Santas e Santos de 29 de novembro

ANO LITÚRGICO – início do Ano Litúrgico de 2021: 29 de novembro de 2020

“O Ano litúrgico é o período de doze meses, divididos em tempos litúrgicos, onde se celebram os mistérios de Cristo, assim como os Santos… De necessidade de se organizar as comemorações religiosas, foi estabelecido um calendário de datas a serem seguidas, que ficou sendo denominado de “Ano Litúrgico” ou “Calendário Litúrgico”…O Ano Civil começa em 1º de Janeiro e termina em 31 de Dezembro. Já o Ano Litúrgico começa no 1º Domingo do Advento (cerca de quatro semanas antes do Natal) e termina no sábado anterior a ele (solenidade de Cristo Rei do Universo). Podemos perceber, também, que o Ano Litúrgico está dividido em “Tempos Litúrgicos”… Dentre os Dias Litúrgicos da semana, no primeiro dia, ou seja, no Domingo (Dia do Senhor), a Igreja celebra o Mistério Pascal de Jesus, obedecendo à tradição dos Apóstolos. Por esse motivo, o Domingo deve ser tido como o principal dia de festa… O Ano Litúrgico da Igreja é assim dividido:

  1. Ciclo da Páscoa;
  2. Ciclo do Natal;
  3. Tempo comum;
  4. Ciclo santoral.

O Ano Litúrgico passa por três ciclos, também chamado de anos A, B, C… A cada ano tem uma sequência de leituras próprias, ou seja, leituras para o ano A, ano B e para o ano C. A organização das leituras próprias para cada ano possibilita ao católico estudar toda a Bíblia, desde que participe de todas as missas diárias ou estude a Liturgia Diária nesse período de três anos. Para saber de que ciclo é um determinado ano, parte-se deste princípio: o ano que é múltiplo de 3 é do ciclo C… Para saber se um número é múltiplo de 3, basta somar todos os algarismos, e se o resultado for múltiplo de 3, o número também o é… Atualmente estamos no ano A = 2020: 2+0+2+0=4 (4 é múltiplo de 2) = Ano A (o ano litúrgico começa no advento do ano anterior, logo, o advento de 2019 é o início do ano litúrgico de 2020).” O Ano Litúrgico de 2021 começa em 29 de novembro de 2020, primeiro domingo do Advento. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ano_lit%C3%BArgico#:~:text=O%20Ano%20lit%C3%BArgico%20%C3%A9%20o,Cristo%2C%20assim%20como%20os%20Santos.

– Ver também CALENDÁRIO LITÚRGICO: “O Calendário litúrgico da Igreja Católica Apostólica Romana foi feito para cobrir todo o ano litúrgico cristão, abordando várias passagens bíblicas consoante o período em causa, considerando as duas principais celebrações cristãs: o Natal e a Páscoa. Divide-se em três anos: A, B e C.

Foi concebido para a Igreja celebrar o Mistério de Cristo (particularmente o seu Mistério pascal) como Corpo de Cristo as principais etapas da vida de Jesus e refletir sobre sua missão e mensagem.

Para cada período do ano é intensificado uma cor diferente, que identifica de maneira direta o período em que estiver sendo vivenciado no calendário. São elas: Branco, Verde, Roxo, Vermelho e Rosa. Outras cores como Preto e Ouro substituem algumas cores ao longo do ano…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Calend%C3%A1rio_lit%C3%BArgico

            *********************************************************

1.   Em Roma, no ce­mi­tério de Trasão, junto à Via Sa­lária Nova, São Sa­tur­nino de Car­tago, mártir, que, se­gundo re­fere o papa São Dâ­maso, no tempo do im­pe­rador Décio, pela con­fissão da sua fé em Cristo, na sua pá­tria foi sub­me­tido ao su­plício do ca­va­lete e des­ter­rado para Roma, onde, de­pois de su­perar atrozes tor­mentos, con­verteu à fé o algoz Gra­ciano; fi­nal­mente de­ca­pi­tado, al­cançou a coroa do martírio. († c. 250). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, São Saturnino. Cristão originário da Africa do Norte, foi martirizado sob o imperador Diocleciano. (M). Ver página 317: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também “Saturnino de Cartago foi um mártir romano no século III, perseguido pelo imperador Décio , 1Em Roma, no cemitério de Trasón, na Via Salaria Nueva, Santo Saturnino de Cartago, um mártir que, segundo o Papa São Damaso, sob o imperador Décio, por ter confessado a Cristo, foi primeiro atormentado na prateleira por seus próprios méritos pátria, e mais tarde, extraditado para Roma, após superar outros tormentos atrozes, ele converteu o tirano Graciano à fé, e finalmente alcançou a coroa do martírio ao ser decapitado. 2”: https://es.wikipedia.org/wiki/Saturnino_de_Cartago

2.   Em Tou­louse, na Gália Nar­bo­nense, na ac­tual França, a co­me­mo­ração de São Sa­tur­nino, bispo e mártir, que, se­gundo a tra­dição, no tempo do mesmo im­pe­rador Décio, foi de­tido pelos pa­gãos no Ca­pi­tólio desta ci­dade e ar­re­mes­sado do alto do edi­fício pelas es­cadas, de modo que, frac­tu­rada a ca­beça e di­la­ce­rado todo o corpo, en­tregou a sua alma a Cristo. († c. 250). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. II, São Saturnino, um dos sete bispos missionários enviados pela Igreja Romana para evangelizar as Gálias, e que fundou a Sé episcopal de Toulouse. Uma magnífica basílica românica foi-lhe dedicada no séc. XI, aparecendo como uma das importantes etapas ao longo do caminho para Compostela. (M). Ver páginas 312-316: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Saturnino_de_Tolosa

– Ver “São Saturnino de Tolosa (ou de Toulouse) (morto em Tolosa em 257) foi um missionário romano que pregou nas GáliasPirenéus e Península Ibérica.[1] É um dos chamados “Apóstolos para os gauleses“, que foi enviado para cristianizar a Gália (provavelmente pelo Papa Fabiano) depois das perseguições durante o consulado de Décio e Grato (250-251) terem feito desaparecer todas as comunidades cristãs exceto as mais pequenas. São Fabiano enviou sete bispos de Roma para a Gália para pregar os EvangelhosSão Gaciano para ToursSão Trófimo para ArlesSão Paulo para NarbonaSanto Austremónio para Clermont-FerrandSão Denis para ParisSão Marçal para Limoges e São Saturnino para Tolosa.[nt 2]”: Saturnino de Tolosa – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

3.   Em An­cira, na Ga­lácia, hoje An­cara, na Tur­quia, São Fi­lo­meno, mártir, que, se­gundo a tra­dição, du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Au­re­liano, sendo pre­feito Félix, ator­men­tado pri­mei­ra­mente no fogo e de­pois tres­pas­sadas as mãos, os pés e a ca­beça com cravos, con­sumou o seu martírio. († s. III)

4.   Em Tódi, na Úm­bria, re­gião da ho­di­erna Itália, Santa Ilu­mi­nada (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem. († c. s. IV)

5.   Em Batnan, no Os­roene, na ho­di­erna Tur­quia, São Tiago, bispo de Sarug, que ilus­trou com pu­rís­sima fé esta Igreja por meio de ser­mões, ho­mi­lias e tra­du­ções, e é ve­ne­rado pelos Sí­rios como doutor e co­luna da Igreja, jun­ta­mente com Santo Efrém. († 521)

6*.   Em De­venter, na Frísia, na ac­tual Ho­landa, a tras­la­dação de São Rat­bodo, bispo de Utrecht, pastor sábio e pru­dente, que morreu quando vi­si­tava as po­pu­la­ções rurais. († 918)

7*.   Em York, na In­gla­terra, o Beato Edu­ardo Burden, pres­bí­tero e mártir, que, tendo es­tu­dado no Co­légio dos In­gleses em Reims, quando re­gressou aos do­mí­nios da rainha Isabel I já or­de­nado sa­cer­dote, foi con­de­nado ao pa­tí­bulo pe­rante uma mul­tidão enfurecida. († 1588)

8*.   Na mesma ci­dade de York, oito anos de­pois, os be­atos Jorge Er­rington, Gui­lherme Gibson e Gui­lherme Knight, már­tires, que, pros­critos pelo mero facto de serem con­si­de­rados sa­cer­dotes, foram mar­ti­ri­zados cruelmente. († 1596)

9*.   Em Aceh, ilha de Su­matra, na ac­tual In­do­nésia, os be­atos már­tires Di­o­nísio da Na­ti­vi­dade (Pedro Berthelot), pres­bí­tero, e Re­dento da Cruz (Tomás Ro­dri­gues), re­li­gi­osos da Ordem dos Car­me­litas Des­calços, que foram sub­me­tidos à es­cra­vidão pelos ma­o­me­tamos e de­pois le­vados para a beira-mar, onde foram mortos a golpes de lança e de setas. († 1638)

10♦.   Em Val­la­dolid, na Es­panha, o Beato Ber­nardo Fran­cisco de Hoyos, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus, pri­meiro e prin­cipal da de­voção ao Sa­grado Co­ração de Jesus nesta nação. († 1735)

– Ver “Bernardo Francisco de Hoyos y de Seña (Torrelobatón21 de agosto de 1711 – Valhadolide29 de novembro de 1735) foi um presbítero jesuíta, primeiro e principal apóstolo da devoção ao Sagrado Coração de Jesus na Espanha.[1]”: Bernardo de Hoyos – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

11.   Em Lu­cera, na Apúlia, re­gião da Itália, São Fran­cisco An­tónio Fa­sáni, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, homem de grande sa­be­doria, so­li­da­mente fun­da­men­tado na prá­tica da pre­gação e da pe­ni­tência, o qual se de­dicou de tal modo aos po­bres e in­di­gentes, que nunca du­vidou em des­prender-se até das suas vestes para co­brir um men­digo, ofe­re­cendo a todos a sua ajuda cristã. († 1742)

12♦.   Em Roma, a Beata Maria Ma­da­lena da Encarnação (Ca­ta­rina Sor­díni), virgem, fun­da­dora do Ins­ti­tuto das Irmãs da Ado­ração Per­pétua do San­tís­simo Sacramento. († 1824)

13*.   Em El Saler, lo­ca­li­dade pró­xima de Va­lência, na Es­panha, o Beato Al­fredo Simão Co­lo­mina, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, que, na per­se­guição contra a Igreja, con­firmou com o seu sangue a sua fi­de­li­dade ao Senhor. († 1936)

14. São Brás de Véroli (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver página 318 “Em Véroli, os santos mártires Brás e Demétrio”: VIDAS DOS SANTOS – 20.pdf (obrascatolicas.com)

15. São Paramão (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver página 318 “Aniversáric, de morte dos santos Paramão e trezentos e setenta e cinco companheiros, sob o imperador Décio e o prefeito Aquilino, em 250.”: VIDAS DOS SANTOS – 20.pdf (obrascatolicas.com)

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, São Sifredo, monge de Lérins, que veio evangelizar a região de Carpentras, da qual foi o primeiro bispo. (X). Ver “São Sifredo, bispo de Carpentras. Um cavaleiro, nobre, apareceu no mosteiro de Lérins, governado por Cesário de Arles, com um filho, Sifredo. O menino estudou gramática, retórica e dialética. Aos trinta anos, foi eleito bispo de Venasco, e abençoado por São Cesário, bispo de Arles. Em Venasco Sao Sifredo erigiu duas igrejas em honra de Nossa Senhora e de São João Batista, e uma terceira em Carpentras, dedicada a Santo Antônio, abade. Bispo de Carpentras, socorreu, sempre, muito eficazmente os pobres, que o amavam. Há que notar na legenda acima resumida: 1.São Cesário de Arles não foi abade de Lérins; 2. São Sifredo foi feito bispo aos trinta anos? …” página 283, em 27 de novembro: VIDAS DOS SANTOS – 20.pdf (obrascatolicas.com)

17. São Brandão de Birr. Ver “São Brandão de Birr (morreu c. 572), foi um dos primeiros santos monásticos irlandeses. Ele foi um monge e, mais tarde, um abade, no século VI. Ele é conhecido como “São Brandão o Velho” para o distinguir do seu contemporâneo e amigo São Brandão o Navegador.[2] Ele foi um dos Doze Apóstolos de a Irlanda, e um amigo e discípulo de São Columba.[3]”: Brandão de Birr – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também “Os Doze Apóstolos de Erin, que vieram estudar aos pés de São Finiano, em Clonard,às margens dos rios Boyne e Kinnegad, dizem ter sido São Ciaran de Saighir (Seir-Kieran) e St. Ciaran de Clonmacnois; São Brendan de Birr e São Brendan de Clonfert; São Columba de Tir-da-glasí (Terryglass) e Santa Columba de Iona; St. Mobhí de Glasnevin; Ruadhan de Lorrha; São Sena de Iniscathay (Ilha Dispersa); St. Ninnidh, a Santa de Loch Erne; St. Lasserian mac Nadfraech, e St. Canice de Aghaboe. Embora houvesse muitos outros homens santos educados em Clonard que poderiam alegar ser verdadeiros apóstolos, os doze acima são considerados por velhos escritores irlandeses como “Os Doze Apóstolos de Erin”. Eles não são indignos do título, pois todos eram de fato apóstolos, cujos estudos foram fundados nas Escrituras Sagradas como expostos por São Finiano…”: CATHOLIC ENCYCLOPEDIA: The Twelve Apostles of Erin (newadvent.org)

18. Outros santos do dia 29 de novembro: págs. 312-319: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf                

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XX – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 29 de novembro, ver ainda: 29 de novembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

 1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 914-916:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DAI-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DAI-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS EM VÓS! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/