Santas e Santos de 16 de setembro

1. Me­mória de São Cor­nélio (também na Folhinha do Coração de Jesus), papa, e São Ci­priano (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, már­tires, dos quais se re­cordam no dia ca­torze de Se­tembro o se­pul­ta­mento do pri­meiro e a paixão do se­gundo. Neste dia todo o orbe cristão louva una­ni­me­mente os tes­te­mu­nhos de amor à ver­dade in­de­fec­tível, que, em tempo de per­se­guição, estes santos pres­taram pe­rante a Igreja e o mundo. († 252; 258).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória dos Santos Cornélio, bispo de Roma, e Cipriano, bispo de Cartago, martirizados na metade do séc. III. Cipriano, convicto da Santidade de Cornélio, pôs sua grande influência a serviço do legítimo Papa, que como ele e contrariamente ao cismático Novaciano, perdoava os apóstatas arrependidos. Condenado ao exílio, Cornélio recebeu encorajamento de seu amigo Cipriano: “Em momentos de perseguição, sustentemo-nos por meio de uma caridade recíproca, e se a um de nós Deus der a graça de morrer logo e preceder o outro, que nossa amizade possa continuar junto ao Senhor…” (Carta 60). São Cipriano, com Santo Agostinho, é uma das maiores testemunhas da doutrina da Igreja Latina nos primeiros séculos, e o principal padroeiro da África do Norte (R).

– Ver páginas 218-222 (São Cornélio) e páginas 223-240 (São Cipriano): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf .  

– Ver também “… São Cipriano de Cartago (nascido Táscio Cecílio Cipriano; em latimThascius Caecilius Cyprianus) passou para a história não apenas como santo, mas também como excelente orador. É ainda considerado um dos Padres latinos. A principal fonte sobre sua vida é a obra Vida de São Cipriano, escrita por seu discípulo Pôncio de Cartago… Diante da perseguição do imperador Décio em 249, Cipriano escolheu esconder-se para continuar prestando serviços à Igreja. No ano 258, o santo bispo foi denunciado, preso e processado. Existem as atas do seu processo de martírio que relatam suas últimas palavras do saber da sua sentença à morte…”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Cipriano_de_Cartago

– Ver no LITURGIA DAS HORAS, LEITURAS : “Das Atas Proconsulares sobre o martírio de São Cipriano, bispo – (Acta, 3-6: CSEL3,112-114) – (Séc. III) – Em causa tão justa, não há que discutir.  No dia décimo oitavo das calendas de outubro pela manhã, grande multidão se reuniu no campo de Sexto, conforme a determinação do procônsul Galério Máximo. Este, presidindo no átrio Saucíolo, no mesmo dia ordenou que lhe trouxessem Cipriano. Chegado este, o procônsul interrogou-o: “És tu Táscio Cipriano?” O bispo Cipriano respondeu: “Sou”. O procônsul Galério Máximo: “Tu te apresentaste aos homens como papa do sacrílego intento?” Respondeu o bispo Cipriano: “Sim”. O procônsul Galério Máximo disse: “Os augustíssimos imperadores te ordenaram que te sujeites às cerimônias”. Cipriano respondeu: “Não faço”. Galério Máximo disse: “Pensa bem!” O bispo Cipriano respondeu: “Cumpre o que te foi mandado; em causa tão justa, não há que discutir”. Galério Máximo deliberou com o seu conselho e, com muita dificuldade, pronunciou a sentença, com estas palavras: “Viveste por muito tempo nesta sacrílega idéia e agregaste muitos homens nesta ímpia conspiração. Tu te fizeste inimigo dos deuses romanos e das sacras religiões, e nem os piedosos e sagrados augustos príncipes Valeriano e Galieno, nem Valeriano, o nobilíssimo César, puderam te reconduzir à prática de seus ritos religiosos. Por esta razão, por seres acusado de autor e guia de crimes execráveis, tu te tornarás uma advertência para aqueles que agregaste a ti em teu crime: com teu sangue ficará salva a disciplina”. Dito isto, leu a sentença: “Apraz que Táscio Cipriano seja degolado à espada”. O bispo Cipriano respondeu: “Graças a Deus”!

Após a sentença, o grupo dos irmãos dizia: “Sejamos também nós degolados com ele”. Por isto houve tumulto entre os irmãos e grande multidão o acompanhou. E assim Cipriano foi conduzido ao campo de Sexto. Ali tirou o manto e o capuz, dobrou os joelhos e prostrou-se em oração ao Senhor. Retirou depois a dalmática, entregando-a aos diáconos e ficou de alva de linho e aguardou o carrasco, a quem, quando chegou, mandou que os seus lhe dessem vinte e cinco moedas de ouro. Os irmãos estenderam diante de Cipriano pano de linho e toalha. O bem-aventurado quis vedar os olhos com as próprias mãos. Não conseguindo amarrar as pontas, o presbítero Juliano e o subdiácono Juliano o fizeram. Deste modo morreu o bem-aventurado Cipriano. Seu corpo, por causa da curiosidade dos pagãos, foi colocado ali perto, de onde, à noite, foi retirado e, com círios e tochas, hinos e em grande triunfo, levado ao cemitério de Macróbio Candidiano, administrador, existente na via Mapaliense, junto das piscinas. Poucos dias depois, morreu o procônsul Galério Máximo.

O mártir santíssimo Cipriano foi morto, no dia décimo oitavo das calendas de outubro, sob Valeriano e Galieno imperadores, reinando, porém, nosso Senhor Jesus Cristo, a quem a honra e a glória pelos séculos dos séculos. Amém…

– Ver também “… Papa São Cornélio (em latimCornelius; local e data de nascimento desconhecidas—junho de 253) foi papa de 6 ou 13 de março de 251 até a data do seu martírio. São Cornélio foi papa em um dos momentos mais problemáticos da Igreja, entre duas grandes perseguições e um cisma, e mostrou grande capacidade tanto de ser um líder teológico e espiritual, bem como um grande líder político e diplomático. São Cornélio dedicou sua vida ao cristianismo, e é considerado como modelo e inspiração para os futuros papas… Em junho de 251, o Imperador Décio foi morto enquanto lutava contra os Godos; imediatamente Treboniano Galo tornou-se o líder do Império Romano. A perseguição aos cristãos começou novamente em junho de 252, e o papa Cornélio foi exilado para CivitavecchiaItália, onde morreu um ano depois, em junho de 253. Algumas fontes afirmam que ele foi decapitado.[4] …”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Corn%C3%A9lio

2.   Em Cal­ce­dónia, na Bi­tínia, na ac­tual Tur­quia, Santa Eu­fémia, virgem e mártir, que, no tempo do im­pe­rador Di­o­cle­ciano e do procônsul Prisco, su­por­tando por Cristo muitos su­plí­cios, pela co­ragem no com­bate al­cançou a coroa de glória. († c. 303).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Calcedônia, Santa Eufêmia, virgem, martirizada em 303, ano muito conturbado, no qual, segundo o testemunho dos atos consulares, igrejas foram demolidadas e livros sagrados foram queimados. (M).

– Ver “… Eufêmia (português brasileiro) ou Eufémia (português europeu) (em grego: Εὐφημία; Calcedôniac. 288 — Calcedônia, c. 307), dita “Bem aventurada” na Igreja Ortodoxa, é uma Grande Mártir e santa que morreu por sua fé, em Calcedônia no início do século IV…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Euf%C3%AAmia

– Ver página 244: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

3.   No Monte So­ratte, junto à Via Fla­mínia, no Lácio, re­gião da Itália, os santos Abúndio e com­pa­nheiros, mártires. († 304)

4.   Em Roma, junto à Via No­men­tana “ad Cá­pream”, no ce­mi­tério Maior, os santos Vítor, Félix, Ale­xandre e Pa­pias, mártires. († data inc.)

5*.   Em Nó­cera, na Cam­pânia, re­gião da Itália, São Prisco, bispo e mártir, que São Pau­lino de Nola ce­le­brou nos seus pa­ne­gí­ricos poéticos. († c. s. IV)

6.   Em Whithorn, na Es­cócia, a co­me­mo­ração de São Ni­niano, bispo, bretão de nas­ci­mento, que con­duziu à ver­dade da fé os Pictos e es­ta­be­leceu neste lugar a sede episcopal. († c. 432).

– Ver “… Niniano (séc. IV-V) é um santo cristão mencionado pela primeira vez no século VIII como sendo um dos primeiros missionários entre os povos pictos que viviam no território da moderna Escócia. Por isto, é conhecido como Apóstolo dos Pictos Meridionais e há diversas igrejas dedicadas a ele nas regiões de herança cultural picta, como as Terras Baixas Escocesas, onde é conhecido também como Ringan, e o norte da Inglaterra, de herança nortúmbria, onde é chamado também de Trynnian…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Niniano

7.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, os santos már­tires Ro­gélio, monge de avan­çada idade, e do jovem Ser­videu (Ab­dallah), na­tivos do Ori­ente, que, por anun­ci­arem au­daz­mente Cristo ao povo sar­ra­ceno, foram con­de­nados à morte e, sem o menor sen­ti­mento de tris­teza, so­freram a am­pu­tação das mãos e das pernas e fi­nal­mente foram decapitados. († 852).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico,em Córdova, no ano da graça de 852, o martírio de São Rogério, monge, e o de Abdala, jovem cristão decapitados pelos muçulmanos. (M)

8*.   Em Praga, na Boémia, na Ché­quia, Santa Lud­mila, mártir, du­quesa da Boémia, que, in­di­cada para a edu­cação do seu neto São Ven­ceslau, em cujo ânimo se em­pe­nhou em in­fundir o amor de Cristo, foi es­tran­gu­lada na sequência de uma con­jura da sua nora Dra­go­mira e de ou­tros no­bres pagãos. († 921)

– Ver “… A Santa Mártir Ludmilla, uma princesa tcheca (boêmia), era casada com o príncipe tcheco Borivoy. Ambos os cônjuges receberam o santo Batismo de São Metódio, Arcebispo da Morávia e Iluminador dos Eslavos (Com. 11 de maio). Como cristãos, mostraram-se preocupados em iluminar seus súditos com a luz da verdadeira Fé, construíram igrejas e convidaram padres para celebrar os serviços divinos. O Príncipe Borivoy morreu cedo, aos 36 anos. Santa Ludmila, viúva, levou uma vida austera e piedosa e continuou a se preocupar com a Igreja durante o reinado de seu filho Bratislav, que durou 33 anos.
Bratislav era casado com Dragomira, com quem teve um filho, Vyacheslav. Após a morte de Bratislav, Vyacheslav, de dezoito anos, subiu ao trono. Aproveitando a inexperiência e a juventude de seu filho, Dragomira começou a introduzir maneiras e costumes pagãos no país.
Santa Ludmila, é claro, se opôs a isso. Dragomira passou a odiar a sogra e tentou destrui-la. Quando Santa Ludmila se mudou para a cidade de Techin, Dragomira enviou dois boiardos em segredo para matá-la. Santa Ludmila estava rezando na hora, e os dois assassinos entraram na casa e cumpriram as ordens de Dragomira. As relíquias da Santa Mártir Ludmila foram enterradas em Techin na muralha da cidade. Numerosas curas ocorreram em seu túmulo. O príncipe Vyacheslav transferiu o corpo de Santa Ludmila para a cidade de Praga e colocou-o na igreja de São Jorge…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DaySeptember16.html

– Ver também São Venceslau, dia 28 de setembro.

9.   Em Wilton, na In­gla­terra, Santa Edite (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, filha do rei dos An­glos, que, desde tenra idade, en­trou num mos­teiro, onde abraçou ge­ne­rosa e hu­mil­de­mente a vida con­sa­grada a Deus. († c. 984).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mosteiro de Santa Maria, de Wilton, Santa Edith, filha do rei da Inglaterra, Edgard. Consagrada a Deus desde sua mais tenra idade, morreu aos vinte e três anos, pranteada unanimemente por suas irmãs, tanto por suas graças naturais como pelas sobrenaturais. (M)

– Ver “… Santa Edith de Wilton (961-984 DC). Santa Edith de Wilton era filha ilegítima do Rei Edgar, … nascida em 961 DC em Kemsing em Kent. Sua mãe era St. Wulfthrith (Wulfrida), uma freira de nascimento nobre, que Edgar levou à força de seu mosteiro em Wilton. Sob a direção de Santo Dunstan, ele fez penitência por esse crime ao não usar sua coroa por sete anos. Assim que Wulfthrith conseguiu escapar dele, ela voltou para sua cela e, lá, Edith foi criada. Educada com muito cuidado, ela se tornou uma maravilha de beleza, aprendizado e piedade. Após a morte de sua esposa, Edgar teria se casado com Wulfthrith, mas ela preferiu permanecer freira em Wilton. Edith tirou o véu muito cedo, com o consentimento do pai. Ele a fez abadessa de três comunidades diferentes, mas ela escolheu permanecer com sua mãe em Wilton… depois, o rei Edgar morreu e foi sucedido por seu filho, Eduardo, o Mártir. Após a morte deste último, a nobreza que aderiu ao rei assassinado queria que Edith, sua meia-irmã, deixasse seu mosteiro e subisse ao trono, mas ela preferia um estado de humildade e obediência à perspectiva de uma coroa. Edith construiu a igreja de St Denis em Wilton, para a dedicação da qual ela convidou o arcebispo de Canterbury, St Dunstan. Observou-se que ele chorou muito durante a missa, e a razão da qual disse depois foi porque soube que Edith em breve seria tirada deste mundo, enquanto nós, disse ele, ainda continuaremos sentados aqui embaixo na escuridão e na sombra de morte. De acordo com esta previsão, quarenta e três dias depois desta solenidade, ela repousou feliz no Senhor, em 16 de setembro de 984, com apenas vinte e dois anos de idade. Uma história agradável é contada de St Edith aparecendo após sua morte no batismo de uma criança por quem ela havia prometido ser madrinha, segurando o bebê em seus braços na pia batismal. Ela também apareceu, mas um tanto indignada, ao rei Canuto, que teve a ousadia de duvidar de algumas das maravilhas que lhe foram atribuídas. 

St Edith é comemorada hoje na diocese de Clifton…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DaySeptember16.html

10*.   Em Mon­te­cas­sino, no Lácio, re­gião da Itália, o pas­sa­mento do Beato Vítor III, papa, que de­pois de ter di­ri­gido sa­bi­a­mente du­rante trinta anos este cé­lebre mos­teiro e o ter pro­mo­vido mag­ni­fi­ca­mente, as­sumiu a missão de go­vernar a Igreja de Roma. († 1087).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1087, São Vitor III, papa. Membro da casa dos duques de Benevento, foi inicialmente eremita. Eleito abade de Monte Cassino, dedicou-se à organização do célebre mosteiro, antes de suceder São Gregório VII na cátedra de São Pedro. (M)

– Ver “… Papa Vítor III (Dauferio de Fausi, * Benevento1026? — Roma16 de Setembro de 1087) foi um monge beneditino. Exerceu o seu pontificado de 24 de Maio de 1086 até à data da sua morte…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_V%C3%ADtor_III

11*.   Em Sa­vigny, na Nor­mandia, re­gião da França, São Vital, abade, que, aban­do­nando as fun­ções ter­renas, se en­tregou a uma ob­ser­vância mais ri­go­rosa em lu­gares de­sertos e reuniu muitos dis­cí­pulos no ce­nóbio por ele fundado. († 1122)

12*.   No mos­teiro de Hu­erta, na re­gião de Cas­tela, na Es­panha, o pas­sa­mento de São Mar­tinho, cha­mado Sa­cer­dote, que, sendo abade cis­ter­ci­ense, foi or­de­nado bispo de Sigüenza, onde se de­dicou com grande di­li­gência à re­forma do clero, e de­pois se re­tirou no­va­mente para o mesmo mosteiro. († 1213)

13*.   Em Salon, na Pro­vença, re­gião da França, o pas­sa­mento do Beato Luís Ale­mand, bispo de Arles, in­signe pela sua vida de sin­gular pi­e­dade e penitência. († 1450).

– Ver páginas 241-242: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

14*.   Em Na­ga­sáki, no Japão, os be­atos már­tires Do­mingos Sho­bioye, Mi­guel Ti­mo­noya e seu filho Paulo, que foram de­go­lados em ódio à fé cristã. († 1628)

15.   Em Lima, no Peru, São João Ma­cias, re­li­gioso da Ordem dos Pre­ga­dores, que du­rante muito tempo exerceu ofí­cios hu­mildes, cuidou di­li­gen­te­mente dos po­bres e dos en­fermos e as­si­du­a­mente re­ci­tava o Ro­sário pelas almas dos defuntos. († 1645)

16.   Em Sai-Nam-Hte, na Co­reia, a paixão de Santo André Kim Ta­egon, pres­bí­tero e mártir, que, de­pois de dois anos de­di­cados com grande zelo ao mi­nis­tério sa­cer­dotal, al­cançou um glo­rioso mar­tírio, sendo de­ca­pi­tado; a sua me­mória ce­lebra-se no dia vinte de Setembro. († 1846).

– Ver “… André Kim Taegon (Dangjin,21 de agosto de 1821 — Seul16 de setembro de 1846) foi um sacerdote católico coreano, declarado santo pela Igreja Católica…”:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Andr%C3%A9_Kim_Taegon

Ver 20 de setembro: Me­mória dos santos André Kim Taegon (também na Folhinha do Coração de Jesus de 20 de setembro), pres­bí­tero, Paulo Chong Ha-sang  (também na Folhinha do Coração de Jesus de 20 de setembro), e com­pa­nheiros, már­tires na Co­reia. Neste dia ve­neram-se na mesma ce­le­bração todos os cento e três már­tires que na Co­reia deram tes­te­munho da fé cristã, neste reino in­tro­du­zida pri­meiro por ini­ci­a­tiva de al­guns leigos fer­vo­rosos e de­pois ali­men­tada e for­ta­le­cida pela pre­gação dos mis­si­o­ná­rios e a ce­le­bração dos sa­cra­mentos. Todos estes atletas de Cristo – entre os quais três bispos, oito pres­bí­teros e todos os ou­tros leigos: ho­mens e mu­lheres, ca­sados ou não, an­ciãos, jo­vens e cri­anças – su­por­tando o su­plício, con­sa­graram com o seu pre­cioso sangue os pri­mór­dios da Igreja na Coreia.  São estes os seus nomes: Si­meão Ber­neux, An­tónio Da­veluy, Lou­renço Im­bert, bispos; Justo Ranfer de Bre­tenières, Luís Be­au­lieu, Pedro Hen­rique Dorie, Pedro Mau­bant, Tiago Chastan, Pedro Aumaître, Mar­tinho Lucas Huin, pres­bí­teros; João Yi Yun-il, André Chong Hwa-gyong, Es­têvão Min Kuk-ka, Paulo Ho Hyob, Agos­tinho Pak Chonwon, Pedro Hong Pyong-ju, Paulo Hong Yong-ju, José Chang Chu-gi, Tomé Son Chason, Lucas Huwang Sok-tu, Da­mião Nam Myong-hyog, Fran­cisco Ch’oe Kyong-hwan, Carlos Hyon Song-mun, Lou­renço Han I-hyong, Pedro Nam Kyong-mun, Agos­tinho Yu Chin-gil, Pedro Yi Ho-yong, Pedro Son Son-ji, Be­ne­dita Hyong Kyong-nyon, Pedro Ch’oe Ch’ang-hub, ca­te­quistas; Águeda Yi, Maria Yi In-dog, Bár­bara Yi, Maria Won Kwi-im, Te­resa Kim Im-i, Co­lumba Kim Hyo-im, Ma­da­lena Cho, Isabel Chong Chong Hye, vir­gens; Te­resa Kim, Bár­bara Kim, Su­sana U Sur-im, Águeda Yi Kan-nan, Ma­da­lena Pak Pong-son, Per­pétua Hong Kum-ju, Ca­ta­rina Yi, Ce­cília Yu So-sa, Bár­bara Cho Chung-i, Ma­da­lena Han Yong-i, viúvas; Ma­da­lena Son So-byog, Águe­daYi Kiong-i, Águeda Kwon Chin-i, João Yi Mun-u, Bár­bara Ch’oe Yong-i, Pedro Yu Chong-nyul, João Bap­tista Nam Chongsam, João Bap­tista Chon Chang-un, Pedro Ch’oe Hyong, Marcos Chong Ui-bae, Aleixo U Se-yong, An­tónio Kim Song-u, Pro­tásio Chong Kuk-bo, Agos­tinho Yi Kwang-hon, Águeda Kim A-gi, Ma­da­lena Kim O-bi, Bár­bara Han A-gi, Ana Pak A-gi, Águeda Yi So-sa, Luzia Pak Hui-sun, Pedro Kwon Tu-gin, José Chang Song-jib, Ma­da­lena Yi Yong-hui, Te­resa Yi Mae-im, Marta Kim Song-im, Luzia Kim, Rosa Kim, Ana Kim Chang-gum, João Bap­tista Yi Kwang-nyol, João Pak Hu-jae, Maria Pak Kun-a-gi Hui-sun, Bár­bara Kwon-hui, Bár­bara Yi Chong-hui, Maria Yi Yon-hui, Inês Kim Hyo-ju, Ca­ta­rina Chong Ch’or-yom, José Im Ch’i-baeg, Se­bas­tião Nam I-gwan, Inácio Kim Che-jun, Carlos Cho Shin-ch’ol, Ju­lieta Kim, Águeda Chon Kyong-hyob, Ma­da­lena Ho Kye-im, Luzia Kim, Pedro Yu Taech’ol, Pedro Cho Hwa-so, Pedro Yi Myong-so, Bar­to­lomeu Chong Mun-ho, José Pedro Han Chae-kwon, Pedro Chong Wom-ji, José Cho Yun-ho, Bár­bara Ko Sun-i, Ma­da­lena Yi Yong-dog. († 1839-1866).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico (de 20 de setembro), memória dos Santos André Kim, Paulo Chong Hsang e seus companheiros, mártires. No séc. XVII houve muitas conversões na Coréia, ficando a comunidade cristã sem pastores até a chegada dos missionários franceses em 1836. Nas perseguições de 1839, 1846 e 1866, cento e três homens, mulheres e crianças foram martirizados, dentre os quais se destacam os santos hoje festejados. (R).

17*.   Em Ódena, po­vo­ação da pro­víncia de Bar­ce­lona, na Es­panha, o Beato Inácio Ca­sa­novas Perramón, pres­bí­tero da Ordem dos Clé­rigos Re­grantes das Es­colas Pias e mártir, que morreu por Cristo du­rante o terror da per­se­guição religiosa. († 1936)

18*.   Em Turis, na pro­víncia de Va­lência, também na Es­panha, os be­atos már­tires Lau­reano (Sal­vador Ferrer Cardet), pres­bí­tero, Be­nito Maria (José Ma­nuel Ferrer Jordá) e Ber­nar­dino (Paulo Mar­tínez Ro­bles), re­li­gi­osos da Ordem dos Ter­ciá­rios Ca­pu­chi­nhos de Nossa Se­nhora das Dores, que, du­rante a mesma per­se­guição, foram mortos pelos ho­mens, mas ele­vados por Deus ao reino celeste. († 1936)

19. Outras santas e santos do dia 16 de setembro, págs. 218-245, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

 “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 16 de setembro, ver ainda: 16 de setembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  727-730: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DaySeptember16.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-ME ESPÍRITO DE ORAÇÃO, VIGILÂNCIA, RENÚNCIA, PENITÊNCIA E DOCILIDADE! DÊ-ME ARDOR MISSIONÁRIO PELO E PARA O SENHOR! TIRE-ME O TORPOR E A TIBIEZA! DÊ-ME A GRAÇA, AMADO PAI, DE LUTAR COM ENTUSIASMO E FORÇA DE VONTADE, MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS, PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ DE BONS COSTUMES POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO, CORAGEM E TRABALHO. PEÇO EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! O MESMO PEÇO PARA A FAMÍLIA! AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, CUIDE DE NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/E

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.