Santas e Santos de 24 de novembro

Me­mória dos santos André Dung Lac (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, e com­pa­nheiros, már­tires. Numa ce­le­bração comum se ve­neram os cento e de­zas­sete mis­si­o­ná­rios que so­freram o mar­tírio no Ton­quim, Anam e Co­chin­china, re­giões da Ásia, do ac­tual Vi­etnam – oito bispos, muitos pres­bí­teros e um in­gente nú­mero de fiéis de ambos os sexos e de todas as con­di­ções e idades –, que acei­taram o des­terro, os cár­ceres, os tor­mentos e enfim os mais cruéis su­plí­cios, por re­cu­sarem calcar a cruz e ab­jurar da fé cristã. São estes os seus nomes: Cle­mente Inácio Del­gado Ce­brián, Do­mingos He­nares, Je­ró­nimo Her­mo­silla, José Maria Díaz San­jurjo, Mel­chior Garcia Sam­pedro, Pedro Du­moulin-Borie, Va­lentim Bérrio Ochoa, bispos; Agos­tinho Scho­ef­fler, Ber­nardo Vu Van Due, Do­mingos Cam, Do­mingos Mâu, Do­mingos Nguyen Van (Doán) Xuyên, Do­mingos Nguyen Van Hanh (Diêu), Do­mingos Trach, Do­mingos Tuoc, Ma­nuel Nguyen Van Triêu, Fran­cisco Gil de Fe­de­rich, Fran­cisco Jac­card, Ja­cinto Castañeda, Tiago Do Mai Nam, João Carlos Cornay, João Dat, João Doàn Trinh Hoan, João Luís Bon­nard, João Teó­fanes Ve­nard, José Dang Dinh (Niên) Viên, José Dô Quang Hien, José Fer­nández, José Mar­chand, José Nguyên Dình Nghi, José Tuán, Isi­doro Ga­gelin, Lou­renço Nguyen Van Huong, Lucas Vu Bá Loan, Mar­tinho Ta Duc Thinh, Ma­teus Afonso de Le­zi­niana, Paulo Lê Bao Tinh, Paulo Le-Van-Loc, Paulo Nguyen Ngan, Paulo Pham Khac Khoan, Pedro Al­mató Ri­beira, Pedro Doan Cong Quy, Pedro Fran­cisco Nerón, Pedro Khanh, Pedro Le Tuy, Pedro Nguyen Ba Tuân, Pedro Nguyen Van Luu, Pedro Nguyen Van Tu, Pedro Truong Van Thi, Fi­lipe Phan Van Minh, Tomás Dinh Viet Du, Tomé Khuong, Vi­cente Do Yen, Vi­cente Le Quang Liem e Vi­cente Nguyen The Diem, pres­bí­teros; André Nguyen Kim Thong Nam (Nam Thuong), An­tónio Nguyen Huu (Nam) Quynh, Do­mingos Bui Van Uy, Fran­cisco Xa­vier Can, Fran­cisco Xa­vier Ha Trong Mau, João Bap­tista Dinh Van Thanh, José Nguyen Dinh Uyen, José Nguyen Duy Khang, José Nguyen Van Luu, Ma­teus Nguyen Van Phuong, Paulo Nguyen Van My, Pedro Doan Van Van, Pedro Nguyen Khac Tu, Pedro Nguyen Van Hieu, Pedro Truong Van Duong, Pedro Vu Van Truat e Tomás Toán, ca­te­quistas; Inês Le Thi Thanh (Dê), André Tuong, André Tran Van Trong, An­tónio Nguyen Dích, Agos­tinho Nguyen Van Moi, Agos­tinho Phan Viet Huy, Do­mingos Huyen, Do­mingos Mao, Do­mingos Ngon, Do­mingos Nguyen, Do­mingos Nhi, Do­mingos Ni­colau Dinh Dat, Do­mingos Ninh, Do­mingos Pham Trong (An) Kham, Do­mingos Toai, Ma­nuel Le Van Phung, Ma­nuel Phung, Fran­cisco Do Minnh Chieu, Fran­cisco Tran Van Trung, João Bap­tista Con, José Hoang Luong Canh, José Le Dang Thi, José Pham Trong (Cai) Ta, José Tuán, José Tuc, Lucas (Cai) Thin, Mar­tinho Tho, Ma­teus Le Van Gam, Mi­guel Ho Dinh Hy, Mi­guel Nguyen Huy My, Ni­colau Bui Viet Thê, Paulo Hanh, Paulo Tong Viet Buong, Pedro Da, Pedro Dong, Pedro Dung, Pedro Thuan, Pedro Vo Dang Khoa, Simão Phan Dac Hoa, Es­têvão Nguyen Van Vinh, Tomás Nguyen Van Dê, Tomás Tran Van Thien, Vi­cente Duong y Vi­cente Tuong. († 1625-1886). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. XVI, no Extremo Oriente, na região do atual Vietnam, Santos André Dung-Lac e Companheiros, mártires, convertidos pelos missionários dominicanos que haviam começado a evangelizar aquela região, foram martirizados sob a acusação de estarem introduzindo no país uma religião estranha. Canonizados por João Paulo II em 19 de junho de 1988. (R). Na wikipedia, nomes, datas e detalhes sobre cada mártir: Ver em:: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Mártires_do_Vietname

– Ver também “Os Mártires do Vietname (em vietnamitaCác thánh tử đạo Việt Nam), também conhecidos como Mártires da IndochinaTonquimAname e Cochinchina ou André Dũng Lạc e seus Companheiros Mártires (Anrê Dũng Lạc và Các bạn tử đạo), são mártires e santos católicos canonizados pelo papa João Paulo II a 19 de junho de 1988, onde milhares de vietnamitas se reuniram na Basílica de São Pedro no Vaticano para celebrar a canonização dos cento e dezassete mártires vietnamitas, que foi presidida pelo monsenhor Filipe Trần Văn Hoài. A sua festa litúrgica é celebrada a 24 de novembro.[1][2]”: Mártires do Vietname – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver no ofício das leituras “… Tinh Bao Le, Paul (Paul Le Bao Tinh, Phaolô Lê Bảo Tịnh), sacerdote; b. 1793 em Trịnh-Hà, Tonkin; d. 6 de abril de 1857 em Sơn Tây, West Tonkin. Ele escreveu uma carta ao seminário de Ke Vinh em 1843, detalhando o sofrimento dos prisioneiros cristãos. Decapitado. Beatificado em 1909. Festa: 6 de abril… ”: https://sites.google.com/site/vietnamesemartyrs/VietnameseMartyrs/paul-le-bao-tinh

– Ver “… O Vaticano estima que o número de mártires vietnamitas entre 130.000 e 300.000 foram mortos. O Papa João Paulo II decidiu canonizar aqueles cujos nomes são conhecidos e desconhecidos, dando-lhes um único dia de festa. Os mártires vietnamitas dividem-se em vários grupos, os da era missionária dominicana e jesuíta do século XVII e os mortos nas perseguições cristãs do século XIX. Uma amostra representativa de 117 mártires – incluindo 96 vietnamitas, 11 dominicanos espanhóis e 10 membros franceses da Sociedade de Missões Estrangeiras de Paris (Missions Etrangères de Paris) – foram beatificados em quatro ocasiões distintas:

Fortissimorum Virorum – 64 pelo Papa Leão XIII em 27 de maio de 1900,

Purpurata Sanguine – 8 pelo Papa Pio X em 20 de maio de 1906,

Purpurata Sanguine   – 20 pelo Papa Pio X em 2 de maio de 1909,

Albae jam ad Messem   – 25 pelo Papa Pio XII em 29 de abril de 1951…

As torturas que esses indivíduos sofreram são consideradas pelo Vaticano como uma das piores da história do martírio cristão. Os torturadores cortavam membros junta por junta, rasgavam a carne com pinças em brasa e usavam drogas para escravizar as mentes das vítimas. Os cristãos na época foram marcados na face com os hieróglifos道, para a doutrina heterodoxa , enquanto suas famílias e aldeias foram destruídas.

 As cartas e o exemplo de Théophane Venard inspiraram a jovem Santa Teresa de Lisieux a se voluntariar para o convento carmelita de Hanói, embora ela tenha contraído tuberculose e não tenha podido ir.”: https://sites.google.com/site/vietnamesemartyrs/VietnameseMartyrs

2.   Em Aqui­leia, na Ve­nécia, no ac­tual Friúli, re­gião da Itália, a co­me­mo­ração de São Cri­só­gono (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir, que é ce­le­brado em Roma no dia do ani­ver­sário da de­di­cação da igreja cujo tí­tulo tem o seu nome. († s. IV in.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, e m Aquiléia, a paixão de São Crisógono, venerado em Roma numa igreja construída por um cristão que tinha seu nome. (M). Ver página 236: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Crisógono

– Ver “Crisógono foi martirizado em Aquileia, provavelmente durante a perseguição de Diocleciano, foi enterrado lá e passou a ser publicamente venerado pelos fiéis da região. Seu nome está inscrito no Martyrologium Hieronymianum em dois dias distintos, 31 de maio e 24 de novembro, com uma nota topográfica “em Aquileia”.[1]”: Crisógono – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

3.   Em Amélia, na Úm­bria, também re­gião da Itália, Santa Fir­mina, mártir. († c. s. IV). Ver página 237: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

4.   Em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, também re­gião da Itália, São Pro­tásio, bispo, que de­fendeu ante o im­pe­rador Cons­tante a causa de Santo Ata­násio e tomou parte no Con­cílio de Sárdica. († c. 356). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 355, São Protásio, bispo de Milão, que se dedicou ao serviço da fé católica ao lado de Santo Atanásio. (M)

5.   Na ci­da­dela de Blaye, pró­xima de Bor­déus, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, São Romão, presbítero. († c. 380). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na diocese de Bordeaux, perto de 380, São Romão (ou Romano), sacerdote de origem africana. Depois de sua morte, os habitantes da Aquitânia se beneficiaram freqüentemente de sua proteção. Foi titular do mosteiro de Blaye. (M

6*.   Em Cloyne, na Ir­landa, São Col­mano, bispo. († 604-608). Ver “Morreu, em 604. É comemorado na Irlanda em 24 de novembro. Foi canonizado pelo Papa Pio X, em 1903. É o Santo Padroeiro de Cloyne. Foi um ótimo poeta e autor, entre suas obras está o poema em honra de São Brendano e de uma vida em versos de São Sananus de Iniscarthy.”: https://sites.google.com/view/catolicospelafe/santo/santos-de-novembro/24-s%C3%A3o-colmano-bispo-de-cloyne

7.   No ter­ri­tório Ar­vena, na Aqui­tânia, hoje Cler­mont-Fer­rand, na França, São Por­ciano (também na Folhinha do Coração de Jesus), abade, que, sendo jovem es­cravo, pro­curou re­fúgio e li­ber­dade num mos­teiro, no qual se fez monge e chegou a ser abade, mor­rendo em avan­çada idade, de­bi­li­tado pelos jejuns. († d. 532). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Auvergne, perto de 355, São Porciano, abade. Seu nome foi dado a seu mosteiro, e depois à cidade que cresceu ao seu redor. (M). Ver páginas 226-229: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

8.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da ac­tual Es­panha, as santas Flora e Maria, vir­gens e már­tires, que, na per­se­guição dos Mouros, foram en­car­ce­radas com Santo Eu­lógio e de­pois mortas ao fio da espada. († 851). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, e m Córdova, em 851, o martírio das Santas Flora e Maria, virgens. Maria respondeu ao juiz muçulmano: “Outrora, tive um irmão entre os que confessaram a fé… Imito agora sua coragem, verdadeiramente Deus”. (M). Ver páginas 237-238: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

9.   Em Reims, na França, a paixão de Santo Al­berto de Lo­vaina, bispo de Liège e mártir, que foi con­de­nado ao exílio por de­fender a Igreja e as­sas­si­nado no mesmo ano em que tinha sido ordenado. († 1192)

10*.   No mos­teiro de Cava de’ Tir­réni, na Cam­pânia, re­gião da Itália, o Beato Bál­samo, abade, que, no meio das tur­bu­lên­cias e con­flitos do seu tempo, exerceu o seu mi­nis­tério com sa­be­doria e prudência. († 1232)

11.   Em Dong Hoi, ci­dade do Anam, no ac­tual Vi­etnam, os santos Pedro Du­moulinBorie, bispo, da So­ci­e­dade das Mis­sões Es­tran­geiras de Paris, Pedro Vo Dang Khoa e Vi­cente Hguyen The Diem, pres­bí­teros, dos quais, por ordem do im­pe­rador Minh Mang, o pri­meiro foi de­go­lado e os ou­tros estrangulados. († 1838). Ver páginas 230-233: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

12*.   Em Milão, na Itália, a Beata Maria Ana Sala, virgem da Con­gre­gação das Irmãs de Santa Mar­ce­lina, que, de­di­cada to­tal­mente à for­mação das jo­vens, foi mestra da ci­ência ani­mada pela fé e piedade. († 1891)

13*.   Em Pi­ca­dero de Pa­terna, no ter­ri­tório de Va­lência, re­gião da Es­panha, as be­atas Ni­ceta da Santa Pru­dência (Ni­ceta Plaja Xifra) e com­pa­nheiras, vir­gens do Ins­ti­tuto das Irmãs Car­me­litas da Ca­ri­dade e már­tires, que, de lâm­padas acesas, foram dignas de en­trar na ceia eterna de Cristo Esposo. São estes os seus nomes: Paula de Santa Anas­tásia (Paula Isla Alonso), An­tónia de São Ti­móteo (An­tónia Go­sens Sáez de Ibarra), Daria de Santa Sofía (Daria Cam­pillo Pa­niágua), Erun­dina de Nossa Se­nhora do Carmo (Erun­dina Co­lino Vega), Maria da Con­so­lação do San­tís­simo Sa­cra­mento (Maria da Con­so­lação Cuñado Gon­zález), Con­ceição de Santo Inácio (Maria da Con­ceição Odri­o­zola Za­balia), Fe­li­ciana de Nossa Se­nhora do Carmo (Fe­li­ciana Uribe Orbe), Con­ceição de Santa Ma­da­lena (Con­ceição Ro­drí­guez Fer­nández), Justa da Ima­cu­lada (Justa Maiza Goi­co­e­chea), Clara de Nossa Se­nhora da Es­pe­rança (Clara Ez­curra Ur­rútia) e Cân­dida de Nossa Se­nhora dos Anjos (Cân­dida Cayuso González). († 1936)

14♦.   Em Pa­ra­cu­ellos del Ja­rama, lo­ca­li­dade pró­xima de Ma­drid, também na Es­panha, o Beato Félix Alonso Muñiz, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a Igreja, pelo seu tes­te­munho de Cristo re­cebeu a coroa do martírio. († 1936)

15. São Carião, monge. Ver “São Carião foi monge num deserto que se estendia ao sul de Alexandria. Casado, deixara a espôsa e um filho, chamado Zacarias, e uma menina, ainda bem nova. Zacarias, por ocasião duma época de fome, procurou o pai, e passou a viver com êle, seguindo-o nas práticas religiosas. Do deserto de Alexandria, ambos passaram para a Tebaida, donde tornaram, alguns anos depois, para a mesma solidão anterior. São Carião foi monge austeríssimo, mas o filho Zacarias ultrapassou-o pela humilade e pelo silêncio que guardava, rigoroso. Santo Isidoro, padre daquele êrmo, disse: “Zacarias era homem, agora é quase um anjo”.” página 234: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

16. Santa Enfreda. Ver página 235: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Eanfleda

– Ver “Eanfleda, também conhecida como Enfleda (em inglês antigoEanflædDeira19 de abril de 626 — Whitbyc. 685) foi uma princesa de Kent, rainha da Nortúmbria e, mais tarde, a abadessa de um mosteiro cristão influente em Whitby, na Inglaterra.”: Eanfleda – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

17. Outros santos do dia 24 de novembro: págs. 216-238: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf                

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XX – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 24 de novembro, ver ainda: 24 de novembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

 1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 901-904:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DAI-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DAI-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS EM VÓS! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/