Santas e Santos de 11 de agosto

Me­mória de Santa Clara (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, a pri­meira das Damas Po­bres da Ordem dos Me­nores, que, se­guindo o ca­minho es­pi­ri­tual de São Fran­cisco, abraçou em Assis uma vida aus­tera, mas rica de obras de ca­ri­dade e pi­e­dade. Amou tanto a po­breza que nunca mais quis se­parar-se dela, nem se­quer na ex­trema in­di­gência e na enfermidade. († 1253). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de Santa Clara, virgem e abadessa, adormecida no Senhor em 1253. Contagiada pelo ideal de São Francisco, abandonou a segurança familiar para seguir a “Senhora Pobreza”. Obteve, também para a Ordem que acabara de fundar no convento de São Damião de Assis, o privilégio de nada possuir, para bastar-se com o Único necessário. (R). Ver páginas 346-388: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Clara_de_Assis

2.   Em Co­mana, no Ponto, hoje Gu­menek, na Tur­quia, Santo Ale­xandre, cha­mado o Car­vo­eiro, bispo, que, pas­sando da sua emi­nente eru­dição na fi­lo­sofia à ci­ência da hu­mil­dade cristã, foi ele­vado por São Gre­gório o Tau­ma­turgo à sede epis­copal desta Igreja, que ilus­trou não s ó com a pre­gação, mas também com o mar­tírio con­su­mado nas chamas da fogueira. († s. III). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em meados do séc. III, o martírio de Santo Alexandre, filósofo. Por espírito de mortificação havia se tornado carvoeiro, mas foi escolhido por São Gregório Taumaturgo para ser bispo de Comano, no Ponto (M). Ver páginas 331-333: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

3.   Em Roma, no ce­mi­tério “Ad Duas Lauros”, junto à Via La­bi­cana, São Ti­búrcio, mártir, cujos lou­vores foram ce­le­brados pelo papa São Dâmaso. († s. III-IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no cemitério chamado “Entre os Dois Loureiros”, São Tibúrcio, mártir do séc. III, cujo culto é documentado desde o séc. V (M).

4.   Também em Roma, a co­me­mo­ração de Santa Su­sana (também na Folhinha do Coração de Jesus), a cujo nome, ce­le­brado entre os már­tires nos an­tigos me­mo­riais, foi de­di­cado a Deus no sé­culo VI uma ba­sí­lica no tí­tulo de Gaio junto das Termas de Diocleciano. († data inc.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na mesma época, o martírio de Santa Susana, decapitada por causa de sua fé dentro de sua própria casa que, no séc. VI, foi convertida em Igreja dedicada à santa (M). Ver página 337: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Susana_de_Roma

5.   Em Assis, na Úm­bria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, São Ru­fino, que é con­si­de­rado o pri­meiro bispo desta ci­dade e mártir. († c. s. IV)

6*.   Em Be­ne­vento, na Cam­pânia, também re­gião da Itália, São Cas­siano, bispo. († s. IV)

7.   Em Évreux, na Gália, hoje na França, São Tau­rino, que é ve­ne­rado como pri­meiro bispo desta cidade. († c. s. V). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, São Taurino, evangelizador e primeiro bispo de Evreux. A abadia que mais tarde tomou seu nome contribuiu para difundir seu culto (M).

8*.   Na Ir­landa, Santa Atracta, aba­dessa, que, se­gundo a tra­dição, re­cebeu das mãos de São Pa­trício o véu das virgens. († s. V)

9.   Na pro­víncia de Va­léria, hoje na Úm­bria, re­gião da Itália, Santo Equício, abade, que, como es­creve o papa São Gre­gório Magno, pela sua san­ti­dade foi pai de muitos mos­teiros e, onde quer que che­gasse, abria a fonte da Sa­grada Escritura. († a. 571). Ver páginas 334-336: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

10.   Em Cam­brai, na Aus­trásia, ac­tu­al­mente na França, São Gau­ge­rico, bispo, in­signe pela sua pi­e­dade e ca­ri­dade para com os po­bres, que foi or­de­nado diá­cono por Mag­ne­rico de Tré­veris e, eleito de­pois para a sede epis­copal de Cam­brai, exerceu o mi­nis­tério du­rante trinta e nove anos. († c. 625). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 625, São Gério, bispo de Cambrai e apóstolo do Brabante. Construiu uma capela, berço da cidade de Bruxelas, a qual conservou a estátua de seu primitivo fundador no pórtico de sua prefeitura gótica. Tornou-se célebre por haver libertado vários prisioneiros (X). Ver páginas 338-339: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

11*.   Em Arles, na Pro­vença, também na ac­tual França, Santa Rus­tí­cola, aba­dessa, que di­rigiu san­ta­mente as monjas du­rante quase ses­senta anos. († 632). Ver páginas 340-341: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

12*.   Em Glou­cester, na In­gla­terra, os be­atos João Sandys e Es­têvão Rowsham, pres­bí­teros, e Gui­lherme Lam­pley, al­faiate, már­tires, que, no rei­nado de Isabel I, em­bora em dias di­versos e não co­nhe­cidos, so­freram os mesmos su­plí­cios por Cristo. († 1586, 1587, 1588)

13*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato João (Tiago Jorge Rhem), pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, en­cer­rado du­rante a per­se­guição contra a fé no sór­dido cár­cere, exor­tava à es­pe­rança os seus com­pa­nheiros de ca­ti­veiro du­ra­mente atri­bu­lados, até que ele pró­prio, atin­gido por uma do­ença in­cu­rável, morreu por Cristo. († 1794)

14♦.   Em Milão, na Itália, o Beato Luís Birághi, pres­bí­tero da di­o­cese de Milão, fun­dador da Con­gre­gação das Irmãs de Santa Marcelina. († 1879)

15*.   Em Agul­lent, po­vo­ação do ter­ri­tório de Va­lência, na Es­panha, o Beato Ra­fael Afonso Gu­tiérrez, mártir, pai de fa­mília, que, du­rante a vi­o­lenta per­se­guição contra a fé, der­ramou o seu sangue por Cristo. Com ele co­me­mora-se também o beato mártir Carlos Díaz Gandia, que, na mesma lo­ca­li­dade e no mesmo dia, venceu o com­bate da fé e al­cançou a vida eterna. († 1936)

16*.   Em Prat de Compte, po­vo­ação pró­xima de Tar­ra­gona, também na Es­panha, o Beato Mi­guel Do­mingos Cendra, re­li­gioso da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que, na mesma per­se­guição, me­receu re­ceber a su­blime palma do martírio. († 1936)

17*.   Nos con­fins do Ti­bete, o Beato Mau­rício Tornay, pres­bí­tero e mártir, có­nego re­gular da Con­gre­gação dos Santos Ni­colau e Ber­nardo de Mont-Joux, que anun­ciou ar­do­ro­sa­mente o Evan­gelho na China e no Ti­bete e foi as­sas­si­nado pelos ini­migos em ódio ao nome de Cristo. († 1949)

18. Santa Lélia, na Folhinha do Coração de Jesus.

19. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na diocese de Meaux, no ano da graça de 684, Santa Gilberta, abadessa de Jouarre, que repousa na magnífica cripta merovíngia daquele mosteiro. (X).

20. São Geraldo de Gallinaro, cavaleiro. Ver páginas 342-345: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

21. Outros santos do dia 11 de agosto: págs. 331-388, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.