Santas e Santos de 12 de fevereiro

1.   Em Car­tago, na ac­tual Tu­nísia, a co­me­mo­ração dos santos már­tires de Abitínia, que, na per­se­guição do im­pe­rador Di­o­cle­ciano, tendo-se reu­nido como ha­bi­tu­al­mente para ce­le­brar a as­sem­bleia do­mi­nical, contra o in­ter­dito im­pe­rial, foram presos pelos ma­gis­trados da co­lónia e pelo pre­sídio mi­litar; con­du­zidos para Car­tago e in­ter­ro­gados pelo procônsul Anu­lino, apesar dos tor­mentos, todos con­fes­saram ser cris­tãos, de­cla­rando que não po­diam deixar de ce­le­brar o sa­cri­fício do Se­nhor; por isso, em di­versos lu­gares e tempos der­ra­maram o seu bem-aven­tu­rado sangue. São estes os seus nomes: Sa­tur­nino, pres­bí­tero, com quatro fi­lhos, a saber, Sa­tur­nino jovem e Félix, lei­tores, Maria e Hi­la­rião, cri­ança; Da­tivo ou Sa­nador, que era se­nador, Félix; outro Félix, Emé­rito e Am­pélio, lei­tores; Ro­ga­ciano, Quinto, Ma­xi­miano ou Má­ximo, Té­lica ou Ta­zé­lita, outro Ro­ga­ciano, Ro­gato, Ja­nuário, Cas­siano, Vi­to­riano, Vi­cente, Ce­ci­liano, Res­ti­tuta, Prima, Eva, ainda outro Ro­ga­ciano, Gi­válio, Ro­gato, Pom­pónia, Se­cunda, Ja­nuária, Sa­tur­nina, Mar­tinho, Clauto, Félix jovem, Mar­ga­rida, Maior, Ho­no­rata, Re­gíola, Vi­to­rino, Pe­lúsio, Fausto, Da­ciano, Ma­trona, Ce­cília, Vi­tória, virgem de Car­tago, Be­re­tina, Se­cunda, Ma­trona, Januária. († 304)

2.   Co­me­mo­ração de São Me­lécio, bispo de An­ti­o­quia, hoje na Tur­quia, que foi exi­lado vá­rias vezes por de­fender a fé ni­cena; e de­pois, quando pre­sidia ao Con­cílio Ecu­mé­nico de Cons­tan­ti­nopla I, partiu deste mundo ao en­contro Se­nhor. São Gre­gório de Nissa e São João Cri­sós­tomo ce­le­braram-no com grandes louvores. († 381). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 381, São Melécio, Patriarca de Antioquia, que foi por diversas vezes exilado pelos imperadores arianos. Teve um importante papel no I Concilio Ecumênico de Constantinopla, durante o qual veio a falecer. (M). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Mel%C3%A9cio_de_Antioquia

3.   Em Kor­nelimünster, na Ger­mânia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, o pas­sa­mento de São Bento, abade de Aniane, que pro­pagou a Regra de São Bento, compôs um Con­su­e­tu­di­nário para uso dos monges e se de­dicou com grande em­penho à re­no­vação da li­turgia romana. († 821). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Bento de Aniano, abade, morto em 821 em Inden, hoje Komelimünster, perto de Aachen. Educado na corte de Pepino, o Breve, tomou o hábito monástico em Saint-Senne, perto de Langres, e depois retornou à Aquitânia, onde deu um grande impulso ao monaquismo. Com o apoio de Luis, o Bondoso, propagou por todo o Ocidente a Regra Beneditina. (B). Ver páginas 196-204: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Bento_de_Aniane

4.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, Santo An­tónio Cauleias (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que no tempo do im­pe­rador Leão VI tra­ba­lhou ar­du­a­mente para for­ta­lecer a uni­dade na Igreja. († 901). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 901, Santo Antônio, Patriarca de Constantinopla, que trabalhou para restabelecer a unidade da Igreja, comprometida por Fócio. (M). Ver páginas 205-206: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B4nio_II_de_Constantinopla

5*.   No mos­teiro de Jully, na re­gião de Troyes, na França, a Beata Um­be­lina, pri­o­resa deste ce­nóbio, que, con­ver­tida dos pra­zeres do mundo pelo seu irmão São Ber­nardo de Cla­raval, com o as­sen­ti­mento de seu es­poso se en­tregou à vida monástica. († 1136)

6*.   Em Northeim, na Al­sácia, na margem do rio Ili, ac­tu­al­mente em ter­ri­tório da Ale­manha, São Ludão, que, sendo na­tural da Es­cócia, morreu quando ia em pe­re­gri­nação às ba­sí­licas dos Apóstolos. († 1202)

7*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, os be­atos már­tires Tomás Hemmerford, Jaime Fenn, João Nutter, João Munden e Jorge Hay­dock, pres­bí­teros, que, no rei­nado de Isabel I, a quem ne­gavam au­to­ri­dade nas re­a­li­dades es­pi­ri­tuais, foram con­de­nados à morte pela sua per­se­ve­rante fi­de­li­dade à Igreja Ro­mana, sendo di­la­ce­rados ainda vivos no su­plício da praça de Tyburn. († 1584)

8. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 630, São Rioco, jovem príncipe bretão, que viveu na solidão perto da baía de Brest, até o dia em que recebeu a visita do fundador de Landévennec, São  Guenoleu, a quem logo acompanhou. (X)

9. Em Barcelona, na Espanha, Santa Eulália (também na Folhinha do Coração de Jesus) virgem, que, sob Diocleciano, padeceu no cavalete, foi rasgada pelas unhas de ferro e, afinal, prêsa a uma cruz, cumpriu o martírio, em 304. Conforme página 206: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Eul%C3%A1lia_de_Barcelona

10. Santo Etevaldo, também na Folhinha do Coração de Jesus.

“Santo Etevaldo, bispo. Foi um dos auxiliares de São Cutiberto. Tornou-se prior e abade de Old Melrose, na Escócia. Após a morte do bispo Idefredo, de Lindisfarne, em 712, Etevaldo foi escolhido como seu sucessor. Ergueu uma enorme cruz e encadernou o livro dos Evangelhos, que seu antecessor havia copiado e preservado. Essa cópia foi conservada, e hoje pode ser encontrada no Museu Britânico. A capa se perdeu. Ao morrer, em 740, foi enterrado na catedral. Atualmente, suas relíquias permanecem na Catedral de Durham. Santo Etevaldo é modelo do bispo zeloso.” … (fontes: HOMEM, Dom Edson de Castro. Nossos Santos de Cada Dia. Rio de Janeiro: Casa da Palavra. 2012. p. 70 – ALVES, J. Os Santos de Cada dia. São Paulo. Paulinas. 2014. p. 90).  Conforme: http://www.lisaac.blog.br/o-santo-dia-25/

11. São Juliano, o hospitaleiro. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Juliano,_o_Hospital%C3%A1rio

12. Outros santos do dia 12 de fevereiro: págs. 196-206: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-v%203.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 12 de fevereiro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/12_de_fevereiro

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.