Santas e Santos de 20 de julho

1. Santo Apo­li­nário (também na Folhinha do Coração de Jesus de 20 de julho), bispo, que, ma­ni­fes­tando ao povo as in­son­dá­veis ri­quezas de Cristo, ca­mi­nhava à frente do seu re­banho como bom pastor e, se­gundo a tra­dição, honrou com o seu ilustre mar­tírio a Igreja de Classe, em Ra­vena, na Fla­mínia, ac­tu­al­mente na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália. No dia 23 de Julho partiu para o ban­quete eterno. († c. s. II).

– Também lembrado dia 23 de julho.

– Ver “…Apolinário de Ravena, o Santo Apolinário foi o primeiro bispo da cidade de Ravena, sendo seu padroeiro….”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Apolin%C3%A1rio_de_Ravena

Em 23 de julho, Em Classe, pró­ximo de Ra­vena, na Fla­mínia, hoje na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, a co­me­mo­ração de Santo Apo­li­nário, bispo, cuja me­mória é ce­le­brada no dia 20 de Julho. († c. s. II).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, de 23 de julho, perto do ano 200, Santo Apolinário, primeiro bispo de Ravena. Inicialmente exerceu o ministério entre soldados e marinheiros daquela importante cidade portuária e militar do Império. Os duros trabalhos que teve que suportar em seu apostolado sacerdotal e episcopal conferiram-lhe o título de mártir (M).

– Ver também página 290: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

2.   A co­me­mo­ração de Santo Elias o Tesbita, pro­feta do Se­nhor no tempo de Acab e Aca­zias, reis de Is­rael, que rei­vin­dicou os di­reitos do Deus único contra a in­fi­de­li­dade do povo com tanto ardor que pre­fi­gu­rava não só João Bap­tista mas o pró­prio Cristo. Não deixou orá­culos es­critos, mas a sua me­mória é fi­el­mente con­ser­vada, es­pe­ci­al­mente no monte Carmelo.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IX antes da nossa era, o Profeta Elias. Depois de algum tempo de vida solitária, escondida perto da torrente de Carit, a leste do Jordão, deixou inflamar, sobre o monte Carmelo, seu zelo devoto pela fidelidade à Aliança, antes de ir se recolher dentro da fenda do rochedo no alto do monte Horeb, para sentir o suave sopro da voz divina. Foi carregado o céu num turbilhão de fogo, mas retornou na pessoa de João Batista para preparar a vinda do Messias. Em nome de todos os Profetas do Antigo Testamento, Elias deu testemunho da divina missão de Cristo, por ocasião de Sua Transfiguração. (M).

Ver páginas 195-213: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf  

– Ver também “Elias (em hebraico: אֱלִיָּהוּ, transl. Eliyahu, lit. “Meu Deus é Javé“;[1][2] em grego: Ηλίας, transl. Elías; em árabe: إلياس, transl. Ilyās) foi um profeta e taumaturgo que viveu no reino de Israel[3] durante o reinado de Acabe (século IX a.C.)…”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Elias

https://pt.wikipedia.org/wiki/Elias

3.   A co­me­mo­ração de São José Bar­sabás, cha­mado o Justo, dis­cí­pulo do Se­nhor, que os Após­tolos pro­pu­seram, jun­ta­mente com o após­tolo São Ma­tias, para que um deles ocu­passe o lugar de Judas o traidor; mas, em­bora a sorte tenha caído sobre Ma­tias, exer­citou igual­mente o mi­nis­tério da pre­gação e da santidade.

Ver páginas 214-215: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

4.   Em An­ti­o­quia da Pi­sídia, na ac­tual Tur­quia, Santa Ma­rinha, ou Marina ou Mar­ga­rida, que, se­gundo a tra­dição, con­sa­grou o seu corpo a Cristo na san­ti­dade e no martírio. († data inc.).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Antioquia, no fim do séc. III, Santa Margarida, que consagrou seu corpo a Cristo pela virgindade e pelo martírio. Muito popular durante a Idade Média, foi uma das “vozes” de Santa Joana D’Arc. (M). Ver páginas 216-218: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver “Margarida de Antioquia (Antioquia da Pisídia),? – ?, 304 d.C.) também conhecida como Santa Margarida é uma santa cristãvirgem e mártir, inscrita no grupo dos Catorze santos auxiliares, cuja celebração litúrgica se situa, tal como na Igreja Anglicana, a 20 de julho. Na Igreja Ortodoxa é venerada como Marina de Antioquia, três dias antes, a 17 de julho. A sua veracidade histórica não está comprovada. De facto, o papa Gelásio I declarou-a como apócrifa em 494, mas a devoção Ocidental a esta personagem foi reavivada com as Cruzadas. A sua reputação incluía indulgências muito poderosas para todos quanto escrevessem ou lessem a sua vida, ou invocassem a sua intercessão. Não há dúvidas que isto contribuiu decisivamente para o alastramento do seu culto.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Margarida_de_Antioquia

– Ver “Catorze Santos Auxiliares: Catorze santos auxiliares – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

5.   Na Etiópia, São Fru­mêncio, bispo, que, tendo sido pri­si­o­neiro, foi de­pois or­de­nado bispo por Santo Ata­násio e pro­pagou o Evan­gelho nesta região. († s. IV)

6.   Em Car­tago, na ac­tual Tu­nísia, Santo Au­rélio (também na Folhinha do Coração de Jesus, Santo Aurélio de Cartago), bispo, co­luna fir­mís­sima da Igreja, que pro­tegeu os fiéis contra os cos­tumes pa­gãos e es­ta­be­leceu a sede epis­copal no lugar onde antes se en­con­trava uma es­tátua da deusa Celeste. († c. 430).

– Ver páginas 219-220: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver “Aurélio de Cartago (em latimAurelius Episcopus Carthaginensis) foi um santo cristão que morreu por volta de 430. Foi bispo de Cartago desde cerca de 391 e deixou vários conselhos eclesiásticos da doutrina Cristã. Agostinho de Hipona admirava o trabalho de Aurélio e várias cartas destes sobreviveram ao tempo. A festa de Santo Aurélio, no calendário da Igreja Católica Romana é 20 de julho”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Aur%C3%A9lio_de_Cartago

7.   No ter­ri­tório de Bou­logne, na Gália, ac­tu­al­mente na França, São Vul­maro, pres­bí­tero, que da con­dição de hu­milde pastor foi con­du­zido aos es­tudos e ad­mi­tido ao mi­nis­tério sa­cer­dotal; de­pois re­tirou-se num ermo para viver se­gundo o cos­tume dos pa­dres an­tigos e fi­nal­mente fundou em Haut­mont, no Hai­naut, entre os bos­ques da sua terra natal, dois mos­teiros, um para os monges e outro para as sa­gradas virgens. († c. 700).

8.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, São Paulo (também na Folhinha do Coração de Jesus, São Paulo da Espanha), diá­cono e mártir, que, ins­truído pelo exemplo e pela pa­lavra de São Si­se­nando, não teve medo de cen­surar aos prín­cipes e ma­gis­trados dos Mouros a fal­si­dade do seu culto e foi morto con­fes­sando a fé em Cristo como ver­da­deiro Deus. († 851).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Córdova, em 851, São Paulo, diácono, martirizado ao confessar a divindade de Cristo diante do Islamismo. (M)

9*.   Em Hil­desheim, na Sa­xónia, re­gião da ac­tual Ale­manha, o Beato Ber­nardo, bispo, que, em­bora cego, go­vernou a sua Igreja du­rante vinte e três anos. († 1153)

10.   Em Seul, na Co­reia, as santas Ma­da­lena Yi Yong-hui, Te­resa Yi Mae-im, Marta Kim Song-im, Luzia Kim, Rosa Kim, Ana Kim Chang-gum e Maria Won Kwi-im, virgem, e São João Bap­tista Yi Kwang-nyol, mártires. († 1839)

11.   Em Nam Dinh, ci­dade do Ton­quim, no ac­tual Vi­etnam, São José Maria Díaz Sanjurgo, bispo da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, na per­se­guição de­sen­ca­deada pelo im­pe­rador Tu Duc, foi con­de­nado à morte em ódio à fé cristã. († 1857)

12.   Em Zhou­jiahe, ci­dade pró­xima de Ying­xian, no Hebei, pro­víncia da China, a paixão dos santos Leão Inácio Mangin e Paulo Denn, pres­bí­teros da Com­pa­nhia de Jesus, que, na per­se­guição de­sen­ca­deada pela seita dos “Yihe­tuan”, quando con­for­tavam ar­den­te­mente os fiéis reu­nidos na igreja, foram sur­pre­en­didos pelos ini­migos que ir­rom­peram no templo e mortos di­ante do altar. Com eles pe­receu também Santa Maria Zhou Wuzhi, que, in­ten­tando pro­teger com o seu corpo São Leão, mi­nistro da sa­grada Eu­ca­ristia, caiu fe­rida de morte. († 1900).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1900, o martírio do Bem-Aventurado Leão-Inácio Mengin, jesuíta de Lorena, que confessou a fé cristã até o derramamento de sangue, juntamente com outros cinquenta e quatro católicos chineses. (X)

13.   Em Lu­ji­azhuang, pró­ximo de Ying­zian, também no Hebei, São Pedro Zhou Rixin, mártir, que, na mesma per­se­guição dos “Yihe­tuan”, pe­rante as in­sis­tên­cias do pre­feito para ab­jurar, negou poder re­negar a sua fé no Deus cri­ador do mundo, e por isso foi decapitado. († 1900)

14.   Em Da­li­acum, ci­dade pró­xima de Wuyi, na mesma pro­víncia da China, Santa Maria Fu Guilin, uma pro­fes­sora que, na mesma per­se­guição, foi en­tregue às mãos dos ini­migos do Evan­gelho de Cristo e morreu de­ca­pi­tada en­quanto in­vo­cava Cristo Salvador. († 1900)

15.   Em Wuqiao Zha­ojia, também no Hebei, a co­me­mo­ração das santas Maria Zhao Guozhi e suas fi­lhas Rosa Zhao e Maria Zhao, que, na mesma per­se­guição, para não serem vi­o­ladas se lan­çaram num poço; mas foram de lá re­ti­radas e con­su­maram o seu martírio. († 1900)

16.   Em De­chau, também no Hebei, a co­me­mo­ração de São Xi Guizi, mártir, que, ainda ca­te­cú­meno, na praça em tu­multo de­clarou ser cristão e, di­la­ce­rado pelos golpes dos ini­migos da fé, foi bap­ti­zado com o seu sangue. († 1900)

17*.   Em Ma­drid, na Es­panha, as be­atas Rita Do­lores do Co­ração de Jesus (Rita Do­lores Pu­jalte y Sán­chez) e Fran­cisca do Co­ração de Jesus (Fran­cisca Aldea y Araújo), vir­gens da Con­gre­gação das Irmãs da Ca­ri­dade do Sa­grado Co­ração de Jesus e már­tires, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa na guerra civil, foram presas pelos ini­migos da Igreja na ca­pela do co­légio e pouco de­pois fu­zi­ladas na praça pública. († 1936)

18♦.   Em Se­vilha, na Es­panha, o Beato An­tónio Fer­nandez Camacho, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que, na mesma per­se­guição contra a Igreja, con­firmou com o seu sangue a sua fi­de­li­dade ao Senhor. († 1936)

19♦.   Em Ma­drid, na Es­panha, os be­atos Luís Fu­rones Furones (Abraão Fu­rones Fu­rones), pres­bí­tero, e Ja­cinto Garcia Riesco, re­li­gioso, ambos da Ordem dos Pre­ga­dores e már­tires, que, na mesma per­se­guição, pela sua in­ven­cível cons­tância na fé al­can­çaram o reino celeste. († 1936)

20♦.   Em Bar­ce­lona, na Es­panha, os be­atos már­tires Lucas de São José (José Tristañy Pujol), pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços, e João José de Jesus Crucificado (João Pá­fila Mon­tlleó), pres­bí­tero da Ordem da San­tís­sima Trin­dade, que, na mesma per­se­guição, me­re­ceram di­ante de Deus om­ni­po­tente a palma da vitória. († 1936)

21♦.   Em Moiá, perto de Bar­ce­lona, na Es­panha, o Beato Jorge de São José (An­tónio Bosch Ver­dura), pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a Igreja, al­cançou a re­com­pensa eterna pelo com­bate da fé. († 1936)

22. Santa Severa, na Folhinha do Coração de Jesus.

– Em Trèves, Santa Severa, virgem, irmã de Modoaldo, bispo daquela cidade. Falecida em 660. Ver página 224: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver “… Severa (Sevère) de Villeneuve, Abadessa (RM). Santa Severa, irmã de São Modoald de Trier, foi a primeira abadessa de Santa Gema (mais tarde Sainte-Sevère) em Villeneuve, na diocese de Bourges (Beneditinas)”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly20.html

23. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no começo do séc. VIII, São Vulmério, eremita. Os discípulos que vieram reunir-se em torno dele formaram um novo centro de vida monástica em Flandres, que se colocou mais tarde sob seu patrocínio. (M)

24. Bem-Aventurado Gregório Lopes, confessor. Ver páginas 221-223: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

25. No ano do Senhor de 833, Santo Ansegísio, nobre franco, excelente administrador do imperador. Foi nomeado abade de Fontenelle. (X)

– Ver “… Sob Ansegisus, os monges de Fontenelle tornaram-se famosos por sua biblioteca e seu scriptorium, e não menos pelo trabalho do abade em fazer uma coleção de capitulares, que por muito tempo permaneceram um livro de leis oficial no império. Essas capitulares eram leis ou decretos promulgados pelos reis francos, e a coleção de Ansegisus foi dividida em livros contendo decretos civis e eclesiásticos de Carlos Magno e Luís…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly20.html

26. Santa Vilgeforte, ou Santa Liberata. Ver  “Vilgeforte,[3] também conhecida como Santa Liberata[1] (Lusitâniac. 119 — Lusitânia, c. 139), é uma santa lendária de tradição católica, cuja lenda data do século XIV.[4] Retratada como uma mulher barbada, algumas referências indicam que o seu nome provém do alto-alemão antigo heilige Vartez (santa face),[5] uma tradução do italiano Volto Santo, e outras referências indicam que teria se originado do latim virgo fortis (virgem forte).[6]

Na Inglaterra, é conhecida como Uncumber (não oprimida), em holandês como Ontkommer (libertada), e em alemão como Kümmernis (aflita ou ansiosa). Na Itália e Galiza é conhecida por Liberata, em Espanha por Librada (libertada), e na França por Débarras (libertada). Na cidade espanhola de Siguença, é por vezes confundida com a Santa Liberata, uma das irmãs de Santa Marinha de Águas Santas, cuja festa litúrgica também é celebrada a 20 de julho.[7] É considerada a padroeira das mulheres malcasadas…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Vilgeforte

– Ver também: página 224: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

27. Outros santos do dia 20 de JULHO, páginas: 183 -224

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-

%2013.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 20 de julho, ver ainda: 20 de julho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 560-563: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-

%201.pdf

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR

COM ENTUSIASMO E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

OBSERVAÇÕES:

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

* “O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

* “Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

* “Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa  morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO! DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA! MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS! EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!