Santas e Santos de 01 de junho

Ver JUNHO Junho é o sexto mês do calendário gregoriano e tem 30 dias. O seu nome é derivado da deusa romana Juno, mulher do deus Júpiter. Junho contém o solstício de verão no hemisfério norte, o dia com mais horas de luz do dia, e o solstício de inverno no hemisfério sul, o dia com menos horas de luz do dia (excluindo as regiões polares em ambos os casos). Junho no hemisfério norte é o equivalente sazonal a dezembro no hemisfério sul e vice-versa. No hemisfério norte, o início da tradição astronômica do verão é 21 de junho (o verão meteorológico começa em 1 de junho). No hemisfério sul, o inverno meteorológico começa em 1º de junho [1].”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Junho

SANTAS E SANTOS DE 01 DE JUNHO

1. Me­mória de São Jus­tino (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir, um fi­ló­sofo que se­guiu rec­ta­mente a ver­da­deira sa­be­doria re­co­nhe­cida na ver­dade de Cristo, ma­ni­festou-a na sua vida, en­sinou-a na sua pre­gação, de­fendeu-a nos seus es­critos e con­firmou-a com a sua morte em Roma no tempo do im­pe­rador Marco Au­rélio An­to­nino. De facto, de­pois de ter apre­sen­tado ao im­pe­rador a sua “Apo­logia” em de­fesa da re­li­gião cristã, foi en­tregue ao pre­feito Rús­tico e, con­fes­sando pe­rante ele que era cristão, foi con­de­nado à morte. († c. 165).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Justino, martirizado perto do ano de 165. Nascido na Palestina, buscou encontrar a verdade nas diferentes escolas filosóficas antes de descobrir a doutrina cristã, “a única sabedoria segura e verdadeira”. Colocou então sua ciência a serviço da Igreja Católica e deixou várias obras, entre as quais uma preciosa Apologia do Cristianismo dirigida ao imperador, na qual descreve os sacramentos do Batismo e da Eucaristia. (R).

Ver VIDAS DOS SANTOS de 13 de abril, páginas 293-312: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver também “Flávio Justino (em latimFlavius Iustinus100 – 165), também conhecido como Justino Mártir (em latimIustinus Martir) ou Justino de Nablus, foi um teólogo romano do século II, mártir e santo da Igreja Católica.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Justino

– Ver ainda: http://earlychristianwritings.com/justin.html

2.   Também em Roma, os santos Ca­ritão e Ca­rito, Evel­pisto e Je­races, Peão e Li­be­riano, már­tires, que foram dis­cí­pulos de São Jus­tino e, jun­ta­mente com ele, re­ce­beram a coroa de glória. († c. 165)

3.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, os santos már­tires Amon, Zenão, Pto­lomeu, In­genes, sol­dados, e o an­cião Teó­filo, que, pre­sentes no tri­bunal, com o rosto, os olhos e os gestos pro­cu­ravam en­co­rajar um cristão in­ti­mi­dado pelos su­plí­cios a que era sub­me­tido e es­tava prestes a re­negar da fé; tendo-se le­van­tado contra eles um clamor de todo o povo, ir­rom­peram para o meio do tri­bunal e afir­maram que eram cris­tãos; assim, pela sua vi­tória triunfou glo­ri­o­sa­mente Cristo, que dera aos seus fiéis tão firme cons­tância de ânimo. († 249)

4.   Em Li­có­polis, também no Egipto, os santos már­tires Is­qui­rião, co­man­dante do exér­cito, e outros cinco soldados, que, por ordem do pre­feito Ar­riano, no tempo do im­pe­rador Décio, deram a vida pela fé em Cristo com di­versos gé­neros de martírio. († c. 250)

– No Martirológio Romano-Monástico, no séc. III, a paixão de muitos cristãos que confessaram sua fé comum em Cristo, em diferentes países: Tespésio, na Capadócia, Isquirião, no Egito e Próculo, na Itália (M).

5.   Em Bo­lonha, na ac­tual Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, São Pró­culo, mártir, que pela ver­dade cristã foi tres­pas­sado com grossos cravos de traves. († c. 300)

6.   Em Mon­te­falco, na Úm­bria, também re­gião da Itália, São For­tu­nato, pres­bí­tero, que, se­gundo a tra­dição, sendo ele mesmo pobre, com as­síduo tra­balho acudiu às ne­ces­si­dades dos po­bres e deu a vida pelos irmãos. († s. IV/V).

Ver página 385: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

7.   Na ilha de Lé­rins, na Pro­vença, ac­tu­al­mente na França, São Ca­prásio, ere­mita, que jun­ta­mente com Santo Ho­no­rato se re­tirou neste lugar e aí deu início à vida monástica. († 430).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 436, São Caprásio. Com Santo Honorato, foi procurar a solidão em uma das ilhas de Lérins, berço do monaquismo provençal. (M). Ver página 384: São Capresa, confessor:

– Ver São Capresa, confessor, página 384: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

8*.   Em Ar­vena, na Aqui­tânia, hoje Cler­mont-Fer­rand, na França, São Floro, cujo nome foi dado ao mos­teiro cons­truído sobre o seu tú­mulo, bem como à ci­dade e à sede episcopal. († data inc.)

9*.   Na Bre­tanha Menor, também na ho­di­erna França, São Ro­nano, bispo, que chegou por mar da Ir­landa e nas flo­restas levou vida eremítica. († s. VII/VIII)

10*.   No ter­ri­tório de Lei­cester, na In­gla­terra, São Vis­tano, mártir, que, sendo membro da fa­mília real da Mésia, porque se opôs ao ma­tri­mónio in­ces­tuoso de sua mãe re­gente, foi morto com a es­pada do tirano. († 849)

11.   Em Tré­veris, na Lo­rena, hoje na Ale­manha, São Si­meão, filho de um grego de Si­ra­cusa, que levou vida ere­mí­tica junto a Belém e no Monte Sinai e, de­pois de longas pe­re­gri­na­ções, viveu até à morte re­cluso na torre da Porta Negra desta cidade. († 1035).

No Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1035, São Simeão. Originário de Siracusa, na Sicília, viveu primeiro como eremita em Belém e no Monte Sinai. Depois, levou uma vida de peregrino que o conduziu através da Europa até Treves, onde se fixou, transformando então o corpo da guarda imperial em uma trincheira de oração (M).

– Ver páginas 377-380: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf 

12.   No mos­teiro de Oña, no ter­ri­tório de Burgos, em Cas­tela, re­gião da Es­panha, Santo Ínhigo, abade, homem pa­cí­fico, cuja morte cho­raram os pró­prios Ju­deus e Mouros. († c.1060).

Ver páginas 387-388: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

13*.   Em Alba, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, o Beato Te­o­baldo, que, mo­vido pelo amor da po­breza, deu toda a sua for­tuna a uma viúva e por hu­mil­dade tomou o ofício de car­re­gador, para levar sobre si o fardo dos outros. († 1150).

Ver página 390: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

14*.   Em Ur­bino, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, o beato João Pellingotto, da Ordem Ter­ceira de São Fran­cisco, que, sendo co­mer­ci­ante, pro­cu­rava en­ri­quecer mais os ou­tros do que a si mesmo e, re­ti­rando-se numa cela, só de lá saía para ajudar os po­bres e os enfermos. († 1304)

– Ver páginas 391-392: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

15*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, o Beato João Storey, mártir, ju­rista, que per­ma­neceu fi­de­lís­simo ao Ro­mano Pon­tí­fice. De­pois de passar pelos cár­ceres e pelo exílio, foi con­de­nado à morte e, so­frendo o su­plício da forca no pa­tí­bulo de Ty­burn, emi­grou para a fe­li­ci­dade eterna. († 1571).

Ver páginas 396-397: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

16*.   Em Omura, no Japão, os be­atos már­tires Afonso Na­var­rete, da Ordem dos Pre­ga­dores, Fer­nando de São José de Ayala, da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, pres­bí­teros, e Leão Tanaka, re­li­gioso da Com­pa­nhia de Jesus, que, por edito do co­man­dante su­premo Hi­de­tada, foram de­go­lados ao mesmo tempo em ódio à fé cristã. († 1617)

17*.   Num barco-prisão, an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato João Bap­tista Vernoy de Montjournal, pres­bí­tero e mártir, que, sendo có­nego de Mou­lins, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, por causa da sua con­dição de sa­cer­dote foi con­de­nado ao cár­cere na ga­lera e aí morreu con­su­mido pela enfermidade. († 1794)

18.   Em Hung Yen, no Ton­quim, no ac­tual Vi­etnam, São José Tuc, mártir, jovem agri­cultor, que, no tempo do im­pe­rador Tu Duc, por ter re­cu­sado calcar a cruz, foi vá­rias vezes de­tido no cár­cere e tor­tu­rado e fi­nal­mente degolado. († 1862)

19*.   Em Pi­a­cenza, na Itália, o Beato João Bap­tista Scalabríni, bispo, que teve uma ac­ti­vi­dade mul­ti­forme nesta Igreja e se dis­tin­guiu pela so­li­ci­tude para com os sa­cer­dotes, os agri­cul­tores e os ope­rá­rios, mas prestou es­pe­cial atenção aos emi­grantes nas ci­dades da Amé­rica, para os quais fundou as Pias So­ci­e­dades do Sa­grado Coração. († 1905)

20.   Em Mes­sina, na Si­cília, também na Itália, Santo Aníbal Maria Di Frância, pres­bí­tero, que fundou as Con­gre­ga­ções dos Ro­ga­ci­o­nistas do Co­ração de Jesus e das Fi­lhas do Zelo Di­vino, com a fi­na­li­dade de pedir ao Se­nhor para que en­ri­que­cesse a sua Igreja com santos sa­cer­dotes, e se de­dicou com grande zelo aos ór­fãos, abrindo aos po­bres as mãos da mi­se­ri­córdia de Deus. († 1927).

– Ver “Aníbal Maria Di Francia, em italianoAnnibale Maria di Francia (Messina, 5 de julho de 1851 — Messina, 1 de junho de 1927) foi um sacerdote católico beatificado em 7 de outubro de 1990 pelo Papa João Paulo II e canonizado em 16 de maio de 2004 também pelo Papa João Paulo II que o denominou como “o Apóstolo da oração pelas vocações e pai dos órfãos e dos pobres”.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/An%C3%ADbal_Maria_di_Francia

21. São Pânfilo, mártir.

– No Martirológio Romano-Monástico, em Cesaréia da Palestina, o Bem-Aventurado Panfílio, sacerdote, martirizado em 290 junto com Diversos Outros Cristãos. Após sua ordenação sacerdotal, dirigiu uma escola teológica criada por Orígenes, a quem ele muito admirava. Seu discípulo mais ilustre foi o historiador Eusébio de Cesaréia. Junto com São Panfílio, confessam também sua fé o Diácono Valêncio ou Valente, “que conhecia as Divinas Escrituras como ninguém”, e o Bem-Aventurado Paulo “que fervia com o ardor do Espírito Santo” (M).

– Ver páginas 381-383: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

22. São Felino e São Graciniano, mártires. Ver “Felino e Graciniano eram soldados, quando do imperador Décio, sob o qual padeceram o martírio…”  página 386: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

23. São Renan, confessor. Ver página 389: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

24. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Espanha, no início do séc. XI, Santo Inácio, anacoreta. Feito abade de Oña, onde se acabava de adotar a observância cluniacence, deu novo impulso ao monarquismo. Por ocasião de sua morte, foi pranteado unanimemente por judeus, muçulmanos e cristãos (M).

25. Bem-aventurado Herculano de Piegaro (também na Folhinha do Coração de Jesus), confessor.

– Ver página 393:  http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Santo Herculano de Piegaro (m. 1541) foi um santo italianobeatificado em 1860.

Nascido em Piegaro, tornou-se um importante pregador franciscano.

Seu dia consagrado é 1 de junho.

Diz-se que seu corpo permaneceu incorrupto depois de sua morte.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Herculano_de_Piegaro

26. Bem-Aventurado Félix de Nicosia, confessor. Ver páginas 394-395: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

27. Santa Cândida, na Folhinha do Coração de Jesus.

28. São Crescentino de Tiferno. Ver “São Crescentino (em italianoSan CrescentinoCrescenziano) é o patrono de Urbino. Venerado como um santo guerreiro, ele é por vezes representado a cavalo matando um dragão, da mesma forma que São Jorge. Porém, como Martin Davies escreveu, “A história de São Crescentino, até onde eu sei, exclui um princesa ou qualquer outra vítima feminina”[1].”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Crescentino_de_Tiferno

29. Outros santos do dia 01 de junho: págs. 377-400 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 01 de junho, ver ainda: 1 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 439-442: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. Santo do Dia 31 de Maio (lngplants.com) ou http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMay31.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!