Santas e Santos de 20 de agosto

1. Me­mória de São Ber­nardo (também na Folhinha do Coração de Jesus), abade e doutor da Igreja, que, tendo en­trado com trinta com­pa­nheiros no novo mos­teiro de Cister, foi de­pois fun­dador e pri­meiro abade do mos­teiro de Cla­raval, onde di­rigiu sa­bi­a­mente os monges pelo ca­minho dos man­da­mentos de Deus, com a vida, a dou­trina e o exemplo. Per­correu a Eu­ropa para res­ta­be­lecer a paz e a uni­dade e ilus­trou a toda a Igreja com os seus es­critos e as suas ar­dentes exor­ta­ções, até que, no ter­ri­tório de Lan­gres, na França, ador­meceu no Senhor. († 1153).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, São Bernardo, abade e Doutor da Igreja. Nascido no castelo de Fontaine-Les-Dijon em 1090, entrou muito jovem na abadia de Citeaux, levando atrás de si cinco irmãos e vários parentes e amigos. Aos vinte e cinco anos foi encarregado de fundar Claraval. Por seus escritos místicos e sua pregação exerceu considerável influência na Igreja de seu tempo, da qual foi considerado como “a Consciência”. Espalhou por toda a Europa a Ordem Cisterciense, que herdou sua rica doutrina mariana enraizada na Escritura. (R).

Conforme a Folhinha do Coração de Jesus, de 19/08/2020, “20/08: SÃO BERNARDO DE CLARAVAL. Nasceu na França no ano de 1090. Em 1112 entrou para a ordem monástica. Foi uma das personalidades mais importantes da primeira metade do século XII: foi pregador, místico, político, escritor, fundador de mosteiros, abade, conselheiro de papas, reis e bispos. Esteve muito presente nos principais acontecimentos políticos e religiosos da época. Ele é chamado o “segundo fundador” da Ordem dos Cistercienses, pois defendeu a reforma da sua Ordem e combateu os ensinamentos heréticos que se disseminavam na Europa. Deixou profunda marca na hitória da espiritualidade. Seus sermões de comentários às Sagradas Escrituras e à liturgia são excepcionais documentos de teologia monástica, inspirando a piedosa afeição à humanidade de Cristo e à Vigem Maria. Faleceu em Claraval em 1133. Frei Marcos Antônio de Andrade, OFM-Petrónolis/RJ”.

Ver páginas 66-72: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver “… Bernardo de Claraval (em francêsBernard de Clairvaux; castelo de Fontaine-lès-Dijon1090 — Ville-sous-la-Ferté, 20 de agosto de 1153) foi um abade francêscanonizado em 1174 e proclamado Doutor da Igreja. Foi o principal responsável por reformar a Ordem de Cister, na qual entrou logo depois da morte de sua mãe. Foi o fundador da Abadia de Claraval (Clairvaux), na Diocese de Langres.

Em 1128 Bernardo participou do Concílio de Troyes, que delineou a regra monástica que guiaria os Cavaleiros Templários e que rapidamente tornou-se o ideal de nobreza utilizado no mundo cristão. Depois da morte do papa Honório II em 1130, Bernardo foi instrumental para reconciliar a Igreja durante o chamado “cisma papal de 1130“, que só terminaria definitivamente com a morte do antipapa Anacleto II em 1138.

No ano seguinte, Bernardo ajudou a organizar o Segundo Concílio de Latrão. Em 1141, Inocêncio convocou o Concílio de Sens para tratar da denúncia de Bernardo contra Pedro Abelardo. Com bastante experiência em curar cismas na Igreja, Bernardo foi em seguida recrutado para ajudar no combate às heresias que grassavam no sul da França.

No Oriente Médio, depois da derrota cristã no cerco de Edessa, o papa encarregou Bernardo de pregar a Segunda Cruzada, cujo fracasso seria depois considerado parcialmente culpa sua.

Bernardo morreu aos 63 anos, depois de passar quarenta anos enclausurado. Foi o primeiro cisterciense no calendário de santos, tendo sido canonizado por Alexandre III em 18 de janeiro de 1174. Em 1830, Pio VIII proclamou-o Doutor da Igreja.

Entre suas obras estão a regra monástica da Ordem dos Templários, o “Tratado do Amor de Deus” e o “Comentário ao Cântico dos Cânticos”. É também o compositor ou redator do hino Ave Maris Stella e da invocação ” Ó clemente, ó piedosa, ó doce Virgem Maria” da oração “Salve Rainha“.[1]”: Bernardo de Claraval – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

2.   Co­me­mo­ração de São Sa­muel (também na Folhinha do Coração de Jesus), pro­feta, que, cha­mado por Deus quando ainda era cri­ança, foi de­pois juiz em Is­rael e, por man­dato di­vino, ungiu Saul como rei do seu povo; mas, quando Deus re­pu­diou Saul por causa da sua in­fi­de­li­dade, con­feriu a unção real a David, de cuja des­cen­dência havia de nascer Cristo.

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no século XI antes da nossa era, o Profeta Samuel, de quem o sábio Sirac assim faz o elogio: “Samuel foi amado por seu Deus. Profeta do Senhor, estabeleceu sua realeza e julgou a assembleia segundo a Lei de Deus. Antes do tempo do sono eterno, ninguém se levantou para o acusar (Eclo 46,13 ss).” (M). Ver páginas 73-103: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

VER: ORIGEM DE SAUL E SEU ENCONTRO COM SAMUEL: páginas 88-103: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver também “… Samuel[1] (ca10561004 a.C.) filho de Elcana e Ana, da região de Efraim.[2] Último Juízes em Israel e primeiro dos Profetas após Moisés. Para a história israeli Samuel foi quem inaugurou a monarquia quando ungiu Saul e David reis de Israel.[nº 1][3] Sua história é contada no Livro de I Samuel 1 a I Samuel 4:1; onde é interrompida para relatar o conflito com os filisteus.[nº 2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Samuel_(B%C3%ADblia)

3.   Em Chinon, for­ta­leza do ter­ri­tório de Tours, na Aqui­tânia, hoje na França, São Má­ximo (Mássimo), dis­cí­pulo de São Mar­tinho, que, de­pois de ter sido monge na Île-Barbe, junto de Lião, fundou um mos­teiro junto ao rio Vi­enne, onde morreu com avan­çada idade. († s. V)

– Ver “…  Em Chinon, São Máximo, confessor, discípulo do beato bispo Martinho.
chamado Mesme. Maximus fundou a Abadia de Chinon em Tours…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust20.html

4.   Em Noir­mou­tier, na ilha Hero, no li­toral da Aqui­tânia, também na ho­di­erna França, São Fi­li­berto (também na Folhinha do Coração de Jesus, São Felisberto), abade, que, edu­cado na corte do rei Da­go­berto, ainda ado­les­cente se tornou monge; fundou e di­rigiu o mos­teiro de Ju­miéges e de­pois o mos­teiro de Hero, pos­te­ri­or­mente cha­mado Noirmoutier. († c. 684).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 685, o retorno para Deus de São Filiberto. Jovem nobre educado na corte de Dagoberto I, tomou o hábito aos vinte e dois anos no mosteiro de Rebais. Fundou mais tarde a célebre abadia de Jumièges, não longe de Ruão. Aprisionado por ter denunciado a crueldade do administrador do palácio, teve que fugir do país e fundou um outro mosteiro na ilha de Noirmoutiers, onde terminou seus dias. Suas relíquias foram transportadas, primeiro para Grandlieu, onde os monges se haviam refugiado para escapar aos normandos, e depois para Tournous, na Borgonha (M).

– Ver páginas 109-113: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver também “… Filiberto (Eauze616 – Noirmoutier20 de agosto de 684), também conhecido como Filiberto de Jumièges, de Noirmoutier ou de Tournus, foi fundador e abade dos mosteiros de JumiègesPavilly e Noirmoutier e é venerado como santo da Igreja Católica….”: https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Filiberto

5.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, os santos már­tires Le­o­vi­gildo e Cris­tóvão, monges, que, na per­se­guição dos Mouros, es­pon­ta­ne­a­mente con­fes­saram a fé em Cristo pe­rante o juiz, e por isso foram de­ca­pi­tados, assim al­can­çando a palma do martírio. († 852)

6*.   Em Sena, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o pas­sa­mento de São Ber­nardo To­lomei, abade, fun­dador da Con­gre­gação Oli­ve­tana, com a Regra de São Bento, que viveu com grande fervor a dis­ci­plina mo­nás­tica e, du­rante uma epi­demia de peste que as­so­lava a Itália, morreu no mos­teiro de Sena. († 1348).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico (registrado em 19 de agosto), em Sena, no ano de 1348, o nascimento no céu de São Bernardo Tolomei, brilhante jurista, que perto de seus quarenta anos retirou-se para a solidão dos Apeninos. Sua santidade atraiu-lhe diversos discípulos, que reuniu no mosteiro de Monte Oliveto, dando origem à congregação beneditina dos Olivetanos. (B).

– Ver páginas 136-138: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

7*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, os be­atos Luís Fran­cisco Le Brun e Ger­vásio Brunel, pres­bí­teros e már­tires: o pri­meiro foi monge da Con­gre­gação Be­ne­di­tina de Santo Amaro, o se­gundo foi prior da Abadia Cis­ter­ci­ense da Trapa; ambos foram de­tidos em con­di­ções de­su­manas du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa e con­su­maram o seu mar­tírio con­su­midos pela enfermidade. († 1794)

8.   Em Roma, Santa Maria de Mattias, virgem, fun­da­dora da Con­gre­gação das Irmãs da Ado­ração do Pre­ci­o­sís­simo Sangue de Cristo. († 1866)

9.   Em Roma, o dia natal de São Pio X, papa, cuja me­mória se ce­lebra amanhã. († 1914)

10*.   Em Val­li­bona, na pro­víncia de Cas­tellón, na Es­panha, o Beato Ma­tias Car­dona Meseguer, pres­bí­tero da Ordem dos Clé­rigos Re­grantes das Es­colas Pias e mártir na per­se­guição religiosa. († 1936)

11*.   Em Xa­tiva, na pro­víncia de Va­lência, também na Es­panha, a Beata Maria Cle­mente Mateu, virgem e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição, pela per­se­ve­rança na fé me­receu con­fi­gurar-se com Cristo. († 1936)

12♦.   Em Bar­ce­lona, também na Es­panha, o Beato Ce­les­tino António (Is­mael Bárrio Mar­quilla), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que, na mesma per­se­guição, foi as­sas­si­nado por causa da sua fé. († 1936)

13*.   No campo de con­cen­tração de Da­chau, pró­ximo de Mu­nique da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato La­dislau Macz­kowski, pres­bí­tero e mártir, na­tural da Po­lónia, que foi de­por­tado em tempo de guerra e, pe­rante os per­se­gui­dores da dig­ni­dade hu­mana e cristã, su­por­tando cruéis tor­turas, de­fendeu a fé até à morte. († 1942)

14♦.   No campo de con­cen­tração de Da­chau, perto de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Jorge Häffner, pres­bí­tero da di­o­cese de Wurz­burgo e mártir. († 1942)

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Tourraine, no séc. V, São Mesmino, monge. Discípulo de São Martinho, foi viver no mosteiro de Île-Barbe, em Lião, para fugir da popularidade de que era objeto. De volta à sua região natal, fundou um mosteiro perto do Castelo de Chinon. (M).

– Ver São Mesmo, abade, páginas 104-105: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, Santo Amador, eremita, a quem se atribui a origem do culto e da peregrinação de Nossa Senhora de Rocamadour. (M)

17. São Haduíno, abade. Ver página 106: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

18. Santo Oswin, rei e mártir. Ver páginas107-108: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

19. Outras santas e santos do dia 20 de agosto: págs. 66-116, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes , muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 20 de agosto, ver ainda: 20 de agosto – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIAN6 – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  653-656: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para B
  5. rasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  6. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  7. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  8. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust20.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/E

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.