Santas e Santos de 02 de fevereiro

Festa da Apre­sen­tação do Senhor, pelos gregos cha­mada Hy­pa­pante: qua­renta dias de­pois do Nas­ci­mento do Se­nhor, Jesus foi le­vado ao templo por Maria e José, cum­prindo ex­ter­na­mente a lei mo­saica, mas na ver­dade indo ao en­contro do seu povo crente e exul­tante, como luz para se re­velar às na­ções e glória do seu povo Israel. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no quadragésimo dia depois do Natal, a Apresentação do Senhor no Templo de Jerusalém, onde a Imaculada Mãe de Deus veio com seu filho a Luz do mundo, ao encontro da esperança secular de Israel. (R). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Apresentação_de_Jesus_no_Templo

A PURIFICAÇÃO DA SANTA VIRGEM: ver páginas 348-354: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf  

A Festa de Navegantes em Porto Alegre é a maior festa religiosa da cidade brasileira de Porto Alegre, e homenageia Nossa Senhora dos Navegantes (também na Folhinha do Coração de Jesus) e seu sincretismo afro-brasileiro. É realizada no dia 2 de fevereiro de cada ano.

Originalmente constava de uma procissão fluvial, com embarcações que singravam o Lago Guaíba desde o cais do porto, levando a imagem da santa do centro da cidade até a Igreja de Nossa Senhora dos Navegantes. Hoje, por determinação impeditiva da Capitania dos Portos, a procissão é terrestre, levando a imagem desde a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, no centro da cidade, até a Igreja de Nossa Senhora dos Navegantes.

Conforme: https://pt.wikipedia.org/wiki/Festa_de_Navegantes_em_Porto_Alegre

Também em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_dos_Navegantes

– Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_dos_Navegantes

Ver também:

“A festa é especialmente celebrada em cidades litorâneas

A sua festa é celebrada no dia 2 de fevereiro. Especialmente nas cidades litorâneas, que têm muitos pescadores e se usa muito o transporte marítimo, a devoção a Virgem Maria sob este título é muito popular, atraindo milhares de peregrinos em suas festas.

A devoção a Nossa Senhora dos Navegantes é associada popularmente a Iemanjá. Entretanto, a primeira, que é uma devoção católica, não tem nenhuma relação com a segunda, a não ser que as suas festas são comemoradas no mesmo dia, 2 de fevereiro.

Iemanjá é um orixá feminino do Candomblé, da Umbanda e de outras crenças afro-brasileiras, que é comemorada também nos dias 15 de agosto e 8 de dezembro, datas marianas, talvez para associá-la a Nossa Senhora.

TAMBÉM LEMBRAMOS NOSSA SENHORA DAS CANDEIAS, OU DA CANDELÁRIA, OU DA LUZ:  Nossa Senhora da Luz (também chamada de Nossa Senhora das Candeias, ou Nossa Senhora da Candelária, ou Nossa Senhora da Apresentação ou Nossa Senhora da Purificação) é um título mariano pelos quais a Igreja Católica venera a Santíssima Virgem Maria. Sob essas designações, é particularmente cultuada em Portugal e Brasil apesar de o surgimento do culto ter sido nas Ilhas Canárias, na Espanha.[1]

É sincretizada nas religiões afro-brasileiras da Bahia com a orixá Oxum juntamente com Nossa Senhora dos Prazeres.[2]. Estudo mais completo em:

https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Luz https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Oliveira

NOSSA SENHORA DA OLIVEIRA. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Oliveira

2.   Em Or­leães, na Gália Li­o­nense, hoje na França, São Flós­culo, bispo. († c. 500)

3.   Em Can­tuária, na In­gla­terra, São Lou­renço, bispo, que go­vernou esta Igreja de­pois de Santo Agos­tinho e a en­gran­deceu muito, con­ver­tendo à fé o rei Edvaldo. († 619). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 619, São Lourenço, primeiro sucessor de S. Agostinho na Sé episcopal de Cantuária. (M). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Lourenço_de_Cantuária

4.   Em Würz­burg, na Aus­trásia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, São Bur­cardo, bispo, oriundo da In­gla­terra, que foi or­de­nado por São Bo­ni­fácio como pri­meiro bispo desta cidade. († 754)

5*.   Em Flo­rença, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o Beato Simão Fi­dáti de Cássia, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, que pelas suas pa­la­vras e es­critos con­duziu muitos à vida cristã mais perfeita. († 1348)

6*.   Em Susa, no Pi­e­monte, também re­gião da Itália, o Beato Pedro Cam­biano de Ruffia, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que foi cru­el­mente as­sas­si­nado no claustro pelos he­reges em ódio à Igreja. († 1365)

7.   Em Prato, na Etrúria, hoje na Tos­cana, também re­gião da Itália, Santa Ca­ta­rina de Rícci (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem da Ordem Ter­ceira Re­gular de São Fran­cisco, que se em­pe­nhou di­li­gen­te­mente na re­no­vação da vida re­li­giosa e se en­tregou à me­di­tação con­tínua dos mis­té­rios da Paixão de Jesus Cristo, dos quais teve fre­quentes ex­pe­ri­ên­cias místicas. († 1590). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Toscana, em 1590, a volta para Deus de Santa Catarina. prioresa dominicana de Ricci, que colaborou por correspondência com os santos Pio V, Carlos Borromeu e Maria Madalena de Pazzi no grandemovimento reformador do séc. XVI. (M

8.   Em Bor­déus, na França, Santa Joana de Lestonnac (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, ainda ado­les­cente, re­cusou sempre os con­vites e ten­ta­tivas da mãe para se afastar da Igreja ca­tó­lica e, de­pois da morte do es­poso, ori­entou com sa­be­doria a edu­cação dos cinco fi­lhos. Fundou a So­ci­e­dade das Fi­lhas de Nossa Se­nhora, à imi­tação da Com­pa­nhia de Jesus, para fo­mentar a for­mação cristã da ju­ven­tude feminina. († 1640)

9*.   Em Roma, São Ni­colau de Langobárdi (João Bap­tista Sággio), re­li­gioso da Ordem dos Mí­nimos, que de­sem­pe­nhou hu­milde e san­ta­mente o ofício de porteiro. († 1709)

10*.   Em Ge­naz­zano, no Lácio, re­gião da Itália, o Beato Es­têvão Bellesíni, pres­bí­tero da Ordem de Santo Agos­tinho, que, em tempos di­fí­ceis per­ma­neceu fiel à Ordem per­se­guida, de­di­cando-se à edu­cação das cri­anças, à pre­gação e ao tra­balho pastoral. († 1840)

11.   Em Hanoi, no Ton­quim, hoje no Vi­etnam, São João Teó­fano Vénard, pres­bí­tero da So­ci­e­dade das Mis­sões Es­tran­geiras de Paris e mártir, que, de­pois de seis anos de tri­bu­la­ções e tra­ba­lhos em mi­nis­tério clan­des­tino, fi­nal­mente en­cer­rado numa jaula e con­de­nado à morte no tempo do im­pe­rador Tu Duc, foi se­re­na­mente ao en­contro do martírio. († 1861). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1861, o Bem-Aventurado Teofânio Venard, sacerdote da Sociedade das Missões Estrangeiras, originário da diocese de Poitiers. Preso depois de oito anos de apostolado clandestino no Tonkin, Indochina (atual Vietnam), sofreu uma dura detenção de vários meses e foi decapitado por causa de sua fé aos trinta e um anos. (X). Ver páginas 360-362: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

12*.   Em Dern­bach, na Re­nânia, re­gião da Ale­manha, a Beata Maria Ca­ta­rina Kasper, virgem, que fundou o Ins­ti­tuto das Po­bres Servas de Jesus Cristo, para ser­virem o Se­nhor nos pobres. († 1898)

13.   Em Plancy, ci­dade da França, o Beato Luís Brisson, pres­bí­tero da di­o­cese de Troyes, que fundou as duas con­gre­ga­ções, das das Irmãs Oblatas e dos Oblatos de São Fran­cisco de Sales. († 1908)

14*.   Em Milão, na Itália, o Beato André Carlos Ferrári, bispo, que va­lo­rizou a tra­dição re­li­giosa do seu povo e abriu novos ca­mi­nhos, para dar a co­nhecer ao mundo a men­sagem de Cristo e a ca­ri­dade da Igreja. († 1921). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/André_Carlos_Ferrari

15*.   Em Ve­rona, também na Itália, a Beata Maria Do­mingas Mantováni, virgem, que fundou, jun­ta­mente com o Beato José Nas­cim­béni, pres­bí­tero, o Ins­ti­tuto das Ir­mã­zi­nhas da Sa­grada Fa­mília, do qual foi a pri­meira su­pe­riora, ser­vindo com pro­funda hu­mil­dade, por amor de Cristo, os po­bres, os ór­fãos e os enfermos. († 1934)

16. Ainda em Roma, os santos mártires Fortunato, Feliciano (também na Folhinha do Coração de Jesus), Firmo e Cândido. Conf. Pág.364:

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

17. No mesmo dia, em Roma, o martírio de Santo Aproniano (também no Martirológio Romano-Monástico) verdugo que, ainda pagão, e tirando da prisão São Sisino para o levar à presença do prefeito Laodício, ouviu estas palavras proferidas por uma voz descida do céu: Vinde, abençoados de meu Pai, possuí o reino que vos foi preparado  desde a criação do mundo! Creu imediatamente, e recebeu o batismo, e perseverando depois em confessar Nosso Senhor, foi condenado à decapitação. Conforme pág. 354:

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

18. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Cesaréia da Palestina, São Cornélio, centurião romano, que foi batizado pelo Apóstolo Pedro. (M). Ver páginas 355-359: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

 Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Cornélio,_o_Centurião

19. Outros santos do dia 02 de fevereiro: págs. 348-364: 

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 02 de fevereiro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/2_de_fevereiro     

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.