Santas e Santos de 08 de setembro

SOLENIDADES E FESTAS DE NOSSA SENHORA:

* Festa da Na­ti­vi­dade da Virgem Santa Maria, da des­cen­dência de Abraão, nas­cida da tribo de Judá, da li­nhagem régia de David, da qual nasceu o Filho de Deus, feito homem por vir­tude do Es­pí­rito Santo, para li­bertar os ho­mens da an­tiga es­cra­vidão do pecado. NOSSA SENHORA DA PENHA: ver também 08 de abril. Ver:  

http://www.arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/nossa-senhora-da-penha

https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Penha_de_Fran%C3%A7a

https://www.altoastral.com.br/nossa-senhora-da-penAa/

Ver ainda: págs. 366-374. OBSERVAÇÃO: entre as páginas 370-373, NOSSA SENHORA APARECIDA: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Ver ainda: NATIVIDADE DA SANTÍSSIMA VIRGEM: Ver páginas 99-100: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

* Conforme o Martirológio Romano-Monástico, FESTA DA NATIVIDADE DA BEM-AVENTURADA VIRGEM MARIA, herdeira das Alianças e das promessas de Israel, de quem Cristo se originou, segundo a sua humanidade. Essa festa é igualmente celebrada pelos orientais bizantinos e siríacos, ao passo que os gregos e coptas a celebram na vigília deste dia. (R). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Natividade_de_Nossa_Senhora

Solenidade de NOSSA SENHORA DE MONSERRATE, titular da Abadia Territorial de Nossa Senhora de Monserrate, no Rio de Janeiro, e padroeira principal das arquidioceses de Curitiba e Vitória, da diocese de Juazeiro e da prelazia de Lábrea. Nas cidades de Curitiba e Santos, é padroeira. Nas catedrais de Curitiba (Nossa Senhora da Luz), Vitória (Nossa Senhora da Vitória), Juazeiro (Nossa Senhor- a das Grotas) e Lábrea (Nossa Senhora de Nazaré), solenidade da titular. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Virgem_de_Montserrat

– VER AINDA:

* NOSSA SENHORA DA CARIDADE DO COBRE: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Caridade_do_Cobre

* NOSSA SENHORA DE NAZARÉ: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_de_Nazaré

* NOSSA SENHORA DA PENNA (também na Freguesia – Rio de Janeiro): https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Pena

* NOSSA SENHORA DO PORTO: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_do_Porto

* NOSSA SENHORA DA SAÚDE  https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Saúde

2.   Em Roma, a co­me­mo­ração de Santo Adrião, mártir, que pa­deceu o mar­tírio em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, em cuja honra o papa Ho­nório I con­verteu em igreja a Cúria do Se­nado Romano. († data inc.)

3.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, os santos Fausto, Dio e Amónio, pres­bí­teros e már­tires, que, na per­se­guição do im­pe­rador Di­o­cle­ciano, re­ce­beram a coroa do mar­tírio jun­ta­mente com o bispo São Pedro. († c. 311). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, receberam a coroa do martírio Amon, Teófilo, Notero e Fausta em Alexandria, no séc. III; assim como Nestabo, Eusébio e Nestor (também na Folhinha do Coração de Jesus), na Palestina, no séc. IV. (M). No VIDAS DOS SANTOS, Santos Eusébio, Nestabo e Zeno. Também São Nestor. Ver páginas 109-111: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf  

4.   Em Ba­gre­vand, ci­dade da an­tiga Ar­ménia, Santo Isaac, bispo, que, para for­ta­lecer a vida cristã do povo, tra­duziu a Sa­grada Es­cri­tura e a Li­turgia para a língua ar­mena; aderiu à fé pro­fes­sada no Con­cílio de Éfeso, mas em se­guida foi afas­tado da sua sede epis­copal e morreu no exílio. († 438)

5.   Em Roma, junto de São Pedro, o se­pul­ta­mento de São Sérgio I, papa, de origem síria, que se de­dicou in­ten­sa­mente à evan­ge­li­zação dos Sa­xões e dos Fri­sões e re­solveu sa­bi­a­mente muitas con­tro­vér­sias e con­flitos, pre­fe­rindo morrer a con­sentir os erros. († 701). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano do Senhor de 701, o Bem-Aventurado Sérgio I, papa de origem siríaca, que introduziu no ocidente as quatro grandes festas marianas orientais. Favoreceu o movimento missionário ao conferir o episcopado a São Vilibrordo. (M)

6.   Em Frí­singa, ci­dade da Ba­viera, na ac­tual Ale­manha, São Cor­bi­niano, que, tendo sido or­de­nado bispo e en­viado a pregar o Evan­gelho na Ba­viera, pro­duziu frutos abundantes. († 725). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto do ano 725,  a volta para Deus de São Corbiano, monge franco nascido perto de Melun, que como bispo nomeado pelo Papa Gregório II estabeleceu em Freissing, na Baviera, o centro de seu apostolado. (M). Ver páginas 101-108: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

7*.   Em Pé­brac, no ter­ri­tório de Le Puy-en-Velay, na França, São Pedro de Chavanon, pres­bí­tero, que, as­pi­rando a uma vida mais per­feita, se re­tirou para este local recôn­dito, onde edi­ficou e di­rigiu um ce­nóbio de có­negos regrantes. († c. 1080)

8*.   Em Pê­saro, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, a Beata Se­ra­fina Sforza, que na vida con­jugal su­portou muitas ad­ver­si­dades e, quando ficou viúva, passou hu­mil­de­mente o resto dos seus anos sob a regra de Santa Clara. († 1478)

9.   Em Va­lência, na Es­panha, São Tomás de Vilanova (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que, sendo ere­mita sob a regra de Santo Agos­tinho, aceitou por obe­di­ência o mi­nis­tério epis­copal, onde se dis­tin­guiu, entre ou­tras vir­tudes pas­to­rais, pelo seu ar­dente amor aos po­bres, até ao ponto de dar tudo aos ne­ces­si­tados, sem ficar se­quer com um pe­queno leito para si. († 1555). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1555, São Tomás de Vilanova, monge agostiniano de Salamanca, depois arcebispo de Valência, na Espanha, cognominado “o Esmoler”, por causa de seu amor pelos pobres. Por seus escritos ascéticos e místicos, aparece como um dos representantes da Escola Espanhola do Séc. XVI. (M)

10*.   Em Durham, na In­gla­terra, os be­atos már­tires Tomás Pa­laser, pres­bí­tero, João Norton e João Talbot, que foram con­de­nados à morte no rei­nado de Isabel I – o pri­meiro por ter en­trado na In­gla­terra como sa­cer­dote, os ou­tros por lhe terem pres­tado au­xílio – e so­freram o su­plício do patíbulo. († 1600)

11.   Em Car­ta­gena, na Colômbia, o dia natal de São Pedro Claver, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus, cuja me­mória se ce­lebra amanhã. († 1654)

12*.   Em Na­ga­sáki, no Japão, os be­atos An­tónio de São Boaventura, da Ordem dos Frades Me­nores, Do­mingos Cas­tellet, da Ordem dos Pre­ga­dores, pres­bí­teros, e vinte com­pa­nheiros, már­tires, entre os quais al­guns leigos e muitas cri­anças, que, pas­sados ao fio da es­pada ou lan­çados à fo­gueira, todos so­freram o mar­tírio por Cristo. São estes os seus nomes: Do­mingos de Na­ga­sáki, re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores; Tomé de São Ja­cinto e An­tónio de São Do­mingos, re­li­gi­osos da Ordem dos Pre­ga­dores; Lúcia Luísa, viúva; João To­máchi e seus fi­lhos Do­mingos, Mi­guel, Tomé e Paulo; João Ima­mura, Paulo Sa­dayu Ay­bara, Romão Ay­bara e seu filho Leão, Tiago Hayashida, Ma­teus Ál­varez, Mi­guel Ya­mada e seu filho Lou­renço, Luís Hi­gashi e seus fi­lhos Fran­cisco e Domingos. († 1628)

13*.   Em Mar­selha, na França, o pas­sa­mento do Beato Fre­de­rico Ozanam, homem ilustre pela sua cul­tura e pi­e­dade, que de­fendeu e pro­pagou com emi­nente dou­trina as ver­dades da fé, fo­mentou a as­sis­tência aos po­bres na cha­mada Con­fe­rência de São Vi­cente de Paulo e, como pai exem­plar, fez da sua fa­mília uma igreja doméstica. († 1853)

14*.   Em Al­meria, no li­toral da An­da­luzia, re­gião da Es­panha, os be­atos José Ce­cílio (Bo­ni­fácio Ro­drí­guez Gon­zález), Te­o­de­miro Jo­a­quim (Adriano Sainz Sainz) e Evêncio Ri­cardo (Eu­sébio Afonso Ur­jurra), már­tires, da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa na guerra civil, al­can­çaram a palma do martírio. († 1936)

15*.   Em Alcoy, po­vo­ação pró­xima de Ali­cante, também na Es­panha, o Beato Ma­rino Blanes Giner, mártir, pai de fa­mília, que, du­rante a mesma per­se­guição, re­cebeu dos ho­mens a morte, mas de Deus a vida eterna. († 1936)

16*.   Em Pa­terna, no ter­ri­tório de Va­lência, também na Es­panha, o Beato Is­mael Es­crihuela Es­teve, mártir, pai de fa­mília, que se tornou par­ti­ci­pante da vi­tória de Cristo pelo martírio. († 1936)

17*.   Em Vil­lar­real, no ter­ri­tório de Cas­tellón, também na Es­panha, o Beato Pas­coal Fortuño Al­mela, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores e mártir, que foi co­roado de glória pelo tes­te­munho de Cristo. († 1936)

18*.   Em Buñol, pró­ximo de Va­lência, também na Es­panha, as be­atas Jo­sefa de São João de Deus (Jo­sefa Ruano Garcia) e Maria das Dores de Santa Eu­lália (Dores Puig Bo­nany), vir­gens da Con­gre­gação das Irmãs dos An­ciãos De­sam­pa­rados e már­tires, que, na mesma per­se­guição contra a fé, der­ra­mando o seu sangue re­ce­beram a coroa de glória. († 1936)

19♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, o Beato Teó­dulo Gon­zález Fernández, re­li­gioso da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que, na mesma per­se­guição, as­sas­si­nados em ódio à vida re­li­giosa, foi ao en­contro do Senhor. († 1936)

20♦.   No ce­mi­tério de Mont­cada, na Ca­ta­lunha, também na Es­panha, os be­atos már­tires Bar­nabé (Ca­si­miro Riba Pi), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos Ma­ristas, e Bau­dílio (Pedro Ciórdia Her­nández), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que, na vi­o­lenta per­se­guição contra a Igreja, foram mortos em ódio à vida religiosa. († 1936)

21♦.   Em Vic, perto de Bar­ce­lona, também na Es­panha, a Beata Apo­lónia Lizárraga do San­tís­simo Sa­cra­mento (Apo­lónia Li­zár­raga y Ochoa de Za­ba­legui), virgem da Con­gre­gação das Irmãs Car­me­litas da Ca­ri­dade Ve­druna e mártir, que, le­vando a lâm­pada acesa, foi ao en­contro de Cristo Esposo. († 1936)

22♦.   Em Villa de Don Fra­dique, na re­gião de Cas­tela la Mancha, também na Es­panha, o Beato Mi­guel Beato Sánchez, pres­bí­tero de To­ledo e mártir, que, na mesma per­se­guição, como fiel dis­cí­pulo, me­receu a sal­vação no sangue de Cristo. († 1936)

23*.   No campo de con­cen­tração de Da­chau, pró­ximo de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Adão Bar­gi­elski, pres­bí­tero e mártir, que du­rante a guerra se en­tregou es­pon­ta­ne­a­mente aos ini­migos da fé para subs­ti­tuir o seu pá­roco e, de­pois de so­frer cruéis tor­turas no cár­cere, partiu vi­to­rioso para a glória eterna. († 1942)

24*.   Em Gross-Rosen, lo­ca­li­dade da Ale­manha, o Beato La­dislau Blad­zinski, pres­bí­tero da Con­gre­gação de São Mi­guel e mártir, que, na mesma per­se­guição, foi preso pelos ini­migos da Igreja e de­por­tado da Po­lónia, sua pá­tria, para tra­ba­lhos for­çados em pe­dreiras, onde foi assassinado. († 1944)

25. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no começo do séc. IV, a paixão de Santo Adriano, (também na Folhinha do Coração de Jesus), oficial romano que se desligou do exército imperial em sinal de protesto contra as torturas infligidas aos cristãos. (M)

26. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1149, o Bem-Aventurado Guilherme, abade cluniacense de Saint-Thierry, na diocese de Reims. Grande admirador de São Bernardo, de quem foi o primeiro biógrafo, acabou por abraçar a observância cisterciense no mosteiro se Signy. Dirigiu uma admirável carta aos irmãos da Cartuxa de Mont-Dieu, que havia sido instalada há pouco nas Ardenas. (X)

27. Outros santos do dia 08 de setembro: págs. 99-113, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi puado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.