Santas e Santos de 28 de janeiro

Me­mória de São Tomás de Aquino (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e doutor da Igreja, que, do­tado de grandes dons in­te­lec­tuais, co­mu­nicou aos ou­tros, por meio do en­sino oral e es­crito, a sua ex­tra­or­di­nária sa­be­doria. Cha­mado pelo beato papa Gre­gório X para par­ti­cipar no Con­cílio Ecu­mé­nico de Lião II, morreu du­rante a vi­agem no mos­teiro de Fos­sa­nova, no Lácio, no dia 7 de Março. Al­guns anos de­pois o seu corpo foi tras­la­dado para Tolouse. († 1274). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Tomás de Aquino, sacerdote da Ordem dos Pregadores. Inicialmente discípulo de Santo Alberto Magno e depois professor na Sorbonne, São Tomás elaborou, a partir da Sagrada Escritura e dos Padres da Igreja, e utilizando o sistema filosófico aristotélico, uma magistral síntese teológica que o fez ser proclamado Doutor da Igreja e patrono da Universidade Católica. Quando, por ordem do papa, se dirigia ao Concilio de Lião, morreu na abadia cisterciense de Fossanova no dia 7 de março de 1274, e seu corpo foi transferido para Toulouse em 28 de janeiro de 1369. (R)

No VIDA DOS SANTOS, a vida de São Tomás é contada dia 7 de março. Conforme págs. 220-225:

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Tomás_de_Aquino

2.   No mos­teiro de Réomé, perto de Lan­gres, na Nêus­tria, ac­tu­al­mente na França, São João, pres­bí­tero, homem de Deus, que reuniu nu­me­rosos monges sob a Regra de São Macário. († c. 554). Ver páginas 233-234: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

3.   Co­me­mo­ração de São Tiago, ere­mita na Pa­les­tina, que passou muito tempo num se­pulcro por penitência. († s. VI). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Palestina, no séc. VI, São Tiago, eremita. Ele havia sucumbido a uma grave tentação quando um velho anacoreta, colocado em seu caminho pela graça divina, exortou-o a jamais desesperar da misericórdia do Senhor. (M). Ver páginas 235-236: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

4.   Em Cu­enca, na ac­tual Cas­tela-la-Mancha, re­gião da Es­panha, São Ju­lião, bispo, que ilus­trou a Igreja como se­gundo pre­lado desta ci­dade de­pois de re­cu­pe­rada aos Mouros, pondo ao dispor dos po­bres os bens da Igreja e ad­qui­rindo o seu sus­tento quo­ti­diano com o tra­balho das pró­prias mãos. († c. 1207). Conforme o Martirológio Romano-Monástico: na Espanha, em 1208, São Juliano, que foi ordenado bispo depois de muitos anos de vida eremítica e de um longo ministério sacerdotal.

São Julião: Bispo e Confessor

Julião era natural de Burgos, onde nasceu em 1127. Mortos os pais, deixou a vida mundana, recolhendo-se a uma cabana situada ao lado do mosteiro de Santo Agostinho de Burgos, perto do eremitério que abrigou São Domingos de Silos.

Depois de ordenado padre, principiou o ministério de pregação, percorrendo zelosamente várias províncias da Espanha, alcançando grande sucesso e colhendo frutos abundantes. Quando o rei Afonso IX reconquistou Cuenca, então em poder dos mouros, Julião era arcediago (dignitário eclesiástico que recebe do bispo certos poderes junto dos párocos, curas, abades etc. de uma diocese) de Toledo. Bispo de Cuenca aos sessenta anos, de humilde que era, tornou-se mais pequeno ainda debaixo daquela dignidade, o que vinha edificar a gente tôda do país. Vivia do trabalho das próprias mãos, e o que lhe advinha do bispado transferia-o imediatamente à pobreza, que o venerava e amava. As paróquias tôdas que pertenciam à sua diocese, visitava-as freqüentemente, zelosa e prestativamente. Diante de tanta santidade, Deus favoreceu-o sobremodo. Conta-se que, por ocasião da epidemia que se manifestou em Cuenca, quem quer que tocasse em alguma coisa que tivesse passado pelas mãos do santo bispo ver-se-ia infalivelmente curado e imunizado.

Velho já, carregando noventa anos nos arcados ombros santos, grave enfermidade atirou com Julião para o leito. Ciente de que aquela doença ia levá-lo ao túmulo, preparou-se para ter uma boa morte. E, fazendo-se transferir para uma cama de cinzas, no chão, tendo por travesseiro uma pedra, ali morreu, em 1208, depois de ter tido a suprema felicidade de ser visitado e exortado por Nossa Senhora, que lhe apareceu e confortou até o último suspiro.

 Aos funerais do bom e velho bispo, uma infinidade de milagres surpreendeu e maravilhou a todos quantos presenciaram os prodígios ou deles ouviram contar. A Igreja de Cuenca celebra-lhe a festa com oitava.

Em 1518, houve uma transladação do corpo de São Julião, e novos prodígios ocorreram. Registraram-se, num só dia, catorze casos de miraculosas curas. Conforme págs. 239-240: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

5*.   No mos­teiro de São Fre­diano, pró­ximo de Pisa, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o beato Bar­to­lomeu Aiutamicristo, re­li­gioso da Ordem Camaldulense. († 1224)

6*.   Em Plévin, na Bre­tanha, re­gião da França, o beato Ju­lião Maunoir, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus, que, du­rante qua­renta e dois anos, se de­dicou to­tal­mente às mis­sões po­pu­lares, tanto nas al­deias como nas cidades. († 1683)

7.   Em Ma­okou, ci­dade da re­gião de Guizhou, na China, os santos Águeda Lin Zhao, virgem, Je­ró­nimo Lu Tingmei e Lou­renço Wang Bing, már­tires, que, sendo ca­te­quistas, no tempo do im­pe­rador Wen­zong­xian foram de­nun­ci­ados como cris­tãos e por isso degolados. († 1858)

8*.   Em Dai­ji­ahuang, ci­dade da pro­víncia me­ri­di­onal de Shan­dong, na China, São José Freinademetz, pres­bí­tero da So­ci­e­dade do Verbo Di­vino, que tra­ba­lhou in­can­sa­vel­mente na acção evan­ge­li­za­dora desta região. († 1908).

– Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Josef_Freinademetz

9*.   Em Pi­cas­sent, ci­dade da re­gião de Va­lência, na Es­panha, a beata Maria Luísa Mon­te­sinos Orduña, virgem e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, pelo mar­tírio se tornou par­ti­ci­pante na vi­tória de Cristo. († 1937)

10*.   No campo de con­cen­tração da ci­dade de Kharsk, perto de Tomsk, na Si­béria, re­gião da Rússia, a beata Olímpia (Olga Bidà), virgem da Con­gre­gação das Irmãs de São José e mártir, que, no re­gime de per­se­guição contra a fé, su­portou todas as ad­ver­si­dades por amor de Cristo. († 1952)

11. Na Tebaida (A Tebaida é uma região do antigo Egito contendo os treze nomos mais meridionais do Alto Egito, de Abidos até Assuã. Ela adquiriu este nome por sua proximidade da antiga capital egípcia de Tebas.), São Leônidas, e seus companheiros (também na Folhinha do Coração de Jesus) os quais, no tempo de Diocleciano, lograram a palma do martírio. Conforme pág. 244:

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

12. Beato Gon­çalo de Amarante (VER 10 DE JANEIRO), pres­bí­tero de Braga, que, de­pois de longa pe­re­gri­nação à Terra Santa, en­trou na Ordem dos Pre­ga­dores e fi­nal­mente se re­tirou para um ermo; fez cons­truir uma ponte e ajudou muito os ha­bi­tantes do lugar com a sua oração e pregação. († c. 1259). “Bv. GONÇALO DO AMARANTE: Gonçalo nasceu em Portugal, em 1187. Após uma peregrinação a Roma e Jerusalém, já sacerdote, passou por uma grave crise espiritual. que o fez se dedicar à conversão des pecadores. Nara a tradição que evangelizava de um modo peculiar, através da dança. Para reabilitar as prostitutas, vestia-se de mulher e dançava e cantava com elas a noite toda, esperando que, assim, não pecassem e se convertessem. Por penitência, dançava com pregos na sola dos sapatos. A “dança de São Gonçalo” é, ainda hoje, uma forma de expressão da religiosidade popular no Brasil. São Gonçalo é o protetor dos violeiros, invocado contra as enchentes, e casamenteiro. Morreu em Amarante, Portugal, no dia 10 de janeiro de 1259”. (Conforme a Folhinha do Coração de Jesus, Frei Sandro Roberto da Costa, OFM. Consta 28 de janeiro na Folhinha do Coração de Jesus de 2020). Ver páginas 292-293: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Gonçalo_de_Amarante

13.Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1159, Santo Amadeu. Formado em Claraval sob a direção pessoal de São Bernardo, foi chamado para dirigir os monges cistercienses de Hautecombe. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, (X). Ver páginas 237-238: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

14.Em Bar­ce­lona, na Es­panha, São Pedro Nolasco, pres­bí­tero, que, jun­ta­mente com São Rai­mundo de Pe­nha­forte e Jaime I, rei de Aragão, é con­si­de­rado fun­dador da Ordem de Nossa Se­nhora das Mercês para a Re­denção dos Ca­tivos; no tempo do do­mínio dos in­fiéis, de­sen­volveu di­li­gen­te­mente uma grande ac­ti­vi­dade para es­ta­be­lecer a paz e li­bertar os cris­tãos do jugo da escravidão. († 1245). OBSERVAÇÃO VER: Na FOLHINHA DO CORAÇÃO DE JESUS, dia 28 de janeiro; no MARTIROLÓGIO ITALIANO, dia 06 de maio. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, dia 31 de janeiro. Em Barcelona, Espanha, em 1256, São Pedro Nolasco. Natural da diocese de Carcassonne, fundou, com São Raimundo de Peñafort a Ordem de Nossa Senhora das Mercês, para o resgate de prisioneiros cristãos. Seus religiosos colocavam-se eles próprios como prisioneiros em lugar dos irmãos (M). Ver páginas 297-302: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

– Ver: http://mercedarios.com.br/sao-pedro-nolasco

15. Bem-Aventurada Margarida da Hungria. Ver páginas 230-232: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

16. Bem-Aventurada Gentilis. Ver página 241: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

17. Outros santos do dia 28 de janeiro: págs. 225-244: 

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escri to. 

– Sobre o dia 28 de janeiro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/28_de_janeiro

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.