Santas e Santos de 12 de junho

12 DE JUNHO DE 2021: FESTA DO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

Papa Pio XII, em 4 de maio de 1944, consagrou o mundo ao Sagrado Coração de Maria, determinando que sua festa fosse celebrada no oitavo dia da Assunção, no dia 22 de agosto… No atual calendário a sua celebração mudou para um dia após a Igreja realizar a festa do Sagrado Coração de Jesus. Conforme: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-sagrado-coracao-de-maria/57/102/

– Ver também:  https://www.nossasagradafamilia.com.br/conteudo/sagrado-coracao-de-maria-093509.html

– Ver ainda: “Em 1935, Jesus pediu à Beata Alexandrina de Balazar (ver dia 13 de outubro) que o mundo fosse consagrado ao Imaculado Coração de Sua Mãe: “Manda dizer ao teu Pai espiritual que, em prova do amor que dedicas à Minha Mãe Santíssima, quero que seja feito todos os anos um acto de consagração do mundo inteiro num dos dias das suas festas escolhido por ti: ou Assunção, ou Purificação, ou Anunciação, pedindo a esta Virgem sem mancha de pecado que envergonhe e confunda os impuros, para que eles arrecuem caminho e não Me ofendam. Assim como pedi a Santa Marga­rida Maria para ser o mundo consagrado ao Meu Divino Cora­ção, assim o peço a ti para que seja consagrado a Ela com uma festa solene”. O Papa Pio XII, anuindo a esses pedidos de Jesus Cristo que lhe foram endereçados pelo Padre Mariano Pinho, enquanto director espiritual de Alexandrina Maria da Costa em Balazar, efectuou um acto solene de consagração do mundo ao Imaculado Coração de Maria no dia 31 de Outubro de 1942.[1] Este acto de consagração veio, ainda, complementar o ato de consagração do Género Humano ao Sagrado Coração de Jesus, realizado algumas décadas antes pelo Papa Leão XIII, feito a pedido da Beata Irmã Maria do Divino Coração, condessa Droste zu Vischering. De acordo com o legado dos pastorinhos de Fátima, foi Nossa Senhora quem, depois de mostrar a visão do Inferno a Lúcia dos SantosJacinta e Francisco Marto, lhes revelou o “Segredo”. Contava a Irmã Lúcia que Nossa Senhora afirmou: “…para salvar as almas, Deus quer estabelecer no mundo a Devoção ao Meu Imaculado Coração” (in Memórias da Irmã Lúcia). O objetivo único desta devoção ao Imaculado Coração de Maria é, portanto, a salvação das almas e a conquista da paz.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Imaculado_Cora%C3%A7%C3%A3o_de_Maria

– Ver também: “Vinculação entre as devoções ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria”: …O Papa Pio XII exorta: “A fim de que a devoção ao Sagrado Coração de Jesus produza frutos mais abundantes na família cristã e ainda em toda a humanidade, procurem os fiéis unir a ela a devoção ao Coração Imaculado da Mãe de Deus.”:

https://web.archive.org/web/20120412001518/http://www.asc.org.br/site/devocao/intima.htm

Encíclica Haurietis aquas: “74. A fim de que a devoção ao coração augustíssimo de Jesus produza frutos mais copiosos na família cristã e mesmo em toda a humanidade, procurem os féis unir a ela estreitamente a devoção ao coração imaculado da Mãe de Deus. Foi vontade de Deus que, na obra da redenção humana, a santíssima virgem Maria estivesse inseparavelmente unida a Jesus Cristo; tanto que a nossa salvação é fruto da caridade de Jesus Cristo e dos seus padecimentos, aos quais foram intimamente associados o amor e as dores de sua Mãe. Por isso, convém que o povo cristão, que de Jesus Cristo, por intermédio de Maria, recebeu a vida divina, depois de prestar ao sagrado coração o devido culto, renda também ao amantíssimo coração de sua Mãe celestial os correspondentes obséquios de piedade, de amor, de agradecimento e de reparação. Em harmonia com esse sapientíssimo e suavíssimo desígnio da divina Providência, nós mesmo, por ato solene, dedicamos e consagramos a santa Igreja e o mundo inteiro ao coração imaculado da santíssima Virgem Maria.”: http://www.vatican.va/content/pius-xii/pt/encyclicals/documents/hf_p-xii_enc_15051956_haurietis-aquas.html

– Vinculação entre as devoção ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria “Os devotos do Sagrado Coração de Jesus são sempre devotos muito extremosos da Santíssima Virgem; e, reciprocamente. Não podia ser de outro modo. Se Maria Santíssima é medianeira de todas as graças, toda devoção passa pelas mãos dela. E, por outro lado, sendo Ela o caminho mais perfeito para nos levar a Jesus, toda verdadeira devoção a Ela conduzirá ao Sagrado Coração.
Santa Margarida Maria Alacoque compreendera tão bem esta verdade que considerava as duas devoções como uma só. Tinha o hábito de rezar esta jaculatória: “Divino Coração de Jesus eu Vos adoro e Vos amo do modo como viveis no Coração de Maria e Vos peço que vivais e reineis em todos os corações”.
O confessor da Santa, São Cláudio de la Colombière, indica o mesmo caminho: “Resolvi não pedir nada a Deus em oração que não fosse por meio de Maria”.
Outros grandes devotos do Sagrado Coração – como Santa Brígida, São Francisco de Sales e São João Eudes – referiam-se ao Coração de Jesus e de Maria, em singular, para salientar a perfeita união de sentimentos e disposições entre a Mãe e o Filho.
Os Missionários do Sagrado Coração e as Filhas de Nossa Senhora do Sagrado Coração têm o belo lema “Per Mariam ad Cor Iesu” (Por Maria ao Coração de Jesus) como fórmula própria dos seus institutos.
Por isso mesmo o Papa Pio XII exorta: “A fim de que a devoção ao Sagrado Coração de Jesus produza frutos mais abundantes na família cristã e ainda em toda a humanidade, procurem os fiéis unir a ela a devoção ao Coração Imaculado da Mãe de Deus.” (14)”: https://web.archive.org/web/20120412001518/http://www.asc.org.br/site/devocao/intima.htm

SANTAS E SANTOS DE 12 DE JUNHO

1.   Em Ló­rium, an­tiga ci­dade da Etrúria, na Via Au­rélia, a doze mi­lhas de Roma, São Ba­sí­lides (ou Basilídio), mártir. († data inc.).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, o martírio de São Basilídio. (M)

– Ver “… Basilides e seus companheiros, mártires. SS. Basilides, Quirinus (ou Cyrinus), Nabor e Nazarius são comemorados neste dia no calendário romano, bem como no martirológio, e que reúne em sua honra fazem parte da liturgia da Missa onde quer que o rito romano seja seguido, eles não podem ser preteridos…

… Existem três “paixões” diferentes, em uma das quais Basilides aparece sozinho, e quanto ao fato de seu martírio e seu sepultamento perto do quarto marco da Via Aurélia, provavelmente estamos em terreno seguro. Se a menção de Nabor e Nazarius tem alguma referência ao culto de mártires genuínos, eles provavelmente pertencem a Milão, mas todo o emaranhado é muito complicado para admitir qualquer solução certa… Parece, no entanto, mais provável que este grupo seja o resultado de uma confusão de nomes nos martirológios. Basilides é provavelmente o mártir romano de 10 de junho, que morreu no final do século III; Cyrinus (Quirinus), o mártir de 4 de junho; e Nabor e Nazarius, dois mártires milaneses dos quais nada confiável se sabe. Todos os quatro foram venerados juntos em 12 de junho até 1969, quando sua festa foi suprimida por causa dessa confusão…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune12.html

2.   No Egipto, Santo Onofre (também na Folhinha do Coração de Jesus), ana­co­reta, que passou ses­senta anos de vida re­li­giosa na am­plidão do deserto. († 400).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, foi muito venerado no Oriente e seu culto estendeu-se ao Ocidente na época das Cruzadas (M).

– Ver páginas 258-259 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Santo Onofre, Confessor (em grego: ; romaniz.: Onouphrios; em latimOnuphrius), considerado santo pela Igreja Católica e venerável pela Igreja Ortodoxa, foi um eremita que viveu no deserto da Tebaida no Alto Egito, em fins do século IV da era cristã (o seu nome grego pode ser mesmo uma corruptela do termo egípcio Uen-nefer – «o que está sempre feliz, satisfeito» – um epíteto tradicionalmente guardado para o antigo deus egípcio Osíris; de resto, a dificuldade da sua transcrição em outras línguas levou-o, por exemplo, a ser venerado sob o nome de Humphrey, na Inglaterra)… O relato de um seu discípulo, Pafnútio, que o encontrou no deserto egípcio, constitui a única fonte para o conhecimento da vida de Santo Onofre”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Onofre_do_Egito

– Ver também “… Entre os muitos eremitas no deserto egípcio durante os séculos IV e V estava um homem santo chamado Onuphrius. O pouco que se sabe sobre ele deriva de um relato atribuído a um certo abade Pafnúcio de uma série de visitas feitas por ele a alguns dos eremitas de Tebaida. Este relato parece ter sido escrito por um ou mais dos monges a quem estava relacionado, e várias versões dele tornaram-se atuais. Obviamente, a história não perdeu nada ao ser contada…

Pafnúcio empreendeu a peregrinação para estudar a vida eremítica e descobrir se ele próprio foi chamado para conduzi-la. Por dezesseis dias após deixar seu mosteiro ele vagou pelo deserto, encontrando uma ou duas aventuras estranhas e edificantes, mas no décimo sétimo dia ele ficou surpreso ao ver o que parecia ser um homem idoso com cabelo e barba caindo no chão, mas coberto de pelos como um animal e vestindo uma tanga de folhagem. A aparição foi tão alarmante que ele começou a fugir. A figura, porém, o chamou, convidando-o a voltar e garantindo-lhe que também era homem e servo de Deus…

 … Eles começaram a conversar e Paphnutius soube que o nome do estranho era Onuphrius, que ele havia sido um monge em um mosteiro de muitos irmãos, mas que ele havia sentido uma vocação para a vida solitária que já levava por setenta anos. Em resposta a outras perguntas, ele admitiu que havia sofrido muito de fome e sede, de temperaturas extremas e de tentações violentas. No entanto, Deus o consolou e o alimentou com as tâmaras que crescem em uma palmeira ao lado de sua cela. Ele então conduziu Paphnutius para sua caverna, onde passaram o resto do dia discorrendo sobre as coisas celestiais…

… Santo Onuphrius então pediu a Abba Paphnutius que se lembrasse dele a todos os irmãos e a todos os cristãos.

São Paphnutius queria permanecer lá após a morte de Abba Onuphrius. No entanto, o santo asceta disse-lhe que não era a vontade de Deus que ele ficasse lá, ele deveria retornar ao seu próprio mosteiro e contar a todos sobre a vida virtuosa dos habitantes do deserto. Tendo então abençoado Abba Paphnutius e se despedido dele, Santo Onuphrius orou com lágrimas e suspiros, e então ele se deitou no chão, proferindo suas palavras finais,“Nas tuas mãos, meu Deus, entrego meu espírito”, e morreu…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune12.html

– Ver São Pafúncio, em 11 de setembro.

3.   Em Roma, junto de São Pedro, São Leão III, papa, que impôs a coroa do Im­pério Ro­mano a Carlos Magno, rei dos Francos, e de­fendeu com grande ardor a ver­da­deira fé sobre a dig­ni­dade di­vina do Filho de Deus. († 816).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, São Leão III, papa. Favoreceu a política cristã de Carlos Magno, a quem coroou imperador no dia de Natal do ano 800. (M).

Ver páginas 227-252 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Leão III (Romaca. 750 — 12 de Junho de 816) foi Papa e é um santo da Igreja Católica. Romano, de origem modesta, exerceu quando jovem o ofício de “vestararius” (responsável pelas roupas e pelos objetos preciosos) da Basílica de Latrão, em Roma…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Le%C3%A3o_III

4*.   Em Utrecht, no ter­ri­tório de Guel­dres, na Lo­ta­ríngia, hoje na Ho­landa, Santo Odolfo (ou Odulfo), pres­bí­tero, que evan­ge­lizou os Frisões. († c. 865).

– Ver página 262 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

5*.   Na Suécia, Santo Es­quilo (Eskill), bispo e mártir, na­tural da In­gla­terra, que, or­de­nado bispo por São Sig­fredo, seu mestre, se de­dicou com in­tensa ac­ti­vi­dade na pro­víncia de Söder­man­land para con­verter os pa­gãos a Cristo, pelos quais morreu lapidado. († c. 1080).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Suécia, no ano da graça de 1080, o martírio de Santo Eskill. Missionário proveniente da Grã-Bretanha, recebeu a consagração episcopal, e depois exerceu o apostolado na região sudoeste de Estocolmo. Como verdadeiro pastor, deu sua vida por seu rebanho. (M).  

– Ver “Ésquilo de Tuna (em suecoSankt Eskil; em latimEschillus; nascido no início do século XI – falecido em ca. 1080) foi um monge anglo-saxão, missionário e mártir na Suécia do século XI, venerado sobretudo durante a Idade Média na província de Södermanland.[1][2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%89squilo_de_Tuna

6*.   Em Cor­tona, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o Beato Guido, pres­bí­tero, dis­cí­pulo de São Fran­cisco, que passou a vida em je­juns, po­breza e humildade. († c. 1245).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, o ano de Senhor de 1245, o Bem-Aventurado Guido de Cortona. Cristão de condição modesta, escolheu viver ainda mais pobremente depois de uma visita de São Francisco de Assis. Sua cultura permitiu-lhe receber o sacerdócio para melhor servir a seus-irmãos. (X). – Ver páginas 263-266 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

7*.   Junto de Ocre, nos Abruzos, também re­gião da Itália, o Beato Plá­cido, abade, que, de­pois de ter vi­vido como ere­mita numa gruta, reuniu os seus dis­cí­pulos no mos­teiro do Es­pí­rito Santo. († 1248).

– Ver páginas 267-270 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

8*.   Em Città di Cas­tello, na Úm­bria, também re­gião da Itália, a Beata Fló­rida (Lu­crécia He­lena Cé­voli), virgem da Ordem das Cla­rissas, que, apesar das graves en­fer­mi­dades cor­po­rais, sempre de­sem­pe­nhou os ofí­cios que lhe foram con­fi­ados com grande di­li­gência e alegria. († 1767)

9.   Em Ve­rona, no Vé­neto, também re­gião da Itália, São Gaspar Bertóni, pres­bí­tero, que fundou a Con­gre­gação das Santas Chagas de Cristo, cujos mem­bros eram mis­si­o­ná­rios ao ser­viço dos bispos. († 1843).

– Ver  “Gaspar Bertoni é um santo católico italiano. É o fundador da Congregação dos Sagrados Estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo, popularmente conhecida como Estigmatinos.

Foi canonizado pelo Papa João Paulo II em 1 de novembro de 1989, no dia da festa de “Todos os Santos”. Os milagres para o seu processo de beatificação e canonização foram realizados no Brasil, nas cidades de Rio Claro[desambiguação necessária] e Rio de Janeiro.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Gaspar_Bertoni

10*.   Em Ca­prá­nica, no ter­ri­tório de Vi­terbo, pró­ximo de Roma, o Beato Lou­renço Maria de São Fran­cisco de Xa­vier (Lou­renço Maria Sálvi), pres­bí­tero da Con­gre­gação da Paixão, que di­fundiu a de­voção ao Me­nino Jesus. († 1856)

11*.   Em Ri­o­bamba, no Equador, a Beata Mer­cedes Maria de Jesus (Mer­cedes Mo­lina), virgem, que ins­ti­tuiu uma co­mu­ni­dade re­li­giosa com a função de aco­lher e formar as jo­vens órfãs e po­bres e li­bertar as mu­lheres da pros­ti­tuição, for­ta­le­cendo-as na vida nova da graça. († 1883)

12*.   Em Ragusa, na Sicília, província da Itália, a Beata Maria Cândida da Eucaristia (Maria Barba), virgem da Ordem das Carmelitas Descalças, que cumpriu com suprema fidelidade a observância da vida consagrada e suas regras e trabalhou intensamente para a edificação de novos mosteiros. († 1949)

13. Santa Iolanda, na Folhinha do Coração de Jesus.

14. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Ásia Menor, no séc. IV, os santos Olímpio (também na Folhinha do Coração de Jesus) e Anfião, que confessaram a fé em Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem (M).

15. São João de Sahagun ou de Santa Fagunda. Ver páginas 253-257 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “São João de Sahagún ou João de São Facundo, nascido Juan Gonzalez de Castrillo Martinez de Sahagun y Cea, (Vila de San Facundo, actual Sahagún1419 — Salamanca11 de Junho de 1479) foi um sacerdoteteólogo, prior de um convento da Ordem de Santo Agostinho e santo da Igreja Católica.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_de_Sahag%C3%BAn

– Ver dia 11 de junho: Em Sa­la­manca, na Es­panha, São João de São Fa­cundo Gon­zález de Castrillo, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, que res­taurou a con­córdia entre os ci­da­dãos, agi­tados em con­flitos cru­entos, com os seus con­se­lhos par­ti­cu­lares e a san­ti­dade da sua vida. († 1479).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico (de 11 de junho), na Espanha, no ano da graça de 1479, São João de São Facundo. Professor de Direito e de Teologia em Salamanca, exerceu grande influência sobre os estudantes daquela cidade universitária. Tornando-se eremita de Santo Agostinho, conseguiu, através de sua intercessão, restabelecer a paz na cidade dilacerada pelas discórdias. (M)

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 5 de julho, no séc. IX, São Pedro Hagiorita. De origem grega, passara sua mocidade junto à corte imperial de Constantinopla. Após um cativeiro de nove anos entre os árabes, chegou a Roma, onde fez profissão monástica. Depois, partiu para o Monte Atos, onde levou vida hesicasta até sua morte. (X).

– Ver: São Pedro do Monte Athos. Ver páginas 260-261 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– No Monte Athos, na Grécia, Santo Ata­násio, he­gú­meno (ver 05 de julho), homem hu­milde e pa­cí­fico, que ins­ti­tuiu na Grande Laura uma forma de vida cenobítica. († c. 1004).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no século seguinte (X), Santo Atanásio Atonita (também na Folhinha do Coração de Jesus), que se esforçou para introduzir a vida cenobítica estudita, fundando uma laura que se tornou célebre e redigindo uma Regra, ou “Typicon”,  que proporcionou a expansão do monaquismo do Monte Athos ao longo de muitos séculos. Os católicos de rito oriental festejam São Pedro Hagiorita no dia 12 de junho e Santo Atanásio Estudita no dia 05 de julho.

– Ver páginas 203-204: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

 17. Bem-aventurado Estêvão Bandelli. Ver páginas 271-272 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

18. Beata Hildegard Burjan (Freund). Ver “Hildegard Burjan (nascida como Hildegard Freund) (Görlitz30 de janeiro de 1883 — Viena11 de junho de 1933), foi uma política e ativista social austríaca, fundadora da Sociedade de Vida Apostólica Caritas Socialis.[1][2] Burjan criou várias organizações para a promoção dos direitos das mulheres e para os direitos de todos os trabalhadores e suas famílias, foi eleita para o Parlamento Austríaco, onde ela serviu até a sua aposentadoria devido a problemas de saúde.[3]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Hildegard_Burjan

19. Outros santos do dia 12 DE JUNHO: páginas: 227-272 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 12 de junho, ver ainda: 12 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 466-467: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune12.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.