor (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo. Convidado a dar sua concordância às ordens fanáticas do imperador Décio, respondeu que se submeteria apenas às ordens de Cristo, “Rei dos céus e Filho do Deus vivo”. A partir desta resposta, foi condenado a sofrer o mesmo martírio de seu divino Mestre. (M), Ver também págs. 27-30:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

2.   Em Na­zi­anzo, na Ca­pa­dócia, hoje Ne­nízi, na Tur­quia, São Ce­sário, mé­dico, irmão de São Gre­gório de Nazianzo. († 369). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 369, São Cesáreo (também na Folhinha do Coração de Jesus, Cesário de Nazianzo), irmão de São Gregório de Nazianzo. Médico na corte imperial de Juliano Apóstata, escapou da morte por ocasião de um terremoto. Renunciou então à sua situação, passando a dedicar sua vida a Cristo. (M)

3*.   Em Mau­beuge, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, Santa Adel­trudes (Aldretrude), virgem e abadessa. († 526)

4.   No mos­teiro de Hein­de­nheim, na Fran­cónia, hoje na Ale­manha, Santa Val­burga, aba­dessa, que, a pe­dido de São Bo­ni­fácio e dos seus ir­mãos São Vi­le­baldo e São Vi­ne­baldo, veio da In­gla­terra para a Ale­manha, onde di­rigiu ex­ce­len­te­mente dois mos­teiros, um de monges e outro de monjas. († 779). Conforme o Romano-Monástico, em Heidenheim, no séc. VIII, Santa Valburga, abadessa. Filha de São Ricardo, rei da Inglaterra, foi enviada para a Germânia a pedido de São Bonifácio, para dirigir um mosteiro fundado por seus próprios irmãos. É padroeira de várias grandes cidades da Bélgica, notadamente Bruges e Ypres. (M). Ver páginas 406-407: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

–  Ver “Santa Valburga ou Valpurga (inglês antigoWealdburg; c. 710 – 25 de fevereiro de 777/79) foi uma missionária anglo-saxã que atuou no Reino Franco. Foi canonizada cerca de 870 pelo Papa Adriano”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Valburga

– Ver 01 de maio: NOITE DE SANTA VALBURGA: DE 30 DE ABRIL PARA 01 DE MAIO. Ver “Noite de Santa Valburga (do alemãoWalpurgisnacht[1]) é uma festa tradicional cristã cujas origens remontam em parte ao paganismo, celebrada na noite de 30 de Abril para 1 de Maio. Hoje em dia é celebrada igualmente quer por comunidades cristãs quer por não cristãs, em diversos países do Norte e Centro da Europa.[2]

Na maioria dos países esta festividade é celebrada em honra de Santa Valburga, abadessa anglo-saxã de Heidenheim na Baviera, nascida no Devonshire, Inglaterra, no Século VIII. No entanto, devido ao facto de esta noite estar associada, desde tempos imemoriais, com diversos ritos pagãos associados à celebração da chegada da Primavera, as duas celebrações ter-se-ão com o tempo confundido, dando assim origem à moderna festividade que nos dias de hoje se celebra nesta noite.

Durante os festejos é costume fazerem-se grandes fogueiras de modo a afugentar espíritos malignos e almas penadas, os quais segundo a crença popular, vagueiam nesta altura por entre os vivos.

Em muitos países, esta noite está igualmente associada com grandes celebrações estudantis, que marcam o final de ano lectivo.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Noite_de_Santa_Valburga

5*.   Em Agri­gento, na Si­cília, re­gião da Itália, São Ger­lando, bispo, que re­or­ga­nizou a sua Igreja, li­berta do poder dos Sarracenos. († 1100)

6*.   No pri­o­rado de Orsan, no ter­ri­tório de Bourges, re­gião da Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, o pas­sa­mento do Beato Ro­berto de Abrissel, pres­bí­tero, que, pre­gando a con­versão de cos­tumes por vá­rias terras, con­gregou dois mos­teiros em Fon­te­vrault, um para ho­mens e outro para mu­lheres, sob a di­recção de uma abadessa. († 1116). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1116, o Bem-Aventurado Roberto de Arbrissel. Percorrendo a Bretanha, o Maine e o Anjou, este sacerdote austero e culto atraiu uma multidão de discípulos, que reuniu inicialmente na floresta de Craon, e depois em Fontevrault. Ao morrer, estabelecera uma ordem monástica que contava com cerca de cinqüenta casas, reunidas sob a proteção de Nossa Senhora do Calvário, nome retomado no séc. XVII por uma congregação beneditina. (M). Ver “Roberto d’Arbrissel (ArbrisselBretanha1047 — Orsan25 de fevereiro de 1117) foi um anacoreta e pregador.[1]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Roberto_d%27Arbrissel

– Ver também (VIDAS DOS SANTOS DO DIA 24 DE FEVEREIRO): Bem-aventurado Roberto de Arbrissel – confessor. Ver páginas 402-403: http://obrascatolicas.com/livros/biografia/vidas%20dos%20santos%20-%203.pdf

7.   Em Lucca, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o Beato Aver­tano, pe­re­grino e re­li­gioso da Ordem dos Carmelitas. († c. 1386)

8*.   Em Pu­ebla de los Án­geles, no Mé­xico, o Beato Se­bas­tião Aparício, um pastor de ove­lhas que emi­grou da Es­panha para o Mé­xico, onde ga­nhou for­tuna que aplicou no au­xílio aos in­di­gentes e, de­pois de ter en­viu­vado duas vezes, foi re­ce­bido na Ordem dos Frades Me­nores e morreu quase centenário. († 1600).

– Ver “Sebastião de Aparício Prado (A Gudiña20 de janeiro de 1502 — Puebla25 de fevereiro de 1600) foi um religioso franciscano espanhol beatificado em 17 de maio de 1789 por seu trabalho missionário desenvolvido no México no início do século XVI. Foi um colono espanhol no México logo após sua conquista pela Espanha, que depois de uma vida como fazendeiro e construtor de estradas entrou na Ordem dos Frades Menores como irmão leigo. Ele passou os 26 anos seguintes de sua longa vida como um mendigo da Ordem e morreu com uma grande reputação de santidade. Ele foi beatificado pela Igreja Católica.”: Sebastião de Aparício – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

Bem-aventurado Sebastião de Aparício. Ver págs. 411-412: http://obrascatolicas.com/livros/biografia/vidas%20dos%20santos%20-%203.pdf

9*.   Em Láuria, na Lu­cânia, hoje na Ba­si­li­cata, re­gião da Itália, o Beato Do­mingos Lentíni, pres­bí­tero, que na sua terra de­sem­pe­nhou até à morte um fru­tuoso e mul­ti­forme mi­nis­tério, sus­ten­tado numa vida de hu­mil­dade, oração e penitência. († 1828)

10.   Em Osaka, no Japão,o Beato Diogo Yuki Ryosetsu, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir. († 1636)

11*.   Em Mdina, lo­ca­li­dade da ilha de Malta, a Beata Maria Adeodata (Te­resa) Pi­sáni, virgem da Ordem de São Bento, que foi aba­dessa do mos­teiro de São Pedro e, dis­pondo com har­monia as horas e os tempos, exerceu sa­bi­a­mente o seu ofício, cui­dando dos po­bres e dos aban­do­nados e con­tri­buindo com isso para pro­veito es­pi­ri­tual da pró­pria comunidade. († 1855)

12.   Em Xi­lin­xian, ci­dade do Guangxi, pro­víncia da China, São Lou­renço Bai Xiaoman, mártir, ope­rário e neó­fito, que pre­feriu ser fla­ge­lado e de­go­lado a negar a Cristo. († 1856)

13.   Em To­ledo, na Es­panha, o Beato Ci­ríaco Maria Sancha y Hervás, bispo e fun­dador da Con­gre­gação das Irmãs da Ca­ri­dade do Car­deal Sancha. († 1909). Ver “Beato Ciriaco María Sancha y Hervás (Quintana del Pidio18 de junho de 1833 – Toledo25 de fevereiro de 1909), foi um religioso espanholcardeal e teólogo da Igreja Católica.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ciriaco_Sancha_y_Herv%C3%A1s

14.   Em Te­quila, lo­ca­li­dade do ter­ri­tório de Gua­da­la­jara, no Mé­xico, São Tu­ríbio Romo, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, foi morto em ódio ao sacerdócio. († 1928)

15.   Nas mar­gens do rio Bei­jiang, perto da ci­dade de Scha­o­guan, na pro­víncia de Guan­dong, na China, os santos már­tires Luís Versíglia, bispo, e Ca­listo Caravário, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana, que so­freram o mar­tírio por ter dado as­sis­tência cristã aos fiéis que lhes es­tavam confiados. († 1930). Ver “24 de Fevereiro de 1930, Luigi Versiglia partiu com o padre Callisto Caravario e com dois jovens professores e três alunas do Colégio Dom Bosco para Linchow (ou Lianzhou), para realizar trabalho pastoral na missão salesiana existente naquela povoação e liderada por Callisto Caravario. No dia seguinte, durante a viagem, foram apresados por piratas e bandoleiros que exigiram o pagamento de um resgate para os deixarem prosseguir. O padre Caravario e monsenhor Versiglia tentaram proteger as jovens que viajavam com eles, para que os bandoleiros não se aproveitassem delas. Os bandidos chineses, influenciados pela propaganda comunista anti-cristã e anti-ocidental, es­pancaram os dois missionários salesianos, obrigaram-lhes a abandonar o barco e levaram-nos para uma mata perto da aldeia de Li-Thau-Tseul. Lá, os bandidos, depois de afirmarem que queriam destruir os “diabos estrangeiros e as suas religiões“, abateram os salesianos a tiro no dia 25 de Fevereiro de 1930.

Em 1976, o Papa Paulo VI declarou Luigi Versiglia e Callisto Caravario como mártires da Igreja Católica. Foram beatificados no dia 15 de Maio de 1983 pelo Papa João Paulo II. No dia 1 de Outubro de 2000, foram canonizados pelo Papa João Paulo II, juntamente com os outros 118 mártires chineses.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Luigi_Versiglia

– Ver também “Callisto Caravario SDB, (CuorgnèTurim18 de Junho de 1903 — Li-Thau-Tseul25 de Fevereiro de 1930), também grafado Calixto Caravario, foi um sacerdote católico italiano e missionário salesiano em Linchow (ou Lianzhou), na província de Guangdong, na China. Em 1930, foi martirizado a caminho de Linchow, juntamente com o seu bispo e vigário apostólico de Shiu Chow D. Luigi Versiglia. No dia 1 de Outubro de 2000, ambos foram canonizados e proclamados santos da Igreja Católica Romana, juntamente com os outros 118 mártires chineses, por decisão do Papa João Paulo II. A sua festa litúrgica comemora-se em 25 de Fevereiro, aniversário da sua morte, e em 9 de Julho, que se celebra a memória dos 120 mártires chineses.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Callisto_Caravario

– Ver ainda: “Os 120 Mártires da China, ou Agostinho Zhao Rong e 119 Companheiros, mártires na China, são mártires católicos da China e santos da Igreja Católica canonizados no dia 1 de Outubro de 2000 pelo Papa João Paulo II.

Entre 1648 e 1930, 87 chineses e 33 missionários ocidentais (incluindo sete religiosas) foram martirizados simplesmente por serem católicos e, em vários casos, pela sua recusa a apostatar. Muitos morreram no Levante dos Boxers (1899-1900), em que camponeses e ultra-nacionalistas chineses xenófobos mataram milhares de cristãos chineses, missionários e outros estrangeiros ocidentais. Na Igreja Católica, os 120 mártires chineses são lembrados todos os anos no dia 9 de Julho como uma memória facultativa.[1][2]”: Os 120 Mártires da China – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

16.   Em La Plata, ci­dade da Ar­gen­tina, a Beata Maria Lu­do­vica (An­to­nina De An­gelis), virgem da Con­gre­gação das Fi­lhas de Nossa Se­nhora da Mi­se­ri­córdia, que se de­dicou com es­pí­rito ma­terno ao cui­dado e for­mação das cri­anças e dos en­fermos e pela sua di­li­gente atenção aos ne­ces­si­tados num hos­pital se mos­trou como um sinal da be­nig­ni­dade de Deus. († 1962)

17. No início do Séc.IX, São Tarásio. Era secretário de Estado da imperatriz Irene, e ainda leigo, quando foi eleito para a sede patriarcal de Constantinopla. Professou a veneração aos santos ícones e trabalhou pela unidade da Igreja durante o VII Concílio Ecumênico, realizado em Nicéia (conforme o Martirológio Romano-Monástico – M). Ver páginas 419-423: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

Ver 18 de fevereiro: Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, São Ta­rásio, bispo, in­signe pela sua eru­dição e pi­e­dade, que abriu o Con­cílio de Ni­ceia II, no qual os Pa­dres de­fen­deram o culto das sa­gradas imagens. († 806). Ver “Tarásio de Constantinopla (em grego: Άγιος Ταράσιος) foi o patriarca de Constantinopla de 25 de dezembro de 784 até a sua morte, em 806. ”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Tar%C3%A1sio_de_Constantinopla

18. SANTOS VITORINO, VÍTOR (também na Folhinha do Coração de Jesus), NICÉFORO, CLAUDIANO, DIÓSCORO, SERAPIÃO E PÁPIAS – mártires: Ver “… Dióscoro e Claudiano: sereis queimados vivos! Serapião e Pápias: morrereis pelo gládio! Os quatro, juntos, renderam graças a Deus, dizendo: Ó Senhor, nós te glorificamos e bendizemos, porque nos julgaste dignos de confessar o teu nome e de tomar parte nos sofrimentos de todos os teus santos. Recomendamos-te as nossas almas. Recebe-as no número de teus confessores. Disseram e morreram.” páginas 413-418:

http://obrascatolicas.com/livros/biografia/vidas%20dos%20santos%20-%203.pdf

19. Na África, os Santos Donato, Justo, Herena (também na Folhinha do Coração de Jesus) e seus companheiros, mártires. Ver pág. 425:

http://obrascatolicas.com/livros/biografia/vidas%20dos%20santos%20-%203.pdf

20. Bem-aventurado Constante. Ver págs. 408-410: http://obrascatolicas.com/livros/biografia/vidas%20dos%20santos%20-%203.pdf

21. Santos Ananias, Pedro e Sete soldados Mártires “Na Fenícia, os Santos Ananias, pedro e sete soldados, mártires, sob o imperador Diocleciano. Ananias era sacerdote na Fenícia. Diante do governador, recusou-se, com veemência, a sacrificar aos deuses. Passando por diversos tormentos, surpreerdendo o carcereiro, Pedro, converteu-o, bem como a sete soldados. Todos os convertidos, batizados por Ananias, com este foram atirados ao mar” Ver página 424: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

22. Outros santos do dia 25 de fevereiro, páginas 406-425:  VIDAS DOS SANTOS – 3.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 25 de fevereiro, ver ainda: 25 de fevereiro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 222-224:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.