Santas e Santos de 22 de junho

1. São Pau­lino (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que re­cebeu o bap­tismo em Bor­déus, re­nun­ciou ao con­su­lado e, sendo um homem nobre e rico, se fez pobre e hu­milde por amor de Cristo; trans­fe­rindo-se para Nola, na Cam­pânia, perto do se­pulcro de São Félix, pres­bí­tero, e para se­guir o seu exemplo, abraçou a vida as­cé­tica com a es­posa e al­guns com­pa­nheiros; or­de­nado bispo, foi in­signe pela sua cul­tura e san­ti­dade e em­pe­nhou-se ge­ne­ro­sa­mente em ajudar os pe­re­grinos e ali­viar os indigentes. († 431).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, No ano da graça de 431, o nascimento no céu de São Paulino. Originário de uma família senatorial romana residente em Bordeaux, renunciou a um rico e bem consolidado patrimônio para colocar-se a serviço da Igreja. Ordenado sacerdote em Barcelona, fixou-se junto ao sepulcro de São Félix, em Nola, na Campânia. Quando chegou a hora de sua eleição episcopal, zelou com grande solicitude por seus fiéis, que estavam sofrendo com a invasão dos godos. (R).

– Conforme a Folhinha do Coração de Jesus de 21.06.2020, “22/06: SÃO PAULINO DE NOLA. Paulino nasceu na França pelo ano de 355, filho de nobre família romana, proprietária de muitas terras na França, Espanha e Itália. Desde cedo foi educado na fé cristã. Foi cônsul e governador da província de Campânia, no sul da Itália. Teve contato com a devoção do povo de Nola a São Félix, cujo sepulcro ficava perto da cidade. Renunciou, pelo ideal evangélico, à carreira e às riquezas, e depois de pedir conselhos a São Jerônimo, retirou-se com a esposa junto ao sepulcro de São Félix. Construiu várias celas e uma capela, que mais tarde foi ampliada em uma basílica. Ali, viveram ele, a esposa e companheiros ao modo de uma ordem religiosa. Em 409 foi eleito bispo de Nola, dirigindo essa igreja por vinte e dois anos com grande sabedoria e paternidade para com seu povo.” (Frei Marcos Antônio de Andrade, OFM-Petrópolis/RJ).

Ver páginas 94-100 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Paulino de Nola (em latimPaulinus Nolanus), nascido Pôncio Merópio Anício Paulino (em latimPontius Meropius Anicius Paulinus), é considerado um dos Padres da Igreja do ocidente. Na sua juventude foi cônsul e exerceu importantes cargos civis até ser batizado. Vendeu seus bens, distribuindo o dinheiro aos pobres e, com sua esposa Terásia, passou a viver vida eremítica.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Paulino_de_Nola

2. Os santos João Fisher (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, e Tomás Moro, ou More (também na Folhinha do Coração de Jesus), már­tires, que, por se terem oposto ao rei Hen­rique VIII na con­tro­vérsia sobre o seu ma­tri­mónio e sobre o pri­mado do Ro­mano Pon­tí­fice, foram en­car­ce­rados na Torre de Lon­dres, na In­gla­terra. João Fisher, bispo de Ro­chester, homem ilus­trís­simo pela sua eru­dição e dig­ni­dade de vida, foi de­go­lado neste dia di­ante do cár­cere por ordem do pró­prio rei. Tomás Moro, pai de fa­mília dig­nís­simo e pre­si­dente do con­selho real, por causa da sua per­se­ve­rança na fi­de­li­dade à Igreja ca­tó­lica, no dia seis de Julho foi as­so­ciado ao mar­tírio do ve­ne­rável pontífice. († 1535).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Londres, no ano do Senhor de 1535, São João Fisher, professor da universidade de Cambridge, e São Tomás More, Lorde Chanceler do rei Henrique VIII da Inglaterra. Humanistas da Renascença, amigos de Erasmo e de Holbein, serviram à Coroa com inteligência e lealdade, o que não os impediu de ficar ao lado da Igreja até à morte. (R)

– São João Fischer, ver páginas 107-114 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Dia 06 de julho ver: Em Lon­dres, na In­gla­terra, São Tomás Moro, que é co­me­mo­rado no dia 22 de junho, jun­ta­mente com São João Fischer. († 1535).

– Ver páginas 251-252: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

– Ver “Thomas MoreThomas Morus ou Tomás Moro[1] (Londres7 de fevereiro de 1478 — Londres6 de julho de 1535) foi filósofo, homem de estado, diplomata, escritor, advogado e homem de leis, ocupou vários cargos públicos, e em especial, de 1529 a 1532, o cargo de “Lord Chancellor” (Chanceler do Reino – o primeiro leigo em vários séculos) de Henrique VIII da Inglaterra. É geralmente considerado como um dos grandes humanistas do Renascimento. Sua principal obra literária é Utopia.[2].Foi canonizado como mártir da Igreja Católica em 19 de maio de 1935 e sua festa litúrgica celebra-se em 22 de junho.[3]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Thomas_More

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Thomas_More

– Ver ainda “John Fisher (BeverleyYorkshireInglaterra, c. 1469 — Tower Hill, Tyburn, Londres22 de junho de 1535) foi cardeal e bispo de Rochester, na Inglaterra, durante o reinado de Henrique VIII. É venerado como mártir e santo pela Igreja Católica e pela Igreja Anglicana.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/John_Fisher

– Ver: https://pt.wikisource.org/wiki/%C3%9Altima_carta_de_Thomas_More

– Ver ainda: http://caritaschrist.blogspot.com/2013/06/de-uma-carta-de-sao-tomas-more-escrita.html

3.   Em Roma, a co­me­mo­ração de São Flávio Cle­mente, mártir, que, por ordem do im­pe­rador Do­mi­ciano (de quem era primo, conforme o Martirológio Romano-Monástico), com o qual exer­cera o con­su­lado, acu­sado de re­negar do nome dos deuses, foi con­de­nado à morte pela fé de Cristo. († 96).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no fim do séc. I, a paixão do cônsul Flávio Clemente. Seu primo, o imperador Domiciano, o fez condenar à morte sob acusação de ateísmo, porque ele adorava Cristo com exclusão de todos os deuses pagãos oficiais. (M)

4.   Em Ve­rulam, na Bre­tanha, ter­ri­tório da ac­tual In­gla­terra, Santo Al­bano, mártir, que, se­gundo a tra­dição, ainda não bap­ti­zado se en­tregou em lugar de um clé­rigo que tinha re­co­lhido em sua casa e do qual re­ce­bera os en­si­na­mentos da fé cristã, tro­cando com ele as vestes. Por isso, foi fla­ge­laLdo, atroz­mente ator­men­tado e fi­nal­mente decapitado. († c. 287).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico (de 22 de junho), no tempo do imperador Diocleciano, Santo Albano, primeiro mártir da Grã-Bretanha. Ele havia salvo um padre cristão, que depois o converteu à fé. Um célebre mosteiro beneditino foi fundado sobre seu túmulo. (M).

Lembrado dia 21 de junho na Folhinha do Coração de Jesus.

Ver páginas 101-102 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver “Santo Albano é um santo, primeiro mártir da Grã-Bretanha. Faleceu em Verulâmio, sítio da atual São Albano, e sua festa é celebrada em 17 e 22 de junho.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Albano_de_Verul%C3%A2mio

– Ver 21 de junho: Santo Albano, na Folhinha do Coração de Jesus. No Martirológio Romano, 22 de junho.

– Ver “Também chamado de Albinus em algumas listas. Ele é tradicionalmente conhecido como um padre grego ou albanês que foi com Santo Ursus à cidade de Milão, na Itália. Eles haviam deixado a ilha de Naxos, na Grécia, para escapar dos arianos que controlavam a Igreja naquela área. Santo Ambrósio deu as boas-vindas a Albano e Ursus, enviando-os à França e Alemanha para converter as tribos pagãs de lá. Ursus foi morto no caminho, mas Alban se estabeleceu em Mainz. Lá ele se tornou famoso como pregador, atacando as falsas doutrinas dos arianos. Acredita-se que ele tenha sido morto pelos vândalos, que atacaram a região. Alban foi decapitado em Hanum após ser morto.
 Alban (Albinus) de Mainz M (RM) Quando o padre grego Santo Alban foi banido de Naxos pelos arianos, ele pregou o Evangelho na Alemanha. Novamente ele foi atacado pelos arianos e foi martirizado em Mainz, Alemanha…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune21.html

5.   Em Ca­er­leon, na Bre­tanha Menor, re­gião da ac­tual França, os santos Júlio e Aarão, már­tires, que, du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Di­o­cle­ciano, so­freram o mar­tírio de­pois de Santo Al­bano. No mesmo tempo e no mesmo lugar, muitos ou­tros cris­tãos, tor­tu­rados com di­versos su­plí­cios e cru­de­lis­si­ma­mente fla­ge­lados, su­pe­raram o com­bate e al­can­çaram as ale­grias da ci­dade eterna. († s. IV in.).

– Ver Santo Aarão de Aleth Aarão de Aleth (em bretãoAihran) foi um ermitãomonge e abade que viveu na metade do século VI em um monastério em Cézembre, uma pequena ilha próxima de Aleth, atualmente Saint-Servan, e de Saint-Malo, na região da BretanhaFrança. Algumas fontes dão conta de que ele nasceu de mercadores britânicos na Armória Dumnônia, um antigo reino na Britânia pós-romana, numa área que hoje cobre o sudoeste da Inglaterra.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Aar%C3%A3o_de_Aleth

6.   Em Do­liche, na Síria, ac­tu­al­mente na Tur­quia, Santo Eu­sébio, bispo de Sa­mo­sata, que, no tempo do im­pe­rador ariano Cons­tâncio, dis­far­çado com veste mi­litar vi­si­tava as Igrejas de Deus para as for­ta­lecer na fé ca­tó­lica; pos­te­ri­or­mente, no tempo do im­pe­rador Va­lente, foi des­ter­rado para a Trácia; mas, res­ta­be­le­cida a paz da Igreja, re­gressou do exílio no tempo do im­pério de Te­o­dósio; fi­nal­mente, ao vi­sitar no­va­mente as Igrejas, morreu mártir com a ca­beça par­tida com uma telha ati­rada contra ele por uma mu­lher ariana. († 379).

No dia 21 de junho, conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano de 378, a volta para Deus de Santo Eusébio. Bispo de Samostata, na Síria, foi exilado para a Trácia pelo imperador Valêncio, por causa de sua ortodoxia. A morte do imperador permitiu-lhe voltar para sua diocese, mas foi pouco depois assassinado por uma mulher ariana. É apresentado por Teodoreto como um generoso campeão da verdade (M).

– Ver páginas 71-82 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também: https://ecclesia.org.br/synaxarion/?p=1402

– Ver ainda: http://santosortodoxos.blogspot.com/2013/07/santo-eusebio-de-samosata.html

– Ver “…ST EUSEBIUS, BISPO DE SAMOSATA (c. AD 379). NADA se sabe sobre a origem e a história antiga de Santo Eusébio. Ele veio antes de nós em 361, quando como bispo de Samosata, ele participou de um sínodo convocado em Antioquia para selecionar um sucessor para o bispo Eudoxo… Valente emitiu uma ordem condenando-o ao exílio na Trácia. Quando o oficial encarregado de fazer cumprir este decreto se apresentou a Eusébio, o bispo o advertiu para não tornar sua missão pública, para que o povo não se levantasse e o matasse: o homem santo não desejava que ninguém perdesse a vida por sua causa… Quando a morte de Valente em 378 pôs fim à perseguição, Santo Eusébio foi devolvido ao seu assento e ao seu rebanho. Seu zelo em nenhum grau foi prejudicado por seus sofrimentos. Por meio de seus esforços, a unidade católica foi restaurada em toda a sua diocese, e as sés vizinhas foram ocupadas por prelados ortodoxos. Ele estava visitando Dolikha para colocar um bispo católico ali quando foi atingido na cabeça por uma telha jogada sobre ele de um telhado por uma mulher ariana. O ferimento foi fatal, e ele morreu vários dias depois, após arrancar de seus amigos a promessa de que eles não iriam procurar ou punir seu agressor…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune21.html

7.   Co­me­mo­ração de São Ni­cetas, bispo de Re­me­siana, na Dácia, hoje Bela Pa­lanka, na Sérvia, que São Pau­lino de Nola louva com um elo­quente poema, por ter anun­ciado o Evan­gelho aos bár­baros, trans­for­mando-os em ove­lhas de Cristo con­du­zidas ao redil da paz, e por ter con­se­guido que gente in­culta e ha­bi­tuada ao la­tro­cínio apren­desse a cantar os lou­vores de Cristo com um co­ração romano. († c. 414).

Ver “São Nicetas de Remesiana (ca. 335414) foi um Bispo de Remesiana, atualmente Bela Palanka, a qual se situa na Sérvia, pertencente ao distrito de Pirot[1]. São Nicetas foi também teólogo e compositor de versos litúrgicos, cujas atividades missionária e de escrita efetuaram a cristianização e cultivaram uma cultura latina entre os bárbaros no baixo vale do Danúbio[2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nicetas_de_Remesiana

8*.   Em Roma, no pa­lácio pon­ti­fício de La­trão, o Beato Ino­cêncio V, papa, que de­pois de ter to­mado o há­bito da Ordem dos Pre­ga­dores e en­si­nado a sa­grada te­o­logia em Paris, aceitou com re­lu­tância a sede epis­copal de Lião e ori­entou, jun­ta­mente com São Bo­a­ven­tura, o Con­cílio Ecu­mé­nico para a uni­dade entre os La­tinos e os Gregos se­pa­rados; fi­nal­mente, eleito para a cá­tedra de Pedro, pouco tempo exerceu a função de Pon­tí­fice, porque a morte só lhe per­mitiu ser quase apenas mos­trado, mais do que dado à Igreja de Roma. († 1276).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, em 1276, o Bem-Aventurado Inocêncio V, dominicano da Savóia, que tornou-se provincial da sua ordem e foi pouco depois nomeado arcebispo de Lião. Como tal, recebeu o XIV Concílio Ecumênico, que discutiu a questão da unidade entre gregos e latinos. Seu pontificado durou apenas seis meses. (M).

– Ver “O Papa Inocêncio V ( latino : Inocêncio V ; c. 1225 – 22 de junho de 1276), nascido Pierre de Tarentaise, foi papa de 21 de janeiro a 22 de junho de 1276. Membro da Ordem dos Pregadores, ele adquiriu uma reputação de pregador eficaz. Ele ocupou uma das duas “cadeiras dominicanas” da Universidade de Paris e foi fundamental para ajudar a elaborar o “programa de estudos” da Ordem. Em 1269, Pedro de Tarentaise foi provincial da província francesa de dominicanos. Ele foi um colaborador próximo do Papa Gregório X, que o nomeou Bispo de Ostia e o elevou ao cardeal em 1273.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Inoc%C3%AAncio_V

– Ver “… BD INOCENTE V, PAPA (1277 DC)
O primeiro papa dominicano, Inocêncio V, foi batizado Pedro, e até sua elevação ao papado era comumente conhecido como Pedro de Tarentaise, do nome de seu local de nascimento, Tarentaise-en-Forez (Loire ). · [Não deve ser confundido com o abade e bispo cisterciense São Pedro de Tarentaise (8 de maio).] …Embora fosse um homem de físico esplêndido e de constituição tão robusta que nem austeridades nem o trabalho árduo o haviam prejudicado, ele foi acometido por uma febre maligna que o matou em poucos dias. Ele morreu em 22 de junho de 1277, aos cinquenta e um anos, após ter sido papa por apenas cinco meses. Oculto de Bd Innocent foi confirmado em 1898, e seu nome adicionado ao martirológio romano como alguém que “trabalhou pela concórdia entre os cristãos”…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune21.html

9. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, São João IV, bispo de Nápoles, amigo de São Paulino de Nola, morto exatamente um ano antes dele. (M).

– Ver página 104 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

10. São João I, de Nápoles. Ver página 103 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver “São João foi o bispo de Nápoles que traduziu o corpo de São Januário de Puteoli para Nápoles, “que abençoou Paulino, bispo de Nola, chamado ao reino celestial”, segundo o Martirológio Romano (Beneditinos, Enciclopédia).”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune22.html

11. Santo Evrardo, arcebispo de Salzburgo. Ver páginas 105-106 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver “…1164 Santo Eberhard (Everard) bispo de Salzburgo maior apoiador do papa na Alemanha durante a controvérsia da investidura OSB Nasceu em Nuremberg, Alemanha, 1085; morreu em Salzburgo, Áustria, em 11 de junho de 1164…
… Santo Eberhard foi educado pelos monges de Michelberg em Bamberg. Ele obteve um canonismo em Bamberg, que, no entanto, ele desistiu para se tornar um beneditino em Prüfening em 1125. Em 1133, ele foi feito abade de Biburg, e em 1147 consagrado bispo de Salzburgo.
Eberhard foi o maior defensor do papa na Alemanha durante a controvérsia da investidura. No início da Idade Média, um imperador ou outro príncipe leigo investia um abade ou bispo eleito com o anel e o cajado e recebia homenagem antes da consagração. O Papa Nicolau II condenou a prática em 1059. Em 1075, toda investidura leiga foi proibida pelo Papa Gregório VII (Beneditinos, Enciclopédia).”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune22.html

12. Bem-Aventurado Lambert, abade. Ver páginas 115-117 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver “1125 O beato Lambert Saint-Bertin 40º abade introduz as observâncias Cluniac OSB Abade (AC). Desde a infância, Lamberto foi treinado na vida monástica na abadia beneditina de Saint-Bertin, da qual eventualmente se tornou o 40º abade. Ele terminou a igreja da abadia e introduziu as observâncias cluníacas [independente de tudo, exceto da jurisdição papal] (beneditinos) .”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune22.html

13. Outros santos do dia 22 DE JUNHO: páginas: 94-118 (NÃO TEM LINK):  Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 22 de junho, ver ainda: 22 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 485-487: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune22.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.