Santas e Santos de 19 de março

1. So­le­ni­dade de São José (também na Folhinha do Coração de Jesus), es­poso da San­tís­sima Virgem Maria, homem justo, da des­cen­dência de David, que exerceu a missão de pai do Filho de Deus, Jesus Cristo, o qual quis ser cha­mado filho de José e lhe foi sub­misso como um filho a seu pai. A Igreja ve­nera com es­pe­cial honra como seu pa­trono aquele que o Se­nhor cons­ti­tuiu chefe da sua família. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Solenidade de São José, membro da casa de Davi, esposo de Maria Santíssima, suscitado por Deus para zelar como um pai pelo Menino Jesus. (R). Ver mais sobre São José às páginas 141-155: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

– Ver também “São JoséJosé de NazaréJosé, o Carpinteiro ou São José Operário[1] foi, segundo o Novo Testamento, o esposo da Virgem Maria e o pai adotivo de Jesus.[2][3] O nome José é a versão lusófona do hebraico Yosef (יוסף), por meio do latim Iosephus. Descendente da casa real de David, é venerado como Santo pelas igrejas ortodoxaanglicana e católica, que o celebra como seu padroeiro universal. A liturgia luterana também dedica um dia ― 19 de março ― à sua memória, sob o título de “Tutor de Nosso Senhor”. Operário, é tido como “Padroeiro dos Trabalhadores”, e, pela fidelidade a sua esposa e dedicação paternal a Jesus, como “Padroeiro das Famílias”, emprestando seu nome a muitas igrejas e lugares ao redor do mundo.

José é venerado como São José na Igreja CatólicaIgreja OrtodoxaIgreja Ortodoxa OrientalAnglicanismo e Luteranismo [4].”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Jos%C3%A9

2.   Em Spo­leto, na Úm­bria, re­gião da Itália, São João, abade de Pár­rano, que ori­entou como pai um grande nú­mero de servos de Deus. († s. VI). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, São João, abade, originário da Síria, veio a fixar-se em Pinna nos Abruzos, onde construiu um mosteiro que dirigiu por quarenta anos. Seus dons sobrenaturais tornaram-no célebre em sua época (M)

3*.   Em Pavia, na Lom­bardia, também re­gião da Itália, o Beato Is­nardo de Chiampo, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, que fundou nesta ci­dade um con­vento da sua Ordem. († 1244)

4*.   Em Sena, na Etrúria, hoje na Tos­cana, também re­gião da Itália, o Beato André Galleráni, que vi­sitou e con­fortou so­li­ci­ta­mente os en­fermos e os atri­bu­lados e con­gregou vá­rios com­pa­nheiros na as­so­ci­ação dos Ir­mãos da Mi­se­ri­córdia, para que, como leigos sem votos, se de­di­cassem ao ser­viço dos po­bres e dos enfermos. († 1251)

5*.   Em Ca­me­rino, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, também re­gião da Itália, o Beato João Bu­rálli de Parma, pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, que o papa Ino­cêncio IV en­viou como de­le­gado aos Gregos, para pro­curar res­ta­be­lecer a sua co­mu­nhão com os Latinos. († 1289). Ver mais sobre o Beato João Burali de Parma às páginas 156-161: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

6*.   Em Pavia, na Lom­bardia, igual­mente re­gião da Itália, a Beata Si­bi­lina Biscóssi, virgem, que, fi­cando cega aos doze anos, passou ses­senta e cinco anos re­clusa numa cela con­tígua à igreja da Ordem dos Pre­ga­dores, ilu­mi­nando com a sua luz in­te­rior muitas pes­soas que a ela acorriam. († 1367). Ver também às páginas 162-163: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

7*.   Em Vi­cenza, no Vé­neto, também re­gião da Itália, o Beato Marcos de Már­chio de Montegallo, pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, que, para so­correr a in­di­gência dos po­bres, criou a obra de­no­mi­nada Monte de Piedade. († 1496). Ver também às páginas 164-165: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

8♦.   Em Mo­nis­trol de Mon­serrat, na lo­ca­li­dade da pro­víncia de Bar­ce­lona, na Es­panha, o Beato Félix José (José Trilla Lastra), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a Igreja, foi morto em ódio à religião. († 1936)

9*.   Perto de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Nar­ciso Turchan, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores e mártir, que, da Po­lónia, sub­me­tida a um ne­fasto re­gime, foi de­por­tado por causa da sua fé para o campo de con­cen­tração de Da­chau, onde morreu vi­ti­mado pelas torturas. († 1942)

10*.   Em Mauthausen, na Áus­tria, o Beato Mar­celo Callo, mártir, que, vindo ainda jovem de Rennes, ci­dade da França, du­rante a guerra con­for­tava com o es­tí­mulo fer­vo­roso da fé os seus com­pa­nheiros de ca­ti­veiro, exaustos por tão duros tra­ba­lhos for­çados, e por isso foi morto num campo de extermínio. († 1945)

11. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no começo do século IV, São Pancrácio. Romano de nascimento, era cristão e tinha um cargo importante na corte de Diocleciano, quando apostatou por influência do imperador. As orações de sua mãe e de suas irmãs levaram-no depressa ao arrependimento e ele declarou heroicamente ter recuperado a sua fé. Por isso, foi decapitado (M).

12. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VII, os Santos Landoaldo, sacerdote, e Amâncio, Diácono, que foram enviados pelo Papa São Martinho I para evangelizar a região de Flandres (M).

13. No mesmo dia, em Sorrento, os santos mártires Quinto, Quintila, (também na Folhinha do Coração de Jesus), Quartila e Marcos, com nove outros. Ver à página 166: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

14. No mesmo dia, Santo Apolônio (também na Folhinha do Coração de Jesus)e Leôncio, conforme o Martirológio da Editora Permanência.

15. Outros santos do dia 19 de março: págs. 141-167 (vol.5): VIDAS DOS SANTOS – 5.pdf (obrascatolicas.com)

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 19 de março, ver ainda: 19 de março – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 268-270:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.