Santas e Santos de 06 de fevereiro

Me­mória dos santos Paulo Miki (também na Folhinha do Coração de Jesus) e com­pa­nheiros[1], már­tires em Na­ga­sáki, no Japão. Agra­vando-se a per­se­guição contra os cris­tãos, foram presos, ator­men­tados e con­de­nados à pena ca­pital oito pres­bí­teros ou re­li­gi­osos da Com­pa­nhia de Jesus e da Ordem dos Frades Me­nores, pro­ce­dentes da Eu­ropa ou na­tu­rais do Japão, e de­zas­sete leigos. Todos eles, também os ado­les­centes, foram cru­ci­fi­cados por serem cris­tãos, ma­ni­fes­tando a sua ale­gria por terem a graça de morrer de modo se­me­lhante ao de Cristo. São estes os seus nomes: João de Goto Soan, Tiago Kisai, re­li­gi­osos da Com­pa­nhia de Jesus; Pedro Bap­tista Blás­quez, Mar­tinho da As­censão Aguirre, Fran­cisco Blanco, pres­bí­teros da Ordem dos Frades Me­nores; Fi­lipe de Jesus de las Casas, Gon­çalo Garcia, Fran­cisco de São Mi­guel de la Pa­rilla, re­li­gi­osos da mesma Ordem; Leão Ka­ra­suma, Pedro Su­ke­jiro, Cosme Ta­keya, Paulo Iba­raki, Tomé Dangi, Paulo Su­zuki, ca­te­quistas; Luís Iba­raki, An­tónio, Mi­guel Ko­zaki e Tomé, seu filho, Bo­a­ven­tura, Ga­briel, João Ki­nuya, Ma­tias, Fran­cisco de Meako, Jo­a­quim Sa­ka­ki­bara, Fran­cisco Adaucto, neófitos. († 1597). Anotações de 05 de fevereiro: Em Na­ga­sáki, no Japão, a paixão dos santos Paulo Miki e vinte e cinco companheiros, már­tires, cuja me­mória se ce­lebra amanhã. († 1597). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Paulo Miki e seus vinte e cinco companheiros, religiosos e leigos, crucificados em Nagasaki em 1597, cerca de quarenta anos depois da missão de São Francisco Xavier. Sempre perdoando seus carrascos e rezando pelo Japão, Paulo proclamou do alto de sua cruz, que “o único caminho para a salvação era o dos cristãos”. (R)Ver OS MÁRTIRES DO JAPÃO, páginas 17-36: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

– Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Os_26_M%C3%A1rtires_do_Jap%C3%A3o

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Paulo_Miki

2.   Em Ar­vena, na Aqui­tânia, hoje Cler­mont-Fer­rand, na França, Santo An­to­liano, mártir. († s. III)

3.   Em Emessa, hoje Homs, na Síria, a co­me­mo­ração de São Sil­vano, bispo e mártir, que, de­pois de pre­sidir a esta Igreja du­rante qua­renta anos, por fim, no tempo do im­pe­rador Ma­xi­mino, foi lan­çado às feras e re­cebeu a palma do mar­tírio, jun­ta­mente com o diá­cono Lucas e o leitor Mócio. († c. 235/238)

4.   Em Ce­sa­reia da Ca­pa­dócia, hoje Kay­seri, na Tur­quia, Santa Do­ro­teia (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, e São Teó­filo, es­tu­dante, mártires. († c. s. IV). Ver páginas 66-69: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

– Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Doroteia_de_Cesareia

5*.   Em Ar­dagh, na Ir­landa, São Melo, bispo. († 488). Ver “Na Irlanda, os Santos Mel, Melchior, Múnio e Rioch, quatro irmãos irlandeses, confessores, que, querem alguns, foram sobrinhos de São Patrício, o imenso apóstolo da Irlanda. Mel, favorecido com o dom da profecia, predisse a grandeza e a santidade de Santa Brigida, a de Kildare. Melchior viveu sempre ao lado Mel. Munio foi bispo de Forgney e Rioch abade de Inisbofinde, no condado de Longford. (Fins do século V)”, na página 70: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

6.   Em Arras, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, São Gastão (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que, en­viado por São Re­mígio, bispo de Reims, para aquela ci­dade de­vas­tada, ca­te­quisou o rei Clóvis, res­ta­be­leceu a Igreja e di­rigiu-a du­rante cerca de qua­renta anos e levou a bom termo a obra de evan­ge­li­zação dos povos ainda pa­gãos da­quela região. († c. 540). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na mesma ocasião, São Gastão, bispo. Catequista de Clóvis e filho espiritual de São Remígio, aproveitou os quarenta anos de seu episcopado para efetivar a evangelização das populações pagãs da Flandres e do Artois. Um mosteiro foi construído mais tarde sobre o seu túmulo e deu origem à cidade de Arras. (M)

7.   Em Elnon, também na Gália Bél­gica, na ac­tual Bél­gica, Santo Amando, bispo de Ma­as­tricht, que anun­ciou a pa­lavra de Deus a muitas pro­vín­cias e povos até às re­giões dos Es­lavos e, fi­nal­mente, ter­minou a sua vida ter­rena num mos­teiro que construíra. († c. 679). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, Santo Amândio. Nascido na Aquitânia, partiu depois de alguns anos de vida solitária para evangelizar a Flandres e o Brabante (na Bélgica), onde, tornando-se bispo, fundou vários mosteiros. Veio a morrer perto de 680 em um deles, que mais tarde tomou seu nome, (M). Ver páginas 60-65: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

– Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Santo_Am%C3%A2ndio

8*.   Na re­gião de Ton­gres, no Bra­bante da Aus­trásia, ac­tu­al­mente também na Bél­gica, Santa Ré­nula ou Rei­nilde, aba­dessa do mos­teiro de Eike. († s. VIII)

9.   Em Pa­les­trina, no Lácio, re­gião da Itália, São Gua­rino, bispo, cé­lebre pela sua aus­te­ri­dade de vida e amor aos pobres. († 1159)

10*.   Em Skara, na Suécia, São Bri­nolfo Algotsson, bispo, ilustre pela sua ci­ência e de­di­cação à Igreja. († 1317)

11*.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, re­gião da Itália, o Beato Ân­gelo de Fúrci, pres­bí­tero da Ordem de Santo Agos­tinho, in­signe no zelo pelo reino de Deus. († 1327)

12.   Em Ângri, perto de Sa­lerno, também na Cam­pânia, Santo Afonso Maria Fusco, pres­bí­tero, que se de­dicou ao mi­nis­tério das mis­sões ru­rais, à for­mação dos jo­vens, es­pe­ci­al­mente dos po­bres e dos ór­fãos, e fundou a Con­gre­gação das Irmãs de São João Baptista. († 1910)

13*.   Em Ri­volta d’Adda, no ter­ri­tório de Cre­mona, na Itália, o Beato Fran­cisco Spinelli, pres­bí­tero, que, su­pe­rando pa­ci­en­te­mente muitas e pro­lon­gadas di­fi­cul­dades, fundou e di­rigiu a Con­gre­gação das Irmãs Ado­ra­doras do San­tís­simo Sacramento. († 1913)

14.   Em Du­rando, ci­dade do Mé­xico, São Ma­teus Correa, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição de­sen­ca­deada contra a Igreja, se re­cusou a obe­decer à ordem de re­velar o se­gredo de con­fissão e por isso re­cebeu a coroa do martírio. († 1927)

15. No deserto de Gaza, na Palestina, no séc. VI, os Santos Barsanúfio e João (conforme Martirológio Romano-Monástico), anacoretas (pessoa que escolhe viver recolhida, afastada do convívio social; monge), que deixaram um grande número de bilhetes de direção espiritual. Depois deles, São Doroteu aparece também, por suas obras místicas, como um dos doutores do monaquismo. Seu discípulo, São Dositeu, foi admirável por sua docilidade no serviço da enfermaria do mosteiro e também por sua paciência na doença que o matou (M)

16. Santo Vedast ou Vaast. Ver páginas 55-59: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

17. Outros santos do dia 06 de fevereiro: págs. 55-72: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 06 de fevereiro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/6_de_fevereiro

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.