Santas e Santos de 03 de outubro

1.   Co­me­mo­ração de São Di­o­nísio Are­o­pa­gita, que se con­verteu a Cristo quando o Após­tolo São Paulo falou no Areó­pago e foi cons­ti­tuído pri­meiro bispo de Atenas. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Grécia, São Dionísio Aeropagita. Convertido à fé cristã pelo apóstolo São Paulo, foi o primeiro a dirigir a Igreja de Atenas. É festejado neste dia desde a Antiguidade pelas Igrejas Bizantina e Siríaca. (M)

2.   Em Roma, no ce­mi­tério de Pon­ciano, junto à Via Por­tu­ense, Santa Cân­dida, mártir. († data inc.).

3.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, a co­me­mo­ração dos santos Fausto, Caio, Pedro, Paulo, Eu­sébio, Que­remão, Lúcio e ou­tros dois, que, no tempo do im­pe­rador Décio e do im­pe­rador Va­le­riano, por ordem do pre­feito Emi­liano, so­freram muito, jun­ta­mente com o bispo Di­o­nísio, como con­fes­sores da fé; a eles se as­socia Fausto, que so­freu o mar­tírio no tempo do im­pe­rador Diocleciano. († s. III/IV)

4.   Em Mayuma, na Pa­les­tina, a co­me­mo­ração de Santo He­sí­quio, monge, que foi dis­cí­pulo de Santo Hi­la­rião e seu com­pa­nheiro de peregrinação. († s. IV)

5.   Co­me­mo­ração de São Ma­xi­miano, bispo de Bagai, na Nu­mídia, na ac­tual Ar­gélia, que, re­pe­ti­da­mente tor­tu­rado pelos he­reges, foi de­pois pre­ci­pi­tado do alto de uma torre e aban­do­nado como morto; mas, re­co­lhido por uns tran­seuntes, re­cu­perou a saúde e não de­sistiu de lutar pela fé católica. († c. 410). Conforme o Martirológio Romano Monástico, na África, no começo do séc. V, São Maximiano, bispo. Donatista convertido, teve muito que sofrer da parte de seus antigos correligionários por causa da sua ligação com a fé católica e apostólica. (M). Ver páginas 297-298: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

6*.   Em Toulon, na Pro­vença, re­gião da Gália, agora na França, São Ci­priano, bispo, dis­cí­pulo de São Ce­sário de Arles, que de­fendeu em vá­rios sí­nodos a ver­da­deira fé sobre a graça, en­si­nando que nin­guém pode por si só al­cançar as re­a­li­dades di­vinas, se antes não é cha­mado pela graça de Deus. († d. 543)

7.   Na Sa­xónia, ter­ri­tório da ac­tual Ale­manha, os santos már­tires de nome Evaldo, um cha­mado Negro e o outro Branco, ambos pres­bí­teros na­tu­rais da In­gla­terra, que, se­guindo o exemplo de São Vi­li­brordo e seus com­pa­nheiros, par­tiram para evan­ge­lizar os Sa­xões; e tendo co­me­çado a anun­ciar-lhes Cristo, foram presos pelos pa­gãos e pa­de­ceram o martírio. († 695). Conforme o Martirológio Romano Monástico, no fim do séc. VII, os Santos irmãos Ewald, ambos companheiros de São Vilibrordo, atirados no Rio Reno pelos saxões que foram evangelizar. (M). Ver páginas 299-300: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

8*.   No mos­teiro de Metten, na Ba­viera, ac­tu­al­mente na Ale­manha, o Beato Utão, fun­dador e pri­meiro abade. († 802)

9.   No ter­ri­tório de Namur, na Lo­ta­ríngia, na ac­tual Bél­gica, São Ge­rardo, pri­meiro abade do mos­teiro de Brogne, por ele mesmo fun­dado, que se em­pe­nhou pela re­no­vação da dis­ci­plina mo­nás­tica na Flan­dres e na Lo­ta­ríngia e re­con­duziu muitos ce­nó­bios à ori­gi­nária ob­ser­vância da regra. († 959). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 959, São Geraldo. Depois de ter-se formado na vida beneditina na abadia de Saint-Denis de Paris, este nobre franco fundou em suas terras, na diocese de Namur, o mosteiro de Brogne, cuja irradiação permitiu a renovação do monaquismo em Flandres e na Normandia. (M). Ver páginas 267-269: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

10*.   Em Chur, no ter­ri­tório dos Hel­vé­cios, hoje na Suíça, o Beato Adal­goto, bispo, dis­cí­pulo de São Ber­nardo em Cla­raval, que foi ad­mi­rável exemplo de ob­ser­vância monástica. († 1160)

11*.   Nas mar­gens do rio Uruaçu, pró­ximo de Natal, ci­dade do Brasil, os be­atos Am­brósio Fran­cisco Ferro (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, e seus com­pa­nheiros, már­tires, que foram ví­timas da opressão de­sen­ca­deada contra a fé católica. São estes os seus nomes: An­tónio Ba­racho, An­tónio Vi­lela Cid, An­tónio Vi­lela Jú­nior e sua filha, Diogo Pe­reira, Ma­nuel Ro­dri­gues Moura e sua es­posa, filha de Fran­cisco Dias Jú­nior, Fran­cisco de Bastos, Fran­cisco Mendes Pe­reira, João da Sil­veira, João Lostau Na­varro, João Mar­tins e sete jo­vens, José do Porto, Ma­teus Mo­reira, Simão Cor­reia, Es­têvão Ma­chado de Mi­randa e duas fi­lhas suas, Vi­cente de Sousa Pereira. († 1645)

– Ver “Os Santos Mártires foram canonizados pelo Santo Padre o Papa Francisco em 15 de outubro de 2017, na Praça de São Pedro, Vaticano.

Mártires

Mortos em Cunhaú em 16 de julho de 1645

  • Padre André de Soveral
  • Domingos Carvalho

Mortos em Uruaçu em 3 de outubro de 1645

  • Padre Ambrósio Francisco Ferro
  • Mateus Moreira
  • Antônio Vilela e sua filha
  • José do Porto
  • Francisco de Bastos
  • Diogo Pereira
  • João Lostão Navarro
  • Antônio Vilela Cid
  • Estêvão Machado de Miranda e duas filhas
  • Vicente de Souza Pereira
  • Francisco Mendes Pereira
  • João da Silveira
  • Simão Correia
  • Antônio Baracho
  • João Martins e sete companheiros
  • Manuel Rodrigues Moura e sua esposa
  • uma filha de Francisco Dias

” em: https://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A1rtires_de_Cunha%C3%BA_e_Urua%C3%A7u

e https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Mártires_de_Cunhaú_e_Uruaçu

– Ver reportagem do UOL de 15/10/2017 : https://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2017/10/15/papa-canoniza-30-brasileiros.htm

– Ver na Folha de São Paulo em 02/04/2017: “….MASSACRES

Os crimes foram registrados em 1645, durante a dominação holandesa no Nordeste do país, e tiveram como alvos as duas únicas comunidades paroquiais que existiam na região.

O episódio é descrito pelo monsenhor Francisco de Assis Pereira no livro “Beato Mateus Moreira e seus Companheiros Mártires”.

Segundo a narrativa, os crimes foram praticados em um contexto de perseguição religiosa em que os invasores holandeses, que eram calvinistas, não admitiam a prática da religião católica.

Os algozes teriam sido soldados holandeses e índios comandados por um alemão, a serviço da Holanda e identificado como Jacó Rabe.

As chacinas deixaram cerca de 150 vítimas, mas só 30 foram identificadas.

Para serem declarados beatos e posteriormente santos, três elementos são considerados, segundo a igreja: as virtudes em grau heroico, a fama de santidade e a realização de possíveis milagres.

“Mas o papa autorizou um processo mais simples, dispensando milagres, tendo em vista a antiguidade do martírio”, diz o arcebispo de Natal.

A Igreja não exige comprovação de milagres para a canonização, mas ao menos 5.000 cartas foram enviadas à arquidiocese atribuindo a eles “graças alcançadas”.” – https://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/04/1872002-papa-francisco-pode-canonizar-vitimas-de-massacre-no-rn.shtml  

12*.   Em Ma­drid, na Es­panha, o Beato Cres­cêncio Garcia Pobo, pres­bí­tero da Con­gre­gação dos Ter­ciá­rios Ca­pu­chi­nhos de Nossa Se­nhora das Dores e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, der­ramou o seu sangue por Cristo. († 1936)

13♦.   Em Bar­ce­lona, também na Es­panha, o Beato Eu­fro­sino Maria (José Luís Raga Nadal), re­li­gioso da Ordem dos Car­me­litas e mártir, que foi as­sas­si­nado na mesma per­se­guição contra a Igreja. († 1936)

14. Santa Maria Josefa, também na Folhinha do Coração de Jesus.

15. Santa Emilie de Villeneuve também na Folhinha do Coração de Jesus. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Emilie_de_Villeneuve

16. Outros santos do dia 03 de outubro: págs. 267-302, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou portuguêsda época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 03 de outubro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/3_de_outubro

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.