Santas e Santos de 26 de novembro

26 DE NOVEMBRO DE 2020

QUARTA QUINTA-FEIRA DE NOVEMBRO: DIA NACIONAL DE AÇÃO DE GRAÇAS

“A idéia de transformar o “Dia de Ação de Graças” em acontecimento unversal nasceu de um brasileiro, Joaquim Nabuco, quando Embaixador do Brasil em Washington. Em 1909, na Catedral de São Patrício, ao final da primeira Missa Pan-Americana, que celebrava o “Dia de Ação de Graças”, o Embaixador brasileiro formulou publicamente o seguinte Voto: “Eu quisera que toda a humanidade se unisse, no mesmo dia, para um agradecimento universal a Deus”… No Brasil, o “Dia Nacional de Ação de Graças” foi instituído por meio da Lei nº 781, de 17 de agosto de 1949, pelo presidente Eurico Gaspar Dutra. O Decreto nº 57.298, de 19 de novembro de 1965, regulamenta as comemorações do “Dia Nacional de Ação de Graças”. Finalmente, a Lei nº 5.110, de 22 de setembro de 1966, determina que o “Dia Nacional de Ação de Graças” seja comemorado na 4ª quinta-feira do mês de novembro, sendo o Ministério da Justiça o órgão legalmente incumbido de promover a sua celebração…”: https://www.justica.gov.br/Acesso/institucional/sumario/dia-nacional-de-acoes-de-gracas#:~:text=Finalmente%2C%20a%20Lei%20n%C2%BA%205.110,de%20promover%20a%20sua%20celebra%C3%A7%C3%A3o.

– Ver também “O Dia de Ação de Graças (AO 1945: Dia de Acção de Graças), conhecido em inglês como Thanksgiving Day, é um feriado celebrado sobretudo nos Estados Unidos, no Canadá e nas ilhas do Caribe, observado como um dia de gratidão a Deus, com orações e festas, pelos bons acontecimentos ocorridos durante o ano… No Brasil, o então presidente Gaspar Dutra instituiu o Dia Nacional de Ação de Graças, através da lei 781, de 17 de agosto de 1949, por sugestão do embaixador Joaquim Nabuco, entusiasmado com as comemorações que vira em 1909, na Catedral de São Patrício, quando embaixador em Washington. Em 1966, a lei 5110 estabeleceu que a comemoração de Ação de Graças se daria na quarta quinta-feira de novembro. ”: https://pt.wikipedia.org/wiki/A%C3%A7%C3%A3o_de_Gra%C3%A7as

1.   Em Roma, no ce­mi­tério de Pris­cila, junto à Via Sa­lária Nova, São Si­rício, papa, que Santo Am­brósio louva como ver­da­deiro mestre, porque, to­mando sobre si a res­pon­sa­bi­li­dade de todos os bispos, os ins­truiu com os en­si­na­mentos dos santos Pa­dres e os con­firmou com a sua au­to­ri­dade apostólica. († 399). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano da graça de 399, o sepultamento de São Sirício, papa. Através de várias cartas às Igrejas da África, da Espanha, da Gália e da Itália, ele dizia que “o Bem-Aventurado Pedro carregava consigo o fardo de todos aqueles que são encarregados das almas”. (M). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_Sirício

– Ver “O Papa Sirício (em latim Siricius) foi o papa da Igreja Católica de dezembro de 384 a 26 de novembro de 399.[1] Foi sucessor de Dâmaso I e sucedido por Anastácio I. Sirício foi eleito bispo de Roma por unanimidade, apesar das tentativas de autopromoção do antipapa Ursino. Diz a tradição que Sirício deixou mulher e filhos para tornar-se papa. O número de filhos é desconhecido…”: Papa Sirício – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

2.   Em Adri­a­nó­polis, na Pa­fla­gónia, na ho­di­erna Tur­quia, Santo Alípio, diá­cono e es­ti­lita, que morreu quase centenário. († d. 610). Santo Alípio, estilita. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Alípio,_o_Estilita

– Ver “Alípio, o Estilita foi um santo asceta e estilita do século VII. Durante a sua vida toda ele foi muito procurado pelos fiéis como um starets (guia na vida espiritual cristã ortodoxa).”: Alípio, o Estilita – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

3.   Em Kons­tanz, na Suábia, em ter­ri­tório da ac­tual Ale­manha, São Con­rado (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, óp­timo pastor da sua grei, que dis­tri­buiu ge­ne­ro­sa­mente os seus bens em favor da Igreja e dos pobres. († 975). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/São_Conrado_de_Constança

– Ver “Conrado de Constança ou Conrado de Altdorf (em alemão, Konrad von Konstanz ou Konrad von I. Altdorf) (Weingarten900 – Constança26 de novembro de 975) foi bispo da diocese de Constança entre 934 e 975. Ele é venerado como um santo pela Igreja CatólicaIgreja Luterana e Igreja Ortodoxa.”: São Conrado de Constança – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

4.   Em La­ce­de­mónia, no Pe­lo­po­neso, ter­ri­tório da Grécia, São Nicão, monge, que, de­pois de uma vida ce­no­bí­tica e ere­mí­tica na pro­víncia da Ásia, tra­ba­lhou com zelo evan­gé­lico para res­taurar a vida cristã na ilha de Creta, recém-li­berta do jugo dos Sar­ra­cenos; de­pois partiu para a Grécia a pregar a pe­ni­tência, até que fa­leceu no mos­teiro de Es­parta, por ele fundado. († 998). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, às margens do mar Negro, em 998, São Nicônio, monge, que percorria os caminhos repetindo, sem cessar, o apelo evangélico à conversão, donde seu cognome de “Metanoieté”. (M). Ver páginas 266-268: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

5.   Na flo­resta pró­xima de Fratta, no ter­ri­tório de Ro­vigo, hoje no Vé­neto, re­gião da Itália, a paixão de São Be­lino (também na Folhinha do Coração de Jesus, Belina), bispo de Pádua e mártir, in­signe de­fensor da Igreja, que, cru­el­mente es­pan­cado por si­cá­rios, morreu em con­sequência das le­sões recebidas. († 1147)

6*.   No mos­teiro dos Có­negos Re­grantes de Sixt, na Sa­vóia, ter­ri­tório da França, o Beato Pôncio de Faucigny, que foi abade de Abon­dance e, re­nun­ci­ando ao cargo, quis morrer como sim­ples religioso. († 1178). Ver “Bem-aventurado Ponce de Faucigny , nascido por volta de 1100 e morreu por volta de26 de novembro de 1178em Sixt-Fer-à-Cheval , é um religioso saboiano, membro da poderosa casa de Faucigny . A Igreja Católica celebra em 26 de novembro…”: https://fr.wikipedia.org/wiki/Ponce_de_Faucigny

7.   Perto de Fa­briano, nas Marcas, re­gião da Itália, São Sil­vestre Gozzolíni, abade, que, pro­fun­da­mente con­ven­cido da vai­dade de todas as coisas do mundo di­ante da se­pul­tura aberta de um amigo pouco antes fa­le­cido, se re­tirou para o ermo, mu­dando vá­rias vezes de sítio para per­ma­necer mais oculto aos ho­mens, e, por fim, num lugar de­serto, pró­ximo de Mon­te­fano, lançou as bases da Con­gre­gação dos Sil­ves­trinos, sob a regra de São Bento. († 1267). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Fabriano, na Itália central,, em 1267, São Silvestre. Tendo a experiência lhe ensinado a olhar tudo como se fosse lixo, comparado ao valor do supremo ganho que é Cristo, abraçou a vida monástica, à qual deu novo impulso. A congregação dos silvestrinos retira da Regra de São Bento o espírito de seu trabalho apostólico. (B). Ver páginas 269-270: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

8*.   Em Apt, na Pro­vença, re­gião da França, a Beata Del­fina, es­posa de Santo Eleázar de Sa­bran, com o qual fez voto de guardar cas­ti­dade e, de­pois da morte do seu es­poso, viveu em po­breza e de­di­cada à oração. († 1358/1360)

9*.   Em York, na In­gla­terra, os be­atos már­tires Hugo Taylor, pres­bí­tero, e Mar­ma­duco Bowes: o pri­meiro, ainda jovem, por ser sa­cer­dote, e o se­gundo, já an­cião, por tê-lo aju­dado, foram ambos con­de­nados ao su­plício do pa­tí­bulo no rei­nado de Isabel I. († 1585)

10.   Em Bi­sig­nano, na Ca­lá­bria, re­gião da Itália, Santo Hu­milde (Lucas An­tónio) Pi­rozzo, re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores, cé­lebre pelo seu dom de pro­fecia e fre­quentes êxtases. († 1637)

11.   Em Roma, no con­vento de São Bo­a­ven­tura, no Pa­la­tino, São Le­o­nardo de Porto Maurício (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, que, cheio de zelo pelas almas, passou quase toda a sua vida na pre­gação, na pu­bli­cação de li­vros de pi­e­dade e em mais de tre­zentas mis­sões pre­gadas em Roma, na ilha da Cór­sega e por toda a Itália setentrional. († 1751). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, em 1751, São Leonardo de Porto Mauricio, frade franciscano, chamado ainda em vida de Apóstolo da Itália”. Propagou a devoção à Via Sacra. (M). Ver páginas 257-261: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Leonardo_de_Porto_Maurício

12.   Em Nam Dinh, ci­dade do Ton­quim, hoje no Vi­etnam, os santos Tomás Dinh Viet Du e Do­mingos Hguyen Van (Doan) Xuyên, pres­bí­teros da Ordem dos Pre­ga­dores e már­tires, que foram de­go­lados ao mesmo tempo, por ordem do im­pe­rador Minh Mang. († 1839)

13*.   Em Bas­sano, pró­ximo de Vi­cenza, na Itália, a Beata Ca­e­tana Stérni, re­li­giosa, que, tendo fi­cado viúva ainda jovem, se de­dicou to­tal­mente ao ser­viço dos po­bres e fundou a Con­gre­gação das Irmãs da Von­tade Di­vina, des­ti­nada à as­sis­tência dos po­bres e dos enfermos. († 1889)

14*.   Em Roma, o Beato Tiago Al­be­rione (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, que, in­ten­sa­mente so­lí­cito pela evan­ge­li­zação, se de­dicou com toda a sua energia a pôr ao ser­viço da so­ci­e­dade hu­mana os ins­tru­mentos da co­mu­ni­cação so­cial e para isso fundou a Con­gre­gação da Pia So­ci­e­dade de São Paulo Apóstolo. († 1971)

– Ver “Tiago Alberione, em italiano Giacomo Alberione (Fossano4 de abril de 1884 – Roma26 de novembro de 1971), foi um padre italiano, católico, editor e fundador da Família Paulista (no Brasil: Família Paulina), que agrupa várias congregações religiosas. Foi beatificado em Roma no dia 27 de abril de 2003 pelo papa João Paulo II.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Tiago_Alberione

– Ver também “Fundador da Família Paulina, Tiago Alberione nasceu em 4 de abril de 1884, em São Lourenço de Fossano, norte da Itália, de uma família de camponeses simples e laboriosos. Vinte quatro horas após o nascimento, foi batizado e recebeu o nome de “Tiago”.  Buscando melhores terras para a lavoura, a família Alberione mudou para a cidade de Cherasco, onde Tiago passou sua infância e adolescência. Foi lá que se manifestou a vocação para o sacerdócio.”: http://sacramentinos.com/bem-aventurado-tiago-alberione.html

 15. Conforme o Martirológio Italiano de 25 de novembro, em Ale­xan­dria, no Egipto, São Pedro, bispo e mártir, que, do­tado de todas as vir­tudes, foi de­ca­pi­tado por ordem do im­pe­rador Ga­lério Má­ximo, sendo a úl­tima ví­tima e o selo dos már­tires na grande per­se­guição contra a Igreja. Com ele se co­me­moram três bispos egíp­cios – He­sí­quio, Pa­cómio e Te­o­doro – e muitos ou­tros már­tires, que, também em Ale­xan­dria, na mesma per­se­guição, cru­el­mente as­sas­si­nados ao fio da es­pada, su­biram ao Céu. († 305-311). Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 26 de novembro, no ano do Senhor de 311, o martírio de São Pedro, bispo de Alexandria. O historiador Eusébio o saudava como “um desses pastores, divinos pela vida virtuosa e por sua sagrada eloquência”. Foi uma das últimas vítimas das perseguições romanas (M). Ver páginas 250-256: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Alexandria, igualmente, durante a mesma perseguição, os Santos Mártires Amônio, Fausta e Dio. (M)

17. Santa Magnância e Santa Máxima, virgens. Ver páginas 262-264: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

18. São Basolo, ermitão. Ver página 265: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

19. Outros santos do dia 26 de novembro: págs. 250-273: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf                

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XX – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 26 de novembro, ver ainda: 26 de novembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

 1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 906-909:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DAI-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DAI-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS EM VÓS! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/