Santas e Santos de 30 de setembro

DIA DA (O) SECRETÁRIA (O)

Ver: “Trata-se de uma palavra derivada do latim secernne, “separar-se” ou “ser diferente”. Originalmente, significa “a pessoa a quem são confiados os segredos e confidências de um superior”, podendo o local de trabalho (secretaria)[1] ser traduzido como “lugar retirado” ou “conselho privado”. Nos tempos antigos, secretarius era a pessoa que cuidava de assuntos e negócios confidenciais, normalmente para uma pessoa de grande poder como um rei ou o próprio Papa. De acordo com o significado que a própria raiz da palavra sugere, trata-se de profissionais que ocupam cargos de confiança e grande responsabilidade. Como as responsabilidades de uma secretária moderna ainda hoje incluem lidar com informação confidencial, o significado inicial ainda é verdadeiro.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Secret%C3%A1rio_executivo

– Ver: “… São Jerônimo é o santo protetor dos secretários. Ele foi secretário do Papa Dâmaso, que governou a Igreja Católica de 367 a 384 e seu dia é, também, o dia 30 de setembro…”: https://portal.pucminas.br/noponto/materia.php?codigo=389

1. Me­mória de São Je­ró­nimo (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero e doutor da Igreja, que, nas­cido na Dal­mácia, na ac­tual Croácia, es­tudou em Roma, onde ad­quiriu uma vas­tís­sima cul­tura li­te­rária, e aí re­cebeu o Bap­tismo; de­pois, atraído pelo valor da con­tem­plação e da vida as­cé­tica, partiu para o Ori­ente e foi or­de­nado pres­bí­tero. Re­gressou a Roma e foi se­cre­tário do papa Dâ­maso; mais tarde, es­ta­be­leceu-se em Belém e re­tirou-se na vida mo­nás­tica, de­di­cando-se com exímia com­pe­tência a tra­duzir e ex­plicar a Sa­grada Es­cri­tura. De modo ad­mi­rável tomou parte ac­tiva nos vá­rios pro­blemas e ne­ces­si­dades da Igreja; fi­nal­mente, che­gando a uma idade avan­çada, des­cansou na paz do Senhor. († 420).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Jerônimo, Doutor da Igreja, morto em 419. Originário da Dalmácia ou do Vêneto, partiu para levar vida monástica na Síria e foi ordenado presbítero em Antioquia, antes de voltar para Roma, onde o Papa Dâmaso o encarregou oficialmente de editar a Bíblia latina de acordo com o original hebraico e a versão dos Setenta. Depois do que, retornou à Palestina e se fixou em Belém, onde reuniu e dirigiu uma comunidade de monges e outra de monjas. (R).

– Ver páginas 141-160: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

– Ver também “… Jerônimo (português brasileiro) ou Jerónimo (português europeu), nascido Eusébio Sofrônio Jerônimo (em latimEusebius Sophronius Hieronymus; em grego: Εὐσέβιος Σωφρόνιος Ἱερώνυμος) e também conhecido como Jerônimo de Estridão, foi um sacerdote católico ilírio,[1] destacado como teólogohistoriador e confessor, e considerado santo e Doutor da Igreja pela Igreja Católica. Filho de Eusébio, da cidade de Estridão, na fronteira entre a Dalmácia e a Panônia, é mais conhecido por sua tradução da Bíblia para o latim (conhecida como Vulgata) e por seus comentários sobre o Evangelho dos Hebreus, mas sua lista de obras é extensa.[2]

Jerônimo é reconhecido como santo pelos católicosortodoxos e anglicanos.[3][4]”:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Jer%C3%B4nimo

– Ver “… ​​São Jerônimo foi a Roma com Paulino de Antioquia e São Epifânio para participar de um concílio que São Dâmaso realizou sobre o cisma de Antioquia. Quando o concílio terminou, o Papa Dâmaso o deteve e o contratou como secretário; Jerônimo, de fato, afirmou que falou pela boca de Dâmaso.

A pedido do papa, ele fez uma revisão, de acordo com o texto grego, da versão latina dos evangelhos, que havia sido desfigurada por “falsa transcrição, por correção desajeitada e por interpolações descuidadas “, e uma primeira revisão do latim saltério.

Lado a lado com essa atividade oficial, ele se empenhava em promover e dirigir o maravilhoso florescimento do ascetismo que estava ocorrendo entre algumas das nobres damas de Roma. Entre elas estão vários dos nomes mais famosos da antiguidade cristã: tais foram Santa Marcela, que é mencionada aqui em 31 de janeiro , com sua irmã Santa Asela e sua mãe, Santa Albina; St Lea; Santa Melânia, a Velha, a primeira delas a ir para a Terra Santa; St Fabiola (27 de dezembro ) ; e Santa Paula (26 de janeiro) com suas filhas Santa Blesila e Santa Eustóquia (28 de setembro)…

Jerônimo não pôde ficar de lado e ficar calado quando a verdade cristã foi ameaçada. Ele tinha em Roma composto seu livro contra Helvídio sobre a virgindade perpétua da Bem-aventurada Virgem Maria. Helvídio afirmou que Maria teve outros filhos, por São José, após o nascimento de Cristo. Este e alguns erros associados foram novamente apresentados por um Joviniano. O genro de Santa Paula, São Pamáquio e outros leigos ficaram escandalizados com suas novas doutrinas e enviaram seus escritos a São Jerônimo, que em 393 escreveu dois livros contra Joviniano. No primeiro, ele mostra a excelência da virgindade abraçada por causa da virtude, que havia sido negada por Joviniano, e no segundo refuta seus outros erros. Este tratado foi escrito no estilo caracteristicamente forte de Jerônimo e certas expressões nele pareciam a algumas pessoas em Roma severa e depreciativa da honra devida ao matrimônio; São Pamáquio informou a São Jerônimo da ofensa que ele e muitos outros tomaram contra eles… Alguns anos depois, ele teve que voltar sua atenção para Vigilantius— “Dormantius, sonolento ” , ele o chama – um padre galo-romano que tanto denunciava o celibato como condenava a veneração das relíquias, chamando aqueles que a pagavam de idólatras e adoradores das cinzas. São Jerônimo em sua resposta disse:

“Não adoramos as relíquias dos mártires, mas os honramos para que possamos adorar Aquele de quem são mártires. Honramos os servos para que o respeito que lhes é prestado possa ser refletido de volta no Senhor. ” Ele vindica a honra prestada aos mártires pela idolatria porque nenhum cristão jamais os adorou como deuses, e para mostrar que os santos oram por nós, ele diz: “Se os apóstolos e mártires enquanto ainda viviam na terra podem orar por outros homens, quanto mais eles podem fazer depois de suas vitórias? Eles têm menos poder agora que estão com Jesus Cristo?” …

… Mas suas denúncias e controvérsias, necessárias como a maioria delas, são a parte menos importante de suas atividades. Nada tornou o nome de São Jerônimo tão famoso quanto seu trabalho crítico nas Sagradas Escrituras. Por isso a Igreja reconhece que ele foi criado por Deus por meio de uma providência especial, e ela o considera o maior de todos os seus doutores ao expor a palavra divina. O papa Clemente VIII não hesitou em chamá-lo de homem divinamente auxiliado na tradução da Bíblia. Ele foi fornecido com os maiores auxílios para tal empreendimento, vivendo muitos anos no local onde os restos de lugares antigos, nomes, costumes que ainda eram recentes, e outras circunstâncias colocam diante de seus olhos uma representação mais clara de muitas coisas registradas nas escrituras sagradas do que é possível ter a uma distância maior de lugar e tempo. O grego e o aramaico eram então línguas vivas, e o hebraico, embora tivesse deixado de sê-lo desde o tempo do cativeiro, não era menos compreendido e falado entre os doutores da lei…

… Acima de outras condições, é necessário que um intérprete da Bíblia seja um homem de oração e piedade sincera. Só isso pode obter luz e ajuda do Céu, dar à mente um impulso e temperamento necessários para ser admitido no santuário da sabedoria divina, e fornecer a chave. Jerônimo foi preparado por uma grande pureza de coração e uma vida passada em penitência e contemplação antes de ser chamado por Deus para este empreendimento. Vimos que, enquanto em Roma sob o papa São Dâmaso, ele revisou os evangelhos e os salmos na versão em latim antigo, seguido pelo resto do Novo Testamento. Sua nova tradução do hebraico da maioria dos livros do Antigo Testamento foi o trabalho de seus anos de retiro em Belém, que ele empreendeu a partir das súplicas fervorosas de muitos amigos devotos e ilustres, e em vista da preferência do original a qualquer versão por mais venerável. Ele não traduziu os livros em ordem, mas começou pelos livros dos Reis, e tomou o resto nas mãos em momentos diferentes.
   As únicas partes da Bíblia em latim chamada Vulgata que não foram traduzidas ou trabalhadas por São Jerônimo são os livros da Sabedoria, Ecclesiasticus, Baruch e os dois livros dos Macchabees. Os salmos ele revisou novamente, com a ajuda da Hexapla de Orígenes e do texto hebraico, e esta é a versão incluída na Vulgata e usada no Ofício Divino. * {* Desde 1945 existe uma versão latina alternativa para este propósito, feita principalmente do texto hebraico massorético.}…

 A primeira revisão, chamada Saltério Romano, ainda é usada para o salmo de convite nas matinas e em todo o Missal, e para o Ofício Divino em São Pedro em Roma, São Marcos em Veneza e no rito milanês. A Vulgata de São Jerônimo foi declarada pelo Concílio de Trento como o texto bíblico latino autêntico ou autorizado da Igreja Católica, sem por isso implicar qualquer preferência desta versão acima do texto original ou acima das versões em outras línguas.
Em 1907, o Papa Pio X confiou aos monges de São Bento o dever de restaurar, na medida do possível, o texto da Vulgata de São Jerônimo, que durante quinze séculos de uso foi consideravelmente modificado e corrompido. A versão da Bíblia normalmente usada pelos católicos de língua inglesa é a tradução da Vulgata feita em Rheims e Douay no final do século XVI, conforme revisada pelo Bispo Challoner no século XVIII; e a versão em inglês feita oficialmente pelo Monsenhor Ronald Knox também era da Vulgata…

… no final de sua vida, ele foi obrigado a interromper seus estudos por uma incursão de bárbaros, e algum tempo depois pela violência e perseguição dos pelagianos que enviaram uma tropa de rufiões a Belém para atacar os monges e freiras que viviam lá sob a direção de São Jerônimo, que se opôs a eles. Alguns foram espancados, um diácono foi morto e eles incendiaram os mosteiros.

   No ano seguinte, Santo Eustochium morreu e o próprio Jerônimo logo a seguiu: exausto pela penitência e pelo trabalho, sua visão e sua voz falhando, seu corpo como uma sombra, ele morreu pacificamente em 30 de setembro de 420. Ele foi sepultado sob a igreja da Natividade perto de Paula e Eustochium, mas seu corpo foi removido muito tempo depois e agora está em algum lugar na Basílica de Santa Maria Maior em Roma…” Muito mais se pode saber sobre São Jerônimo, consultando a seguir: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DaySeptember30.html

2.   Em Pi­a­cenza, na ac­tual Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, Santo An­to­nino, mártir. († 303)

3.   Em So­leure, no ter­ri­tório dos Hel­vé­cios, na ac­tual Suíça, os santos Urso e Vítor, már­tires, que, se­gundo a tra­dição, per­ten­ceram à Le­gião Tebana. († c. 320).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, receberam a coroa do martírio os Santos Leopardo, em Roma, no séc. IV; Vítor e Urso, na Suíça, pela mesma época; e Antonino, em Piacenza. (M)

4.   Na Ar­ménia, São Gre­gório o Iluminador (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que, de­pois de ter re­a­li­zado grandes tra­ba­lhos, se re­tirou numa ca­verna junto à con­fluência dos dois ramos do rio Eu­frates e aí des­cansou em paz. É con­si­de­rado o após­tolo dos Armenos. († c. 326).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 300, São Gregório, o iluminador. Foi o evangelizador e organizador da Igreja da Armênia, e seu primeiro “Catholicós”. (M).

– Ver páginas 161-163: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

– Ver também: São Gregório o iluminador. Lembrado na Wikipedia de 23 de março. Católico de todos os armênios. Nascimento: c. 257 em Valarxabad. Morte: 331 (74 anos) em? Veneração por: Igreja Apostólica Armênia; Igreja Ortodoxa; Igrejas Orientais; Comunhão Anglicana. Festa litúrgica: 9 de junho na Igreja Apostólica Armênia e 30 de setembro na Igreja Ortodoxa e na Igreja Católica. Padroeiro da Armênia.

– Ver “Gregório, o Iluminador (em armênio/arménio: Գրիգոր Լուսաւորիչ; romaniz.: Grigor Lusavorich; em grego: Γρηγόριος Φωστήρ) é o santo padroeiro e primeiro líder oficial da Igreja Apostólica Armênia. Ele é o líder religioso a quem é creditada a conversão da Armênia do paganismo armênio ao cristianismo, dando ao país a distinção de ter sido o primeiro a adotar o cristianismo como religião oficial em 301.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Greg%C3%B3rio,_o_Iluminador

5*.   Em Mar­selha, na Pro­vença, ac­tu­al­mente na França, Santa Eu­sébia, virgem, que desde a ju­ven­tude até à ve­lhice foi sempre fiel serva de Deus. († c. 497)

6.   Em Can­tuária, na In­gla­terra, Santo Ho­nório, bispo, que era monge ro­mano quando o papa Gre­gório Magno o en­viou como com­pa­nheiro de Santo Agos­tinho para evan­ge­lizar a In­gla­terra, a quem su­cedeu nesta sede episcopal. († 653).

Conforme o Martirológio Romano, no ano do Senhor de 653, a volta para Deus de Santo Honório, discípulo de Santo Agostinho de Cantuária, missionário dos anglo-saxões, a quem sucedeu na Sé Episcopal. (M).

– Ver páginas 164-165: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

– Ver “… Honório de Cantuária (? – 30 de setembro de 653) foi um dos membros da missão gregoriana de 597 para cristianizar os anglo-saxões, que ainda praticavam o paganismo. Ele se tornaria posteriormente o arcebispo de Cantuária, consagrando neste período o primeiro bispo de Rochester nascido na Inglaterra. Honório também apoiou os esforços missionários de Félix entre os anglos orientais. Quando Honório morreu, em 653, ele já era o último dos missionários gregorianos originais ainda vivo…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Hon%C3%B3rio_de_Cantu%C3%A1ria

7*.   Em Roma, São Simão (também na Folhinha do Coração de Jesus, Simão de Crépu), monge, an­te­ri­or­mente conde de Crepy, na França, que, re­nun­ci­ando à pá­tria, ao ma­tri­mónio e a tudo, es­co­lheu a vida mo­nás­tica e de­pois a vida ere­mí­tica nos montes do Jura; cha­mado muitas vezes a in­tervir como le­gado de paz para pro­mover a con­ci­li­ação entre os prín­cipes, morreu em Roma e foi se­pul­tado na ba­sí­lica de São Pedro. († 1082).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 1080, São Simão, conde de Crépy-en-Valois. Recebeu o hábito monástico na abadia de Saint-Oyend, hoje Saint-Claude, e depois passou a levar vida eremítica no Jura. (M).

– Ver páginas 166-167: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

8.   Em Nusco, na Hir­pínia, hoje na Cam­pânia, re­gião da Itália, Santo Amado, bispo. († 1093)

9*.   Em Die, na França, Santo Is­midão, bispo, que, mo­vido pelo seu grande amor aos Lu­gares Santos, fez por duas vezes a pi­e­dosa pe­re­gri­nação a Jerusalém. († 1115)

10*.   Em Pê­saro, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, a Beata Fe­lícia Meda, aba­dessa da Ordem das Clarissas. († 1444)

11.   Em Roma, São Fran­cisco de Borja, pres­bí­tero, que, de­pois da morte da es­posa, de quem teve oito fi­lhos, en­trou na Com­pa­nhia de Jesus e, ab­di­cando das honras do mundo e das dig­ni­dades ecle­siás­ticas, foi eleito su­pe­rior geral da Ordem, sendo me­mo­rável pela sua aus­te­ri­dade de vida e es­pí­rito de oração. († 1572).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano da graça de 1572, São Francisco de Bórgia. Casado aos dezenove anos, após seus estudos em Saragoça foi nomeado Vice-Rei da Catalunha por Carlos V, e depois duque de Cândia. Após ter perdido a esposa, decidiu consagrar sua vida “à maior glória de Deus” na Companhia de Jesus, da qual veio a tornar-se o terceiro Geral. (M). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Francisco_de_Borja

– Na Folhinha do Coração de Jesus, em 10 de outubro de 2019.

– Ver ainda: páginas 78-85: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2018.pdf

12*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, no li­toral da França, o Beato João Ni­colau Cordier, pres­bí­tero e mártir, que, de­pois da ex­tinção da Com­pa­nhia de Jesus, con­ti­nuou a exercer o mi­nis­tério sa­cer­dotal na re­gião de Verdun, até que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, pela sua con­dição de sa­cer­dote foi en­car­ce­rado na sór­dida ga­lera, mor­rendo de en­fer­mi­dade e inanição. († 1794)

13*.   Em Lanzo, lo­ca­li­dade pró­xima de Turim, na Itália, o Beato Fre­de­rico Albert, pres­bí­tero, que era pá­roco e, para so­correr os in­di­gentes, fundou a Con­gre­gação das Irmãs de São Vi­cente de Paulo da Ima­cu­lada Conceição. († 1876)

14.   Em Li­sieux, na França, o dia natal de Santa Te­resa do Me­nino Jesus, cuja me­mória se ce­lebra no dia seguinte. († 1897). Ver página 167: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

15. Outras santas e santos do dia 30 de setembro, págs. 141-168 em:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

 “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 30 de setembro, ver ainda: 30 de setembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  768-770: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DaySeptember30.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS ESPÍRITO DE ORAÇÃO, VIGILÂNCIA, RENÚNCIA, PENITÊNCIA! DÊ-NOS ARDOR MISSIONÁRIO PELO E PARA O SENHOR! TIRE-NOS O TORPOR E A TIBIEZA! DÊ-NOS A GRAÇA, AMADO PAI, DE LUTAR COM ENTUSIASMO, CORAGEM E FORÇA DE VONTADE, MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS, PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ DE BONS COSTUMES E SANTIDADE POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO. DÊ-NOS, SOBRETUDO, A DOCILIDADE DAS OVELHAS. PEDIMOS EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, CUIDE DE NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/E

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.