Santas e Santos de 29 de julho

NOSSA SENHORA DA AJUDA. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, celebração de Nossa Senhora da Ajuda, reverenciada em diversas dioceses brasileiras em 29 de julho.

– Conforme o Diretório de Liturgia de 2021, dia 29 de julho, na Diocese Teixeira de Freitas – Caravelas, NOSSA SENHORA DA AJUDA, Padroeira diocesana secundária.

Festa, conforme alguns textos, em dia diferente: 15 de agosto. Ver: “… O culto a Nossa Senhora é bíblico, é teológico, é litúrgico, é pastoral e é devocional. É necessário para a vivência da fé cristã, mas nunca deve lhe ser prestado por mero devocionalismo. Ou sentimentalismo. Sem dúvida, comover-se com as aflições dos outros, sensibilizar-se com seus sofrimentos e ajudar as pessoas necessitadas é sinal de solidariedade, enobrece o caráter humano. Entretanto, quando se trata de viver a fé cristã não bastam emoções. Se vivida apenas com emoções, a fé não resiste às dúvidas, às incertezas e provações. O título Nossa Senhora da Ajuda foi atribuído à Maria tendo presente essa convicção profunda. Estaria relacionado antes de tudo à agonia de Cristo no Calvário. Lá estava ela, de pé, a mulher forte, a mãe à qual o Filho legou seus discípulos para que ela os ajudasse. A Virgem Maria associada ao sofrimento de Jesus é nossa intercessora pelos méritos dele junto a Deus Pai. Ela recebeu dele o poder de nos ajudar em situações difíceis, angustiosas, incertas, sofridas ou perigosas. Esta “ajuda” é-lhe pedida também através de outras invocações como: Perpétuo Socorro, Auxiliadora, Amparo, Livramento, Mercês, Bom Sucesso, Desatadora de nós e outras mais…

… Segundo a História os navegadores e as caravelas reais enfrentavam grandes perigos e desafios na travessia de mares e oceanos. Na Idade Média, reis, capitães de esquadras mercantes, descobridores, colocavam suas naus em expedições ou em batalhas navais, sob a proteção de Maria invocada como: Nossa Senhora da Ajuda. Faziam-se celebrações e festejos, seja na partida, seja na chegada das embarcações aos portos. Esta foi a origem de muitas igrejas ou capelas construídas na orla marítima da Europa. No início das grandes expedições marítimas do século XVI, o culto a Nossa Senhora da Ajuda chegou ao Brasil-Colônia por devoção de cinco padres jesuítas. Em 1549 eles integraram a comitiva do Governador Geral do Brasil, Tomé de Souza. Trouxeram consigo uma bonita imagem da Virgem medindo uns 30 cm. e se estabeleceram no litoral sul da Bahia onde construíram a capela em honra de Nossa Senhora da Ajuda. Aí nasceu o povoado, hoje distrito de Porto Seguro com o nome de Arraial da Ajuda e lugar turístico. Conta a tradição que os jesuítas após inúmeras tentativas não encontravam água potável. Pediram então a ajuda da Mãe de Deus para erguer a capela em sua honra. Enquanto era celebrada a missa surgiu misteriosa e mansamente uma fonte de água viva sob uma árvore ali perto. Não poucos autores deixaram relatado o fato que logo foi se espalhando da Bahia para São Paulo, inclusive no testemunho do Beato José de Anchieta -SJ. O santuário de Nossa Senhora da Ajuda é tido como o mais antigo do Brasil. Foi confiado aos cuidados pastorais dos Padres Redentoristas. A festa tradicional é celebrada solenemente no dia 15 de agosto. Pe. Antonio Clayton Sant´Anna, C.Ss.R.”: https://www.a12.com/academia/artigos/nossa-senhora-da-ajuda-1

– Ver ainda: http://www.lendarium.org/narrative/lenda-de-nossa-senhora-da-ajuda/?tag=1146 e http://oquefazernabahia.com/2017/10/25/cachoeira-tera-17-dias-de-festa-em-homenagem-nossa-senhora-dajuda/

– Ver também “… Nossa Senhora da Ajuda é uma das diversas invocações de Maria, mãe de Jesus. O culto teve início em Portugal durante a Idade Média, sendo particularmente associado a uma ermida que se localizava na praia do Restelo, nas proximidades de Lisboa, onde havia uma imagem de Nossa Senhora que era objeto da devoção de marinheiros e soldados. De Portugal, a invocação foi trazida ao Brasil colonial pelos jesuítas, que levantaram a primeira igreja de Salvador sob sua invocação em 1549: a Capela da Ajuda”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Ajuda

– Ver ainda “… Qual o dia de Nossa Senhora da Ajuda? Atualmente, segundo dados do Santuário de Nossa Senhora da Ajuda, a igreja recebe cerca de 15 mil romeiros na “Festa da Santa” entre os dias 7 e 15 de agosto. Arraial d’Ajuda é marcado por uma tradição de romarias.”:  https://www.arraialdajuda.tur.br/historia/

– Ver ainda: https://www.google.com/search?source=hp&ei=Mn8fX727Huiw5OUPvp2ruAU&q=Nossa+Senhora+da+Ajuda&oq=Nossa+Senhora+da+Ajuda&gs_lcp=CgZwc3ktYWIQAzICCAAyAggAMgIIADICCAAyAggAMgYIABAWEB4yBggAEBYQHjIGCAAQFhAeMgYIABAWEB4yBggAEBYQHjoFCAAQsQM6BQguELEDOgIILlDDC1i3OWDWOmgBcAB4AIAB2AGIAeogkgEGMC4xNy41mAEAoAEBqgEHZ3dzLXdperABAA&sclient=psy-ab&ved=0ahUKEwi9nIHV5e7qAhVoGLkGHb7OClcQ4dUDCAc&uact=5

OUTROS SANTOS E SANTAS DE 29 DE JULHO

1. Me­mória de Santa Marta (também na Folhinha do Coração de Jesus), que em Be­tânia, pró­ximo de Je­ru­salém, re­cebeu na sua casa o Se­nhor Jesus e, quando morreu o seu irmão, con­fessou: “Tu és Cristo, o Filho de Deus, que veio ao mundo”.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória dos Santos Marta, Maria e Lázaro, amigos do Senhor. Eles davam-lhe, generosamente, hospedagem em sua casa de Betânia, perto de Jerusalém. Jesus lembrou a Marta, que se preocupava alem da medida em servi-lo, que o único necessário era ouvir a Palavra. Garantiu tambem e por toda parte no mundo onde se proclamasse o Evangelho, seria relembrada a unção profética de Maria. Ao ver o túmulo de Lázaro, chorou a morte do amigo, fazendo com que os presentes comentassem: “vede como o amava”! (M).

Ver páginas 406-418: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também Marta de Betânia “… Marta é uma personagem bíblica descrita nos Evangelhos. De acordo com João 11:1-45 – João 12:2, ela era irmã de Maria e de Lázaro, da aldeia de Betânia. Marta foi uma das mulheres que acompanharam Jesus no calvário e na ressurreição.

O nome Marta é uma transliteração do grego Μαρθα, que já é uma tradução do aramaico מַרְתָּא, que significa “mestra” ou “a senhora”. A forma aramaica ocorre em uma inscrição datada como sendo do primeiro século, que encontra-se no Museu de Nápoles….”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Marta_de_Bet%C3%A2nia

2.   Co­me­mo­ração de São Lá­zaro, irmão de Santa Marta, por quem o Se­nhor chorou ao saber que es­tava morto e a quem res­sus­citou, e de Santa Maria, sua irmã, que, en­quanto Marta se ata­re­fava no ser­viço de hos­pe­dagem, ela es­tava sen­tada aos pés do Se­nhor e es­cu­tava a sua palavra. Ver páginas

– Ver: Maria de Betânia “… Maria, irmã de Marta ou Maria de Betânia é uma personagem do Novo Testamento da Bíblia e que aparece no episódio da vida de Jesus conhecido como Jesus na casa de Marta e Maria, relatado em Lucas 10:38-42. Ela é irmã de Marta e de Lázaro…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_de_Bet%C3%A2nia

– Ver “… Lázaro de Betânia é uma personagem bíblico descrito no Evangelho segundo João como um amigo que Jesus teria ressuscitado, irmão de Marta e de Maria. Seu nome provavelmente do grego corresponde ao hebraico Eleazar (אלעזר), e significa literalmente “Deus ajudou”…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%A1zaro

São Lázaro. Ver páginas 309-318:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2021.pdf

3.   Em Gangra, na Pa­fla­gónia, hoje Çan­kiri, na Tur­quia, São Ca­lí­nico, mártir. († s. II-III)

4.   Na Via Por­tu­ense, a três mi­lhas de Roma, no ce­mi­tério de­di­cado ao seu nome, São Félix, mártir. († s. III-IV).

– Ver “São Félix II, Papa e Mártir” página 419: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

5.   Também em Roma, no ce­mi­tério de Ge­ne­rosa, os santos Sim­plício, Faus­tino, Vi­a­dora e Rufo, mártires. († s. III-IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, sob o imperador Diocleciano, os mártires Simplício e Faustino, que foram atirados no rio Tibre, junto com outros cristãos. Sua irmã Beatriz recolheu os corpos e os sepultou na via Portuensis. (M).

– Ver São Faustino, Simplício e Beatriz (também na Folhinha do Coração de Jesus).

– Página: 420: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

6.   Em Troyes, na Gália Li­o­nense, na ho­di­erna França, São Lopo (Lupo), bispo, que foi para a Bre­tanha jun­ta­mente com São Germano de Au­xerre para com­bater a he­resia pe­la­giana, de­fendeu com a oração a sua ci­dade do furor de Átila e, de­pois de exercer de modo ad­mi­rável o sa­cer­dócio du­rante cin­quenta e dois anos, des­cansou em paz. († c. 478).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, próximo ao ano 478, São Lobo. Primeiro foi monge em Lérins, e mais tarde tornou-se bispo de Troyes. Depois, acompanhou São Germano de Auxerre à Inglaterra para combater o pelagianismo. Retido durante algum tempo por Átila, como refém, exerceu uma benéfica influência sobre o bárbaro. (M).

– Ver páginas 426-427: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

7.   Em Or­leães, também na Gália Li­o­nense, São Prós­pero, bispo. († s. V)

8.   Em Tromdheim, na No­ruega, Santo Olavo (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir, que, sendo rei deste povo, di­fundiu no seu reino a fé cristã que co­nhe­cera na In­gla­terra, de­be­lando com ardor a ido­la­tria, e fi­nal­mente morreu apu­nha­lado pelos inimigos. († 1030).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1030, Santo Olavo II, rei e patrono da Noruega, que favoreceu a unificação e a cristianização de seu reino. (M).

– Ver páginas 401-405: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também “… Olavo II Haraldsson, também conhecido como Olavo, o Santo (em nórdico antigo Ólafr Haraldsson; em norueguês Heilag-Olav), foi rei da Noruega de 1015 a 1028. De origem viquingue, converteu-se ao catolicismo na cidade francesa de Ruão e esteve a serviço do rei exilado Etelredo II de Inglaterra. (r. 978–1016).[3]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Olavo_II_da_Noruega

– Ver “Olavo II Haraldsson, também conhecido como Olavo, o Santo 

(em nórdico antigo Ólafr Haraldsson; em norueguês nynorsk Heilag-Olav), foi rei da Noruega de 1015 a 1028. De origem viquingue, converteu-se ao cristianismo na cidade francesa de Ruão e esteve a serviço do rei exilado Etelredo II de Inglaterra. (r. 978–1016)[3]

Regressou à Noruega em 1015. Por ser descendente do rei Haroldo I da Noruega,[4][5] foi reconhecido rapidamente como rei e tirou os nobres que regiam o país do poder. Introduziu uma administração central forte, completou a conversão, iniciada por Olavo I da Noruega, dos noruegueses e ergueu igrejas por todo o território.[3]

É o padroeiro da Noruega e um dos poucos santos de origem norueguesa reconhecidos pela Igreja Católica.[3]

Vida: Foi filho de Haroldo Grenske da Noruega[6] (947 – c.  995), líder viquingue e rei de VestfoldNoruega, no século X e de Åsta Gudbrandsdatter. Olavo II casou em fevereiro de 1019 em Sarpsborg com Astrid Olofsdotter de Suécia, filha do rei Olavo, o Tesoureiro (960 — c. 1022)[7] Tiveram uma filha:

Vulfilda da Noruega (c. 1025 – 1072), que se casou com Ordulfo da Saxônia (1020 – 28 de Março de 1072).[8]

Com uma amante, Alvilda, teve um filho ilegítimo:

Magno I da Noruega (1045 – 1106), futuro rei da Noruega e Dinamarca, casado com Sofia da Hungria (1040 – 18 de junho de 1095) filha de Bela I da Hungria (1016 – 1063)[9] e de Rixa da Polónia.

Referências:

  1.  «Ecclesiastical calendar of the Archdiocese of Nidaros». Manuscripta-mediaevalia.de. Consultado em 21 de maio de 2012
  2.  «Meddelelse fra biskop Bernt Eidsvig Can. Reg. av Oslo» (em (em norueguês)). Katolsk.no. 8 de outubro de 2007. Consultado em 21 de maio de 2012
  3.  Ir para:a b c Birro, RM (2013). «Resumo; Introdução». Rex perpetuus Norvegiae: a sacralidade régia na monarquia norueguesa e a santificação de Óláfr Haraldsson (c.995-1030) à luz da literatura latina e vernacular (sécs.XI-XII) (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal Fluminense
  4.  Verbete hår (cabelo) do dicionário de norueguês da Universidade de Oslo
  5.  Verbete fagre (belo) do dicionário de norueguês da Universidade de Oslo
  6.  «Harald Grenske (Family Links)». Consultado em 9 de agosto de 2012. Arquivado do original em 31 de outubro de 2010
  7.  MELIN, Jan; JOHANSSON, Alf; HEDENBORG, Susanna (2006). «Järnåldern». Sveriges historia (em sueco). Estocolmo: Prisma. 38 páginas. ISBN 91-518-4666-7
  8.  Lutz Fenske: Ordulf (Otto) . In: Biografia alemão Novo (NDB). Volume 19, Duncker & Humblot, Berlim, 1999, pp 583
  9.  The realm of St. Stephen: a history of medieval Hungary, 895-1526 ”:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Olavo_II_da_Noruega#cite_note-rexperpetuus-3

9*.   Em Roma, o Beato Ur­bano II, papa, que de­fendeu a li­ber­dade da Igreja contra as in­ge­rên­cias dos po­deres se­cu­lares, com­bateu a si­monia e a cor­rupção do clero e, no Con­cílio de Cler­mont, exortou os sol­dados cris­tãos a li­bertar, com o sinal da cruz, os ir­mãos opri­midos pelos in­fiéis e o se­pulcro do Senhor. († 1099).

– Ver “Bem-aventurado Urbano II, Papa e Confessor” páginas 421-425: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

10.   Em Saint-Brieuc, ci­dade da Bre­tanha Menor, re­gião da ac­tual França, São Gui­lherme Pinchon, bispo, que se de­dicou à cons­trução da igreja ca­te­dral, res­plan­deceu pela sua bon­dade e sim­pli­ci­dade e, por de­fender in­tre­pi­da­mente o seu re­banho e os di­reitos da Igreja, su­portou duros ve­xames e o exílio. († 1234).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1234, São Guilherme, bispo de Saint-Brieuc, que deu prosseguimento à construção da catedral e defendeu os direitos da Igreja contra as pretensões abusivas do duque da Bretanha. (M)

11*.   Em Omura, no Japão, os be­atos már­tires Luís (Ludovico) Bertran, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, Mâncio da Santa Cruz e Pedro de Santa Maria, re­li­gi­osos da mesma Ordem, que foram quei­mados vivos por Cristo. († 1627)

12*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Carlos Ni­colau An­tónio Ancel, pres­bí­tero da Con­gre­gação de Jesus e Maria e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, en­cer­rado na sór­dida ga­lera em ódio ao sa­cer­dócio, con­sumou o mar­tírio, mor­rendo con­ta­giado por uma grave enfermidade. († 1794)

13.   Em Qingyan, ci­dade do Guizhou, pro­víncia da China, os santos már­tires José Zhang Wenlan, Paulo Chen Changpin, alunos do se­mi­nário, João Bap­tista Lou Tingyin, ad­mi­nis­trador do se­mi­nário, e Marta Wang Louzhi, viúva, que, pela sua fé em Cristo, foram en­cer­rados numa ca­vi­dade quente e hú­mida, so­freram atrozes tor­mentos e fi­nal­mente mor­reram decapitados. († 1861)

– Ver “… 1861 – Santa Martha Wang Mártir de Tonkin, Vietnã, que foi presa carregando cartas dos mártires presos, os Beatos Joseph Tshang e Paul Tcheng. Ela foi decapitada com eles em Tsingai. Martha foi beatificada em 1909…

… 1861 – Bl. Paul Tcheng Mártir da China. Ele era um seminarista católico quando foi preso pelas autoridades chinesas e decapitado em Tsingai. Ele foi beatificado em 1909 .”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly29.html

14♦.   Em La Musse, na Bre­tanha, re­gião da França, São Luís Martin, pai de Santa Te­resa do Me­nino Jesus. († 1894)

– Ver dia 12 de julho: São Luís Martin (também na Folhinha do Coração de Jesus). Santa Zélia Guérin (também na Folhinha do Coração de Jesus).

– Ver Santos Luís Martin e Zélia Guérin (pais de Santa Teresinha do Menino Jesus) “…São Luís Martin (Bordeaux, 22 de agosto de 1823 – Arnières-sur-Iton, 29 de julho de 1894) e Santa Zélia Guerín Martin (Saint-Denis-sur-Sarthon, 23 de dezembro de 1831 – Alençon, 28 de agosto de 1877) foram um casal que viveu em Alençon, França, mais conhecidos por serem os pais de Santa Teresinha do Menino Jesus. Luís era relojoeiro e Zélia rendeira, sendo ambos filhos de militares e educados em ambiente severo. Ele foi educado nos “Irmãos das Escolas Cristãs” e ela nas “Irmãs da Adoração Perpétua”. Zélia, depois de passar um tempo ajudando a mãe na loja da família, especializou-se no ponto de Alençon na escola de tecelões e rendas, abrindo uma pequena fábrica de rendas onde obteve relativo sucesso…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lu%C3%ADs_Martin_e_Z%C3%A9lia_Gu%C3%A9rin

15*.   Em Es­plu­gues, ci­dade pró­xima de Bar­ce­lona, na Es­panha, o Beato João Bap­tista Egoz­cu­e­zábal Aldaz, da Ordem de São João de Deus e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, foi morto em ódio à Igreja. († 1936)

16*.   Em Ca­landa, pró­ximo de Te­ruel, também na Es­panha, os be­atos Lúcio Mar­tínez Mancebo, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, e com­pa­nheiros, már­tires, que, ani­mados pela for­ta­leza de Cristo, deram a vida na mesma perseguição.  São estes os seus nomes: An­tónio López Cou­ceiro, Fe­li­cís­simo Díez Gon­zález, Sa­túrio Rey Ro­bles, Tirso Man­rique Me­lero, pres­bí­teros; Gu­mer­sindo Soto Barros e Lam­berto de Na­va­cués y de Juan, re­li­gi­osos, da Ordem dos Pre­ga­dores; e Ma­nuel Al­bert Ginés, presbítero. († 1936)

17*.   Em Va­lência, também na Es­panha, o Beato José de Ca­la­sanz Marqués, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que na mesma per­se­guição der­ramou o sangue por Cristo. († 1936)

18♦.   Em Clot dels Au­bins, perto de Lé­rida, também na Es­panha, os be­atos Ân­gelo Maria Prat Hostench, pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e com­pa­nheiros, már­tires, que, du­rante a mesma per­se­guição, con­fir­maram com o seu sangue a plena fi­de­li­dade a Cristo. São estes os seus nomes. Eliseu Maria (Eliseu Ma­neus Be­sal­duch), Anas­tásio Maria (Pedro Dorca Co­ro­mina), Edu­ardo Maria (Ma­nuel Ser­rano Buj), pres­bí­teros; André Cor­sino Maria (José Solé Ro­vira), Eliseu Maria (Luís Font­de­cava Qui­roga), João Maria (João Maria Puig­mitjá Rubió), José Maria (Ga­briel Es­coto Ruiz), Mi­guel Maria (Mi­guel Soler Sala), Pedro Maria (Pedro Ferrer Marin), Pedro Tomás Maria (João Prat Coll­de­car­rera), Elias Maria (Ge­nésio Garre Egea), re­li­gi­osos, todos da Ordem dos Car­me­litas Descalços. († 1936)

19. Outros santos do dia 29 de JULHO, páginas 401-428:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-

%2013.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santase Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 29 de julho, ver ainda: 29 de julho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  588-590: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes,sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly29.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.