Santas e Santos de 08 de março

DIA INTERNACIONAL DA MULHER: Resgate da data: Já na década de 1970, o ano de 1975 foi designado pela ONU como o Ano Internacional da Mulher, e o dia 8 de março foi adotado como o Dia Internacional da Mulher pelas Nações Unidas, com a finalidade de lembrar as conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres, independentemente de divisões nacionais, étnicas, linguísticas, culturais, econômicas ou políticas. Em 2008, a ONU lançou a campanha “As Mulheres Fazem a Notícia”, destinada a estimular a igualdade de gênero na comunicação social mundial.[17] Na atualidade, porém, considera-se que a celebração do Dia Internacional da Mulher tenha tido o seu sentido original parcialmente diluído, adquirindo frequentemente um caráter festivo e comercial, como o hábito de empregadores distribuirem rosas vermelhas ou pequenos mimos entre as suas empregadas – ação que em nada evoca o espírito das manifestantes russas do 8 de março de 1917.[16]”.Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Dia_Internacional_da_Mulher

1.São João de Deus (também na Folhinha do Coração de Jesus), re­li­gioso, na­tural de Por­tugal, que, de­pois de uma vida cheia de pe­rigos na vida de sol­dado, am­bi­ci­o­nando coisas mai­ores, com in­can­sável ca­ri­dade se en­tregou ao ser­viço dos po­bres e dos en­fermos num hos­pital por ele fun­dado e as­so­ciou à sua obra um grupo de com­pa­nheiros, que pos­te­ri­or­mente cons­ti­tuíram a Ordem Hos­pi­talar de São João de Deus. Neste dia, em Gra­nada, na Es­panha, passou ao des­canso eterno. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1550, o nascimento para o céu de São João de Deus. Repentinamente convertido por São João de Ávila, que pregava em Granada a loucura da misericórdia divina, este português de quarenta anos foi considerado como atacado por perturbações mentais e submetido aos maus tratamentos que havia na época para aquele tipo de doentes. Decidiu a partir de então, dedicar-se a seus companheiros de infortúnio, colocando as bases da Ordem da Caridade, cujos membros são mais conhecidos pelo nome de Irmãos Hospitalários de São João de Deus. (R).   Ver págs. 250-261: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf(† 1550).

– Ver também “São João de Deus, de seu nome João Cidade (Montemor-o-Novo8 de março de 1495 – Granada, 8 de março de 1550) é um santo da Igreja Católica Romana que se distinguiu na assistência aos pobres e aos doentes, através de um hospital por ele fundado em Granada, 1539. Criou a Ordem dos Irmãos Hospitaleiros para o ajudarem nessa missão e noutras extensões que viriam depois a surgir.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_de_Deus

2.   Co­me­mo­ração de São Pôncio, que foi em Car­tago diá­cono de São Ci­priano, a quem acom­pa­nhou no exílio até à sua morte, dei­xando um ad­mi­rável re­lato da sua vida e martírio – († s. III). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Cartago, no séc. II, São Pôncio, điácono do Bem-Aventurado bispo São Cipriano, a quem acompanhou no exilio e assistiu por ocasião de seu martírio. (M). Ver “Pôncio (em latimPontius), também chamado de Pôncio, o Diácono (metade do século III) foi um santo cristão e um autor latino de Cartago. Ele serviu como diácono sob Cipriano de Cartago (futuro São Cipriano de Cartago) e escreveu Vita Cypriani (“Vida de Cipriano”) logo após a morte deste.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/P%C3%B4ncio_de_Cartago

3.   Em An­tínoo, no Egipto, os santos Apo­lónio e Fi­lémon (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártires. Ver também “Ariano foi intimado a se apresentar ao tribunal. A caminho, Apolônio, Filêmon e Ariano, acabaram, pelo ardor, por converter os guardas que os escoltavam. E, diante do prefeito, todos, a uma só voz, declararam-se cristãos, fiéis até o fim a Jesus Cristo, Filho de Deus vivo e verdadeiro. Então, por ordem do prefeito, foram todos êles atirados ao mar, conquistando, destarte, a gloriosa coroa do martírio (311) . E um prodígio se deu: os delfins, por bondade, tomaram-lhes os corpos, levaram-nos à praia , e lá o deixaram. A êste grupo de mártires pertence São Teótico.”, págs. 267-268: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf  – († 287)

– Ver “no Egito, perto de 311, a paixão de Santo Ariano. Exercia as funções de juiz em Antinoé, quando, testemunhando a constância dos cristãos que acabara de condenar, converteu-se com outros quatro companheiros. Foram levados para Alexandria para serem afogados no mar (conforme Martirológio Romano-Monástico – M).

4*.   Em Como, na Li­gúria, ac­tu­al­mente na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Pro­vino, bispo, fiel dis­cí­pulo de Santo Am­brósio, que pre­servou da he­resia ariana a Igreja que lhe foi confiada. († c. 420)

5*.   Na ilha de Scathery, na Hi­bérnia, ac­tual Ir­landa, São Se­nano, abade. († s. VI)

6.   Em Dunwich, na In­gla­terra, São Félix, bispo, na­tural da Bor­gonha, que evan­ge­lizou os An­glos ori­en­tais no tempo do rei Sigeberto. († c. 646). Ver “Félix de Dunwich, também conhecido como Félix da Burgúndia, foi um santo e o primeiro bispo dos anglos orientais. Ele é amplamente considerado como a pessoa que introduziu o cristianismo na região. Quase tudo o que se sabe sobre ele está na História Eclesiástica do Povo Inglês, obra do monge Beda de circa 731, e na Crônica Anglo-Saxônica. Beda elogiou Félix por libertar “toda a província da Ânglia Oriental de uma longa história de infelicidade e injustiça”.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/F%C3%A9lix_de_Dunwich

7.   Em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, São Te­o­fi­lacto, bispo, que, con­de­nado ao exílio por causa do culto das sa­gradas ima­gens, morreu em Stró­bilon, na Cária, ac­tu­al­mente ter­ri­tório da Turquia. († c. 840)

8*.   No ter­ri­tório dos Mo­rinos, na Gália, hoje na França, Santo Hun­fredo, bispo de The­rou­anne, que, após a des­truição da ci­dade pelos Nor­mandos, ime­di­a­ta­mente se em­pe­nhou em con­gregar e re­con­fortar o seu povo. († 871)

9*.   Em Pavia, na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Li­ti­fredo, bispo. († 874)

10*.   Em Tayne, ci­dade da Es­cócia, o se­pul­ta­mento de São Du­tácio, bispo de Ross. († c. 1065)

11*.   Em Es­tella, po­vo­ação de Na­varra, re­gião da Es­panha, São Ve­re­mundo, abade de Irache, que, tendo abra­çado desde tenra idade a vida mo­nás­tica, era as­síduo aos je­juns e vi­gí­lias e es­ti­mulou com o exemplo os monges do seu mos­teiro ao de­sejo da perfeição. († c. 1095)

12*.   Em Oba­zine, perto de Li­moges, na Aqui­tânia, na ac­tual França, Santo Es­têvão, pri­meiro abade do mos­teiro deste lugar, que, na pro­cura de Deus, as­so­ciou os três mos­teiros por ele fun­dados à Ordem Cisterciense. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no vale do Corrèze, no ano do Senhor de 1154, Santo Estêvão, abade de Obazine, que propôs a seus discípulos viverem em comum o ideal do deserto, estabelecendo uma comunidade sob a dependência de Cister, que mantinha o mesmo gênero de observância. (M). Ver também págs. 262-266: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf(† 1159)

13*.   No mos­teiro de Je­dr­zejow, na Po­lónia, o pas­sa­mento de São Vi­cente Kadlubek, bispo de Cra­cóvia, que, de­pois de re­nun­ciar ao seu mi­nis­tério, pro­fessou neste lugar vida monástica. († 1223)

14♦.   Em Hi­roshima, no Japão, o Beato Jo­a­quim Kuroemon, mártir. († 1624)

15*.   Em Ge­tafe, ci­dade pró­xima de Ma­drid, na Es­panha, o Beato Faus­tino Míguez, re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs, que, or­de­nado pres­bí­tero, se de­dicou to­tal­mente ao en­sino e, atin­gindo grande fama como mestre e pe­rito nas ci­ên­cias da na­tu­reza, exerceu di­li­gen­te­mente a ac­ti­vi­dade pas­toral e fundou a Con­gre­gação das Fi­lhas da Di­vina Pastora. († 1925)

16. Na África, os Santos Mártires Cirilo, Bispo, Rogato, Félix, um outro Rogato, Beata, Herênia (também na Folhinha do Coração de Jesus), Felicidade, Urbano, Silvano e Mamilo (conforme Martirológio, Ed. Permanência).

17. Em 690 o sepultamento de São Juliano, arcebispo de Toledo e primaz da Espanha, que presidiu a importantes concílios nacionais realizados em sua cidade episcopal, e aplicou-se em restaurar a liturgia moçárabe (conforme Martirológio Romano-Monástico – M).

18. Outros santos do dia 08 de março: páginas 250-271:  VIDAS DOS SANTOS – 4.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 08 de março, ver ainda: 8 de março – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 247-249:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.