Santas e Santos de 04 de novembro

MÃE DE DEUS DE CAZÃ. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Mãe_de_Deus_de_Cazã

– Ver também “Mãe de Deus ou Teótoco de Cazã é um ícone religioso do Patriarcado de Moscou. Durante o período comunista na União Soviética, o ícone esteve escondido e apareceu numa exposição nos Estados Unidos. Em 1993 a imagem foi confiada ao Papa e, em 2004, treze anos após a queda o regime comunista da RússiaJoão Paulo II determinou a devolução do ícone ao patriarcado de Moscou. O ícone encontra-se reservado num mosteiro em Cazã, capital da república do Tataristão, terra de origem dos tártaros, na Federação Russa. O ícone da Senhora de Cazã veio para Portugal pelo exército azul e ficou na igreja ortodoxa em Fátima, com a intenção de ser entregue à Rússia quando o regime comunista caísse. Depois da queda do muro de Berlim, numa das visitas do Papa João Paulo II, foi-lhe entregue a imagem da Senhora de Cazã para ser entregue à Rússia. Infelizmente o Papa João Paulo II não conseguiu levar a imagem à Rússia porque a sua viagem foi sempre vetada prós ortodoxos russos. Já nos últimos dias de vida, o Papa mandou um padre levar a imagem às escondidas aos ortodoxos russos.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A3e_de_Deus_de_Caz%C3%A3

– Ver também: http://www.vatican.va/roman_curia/pontifical_councils/chrstuni/card-kasper-docs/rc_pc_chrstuni_doc_20040826_homily-kazan_po.html

– Ver ainda: https://www.acidigital.com/noticias/a-historia-do-icone-de-kazan-e-seu-vinculo-com-a-conversao-da-russia-89819

– Ver: https://www.google.com/search?q=M%C3%A3e+de+Deus+de+Caz%C3%A3&oq=M%C3%A3e+de+Deus+de+Caz%C3%A3&aqs=chrome..69i57j0.5627j1j8&sourceid=chrome&ie=UTF-8

– Ver ainda: “O ícone da Mãe de Deus de Kazan, um dos principais da tradição bizantina russa, é celebrado duas vezes por ano pelo Patriarcado de Moscou: no dia 22 de outubro (04 de novembro no calendário juliano), a festa propriamente dita, e no dia 21 de julho (08 de julho no calendário juliano) a descoberta considerada milagrosa do ícone após um incêndio na cidade de Kazan em 1579. O Patriarca Kiril da Igreja Ortodoxa Russa celebrou no último dia 20 de julho a Vigília da festa na Catedral da Epifania em Moscou e no dia 21 a Divina Liturgia na cidade de Torzhok, pertencente à Metropolia de Tver.”: http://pilulasliturgicas.blogspot.com/2019/07/festa-do-icone-da-mae-de-deus-de-kazan.html

********************************************************************************

1. Me­mória de São Carlos Borromeu (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que, no­meado car­deal por seu tio ma­terno, o papa Pio IV, e eleito bispo de Milão, foi nesta sede um ver­da­deiro pastor fiel, so­lí­cito pelas ne­ces­si­dades da Igreja do seu tempo: con­vocou sí­nodos e erigiu semi­ná­rios para a for­mação do clero; vi­sitou muitas vezes toda a sua di­o­cese para for­ta­lecer a vida cristã e es­ta­be­leceu muitas normas em ordem à sal­vação das almas. Passou à pá­tria ce­leste no dia 3 de Novembro. († 1584). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Carlos Borromeu, bispo de Milão, que dedicou seus esforços à aplicação dos decretos do Concílio de Trento, especialmente os relativos à questão da visita pastoral. Adormeceu no Senhor em 1584. (R). Ver páginas 174-187: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Carlos_Borromeu

https://pt.wikipedia.org/wiki/Carlos_Borromeu

2.   Em Bo­lonha, na ac­tual Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, os santos Vital (também na Folhinha do Coração de Jesus) e Agrí­cola, már­tires, dos quais, se­gundo narra Santo Am­brósio, o pri­meiro tinha sido servo do se­gundo e de­pois irmão na fé e com­pa­nheiro no mar­tírio: de facto, Vital so­freu tantos tor­mentos que ne­nhuma parte do corpo ficou sem fe­ridas; Agrí­cola, sem se in­ti­midar com o su­plício do servo, imitou-o no mar­tírio sendo crucificado. († 304). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Bolonha, a paixão dos cristãos “cujos nomes” – segundo Santo Ambrósio – “pareciam predestiná-los ao martírio: um se chamava São Vital, como se por desprezo a esta vida quisesse adquirir a vida eterna. O outro se chamava Santo Agrícola, o que semeia as boas sementes da graça espiritual e as rega com a profusão do seu sangue”. (M). Ver “São Vidal e Santo Agrícola” páginas 188-191: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

3.   Em Mira, na Lícia, na ho­di­erna Tur­quia, os santos már­tires Ni­candro, bispo, e Hermes, presbítero. († c. s. IV)

4.   Co­me­mo­ração de São Piério, pres­bí­tero de Ale­xan­dria, homem ilustre pelo co­nhe­ci­mento das dou­trinas fi­lo­só­ficas, mas ainda mais in­signe pela in­te­gri­dade da sua vida e vo­lun­tária po­breza, que en­sinou sa­bi­a­mente ao povo a Sa­grada Es­cri­tura quando Te­onas go­ver­nava a Igreja de Ale­xan­dria e, ter­mi­nado o tempo da per­se­guição, per­ma­neceu em Roma, onde des­cansou em paz. († s. IV)

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pi%C3%A9rio

5.   Em Rodez, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente em França, Santo Amâncio, bispo, que é con­si­de­rado o pri­meiro pon­tí­fice desta cidade. († s. V). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, Santo Amâncio, bispo, que recebera a missão de restaurar a diocese de Rode, devastada pelos bárbaros. (M)

6*.   Em Ma­as­tricht, no Bra­bante da Aus­trásia, ac­tu­al­mente na Ho­landa, São Per­pétuo, bispo. († c. 620)

7.   Em Tré­veris, na Aus­trásia, hoje na Ale­manha, Santa Mo­desta, aba­dessa, que, con­sa­grada a Deus desde a in­fância, foi a pri­meira a pre­sidir à co­mu­ni­dade de monjas no ce­nóbio de Santa Maria de «ad Hór­reum» nesta ci­dade e go­zava da grande ami­zade es­pi­ri­tual de Santa Ger­trudes de Nivelles. († s. VII f.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 660, Santa Modesta, primeira abadessa do mosteiro de Santa Maria de Treves. Seu culto é documentado desde o séc. X por ladainhas em que aparece na lista das virgens (M)

8.   Em Alba Regia, na Pa­nónia, hoje Sze­kes­fehervar, na Hun­gria, Santo Hen­rique ou Eme­rico, filho de Santo Es­têvão, rei dos Hún­garos, que teve morte prematura. († 1031). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Emérico_da_Hungria_(santo)

https://pt.wikipedia.org/wiki/Em%C3%A9rico_da_Hungria_(santo)

9*.   Em Pádua, no Vé­neto, re­gião da Itália, a Beata He­lena Enselmíni, virgem da Ordem das Cla­rissas, que so­freu com ad­mi­rável pa­ci­ência muitas dores, in­clu­si­va­mente a perda da fala. († 1231)

10*.   Em Cer­froid, no ter­ri­tório de Meaux, na França, São Félix de Valois, que, de­pois de uma longa vida so­li­tária, é con­si­de­rado com­pa­nheiro de São João da Mata na fun­dação da Ordem da San­tís­sima Trin­dade para a Re­denção dos Cativos. († s. XIII). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Félix_de_Valois

https://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%A9lix_de_Valois

11*.   No con­vento de Nossa Se­nhora dos Es­co­ceses, em Nantes, na França, a Beata Fran­cisca de Amboise, que, sendo du­quesa de Bre­tanha, fundou em Vannes o pri­meiro Car­melo fe­mi­nino da França, para onde se re­tirou como serva de Cristo quando ficou viúva. († 1485)

12♦.   Em Mon­te­fusco, na Cam­pânia, re­gião da Itália, a Beata Te­resa Manganiello, virgem da Ordem Ter­ceira de São Francisco. († 1876)

13♦.   Em Ma­drid, na Es­panha, o Beato José Gafo Muñiz, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, na mesma per­se­guição, con­firmou com o seu sangue a fi­de­li­dade ao Senhor. († 1936)

14. São Claro (também na Folhinha do Coração de Jesus)

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Angers, no ano da graça de 1123, a volta para Deus de São Gerardo, monge beneditino da abadia de Saint-Aubin, contemplado pelo Espírito Santo com o dom dos milagres. (X)

16. Santa Perpétua (ou Héleca, ou Concórdia), esposa de São Pedro. Ver “Os três evangelhos sinóticos contam como Nosso Senhor Jesus curou a sogra de São Pedro, que estava de cama com febre. São Mateus diz que, “tendo chegado Jesus à casa de Pedro, viu que a sogra dele estava de cama com febre; e tomou-a pela mão, e a febre a deixou, e ela se levantou e se pôs a servi-los (Mt. 8, 14-15).

São Marcos refere-se à sogra de São Pedro, bem como São Lucas, quase que nos mesmos termos (Mc l, 29-30; Lc 4, 38-39). Por estas passagens é que ficamos sabendo que o Príncipe dos Apóstolos foi casado.

Desde o século II, vem-se excogitando sobre a mulher de Pedro (Escritos pseudo-clementinos), escrevendo-se a respeito do seu martírio em Roma, para onde fora, seguindo o esposo. Eusébio de Cesareia conta que São Pedro, vendo a mulher que sempre amara ser conduzida ao suplício, experimentou grande alegria, porque a via firme no Senhor. E a encorajava e consolava, carinhosamente chamando-a pelo nome. Eusébio (Hist. Eccles.) e Clemente de Alexandria (Stromates), que escreveram sobre a esposa de São Pedro, ignoram-lhe o nome. Assim é que teve os seguintes, através dos tempos: Héleca, Concórdia, Perpétua, que é o nome que figura nos martirológios: “Santa Perpétua, mulher de São Pedro”, exceção feita ao romano, onde não o encontramos.” páginas: 192-193: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

-OBSERVAÇÃO: NÃO HÁ OUTRAS INFORMAÇÕES SOBRE A ESPOSA DE PEDRO (ATÉ O MOMENTO).

17. Outros santos do dia 04 de novembro: págs. 174-195, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf  Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIX – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 04 de novembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/4_de_novembro

 1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 853-855:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DAI-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DAI-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS EM VÓS! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.