Santas e Santos de 23 de novembro

1. São Cle­mente I (também na Folhinha do Coração de Jesus), papa e mártir, o ter­ceiro su­cessor do após­tolo São Pedro, que pre­sidiu à Igreja Ro­mana e es­creveu uma in­signe carta aos Co­rín­tios para for­ta­lecer entre eles a paz e a con­córdia. Neste dia co­me­mora-se o se­pul­ta­mento do seu corpo em Roma. († s. I). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Em Roma, no final do séc. I, São Clemente, papa e mártir, terceiro sucessor de São Pedro. Segundo Santo Irineu, Clemente conheceu os Apóstolos e com eles conviveu. Sua carta dirigida aos coríntios é um testemunho precioso da constituição hierárquica da Igreja e da solicitude do Bispo de Roma para com todas as Igrejas. (R). Ver páginas 204-209: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_Clemente_I

– Ver “São Clemente I (Romac. 35 — Quersonesoc. 100), também conhecido como Clemente Romano (em latim, Clemens Romanus), foi o quarto papa do Cristianismo da Igreja Romana, entre 88 e 97. Nascido em Roma, nos arredores do Coliseu, de família hebraica, foi um dos primeiros a receber o batismo de São Pedro. Foi sucessor de Anacleto I (ou Cleto) e autor da Epístola de Clemente aos Coríntios (segundo Clemente de Alexandria e Orígenes), talvez o segundo documento de literatura cristã, endereçada à Igreja de Corinto. ”: Papa Clemente I – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

2. São Co­lum­bano (também na Folhinha do Coração de Jesus),  abade, na­tural da Ir­landa, que por Cristo se fez pe­re­grino para evan­ge­lizar os povos das Gá­lias; fundou, além de muitos ou­tros, o mos­teiro de Lu­xeuil, que ele pró­prio di­rigiu com es­tricta ob­ser­vância da regra; obri­gado a exilar-se, atra­vessou os Alpes e erigiu o ce­nóbio de Bóbbio, na Li­gúria, hoje Emília-Ro­manha, cé­lebre pela sua dis­ci­plina e ci­ência, onde ador­meceu em paz, cheio de mé­ritos em be­ne­fício da Igreja; o seu corpo re­cebeu se­pul­tura neste dia. († 615). Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 24 de novembro, nascimento no céu de São Columbano, monge irlandês, que ao longo de suas peregrinações no continente europeu fundou vários núcleos monásticos e missionários, cujos centros mais importantes foram Luxeuil, na Gália; Bregentz, junto ao lago de Constança e Bobbio, na Itália, onde morreu em 615. As austeras tradições célticas que propagou serviram como norma de vida, durante muito tempo, paralelamente à Regra de São Bento, que acabou por suplantá-las. (R). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Columbano

– Ver: “Columbano (LeinsterIrlanda540 – BobbioItália23 de Novembro de 615), monge e missionário irlandês, conhecido pela fundação de inúmeros mosteiros pela Europa. Seguidor da regra do seu conterrâneo São Columba, dirigiu-se ao continente a fim de o evangelizar cerca do ano 590, onde, a partir de então fundou diversos mosteiros nos reinos francos, começando por Luxeuil logo nesse ano. ”: Columbano – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

3.   Em Roma, no ce­mi­tério de Má­ximo, junto à Via Sa­lária Nova, SANTA FE­LI­CI­DADE, mártir. († data inc.). VER TAMBÉM 10 DE JULHO (Santa Perpétua e seus sete filhos) Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, receberam a coroa do martírio Santa Felicidade, em Roma, no séc. II; e Santa Lucrécia, virgem de Mérida, no séc. IV. (M). Sobre Santa Felicidade, o VIDAS DOS SANTOS relata seu martírio e o de sete de seus filhos: Januário, Félix, Filipe, Silano, Alexandre, Vital e Marcial. Ver página 213: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também sua história e lenda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Felicidade_de_Roma e

https://pt.wikipedia.org/wiki/Felicidade_de_Roma

– Ver “Felicidade de Roma (em latimFelicitasc. 101 – 165) é uma das primeiras mártires cristãs venerada como santa. Além do nome, a única coisa certa que sabemos sobre ela é que seu corpo foi enterrado na Catacumba de Máximo, na Via Salária, em 23 de novembro[1]. Porém, as lendas posteriores a seu respeito a retratam como mãe de sete filhos mártires cuja festa é celebrada em 10 de julho. Na Igreja Ortodoxa, sua festa é celebrada em 7 de fevereiro (25 de janeiro no calendário juliano).”: Felicidade de Roma – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

07 DE MARÇO: Me­mória das santas már­tires Per­pétua e Fe­li­ci­dade, presas em Car­tago com ou­tros jo­vens ca­te­cú­menos no tempo do im­pe­rador Sep­tímio Se­vero: Per­pétua, mu­lher pa­trícia de cerca de vinte e dois anos de idade, era mãe de uma cri­ança de peito; Fe­li­ci­dade, sua es­crava, es­tando grá­vida, se­gundo as leis devia ser con­ser­vada até dar à luz; mas, apesar das dores de parto, mos­trava-se se­rena di­ante das feras. Pas­saram ambas do cár­cere para o an­fi­te­atro, de rosto alegre, se­guras de que iam para o Céu. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória das Santas Perpétua e Felicidade (também na Folhinha do Coração de Jesus), martirizadas no anfiteatro de Cartago no dia 7 de março de 203. De condições sociais diferentes, estas duas jovens mães de família, ainda catecúmenas, enfrentaram a morte com mais coragem do que às dores do parto, na esperança de que não seriam mais elas, mas Cristo, que sofreria então nelas e por elas. (R). Ver sua história mais detalhada, juntamente com outros companheiros, nas págs. 226-243: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf(† 203)

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Perp%C3%A9tua_e_Felicidade

– 10 DE JULHO: Em Roma, os santos már­tires Félix e Fi­lipe, no ce­mi­tério de Pris­cila; Vital, Mar­cial e Ale­xandre, no ce­mi­tério dos Jor­danos; Si­lvano no ce­mi­tério de Má­ximo e Ja­nuário no ce­mi­tério de Pre­tex­tato. Na sua me­mória con­junta se alegra a Igreja Ro­mana, que, no mesmo dia glo­ri­fica o triunfo de todos eles e se sente pro­te­gida com a in­ter­cessão de tantos exem­plos de santidade. († data inc.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no século II, o martírio dos Santos Januário, Filipe, Silvano, Alexandre, Vital e Marcial, que enfrentaram a morte exortados pela própria mãe Santa Felicidade. Ver: Santa Felicidade e seus sete filhos: páginas 341-345: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

– Ver Santa Felicidade de Roma (festa em 23 de novembro): https://pt.wikipedia.org/wiki/Felicidade_de_Roma

Ver também página 213: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

4.   Em Chiúsi, na Etrúria, na ac­tual Tos­cana, re­gião da Itália, Santa Mus­tíola, mártir. († data inc.)

5.   Em Cí­zico, no He­les­ponto, na ho­di­erna Tur­quia, São Si­sínio, bispo e mártir, que, se­gundo a tra­dição, de­pois de muitos tor­mentos, morreu ao fio da es­pada na per­se­guição do im­pe­rador Diocleciano. († s. IV)

6*.   Em Metz, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, a co­me­mo­ração de São Cle­mente, con­si­de­rado o pri­meiro bispo desta cidade. († c. s. IV).  Ver páginas 210-211: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf 

7.   Em Mé­rida, ci­dade da an­tiga Lu­si­tânia, agora na Es­panha, Santa Lu­crécia (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir. († c. s. IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, receberam a coroa do martírio Santa Felicidade, em Roma, no séc. II; e Santa Lucrécia, virgem de Mérida, no séc. IV. (M)

8.   Em Icónio, na Li­caónia, hoje Kónya, na Tur­quia, Santo An­fi­ló­quio, bispo, que foi com­pa­nheiro dos santos Ba­sílio e Gre­gório de Na­zi­anzo no ermo e também co­lega no epis­co­pado; emi­nente pela sua san­ti­dade e dou­trina, travou muitos com­bates em favor da fé católica. († a. 403). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Icônio, na Ásia Menor, no séc. IV, Santo Anfilóquio, bispo. Compatriota e discípulo de São Gregório Nazianzeno e São Basílio de Cesaréia, junto com eles lutou pela defesa da fé católica contra os adversários da divindade do Filho e do Espírito Santo. (M)

9.   Em Paris, na Gália Li­o­nense, na ac­tual França, São Se­ve­rino, que, re­cluído numa cela, se con­sa­grou à di­vina contemplação. († s. VI)

10.   Em Agri­gento, na Si­cília, re­gião da Itália, São Gre­gório, bispo, que pa­rece ter es­crito co­men­tá­rios à Sa­grada Es­cri­tura para ex­plicar aos in­cultos os mis­té­rios da salvação. († d. 603). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, No final do séc. VI, São Gregório, bispo de Agrigento. Contemporâneo do papa São Gregório Magno, protegeu o monaquismo na Sicília. (M)

11.   Em Sint-Truiden, lo­ca­li­dade que de­pois tomou o seu nome, no Bra­bante da Aus­trásia, hoje na Bél­gica, São Trudão, pres­bí­tero, que deu todos os seus bens à Igreja de Metz e aí edi­ficou um mos­teiro, onde reuniu os seus discípulos. († c. 690). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Bélgica, perto de 690, São Trudão, sacerdote, que fundou um mosteiro dedicado aos Santos Quintino e Remígio. (M)

12*.   Em Alba, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, Beata Mar­ga­rida de Sa­bóia, que, ao ficar viúva, se con­sa­grou a Deus no mos­teiro de re­li­gi­osas da Ordem dos Pre­ga­dores por ela mesma fundado. († 1464). Ver “Bem-aventurada Margarida de Savóia” páginas 212-213: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

13.   Em Seul, na Co­reia, Santa Ce­cília Yu So-sa, mártir, que, sendo viúva, em ódio à fé cristã foi pri­vada dos seus bens, en­car­ce­rada e doze vezes su­jeita a in­ter­ro­ga­tó­rios; fi­nal­mente, exausta pelo su­plício dos es­pan­ca­mentos, morreu quase octogenária. († 1839)

14*.   Em Gua­da­lupe, po­vo­ação do es­tado de Za­ca­tecas, no Mé­xico, o Beato Mi­guel Agos­tinho Pró, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, que na cruel per­se­guição contra a Igreja, con­de­nado à morte sem jul­ga­mento como cri­mi­noso, con­sumou o mar­tírio que ar­den­te­mente desejava. († 1927). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Miguel_Pro

– Ver “Miguel Agustin Pro (Guadalupe13 de janeiro de 1891 – Cidade do México23 de novembro de 1927) foi um padre católico, membro da Companhia de Jesus[1]. Foi condenado à morte, acusado injustamente de participação em um atentado contra o ex-presidente Álvaro Obregón. Foi fuzilado gritando “Viva Cristo Rei!”[2]. Em 25 de setembro de 1988, foi beatificado por João Paulo II. ”: Miguel Pro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também “QUE MEU ÚLTIMO GRITO NA TERRA E MINHA PRIMEIRA CANÇÃO NO CÉU SEJAM “QUE CRISTO REI VIVA””: MARTIR DE CRISTO REY – CAPILLA DEL PADRE PRO (jimdofree.com)

15*.   Em Ma­drid, na Es­panha, a beata Maria Fe­li­ci­dade Cen­doya y Ara­quis­tain (Maria Ce­cília), virgem da Ordem da Vi­si­tação de Santa Maria e mártir, que, na grande per­se­guição re­li­giosa, ao ver que as suas irmãs ti­nham sido en­car­ce­radas, se en­tregou es­pon­ta­ne­a­mente na mesma noite aos mi­li­ci­anos e, com elas, con­firmou o tes­te­munho da fé com o su­premo sa­cri­fício da sua vida. († 1936)

16♦.   Em Milão, ci­dade da Itália, a Beata Hen­ri­queta Alfiéri (Maria Ân­gela Do­mé­nica Al­fiéri), virgem das Irmãs da Ca­ri­dade de Santa Joana An­tida Thouret, que exerceu he­roi­ca­mente até ao fim da sua vida o apos­to­lado na as­sis­tência aos encarcerados. († 1951)

17. Outros santos do dia 23 de novembro: págs. 204-215: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf                

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XX – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 23 de novembro, ver ainda: 23 de novembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

 1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 898-900:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DAI-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DAI-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS EM VÓS! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.