Santas e Santos de 15 de agosto

So­le­ni­dade da As­sunção da Virgem Santa Maria, Mãe de Deus e Nosso Se­nhor Jesus Cristo, que, ter­mi­nado o curso da sua vida ter­rena, foi ele­vada em corpo e alma à glória ce­leste. Esta ver­dade de fé re­ce­bida da tra­dição da Igreja foi so­le­ne­mente de­fi­nida pelo papa Pio XII. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, a solenidade do DORMITIO de Maria Santíssima foi celebrada no Oriente a partir do séc. VII, por decreto do imperador bizantino Maurício. Foi logo introduzida em Roma, pelo Papa oriental Sérgio I. Um século após, o termo “dormitio”, que significa “passagem para a outra vida”, deu lugar a “ASSUNÇÃO”. Em 1950 Pio XII promulgou uma definição dogmática declarando que Maria não precisou esperar, como as outras criaturas, o fim dos tempos, para obter também a ressurreição corpórea, colocando em evidência o caráter único de santificação pessoal da Mãe de Deus (R). Ver páginas 432-435: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

OBSERVAÇÕES CONFORME O DIRETÓRIO DA LITURGIA E DA ORGANIZAÇÃO DA IGREJA NO BRASIL:

  1. HÁ LUGARES EM QUE A CELEBRAÇÃO DA ASSUNÇÃO DE NOSSA SENHORA É HOJE; EM OUTROS LUGARES É NO DOMINGO MAIS PRÓXIMO. Em 2019, neste caso, será dia 18 de agosto;
  2. O DIRETÓRIO DE LITURGIA DE 2019 DESTACA 30 TÍTULOS E PATROCÍNIO DE 15 DE AGOSTO. Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Assunção_de_Maria

3. Em Roma, no ce­mi­tério de Ca­listo, junto à Via Ápia, a co­me­mo­ração de São Tar­císio, mártir, que, ao de­fender a San­tís­sima Eu­ca­ristia de Cristo que uma mul­tidão fu­riosa de gen­tios pre­ten­diam pro­fanar, pre­feriu ser ape­dre­jado até à morte, em vez de en­tregar aos cães as sa­gradas espécies. († c. 257). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. III, São Tarcísio, jovem cristão romano, assassinado por ter-se recusado a permitir a profanação do Corpo Eucarístico de Cristo, que trazia consigo (conforme inscrição damasiana). (M). Ver página 437: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

3.   Em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, os santos Es­tratão, Fi­lipe e Eu­ti­quiano, mártires. († data inc.)

4.   Em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Sim­pli­ciano, bispo, que Santo Am­brósio de­signou como seu su­cessor e Santo Agos­tinho ce­le­brou com grandes elogios. († 401)

5.   Co­me­mo­ração de Santo Alípio, bispo de Ta­gaste, na Nu­mídia, ac­tu­al­mente na Ar­gélia, que foi dis­cí­pulo de Santo Agos­tinho, de­pois seu com­pa­nheiro na con­versão, co­la­bo­rador no mi­nis­tério pas­toral, as­so­ciado na luta contra os he­reges e, fi­nal­mente, par­ti­ci­pante da mesma glória celeste. († c. 430)

6*.   Em Hil­desheim, na Sa­xónia, re­gião da Ale­manha, Santo Al­fredo, bispo, que cons­truiu a igreja ca­te­dral e fa­vo­receu a fun­dação de vá­rios mosteiros. († 874)

7*.   Em Alba Regia, na Pa­nónia, hoje Sze­kes­fehervar, na Hun­gria, Santo Es­têvão, rei da Hun­gria, cuja me­mória se ce­lebra amanhã. († 1038)

8.   Em Cra­cóvia, na Po­lónia, São Ja­cinto, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, que foi de­sig­nado por São Do­mingos para pro­pagar a Ordem nesta nação e, com o Beato Ceslau e Hen­rique Ger­mâ­nico, pregou o Evan­gelho nos ter­ri­tó­rios da Boémia e da Silésia. († 1257)

9*.   Em Sa­vi­gliano, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, o Beato Aimão Ta­pa­rélli, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, in­can­sável de­fensor da verdade. († 1495)

10*.   Em Pal­lanza, pró­ximo de No­vara, também na Itália, a Beata Ju­liana de Busto Arsízio, virgem da Ordem de Santo Agos­tinho, in­signe pela sua in­ven­cível for­ta­leza de ânimo, ad­mi­rável pa­ci­ência e as­sídua con­tem­plação das re­a­li­dades celestes. († 1501)

11.   Em Roma, Santo Es­ta­nislau Kostka, na­tural da Po­lónia, que, mo­vido pelo de­sejo de en­trar na Com­pa­nhia de Jesus, fugiu da casa pa­terna e em­pre­endeu a ca­mi­nhada a pé para Roma, onde, ad­mi­tido no no­vi­ciado por São Fran­cisco de Borja, viveu pouco tempo, re­a­li­zando ser­viços hu­mildes, e morreu com au­réola de santidade. († 1568). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1586, Santo Estanislau Kostka. Jovem príncipe polonês, de caráter fino e decidido, estudou em Viena e entrou, aos dezesseis anos de idade, no noviciado dos jesuítas em Roma, sob recomendação de São Pedro Canísio, mas colocou sua vida nas mãos de Deus dez meses depois (M). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Estanislau_Kostka

12*.   Na ci­dade de Wendo, pró­ximo de Bu­sira, na ac­tual Re­pú­blica De­mo­crá­tica do Congo, o Beato Isi­doro Ba­kanja, mártir, que, ini­ciado na fé cristã ainda jovem, a cul­tivou com di­li­gência e dela deu va­lo­roso tes­te­munho no seu tra­balho; por isso, em ódio à re­li­gião cristã, foi ator­men­tado com con­tí­nuas fla­ge­la­ções pelo di­rector da com­pa­nhia co­lo­nial onde tra­ba­lhava e, poucos meses de­pois, per­do­ando ao seu per­se­guidor, en­tregou o es­pí­rito a Deus. († 1909)

13.   Em Chal­chihuites, na re­gião de Du­rango, no Mé­xico, os santos már­tires Luís Batis Sáinz, pres­bí­tero, Ma­nuel Mo­rales, pai de fa­mília, Sal­vador Lara Pu­ente e David Roldán Lara, que, na per­se­guição me­xi­cana, foram mortos em ódio ao nome cristão. († 1926)

14*.   Em Bar­bastro, pró­ximo de Hu­esca, no ter­ri­tório de Aragão, na Es­panha, os be­atos Luís Mas­ferrer Vila, pres­bí­tero, e de­za­nove com­pa­nheiros[1], már­tires, re­li­gi­osos da Con­gre­gação dos Mis­si­o­ná­rios Fi­lhos do Ima­cu­lado Co­ração de Maria, que, du­rante a vi­o­lenta per­se­guição contra a Igreja, pu­seram nas mãos de Cristo a sua vida e foram juntar-se, na glória do Se­nhor, aos seus ir­mãos da Ordem as­sas­si­nados no dia an­te­rior e no mesmo lugar. São estes os seus nomes: José Maria Blasco Juan, Afonso Sor­ribes Tei­xidó, acó­litos; José Maria Badía Mateu, José Fi­gueiro Bel­trán, Edu­ardo Ri­poll Diego, Fran­cisco Maria Roura Farró, Agos­tinho Viela Ez­cúrdia, lei­tores; José Maria Amorós Her­nández, João Bai­xeras Be­ren­guer, Ra­fael Briega Mo­rales, Luís Es­calé Bi­nefa, Rai­mundo Illa Salvía, Luís Lladó Tei­xidó, Mi­guel Masip Gon­zález, Faus­tino Pérez Garcia, Se­bas­tião Riera Co­ro­mina, José Maria Ros Flo­rensa, Fran­cisco Castan Mes­se­guer e Ma­nuel Mar­tínez Ja­rauta, religiosos. († 1936)

15*.   Em Al­ma­zora, lo­ca­li­dade pró­xima de Cas­tellón, no li­toral da Es­panha, o Beato José Maria Peris Polo, pres­bí­tero da So­ci­e­dade dos Sa­cer­dotes Ope­rá­rios Di­o­ce­sanos e mártir, que, na mesma per­se­guição, morto no ce­mi­tério, al­cançou a palma do martírio. († 1936)

16*.   Em Ma­drid, também na Es­panha, a Beata Maria do Sa­crário de São Luís Gonzaga (El­vira Mo­ragas Can­ta­rero), virgem da Ordem das Car­me­litas Des­calças e mártir na mesma perseguição. († 1936)

17*.   Também em Ma­drid, o Beato Do­mingos Maria de Al­bo­raya (Agos­tinho Hur­tado Soler), pres­bí­tero da Con­gre­gação dos Ter­ciá­rios Ca­pu­chi­nhos de Nossa Se­nhora das Dores, que, na mesma per­se­guição, por dar tes­te­munho de Cristo, re­cebeu a coroa do martírio. († 1936)

18*.   Em Mo­tril, lo­ca­li­dade pró­xima de Gra­nada, no li­toral da Es­panha, o Beato Vi­cente Soler, pres­bí­tero da Ordem dos Agos­ti­nhos Re­co­letos e mártir, que, na mesma per­se­guição, com de­zoito com­pa­nheiros de ca­ti­veiro por ele pi­e­do­sa­mente pre­pa­rados para a morte, foi con­de­nado à pena ca­pital e, fu­zi­lado junto aos muros do ce­mi­tério, al­cançou a glória do triunfo em Cristo. († 1936)

19*.   Em Palma de Gandia, lo­ca­li­dade da re­gião de Va­lência, também na Es­panha, o Beato Car­melo Sastre Sastre, pres­bí­tero e mártir, que, na mesma per­se­guição, se­guindo os passos de Cristo, com o au­xílio da graça al­cançou o reino da vida eterna. († 1936)

20*.   Em Tár­rega, po­vo­ação pró­xima de Bar­ce­lona, também na Es­panha, o Beato Jaime Bonet Nadal, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que, na mesma per­se­guição, como fiel dis­cí­pulo, me­receu a sal­vação no sangue de Cristo. († 1936)

21♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, o Beato José San­toja Pinsach, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que na mesma per­se­guição re­li­giosa en­tregou a sua alma a Deus. († 1936)

22♦.   Em Má­laga, também na Es­panha, os be­atos már­tires Ma­nuel For­migo Giráldez, pres­bí­tero da Ordem de Santo Agos­tinho, e Fran­cisco Mí­guez Fernández, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana, que, du­rante a mesma per­se­guição, al­can­çaram a palma da vi­tória no com­bate pela fé. († 1936)

23♦.   Em Caldas de Oviedo, nas As­tú­rias, também na Es­panha, o Beato Se­ve­riano Montes Fernández, pres­bí­tero da Ordem de Santo Agos­tinho e mártir, que, con­de­nado na mesma per­se­guição re­li­giosa, en­frentou a morte por Cristo com ânimo se­reno e grande fortaleza. († 1936)

24*.   Em Pádua, na Itália, o Beato Cláudio (Ri­cardo Gran­zotto), re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores, que soube aliar o exer­cício da pro­fissão re­li­giosa com a arte da es­cul­tura e em poucos anos con­se­guiu a vida per­feita na imi­tação de Cristo. († 1947)

25. Santo Arduíno, sacerdote. Ver página 436: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf  

26. Santo Arnulfo, na Folhinha do Coração de Jesus.

27. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1087, retorno para Deus de Santo Arnoldo, bispo de Soissons, zeloso empreendedor da reforma gregoriana. Terminou seus dias na abadia de Oudenbourg, perto de Bruges, que havia fundado depois de ter conseguido a pacificação de Flandres (X).

28. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1145 o Bem-Aventurado Ruperto, abade beneditino, que deu um novo impulso à abadia de Ottobeuren, na Baviera (X).

29. Outros santos do dia 15 de agosto: págs. 432-437, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.