Santas e Santos de 17 de novembro

17 DE NOVEMBRO DE 2019: TERCEIRO DIA MUNDIAL DOS POBRES:

“…se deve celebrar em toda a Igreja, na ocorrência do XXXIII Domingo do Tempo Comum, o Dia Mundial dos Pobres.” Ver a “Carta Apostólica Misericordia et misera” http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/apost_letters/documents/papa-francesco-lettera-ap_20161120_misericordia-et-misera.html

– Ver: https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2019-11/papa-francsico-mensagem-lourdes-pobres.html

– Ver também: http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/messages/poveri/documents/papa-francesco_20190613_messaggio-iii-giornatamondiale-poveri-2019.html

– Ver ainda: https://www.a12.com/redacaoa12/dia-mundial-dos-pobres-10-pontos-marcantes-da-mensagem-do-papa-francisco

– Ver mais: https://formacao.cancaonova.com/atualidade/sociedade/o-dia-mundial-dos-pobres-instituido-pelo-papa-francisco/

Me­mória de Santa Isabel da Hungria (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, sendo muito jovem, foi dada em ca­sa­mento a Luís, land­grave da Tu­ríngia, e teve três fi­lhos; ao ficar viúva, de­pois de so­frer co­ra­jo­sa­mente muitas tri­bu­la­ções e sempre in­cli­nada à me­di­tação das re­a­li­dades ce­lestes, re­tirou-se, em Mar­burgo, ci­dade da Ale­manha, num hos­pital que ela pró­pria tinha fun­dado, onde abraçou a po­breza e se de­dicou ao cui­dado dos en­fermos e dos po­bres até ao úl­timo sus­piro da sua vida, aos vinte e cinco anos. († 1231). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Marburgo, Santa Isabel, filha do rei da Hungria e esposa de Luís, o santo Landgrave da Turíngia. Enviuvando aos vinte anos, dedicou sua vida ao serviço dos pobres, tirando do espírito franciscano o segredo da alegria perfeita em meio às provações. Morreu em 1231, vestindo o burel de terciária daquela Ordem, aos vinte e quatro anos de idade. (R). Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Santa_Isabel_da_Hungria

2.   Em Ne­o­ce­sa­reia, no Ponto, hoje Niksar, na Tur­quia, São Gre­gório, bispo, que abraçou a fé cristã ainda ado­les­cente e foi pro­gre­dindo nas ci­ên­cias di­vinas e hu­manas; eleito bispo, res­plan­deceu pela sua dou­trina, vir­tudes e tra­ba­lhos apos­tó­licos e, pelos nu­me­rosos mi­la­gres que re­a­lizou, foi cha­mado “O Taumaturgo”. († c. 270). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 272, a volta para Deus de São Gregório Taumaturgo. Convertido ao cristianismo, foi mais tarde eleito bispo de Neocesaréia, sua cidade natal. Discípulo de Orígenes, impôs-se tanto pelo zelo missionário como por seu conhecimento teológico (M). Ver páginas 55-72: http://obrascatoli cas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Gregório_Taumaturgo

3.   Em Ce­sa­reia da Pa­les­tina, os santos Alfeu (também na Folhinha do Coração de Jesus) e Za­queu, már­tires, que, no pri­meiro ano da per­se­guição do im­pe­rador Di­o­cle­ciano, por con­fes­sarem fir­me­mente a fé num só Deus e em Jesus Cristo Rei, de­pois de so­frerem muitos tor­mentos foram con­de­nados à morte. († 303)

4.   Em Cór­dova, na His­pânia Bé­tica, Santo Acisclo, mártir. († s. IV)

5.   Em Or­leães, na Gália Li­o­nense, ac­tu­al­mente na França, Santo Aniano, bispo, que, con­fi­ando só em Deus, cujo au­xílio in­vo­cava sem cessar com ora­ções e lá­grimas, li­bertou a sua ci­dade, as­se­diada pelos Hunos. († c. 453). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em meados do séc. V, Santo Aniano, bispo de Orléans. Na ausência de toda autoridade civil, fez-se defensor da cidade em face às hordas de Átila, colocando assim limites a esse invasor, que foi repelido, e depois vencido nos Campos Cataláunicos. (M). Ver páginas 100-101: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

6.   Em Vi­enne, na Bor­gonha, também na ac­tual França, São Na­mácio, bispo, que, além de de­sem­pe­nhar rec­ta­mente as suas fun­ções civis, go­vernou e honrou a sede episcopal. († 599)

7.   Em Tours, na Nêus­tria, hoje também na França, São Gre­gório, bispo, que su­cedeu a Santo Eu­frónio nesta sede e es­creveu em lin­guagem fiel e sim­ples uma his­tória dos Francos. († 594). Ver páginas 73-96: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Gregório_de_Tours

8*.   Em Whitby, na Nor­túm­bria, ter­ri­tório da ac­tual In­gla­terra, Santa Ilda, aba­dessa, que, de­pois de abraçar a fé e re­ceber os sa­cra­mentos, quando foi no­meada para reger o mos­teiro, de tal modo se de­dicou à for­mação dos monges e das monjas na vida re­gular, à ma­nu­tenção da paz e do es­pí­rito de ca­ri­dade, ao tra­balho e à lei­tura das di­vinas Es­cri­turas, que pa­recia re­a­lizar na terra ta­refas celestes. († 680). Ver páginas 97: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

9*.   Em Re­mosch, na Récia, na ho­di­erna Suíça, São Flo­rino, pres­bí­tero, fi­el­mente de­di­cado ao mi­nis­tério paroquial. († c. 856)

10.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, São Lá­zaro, monge, nas­cido na Ar­ménia, in­signe pintor de ima­gens sa­gradas, que, ao negar-se a des­truir as suas obras, foi ator­men­tado com cruéis su­plí­cios por ordem do im­pe­rador ico­no­clasta Teó­filo e, de­pois de se apa­zi­guarem as con­tro­vér­sias sobre o de­vido culto das ima­gens, foi en­viado pelo im­pe­rador Mi­guel III a Roma para con­so­lidar a con­córdia e uni­dade de toda a Igreja. († c. 867)

11*.   Em No­vara, na Si­cília, re­gião da Itália, Santo Hugo, abade, que, en­viado por São Ber­nardo de Cla­raval, es­ta­be­leceu a Ordem Cis­ter­ci­ense nesta re­gião e na Calábria. († s. XII)

12.   Em Lin­coln, na In­gla­terra, Santo Hugo, bispo, que era monge car­tuxo quando foi cha­mado para esta sede epis­copal, onde re­a­lizou um tra­balho ex­ce­lente, tanto na de­fesa das li­ber­dades da Igreja como em li­bertar os ju­deus das mãos dos inimigos. († 1200). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, cem anos após a morte de São Bruno, a morte de São Hugo, introdutor da Cartuxa na Inglaterra. Após vinte e cinco anos de vida monástica, foi eleito bispo da Igreja de Lincoln. (M). Ver página 102-104: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

13*.   Em Cra­cóvia, na Po­lónia, a Beata Sa­lomé, rainha de Ha­licz, an­tigo reino da Eu­ropa ori­ental, que, fa­le­cido o es­poso, o rei Co­lum­bano, pro­fessou a Regra das Cla­rissas e de­sem­pe­nhou san­ta­mente o cargo de aba­dessa num mos­teiro por ela fundado. († 1268)

14.   Em Helfta, perto de Eis­leben, na Sa­xónia, o dia natal de Santa Ger­trudes, virgem, cuja me­mória se ce­lebra no dia anterior. († c. 1302)

15♦.   Em Yat­sushiro, no Japão, o Beato Leão Saisho Shichiemon, mártir. († 1608)

16.   Em As­sunção, no Pa­ra­guai, São João del Castillo, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, que numa das «Re­du­ções», fun­dada neste mesmo ano por São Roque Gon­zález e con­fiado aos seus cui­dados, foi sub­me­tido a cruéis su­plí­cios por ins­ti­gação de um fei­ti­ceiro e fi­nal­mente ape­dre­jado, mor­rendo por Cristo. († 1628). São Roque González, São João del Castilho e Santo Afonso Rodrigues. Ver página 105: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

17.   Em Na­ga­sáki, no Japão, os santos Jordão An­sa­lone (Ja­cinto Ansalone) e Tomás Ro­ku­zayemon Nishi, pres­bí­teros da Ordem dos Pre­ga­dores e már­tires, que tra­ba­lharam in­can­sa­vel­mente pelo Evan­gelho: o pri­meiro nas ilhas Fi­li­pinas e de­pois no Japão; o se­gundo, na ilha For­mosa e de­pois na re­gião de Na­ga­sáki. Ambos su­por­taram com ânimo in­que­bran­tável, du­rante sete dias, os cruéis tor­mentos da forca e do lo­daçal até à morte. († 1634)

18*.   Ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Lopo Se­bas­tião Hunot, pres­bí­tero de Sens e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, por ser sa­cer­dote, foi me­tido num velho barco ali an­co­rado, onde so­freu todas as tri­bu­la­ções do ca­ti­veiro e, con­su­mido pelas fe­bres, ter­minou o seu martírio. († 1794)

19*.   Em Bar­ce­lona, na Es­panha, os be­atos Eu­sébio Andrés (Eu­sébio Roldán Vi­elba), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs, que, du­rante a mesma per­se­guição, no com­bate da fé co­lheu o fruto da glória eterna. († 1936)

20*.   Em Ca­paivca, ci­dade do ter­ri­tório de Kiev, na Ucrânia, o Beato Jo­safat Kocylovskyj, bispo de Pr­zemysl e mártir, que, du­rante a opressão da sua pá­tria por um re­gime hostil a Deus, en­tregou a sua alma como dis­cí­pulo fiel de Cristo. († 1947)

21. Santa Vitória (também na Folhinha do Coração de Jesus)

22. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 264, São Dionísio, bispo de Alexandria. Discípulo de Orígenes e escritor, confessou sua fé durante as perseguições de Décio e de Valeriano, e morreu no exílio. (M). Ver páginas 98-99: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

23. Outros santos do dia 17 de novembro: págs. 55-105: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf                

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.  

– Sobre o dia 17 de novembro, ver ainda:  https://pt.m.wikipedia.org/wiki/17_de_novembro

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.