Santas e Santos de 04 de julho

Observação sobre 04 de julho: Dia em que ocorre o AFÉLIO da TERRA.

Ver “Afélio (do latim “aphelium”, derivado do latim “apos”, que quer dizer longínquo), é o ponto da órbita em que um planeta ou um corpo menor do sistema solar está mais afastado do Sol.[1] Quando se trata de um objeto que orbita uma estrela que não o Sol, esse ponto é denominado apoastro. As órbitas de todos os planetas são sempre elípticas, tendo sempre um ponto mais afastado (afélio) e um ponto mais próximo (periélio). A distância entre a Terra e o Sol no afélio é de aproximadamente 152,1 milhões de quilômetros. Quando um astro se encontra no afélio, ele tem a menor velocidade de translação de toda a sua órbita. O planeta Terra passa no afélio por volta do dia 4 de Julho de cada ano.[2]…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Af%C3%A9lio

04.07.2021 – SO­LE­NI­DADE DE SÃO PEDRO E SÃO PAULO, APÓS­TOLOS. ORIGINALMENTE DIA 29 DE JUNHO. NO BRASIL, EM 2021 É HOJE, DIA 04 DE JULHO. Simão, filho de Jonas e irmão de André, foi o pri­meiro entre os dis­cí­pulos a con­fessar que Jesus era Cristo, Filho de Deus vivo, por quem foi cha­mado Pedro. Paulo, o Após­tolo dos gen­tios, pregou Cristo cru­ci­fi­cado aos Ju­deus e aos Gregos. Ambos, na fé e no amor de Jesus Cristo, anun­ci­aram o Evan­gelho na ci­dade de Roma e mor­reram már­tires no tempo do im­pe­rador Nero: Pedro, se­gundo a tra­dição, foi cru­ci­fi­cado de ca­beça para baixo e se­pul­tado no Va­ti­cano, junto à Via Triunfal; Paulo morreu ao fio da es­pada e foi se­pul­tado junto à Via Os­ti­ense. O triunfo dos dois Após­tolos é ce­le­brado neste dia com igual honra e ve­ne­ração em todo o orbe da terra.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 29 de junho, Solenidade dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo, martirizados em Roma entre 64 e 67. São Pedro, escolhido por Cristo – depois de sua profissão de fé –para ser o fundamento da Igreja, foi confirmado em sua função de Pastor após ter expiado sua tríplice negação por uma declaração de amor, vindo mais tarde a sofrer um suplício semelhante ao de seu Divino Mestre. São Paulo, que era cidadão romano, foi decapitado depois de ter cumprido, por sua pregação e suas cartas, a missão de Doutor e arauto do Evangelho aos gentios, através da Ásia Menor e da Grécia durante cerca de trinta anos. Estas duas colunas da Igreja deram assim à Cidade Eterna, “sua doutrina junto com seu sangue” (Tertuliano). (R).

Ver páginas 265-331 sobre SÃO PEDRO: Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

Ver SÃO PAULO: páginas 332-376 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

– Ver “A Festa de São Pedro e São Paulo, também chamada de Solenidade dos Santos Pedro e Paulo, é uma festa cristã em honra ao martírio em Roma dos apóstolos São Pedro e São Paulo, que é observada em 29 de junho ou no domingo seguinte. A celebração tem origem muito antiga, sendo a data escolhida sendo ou o aniversário da morte ou do translado das relíquias dos santos.[1… ”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Festa_de_São_Pedro_e_São_Paulo

– Ver ainda “…E assim, irmãos, celebrando agora a memória dos santos apóstolos Pedro e Paulo, lembrando de seus veneráveis sofrimentos, estimamos sua verdadeira fé e vida santa, estimamos a inocência de seus sofrimentos e pura confissão. Amando neles a qualidade sublime e imitando-as por grandes façanhas, “nas quais ser comparada a eles” (2 Tess 3: 5-9), e alcançaremos a eterna felicidade que está preparada para todos os santos. …”: – https://www.oca.org/saints/lives/2020/06/29/101840-the-holy-glorious-and-all-praised-leaders-of-the-apostles-peter

SANTAS E SANTOS DE 04 DE JULHO

Ver: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly04.html

1. Santa Isabel, ou Elisabete (Elisabetta) (também na Folhinha do Coração de Jesus), rainha de Por­tugal, que foi ad­mi­rável pela sua in­ter­venção con­ci­li­a­dora dos reis em con­flito e pela sua ca­ri­dade para com os po­bres; de­pois da morte do rei Dom Dinis, seu es­poso, abraçou a vida re­li­giosa entre as monjas da Ordem Ter­ceira de Santa Clara no mos­teiro de Santa Clara-a-Velha em Coimbra, por ela fun­dado, e quando pro­cu­rava con­se­guir a re­con­ci­li­ação entre o filho e o neto em Es­tremoz, dali partiu deste mundo para Deus. († 1336).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1336, o nascimento no céu de Santa Isabel, rainha de Portugal, sobrinha-neta de Santa Isabel da Hungria. Casada aos doze anos como rei D. Dinis de Portugal, passou toda a sua vida a trabalhar e orar pela paz na península Ibérica, e mais tarde morreu no convento das Clarissas de Coimbra, que havia fundado. (M).

Ver também: 08 de julho, Santa Isabel, rainha de Portugal. …Morreu nos braços do filho e da neta, a 4 de julho de 1336, na idade de sessenta e cinco anos. Enterram-na entre as Clarissas de Coimbra e operaram-se vários milagres em sua sepultura. Em 1612 tiraram a terra que lhe cobria o corpo, que estava inteiro, e que está presentemente numa caixa magnífica. Urbano VIII canonizou a serva de Deus em 1625 e fixou-lhe a festa para o dia 8 de julho. Ver páginas 292-300: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf .

– Ver “…Isabel de Aragão OSC (em catalãoElisabet d’Aragó; ou, usando a grafia medieval portuguesaYzabelBarcelona[1][2][3][4] ou Saragoça4 de janeiro de 1271 — Estremoz4 de julho de 1336), foi uma infanta aragonesa, que viveu aproximadamente do ano 1282 até 1325 sendo rainha consorte de D. Dinis. Ficou para a história com a fama de santa, tendo sido beatificada e, posteriormente, canonizada. Ficou popularmente conhecida como Rainha Santa Isabel ou, simplesmente, A Rainha Santa e é padroeira da cidade de Coimbra.

… Isabel era a filha mais velha do rei Pedro III de Aragão e de Constança de Hohenstaufen, princesa da Sicília. Por via materna, era descendente de Frederico II do Sacro Imperador Romano-Germânico, pois o seu avô materno era Manfredo de Hohenstaufenrei da Sicília, filho de Frederico II. Não existem fontes históricas exatas sobre a data e local de nascimento de Isabel, e portanto este não é um ponto consensual, sabe-se no entanto que cresceu em Barcelona, onde estava instalada a Corte da Coroa de Aragão.[3][5]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Isabel_de_Arag%C3%A3o,_Rainha_de_Portugal

2.   Na África Se­ten­tri­onal, São Ju­cun­diano, mártir. († data inc.)

Ver “…São Jucundiano Mártir da África, lançado ao mar”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly04.html

3.   Em Vatan, no ter­ri­tório de Bourges, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, São Lau­reano, mártir. († s. III/IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Berry, no séc. II, São Laureano, mártir. (M)

– Ver “… 544 – São Lauriano, Arcebispo Martirizado de Sevilha, Espanha. Ele era húngaro e foi ordenado em Milão, Itália. O local de seu martírio foi supostamente Bourges, França.”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly04.html

4*.   Em Cahors, também na Aqui­tânia, São Flo­rêncio, bispo, que São Pau­lino de Nola louva como hu­milde de co­ração, forte na graça di­vina e suave na palavra. († s. V in.)

5*.   Em Lan­gres, também na Aqui­tânia, São Va­lentim, pres­bí­tero e eremita. († c. s. V).

São Valentino, confessor. Ver páginas 187-188: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

6*.   Em Blangy, no ter­ri­tório de Arras, também na ac­tual França, Santa Berta, aba­dessa, que, tendo in­gres­sado com as fi­lhas Ger­trudes e De­o­tila no mos­teiro por ela fun­dado, al­guns anos de­pois viveu como re­clusa numa pe­quena cela. († c. 725).

– Ver páginas 189-190: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

7.   Em Erissos, na ilha de Lesbos, na Grécia, o pas­sa­mento de Santo André de Creta (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Gor­tina, que, com ora­ções, hinos e cân­ticos de ex­ce­lente com­po­sição, cantou os lou­vores de Deus e exaltou a Virgem Mãe de Deus ima­cu­lada e ele­vada ao Céu. († 740).

– Ver “André de Creta (em gregoAndreas ho Krites), também conhecido como André de Jerusalém foi um bispoteólogohomilista e hinógrafo.[1]…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Andr%C3%A9_de_Creta

8.   Em Augs­burgo, ci­dade da Ba­viera, na ac­tual Ale­manha, Santo Ul­da­rico ou Ulde­rico, bispo, ilustre pela sua ad­mi­rável abs­ti­nência, li­be­ra­li­dade e as­si­dui­dade às vi­gí­lias, que, de­pois de cin­quenta anos de epis­co­pado, morreu nonagenário. († 973).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 973, a volta para Deus de Santo Ulrico. Formado no mosteiro de Saint-Gall, foi eleito para o ministério da Igreja de Augsburg. Agraciado com o dom dos milagres, tornou-se muito conhecido na Austria, na Alsácia e na Itália. (M).

Ver páginas 155-163: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

– Ver “Santo Ulrico de Augsburgo (890 – 4 de julho de 973) foi um religioso católicobispo de Augsburgo e figura importante da Igreja Católica no inicio do Sacro Império Romano Germânico.[1] Ele é conhecido por ser o primeiro santo a ser canonizado pelo Papa.[2]…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ulrico_de_Augsburgo

9*.   No mos­teiro de Hau­te­combe, junto ao lago Burget, na Sa­vóia, ac­tu­al­mente na França, o se­pul­ta­mento do Beato Bo­ni­fácio, bispo, de li­nhagem régia, que, de­pois de ter in­gres­sado na Car­tuxa foi eleito para a sede de Belley e fi­nal­mente ele­vado à sede de Can­tuária, ma­ni­fes­tando sempre grande so­li­ci­tude pelo seu rebanho. († 1270)

10*.   Em Flo­rença, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o Beato João de Vespigniano. († s. XIII/XIV)

11*.   Em Dor­chester, na In­gla­terra, os be­atos már­tires João (Conor O’Malley), au­to­a­pe­li­dado Cor­nélio, pres­bí­tero pouco tempo antes ad­mi­tido na Com­pa­nhia de Jesus, Tomás Bosgrave, João Carey e Pa­trício Salmon, leigos que aju­daram este sa­cer­dote, todos eles ao mesmo tempo, no rei­nado de Isabel I, glo­ri­fi­caram a Cristo com o martírio. († 1594)

– Ver “…EM 4 de julho de 1594 foi enforcado, desenhado e esquartejado em Dorchester em Dorset Bd JOHN CORNELIUS (aliás Mohun), o padre, e com ele foram simplesmente enforcados BB. THOMAS BOSGRAVE, JOHN CAREY e PATRICK SALMON, leigos. O Sr. Cornelius nasceu de pais irlandeses em Bodmin em 1557 e foi enviado para Oxford por Sir John Arundell de Lanherne: mas não gostando do “novo aprendizado” daquela universidade, ele foi para o exterior para o Colégio Inglês em Rheirns e depois para Roma, onde foi ordenado. Ele trabalhou na missão inglesa de Lanherne por quase dez anos, e tanto naquela época quanto durante seus primeiros dias no exterior ele era conhecido como um homem de zelo e recolhimento incomuns… Em 25 de abril de 1594, ele foi preso no Castelo de Chideock, a residência de Lady Arundell, pelo xerife de Dorset. Enquanto ele estava sendo levado embora às pressas, com a cabeça descoberta e despreparado, o Sr. Thomas Bosgrave, um cavalheiro da Cornualha, sobrinho de Sir John Arundell, ofereceu-lhe o chapéu, dizendo: “A honra de sua função não pode permitir que eu o veja ficar nu … encabeçado “. Esse ato inocente de gentileza e respeito foi suficiente para implicá-lo, e ele também foi preso. Ao mesmo tempo, foram levados dois dos servos do castelo, John Carey e Patrick Salmon, ambos Dublinenses. Cornelius foi levado para Londres e examinado pelo Conselho Privado, que ordenou que ele fosse torturado para que pudesse trair os nomes daqueles que o abrigaram ou ajudaram; mas ele permaneceu mudo e foi devolvido a Dorchester para julgamento. Em 2 de julho, ele foi considerado culpado de alta traição, visto que era um padre que havia entrado no reino e lá permanecido, e os outros três por crime de auxiliá-lo e incitá-lo. Depois que a sentença foi pronunciada, eles receberam uma prorrogação se apostatassem.
Dois dias depois, eles foram executados. Os leigos, cada um dos quais fez uma profissão final de fé, sofreram primeiro; Bd John Cornelius beijou os pés de seus companheiros, mas não foi autorizado a falar ao povo; ele foi, no entanto, capaz de declarar que havia sido admitido na Companhia de Jesus e teria ido para Flandres para o noviciado, mas para sua prisão.
Lá também sofreu em Dorchester Bd HUGH GREEN, um padre secular que, em 19 de agosto de 1642, foi enforcado, puxado e esquartejado em circunstâncias peculiarmente revoltantes, para seu sacerdócio. A festa dos mártires de Dorchester é celebrada na diocese de Plymouth.

Veja MMP., Pp. 198-202. Mas detalhes mais completos a respeito desses mártires podem ser encontrados em um artigo contribuído pelo Pe. Leo Hicks em Studies , dezembro de 1929, pp. 537-555; e cf, AL Rowse, Tudor Cornwall (1941), pp. 358, 363-367.”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly04.html

12*.   Em York, também na In­gla­terra, os be­atos már­tires Gui­lherme An­dleby, pres­bí­tero, Hen­rique Abbot, Tomás Warcop e Edu­ardo Fulthorp, leigos, que, na mesma per­se­guição, con­de­nados à morte por causa da sua fi­de­li­dade à Igreja, de­pois de terem su­por­tado ao mesmo tempo o su­plício do pa­tí­bulo, par­tiram deste mundo e al­can­çaram a re­com­pensa eterna. († 1597)

13♦.   No Japão, o Beato Pedro Kibe Kasui, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus, e cento e oi­tenta e sete companheiros, mártires. São estes os seus nomes: Ju­lião Na­kaura e Diogo Yuki Ryo­setsu, pres­bí­teros da Com­pa­nhia de Jesus, Ni­colau Fu­ku­naga Keian, re­li­gioso da mesma Com­pa­nhia, Tomás de Santo Agos­tinho (Tomás Ochia Jihyoe “Kint­suba”), pres­bí­tero da Ordem de Santo Agos­tinho. João Hara Mondo, re­li­gioso da Ordem Ter­ceira  de São Fran­cisco; João Mi­nami Go­ro­za­emon, Simão Ta­keda Gohyoe, Joana Ta­keda, Inês Ta­keda, Ma­da­lena Mi­nami e Luís Mi­nami, Mel­chior Ku­magai Mo­tonao, Da­mião, ca­te­quista, Jo­a­quim Wa­ta­nabe Ji­ro­za­emon, Leão Saisho Shi­chi­emon, João Hat­tori Jin­goro e seu filho Pedro Hat­tori, Mi­guel Mit­suishi e seu filho Tomé Mit­suishi, Gaspar Nishi Genka, sua es­posa Úr­sula Nishi e seu filho João Nishi Ma­taishi; Adrião Ta­kahashi Mondo e sua es­posa Joana Ta­kahashi; Leão Hayashida Su­ke­emon, sua es­posa Marta Hayashida e seus fi­lhos Ma­da­lena Hayashida e Diogo Hayashida; Leão Ta­ke­domi Han’emon e seu filho Paulo Ta­ke­domi Han’emon; Adão Ara­kawa, João Hashi­moto Tahyoe, sua es­posa Tecla Hashi­moto e seus fi­lhos: Ca­ta­rina Hashi­moto, Tomé Hashi­moto, Fran­cisco Hashi­moto, Pedro Hashi­moto e Luísa Hashi­moto; Tomé Kian, Tomé Ike­gami; Lino Rihyoe, sua es­posa Maria; Cosme Shi­za­buro e seu filho Fran­cisco Shi­za­buro; An­tónio Dómi, Jo­a­quim Ogawa; João Kyu­saku, sua es­posa Ma­da­lena e sua filha Re­gina; Tomé Koshima Shinshiro, sua es­posa Maria; Ga­briel; outra Maria e sua filha Mó­nica; Marta e seu filho Bento; outra Maria e seu filho Sisto; outra Mó­nica, Tomé To­emon e sua es­posa Luzia; Ru­fina e sua filha Marta; outra Mó­nica, Ma­nuel Ko­sa­buro, Ana Ka­jiya e seu filho Tomé Kajya Yo­emon; Águeda, Maria Chujó, Je­ró­nimo So­roku e sua es­posa Luzia; João Sa­kurai e sua filha Úr­sula Sa­kurai; Mâncio Kyu­jiró, Luís Ma­ta­goro; Leão Kyu­suke e sua es­posa Marta; Mência e sua filha Luzia; Ma­da­lena, Diogo Tsuzu, Fran­cisco e Maria; Diogo Ka­gayama Haito; Bal­tasar Ka­gayama Han­za­emon e seu filho Tiago; João Hara Mondo, Fran­cisco Toyama Jin­taró; Ma­tias Sho­bara Ichi­za­emon, Jo­a­quim Ku­ro­emon; Bal­tasar Uchi­bori, An­tónio Uchi­bori e Inácio Uchi­bori; Paulo Uchi­bori Sa­ku­emon, Gaspar Ki­za­emon e sua es­posa Maria Mine, Gaspar Nagai Sohan, Luís Shin­za­buro, Dinis Sa­e­kieki Zenka e seu filho Luís Saeki Kizo, Da­mião Ichiyata, Leão Na­ka­jima Sokan e seu filho Paulo Na­ka­jima, João Ki­saki Kyuhachi, João Hei­saku, Tomé Uzumi Shin­goro, Aleixo Sugi Shohachi, Tomé Kondo Hyo­emon, João Araki Kanshichi; Jo­a­quim Mine Su­ke­dayu, Paulo Nishida Kyuhachi, Maria, João Mat­su­take Cho­za­buro, Bar­to­lomeu Baba Han’emon, Luís Furue Su­ke­emon, Paulo Oni­zuka Ma­go­emon, Luís Hayashida Soka, Ma­da­lena Hayashida, Paulo Hayashida Mohyoe; Luís Ama­gasu Iemon e seu filho Vi­cente Ku­ro­gane Ichi­biyoe, Mi­guel Ama­gasu Iemon, sua es­posa Do­mingas Ama­gasu e sua filha Justa Ama­gasu, Tecla Ku­ro­gane, Luzia Ku­ro­gane, Maria Ito, Ma­rina Ito Chobo, Pedro Ito Yahyoe, Ma­tias Ito Hi­ko­suke, Ti­móteo Oba­sama Ji­robyoe, Luzia Oba­sama, João Go­robyoe, Jo­a­quim Sa­bu­robyoe, João Banzai Kasue, Áurea Banzai, An­tónio Banzai Orusu, Paulo San­juro, Ru­fina Banzai e seus fi­lhos Paulo e Marta, Simão Ta­kahashi Sei­za­emon, Tecla Ta­kahashi, Paulo Nishihori Shi­kibu, Luís Jin’emon e sua filha Ana, Mâncio Yoshino Han’emon, Júlia Yoshino, An­tónio Ana­zawa Han’emon, Paulo Ana­zawa Ju­za­buro, André Ya­ma­moto Shi­chi­emon, Inácio Iida So­emon, João Arie Ki­emon, Pedro Arie Jinzo, Aleixo Sato Sei­suke, Luzia Sato, Isabel Sato, Paulo Sato Ma­ta­goro, (N) Shi­chi­za­emon, Ma­da­lena, duas fi­lhas de Shi­chi­za­emon e Ma­da­lena; Luzia Iida, Cres­cência Ana­zawa, Romão Ana­zawa Mat­su­jiro, Mi­guel Ana­zawa Osamu, Maria Ya­ma­moto, Úr­sula Ya­ma­moto e Ma­da­lena Arie; Aleixo Cho­emon e seus fi­lhos Cân­dido e Inácio; Mi­guel Ku­su­riya, Oga­sawara Yo­sa­buro Gen’ya, sua es­posa Oga­sawara Miya Luísa e seus fi­lhos Oga­sawara Gen­pachi, Oga­sawara Mari, Oga­sawara Kuri, Oga­sawara Sa­sa­emon, Oga­sawara Sayu­emon, Oga­sawara Shiro, Oga­sawara Goro, Oga­sawara Tsuchi, e Ogo­sawara Gon­no­suke; e quatro servos da fa­mília Ogasawara. († 1603-1639)

– Ver “… padre Kibe e 187 companheiros. Em 24 de novembro de 2008, em Nagasaki, foi celebrada a primeira beatificação em terras japonesas, na qual, não obstante o clima severo, tomaram parte 30.000 fiéis. Como delegado do Papa estava o cardeal José Saraiva Martins, prefeito emérito da Congregação para as Causas dos Santos….”:https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2019-11/papa-francisco-japao-onze-anos-beatificacao-padre-kibe-187.html

– Ver também “BEATO PEDRO KIBE KASUI – MÁRTIR E COMPANHEIROS. Dia 04 de Julho. Beato Pedro Kibe Kasui, Presbítero da Companhia de Jesus, e 187 Companheiros que foram martirizados por ódio à Fé Cristã, no período 1603 a 1639, eram 05 sacerdotes e 183 leigos, entre eles mulheres, crianças e famílias inteiras, no Japão.”: https://www.facebook.com/360169857437902/posts/2276307102490825/

14.   Entre os Hu­rões, no ter­ri­tório do Ca­nadá, Santo An­tónio Da­niel, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, que, de­pois de ter­minar a ce­le­bração da Missa, co­lo­cando-se à porta do ora­tório para pro­teger os neó­fitos do ataque dos ini­migos in­dí­genas, foi tre­pas­sado pelas fle­chas e lan­çado na fo­gueira. A sua me­mória ce­lebra-se com a dos seus com­pa­nheiros no dia 11 de Outubro. († 1648)

15*.   Em Mau­riac, junto ao monte Cantal, na França, a Beata Ca­ta­rina Jar­rige, virgem, da Ordem Ter­ceira de São Do­mingos, que se tornou ilustre pelo au­xílio aos po­bres e aos en­fermos e, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, de­fendeu de todos os modos os sa­cer­dotes per­se­guidos e os vi­si­tava no cárcere. († 1836)

16.   Em Heng-tchou-fu, ci­dade do Hunai, pro­víncia da China, São Ce­sídio Gi­a­co­man­tónio, pres­bí­tero da ordem dos Me­nores e mártir, que, du­rante a per­se­guição mo­vida pelos «Yihe­tuan», quando pro­cu­rava pro­teger o San­tís­simo Sa­cra­mento das in­ves­tidas da mul­tidão, foi ape­dre­jado e, en­volto num lençol im­buído em pe­tróleo, morreu quei­mado. († 1900)

17*.   Em Turim, na Itália, o Beato Pedro Jorge Frassáti, um jovem que, mi­li­tando nas as­so­ci­a­ções de leigos ca­tó­licos, se de­dicou com grande di­li­gência e ale­gria em ini­ci­a­tivas de de­sen­vol­vi­mento so­cial e no exer­cício da ca­ri­dade para com os po­bres e os en­fermos, até que, afec­tado por uma pa­ra­lisia ful­mi­nante, partiu deste mundo. († 1925).

– Ver “…Pier Giorgio Frassati (Turim6 de abril de 1901 — Turim, 4 de julho de 1925) foi um activista católico italiano.

Modelo do jovem leigo, o jovem foi significativamente popular nas décadas seguintes à sua inesperada morte, sobretudo nas Conferências de São Vicente de Paulo e na Ação Católica. Foi beatificado pelo Papa João Paulo II, como o Homem das Oito Bem-Aventuranças, aos 20 de maio de 1990… Pier-Giorgio era profundamente anti-fascista, chegando a envolver-se em confrontos físicos com adeptos do Partido Social Fascista de Benito Mussolini. Quando aquele dirigente assumiu o poder, em 1922, o seu pai demitiu-se de embaixador e regressou a Itália com a família. Em 1921 Pier Giorgio inscreveu-se no Partido Popular Italiano (Partito Popolare Italiano), dirigido por Luigi Sturzo que se reclamava das ideias da Democracia Cristã

… Dedicou-se desde muito novo a várias obras sociais, de caridade e religiosas. Envolveu-se no seio de vários grupos católicos de juventude, como o Apostolado da Oração e a Sociedade de São Vicente de Paulo, quando adolescente participou dos centros da Juventude Mariana Vicentina em Turim, e mais tarde torna-se membro da Ordem Terceira de São Domingos. Uma da suas máximas de vida era: «A Caridade não é suficiente: precisamos de reformas sociais»…

. Foi um dos fundadores do jornal «Momento», baseado nos ensinamentos sociais do Papa Leão XIII explanados na sua encíclica Rerum Novarum. Estudante de Engenharia Industrial Mecânica na Escola Real Politécnica, entre 1918 e 1925, pretendia vir a dedicar-se integralmente aos mineiros, que ele via como uma das classes profissionais mais sofredoras, seja em termos de dureza profissional, fosse em termos sociais.

Era um desportista, praticando diversas modalidades entre as quais se destacava o montanhismo, mediante o qual aproveitava para se isolar, rezar e reflectir na solidão das montanhas.

Frassati morreu em 1925 de poliomelite e milhares de pessoas participaram no seu funeral. Encontra-se enterrado na Catedral de Turim.

Foi chamado de Homem das oito beatitudes pelo papa João Paulo II, que o nomeou Patrono dos Desportistas e o beatificou a 20 de Maio de 1990.

Sua festa religiosa é a 4 de julho “Eis aqui como aparecia o homens das oito Bem-aventurança, que leva consigo a graça do Evangelho, da Boa nova, da alegria da salvação que Cristo nos oferece”(São João Paulo II): https://pt.wikipedia.org/wiki/Pier_Giorgio_Frassati

– Ver também SITE BRASILEIRO EM HOMENAGEM AO BEATO PIER GIORGIO FRASSATI: http://www.piergiorgio.com.br/?page_id=16

18*.   No campo de con­cen­tração de Aus­chwitz, perto de Cra­cóvia, na Po­lónia, o beato José Kowalski, mártir, que, du­rante a guerra, foi en­car­ce­rado por causa da sua fé em Cristo e, sub­me­tido a atrozes tor­turas, con­sumou o martírio. († 1942)

19♦.   Em Santa Ma­ri­nella, perto de Roma, a Beata Maria Cru­ci­fi­cada (Rosa Cúrcio), virgem, fun­da­dora da Con­gre­gação das Car­me­litas Mis­si­o­ná­rias de Santa Te­resa do Me­nino Jesus. († 1957)

20.Santo Oséias (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver páginas 168-179: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf  e

– Santo Ageu, páginas 180-184: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

21. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Na África do Norte, pelo ano 180, São Nanfanião, apelidado o “Arquimártir”. Um amigo pagão de Santo Agostinho se espantava ao ver que se preferia prestar culto a este em vez de a todos os deuses pagãos, o que comprova sua extrema popularidade entre os cristãos daquela época (M). 

São Nanfânio e companheiros, Santos Migino, Sanae e Lúcitas.

Ver páginas 185-186: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

22. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano de 540, São Calásio. Depois de haver tomado o hábito monástico na Auvergne, sua província natal, levou vida eremítica na região de Sologne. Com a ajuda do rei Quildeberto I, construiu na Diocese de Le Mans um mosteiro que, mais tarde, deu nome à cidade de Saint-Calais (X).

23. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1091, São Guilherme, abade de Hirschau, na Baviera, onde introduziu os costumes de Cluny. Fez de seu mosteiro um centro de movimento de reforma que se estendeu pela Alemanha do Sul (X).

– Ver Bem-aventurado Guilherme, abade de Hirsau, às páginas 164-167: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

24. São Procópio, abade. Ver páginas 191-192: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

25. Outros santos do dia 04 de JULHO, páginas 155-193:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 04 de julho, ver ainda: 4 de julho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 514-517: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly04.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.”  (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: Meios de se preparar para uma boa morte …: Na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado...”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO! DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA! MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS! EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

-Ver o blog

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.