Santas e Santos de 13 de novembro

1.   Em Ce­sa­reia da Pa­les­tina, a paixão dos santos már­tires An­to­nino, Ni­cé­foro, Ze­bina, Ger­mano e Má­nata, virgem. Esta úl­tima, no tempo do im­pe­rador Ga­lério Ma­xi­mino, de­pois de ser açoi­tada, foi quei­mada viva; os ou­tros, porque cen­su­raram in­tré­pida e cla­ra­mente a im­pi­e­dade do pre­feito Fir­mi­liano por ofe­recer sa­cri­fí­cios aos deuses, foram decapitados. († 308)

2.   Em Aix-en-Pro­vence, na Gália Nar­bo­nense, na ho­di­erna França, São Mí­trio, que, apesar da sua con­dição de es­cravo, saiu deste mundo livre pela jus­tiça em Cristo. († s. IV)

3.   Em Tours, na Gália Li­o­nense, também na ac­tual França, São Brício, bispo, dis­cí­pulo de São Mar­tinho, que foi su­cessor do seu mestre e du­rante qua­renta e sete anos en­frentou muitas adversidades. († 444). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 444, São Brício, quarto sucessor de São Martinho na Sé episcopal de Tours, a serviço da qual permaneceu por quarenta e sete anos. (M)

4.   Na África Pro­con­sular, a co­me­mo­ração dos santos már­tires his­panos Ar­cádio, Pas­cásio, Probo e Eu­ti­quiano, que, por não que­rerem de­ci­di­da­mente aderir à he­resia ariana, por ordem de Gen­se­rico foram pros­critos, de­pois exi­lados e ator­men­tados com atrozes su­plí­cios e fi­nal­mente as­sas­si­nados com vá­rios gé­nero de morte. Então também o pe­queno Pau­lilo, irmão de Pas­cásio e de Eu­ti­quiano, com ad­mi­rável cons­tância, não per­mi­tindo ser se­pa­rado da fé ca­tó­lica, foi lon­ga­mente açoi­tado e con­de­nado à mais vil escravidão. († 473). Ver páginas 413-414: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

5*.   Em Vi­enne, na Gália Li­o­nense, ac­tu­al­mente na França, São Le­o­niano, abade, que, tra­zido da Pa­nónia ca­tivo para esta re­gião por gente ini­miga, di­rigiu san­ta­mente monges e monjas du­rante mais de qua­renta anos, pri­meiro em Autun e de­pois em Vienne. († c. 518)

6.   Em Ar­vena, na Aqui­tânia, hoje Cler­mont-Fer­rand, na França, São Quin­ciano, bispo, que ocupou a sede de Rodez, mas de­pois, exi­lado pelos godos, foi no­meado bispo desta cidade. († c. 525). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 525 a volta para Deus de São Quintiano, bispo de Rodez. Homem bom e enérgico ao mesmo tempo, sofreu perseguição por haver confessado a divindade do Verbo. (M)

7*.   Em Città di Cas­tello, na Úm­bria, re­gião da Itália, a co­me­mo­ração dos santos Flo­rêncio, bispo, de cuja dou­trina fiel e vida santa dá tes­te­munho o papa São Gre­gório Magno, e de Santo Amâncio, seu pres­bí­tero, ad­mi­rável na sua ca­ri­dade para com os en­fermos e em todas as virtudes.  († s. VI)

8*.   Em Rodez, na Aqui­tânia, na ho­di­erna França, São Dal­mácio, bispo, cuja ca­ri­dade para com os po­bres é lou­vada por São Gre­gório de Tours. († c. 580)

9*.   No vale de Suze, entre os Hel­vé­cios, na ac­tual Suíça, Santo Hi­mério, ere­mita, que pregou o Evan­gelho nesta região. († c. 612)

10.   Em To­ledo, ci­dade da Es­panha, Santo Eu­génio (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que se de­dicou ao or­de­na­mento da sa­grada liturgia. († c. 657). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 657, Santo Eugênio. Monge de Saragoça, nomeado contra a sua vontade arcebispo de Toledo, presidiu a quatro concílios que tiveram lugar em sua cidade episcopal. (M)

11*.   Na re­gião de Cam­brai, na Gália, hoje na França, Santa Ma­xe­lendes, virgem e mártir, que, se­gundo a tra­dição, es­co­lhendo a Cristo como seu es­poso e re­cu­sando o homem a quem seus pais a ti­nham pro­me­tido, foi por ele morta ao fio da espada. († 670)

12.   Em Roma, junto de São Pedro, São Ni­colau I, papa, que se dis­tin­guiu pela sua energia apos­tó­lica em con­firmar a au­to­ri­dade do Ro­mano Pon­tí­fice em toda a Igreja de Deus. († c. 867). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano de 867, o sepultamento de São Nicolau I, papa. Dotado de uma personalidade brilhante, garantiu a liberdade da Igreja em face aos dois imperadores então no poder: Miguel, no Oriente e Lotário, no Ocidente. (M). Ver páginas 369-408: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

13*.   No mos­teiro de La Réole, na Gas­conha da França, o pas­sa­mento de Santo Abão, abade de Fleury, ad­mi­ra­vel­mente ins­truído na Sa­grada Es­cri­tura e nas le­tras hu­manas, que, por de­fender a dis­ci­plina mo­nás­tica e fo­mentar ar­do­ro­sa­mente a paz, morreu tres­pas­sado por uma lança. († 1004). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1004, a morte de Santo Abão, abade de Fleury-sur-Loire, que morreu tentando restaurar a observância monástica no priorado de La Réole, na Aquitânia. (X)

14*.   Em Ivrea, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, a co­me­mo­ração do Beato Var­mundo, bispo, ilustre pela sua fé viva, pi­e­dade e hu­mil­dade, que de­fendeu das in­sí­dias dos po­de­rosos a li­ber­dade da Igreja, cons­truiu a ca­te­dral, fo­mentou a vida mo­nás­tica e ins­ti­tuiu uma es­cola episcopal. († c. 1010/1014)

15.   Em Cre­mona, na Lom­bardia, também re­gião da Itália, Santo Ho­mo­bono, um co­mer­ci­ante que se tornou me­mo­rável pela sua ca­ri­dade para com os po­bres, por aco­lher e educar as cri­anças aban­do­nadas e fo­mentar a paz entre as famílias. († 1197). Ver páginas 409-411: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

16.   Em Roma, Santa Agos­tinha Pietrantóni (Lívia Pi­e­tran­tóni), virgem da Con­gre­gação das Irmãs da Ca­ri­dade, que se de­dicou com ge­ne­ro­si­dade cristã ao cui­dado dos le­prosos no hos­pital do Es­pí­rito Santo, onde morreu apu­nha­lada por um en­fermo num ataque de furor homicida. († 1894)

17*.   Em Simat de Vall­digna, na re­gião de Va­lência, na Es­panha, o Beato João Gonga Martínez, mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, der­ramou o seu sangue por Cristo. († 1936)

18*.   Em Por­ti­chol de Ta­vernes, perto de Car­cai­xent, na mesma re­gião da Es­panha, a Beata Maria do Pa­tro­cínio de São João (Maria Cinta As­sunção Giner Gomis), virgem do Ins­ti­tuto das Irmãs de Maria Ima­cu­lada Mis­si­o­ná­rias Cla­re­ti­anas e mártir, que na mesma per­se­guição no com­bate da fé al­cançou a vida eterna. († 1936)

19♦.   Em Halle an der Saale, na Sa­xónia, re­gião da Ale­manha, o Beato Carlos Lampert, pres­bí­tero e mártir, que de­pois de ter sido en­car­ce­rado três vezes por um re­gime inu­mano e hostil à re­li­gião, foi fi­nal­mente de­ca­pi­tado em ódio à fé cristã e ao sacerdócio. († 1944)

20*.   Em Sófia, na Bul­gária, os be­atos Pedro Vicev, Paulo (José Dzidzov) e Jo­safat Siskov (Ro­berto Ma­teus Siskov), pres­bí­teros da Con­gre­gação dos Agos­ti­nhos da As­sunção, que, no tempo de um re­gime hostil a Deus, acu­sados fal­sa­mente de traição e en­car­ce­rados por serem cris­tãos, me­re­ceram re­ceber pela sua morte o prémio pro­me­tido aos fiéis dis­cí­pulos de Cristo. († 1952)

21. São Diogo de Alcalá (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver páginas 412-413: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf  

– Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Diogo_de_Alcalá

22. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, São Didácio, franciscano espanhol, missionário nas Ilhas Canárias, que cumpriu suas humildes tarefas na fé e na caridade. Adormeceu no Senhor em 1463. (M)

23. Outros santos do dia 13 de novembro: págs. 369-414: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf  Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XVII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 13 de novembro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/13_de_novembro

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.