Santas e Santos de 11 de novembro

Me­mória de São Mar­tinho (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, no dia do seu se­pul­ta­mento. Nas­cido de pais gen­tios na Pa­nónia, no ter­ri­tório da ho­di­erna Hun­gria, e cha­mado ao ser­viço mi­litar na Gália, quando era ainda ca­te­cú­meno, co­briu com o seu manto a Cristo na pessoa de um pobre. De­pois de re­ceber o Bap­tismo, re­nun­ciou à car­reira mi­litar, fundou um mos­teiro em Li­gugé, onde levou vida mo­nás­tica sob a di­recção de Santo Hi­lário de Poi­tiers. De­pois, or­de­nado sa­cer­dote e, mais tarde, eleito bispo de Tours, teve sempre em vista o exemplo do bom pastor, fun­dando em vá­rias lo­ca­li­dades ou­tros mos­teiros e pa­ró­quias, de­di­cando-se à for­mação e re­con­ci­li­ação do clero e à evan­ge­li­zação dos ru­rais, até que, em Candes, foi ao en­contro do Senhor. († 397). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, festa de São Martinho de Tours, morto em Candes no dia 08 de novembro de 397. Filho de um oficial romano comissionado na Panônia, atual Hungria, chegou a Amiens, onde depois de ter partilhado seus próprios vestimentos com Cristo na pessoa de um pobre, depôs as armas, recebeu o Batismo e foi para Ligugé levar vida solitária, sob a influência de Santo Hilário de Poitiers. É considerado como o grande iniciador do monaquismo na Gália. Eleito bispo de Tours, fundou Marmoutiers e consagrou-se à evangelização do interior, fundando as primeiras paróquias rurais. (R). Ver páginas 317-338: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Martinho_de_Tours  

2.   Junto ao lago de Ma­rió­tides, no Egipto, São Menas, mártir. († s. IV in.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 295, São Menas, cristão sírio, martirizado em Alexandria. Foi durante muito tempo o padroeiro da colônia egípcia emigrada para Roma. (M). Ver página 339-340: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Menas_de_Niceu

3.   Em Vence, na Pro­vença da Gália, ac­tu­al­mente na França, a co­me­mo­ração de São Verão (também na Folhinha do Coração de Jesus, São Verano), bispo, que, sendo filho de Santo Euquério, bispo de Lião, foi edu­cado no mos­teiro de Lé­rins e es­creveu ao papa São Leão Magno, para lhe agra­decer a pro­fissão de fé na en­car­nação do Verbo con­tida na sua carta a Flaviano. († s. V in.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no final do séc. V, São Verano, bispo de Vence. Encorajou o Papa São Leão a inervir no Concílio de Calcedônia. (M)

4.   Na pro­víncia de Sâmnio, ter­ri­tório da ac­tual Itália, a co­me­mo­ração de São Menas , (também na Folhinha do Coração de Jesus, São Mena), so­li­tário, cujas vir­tudes são men­ci­o­nadas pelo papa São Gre­gório Magno. († c. 580)

5.   Em Ama­tonte, pró­ximo de Li­massol, na ilha de Chipre, o pas­sa­mento de São João o Esmoler, bispo de Ale­xan­dria, cé­lebre pela sua com­paixão para com os po­bres, que, mo­vido pela sua ge­ne­rosa ca­ri­dade, fez cons­truir muitas igrejas, hos­pi­tais e or­fa­natos, sempre so­lí­cito para ali­viar todas as ne­ces­si­dades da ci­dade, con­tri­buindo para isso com os bens da Igreja e exor­tando as­si­du­a­mente os ricos à prá­tica da beneficência. († 620)

6*.   No mos­teiro de Ma­lone, no Bra­bante, na ac­tual Bél­gica, São Ber­tuíno, ve­ne­rado como bispo e abade. († 698)

7.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, São Te­o­doro Es­tu­dita, abade, que fez do seu mos­teiro uma es­cola de sá­bios, de santos e de már­tires que mor­reram ví­timas das per­se­gui­ções dos ico­no­clastas. Foi três vezes de­por­tado para o exílio, teve grande ve­ne­ração pela tra­dição dos Pa­dres da Igreja e, para de­fender a fé ca­tó­lica, es­creveu tra­tados fa­mosos sobre a dou­trina cristã. († 826). Ver https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Teodoro_Estudita

8.   No mos­teiro de Grot­ta­fer­rata, na re­gião de Fras­cáti, pró­ximo de Roma, São Bar­to­lomeu, abade, que, nas­cido na Ca­lá­bria, foi com­pa­nheiro de São Nilo, cuja vida de­pois es­creveu; es­teve a seu lado até aos seus úl­timos dias na cons­trução do ce­nóbio de Fras­cáti, sob a dis­ci­plina as­cé­tica dos Pa­dres ori­en­tais, que for­ta­leceu du­rante o seu go­verno, con­ver­tendo-o numa es­cola de ci­ência e de arte. († 1065). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senh, or de 1065, São Bartolomeu, abade de Grotaferrata. Como São Nilo, o fundador deste mosteiro ítalo-grego nasceu na Calábria, e ainda muito jovem colocou-se sob a direção de seu compatriota, cuja vida mais tarde escreveu. Apaixonado pelo estudo, aprendeu vários idiomas, e tornando-se abade transformou o seu mosteiro num centro de ciências e de artes, numa época de generalizada decadência. (M)

9.   Em Na­ga­sáki, no Japão, Santa Ma­rina de Omura, virgem e mártir, que, en­car­ce­rada e le­vada a uma casa pú­blica para es­cárnio da sua cas­ti­dade, foi fi­nal­mente quei­mada viva. († 1634)

10♦.   Em Ve­rona, na Itália, a Beata Vi­centa Maria (Luísa Po­lóni), virgem, fun­da­dora, jun­ta­mente  com o beato Carlos Steeb, do Ins­ti­tuto das Irmãs da Mi­se­ri­córdia de Ve­rona, para so­correr os aflitos, os po­bres e os enfermos. († 1855)

11*.   Em Laski Pi­as­nica, perto da ci­dade de Wejhe­rowo, na Po­lónia, a Beata Alice Kotowska (Maria  Jadwiga Ko­towska), virgem da Con­gre­gação das Irmãs da Res­sur­reição do Se­nhor e mártir, que du­rante a guerra foi fu­zi­lada por per­se­verar fir­me­mente na fé de Cristo. († 1939)

12*.   Em Sófia, na Bul­gária, a paixão do Beato Vi­cente Eu­génio Bossilkov, bispo de Ni­có­polis e mártir, da Con­gre­gação da Paixão de Jesus, que, sob um re­gime ti­rano, por se re­cusar a se­parar-se da co­mu­nhão com a Sé Ro­mana, foi en­car­ce­rado e atroz­mente tor­tu­rado e fi­nal­mente, sob a acu­sação de crime de alta traição, con­de­nado à morte e fuzilado. († 1952)

13. São Mercúrio de Cesareia. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Mercúrio_de_Cesareia

14. Outros santos do dia 11 de novembro: págs. 317-342: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf  Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XVII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 10 de novembro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/10_de_novembro

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.