Santas e Santos de 04 de fevereiro

Me­mória de São João de Brito, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, que, em Oriur, lo­ca­li­dade do reino do Ma­ravá, na Índia, de­pois de ter con­ver­tido muitos à fé, adap­tando-se à vida e cos­tumes dos as­cetas da­quela re­gião, co­roou a sua vida com um glo­rioso martírio. († 1693). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1693 o martírio do Bem-Aventurado João de Brito, jesuíta português, apóstolo das Índias Orientais. (M). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_de_Brito

2.   Em Roma, nas Ca­ta­cumbas junto à Via Ápia, Santo Eu­tí­quio, mártir, que, tor­tu­rado du­rante muito tempo sem comer e sem dormir, foi fi­nal­mente pro­jec­tado num pre­ci­pício, ven­cendo pela fé em Cristo todas as cru­el­dades do tirano. († data inc.)

3.   Em Perga, na Pan­fília, ac­tu­al­mente na Tur­quia, os santos Pa­pias, Di­o­doro e Clau­diano, mártires. († s. III)

4.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, a paixão dos santos már­tires Fi­leias, bispo, e Fi­lo­romo, tri­buno mi­litar, que, du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Décio, sem atender às exor­ta­ções dos pa­rentes e amigos para salvar a vida, apre­sen­tando o pes­coço à de­ca­pi­tação, me­re­ceram do Se­nhor a palma do martírio. († s. IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Egito, no séc. IV, a paixão dos Santos Filéias e Filóromo. Filéias, bispo de Thmuis, foi preso durante a perseguição de Diocleciano e levado para Alexandria. Durante o interrogatório, um oficial do Império chamado Filómoro, cheio de admiração pelo acusado, protestou contra a insistência dos juízes em querer fazê-lo apostatar. Foi pronunciada contra os dois a pena capital. (M). Ver páginas 418-420: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

5.   Em Pe­lúsio, no Egipto, Santo Isi­doro, pres­bí­tero, cé­lebre pela sua sa­be­doria, que, des­pre­zando o mundo e suas ri­quezas, pre­feriu imitar a vida de João Bap­tista no de­serto, to­mando o há­bito da vida monástica. († c. 449). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Egito, perto de 450, Santo Isidoro de Pelusa, monge e sacerdote, que renunciou ao mundo e a uma rica herança para imitar a vida de S. João Batista no deserto. (M). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Isidoro_de_Pel%C3%BAsio

6*.   Em Châ­te­audun, perto de Char­tres, na Gália, hoje na França, o pas­sa­mento de Santo Aven­tino, bispo, que tinha ocu­pado a sede epis­copal de Chartres. († c. 511)

7.   Em Troyes, na Gália Li­o­nense, hoje também na França, Santo Aven­tino, que é ve­ne­rado como au­xi­liar do bispo São Lopo. († c. 537)

8.   Em Mo­gúncia, ci­dade da Fran­cónia, hoje na Ale­manha, São Ra­bano Mauro, bispo, que, cha­mado do mos­teiro de Fulda à sede epis­copal de Mo­gúncia, foi pre­lado exímio na ci­ência, hábil na eloquência e agra­dável a Deus, nada omi­tindo que pu­desse fazer para glória de Deus. († 856). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/R%C3%A1bano_Mauro

9*.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, São Ni­colau Stu­dita, monge, que, vá­rias vezes exi­lado por causa do culto das sa­gradas ima­gens, fi­nal­mente foi no­meado he­gú­meno do mos­teiro Stú­dion e aí des­cansou em paz. († 868)

10.    

Em Sem­pringham, na In­gla­terra, São Gil­berto (memória dia 04 de fevereiro no Martirológio Italiano e no Martirológio Romano-Monástico. Na Folhinha do Coração de Jesus é dia 16 de fevereiro), pres­bí­tero, que, com a apro­vação do papa Eu­génio III, fundou uma Ordem mo­nás­tica com dupla ob­ser­vância, a saber, a Regra de São Bento para as monjas e a Regra de Santo Agos­tinho para os clérigos. († 1189). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, tinha laços de amizade com São Bernardo e São Tomás Becket. M. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Inglaterra, no ano do Senhor de 1190, São Gilberto, sacerdote fundador dos cônegos regulares de Semprimgham. Tinha laços de amizade com São Bernardo e com São Tomás Becket. (M). Ver página 425: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf – Ver também: https://comeceodiafeliz.com.br/santo/sao-gilberto-de-sempringham

11.   Em Bourges, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, Santa Joana de Valois (também na Folhinha do Coração de Jesus), rainha da França, que, de­pois de ter sido de­cla­rado nulo o ma­tri­mónio com o rei Luís XII, se con­sa­grou a Deus, ve­nerou com sin­gular de­voção a Cruz e fundou a Ordem das Anun­ci­adas, em honra da Anun­ci­ação à Virgem Maria. († 1505). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Joana_de_Valois,_Duquesa_de_Berry

12*.   Em Durham, na In­gla­terra, o Beato João Speed, mártir, que, no rei­nado de Isabel I, con­de­nado à morte por causa do au­xílio pres­tado aos sa­cer­dotes, me­receu a coroa do martírio. († 1594)

13.   Em Ama­trice, nos Abruzos, hoje no Lácio, re­gião da Itália, São José de Leonessa, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, que so­correu os cris­tãos ca­tivos em Cons­tan­ti­nopla e, de­pois de so­frer cruéis tor­mentos por ter anun­ciado o Evan­gelho no pró­prio pa­lácio do sultão, re­gressou à pá­tria e de­dicou-se à causa dos pobres. († 1612). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1612, São José de Leonessa (também na Folhinha do Coração de Jesus, São José de Leonissa), capuchinho. Dedicava-se aos prisioneiros e trabalhadores forçados de Constantinopla quando foi banido pelos turcos. Consagrou seus últimos vinte anos de vida à pregação na Úmbrja. sua província natal. (M). Ver páginas 413-415: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

14. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 888, São Ramberto (também na Folhinha do Coração de Jesus, São Remberto), sucessor de Santo Oscar na Sé episcopal de Bremen. Por ocasião das invasões normandas, não hesitou em vender os vasos sagrados de sua igreja para resgatar alguns de seus fiéis que haviam sido capturados. (M). Ver páginas 411-412: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

–  Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Rimberto_de_Hamburgo

15. Santo André Corsino, bispo de Fiésole na Toscana. Ver páginas 402-410: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

16. Santa Verônica. Ver páginas 416-417: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

17. São Teófilo, o penitente. Ver páginas 421-423: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf 

18. Outros santos do dia 04 de fevereiro: págs. 402-: 

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 04 de fevereiro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/4_de_fevereiro

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Santas e Santos de 03 de fevereiro

São Brás, bispo e mártir, que pa­deceu pela fé cristã em Se­baste, na an­tiga Ar­ménia, hoje Sivas, na Tur­quia, sob o man­dato do im­pe­rador Licínio. († c. 320). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no final das grandes perseguições romanas, o martírio de São Brás (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Sebaste, na Armênia. Grande taumaturgo, obteve da misericórdia divina a cura de diversas misérias humanas, pela invocação do Nome de Cristo. (R). Ver páginas 394-399: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

– Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Br%C3%A1s_de_Sebaste

Santo Óscar (ou Ans­cário), bispo de Ham­burgo e de­pois também de Bremen, na Sa­xónia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, que, tendo sido monge de Corbie, foi le­gado do papa Gre­gório IV nas mis­sões de toda a Es­can­di­návia; anun­ciou o Evan­gelho a mul­ti­dões de pes­soas e es­ta­be­leceu a Igreja de Cristo na Di­na­marca e na Suécia, su­pe­rando com grande for­ta­leza de ânimo nu­me­rosas di­fi­cul­dades, até que, em Bremen, des­cansou dos seus trabalhos. († 865). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 865, Santo Oscar ou Anscário (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Bremen e Hamburgo. Inicialmente monge beneditino em Corbio e depois em Corwey, na Saxônia, foi chamado a fundar a Igreja de Cristo em territórie dinamarquês e sueco, merecendo por isso o título de “Apóstolo dos Escandinavos”. (R). Ver páginas 365-387: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf  

– Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ansg%C3%A1rio_de_Hamburgo

3.   Em Je­ru­salém, a co­me­mo­ração dos santos Si­meão, an­cião justo e pi­e­doso, e Ana, viúva e pro­fe­tiza, que no dia em que o Me­nino Jesus foi le­vado ao templo para ser apre­sen­tado se­gundo o cos­tume da lei de Moisés, O me­re­ceram saudar como o Mes­sias e Sal­vador, es­pe­rança e re­denção de Israel.

4.   Em Car­tago, na ho­di­erna Tu­nísia, São Ce­le­rino, leitor e mártir, que, atri­bu­lado no cár­cere com açoites e ca­deias e ou­tros tor­mentos, pro­fessou in­ven­ci­vel­mente a fé em Cristo, se­guindo o exemplo da sua avó Ce­le­rina (também na Folhinha do Coração de Jesus) já an­te­ri­or­mente co­roada com o mar­tírio, do seu tio pa­terno Lou­renço e de seu tio ma­terno Inácio, os quais, tendo sido antes sol­dados no exér­cito, se tor­naram sol­dados do ver­da­deiro Deus e, com a sua glo­riosa paixão, al­can­çaram as palmas e co­roas do Senhor. († s. III). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. III, São Celerino, confessor da fé. Encarcerado em Roma, lá suportou fome e sede durante dezenove dias. Libertado, voltou para Cartago, onde foi ordenado diácono por São Cipriano. (M). Ver página 401: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

5*.   Em Poi­tiers, na Aqui­tânia, hoje na França, São Leónio, pres­bí­tero, que, se­gundo a tra­dição, foi dis­cí­pulo de Santo Hilário. († s. IV)

6.   Em Gap, ci­dade da Pro­vença, ac­tu­al­mente na França, os santos Te­rídio e Re­médio, bispos. († s. IV-V)

7.   Em Lião, na Gália Li­o­nense, também na ac­tual França, São Lu­pi­cino, bispo, no tempo da per­se­guição de­sen­ca­deada pelos Vândalos. († s. V f.)

8*.   No mos­teiro de Celles, no Hai­nault, na ac­tual Bél­gica, Santo Ade­lino, pres­bí­tero e abade. († c. 696)

9*.   Em Chester, Mércia, re­gião da In­gla­terra, Santa Ve­re­burga, aba­dessa de Ely, que fundou muitas casas de vida religiosa. († c. 700). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Verburga

10*.   Em Me­er­becke, no Bra­bante, hoje na Bél­gica, Santa Ber­linda, virgem, que nesta ci­dade se con­sa­grou à vida re­li­giosa de po­breza e caridade. († s. IX-X)

11*.   No mos­teiro cis­ter­ci­ense de Froid­mont, no ter­ri­tório de Be­au­vais, na França, a co­me­mo­ração do Beato He­li­nando, monge, que era um cé­lebre tro­vador e se en­tregou de­pois à vida hu­milde e oculta no claustro. († d. 1320)

12*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, o Beato João Nélson, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, que, por ter ne­gado o poder su­premo de Isabel I nas ques­tões es­pi­ri­tuais, foi con­de­nado à pena ca­pital e morreu en­for­cado na praça de Tyburn. († 1578)

13*.   Em Lyon, na França, Santa Maria de Santo Inácio (Cláu­dina Thé­venet), virgem, que, mo­vida pelo ardor da ca­ri­dade e for­ta­leza de ânimo, fundou a Con­gre­gação das Irmãs de Jesus e Maria, des­ti­nada à for­mação cristã das jo­vens, so­bre­tudo das mais pobres. († 1837)

14*.   Em Bourg-Saint-An­déol, no ter­ri­tório de Vi­viers, na França, a Beata Maria Ana Rivier, virgem, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, quando ti­nham sido ex­tintas todas as Or­dens e Con­gre­ga­ções re­li­gi­osas, fundou a Con­gre­gação das Irmãs da Apre­sen­tação de Maria para ins­truir na fé o povo cristão. († 1838)

15*.   Na po­vo­ação de Steyl, na Ho­landa, a Beata Maria He­lena Stollenwerk, virgem, que co­la­borou com Santo Ar­naldo Janssen na fun­dação da Con­gre­gação das Mis­si­o­ná­rias Servas do Es­pí­rito Santo e, de­pois de ter dei­xado a função de su­pe­riora, se en­tregou com grande fervor de alma à ado­ração perpétua. († 1900)

16.   Em Da­chau, perto de Mu­nique, na Ale­manha, o Beato Aloísio Andritzki, pres­bí­tero e mártir, as­sas­si­nado du­rante o do­mínio de um re­gime hostil a Deus e à dig­ni­dade humana. († 1943)

17. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 576, São Lourenço, bispo de Spoleto, cognominado “o Iluminador”, pois devolvia miraculosamente a visão a numerosos cegos. Pelo final de sua vida, abandonou suas funções episcopais e fundou o mosteiro de Farfa, onde veio ele mesmo partilhar a vida dos monges. (X). Ver página 399: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

18. São Justo Ukon Takayama. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Justo_Ukon_Takayama

– Ver também: https://en.wikipedia.org/wiki/Dom_Justo_Takayama

19. Bem-aventurado Oderico, franciscano, missionário na China. Ver páginas 388-391: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

20. Bem-aventurado Nicolau de Longobardi, mínimo. Ver páginas 392-393: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

21. Outros santos do dia 03 de fevereiro: págs. 365-401: 

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 03 de fevereiro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/3_de_fevereiro

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.