Santos e Santos de 25 de julho

1. Festa de São Tiago (também na Folhinha do Coração de Jesus), Após­tolo, filho de Ze­bedeu e irmão de São João Evan­ge­lista, que, com Pedro e João foi tes­te­munha da trans­fi­gu­ração do Se­nhor e da sua agonia. Pró­ximo da festa da Páscoa, de­ca­pi­tado por He­rodes An­tipas, foi o npri­meiro dos Após­tolos a re­ceber a coroa do martírio.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, festa de São Tiago Maior, Apóstolo. Com Pedro e seu irmão João foi testemunha privilegiada da Transfiguração e da agonia do Senhor. Segundo os Atos dos Apóstolos, foi o primeiro dentre os doze a oferecer a vida pelo Evangelho, perto da Páscoa de 44. São Tiago, especialmente venerado em Compostela por toda a cristandade, é o padroeiro da Espanha.

– Ver páginas 313-339: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também “… Santiago Maior, também chamado de Santiago Filho do Trovão (Boanerge)Tiago, filho de Zebedeu e Santiago Apóstolo o Maior[1]martirizado no ano 44, foi um dos doze apóstolos de Jesus Cristo. Foi feito santo e chamado Maior (mais velho) para o diferenciar de outro discípulo de Jesus de mesmo nome, conhecido como Santiago Menor (mais jovem) e também de Tiago, o Justo, sendo estes últimos possivelmente a mesma pessoa: Tiago, menor; Tiago, o justo; e Tiago, irmão do Senhor… Os nomes Tiago e Jaime derivam indirectamente do latim Iacobus, por sua vez uma latinização do nome hebraico Ya’akov (aportuguesado em “Jacó“) e da sua associação Sanctus Iacopus.

Com o decorrer do tempo, o nome evoluiu em diversas direcções consoante as línguas: manteve-se Jakob em alemão e noutras línguas nórdicas, James em inglêsGiacomo em italiano e Jacques em francês”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Santiago_Maior

– Ver também “… São Tiago, irmão de São João Evangelista, filho de Zebedeu, foi chamado de Maior para o distinguir do outro apóstolo de mesmo nome, apelidado de Menor por ser o mais jovem. São Tiago Maior era galileu de nascimento e pescador de comércio com o pai e o irmão, provavelmente morando em Betsaida, onde também morava São Pedro… Este Tiago, às vezes chamado de Tiago, o Maior, não deve ser confundido com o autor da Carta de Tiago e líder da comunidade de Jerusalém…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly25.html

2.   Em Lícia, na ac­tual Tur­quia, São Cris­tóvão (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir. († data inc.).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, São Cristóvão, martirizado em meados do séc. II. Seu culto é comprovado desde o séc. V, na Bitínia, onde uma basílica lhe foi dedicada. Seu nome, que significa “o que carrega Cristo”, designou-o como protetor de todos aqueles que utilizam meios de transporte. (M). Ver páginas 341-343: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também “… São Cristóvão (em grego: Άγιος Χριστόφορος, em latim: Christophorus) é um santo venerado por Católicos RomanosOrtodoxos e Umbandistas (no sincretismo afro-brasileiro).

Considerado um mártir cristão, São Cristóvão foi morto durante o reinado de Décioimperador romano do século III.[1][2] Apesar de ser um dos santos mais populares do mundo, muito pouco se sabe ao certo sobre sua vida.[3]

São Cristóvão é venerado em 9 de março na Grécia, em 9 de maio pela Igreja Ortodoxa, em 16 de novembro em Cuba e em 10 de julho em algumas localidades da Espanha.[1] O Calendário Tridentino da Igreja Católica permitia a celebração de São Cristóvão no dia 25 de julho, apenas em missas privadas. Esta restrição foi removida mais tarde. Apesar da Igreja Católica ainda aprovar a devoção a ele, o listando entre os mártires romanos venerados em 25 de julho,[4] ela removeu seu dia festivo do calendário católico de santos em 1969. Na época, a igreja declarou que a celebração não era de tradição romana, tendo em vista sua adesão tardia (por volta do ano de 1550) e limitada ao calendário romano.[5]

A Igreja Católica argumenta que quase nada de histórico é conhecido sobre a vida e a morte de São Cristóvão,[6] apesar de várias lendas serem atribuídas a ele. A mais popular se origina da Legenda Áurea, uma compilação de histórias de santos do século XIII”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Crist%C3%B3v%C3%A3o_da_L%C3%ADcia

3.   Em Bar­ce­lona, na His­pânia Tar­ra­co­nense, São Cu­cu­fate, mártir, que, tres­pas­sado por uma es­pada du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Di­o­cle­ciano, subiu vi­to­rioso para ao Céu. († s. IV).     

Ver São Cocufás, mártir à página 340: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também “… São Cucufate (CucufasQaqophas, Cocoba(s); em catalãoCugatCulgat, ou Cougat; em francêsCucuphatCucufa, Cucuphat, Quiquenfat; em galegoCovade, Cobad; em gascãoCophan; em asturiano: ‘Cucao) (m. 304) foi um mártir que viveu no território da actual Espanha. A sua festividade é em 25 de julho, mas em algumas zonas é celebrado em 27 de julho para evitar a sobreposição com o dia festivo de Santiago, o santo patrono da Espanha. O seu nome é dito ser de origem fenícia significando “o que brinca, o que gosta de brincar.”[1]. Outra corrente defende que etimologicamente, “cucufa” significa “poupa” (em copta cacupat ou cucufat, em grego kukupha, e em latim upupa)…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cucufate_(santo)

4.   Em Ce­sa­reia, na Pa­les­tina, os santos Va­len­tina (também na Folhinha do Coração de Jesus), Teia e Paulo, már­tires na per­se­guição do im­pe­rador Ma­xi­miano, sob a pre­fei­tura de Fir­mi­liano. A virgem Va­len­tina, de­pois de ter der­ru­bado a ara le­van­tada para os ídolos pa­gãos, jun­ta­mente com a virgem Teia, so­freu cruéis tor­turas e, lan­çada ao fogo, correu ao en­contro do Es­poso. Paulo, con­de­nado à morte, tendo con­se­guido um breve tempo para orar, im­plorou de todo o co­ração a sal­vação de todos e, de­ca­pi­tado, re­cebeu a coroa do martírio. († 308).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Palestina, no início do séc. IV, na Palestina, o martírio de São Paulo e das Santas Valentina e Téa, virgens. No momento de sua morte, Paulo “pediu a Deus a reconciliação e a liberdade para os cristãos. Implorou, a seguir, pela ascensão dos judeus a Deus por meio de Cristo. Finalmente, pediu ao Deus do universo que não considerasse a falta de seus carrascos”. (M)

5.   Em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, o pas­sa­mento de Santa Olim­píades (Olimpiade), viúva, que, tendo per­dido o es­poso ainda jovem, passou pi­e­do­sís­si­ma­mente o resto da sua vida em Cons­tan­ti­nopla entre as mu­lheres con­sa­gradas a Deus, aju­dando os po­bres e per­ma­neceu sempre fiel co­la­bo­ra­dora de São João Cri­sós­tomo, também no seu exílio. († 408)

6.   Em Tré­veris, na Re­nânia da Aus­trásia, na ac­tual Ale­manha, São Mag­ne­rico, bispo, que foi dis­cí­pulo de São Ni­cécio, fiel com­pa­nheiro no seu exílio e imi­tador do seu zelo pas­toral quando lhe su­cedeu no episcopado. († c. 596).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no fim do séc. VI, São Magnérico, bispo de Treves, que exerceu grande influência na corte da Austrásia e soube formar pastores de grande valor. (M).

– Ver página 344: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

7*.   Também em Tré­veris, os santos Beato e Banto, pres­bí­teros, que le­varam vida ere­mí­tica no tempo de São Magnerico. († s. VI-VII)

8*.   Em Metz, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, Santa Glo­de­sinda, abadessa. († s. VI).

– Ver Santa Glossinda, páginas 310-312: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

9.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, São Te­o­de­miro, monge de Car­mona e mártir ainda jovem du­rante a per­se­guição dos Mouros. († 851)

10*.   Em An­gers, na França, o Beato João So­reth, pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas, que ele con­duziu a uma ob­ser­vância mais es­treita e dotou de con­ventos de monjas. († 1471)

11*.   Em Ca­me­rino, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, o Beato Pedro Cor­ra­dini de Molliano, pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, in­signe pela sua pre­gação evan­gé­lica, pelas suas vir­tudes e pela fama dos seus milagres. († 1490).

– Ver Bem-Aventurado Pedro de Mogliano, confessor, página 345: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf 

12*.   Em Sal­sete, na Índia, os be­atos már­tires Ro­dolfo Acquaviva, Afonso Pa­checo, Pedro Berna, An­tónio Fran­cisco, pres­bí­teros, e Fran­cisco Aranha, re­li­gioso, todos da Com­pa­nhia de Jesus, que foram mortos pelos in­fiéis por terem exal­tado a cruz. († 1583)

13*.   Em Bo­bino, na Apúlia, re­gião da Itália, o Beato An­tónio Lúcci, bispo, da Ordem dos Frades Me­nores Con­ven­tuais, que res­plan­deceu pela sua emi­nente dou­trina e se de­dicou de tal modo a so­correr os po­bres que es­quecia as suas pró­prias necessidades. († 1752)

14*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Mi­guel Luís Brulard, pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, foi en­car­ce­rado em de­su­manas con­di­ções por ser sa­cer­dote e morreu con­su­mido pela en­fer­mi­dade. († 1794)

15*.   Em Ma­drid, na Es­panha, Santa Maria do Carmo Sallés y Barangueras, virgem, que fundou a Con­gre­gação das Irmãs da Ima­cu­lada Con­ceição, para a for­mação das mu­lheres pi­e­dosas e incultas. († 1911).

– Ver “… Santa Maria do Monte Carmelo (Carmen Sallés y Barangueras) (Vic, Barcelona 11 de abril de 1848 – Madrid25 de abril de 1913) foi uma religiosa católica espanhola, fundadora da congregação denominada “Religiosas Concepcionistas Misioneras de la Enseñanza” (Religiosas Concecionistas Missionárias do Ensino). Tomou o nome de Maria do Monte Carmelo.

Estou na Companhia de Maria em Manresa.

Declarada venerável em 1996, foi beatificada em 15 de março de 1998 pelo Papa João Paulo II e canonizada pelo Papa Bento XVI em 21 de outubro de 2012.[1] A sua festa litúrgica é em 25 de julho…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Carmen_Sall%C3%A9s_y_Barangueras

16♦.   Em Vera Cruz, no Mé­xico, o Beato Ân­gelo Dario Acosta Zurita, pres­bí­tero de Ve­ra­cruz (Mé­xico) e mártir. († 1931)

17*.   Em Urda, pró­ximo de To­ledo, na Es­panha, os be­atos már­tires Pedro do Co­ração de Jesus (Pedro Largo Re­dondo), pres­bí­tero e Bento de Nossa Se­nhora de Villar (Bento So­lano Ruiz), re­li­gi­osos da Con­gre­gação da Paixão, que, fu­zi­lados por causa da sua fé cristã du­rante a grande per­se­guição, al­can­çaram a palma do martírio. († 1936)

18.   Em Ta­la­vera de la Reina, pró­ximo de To­ledo, também na Es­panha, os be­atos már­tires Fre­de­rico (Carlos Fre­de­rico Rúbio Ál­varez), pres­bí­tero, Primo Mar­tínez de San Vi­cente Castillo, Je­ró­nimo Ochoa Ur­dan­garin e João da Cruz (Elói Fran­cisco Del­gado Pastor), re­li­gi­osos, todos da Ordem Hos­pi­talar de São João de Deus, que, na mesma per­se­guição, num jul­ga­mento su­mário, al­can­çaram a coroa de glória. († 1936)

19*.   Em Monzon, lo­ca­li­dade pró­xima de Hu­esca, também na Es­panha, o Beato Di­o­nísio Pam­plona Polo, pres­bí­tero da Ordem dos Clé­rigos Re­grantes das Es­colas Pias e mártir, as­sas­si­nado no mesmo tempo em ódio à fé cristã. († 1936)

20*.   Em Mo­tril, lo­ca­li­dade pró­xima de Gra­nada, no li­toral da Es­panha, os be­atos De­o­grá­cias Pa­lá­cios, Leão In­chausti, José Rada, Ju­lião Mo­reno, pres­bí­teros, e José Díez Rodríguez, re­li­gioso, todos mi­li­tantes de Cristo na Ordem dos Agos­ti­nhos Re­co­letos, que, na mesma per­se­guição, foram ines­pe­ra­da­mente cer­cados pela mul­tidão e ime­di­a­ta­mente fu­zi­lados na praça pública. († 1936)

21♦.   Em Al­godor, perto de Ma­drid, também na Es­panha, os be­atos José Luís Pa­lácio Muñiz e An­tónio Va­rona Ortega, pres­bí­teros; Hi­gínio Roldán Ir­ri­bérri e João Crespo Calleja, re­li­gi­osos, todos da Ordem dos Pre­ga­dores e mártires. († 1936)

22♦.   Em Mont­cada, lo­ca­li­dade da Ca­ta­lunha, também na Es­panha, os be­atos már­tires Ga­briel da Anunciação (Jaime Bal­cells Grau) e Edu­ardo do Me­nino Jesus (Ri­cardo Farré Masip), pres­bí­teros da Ordem dos Car­me­litas Des­calços, e com­pa­nheiros. São estes os seus nomes: José Bento (José Más Pu­jo­bras), Vi­cente Jus­tino (Vi­cente Fer­nández Cas­trillo) e Ar­noldo Ju­lião (Jesus João Otero), re­li­gi­osos da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs; e Be­ne­dito José (José Bar­dalet Compte) e Ma­riano Leão (Santos López Mar­tínez), re­li­gi­osos da Con­gre­gação dos Ir­mãos Maristas. († 1936)

23♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, o Beato José López Tascón, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir. († 1936)

24*.   No campo de con­cen­tração de Dzi­al­dowo, na Po­lónia, a beata Maria Te­resa Kowalska, virgem das Cla­rissas Ca­pu­chi­nhas e mártir, que, no tempo da ocu­pação da Po­lónia du­rante a guerra, foi en­car­ce­rada por per­se­verar firme na fé e es­perou o seu úl­timo dia for­ta­le­cida pela sua plena con­fi­ança em Cristo. († 1941)

25. Outros santos do dia 25 de JULHO, páginas: 310-347

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-

%2013.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santase Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 25 de julho, ver ainda: 25 de julho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  574-578: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes,sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-

%201.pdf

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica apóso Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.