Santas e Santos de 06 de novembro

São Nuno de Santa Maria (Nuno Ál­vares Pe­reira), re­li­gioso, que, de­pois de ter co­man­dado a de­fesa do reino, foi re­ce­bido entre os ir­mãos da Ordem dos Car­me­litas, onde levou uma vida pobre e es­con­dida em Cristo. Tinha uma ad­mi­rável pi­e­dade para com a San­tís­sima Virgem Maria, sentia grande sa­tis­fação em de­sem­pe­nhar os ofí­cios mais hu­mildes na casa de Deus e mos­trou sempre grande com­paixão e li­be­ra­li­dade para com os po­bres. Morreu em Lisboa, ci­dade de Por­tugal, no Con­vento do Carmo por ele fun­dado, no do­mingo da Ressurreição. († 1431). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nuno_Álvares_Pereira

2.   Em To­niza, na Nu­mídia, hoje Túnis, na Tu­nísia, São Félix, mártir, ao qual Santo Agos­tinho pa­rece re­ferir-se, quando fala ao povo, di­zendo: «Ver­da­dei­ra­mente feliz no nome e na coroa; con­fessou a fé em Cristo e foi en­tregue à tor­tura; no dia se­guinte en­con­traram no cár­cere o seu corpo exânime». († s. III). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, entre os sécs. III e VI, receberam a palma do martírio São Félix, na África; Santo Ático, na Frígia; e Sessenta Soldados em Jerusalém. (M)

3.   Co­me­mo­ração de São Paulo, bispo de Cons­tan­ti­nopla, que, vá­rias vezes ex­pulso pelos ari­anos por manter a fé ni­cena e ou­tras tantas vezes res­ti­tuído à sua sede, foi por fim des­ter­rado pelo im­pe­rador Cons­tâncio para Cu­cuso, pe­quena po­vo­ação da Ca­pa­dócia, onde, se­gundo a tra­dição, foi es­tran­gu­lado por in­sí­dias dos arianos. († c. 351)

4.   Em Rennes, na Bre­tanha Menor, ac­tu­al­mente na França, São Me­lânio, bispo, que foi ao en­contro do Se­nhor no lugar cha­mado «Plá­cium», junto ao rio Vi­laine, onde tinha cons­truído com as suas mãos uma igreja e con­gre­gado monges para o ser­viço de Deus. († d. 511)

5*.   No mos­teiro de Lla­nilltud Fawor, na Câm­bria, hoje País de Gales, lugar que tomou o seu nome, Santo Il­tuto, abade, que fundou este ce­nóbio, onde a fama da sua san­ti­dade e exímia dou­trina con­gregou muitos discípulos. († c. 540)

6.   Em No­blac, perto de Li­moges, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, São Le­o­nardo (também na Folhinha do Coração de Jesus), eremita. († c. s. VI). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Noblac, na diocese de Limoges, no séc. VI, São Leonardo, eremita, cujo culto teve uma difusão extraordinária, sobretudo nos países anglo-saxões, no tempo das peregrinações de Compostela. (M). Ver às páginas 215-225: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

–  Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Leonardo_de_Noblac

7.   Em Je­ru­salém, os santos Ca­lí­nico, Hi­mério, Te­o­doro, Es­têvão, outro Te­o­doro, João, outro João e mais al­guns cujo nome é des­co­nhe­cido, már­tires, que eram todos sol­dados em Gaza e, quando os Sar­ra­cenos ocu­param a ci­dade, foram presos pelos ini­migos; mas, en­co­ra­jados pelo bispo São So­frónio, con­fes­saram a sua fé em Cristo e por isso foram de­go­lados e al­can­çaram glo­rioso martírio. († 638)

8.   Em Bar­ce­lona, na His­pânia, São Se­vero, que, se­gundo a tra­dição, re­cebeu a coroa do martírio. († c. s. VII)

9*.   No ter­ri­tório dos Hel­vé­cios, na Bor­gonha, ac­tu­al­mente na Suíça, São Pro­tásio, ve­ne­rado como bispo de Lausana. († s. VII)

10.   No ter­ri­tório de Thé­rou­anne, na Aus­trásia, hoje na França, São Vi­noco, abade, que, na­tural da Bre­tanha, foi re­ce­bido por São Ber­tino na co­mu­ni­dade de monges de Sithieu e de­pois cons­truiu o mos­teiro de Wormhoudt, que di­rigiu san­ta­mente como prior, re­a­li­zando muitos tra­ba­lhos com as pró­prias mãos. († 716). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 716, São Vinoco, abade. Celta de origem, recebeu o hábito monástico da mãos de São Bertino, que o mandou, juntamente com três compatriotas, fundar um mosteiro em Flandres, entregando-lhes o Evangelho e a Regra de São Columbano. (M)

11*.   Em Apt, na Pro­vença da Gália, também na ac­tual França, Santo Es­têvão, bispo, in­signe pela sua man­sidão, que foi duas vezes em pe­re­gri­nação a Je­ru­salém e res­taurou a igreja catedral. († 1046)

12*.   Em Le Dorat, no ter­ri­tório de Li­moges, na Aqui­tânia, hoje também na França, São Te­o­baldo, pres­bí­tero, que, sendo có­nego re­gular, exerceu a função de os­tiário da igreja e nunca saiu do ce­nóbio senão para as­sistir aos en­fermos e pro­vi­den­ciar às suas necessidades. († 1070)

13*.   Perto de Co­lónia, na Lo­ta­ríngia, na ac­tual Ale­manha, a Beata Cris­tina de Stolmeln, virgem, que, em plena co­mu­nhão com a paixão de Cristo, su­perou todas as ten­ta­ções do mundo. († 1312). Ver páginas 226-227: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

14♦.   Em Nishi­zaka, no Japão, o Beato Tomás de Santo Agostinho (Tomás Ochia Jihyoe “Kint­suba”), pres­bí­tero da Ordem de Santo Agostinho. († 1637)

15. São Ático (também na Folhinha do Coração de Jesus)

16. Bem-Aventurada Bárbara Maix (também na Folhinha do Coração de Jesus). “Soube renunciar a si mesma, carregou a cruz das provações e perseguições, viveu a caridade no seguimento de Jesus, no espírito das primeiras comunidades cristãs, servindo a todos, especialmente aos mais necessitados. (Padre Geraldo Barbosa)”. Ver https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Bárbara_Maix

17. Comemoração de todos os membros falecidos da Ordem Agostiniana. As Constituições Ratisbonenses, aprovadas em 1290, prescreviam em seu sexto capítulo:

“Celebre-se, a cada ano, em todo e qualquer convento de nossa Ordem, o aniversário dos nossos irmãos falecidos, no dia imediatamente seguinte à Oitava da solenidade dos Apóstolos São Pedro e São Paulo [ou seja, no dia 7 de julho]” (cap. VI, n. 44). Em 1672, tal celebração seria transferida para o dia 14 de novembro, dia seguinte à festa de Todos os Santos da Ordem e, finalmente, na reforma litúrgica de 1975, foi-lhe designado o dia 6 de novembro.

18. Outros santos do dia 06 de novembro: págs. 215-228: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf  Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XVII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 06 de novembro, ver ainda:

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.