Santas e Santos de 03 de junho

CORPUS CHRISTI – 03 de junho de 2021

A Solenidade de Corpus Christi ou Corpus Domini (expressão latina que significa Corpo de Cristo ou Corpo do Senhor), e generalizada em Portugal como Corpo de Deus, é uma comemoração litúrgica das igrejas Católica OrtodoxaCatólica Apostólica Romana e Anglicana (esta última, até 1548) que ocorre na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade, que, por sua vez, acontece no domingo seguinte ao de Pentecostes. É uma Festa de Guarda, em que a participação da Santa Missa é obrigatória, na forma estabelecida pela conferência episcopal do país respectivo.

Para os católicos apostólicos romanos, a procissão pelas vias públicas atende a uma recomendação do Código de Direito Canônico (cânone 944), que determina ao bispo diocesano que a providencie «para testemunhar publicamente a adoração e a veneração para com a Santíssima Eucaristia, principalmente na solenidade do Corpo e Sangue de Cristo»…

…A origem da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo remonta ao século XIII. O papa Urbano IV, na época o cônego Tiago Pantaleão de Troyes, arcediago do Cabido Diocesano de Liège, na Bélgica, recebeu o segredo da freira agostiniana Juliana de Mont Cornillon, que teve visões de Cristo demonstrando desejo de que o mistério da Eucaristia fosse celebrado com destaque…. https://pt.wikipedia.org/wiki/Corpus_Christi

            – Ver também “oje a Igreja mostra ao mundo o Corpus Domini o Corpo de Cristo. E convida-nos a adorá-Lo: Venite adoremus Vinde, adoremos!

O olhar dos crentes concentra-se no Sacramento, em que Cristo se deu totalmente a si mesmo: Corpo, Sangue, Alma e Divindade. Por isso foi sempre considerado o mais Santo: o “Santíssimo Sacramento”, memorial vivo do Sacrifício redentor.

Voltamos, na solenidade do Corpus Domini, àquela “Quinta-feira” a que todos chamamos “santa”, na qual o Redentor celebrou a sua última Páscoa com os discípulos: foi a Última Ceia, cumprimento da ceia pascal hebraica e inauguração do rito eucarístico.

Por isso a Igreja, desde há séculos, escolheu uma quinta-feira para a solenidade do Corpus Domini, festa de adoração, de contemplação e de exaltação. Festa em que o Povo de Deus se reúne à volta do tesouro mais precioso herdado de Cristo, o Sacramento da sua própria Presença, e O louva, canta e leva em procissão pelas ruas da cidade.”: http://www.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/homilies/2001/documents/hf_jp-ii_hom_20010614_corpus-domini.html

            – Ver “CARTA ENCÍCLICA ECCLESIA DE EUCHARISTIA DO SUMO PONTÍFICE JOÃO PAULO II AOS BISPOS AOS PRESBÍTEROS E DIÁCONOS ÀS PESSOAS CONSAGRADAS E A TODOS OS FIÉIS LEIGOS SOBRE A EUCARISTIA NA SUA RELAÇÃO COM A IGREJA”

A Igreja vive da Eucaristia… Esta tem indelevelmente inscrito nela o evento da paixão e morte do Senhor. Não é só a sua evocação, mas presença sacramental. É o sacrifício da cruz que se perpetua através dos séculos… Esta verdade está claramente expressa nas palavras com que o povo, no rito latino, responde à proclamação « mistério da fé » feita pelo sacerdote: « Anunciamos, Senhor, a vossa morte »….

A reprodução sacramental na Santa Missa do sacrifício de Cristo coroado pela sua ressurreição implica uma presença muito especial, que – para usar palavras de Paulo VI – « chama-se “real”, não a título exclusivo como se as outras presenças não fossem “reais”, mas por excelência, porque é substancial, e porque por ela se torna presente Cristo completo, Deus e homem »…

« Bom Pastor, pão da verdade, / Tende de nós piedade, Conservai-nos na unidade, / Extingui nossa orfandade E conduzi-nos ao Pai. / Aos mortais dando comida / Dais também o pão da vida: Que a família assim nutrida / Seja um dia reunida Aos convivas lá do Céu ».: http://w2.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/encyclicals/documents/hf_jp-ii_enc_20030417_eccl-de-euch.html

– Ver também “História da Solenidade de Corpus Christi”: https://www.acidigital.com/fiestas/eucaristia/historia.htm

– Ver ainda: páginas 459-481: (NÃO TEM LINK):  Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

SANTAS E SANTOS DE 03 DE JUNHO

1. Me­mória dos santos Carlos Lwanga e doze companheiros (também na Folhinha do Coração de Jesus), com idades entre os ca­torze e os trinta anos, per­ten­centes à corte dos jo­vens no­bres ou ao corpo de guarda do pró­prio rei Mwanga, neó­fitos ou fer­vo­rosos se­gui­dores da fé ca­tó­lica, que por se terem re­cu­sado ceder às im­puras in­ten­ções do rei, uns foram de­ca­pi­tados e ou­tros quei­mados no monte Na­mu­gongo, no Uganda. São estes os seus nomes: Mbaya Tu­zinde, Bruno Se­ro­numa, Tiago Bu­za­ba­liao, Ki­zito, Am­brósio Ki­buka, Mgagga, Gya­vira, Aquiles Kiwa­nuka, Adolfo Lu­digo Mkasa, Mu­kasa Ki­riwamvu, Ana­tólio Ki­riggwajjo, Lucas Banawakintu. († 1886).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Carlos Lwanga e seus companheiros. Em 1886. sete anos após a chegada dos primeiros missionários a Uganda, cerca de cem jovens cristãos, católicos e anglicanos, foram condenados à morte por terem desejado permanecer fiéis à graça de seu batismo, na castidade e na oração. Vinte e dois católicos foram canonizados em 1964 e São Carlos Lwanga foi proclamado padroeiro celeste da juventude africana. (R).

– Conforme a Folhinha do Coração de Jesus, de 02.06.2013, “03/06: SÃO CARLOS LWANGA E COMPS. Entre os anos 1885 e 1887, foram condenados à morte muitos cristãos em Uganda, entre os quais alguns anglicanos, vítimas da perseguição aos cristãos por ordem do rei Mwanga. Alguns deles eram funcionários da corte real ou até adjuntos do próprio rei, entre eles distingue-se Carlos Lwanga, que era um dos chefes dos pajens real. Ele e seus companheiros foram condenados pela inquebrantável adesão à fé católica. Foram uns decapitados e outros queimados vivos, por não terem cedido às impuras ordens do rei. São os primeiros mártires da África Negra. Foram martirizados na colina de Namugongo em Uganda, onde foi construído um grande santuário consagrado pelo próprio Papa Paulo VI que disse na sua homilia: “Os vossos mártires nos ensinam o quanto vale a fé!”. Frei Marcos Antônio de Andrade, OFM.Petrópolis/RJ”.

– Conforme a Folhinha do Coração de Jesus, de 02.06.2015, 03/06: SANTOS CARLOS LWANGA E COMPS. Entre os anos de 1885 e 1887 uma centena de cristãos, entre os quais alguns anglicanos, foram vítimas da perseguição em Uganda. Dentre eles estava Carlos, chefe dos pajens da corte do rei Muanga. Carlos Lwanga foi batizado durante a evangelização dos “padres brancos” (Sociedade dos Missionários da África). A atividade apostólica dos missionários, começada em 1879, foi bem acolhida pelo rei Mutesa e pelo seu sucessor, mas, depois, influenciado pelo chanceler do reino, decidiu extirpar a presença cristã de Uganda. Alguns cristãos o rei chegou a matar com as próprias mãos. Para aterrorizar os jovens pajens, ele mandou queimar vivo seu chefe, Carlos Lwanga,, porém todos perseveraram na fé. No dia 27 de janeiro de 1887 morria afogado o último dos 22 mártires de Uganda. Frei Marcos A. de Andrade, OFM-Petrópolis/RJ”.

Ver páginas 444-445: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Carlos Luanga (em lugandaLwanga) foi um dos mártires a serem mortos a mando do cabaca Muanga II (r. 1884–1888) do Reino de Buganda, na atual Uganda.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Carlos_Luanga

2.   Em Car­tago, na ac­tual Tu­nísia, São Ce­cílio, pres­bí­tero, que con­duziu São Ci­priano à fé de Cristo. († s. VI)

3.   Em Car­cas­sonne, na Gália Nar­bo­nense, ac­tu­al­mente na França, Santo Hi­lário, que é con­si­de­rado o pri­meiro bispo desta ci­dade, no tempo em que os Godos di­fun­diam nesta re­gião a he­resia ariana. († s. VI)

4.   Em Tours, na Gália Li­o­nense, também na ac­tual França, Santa Clo­tilde (também na Folhinha do Coração de Jesus), rainha, cujas ora­ções in­du­ziram o seu es­poso Clo­doveu, rei dos Francos, a abraçar a fé de Cristo; de­pois da morte do seu es­poso, re­co­lheu-se na ba­sí­lica de São Mar­tinho, para não mais ser con­si­de­rada como rainha, mas serva de Deus. († 545).

Ver páginas 430-433: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Clotilde da Borgonha, também conhecida  como Rotilde (em latimChrotechildisChrodechildis ou ChlodechildisLião474 – Tours3 de junho de 545) foi rainha dos francos, como a segunda esposa de Clóvis. Ela era princesa da Borgonha como filha de Quilperico II. Foi responsável pela conversão do marido ao catolicismo.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Clotilde_da_Borgonha

5.   Em Meung-sur-Loire, no ter­ri­tório de Or­leães, também na ac­tual França, São Li­fardo, pres­bí­tero, que neste lugar levou vida eremítica. († s. VI).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, São Lifardo. Renunciando a altos cargos juridicos, retirou-se por volta dos quarenta anos para a solidão. Alguns anos mais tarde o bispo de Orléans confiou-lhe a direção do novo mosteiro de Meung, às margens do Loire. (M)

6.   Em Anágni, na Cam­pânia, hoje no Lácio, re­gião da Itália, Santa Oliva (também na Folhinha do Coração de Jesus, Santa Olívia), virgem. († s. VI/VII)

7*.   Em Glen­da­lough, na Ir­landa, São Co­en­geno ou Que­vino ou Kevin, abade, que fundou um mos­teiro, no qual, se­gundo a tra­dição, foi pai e di­rector de muitos monges. († 622).

Ver páginas 434-436: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

8*.   Em Cler­mont-Fer­rand, na Aqui­tânia, na ho­di­erna França, São Gens (Genésio), bispo de Cler­mont, cujo corpo foi se­pul­tado em Man­glieu, na igreja do mos­teiro por ele cons­truído com o hos­pício anexo. († c. 650)

9.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, Santo Isaac, mártir, que, sendo monge, du­rante o do­mínio dos Mouros, im­pe­lido por um im­pulso não hu­mano mas por ins­pi­ração di­vina, desceu do mos­teiro de Tá­banos à praça pú­blica para dis­cutir com o Emir sobre a ver­da­deira re­li­gião e foi por isso con­de­nado à morte. († 851).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Córdova, no ano do Senhor de 851, o Bem-Aventurado Isaac, monge, que diante do Islamismo proclamou sua fé em Cristo, único mediador entre Deus e os homens. (M).

– Ver página 437: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

10.     Em Lucca, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, São Da­vino, que, de origem ar­mena, vendeu todos os bens e se fez pe­re­grino por Cristo, até que, de­pois de vi­sitar a Terra Santa e a ba­sí­lica dos Após­tolos, morreu atin­gido pela enfermidade. († 1051).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1051, São Davino, cristão armênio, que vendeu todos os seus bens e deu tudo aos pobres para se consagrar à vida ascéticade peregrino. Morreu em Lucca, na Toscana. (M)

11*.   Em Alt­kirch, no ter­ri­tório de Ba­si­leia, re­gião dos Hel­vé­cios, na ac­tual Suíça, São Mo­rando (ou Morândio), monge, na­tural da Re­nânia, que, or­de­nado pres­bí­tero, fez a pe­re­gri­nação a Com­pos­tela e, ao re­gressar, se tornou monge de Cluny, fun­dando de­pois o mos­teiro onde con­cluiu a sua in­tensa vida. († 1115).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 1115, São Morândio, monge beneditino de Cluny, que se juntou ao grupo de fundadores do mosteiro de Altkirch, na Alsácia. Sua origem germânica e sua afabilidade favoreceram numerosas conversões naquela região. (X).

Ver páginas 438-439: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

12*.   Em Spello, na Úm­bria, re­gião da Itália, o Beato André Caccióli, o pri­meiro pres­bí­tero agre­gado aos Frades Me­nores, que re­cebeu o há­bito da Ordem das mãos de São Fran­cisco e as­sistiu à sua morte. († 1254).

Ver páginas 440-441: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

13*.   No ce­nóbio de Santa Maria de Ca­dossa, na Lu­cânia, hoje na Cam­pânia, re­gião da Itália, São Cono, monge, que na sua ir­re­pre­en­sível ob­ser­vância mo­nás­tica e ino­cência de vida, pela graça de Deus, em breve tempo chegou ao grau mais su­blime das virtudes. († s. XIII)

– Ver “São Cono de Teggiano é um santo italiano da Igreja Católica.[1]… Seu caráter de santo foi reconhecido pelas próprias pessoas que começaram a chamá-lo assim muito antes do processo de canonização. Isso finalmente ocorre em 1871, a pedido do Papa Pio IX.[2]”:

14*.   Em York, na In­gla­terra, o Beato Fran­cisco In­gleby, pres­bí­tero e mártir, que, de­pois de ter es­tu­dado no Co­légio dos In­gleses em Reims, por exercer o sa­cer­dócio na sua pá­tria, foi con­du­zido, no rei­nado de Isabel I, ao su­plício do patíbulo. († 1580)

15.   Em Jerez de la Fron­tera, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, São João Grande, re­li­gioso da Ordem de São João de Deus, que res­plan­deceu pela sua grande ca­ri­dade para com os presos, os aban­do­nados e os mar­gi­nados e morreu con­ta­giado pela peste dos do­entes que tratava. († 1600).

Ver São João Grande, o pecador. Confessor. Ver “… Em 1600, aos quarenta e quatro anos, vítima do próprio devotamento, faleceu João Grande colhido por uma epidemia. Em 1852, Pio IX declarou-o bem-aventurado João Grande, o Pecador, ainda hoje, é honradíssimo na Andaluzia, onde nasceu (Carmona ) no ano de I 546.”, às páginas 442-443: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

16*.   Ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Carlos Re­nato Collas de Bignon, pres­bí­tero da So­ci­e­dade de São Sul­pício e mártir, que era Reitor do Se­mi­nário Menor de Bourges, quando, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, por causa do sa­cer­dócio, foi en­car­ce­rado numa ga­lera e morreu co­berto de chagas infecciosas. († 1794)

17.   Em Au Thi, no Ton­quim, ac­tu­al­mente no Vi­etnam, São Pedro Dong, mártir, pai de fa­mília, que pre­feriu so­frer atrozes tor­mentos a pisar a cruz e, porque quis gravar na sua face as pa­la­vras “ver­da­deira re­li­gião” em vez de “falsa re­li­gião”, foi de­go­lado no tempo do im­pe­rador Tu Duc. († 1862)

18*.   Em Bel­legra, lo­ca­li­dade pró­xima de Roma, o Beato José Oddi (Diogo, Diego), re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores, in­signe pela sua in­tensa oração e sim­pli­ci­dade de vida. († 1919)

19.   Em Roma, junto de São Pedro, o dia natal de São João XXIII, papa, cuja me­mória se ce­lebra no dia 11 de Outubro. († 1963)

– Ver ainda “Em seu leito de morte, ele disse: “Não é que o evangelho mudou; é que começamos a entendê-lo melhor. Aqueles que viveram tanto quanto eu… puderam comparar diferentes culturas e tradições, e saber que é chegado o momento de discernir os sinais dos tempos, de aproveitar a oportunidade e olhar para o futuro.” “Devo tirar dos santos a substância, não os acidentes de suas virtudes. Não sou Santo Aloysius, nem devo buscar a santidade em seu modo particular, mas segundo as exigências de minha própria natureza, meu próprio caráter e as diferentes condições de minha vida.
Não devo ser a reprodução seca e exangue de um modelo, por mais perfeito que seja. Deus deseja que sigamos o exemplo dos santos, absorvendo a seiva vital de suas virtudes e transformando-a em nosso sangue vital, adaptando-a às nossas capacidades individuais e às circunstâncias particulares. Se Santo Aloysius fosse como eu sou, ele teria se tornado santo de uma maneira diferente ”( Diário de uma Alma)… Durante a Segunda Guerra Mundial, conheceu bem os líderes da Igreja Ortodoxa com a ajuda do embaixador da Alemanha na Turquia. O Arcebispo Roncalli ajudou a salvar 24.000 judeus. Cardeal e patriarca nomeado de Veneza em 1953, finalmente bispo residencial; eleito papa aos 78 anos, tomando o nome de João, o nome de seu pai e os dois patronos da catedral de Roma, São João de Latrão; as encíclicas eram Mother and Teacher (1961) e Peace on Earth (1963).
Concílio Vaticano I fechado e em seu discurso na abertura do Concílio Vaticano II, ele criticou os “Profetas da desgraça” que “ nestes tempos modernos não veem nada além de prevaricação e ruína.”. O Papa João XXIII deu o tom ao Concílio quando disse: “A Igreja sempre se opôs … aos erros. Hoje em dia, porém, a Esposa de Cristo prefere fazer uso do remédio da misericórdia ao invés do da severidade .” 3 de junho de 2009 Bem-aventurado João XXIII (1881-1963)… O Papa João Paulo II o beatificou em 3 de setembro de 2000, e designou como sua festa o dia 11 de outubro, o dia em que a primeira sessão do Vaticano II foi aberta.”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune03.html

– Ver 11 de outubro: São João XXIII (também na Folhinha do Coração de Jesus), papa, homem do­tado de ex­tra­or­di­nária hu­ma­ni­dade, que, com a sua vida, as suas obras e o seu grande zelo pas­toral, pro­curou ma­ni­festar a todos a abun­dância da ca­ri­dade cristã e fo­mentar a união fra­terna dos povos; es­pe­ci­al­mente so­lí­cito pela efi­cácia da missão da Igreja de Cristo em todo o orbe da terra, con­vocou o Con­cílio Va­ti­cano II. Des­cansou pi­e­do­sa­mente no Se­nhor no dia 3 de Junho. († 1963). Ver “João XXIII ou São João XXIIIO.F.S., nascido Angelo Giuseppe Roncalli (Sotto Il Monte25 de novembro de 1881 — Vaticano3 de junho de 1963) foi Papa de 28 de outubro de 1958 até à data da sua morte. Pertencia à Ordem Franciscana Secular (OFS) e escolheu como lema papal: Obediência e Paz.[2][3]João XXIII foi canonizado em 27 de Abril de 2014, domingo da Divina Misericórdia, em Roma, juntamente com o também Papa João Paulo II. A missa de canonização foi presidida pelo Papa Francisco e concelebrada pelo Papa Emérito Bento XVI.[12] ”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_João_XXIII

20. São Juan Diego Cuauhtlatoatzim, (na Folhinha do Coração de Jesus de 03 de junho). Sua festa, conforme algumas fontes é 09 de dezembro.

– Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Juan_Diego_Cuauhtlatoatzin e https://santo.cancaonova.com/santo/sao-juan-diego-cuauhtlatoatzin/ 

– Também ver: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-sao-juan-diego-cuauhtlatoatzin/429/102/#c

– Em 09 de dezembro, São João Diogo Cuauhtlatoatzin, de origem in­dí­gena, homem de fé pu­rís­sima, que, pela sua hu­mil­dade e fervor, con­se­guiu que se edi­fi­casse um san­tuário em honra de Nossa Se­nhora de Gua­da­lupe, na co­lina de Te­peyac, perto da ci­dade do Mé­xico, onde ela lhe tinha apa­re­cido e ele des­cansou no Senhor. († 1548).

21. Santo Ovídio de Braga. Ver “Ovídio de Braga é um santo português.

Segundo as hagiografias do século XVI, Ovídio era um cidadão romano de origem Siciliana. A tradição afirma que foi enviado para Bracara AugustaGalécia, pelo papa Clemente I, onde foi o terceiro bispo no ano 95. Foi mártir pela sua fé cristã no ano 135.

Está sepultado na Sé de Braga. É comemorado no dia 3 de Junho.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ov%C3%ADdio_de_Braga

23.Outros santos do dia 03 de junho: págs. 430-447 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 03 de junho, ver ainda: 3 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 445-448: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7.  http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune03.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 02 de junho

1. Os santos már­tires Mar­ce­lino (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, e Pedro (também na Folhinha do Coração de Jesus), exor­cista, de quem o papa São Dâ­maso conta que, du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Di­o­cle­ciano, con­de­nados à morte e con­du­zidos ao lugar do su­plício no meio da flo­resta, foram obri­gados a cavar com as pró­prias mãos a sua se­pul­tura, para que os corpos fi­cassem ocultos a toda a gente; mas uma pi­e­dosa mu­lher, cha­mada Lu­cina, inumou dig­na­mente os seus santos corpos em Roma, junto à Via La­bi­cana, no ce­mi­tério “ad Duas Lauros”. († c. 304).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, em 303, o martírio dos Santos Marcelino, sacerdote, e Pedro, exorcista, vítimas da perseguição de Diocleciano. Seus nomes estão inscritos no Cânon Romano da liturgia da Missa. (R).

Ver página 426: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Marcelino e Pedro, por vezes chamado em latim Petrus Exorcista (m. Roma, c. 304) são mártires e santos dos primeiros tempos do cristianismo, venerados por diversas confissões cristãs, entre elas a Igreja Católica….”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Marcelino_e_Pedro

– Ver ainda “São Dâmaso afirma que, quando menino, ouviu do próprio carrasco dos santos o relato da morte deles: “Marcelino e Pedro, escutai a história do vosso triunfo. Quando eu era menino, o próprio carrasco contou-me, a mim Dâmaso, que o perseguidor furioso ordenara que vos fossem cortadas as cabeças no meio dum bosque, para ninguém saber onde estavam os vossos corpos. Mas vós, triunfantes, com as vossas próprias mãos vos preparastes esta sepultura, onde agora descansais. Depois de terdes descansado por breve tempo numa Selva Branca, revelastes a Lucila que teríeis gosto em descansar aqui”.”: https://evangelhoquotidiano.org/PT/display-saint/dddcc575-f140-47ba-b304-f16426460f0b

2.   Em Lião, na Gália, ac­tu­al­mente na França, os santos már­tires Po­tino, bispo, e Blan­dina (também na Folhinha do Coração de Jesus), com qua­renta e seis companheiros, cujos va­lo­rosos e re­pe­tidos com­bates, du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Marco Au­rélio, foram re­fe­ridos na carta que a Igreja de Lião en­viou à Igreja da Ásia e da Frígia. Entre eles, Po­tino, bispo no­na­ge­nário, ex­pirou pouco tempo de­pois de ser en­car­ce­rado; dos ou­tros cris­tãos con­de­nados, uns mor­reram também no cár­cere, ou­tros foram reu­nidos no meio da arena para es­pec­tá­culo de mi­lhares de pes­soas; os que ti­nham sido iden­ti­fi­cados como ci­da­dãos ro­manos pe­re­ceram de­ca­pi­tados e os res­tantes ex­postos às feras. Fi­nal­mente, Blan­dina, su­por­tando pro­lon­gados e cruéis tor­mentos, foi de­go­lada, se­guindo os passos da­queles a quem antes exor­tava a al­cançar a palma do martírio. São estes os seus nomes: Za­ca­rias pres­bí­tero, Vécio Epa­gato, Ma­cário, As­cli­bíades, Silvio, Primo, Úlpio, Vital, Co­mino, Ou­tubro, Fi­lo­meno, Gé­mino, Júlia, Al­bina, Grata, Emília, Po­tâmia, Pom­peia, Ró­dana, Bí­blis, Quárcia, Ma­terna, Hélpis; Santo, diá­cono; Ma­turo, neó­fito; Átalo, na­tural de Pér­gamo; Ale­xandre, na­tural da Frígia; Pôn­tico, Isto, Aristeu, Cor­nélio, Zó­simo, Tito, Júlio, Zó­tico, Apo­lónio, Ge­mi­niano, outra Júlia, Au­sona, outra Emília, Jám­nica, outra Pom­peia, Dona, Justa, Tró­fima, Antónia. († 177).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, a paixão de São Pontino, bispo, Santa Blandina e seus companheiros, primeiros mártires da Gália, condenados uns à espada e outros às feras, no anfiteatro de Lião, no ano do Senhor de 177. Sua gloriosa confissão de fé nos é relatada na admirável carta dirigida pelos “servidores de Cristo que habitam em Vienne e em Lião a seus irmãos orientais que têm a mesma fé e a mesma esperança na Redenção”. Ao juiz que os interrogava, responderam unanimemente que eram “Cristãos”, “nisto encontrando um alívio na alegria do testemunho, no amor de Cristo e no Espírito do Pai”. (F).

Ver São Potino, bispo e outros mártires de Lion, páginas 401-421: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver “Santa Blandina (162 – 2 de junho de 177) foi uma virgem e mártir do Cristianismo, que viveu na França no século II e morreu na perseguição ordenada pelo imperador romano Marco Aurélio.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Blandina_de_Lyon

– Ver ainda “… Alguns morreram na prisão, o resto foi martirizado um por um, St. Blandina último de tudo, depois de ver seu irmão mais novo colocado em uma morte cruel, e encorajando-o à vitória, Blandina foi torturada por sua fé; corpo queimado e cinzas jogados no rio Tibre…”: Santo do Dia 02 de Junho (lngplants.com)

– Ver também “São Potino foi o primeiro bispo de Lugduno (Lião) e o primeiro bispo da Gália. Ele é mencionado pela primeira vez em uma carta atribuída a Irineu de Lugduno. A carta foi enviada das comunidades cristãs de Lião e Vienne para a província romana da Ásia.”: Potino de Lugduno – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

3.   Em Fórmia, re­gião da Itália, Santo Erasmo (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo e mártir.  († c. 303).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no começo do séc. IV, Santo Erasmo, Mártir. (M).

– Ver “Erasmo de Formia, morto cerca de 303, também conhecido como Santo Elmo ou São Telmo, é o Santo padroeiro dos marinheiros. O fenómeno designado fogo-de-santelmo deve o seu nome a Santo Erasmo (São Elmo). Erasmo é um dos catorze santos auxiliares das lendas cristãs, invocados na Europa Central como intercessores.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Erasmo_de_Formia

– Ver “No mesmo dia, em Campana, Santo Erasmo, bispo, que, sob o imperador Diocleciano, foi sucessivamente batido com azorragues providos de chumbo e açoitado com bastões. Atiraram-lhe em cima, depois, resina, enxofre, chumbo derretido, piche, cera e óleo fervente, mas nada lhe causou mal. Sob Maximiano, sofreu ainda, em Formis tormentos atrozes. Deus, porém, conservou-o para fortificar e encorajar os outros. Afinal, chamou-o o Senhor a si depois de um martírio tão glorioso. Falecido em 303, tempos mais tarde levaram-lhe o corpo para Gaeta”, à página 429: VIDAS DOS SANTOS – 9.pdf (obrascatolicas.com)

4.   Em Roma, junto de São Pedro, Santo Eu­génio I, papa, que su­cedeu a São Mar­tinho, mártir. († 657).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 657, Santo Eugênio I, Papa. Eleito para suceder o Papa Martinho I, então exilado, combateu com firmeza e habilidade a heresia dos monotelitas e se ocupou ativamente em aliviar os pobres (M).

– Ver página 425: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Eugênio I (Roma, ca. 600 — 2 de junho de 657) foi Papa de 10 de agosto de 654 até a data de sua morte…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Eug%C3%AAnio_I

– Ver: https://www.newadvent.org/cathen/05598a.htm

5.   Junto ao Bós­foro, na Propôn­tide, ac­tu­al­mente na Tur­quia, o pas­sa­mento de São Ni­cé­foro, bispo de Cons­tan­ti­nopla, acér­rimo de­fensor das tra­di­ções pa­ternas, que se opôs te­naz­mente ao im­pe­rador ico­no­clasta Leão o Ar­ménio, em favor do culto das ima­gens sa­gradas; ex­pulso da sede epis­copal, foi afas­tado por longo tempo para um mos­teiro, de onde partiu se­re­na­mente ao en­contro do Senhor. († 629)

No ano da graça de 828, São Nicéforo, patriarca de Constantinopla, que colocou sua autoridade a serviço da doutrina relativa às santas imagens, promulgada em Nicéia por ocasião do VII Concílio Ecumênico (Conforme Martirológio Romano-Monástoco – M).

– Ver também nas páginas 416-417: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver ainda na Wikipedia de 02 de junho: “Nicéforo I de Constantinopla (em grego: Νικηφόρος Α΄; romaniz.: Nikēphoros I) foi um escritor cristão durante do Império Bizantino e o patriarca de Constantinopla entre 12 de abril de 806 até 13 de março de 815.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nic%C3%A9foro_I_de_Constantinopla

6*.   Em Ácqui, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, São Guido, bispo. († 1070)

7.   Em Tráni, na Apúlia, também re­gião da Itália, São Ni­colau, pe­re­grino, na­tural da Grécia, que per­corria esta re­gião le­vando na mão uma cruz e re­pe­tindo sem cessar: «Kyrie eléison». († 1094).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1094, São Nicolau, o Peregrino. Nascido na Grécia, percorreu o sul da Itália com uma cruz às mãos, aos gritos de “Kyrie Eleison”. (M).

– Ver páginas 422-424: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

8*.   Em San­do­mierz, junto ao rio Vís­tula, na Po­lónia, os be­atos már­tires Sadoc, pres­bí­tero, e qua­renta e oito companheiros, da Ordem dos Pre­ga­dores, que, se­gundo a tra­dição, foram mortos pelos Tár­taros, en­quanto can­tavam a «Salve, Re­gina», sau­dando na sua hora da morte a Mãe da Vida. († 1250).

Ver página 428: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “O padre dominicano Sadok e seus 48 companheiros foram mortos pelos tártaros, a 2 de fevereiro de 1260, durante a invasão mongol da Europa. O local de sua morte foi a igreja de Santiago em Sandomierz.[1]”: Sadok e Mártires de Sandomierz – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver ainda “VIAGEM APOSTÓLICA DO PAPA JOÃO PAULO II À POLÓNIA – (5-17 DE JUNHO DE 1999) HOMILIA DO SANTO PADRE – Esplanada de Błonia Rybitwy – Sandomierz, 12 de Junho de 1999… No século XIII, esta terra foi fecundada pelo sangue dos beatos Mártires de Sandomierz, clérigos e leigos, que em grande número morreram pela fé por mão dos Tártaros e, juntamente com eles, o beato Sadok e 48 Padres Dominicanos do convento junto da Igreja românica de São Tiago…”: https://www.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/homilies/1999/documents/hf_jp-ii_hom_19990612_sandomierz.html

– Ver ainda “Sadok e 48 mártires dominicanos de Sandomierz foram Católica Romana, República Dominicana mártires mortos pelos mongóis (Horda de Ouro) durante a invasão Segundo Mongol da Polônia em 1260. Como homenagem às mortes desses mártires, aos frades dominicanos poloneses foi dada dispensa especial que permite o uso de cintos vermelhos em seus hábitos. Sadok e 48 mártires dominicanos de Sandomierz – https://pt.xcv.wiki/wiki/Sadok_and_48_Dominican_martyrs_from_Sandomierz”: https://pt.xcv.wiki/wiki/Sadok_and_48_Dominican_martyrs_from_Sandomierz

9.   Em Au Thi, ci­dade do Ton­quim, hoje no Vi­etnam, São Do­mingos Ninh, mártir, jovem agri­cultor, que, re­cu­sando pisar a cruz do Sal­vador, foi de­ca­pi­tado no tempo do im­pe­rador Tu Duc. († 1862)

10. Santo Adalgiso (Adelgiso ou Algiso), sacerdote e confessor. Ver página 427: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

11.Outros santos do dia 02 de junho: págs. 401-429 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 02 de junho, ver ainda: 2 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 443-445: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7.  http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune02.html ou Saint of the Day June 02 (lngplants.com)

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!