Santas e Santos de 14 de agosto

1. Me­mória de São Ma­xi­mi­liano Maria Kolbe (Rai­mundo), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Con­ven­tuais e mártir, fun­dador da Mi­lícia de Maria Ima­cu­lada, que, de­por­tado para di­versos lu­gares de ca­ti­veiro e en­cer­rado fi­nal­mente no campo de con­cen­tração de Aus­chwitz, pró­ximo de Cra­cóvia, na Po­lónia, se ofe­receu aos al­gozes para subs­ti­tuir um com­pa­nheiro de prisão con­de­nado à morte, trans­for­mando o seu mi­nis­tério num ho­lo­causto de ca­ri­dade e exemplo de fi­de­li­dade a Deus e aos homens. († 1941).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no campo de extermínio de Auschwitz, em 1941, São Maximiliano Maria Colbe (também na folhinha do Coração de Jesus), frade menor conventual polonês que se ofereceu para substituir um prisioneiro, pai de família, condenado à morte. Foi assassinado com uma injeção de veneno na véspera da Assunção da Virgem Imaculada (X).

– Ver “…São Maximiliano Maria Kolbe nascido Rajmund KolbeO.F.M. Conv. (Zduńska WolaPolônia8 de janeiro de 1894 – Auschwitz14 de agosto de 1941), foi um padre missionário franciscano da Polônia. Morreu como mártir no campo de extermínio de Auschwitz, como voluntário para morrer de fome no lugar de Franciszek Gajowniczek como castigo pela fuga de um outro prisioneiro, que lhe deu o privilégio de ser aceito pelo Estado de Israel como Justo entre as Nações.

Foi canonizado pelo seu compatriota, o Papa São João Paulo II, em 10 de Outubro de 1982, na presença de Franciszek, que sobreviveu aos horrores de Auschwitz. O próprio Papa, em numerosos textos, chama-o de “Santo do nosso século difícil”.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Maximiliano_Maria_Kolbe

2.   No Hi­lí­rico, na ho­di­erna Croácia, Santo Ur­si­cino, mártir. († s. IV)

– Ver “… Ele era um tribuno da Ilíria (atual Albânia ) servindo no exército do imperador Diocleciano (r. 284-305). Preso por ser cristão, ele foi decapitado em Nicomedia (na moderna Turquia). Ursicius de Nicomedia um tribuno do exército imperial de Illyrium, foi decapitado sob Diocleciano em Nicomedia (Beneditinos) M (RM)”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust14.html

3.   Em Apa­meia, na Síria, São Mar­celo, bispo e mártir, que foi morto pelos pa­gãos, en­fu­re­cidos por ele ter des­truído um templo de­di­cado a Júpiter. († c. 390).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, em Apaméia, na Síria, perto de 390, São Marcelo, bispo, martirizado por ter desejado fazer reconhecer a soberania de Cristo derrubando o templo de Júpiter. (M)

– Ver “… São Marcelo, Bispo de Apamaea, Mártir. Entre os empreendimentos do imperador Teodósio, o Grande estava a tentativa de cristianizar completamente o Império Romano, e em 380 ele e o co-imperador, Graciano, emitiram um decreto que todos os seus súditos deviam professar a fé dos bispos de Roma e Alexandria. Oito anos depois, ele enviou um oficial ao Egito, Síria e Ásia Menor, cujo dever era fazer cumprir um decreto de que todos os templos pagãos deveriam ser destruídos; essa política violenta foi executada de forma muito rude e, de maneira natural, despertou a raiva e o ressentimento dos pagãos. Quando o prefeito imperial chegou a Apamaea, na Síria, ele colocou seus soldados para trabalhar para demolir o templo de Zeus ali, mas era uma construção grande e bem construída e os soldados, sendo inexperientes em demolições sistemáticas, fizeram pouco progresso. O bispo do lugar era Marcelo. Ele disse ao prefeito para levar seus homens para o próximo trabalho e, em sua ausência, seriam procurados meios para destruir o templo com eficiência. No dia seguinte, um marinheiro veio ao bispo e disse que, se ele lhe pagasse o dobro do salário, ele mesmo poderia fazer o trabalho. São Marcelo concordou, e o homem começou a demolir o templo com o simples artifício de minar algumas das colunas de suporte, erguendo as fundações com madeira e, em seguida, queimá-lo, quase da mesma forma que um alto pedúnculo de chaminé é trazido para baixo hoje. Marcelo passou a tratar de outros templos dessa maneira, até que foi a um em certo lugar não identificado; este edifício era fortemente defendido por aqueles que nele cultuavam, e o bispo tinha “que assumir uma posição longe da cena do conflito, fora do alcance das flechas, pois ele sofria de gota e por isso também não foi capaz de lutar ou fugir”. Mas enquanto ele observava desse ponto de vista, alguns dos pagãos avançaram sobre ele, agarraram-no e mataram-no, jogando-o nas chamas. Os filhos de São Marcelo (ele era casado) depois quiseram se vingar de seus assassinos, mas o conselho da província os proibiu, dizendo que deveriam se alegrar por Deus ter considerado seu pai digno de morrer por Sua causa. Este São Marcelo não deve ser confundido com outro São Marcelo, nascido em Apamaea e abade em Constantinopla, cuja festa se celebra no dia 29 de dezembro (VER). O relato na Acta Sanctorum , agosto, vol. iii, parece ter reunido tudo o que se sabe sobre este Marcelo. Theodoret, Eccies . Hist ., Bk v, ch. 21, é a autoridade principal. Na arte, São Marcelo é mostrado derrubando uma estátua de Júpiter (Roeder).”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust14.html

4.   Em Roma, Santo Eu­sébio, que edi­ficou a igreja do seu tí­tulo no monte Es­qui­lino.

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no séc. IV, o Bem-Aventurado Eusébio, que fundou uma igreja no Esquilino, mais tarde a ele dedicada. Desde então, os fiéis, reconhecidos, nela celebram a cada ano o aniversário de sua morte (M). († s. IV-V).

– Ver “…Eusébio de Roma (m. c. 357) foi o fundador da igreja no Monte Esquilino, em Roma, que leva seu nome e está listado no Martirológio Romano como um dos santos venerados no dia 14 de agosto…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Eus%C3%A9bio_de_Roma

5.   Em Ross, na Ir­landa, São Fa­ca­nano, bispo e abade, que ali cons­truiu um mos­teiro, cé­lebre pelo en­sino de ci­ên­cias sa­gradas e humanas. († s. VI)

– Ver “… St Fachanan é outro santo irlandês de quem nenhuma biografia antiga sobreviveu. Ele é citado, porém, neste dia no Félirede Oengus e é descrito como “filho de Mongach, o filho do guerreiro, um belo cativo”. Há também uma referência passageira a ele e à sua escola na vida latina de São Moehoemog. Veja O’Hanjon, LIS., Vol. viii, pp. 191 seq.6º v. Fachanan de Ross B (AC). Morreu no final do século VI. Santo Fachanan pode ter sido o primeiro bispo de Ross, na Irlanda, da qual ele é o patrono. Ele fundou a escola monástica de Roscarbery (ou Ross-Altair em County Cork) e nomeou São Brendan como um de seus professores (Beneditinos, Montague) .”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust14.html

6.   Em Ou­den­burg, na Flan­dres, ac­tu­al­mente na Bél­gica, o pas­sa­mento de Santo Ar­nolfo, bispo de Sois­sons, que deixou a vida mi­litar para abraçar a vida mo­nás­tica e, eleito bispo, tra­ba­lhou ar­du­a­mente pela paz e con­córdia, e morreu fi­nal­mente no mos­teiro por ele fundado. († 1087)

– Ver “Arnaldo de Soissons (1040–1087), também chamado Arnold ou Arnulf de Oudenburg, foi um santo católico de origem belga, conhecido como padroeiro dos coletores de lúpulo e dos cervejeiros da Bélgica… Em um de seus milagres mais conhecidos, o teto da cervejaria da abadia desabou, comprometendo boa parte do abastecimento. Santo Arnoldo, então, pediu a Deus para multiplicar o que sobrou da bebida e suas preces foram prontamente atendidas, fazendo a alegria dos monges e da comunidade.”: https://medium.com/cervejeiros-confessos/santos-cervejeiros-santo-arnaldo-de-soissons-ddda7b1ccc6c

7*.   Pró­ximo de Mon­te­ba­róccio, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, o Beato Santo de Ur­bino Brancorsíni, irmão leigo da Ordem dos Menores. († 1390).

– Ver página 429-430: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

8*.   Em Otranto, na Apúlia, re­gião da Itália, cerca de oi­to­centos santos már­tires, que, cons­tran­gidos a re­negar a fé du­rante uma in­cursão dos sol­dados oto­manos, mas exor­tados por Santo An­tónio Primaldo, idoso te­celão, a per­se­verar na fé de Cristo, foram de­ca­pi­tados e re­ce­beram a coroa do martírio. († 1480).

– No VIDAS DOS SANTOS, o Bem-Aventurado Primaldi, com oitocentos outros mártires, em Otranto.

Ver páginas 422-427: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

– Ver “… Mártires de Otranto, assim são chamados os 800 italianos assassinados durante o cerco dos otomanos em 1480 na cidade de Otranto e que foram canonizados no dia 12 de maio de 2013 pelo Papa Francisco.[1]

Depois da conquista de Constantinopla em 1453, o Império Otomano tinha como objetivo a expansão na Itália meridional. Por isto, em 28 de julho de 1480, uma esquadra com 140 navios e 15 mil homens desembarcou em Otranto, que na época era um vilarejo que não passava de 6 mil habitantes. O plano consistia em iniciar a conquista pela Itália meridional, naquele momento a cidade estava indefesa, já que o exército aragonês estava empenhado em lutas na Toscana. Os habitantes da cidade recusaram a rendição e esta ficou sob bombardeio até o dia 12 de agosto, quando caiu, os otomanos então a saquearam, profanaram a Catedral e assassinaram o bispo Stefano, todos os cônegos, clérigos e leigos que ali se refugiaram.[2]

No dia seguinte, o comandante da esquadra Gedik Achmed Paciá, cristão libanês convertido ao islamismo, obrigou a todos os homens acima de 15 anos de idade – cerca de oitocentos, fossem conduzidos ao acampamento turco e obrigados a negar a sua fé. A resposta foi dada prontamente em nome de todos pelo leigo Antônio Primaldo, que disse: “Nós acreditamos em Jesus Cristo Filho de Deus, em quem somos salvos. Preferimos morrer mil vezes do que O negar e de nos tornarmos mulçumanos“”.[3]

Diante da recusa Pasciá determinou a morte dos oitocentos que foram decapitados e tiveram os seus corpos dilacerados. Durante um ano os cadáveres ficaram expostos no local do martírio, na colina chamada dos mártires, até serem encontrados em maio de 1481, pelas tropas aragonesas que regressaram para libertar Otranto dos otomanos. Os seus restos mortais foram colocados na igreja ao lado, na fonte da Minerva, e depois transferidos para a Catedral, alguns desses corpos, por desejo de Afonso de Aragão foram levados para Nápoles.

Segundo o Cardeal Angelo Amato, sob o ponto de vista religioso “o comportamento desses 800 homens é um exemplo extraordinário de solidez cristã, de defesa da própria identidade batismal e é também um brado de liberdade de consciência humilhada pela negação dos direitos humanos fundamentais.”…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A1rtires_de_Otranto

9.   Em Na­ga­sáki, no Japão, os santos már­tires Do­mingos Ibáñes de Erquícia, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, e Fran­cisco Shoyemon, no­viço da mesma Ordem, ca­te­quista, que, em ódio ao nome cristão, foram mortos pelo co­man­dante su­premo To­ku­gawa Yemítsu. († 1633)

10*.   Em Co­riano, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, a Beata Isabel Rénzi, virgem, fun­da­dora da Con­gre­gação das Pi­e­dosas Mes­tras de Nossa Se­nhora das Dores, que de­dicou toda a sua energia para que as jo­vens po­bres ti­vessem uma for­mação hu­mana e ca­tequé­tica nas escolas. († 1859)

11*.   Em Pi­cas­sent, lo­ca­li­dade da pro­víncia de Va­lência, na Es­panha, o Beato Vi­cente Ru­biols Castelló, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, deu tes­te­munho de Cristo com o martírio. († 1936)

12*.   Em El Saler, junto da ci­dade de Va­lência, na Es­panha, o Beato Félix Yuste Cava, pres­bí­tero e mártir, que, em vir­tude da sua in­tré­pida fi­de­li­dade, re­cebeu do Se­nhor a re­com­pensa eterna. († 1936)

13♦.   Perto de Bar­ce­lona, também na Es­panha, a Beata Maria do Pa­tro­cínio de São José (Maria de Puig­gra­ciós Jo­sefa Fran­cisca Badia Fla­quer), virgem da Ordem das Car­me­litas e mártir, que, na mesma per­se­guição, me­receu en­trar no ban­quete ce­leste. († 1936)

14. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de Nimega, na Holanda, São Verenfrido, monge inglês, que evangelizou os Países-Baixos juntamente com São Vilibrordo (M).

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. X, o Bem-aventurado Everardo (Santo Eberaldo, também na folhinha do Coração de Jesus), sacerdote da diocese de Estrasburgo, que se juntou ao bem-aventurado Beno de Metz em Einsiedeln, hoje abadia beneditina e célebre lugar de peregrinação mariana na Suíça. (X)

16. Santa Atanásia, também na folhinha do Coração de Jesus.

– Ver “Santa Atanásia era casada. Ela não só era casada, mas também duas vezes. Ambas as vezes ela o fez com relutância.

A primeira vez que seus pais arranjaram um casamento com um oficial do exército. Embora Atanásia tivesse preferido a vida religiosa, ela prontamente atendeu aos desejos deles. Três semanas após o casamento, seu marido foi morto em uma batalha contra um grupo de invasores mouros da Espanha. A selvageria dessas incursões dizimou tanto a população de Egina que as autoridades aprovaram uma lei que torna o celibato ilegal. Então, Athanasia se casou novamente.
   Ela estava igualmente ligada ao seu segundo esposo. Juntos, eles levaram uma vida de boas obras e oração para que seu lar se tornasse um centro de atividade religiosa. Sua riqueza permitiu-lhes os meios para estender uma caridade considerável aos necessitados. Em uma divisão de trabalho, Athanasia visitava os enfermos em suas casas na cidade e no campo, enquanto seu marido permanecia em casa e dava ajuda a todos os que vinham a eles. Aos domingos, Athanasia dirigia grupos de leitura da Bíblia.
Após alguns anos de casamento, seu marido decidiu se tornar monge. Ele entregou todas as suas propriedades para Athanasia, para que ela pudesse continuar seu trabalho. Quando ele entrou no mosteiro, Atanásia transformou sua casa em um convento. As irmãs levaram uma vida extremamente austera, moderada pela hábil orientação de um abade chamado Matthias, que também sugeriu que mudassem o convento para um local mais isolado chamado Tamia.
  O mosteiro cresceu e prosperou tanto em Tamia que a fama de Atanásia chegou aos ouvidos da imperatriz em Constantinopla. Teodora, esposa do Imperador Teófilo, o Iconoclasta, chamou-a a Constantinopla para ajudá-la a restaurar a veneração das imagens. Atanásia permaneceu em Constantinopla por sete anos e adoeceu mortalmente logo após seu retorno a Tamia. No entanto, Atanásia continuou a frequentar o ofício divino até a véspera de sua morte (Beneditinos, Enciclopédia).
Na arte, Santa Atanásia é representada tecendo. Há uma estrela sobre ela ou em seu seio. Às vezes, a imagem incluirá a Imperatriz Theodora (Roeder). Ela é venerada na Igreja Oriental (Roeder)…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust14.html

17. Bem-Aventurado Alberto Pandoni, bispo. Ver pág. 428: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

18. utros santos do dia 14 de agosto, páginas: 422-431: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santase Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 14 de agosto, ver ainda: 14 de agosto – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  635-637: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust14.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.