Santas e Santos de 28 de agosto

Me­mória de Santo Agos­tinho (também na Folhinha do Coraçãoi de Jesus), bispo e in­signe doutor da Igreja, que, de­pois de uma vida in­quieta, quer in­te­lec­tual quer mo­ral­mente, se con­verteu à fé ca­tó­lica e foi bap­ti­zado por Santo Am­brósio de Milão e, re­gres­sando à sua pá­tria, aí levou com al­guns amigos uma vida as­cé­tica, con­sa­grada a Deus e ao es­tudo da Es­cri­tura. Eleito de­pois bispo de Hi­pona, hoje An­naba, na Ar­gélia, du­rante trinta e quatro anos foi per­feito mo­delo do seu re­banho e deu-lhe uma só­lida for­mação cristã por meio de nu­me­rosos ser­mões e es­critos, com os quais com­bateu for­te­mente os erros do seu tempo e expôs com sa­be­doria a ver­da­deira fé. († 430). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de Santo Agostinho, bispo de Hipona e doutor da Igreja, morto em 430. Inicialmente professor de retórica e orador, foi convertido de seus desvios morais e doutrinais, e batizado, perto de trinta e três anos, por Santo Ambrósio de Milão. Desde então, consagrou-se de corpo e alma a Deus, engajando-se na vida monástica e sacerdotal. Durante os trinta e quatro anos de seu episcopado, serviu a Igreja por sua palavra, abrindo o tesouro da Escritura a seus fiéis, e, através de seus escritos, expondo e defendendo de maneira incomparável, a doutrina da graça. (R). Ver páginas 268-305: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Agostinho_de_Hipona

2.   Em Roma, no ce­mi­tério de Ba­sila, junto à Via Sa­lária An­tiga, Santo Hermes, mártir, que, como re­fere o papa São Dâ­maso, veio da Grécia e Roma aco­lheu como seu ci­dadão, quando so­freu o mar­tírio pelo santo nome de Cristo. († s. III). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, Santo Hermes, escravo ou liberto romano, martirizado no séc. II. (M)

3.   Em Cons­tança, na Suábia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, a co­me­mo­ração de São Paio (São Pelágio), mártir. († c. s. III)

4.   Em Bri­oude, perto de Cler­mont-Fer­rand, na Aqui­tânia, hoje na França, São Ju­lião, mártir, que, em tempo de per­se­guição, tendo vindo para este ter­ri­tório pela exor­tação de São Fer­réolo, con­forme se narra, neste lugar re­cebeu a palma do martírio. († c. s. III). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Brioude, na Auvergne, São Juliano, mártir. Companheiro do tribuno São Ferreolo, seguia secretamente a Cristo sob o uniforme militar. Durante a perseguição de Diocleciano, foi detido e teve o pescoço cortado. Seu culto teve grande popularidade em várias localidades, que se colocaram sob seu patrocínio. (M)

5.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, Santo Ale­xandre, bispo, cuja oração apos­tó­lica, como es­creve São Gre­gório de Na­zi­anzo, venceu o chefe da im­pi­e­dade ariana. († c. 336)

6.   Em Car­tago, na ho­di­erna Tu­nísia, São Res­ti­tuto, em cuja fes­ti­vi­dade Santo Agos­tinho fez em sua honra um sermão ao povo. († c. 360)

7*.   Em Sár­sina, na Fla­mínia, hoje na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, São Vi­cínio, pri­meiro bispo desta cidade. († s. IV/V)

8.   Em Saintes, na Gália, ac­tu­al­mente na França, São Vi­viano (também na Folhinha do Coraçãoi de Jesus), bispo. († s. V). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. V, o Bem-Aventurado Bibiano, bispo, que se devotou ao serviço da Igreja de Saintes. (M)

9.   No Egipto, São Moisés o Etíope, que, de­pois de ter sido um la­drão fa­moso se tornou ana­co­reta, con­verteu muitos do seu bando e os con­duziu com ele para o mosteiro. († c. 400). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no deserto de Cétia, no séc. IV, São Moisés, o Egípcio. Antigo escravo liberto por seu patrão, era chefe de um bando de assaltantes, quando tocado pela graça converteu-se e abraçou a vida monástica. Escolhido como sacerdote pelos numerosos penitentes que se haviam reunido em volta dele, o antigo assassino aplicou-se em animar a vida espiritual daquelas pessoas pelo exemplo de sua humildade. (M)

10.   Em Se­vilha, na An­da­luzia, re­gião da His­pânia, Santa Flo­ren­tina, virgem, muito eru­dita em ci­ên­cias ecle­siás­ticas, a quem os seus ir­mãos Le­andro e Isi­doro de­di­caram tra­tados de in­signe doutrina. († s. VII)

11*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, os be­atos már­tires Gui­lherme Dean, pres­bí­tero, e sete com­pa­nheiros, que, no rei­nado de Isabel I, con­su­maram o seu mar­tírio pelo reino de Deus, en­for­cados no mesmo dia mas em lu­gares di­versos da ci­dade ou nos arredores. São estes os seus nomes: Gui­lherme Gunter, Ro­berto Morton, Tomás Hold­ford e Jaime Claxton, pres­bí­teros; Tomás Felton, clé­rigo da Ordem dos Frades Me­nores; Hen­rique We­bley e Hugo More, leigos. († 1588)

12.   Em Len­castre, também na In­gla­terra, Santo Ed­mundo Ar­rows­mith, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, na­tural deste du­cado, que, de­pois de ter exer­cido o mi­nis­tério pas­toral du­rante muitos anos na sua pá­tria, porque era sa­cer­dote e con­du­zira muitas pes­soas à fé ca­tó­lica, foi en­for­cado, contra a von­tade dos pró­prios pro­tes­tantes do lugar, no rei­nado de Carlos I. († 1628)

13.   Em Mon­terrey, na Ca­li­fórnia, Santo Ju­ní­pero (Mi­guel Serra), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, que, nas tribos da­quela re­gião ainda pagã, so­bre­car­re­gado por muitas di­fi­cul­dades e tra­ba­lhos, pregou o Evan­gelho de Cristo no idioma do povo local e de­fendeu te­naz­mente os di­reitos dos po­bres e dos humildes. († 1784)

14*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Carlos Ar­naldo Hanus, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, por causa do sa­cer­dócio foi en­car­ce­rado na sór­dida ga­lera, na qual, atin­gido pelo es­va­e­ci­mento e também pela en­fer­mi­dade, con­sumou o martírio. († 1794)

15.   Em Bar­ce­lona, na Es­panha, Santa Jo­a­quina de Ve­druma, mãe de fa­mília, que educou pi­e­do­sa­mente nove fi­lhos e, quando ficou viúva, fundou o Ins­ti­tuto das Car­me­litas da Ca­ri­dade, su­por­tando se­re­na­mente todo o gé­nero de so­fri­mentos até à sua morte, que ocorreu por con­tágio da cólera. († 1854)

16♦.   Em Alençon, na França, Santa Zélia Maria Guerin, mãe de Santa Te­resa do Me­nino Jesus. († 1877)

17*.   Na re­gião de Va­lência, na Es­panha, os be­atos már­tires João Bap­tista Faubel Cano e Artur Ros Montalt, pais de fa­mília, que, du­rante a per­se­guição contra a Igreja, re­ce­beram dos ho­mens a morte, mas de Deus a vida eterna. († 1936)

18*.   Em Vi­la­nesa, lo­ca­li­dade da mesma re­gião da Es­panha, o Beato Au­rélio de Vilanesa (José Ample Al­caide), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição, no com­bate da fé co­lheu o fruto da glória eterna. († 1936)

19♦.   Em Elche de la Si­erra, perto de Al­ba­cete, também na Es­panha, o Beato Ma­merto Car­chano Carchano, pres­bí­tero da di­o­cese de To­ledo e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição, con­firmou com o seu sangue a plena fi­de­li­dade a Cristo. († 1936)

20*.   Em Nawo­jowa Gora, po­vo­ação da Po­lónia, o Beato Afonso Maria Ma­zurek, pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e mártir, que, em tempo de guerra, foi morto pelos in­va­sores da sua pá­tria por causa da sua pro­fissão cristã. († 1944)

21. São João III (também na Folhinha do Coraçãoi de Jesus).

22. Santo Ezequias, rei de Judá, Antigo Testamento. Ver páginas 306-320: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf  

 23. Outros santos do dia 28 de agosto: págs. 268-323, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.