Santas e Santos de 07 de agosto

Me­mória dos santos Sisto II (também na Folhinha do Coração de Jesus), papa, e companheiros, már­tires. O papa São Sisto, quando ce­le­brava os santos mis­té­rios e en­si­nava aos ir­mãos os man­da­mentos ce­lestes, por força do edito do im­pe­rador Va­le­riano foi ines­pe­ra­da­mente preso pelos sol­dados e de­go­lado no dia seis de Agosto; com ele so­freram o mar­tírio quatro diá­conos, que foram se­pul­tados com o pon­tí­fice em Roma, no ce­mi­tério de Ca­listo, junto à Via Ápia. No mesmo dia também os santos Aga­pito e Fe­li­cís­simo, seus diá­conos, pa­de­ceram o mar­tírio no ce­mi­tério de Pre­tex­tato, onde também foram se­pul­tados. († 258). Anotação de 06 de agosto: Em Roma, junto à Via Ápia, no ce­mi­tério de Ca­listo, a paixão de São Sisto II, papa, e seus com­pa­nheiros (dia 07 de agosto, também na Folhinha do Coração de Jesus), cuja me­mória se ce­lebra amanhã. († 258). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, de 07 de agosto, em 258, São Xisto II, papa, vítima do segundo edito do imperador Valeriano contra os cristãos. Segundo um testemunho de seu tempo, foi preso enquanto celebrava a liturgia juntamente com quatro diáconos, no cemitério de Calixto, em Roma. (R). Ver, no VIDAS DOS SANTOS, São Sixto, Papa Santos Felicíssimo, Agapito e Companheiros: quatro Diáconos, Janeiro, Magno, Vicente e Estêvão e outros dois, Felicíssimo e Agapito. Um sétimo, Lourenço, foi morto alguns dias depois. Ver páginas 187-189: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

São Ca­e­tano de Thiene (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, que em Ná­poles, na Cam­pânia, re­gião da Itália, se de­dicou pi­e­do­sa­mente a obras de ca­ri­dade, es­pe­ci­al­mente em favor dos en­fermos in­cu­rá­veis, pro­moveu as­so­ci­a­ções para a for­mação re­li­giosa dos leigos e ins­ti­tuiu os Clé­rigos Re­grantes para a re­no­vação da Igreja, re­co­men­dando aos seus dis­cí­pulos a norma de imitar a pri­mi­tiva vida apostólica. († 1547). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Nápoles, no ano de 1547, a volta para Deus de São Caetano de Thiene, sacerdote. Fundou, junto com João Pedro Caraffa, o futuro Papa Paulo IV, uma congregação de clérigos regulares conhecidos como Teatinos, chamados a viver na comunhão fraterna e no ministério apostólico. Contribuiu assim com o recrudescimento católico italiano do século XVI. (R). Ver páginas 193-205: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

3.   Em Augs­burgo, na Récia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, Santa Afra, mártir, que, con­ver­tida de uma vida de pe­cado à fé cristã, se­gundo se narra, ainda não bap­ti­zada foi lan­çada ao fogo por dar tes­te­munho de Cristo. († 304). Ver dia 05 de agosto: . Santa Afra e seus companheiros. Ver páginas 156-161: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

4.   Em Arezzo, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, São Do­nato, o se­gundo bispo desta sede, do qual o papa São Gre­gório Magno louva a vir­tude e a efi­cácia da oração. († s. IV)

5.   Em Cha­lons, na Gália Bél­gica, hoje na França, São Do­na­ciano, bispo. († s. IV)

6.   Em Ruão, também na Gália Bél­gica, hoje na França, São Vi­trício (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que, ainda sol­dado, por ter dei­xado o exér­cito no tempo do im­pe­rador Ju­liano para se­guir a Cristo, foi sub­me­tido pelo tri­buno a muitas tor­turas e con­de­nado à morte; mas, al­can­çando a li­ber­dade, de­pois de ter sido con­sa­grado bispo, con­duziu à fé cristã as fo­gosas po­pu­la­ções dos Mo­rinos e dos Nér­vios, na Gália Setentrional. († c. 410). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. V, São Vitrício, amigo de São Martinho. Missionário nas regiões de Artois e de Flandres, organizou as primeiras paróquias rurais da diocese de Rouen, da qual foi bispo. (M)

7*.   Em Be­sançon, na Bor­gonha, também na ac­tual França, São Do­nato, bispo, que compôs uma Regra para as Vir­gens se­gundo os en­si­na­mentos dos santos Bento, Co­lum­bano e Cesário. († d. 658)

8*.   No ter­ri­tório da Ve­nécia, hoje na re­gião do Vé­neto, na Itália, o Beato Jordão Forsaté, abade, que fundou mos­teiros em Pádua e, não tendo po­dido, apesar de todos os es­forços, evitar a ruína da sua pá­tria, foi para o exílio onde viveu de modo ir­re­pre­en­sível e, dei­xando ad­mi­rável exemplo de vir­tude con­su­mada e de sa­be­doria, ador­meceu pi­e­do­sa­mente no Senhor. († c. 1248)

9*.   Em Mes­sina, na Si­cília, re­gião da Itália, Santo Al­berto dégli Abbáti, pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas, que pela sua pre­gação con­verteu muitos ju­deus a Cristo e, du­rante o cerco da ci­dade, foi in­ter­me­diário providente. († c. 1306/1307). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Sicília, no ano do Senhor de 1306, Santo Alberto, sacerdote carmelita, que por sua palavra e por seus milagres operou inúmeras conversões, sobretudo entre os judeus. (M).

10*.   Em Sas­so­fer­rato, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, também re­gião da Itália, o Beato Al­berto, monge da Ordem dos Ca­mal­du­lenses, in­signe pela sua vida aus­tera e pela fiel ob­ser­vância da Regra. († 1350)

11*.   Em L’Áquila, no ter­ri­tório dos Ves­tinos, também na ho­di­erna Itália, o Beato Vi­cente, re­li­gioso da Ordem dos Me­nores, ilustre pela sua hu­mil­dade e es­pí­rito de profecia. († 1504)

12*.   Em Gondar, na Etiópia, os be­atos Aga­tân­gelo de Vendôme (Fran­cisco Nourry) e Cas­siano de Nantes (Gon­çalo Vaz Lopes-Neto de Nantes), pres­bí­teros da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos e már­tires, que, na Síria, Egipto e Etiópia pro­cu­raram re­con­ci­liar os cris­tãos se­pa­rados com a Igreja ca­tó­lica; mas, por ordem do rei da Etiópia, foram sus­pensos das ár­vores com os seus pró­prios cor­dões fran­cis­canos e fi­nal­mente ape­dre­jados até à morte. († 1638)

13*.   Em Len­castre, na In­gla­terra, os be­atos Mar­tinho de São Félix (João Wo­od­cock), da Ordem dos Frades Me­nores, Edu­ardo Bamber e Tomás Whi­taker, pres­bí­teros e már­tires, que, por serem sa­cer­dotes e en­trarem nos do­mí­nios do rei Carlos I, so­freram o su­plício da forca. († 1646)

14*.   Em York, também na In­gla­terra, o Beato Ni­colau Post­gate, pres­bí­tero e mártir, que, no rei­nado de Carlos II, que por ser sa­cer­dote e ter exer­ci­tado clan­des­ti­na­mente o seu mi­nis­tério entre os po­bres du­rante cerca de cin­quenta anos, foi sus­penso no patíbulo. († 1679)

15*.   Em Gorka Du­chowna, ci­dade pró­xima de Poznam, na Po­lónia, o Beato Ed­mundo Bo­ja­nowski, que se de­dicou ar­do­ro­sa­mente à ins­trução dos po­bres e po­pu­la­ções ru­rais se­gundo os pre­ceitos do Evan­gelho e fundou a Con­gre­gação das Es­cravas do Ima­cu­lado Co­ração da Mãe de Deus. († 1871)

16.   Em Co­lima, no Mé­xico, São Mi­guel de la Mora, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a Igreja, por ser sa­cer­dote foi co­roado com o martírio. († 1927)

17♦.   Em Los Yé­banes, pró­ximo de To­ledo, na Es­panha, os be­atos Te­o­dósio Rafael (Di­o­doro López Her­nando), Carlos Jorge (Dal­mácio Bel­lota Pérez) e Eus­tá­quio Luís (Luís Vil­la­nueva Mon­toya), re­li­gi­osos da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e már­tires, que, du­rante a per­se­guição contra a Igreja, re­ce­beram dos ho­mens a morte, mas de Deus a vida eterna. († 1936)

18. Santo Hiperéquio, monge. Ver páginas 206-207: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

19. Outros santos do dia 07 de agosto: págs. 193-209 (falta página 193 no link), em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.