Santas e Santos de 23 de agosto

Santa Rosa (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que, in­signe desde tenra idade pela sua aus­tera so­bri­e­dade de vida, tomou em Lima, ci­dade do Peru, o há­bito das Irmãs da Ordem Ter­ceira de São Do­mingos; de­di­cada à pe­ni­tência e à oração, e ar­dente de zelo pela sal­vação dos pe­ca­dores e das po­pu­la­ções ín­dí­genas, as­pi­rava a dar a vida por eles, sub­me­tendo-se es­pon­ta­ne­a­mente a todo o gé­nero de sa­cri­fí­cios, a fim de con­quistar a todos para Cristo. A sua morte ocorreu no dia 24 de Agosto. († 1617). Conforme o Martírio Romano-Monástico, em 1617, o nascimento no céu de Santa Rosa de Lima, a “Primeira Flor de Santidade do Peru”. Desejando consagrar a Deus sua grande beleza física, tomou o hábito da Ordem Terceira Dominicana para testemunhar contra a sociedade próspera e materialista em que vivia. Morreu aos trinta e um anos na cidade de Lima.  (R)

2.   Co­me­mo­ração de São Za­queu (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que, se­gundo a tra­dição, foi o quarto bispo, de­pois do após­tolo São Tiago, irmão do Se­nhor, a di­rigir a Igreja de Jerusalém. († s. II).

3.   Em Roma, no ce­mi­tério de São Lou­renço, junto à Via Ti­bur­tina, os santos Abúndio e Ireneu, mártires. († data inc.)

4.   Em Óstia, no Lácio, re­gião da Itália, os santos Ci­ríaco e Ar­quelau, mártires. († data inc.)

5.   Em Sistov, na Mésia In­fe­rior, hoje na Ro­ménia, São Lopo, mártir, que, se­gundo a tra­dição, al­cançou a li­ber­dade de Cristo, so­frendo o mar­tírio ao fio da espada. († data inc.)

6.   Em Egeia, na Ci­lícia, hoje na Tur­quia, os santos már­tires Cláudio, As­tério e Neon, ir­mãos, que, acu­sados pela sua ma­drasta de serem cris­tãos, foram de­go­lados, se­gundo a tra­dição, no tempo do im­pe­rador Di­o­cle­ciano e do go­ver­nador Lísias. († 303). Conforme o Martírio Romano-Monástico, na mesma época, na Ásia Menor, o martírio dos Santos Cláudio, Astério e Neônio. Ao governador que os convocara a sacrificar aos ídolos, Cláudio respondeu: “Ao meu Deus não agradam sacrifícios como estes. Ele se alegra com as obras de misericórdia e com a vida irrepreensível. Sofrer é um grande ganho, e morrer por Cristo é para mim a maior fortuna (M).

7.   Em Autun, na Gália Li­o­nense, na ac­tual França, São Fla­viano, bispo, que res­plan­deceu no tempo do rei Clodoveu. († s. V-VI)

8*.   Em Lon­don­derry, na Ir­landa, Santo Eu­génio, pri­meiro bispo de Ardstraw. († s. VI)

9*.   No mos­teiro de São Fi­lipe, pró­ximo de Lo­cros, na Ca­lá­bria In­fe­rior, re­gião da Itália, Santo An­tónio de Gerace, eremita. († s. X)

10*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato João Bourdon (Pro­tásio de Séez), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, preso com muitos ou­tros sa­cer­dotes, as­sistiu e con­fortou os com­pa­nheiros de ca­ti­veiro, até que, fi­nal­mente, morreu con­ta­giado pela enfermidade. († 1794)

11*.   Em Ta­bernes de Vall­digna, lo­ca­li­dade da pro­víncia de Va­lência, na Es­panha, os be­atos már­tires Cons­tan­tino Car­bo­nell Sempere, pres­bí­tero, Pedro Ge­la­bert Amer e Rai­mundo Gri­maltós Monllor, re­li­gi­osos da Com­pa­nhia de Jesus, que so­freram o mar­tírio du­rante a per­se­guição contra a fé. († 1936)

12*.   Em Vall­bona, também na pro­víncia de Va­lência, os be­atos már­tires Flo­ren­tino Pérez Romero, pres­bí­tero, e Ur­bano Gil Sáez, re­li­gioso, da Con­gre­gação dos Ter­ciá­rios Ca­pu­chi­nhos de Nossa Se­nhora das Dores, que, du­rante a mesma per­se­guição, con­su­maram glo­ri­o­sa­mente o seu com­bate pela fé. († 1936)

13*.   Em Silla, po­vo­ação da mesma pro­víncia de Va­lência, o Beato João Maria da Cruz (Ma­riano Garcia Méndez), pres­bí­tero da Con­gre­gação dos Sa­cer­dotes do Sa­grado Co­ração de Jesus e mártir, que, na mesma per­se­guição re­li­giosa, per­se­verou na fé em Cristo até à morte. († 1936)

14*.   Em Puzol, lo­ca­li­dade da mesma pro­víncia de Va­lência, as be­atas Ro­sária de Soano (Petra Maria Vi­tória Quin­tana Argos) e Se­ra­fina de Ochovi (Ma­nuela Justa Fer­nández Ibero), vir­gens da Con­gre­gação das Ter­ciá­rias Ca­pu­chi­nhas da Sa­grada Fa­mília e már­tires, que, du­rante a mesma per­se­guição, al­can­çaram a graça do martírio. († 1936)

15♦.   Em Val­der­ro­bles, perto de Te­ruel, também na Es­panha, os be­atos Eliseu Vicente (Vi­cente Al­be­rich Lluch) e Va­le­riano Luís (Ni­colau Al­be­rich Lluch), re­li­gi­osos da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e már­tires, que foram as­sas­si­nados na mesma per­se­guição contra a Igreja. († 1936)

16*.   No campo de con­cen­tração de Da­chau, pró­ximo de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Fran­cisco Da­ch­tera, pres­bí­tero e mártir, na­tural da Po­lónia, que, em tempo de guerra, es­vaído pelas atro­ci­dades nele ope­radas por mé­dicos sem res­peito algum pela dig­ni­dade hu­mana, morreu por Cristo. († 1944)

17. São Tiago de Bevagna, (também na Folhinha do Coração de Jesus)

18. Conforme o Martírio Romano-Monástico, perto do ano 300, São Teonas, bispo de Alexandria. Segundo o sinaxário árabe jacobita, “este santo era instruído, religioso e cheio de consideração para com o próximo. Em sua bondade, construiu a primeira Igreja de Alexandria sob a invocação de Nossa Senhora, pois até aquela época, os fiéis celebravam os santos mistérios escondidos dos pagãos. Excomungou o herege Sabélio e o confundiu em sua doutrina, e depois morreu em paz”. (M)

19. São Calínico I, patriarca de Constantinopla. Ver página 181: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

20. Santa Ascelina, virgem. Ver página 182: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

21. Bem-Aventurado Anjo del Pas. Ver páginas 183-184: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf  

22. Outros santos do dia 23 de agosto: págs. 159-187, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.